Você está na página 1de 12

Centro Universitário Leonardo Da Vinci

Educacional Leonardo Da Vinci


ii

SUMÁRIO

1 PARTE I: PESQUISA ............................................................................................3

1.1 DELIMITAÇÃO DO TEMA: METODOLOGIAS DO ENSINO E JUSTIFICATIVA.....3

1.2 OBJETIVOS........................................................................................................3

1.3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA............................................................................3

2 PARTE II: PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO .........................................................7

2.1 METODOLOGIA..................................................................................................7

2.2 CRONOGRAMA........................................................................................................7

REFERÊNCIAS...............................................................................................................9

ANEXOS.......................................................................................................................... 9
3

1 PARTE I: PESQUISA
1.1 DELIMITAÇÃO DO TEMA: METODOLOGIAS DO ENSINO E
JUSTIFICATIVA

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: Metodologias do ensino

TEMA: Lúdico: o jogo como recurso privilegiado no desenvolvimento da criança.

JUSTIFICATIVA: A escolha desse tema nos faz pensar no quanto o lúdico tem a
contribuir com a educação e socialização das crianças.
Buscar aprimorar os métodos de ensino com o jogo estimulando no aluno uma
vida interior rica e a capacidade de concentrar a atenção, desenvolver a inteligência,
criatividade e sociabilidade.
Vendo que hoje em dia as crianças estão cada vez mais fascinadas pela
tecnologia e esquecem-se da sua infância, o lúdico nas salas de aula traz de volta as
brincadeiras de criança despertando a curiosidade e a aprendizagem com a metodologia
correta.
Portanto, pode-se dizer que essa pesquisa procura investigar as experiências de
alguns pedagogos e comparar com a realidade de hoje em dia no ensino escolar.

1.2 OBJETIVOS
 Conceituar jogo situando-o historicamente;
 Conhecer as concepções sobre jogo de Piaget, Vygotsky e Wallon;
 Apontar os jogos que podem ser utilizados na prática pedagógica da
Educação Infantil;
 Investigar no estágio de campo se o jogo é utilizado como recurso no
processo de aprendizagem da criança.

1.3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

De acordo com Seybold (1983) a palavra “jogo” vem do vocábulo latino jocus,
que significa diversão, brincadeira. Há também dicionários que dizem ‘’atividade lúdica
que comporta um fim em si mesmo com independência de que em certas ocasiões se
realize por um motivo extrínseco’’.
4

OLIVEIRA (2005) Os jogos sempre estiveram presentes na cultura humana,


analisando a literatura pertinente, pode-se dizer que a palavra ‘’jogo’’ apresenta
significados distintos uma vez que pode ser entendida desde os movimentos que a
criança realiza nos primeiros anos de vida agitando os objetos que estão ao seu alcance,
até as atividades mais ou menos complexas, como certos jogos tradicionais e\ou
desporto institucionalizado.
Os primeiros registros de jogos vieram de Platão, segundo Almeida (1998, p.
19-20) condenava na Grécia, as atividades que exacerbavam a competição e o resultado.
O filósofo defendia o jogo como um meio de aprendizagem mais prazeroso e
significativo, de maneira que, inclusive, os conteúdos das disciplinas poderiam ser
assimilados por meio de atividades lúdicas. A Matemática, por exemplo, na sua fase
elementar, deveria ser estudada, de acordo com a visão de Platão, na forma de
atividades lúdicas extraídas de problemas concretos, de questões da vida e dos negócios.
Aristóteles, na interpretação de Brougère (1998, p. 28), afirmava ser o jogo um
meio de relaxamento, divertimento, descanso e resgate de energias para as atividades
humanas sérias. Apesar de o trabalho ser considerado a atividade mais importante, o
jogo era um meio de recuperação para as atividades produtivas.
Wallon denomina jogos infantis atividades que os adultos interpretam como
lúdicas e que as crianças, por meio das influências adultas, passam a concebê-las da
mesma forma. Os principais veículos de comunicação entre o adulto e a criança são a
linguagem oral e a corporal. O autor (s.d., p. 60-61) classifica os jogos infantis em
quatro tipos;
Jogos funcionais - “Todo edifício da vida mental se constrói nos seus diferentes
níveis, por adaptação da nossa atividade ao objeto, e o que dirige a adaptação são os
efeitos das atividades sobre si própria” (WALLON, s.d., p. 52).
Jogos de ficção ou imitação - Neles, a criança assume e exerce papéis,
representa situações variadas: brinca de escolinha, casinha, trem, avião, carro, jogo
dramático, disfarces, galopa sobre um cabo de vassoura, como se fosse um cavalo
(WALLON, s.d., p. 60-61).
Jogos de aquisição - Ela é “toda olhos e ouvidos”, afirma Wallon (s.d., p. 60-
61), faz um enorme esforço para compreender as coisas, os seres, cenas, imagens,
narrativas, canções. São exemplos desses jogos: o manusear de um livro de figuras; a
atenção em frente a um aparelho.
5

