Você está na página 1de 48

Os quatro tecidos básicos:

Tecido Epitelial Tecido Muscular

Tecido Conjuntivo Tecido Nervoso


Tecido epitelial - Origem:

Ectoderme: epitélios de revestimento externos


(epiderme, boca, fossas nasais, ânus).
Endoderme: epitélio de revestimento do tubo
digestivo, da árvore respiratória, do fígado e do
pâncreas.
Mesoderme: endotélio (vasos sanguíneos e
linfáticos) e mesotélio (revestimento de serosas).
Principais funções:

Proteção;
Secreção;
Absorção;
Excreção;
Difusão;
Recepção de sensações;
Limpeza;
Redução de fricção.
Características gerais :
1. Células justapostas;
2. Ausência de substância intercelular (pouca
quantidade);
3. Células apoiadas à membrana basal;
4. Não possuem vasos sanguíneos (nutrição por
difusão passiva de gases e nutrientes);
5. Não possuem inervação, exceto terminações
nervosas que captam estímulos;
6. Regenera-se facilmente.
Lâmina basal : superfície de contato das células epiteliais com o tecido
conjuntivo. Formada maioritariamente por colágeno do tipo lV.
Membrana basal : composta por lâmina basal + fibras reticulares do
tecido conjuntivo.
Fibrilas de ancoragem : são estruturas que fixam a lâmina basal ao
tecido conjuntivo.
Especializações das membranas celulares
Junções de adesão: zônula de
adesão, hemidesmossomos,
desmossomos;
Junções impermeáveis: zônula de
oclusão;
Junções de comunicação: Gap
(junção comunicante).
Microvilos ou microvilosidades
Projeções do citoplasma recobertas por membrana, cujo
número e forma dependem da capacidade absortiva da célula.
Nas células intestinais e renais são altos e numerosos.
Aumentam a área de superfície celular, facilitando absorção
(intestino delgado).
Desmossomos
Une fortemente as células;
Conferem resistência mecânica aos tecidos;
Importantes nas camadas celulares
expostas a constantes atritos, como é o caso
da epiderme;
Placa circular de proteínas unidas por
filamentos e substâncias adesivas (placa de
ancoragem);
São locais onde o citoesqueleto se prende à
membrana;
Formam um elo de ligação entre o
citoesqueleto de células vizinhas.
Hemidesmossomos
Estruturas semelhantes aos desmossomos;
Presentes nas células que estão em contato com a lâmina basal;
Não possuem a metade correspondente à outra célula epitelial;
Junções aderentes
Similar aos desmossomos;
Função de ancoragem entre as membranas e ancoragem do
citoesqueleto;
Formam um cinturão ao redor do corpo da célula.
Zônula oclusiva
Também é chamada de junção oclusiva;
Bloqueia o espaço intercelular impedindo a passagem de
substâncias através do epitélio;
Formada por proteínas transmembranárias.
Junções comunicantes
Também é chamada de junção gap;
Estabelece comunicação entre as células;
É um canal que atravessa a membrana das células
vizinhas;
Permite a passagem de nucleotídeos, aminoácidos, íons
Podem estar abertas ou fechadas.
Tecido epitelial – Classificação.
1. Tecido epitelial de revestimento;
2. Tecido epitelial secretor ou glandular.

Tecido epitelial de revestimento

Tecido epitelial glandular


Classificação dos Epitélios de Revestimento:
1) Quanto ao Número de Camadas Celulares:

Simples: 1 camada de células;


Pseudoestratificado: 1 camada células, núcleos em alturas diferentes;
Estratificado: mais de 1 camada de células.

2) Quanto à Forma da Célula (camada superior):

Pavimentoso: forma da célula e do núcleo achatada;


Cúbico: forma cúbica e núcleo mais arredondado;
Prismático: (colunar, cilíndrico): células mais altas e núcleo alongado.
Pavimentoso (escamoso) Simples: 1 camada
Células extremamente finas, citoplasma extenso, aspecto
fusiforme.
Reveste vasos sanguíneos, coração é a origem, pulmões nas
porções finas, ductos glandulares e túbulos renais.
Cúbico simples
Formato cúbico, tem uma borda lateral.
Envolvido com secreção e absorção e alguns revestimentos.
Ductos de glândulas, tubos renais, cristalinos e íris, testículo
e ovários.
Simples Cilíndrico (prismático)
Mais alto menos largo. Núcleos são alongados, é a base da
célula.
Processos secretores;
Estomago glandular, intestino delgado e grosso, útero, e
porção condutora glandular.
Cilíndrico Simples

Células cilíndricas que apresentam cílios, presentes no


aparelho genital feminino.
Pseudo-estratificado
Muito comum no trato respiratório.
Desde a porção basal até a parte média tem esses tipos de células:
Basal, fusiforme, prismática, Caliciforme.
Obs: células de vários formatos em camadas não organizadas, a
prismática prevalece.
Órgãos tubulares, trato respiratório – traqueia, trato urogenital, ductos
das glândulas em áreas de transição. Esôfago.
Estratificado Pavimentoso

Todas as camadas estão organizadas, cada célula na sua área.


Superfícies corporais (pele), cavidade oral, pré-estomago,
esôfago, córnea e conjuntiva.
Estratificado Cúbico
Tem duas camadas celulares, difícil de encontrar esse
epitélio porque estão em áreas de transição entra epitélio
simples e estratificado.
Trato genital, Ductos glandulares, zonas de transição
Estratificado Transição
Ele varia entre estratificado e pseudo-estratificado,
formato das células é poliédrico.
Urogenital – Bexiga.
Tecido Epitelial Glandular
• As glândulas são formadas por um grupo de células especializadas cuja função é
secreção. Entende-se por secreção a produção e liberação, pelas células, de um fluido
contendo substâncias como muco, enzimas ou um hormônio.
• As células secretoras de uma glândula são conhecidas como parênquima. O tecido
conjuntivo do interior da glândula, que sustenta as células secretoras, é chamado de
estroma.

