Você está na página 1de 7

FARSA DE INÊS

PEREIRA

SÍNTESE GLOBAL DE
PREPARAÇÃO PARA
O EXAME NACIONAL
2018/2021

ELABORADO POR
PAULO INÁCIO
GUERREIROINACIO3@GMAIL,COM
FARSA DE INÊS PEREIRA 2018/2021

CONTEXTUALIZAÇÃO
CONTEXTUALIZAÇÃO DO AUTOR, BEM COMO HISTÓRICO-LITERÁRIA DA OBRA

Gil Vicente terá nascido em 1465, na Os textos do dramaturgo circulavam em


região de Guimarães e Beira, e terá folhetos de cordel.
morrido entre 1536 e 1540. Foi Luís e Paula Vicente, seus filhos, são
dramaturgo, ator, encenador, organizador responsáveis pelas edições póstumas das
de teatros e participou em diversas suas obras: "Compilaçam de todalas obras
cortes. de Gil Vicente", em 1562.
A sua primeira obra terá sido "Auto da
Visitação" ou "Monólogo do Vaqueiro".
Casou duas vezes e teve cinco filhos.

GÉNEROS DRAMÁTICOS E ESTILOS

MORALIDADES FARSAS

Peças curtas, tinham como motivos religiosos Género apreciado pelo povo, visto que, através
centrais o conforto entre o bem e o mal e a do cómico, satiriza aspetos da vida pessoal
salvação da alma humana, sendo que os vícios e quotidiana das várias classes sociais.
virtudes eram concretizadas em personagens Auto da Índia e Farsa de Inês Pereira são
humanas. exemplos de obras deste género.
Tais textos visam, através do cómicos, a As obras são escritas em verso,
denúncia dos costumes para a sua correção
("ridendo castigat moraes" - "a rir se castigam
os costumes").
Auto da Barca do Inferno e Auto da Feira são
exemplos de obras deste género.
FARSA DE INÊS PEREIRA 2018/2021

A REPRESENTAÇÃO DO QUOTIDIANO

Na Farsa de Inês Pereira, a representação do quotidiano surge, por exemplo, nos


seguintes quadros ilustrativos:
Cenas da vida doméstica, onde a Mãe censura Inês pelo seu desleixo em relação às
tarefas domésticas e, consequentemente, quando a mesma se queixa da falta de
liberdade;
Conselhos maternos (sobre a escolha dos namorados, casamento, etc...);
A festa de casamento da Inês;
Vida conjugal (a prepotência do Escudeiro, que obriga Inês a obedecer-lhe);
Traição matrimonial, evidente no relacionamento de Inês e Ermitão, enquanto ela era
casada com Pêro Marques

DIMENSÃO SATÍRICA

INÊS PEREIRA ESCUDEIRO BRÁS DA MATA

Aborda a ascensão social da mulher através do Usa a leitura da carta que anuncia a sua morte
casamento e adultério feminino; serve-se dos ao fugir da batalha para provocar o riso na
diferentes tipos de cómico para provocar o riso plateia, acentuando a fraqueza de carácter
dos espectadores, expondo, assim, ao ridículo desta personagem (cómico de carácter).
estes comportamentos.

PÊRO MARQUES

Serve-se, do cómico de situação, quando Pêro Marques se senta ao contrário numa cadeira, objeto que
desconhece; já o cómico de linguagem transparece no discurso arcaico desta personagem.
FARSA DE INÊS PEREIRA 2018/2021

CARACTERIZAÇÃO DAS
PERSONAGENS
CARACTERIZAÇÃO DA INÊS PEREIRA E OS SEUS PRETENDENTES, DA MÃE E DA
LIANOR VAZ

INÊS PEREIRA MÃE

No início da obra, mostra-se indolente, Voz da experiência.


pois não cumpre as suas tarefas, mas, Pragmática, tendo em conta que afirma
também, sonhadora e romântica. que o casamento implica sustento
Pretende casar-se, não só para se unir material, e prudente.
ao homem ideal, mas, também, para se Mostra o seu afeto maternal por Inês,
libertar da sua vida. visto que, pede ao Escudeiro que seja
Mostra-se ser rebelde e determinada, afetuoso com a filha.
visto que não ouve os conselhos da
Mãe e, ainda, desposa o pretendente LIANOR VAZ
que a deseja.
Durante o casamento com o Escudeiro Alcoviteira, tendo em conta que
é submetida a um tratamento cruel que propõe o casamento entre Inês e Pêro
a leva a ficar desencantada e Marques.
desiludida. Astuta e determinada.
No casamento com o Lavrador, o Pêro Pragmática, pois sugere que Inês case
Marques, sente-se livre e comete com Pêro Marques, uma vez que ele
altultério com o Ermitão. pode sustentá-la.