Jogos de construções - Jogos que permitem à criança utilizar a sua criatividade


para construir, modelar, recortar, transformar, combinar, criar coisas e objetos. Como
exemplo, destacam-se os jogos de bordado, costura, criação de animais, jardinagem,
desenho.
O jogo, segundo Piaget (1988, p. 158), é uma atividade negligenciada pela
escola tradicional, em razão de parecer destituída de significado funcional. Na
perspectiva da pedagogia tradicional, o jogo é apenas um espaço no qual a criança pode
recrear-se, relaxar, descansar ou gastar um excedente de energia que não foi consumida
pelas atividades nobres da escola. Piaget não considera o jogo como uma atividade
especial, mas como um mecanismo utilizado pela criança para subjugar a realidade às
suas próprias possibilidades de assimilação.
É importante lembrar também que Piaget não estudou o jogo em si mesmo,
mas se interessou pelo fenômeno, por ser uma privilegiada atividade espontânea, que
lhe permitiu observar a evolução da capacidade semiótica, o desenvolvimento moral e
social da criança.
A teoria de evolução do jogo de Piaget está fundamentada em estágios de
desenvolvimento cognitivo da criança, ocorre, predominantemente, um tipo de jogo. A
classificação construída com critério genético está baseada na evolução das estruturas
mentais. Há três tipos de estruturas que aparecem de acordo com o desenvolvimento e
caracterizam os jogos: o exercício, o símbolo e a regra. (PIAGET, 1971, p. 148).
Jogos de exercícios são os primeiros tipos de atividades lúdicas que surgem na
criança. A sua origem está no período sensório motor (0 a 02 anos), estágio pré-verbal e
se manifesta, primeiramente, sob a forma de jogos funcionais. Quase todos os esquemas
dão lugar aos exercícios lúdicos. Esse tipo de jogo caracteriza-se pela repetição de
gestos, movimentos e sons, apenas com finalidade exploratória ou pelo prazer do efeito
causado. A criança brinca com o próprio corpo, com movimentos dominados ou objetos
impondo a estes seus esquemas. (PIAGET, 1971, p. 149)
Jogo Simbólico, manifesta-se no período compreendido entre,
aproximadamente, dois e seis anos, e sua origem está localizada nos jogos de exercícios.
O que o diferencia do primeiro tipo de jogo é a “ficção”, o “faz de conta” ou o “como
se”. Ele é, ao mesmo tempo, imitação e assimilação lúdica. (PIAGET, 1971, p. 128).
Encontra-se, pois, no exemplo, em que a criança finge que dorme, uma união entre a
assimilação deformante, princípio do jogo, e uma espécie de imitação representativa. A
6

primeira fornece o ato ou objeto simbolizado (significado) e a segunda constitui o


simbolizante (significante). (PIAGET, 1971, p. 134).
Para Piaget (1971, p. 182-183), o jogo de regras é a atividade lúdica do ser
socializado. Tal como o jogo simbólico substitui o jogo de exercício, logo que surge a
representação, da mesma maneira o jogo de regras substitui o jogo simbólico e absorve
os jogos motores, com a constituição das relações sociais. O autor define o jogo de
regras como:

Combinações sensório motoras (corridas, jogos de bola de gude ou com bola,


etc.) ou intelectuais (cartas, xadrez, etc.) em que há competição dos
indivíduos (sem o que a regra seria inútil) e regulamentados quer por um
código transmitindo de gerações em gerações, quer por acordos
momentâneos. (PIAGET, 1971, p. 184).

 Para Vygotsky (1998) é importante se investigar as necessidades, motivações e


tendências que as crianças manifestam e como se satisfazem nos jogos, a fim de
compreendermos os avanços nos diferentes estágios de seu desenvolvimento. A
imaginação é o elemento principal, assim vindo a imitação. Desta maneira, pode se ver
que o jogo se torna muito importante, pois assim a criança cria uma zona de
desenvolvimento proximal, com funções que ainda não amadureceram, mas que se
encontram em processo disso. Aprendizado e desenvolvimento estão inter-relacionados
desde o nascimento, a aprendizagem da criança começa muito antes de ela frequentar a
escola. Todas as situações de aprendizado que acontecem com as crianças na escola já
têm uma história prévia, isto é, a criança já se deparou com algo relacionado do qual
pode tirar experiências.