As glândulas se classificam em:


Glândulas Exócrinas
Glândulas Endócrinas
Glândulas mistas
Glandulas Exocrinas:
Possuem ductos que transportam a secreção glandular para a
superfície do corpo ou para o interior (luz) de um órgão
cavitário.
Exemplo:
- Lacrimais
- Sudoríparas
- Sebáceas
- Mamárias
Classificação:
Quanto ao ducto:
Simples: o ducto não se ramifica. Exemplo: Glândula sudorípara
Composta: o ducto se ramifica, em geral repetidamente. Exemplo: Pâncreas.
Quanto à forma da porção secretora:
Tubulosa: em forma de tubos. Exemplo: Glândulas estomacais e intestinais.
Acinosa ou alveolar: Forma arredondada. Exemplo: Parótida e pâncreas.
Tubuloalveolar: Presença das duas formas. Exemplo: Sublinguais e salivares.
Quanto ao produto de secreção:
Serosa: Secreta um fluido aquoso. Exemplo: Parótida
Mucosa: Secreta um fluído espesso e viscoso, glicoprotéico denominado muco.
Exemplo: célula caliciforme.
Seromucosas ou mistas: Compostas por uma mistura de unidades secretoras.
Exemplo: glândulas salivares.
Quanto ao modo de extrusão:
Merócrinas: Nestas glândulas, a secreção é liberada para a superfície livre de
vesículas recobertas por membranas, não resultando em perda de citoplasma.
Exemplo: parte exócrina do pâncreas.
Apócrinas: Nestas glândulas, a secreção e, possivelmente, uma parte do
citoplasma da célula secretora são perdidas para a superfície livre da célula. A
parte celular restante, então regenera a porção perdida. Exemplo: glândulas
sudoríparas axilares e glândulas mamárias.
Holócrina: Nestas glândulas, a célula inteira morre e destaca-se formando a
secreção da glândula. As células perdidas são substituídas a partir da divisão das
células vizinhas. Exemplo: glândulas sebáceas da pele.
Holócrina
A célula secretora acumula os produtos no citoplasma e, em
seguida, morre e se desintegra , constituindo ela própria, a
secreção.
Ex. Glândulas sebáceas.
Merócrina
Suas células secretoras eliminam apenas a secreção
mantendo o citoplasma praticamente intacto.
Ex. Glândulas salivares e sudoríparas
Apócrinas
As células secretoras perdem certa quantidade de citoplasma
ao eliminar sua secreção, mas regeneram a porção perdida.
Ex. Glândulas mamárias.
Glandulas Endocrinas
Estas glândulas não possuem ductos e sua secreção verte-se diretamente
na corrente sanguínea, onde será distribuída para todo o corpo. A secreção
das glândulas endócrinas contém substâncias químicas denominadas
HORMÔNIOS, que regulam a atividade celular, normalmente a
distância da glândula que lhes deu origem.
Classificação:

VESICULAR: possui grande quantidade de capilares. Suas células


arranjam-se formando vesículas. Exemplo: Tireóide. Neste tipo de
glândula o produto de secreção pode ser armazenado dentro da
vesícula.
CORDONAL: as células são arranjadas em cordões. O produto de
secreção é elaborado e armazenado intracelularmente. Exemplo:
paratireóides, hipófise, supra-renal.
Mistas:
Essas glândulas desempenham tanto função endócrina quanto exócrina,
liberando suas secreções no sangue ou em cavidades.
Ex: o testículo, ovário, fígado e pâncreas.
A pele humana
Além de proteger nosso corpo da ação de agentes físicos,
químicos e biológicos, a pele é responsável por nossa
sensibilidade táctil e pela manutenção da temperatura
corpórea.
Epiderme: A epiderme é uma das três porções epiteliais que recobre
a superfície do corpo, sendo a que está localizada externamente. É
diferenciada em pele fina e pele espessa, dependendo de sua espessura.
A pele espessa é encontrada na palma das mãos e na planta dos pés; a
pele fina protege todo o seu epitélio é do tipo estratificado pavimentoso
queratinizado, sendo que as células mais abundantes nesta região são os
queratinócitos.
Derme: A derme é o tecido conjuntivo onde está apoiada a epiderme,
que tem como função unir a pele ao subcutâneo ou hipoderme. Esta
camada apresenta espessura que varia de acordo com a região
observada, atingindo no máximo, 3 mm na planta do pé. Possui uma
superfície externa irregular, podendo ser observadas saliências,
denominadas papilas dérmicas, que acompanham as reentrâncias
correspondentes da epiderme. As papilas aumentam a área de contato
entre estas duas camadas da pele, reforçando a união entre ambas.
Hipoderme: A hipoderme é formada por tecido conjuntivo frouxo e
fica situada na região mais profunda da pele, unindo de modo pouco
firme a derme aos órgãos subjacentes. Esta camada é responsável pelo
deslizamento do pele sobre as estruturas nas quais está apoiada.
Dependendo da região e do grau de nutrição do organismo, a hipoderme
poderá ter uma camada formada por células gordurosas (adipócitos), que
quando desenvolvida, é denominada de panículo adiposo. Este, por sua
vez, é responsável por modelar o corpo, sendo também uma reserva de
energia, proporcionando proteção contra o frio (gordura funciona como
isolante térmico).