PÊRO MARQUES: Lavrador abastado; ingénuo, ignorante e um pouco grosseiro;


determinado, visto que não desiste de casar com Inês.

ESCUDEIRO: Fanfarrão e mentiroso; interesseiro; autoritário e despótico; cruel para


o Moço; cobarde, tendo em conta que é morto por um pastor ao fugir de uma
batalha.
FARSA DE INÊS PEREIRA 2018/2021

A ESTRUTURA DA AÇÃO, O
TEMPO E O ESPAÇO

A ESTRUTURA DA AÇÃO

INÊS FANTASIOSA INÊS MALMARIDADA

Apresentação dos sonhos e A proposta do Escudeiro


ambições de Inês (casar com um corresponde às suas
homem avisado). expectativas.
Proposta de Pêro Marques, que Desilusão com a vida
Inês considera desinteressante. matrimonial agressiva.
Recusa da proposta de Pêro Liberdade: Morte do Escudeiro.
Marques.

INÊS QUITE E DESFORRADA

Nova proposta de Pêro Marques.


O casamento traz-lhe felicidade e conforto.
Aventuras extraconjugais com o Ermitão.
FARSA DE INÊS PEREIRA 2018/2021

O TEMPO E O ESPAÇO

TEMPO: Apenas há uma referência concreta: o Moço refere que o Escudeiro partira
há três meses para o norte de África quando Inês recebe a carta.

INÊS FANTASIOSA INÊS MALMARIDADA INÊS QUITE E


DESFORRADA
Espaço Interior Espaços Interiores
Casa de Inês Casa de Inês e Residência Espaço Interior
do Escudeiro Residência do
Escudeiro
Espaço Exterior
Peregrinação até à
Confinamento de Inês na área doméstica, ora por
ermita
causa da Mãe ora por causa do Escudeiro

Liberdade de
movimentos
FARSA DE INÊS PEREIRA 2018/2021

RESUMO
RESUMO DA FARSA DE INÊS PEREIRA

A Farsa de Inês Pereira parte do argumento "mais quero asno que me leve que
cavalo que me carregue", porque existiam pessoas que duvidavam que Gil
Vicente fosse o autor das suas obras.

Inicia-se com o monólogo de Inês Pereira que reclama do facto de ter de


fazer as lides domésticas. É interrompida pela Mãe que, ao chegar da missa,
não se surpreende ao não ver a filha a bordar.
A Mãe adverte a filha para que ela não tenha pressa em casar e aconselha-a a
não preguiçar com as tarefas de casa. Contudo, não a convence.
O diálogo é interrompido por Lianor Vaz, uma alcoviteira, que é portadora de
uma carta de Pêro Marques, um homem do campo que pretende casar com
Inês. As palavras da carta de Pêro Marques são ridicularizadas por Inês,
embora esta aceite a sua visita.
Pêro Marques vai a casa de Inês e todas as suas palavras e atitudes revelam
ingenuidade e simplicidade, sendo, por isso, recusado por Inês, que quer um
homem que saiba tocar viola e que saiba bem falar.
Por intermediário de dois Judeus casamenteiros, Latão e Vidal, Inês é
apresentada a Brás da Mata, um fidalgo pelintra, mas que reúne os requisitos
idealizados por Inês. Casam-se e, após o casamento, o Escudeiro revela-se
um autêntico tirano.
Brás da Mata decide ir combater para o norte de África, onde acaba por
morrer ao tentar fugir.
Consequentemente, Inês fica livre e decide casar com Pêro Marques, que
tudo lhe permite, levando-a, inclusivamente, a encontrar-se com um
Ermitão, com quem comete adultério.

Você também pode gostar