A criação de uma situação imaginária não é algo fortuito na vida da criança;


pelo contrário, é a primeira manifestação da emancipação da criança em
relação às restrições situacionais. O primeiro paradoxo contido no brinquedo
é que a criança opera com um significado alienado numa situação real. O
segundo é que, no brinquedo, a criança segue o caminho do menor esforço –
ela faz o que mais gosta de fazer, porque o brinquedo está unido ao prazer – e
ao mesmo tempo, aprende a seguir os caminhos mais difíceis, subordinando-
se a regras e, por conseguinte renunciando ao que ela quer, uma vez que a
sujeição a regras e a renúncia à ação impulsiva constitui o caminho para o
prazer do brinquedo. (VYGOTSKY, 1998, p. 130).

No mundo lúdico a criança encontra equilíbrio entre o real e o imaginário,


alimenta sua vida interior descobre o mundo e torna-se operativa.
Aqui estão presentes alguns jogos que estimulam o conhecimento Auto Solo
Infantil:
7

 Jogo da memória com vogais: Nesse jogo a criança irá precisar de


raciocínio e lógica, pois vendo a figura e a vogal em baixo ela terá de encontrar
a outra carta igual, assim ela irá conhecer as vogais brincando;
 Figuras geométricas em EVA – crie um grande quando com o
nome das figuras geométricas e coloque no chão usando cartolina ou
emborrachado. Crie as figuras em EVA e convide os alunos um a um para
colocar a figura no espaço correto. Pode fazer a atividade no mesmo dia que
ensinar as figuras ou uma semana depois para revisar o conteúdo;
 O que mudou na sala? – todos os alunos devem mudar de costas e
esperar. Um dos estudantes é convidado a levantar, mudar um objeto de lugar
com a ajuda do professor e depois de contar a 10, os demais se viram e tentam
descobrir o que está mudado.
Portanto podemos compreender que o jogo é muito mais que uma brincadeira,
ou diversão, é uma forma lúdica de aprendizagem que usada da forma correta poderá
atingir estágios de conhecimento e aprendizagem para os alunos envolvidos.

2 PARTE II: PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO


2.1 METODOLOGIA

O estágio será realizado no Colégio Nossa Senhora da Conceição, localizado na


Servidão Jarbas D’Oliveira,54 no bairro Ingleses, através de observação de todo o
espaço físico da escola, leitura do PP, com 12 horas de observação, da professora
regente e 20 horas de regência.
Os dados a serem observados na instituição constam de um roteiro de
observação previamente elaborado e que está no anexo do projeto de estágio.
Foi realizada também uma pesquisa bibliográfica de diversos autores sobre o
tema estudado.
As atividades práticas das regências serão planejadas de acordo com o
planejamento do professor e respeitando a rotina da turma.

2.2 CRONOGRAMA

O estágio a ser realizado será no mês de Outubro, tendo a cumprir as atividades


de estágio de forma sequencial, sendo elas: de observação e regência.
8

Data Turno e horário Atividade


04/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 12:00 Observação 1
05/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 12:00 Observação 2
08/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 12:00 Observação 3
09/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 12:00 Regência 1
10/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 11:00 Regência 2
11/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 11:00 Regência 3
16/10/2018 MATUTINO- 07:00 ás 11:00 Regências 4
Carga horária total – 32 horas

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, P. N. Educação Lúdica - Prazer de Estudar - Técnicas e jogos


pedagógicos. 9. ed. São Paulo: Edições Loyola, 1998. 295p.

ARISTÓTELES, Política, VIII, 3, 1337b34, 138a1, trad. Fr., Paris: Vrin, 1959.

BROUGÈRE, G. Jogo e a Educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

BUYTENDIJK, F.J.J .El juego y su significado. Madrid: Revista Orienta, 1935.

LIMA, José Milton L732j O jogo como recurso pedagógico no contexto educacional.
São Paulo: Cultura Acadêmica: Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de
Graduação. Disponível em:
https://fasul.edu.br/portal/files/biblioteca_virtual/7/ojogocomorecursopedagagico.pdf
(19\08\2017. 21:05).

MORAES, Ingrid Merkler. A PEDAGOGIA DO BRINCAR: Intercessões da


ludicidade e da psicomotricidade para o desenvolvimento infantil. Novembro de
2011. Acessado em http://unisal.br/wp-content/uploads/2013/03/Disserta
%C3%A7%C3%A3o-Ingrid-M-Moares.pdf.

PIAGET, J. A formação do símbolo na criança. Rio de Janeiro: Zahar, 1971. 370p.

PLATÃO. Les lois - Cap. I e VII. Tome XI e XII, Collection des Universités de France,
Paris: - Les Belles Letres, 1951.

VALDUGA, Camila. Jogo na educação Física: discussões e reflexões. Agosto 2011.


Acessado em http://www.efdeportes.com/efd159/jogo-na-educacao-fisica-discussoes-e-
reflexoes.htm.

VYGOTSKY, Lev Seminovich. A formação social da mente. São Paulo: Mrtins


Fontes, 1984.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo:


Martins Fontes, 1998.
9

WALLON, Henri. As origens do caráter na criança. São Paulo: Diefel, 1971.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. Editorial Andes, Rio de Janeiro:


[s.d.]

https://pedagogiaaopedaletra.com/concepcoes-de-jogo-conforme-vygotski-piaget-
wallon/ (15/08/2017. 18:35) Autor: Pedagogia ao pé da letra. Título da obra:
Concepções de jogo conforme Vygotsky, Piaget, Wallon. Escrito em: 22/04/2013.

https://soloinfantil.com/educacao/jogos-para-educacao-infantil/ (15/08/2017. 16:19)


Autor: Solo Infantil. Título da obra: 15 jogos para educação infantil.

MORAES, Ingrid Merkler. A PEDAGOGIA DO BRINCAR: Intercessões da


ludicidade e da psicomotricidade para o desenvolvimento infantil. Novembro de
2011. Acessado em http://unisal.br/wp-content/uploads/2013/03/Disserta
%C3%A7%C3%A3o-Ingrid-M-Moares.pdf.

ANEXOS

ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO

ANEXO I - ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO

Será observada a instituição em relação à organização: turnos de funcionamento


e respectivos horários, total de turmas para cada nível/modalidade de ensino atendido,
média de alunos por turma, média da faixa etária por turma, quantidade de funcionários,
existência de equipe de apoio (psicopedagogos, psicólogos, médicos, fonoaudiólogos),
acesso dos pais é restrito, acontece em dias previamente agendados.
Em relação à infraestrutura: descrição dos aspectos físicos da escola: tipo de
prédio, conservação e limpeza externa e interna, estrutura das dependências: espaço
para atendimento a pais, biblioteca, laboratórios, salas de aula, sala dos professores,
salas informatizadas, áreas de lazer, estrutura para a realização de esportes, espaço
destinado à socialização de trabalhos realizados pelos alunos e para informações
pertinentes ao funcionamento da escola, acessibilidade para pessoas com necessidades
especiais, espaço destinado às refeições: a escola possui cantina, oferece lanche
(merenda), os alunos trazem lanche de casa, quais equipamentos multimídias a escola
possui, os alunos recebem material (cadernos, livros, uniformes) da gestão pública,
como ocorrem pequenos reparos necessários (quem é acionado, a escola possui fundos
monetários específicos).
Observar no Projeto Político-Pedagógico e regimento escolar: descrição dos
fins e objetivos da proposta pedagógica da escola e quais documentos alicerçam esta
10

proposta (Proposta Curricular do Município e Estado, Parâmetros Curriculares


Nacionais, Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil e outros), O PPP é
rediscutido, quando? (com reuniões pré-agendadas?), caso ocorram inovações e/ou
alterações, elas são comunicadas através de quais meios, no PPP constam registrados e
sistematizados eventos como: feira de ciências, matemática, viagem de estudos, jogos
estudantis, entre outras atividades que favorecem o desenvolvimento cognitivo e
psicomotor dos alunos, como os conteúdos das disciplinas aparecem organizados, quais
recursos didáticos e referenciais teóricos norteiam a prática do corpo docente e
administrativo da escola, a forma de avaliação e a recuperação de conteúdos aparecem
descritas no PPP.
Com relação à caracterização do corpo docente da instituição, quantidade de
professores atuantes em sala de aula e quantidade de professores que atuam na gestão
escolar (diretor (a), supervisor (a), orientador(a), secretário(a)). Formação acadêmica
(quantos possuem Curso Superior, Pós-Graduação, Mestrado, Doutorado), regime de
trabalho, os profissionais moram no bairro e/ou município no qual a escola está
edificada, a escola oferece possibilidades de formação continuada para docentes
(atuantes em sala ou na gestão).
Solicitar informações relacionadas ao professor regente da turma, formação
acadêmica, experiência profissional (tempo de atuação com a Educação), tempo de
atuação na escola atual, tendência pedagógica que alicerça sua prática, quais recursos
midiáticos e técnicas para a explanação dos assuntos são comumente utilizados,
relacionamento com os alunos, regime de trabalho, o professor mora no bairro e/ou
município no qual a escola está edificada, o professor busca formação/atualização
profissional.
Sobre o Planejamento do professor regente, com que frequência é realizado
(diariamente, semanalmente, anualmente),são definidos objetivos para cada aula, os
objetivos são centrados nos alunos e apresentados à turma, a avaliação empregada está
em conformidade com a descrita no PPP, o professor promove a igualdade de
expressão, ocorre relação do que é planejado com a prática, quais alternativas o
professor busca para lidar com limitações (espaço físico, falta de material pedagógico e
número excessivo de alunos), quanto à motivação dos alunos, quais meios são
empregados para esse fim, pontualidade do professor, divide o tempo (hora-aula) entre
motivação, explanação, atividades práticas e avaliação dos objetivos propostos.
11

Conhecer a caracterização da turma onde realizará regência: número de


alunos, faixa etária, receptividade ao planejamento do professor e às regras de rotina de
acordo com a linha pedagógica adotada no PPP e defendida pelo professor, interesse,
participação, cooperação; respeito entre os pares; organização no que se refere ao
material individual e coletivo (mochila, livros, cadernos...) momento (s) e ou assunto (s)
no qual (is) infere-se maior atenção, interesse e participação dos alunos.

ANEXO II – PLANOS DE AULA


Dados de identificação da Instituição Concedente
Nome da escola: Colégio Nossa Senhora da Conceição
Diretora:
Professora Regente:
Turma: INF. I
Período: Matutino
Nome da Acadêmica Estagiária: Cristiane Oliveira da Silva

Plano de atividade 1
Nome/Tema: Binóculos recicláveis
Objetivos: Estimular a coordenação motora, agilidade, atenção.
Atividade: Pintar rolinhos de papel
Recursos: Tinta guache, rolo de papel higiênico, pincel, e linha.
Registro/Metodologia: Faremos uma roda e apresentarei a eles dois rolinhos de papel
higiênico, no primeiro momento eles pegam e sentem o papelão e em seguida faremos a
atividade. Pegar no pincel e sentir a tinta será um momento novo de descobrimento para
eles, em seguida finalizaremos pintando todos os rolinhos
Referências: Tinta guache da creche, e rolos de papel higiênico guardados em casa.

Plano de atividade 2
Nome/Tema: Música
Objetivos: Trabalhar a concentração, desenvolver a audição, compreensão da
linguagem musical.
Atividade: Fantoche Cantor
Recursos: 1 Fantoche
12

Registro/Metodologia: Com os binóculos já feitos, nessa atividade usaremos eles para


ver o Jacaré cantor, faremos uma roda e apresentarei o fantoche de jacaré estimulando a
audição para a música e curiosidade.
Referências: Material comprado em uma feirinha no centro.

Plano de atividade 3
Nome/Tema: Sons dos animais
Objetivos: Trabalhar a atenção, curiosidade, e compreensão de cada animalzinho.
Atividade: Livro
Recursos: 1 Livro que emite sons
Registro/Metodologia: Na roda irei mostrar para os alunos o som que cada bicho da
floresta faz, apertando na imagem de cada um irá transmitir um som diferente, falarei de
cada um deles e em seguida deixarei que eles mesmos toquem e vejam o que o livro faz.
Referências: Material comprado na livraria Catarinense.

Plano de atividade 4
Nome/Tema: História para dormir
Objetivos: Trabalhar a atenção, curiosidade, e coordenação motora
Atividade: Cadê? Achou!
Recursos: 1 Livro Infantil com figuras 3D
Registro/Metodologia: Faremos uma roda e a cada pagina do livro tem uma história,
um coelho procurando seus amigos para dormir. Mudando de pagina em pagina
mostrarei aonde está as figuras escondida,e no final da atividade eles poderão tocar nas
figuras 3D mostrando aonde está a figura escondida.
Referências: Material comprado na livraria Catarinense