Você está na página 1de 22

Métodos Experimentais em Engenharia

Tutorial sobre

ajuste de curvas no software LAB Fit

Projeto: Métodos Experimentais em Engenharia - A Interdisciplinaridade


na Prática da Engenharia

Agosto de 2018

0
ÍNDICE

1. Introdução…………………………………………………………………... 2

2. Inserindo os dados.…………………………………………………………. 3

2.1 Inserindo os dados manualmente…………………………....………….. 4

2.2 Inserindo os dados a partir do Excel……………..……………………… 5

3. Inserindo as incertezas……………………………………………………... 6

3.1 Inserindo as incertezas manualmente…...……………………………….. 8

3.2 Inserindo as incertezas a partir do Excel…………....…………………… 9

4. Ajuste da curva……………………………………………………………... 10

4.1 Ajuste de curva com a função na biblioteca do software……...………… 11

4.2 Ajuste de curva Inserindo a função por digitação....…………………….. 16

5. Interpretação dos resultados....……………………………………………. 16

Apêndice 1…………………………………………………………………... 20

6. Referências………………………………………………………………….. 21

7. Créditos……………………………………………………………………... 21

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 1


1. Introdução
O LAB Fit é um programa computacional e pode ser baixado a partir do site [1]:

http://zeus.df.ufcg.edu.br/labfit/index_p.htm

Informações sobre o software podem ser encontradas em [2]. Depois de ser


baixado e instalado, o LAB Fit apresenta a seguinte tela inicial:

Neste tutorial será feito um exemplo de ajuste de curva com dados


experimentais obtidos ao realizar-se a parte 1 do Experimento 2 - Determinação da
constante elástica da mola de compressão.

Os objetivos deste tutorial (também disponível em vídeo [3]) são mostrar como
utilizar o LAB Fit para:

- Inserir os dados experimentais e suas incertezas;

- Observar o gráfico gerado pelos dados experimentais;

- Fazer o ajuste destes dados a uma reta do tipo y = Ax;

- Estimar a constante elástica da mola (parâmetro A) e sua incerteza;

- Obter a expressão analítica e o gráfico do ajuste.

Com os mesmos procedimentos realizados neste tutorial pode-se fazer o ajuste


de dados a diversas curvas e obter diversos parâmetros e suas incertezas pelo LAB Fit.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 2


A tabela a seguir contém os dados que serão utilizados neste tutorial.

Tabela 1 - Dados de massa, deslocamento e força obtidos em uma realização da parte 1 do Experimento 2.

Ponto Massa (g) Deslocamento (mm) Força (N)


1 0,00 ± 0,01 0,0 ± 0,5 0,000 ± 0,098
2 0,22 ± 0,01 3,0 ± 0,5 2,156 ± 0,099
3 0,44 ± 0,01 6,0 ± 0,5 4,31 ± 0,10
4 0,71 ± 0,01 11,0 ± 0,5 6,96 ± 0,11
5 0,93 ± 0,01 14,0 ± 0,5 9,11 ± 0,11
6 1,15 ± 0,01 17,0 ± 0,5 11,27 ± 0,12

2. Inserindo os dados

Para criar um novo arquivo de dados a serem ajustados, primeiramente deve-se


criar um novo arquivo clicando em File → New, no menu superior esquerdo.

Será aberta uma caixa de diálogo chamada Data: general information.


Selecione 1 - informando que haverá apenas uma variável independente - e deixe todas
as outras opções desmarcadas pois em primeiro momento não serão abordadas as
incertezas.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 3


Neste momento deve-se escolher como os dados serão inseridos. Isso pode ser
feito de duas maneiras: digitando os dados manualmente no programa ou colando dados
em colunas a partir do Excel - ou algum software semelhante.

2.1. Inserindo os dados manualmente

Para informar manualmente os dados (até 500 pontos), clique em OK para abrir
a caixa de aquisição LAB Fit - Data e preencha os espaços da janela Enter Data: X com
os valores de X - que são os valores de deslocamento, em milímetro:

Ao terminar clique em OK e coloque os valores de Y - que são os valores de


força, em newton - na janela Enter Data: Y.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 4


Ao terminar clique novamente em OK e aparecerá o navegador para salvar o
arquivo: dê ao arquivo um nome (sem espaços em branco), selecione um destino
conveniente e clique em Salvar.
Assim que o arquivo for salvo aparecerá o gráfico com os pontos plotados. Note
que acima do gráfico é dado o coeficiente de correlação (sem peso) entre os pontos.

2.2. Inserindo os dados a partir do Excel

Para colar dados em colunas a partir do Excel ou outro software semelhante (no
máximo 300 pontos):

1 - Na caixa Data: general information clique em Paste para abrir a caixa LAB
Fit - Paste Data in Columns.

2 - Abra a planilha do Excel com os dados e copie as duas colunas de dados (de
deslocamento e de força).

Observação: A última coluna deve ser a variável y - que neste caso é a Força.

3 - Volte para o LAB Fit e cole os dados na área branca da caixa Paste Data in
Columns clicando com o botão direito do mouse e selecionando Colar.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 5


O resultado será este:

Clique em OK na caixa Paste Data in Columns e nas duas próximas caixas de


diálogo que aparecem na sequência. Aparecerá o navegador para salvar o arquivo, então
faça o mesmo procedimento explicado em 2.1.

Será mostrado o mesmo gráfico que foi mostrado em 2.1 porque o arquivo de
dados é o mesmo.

3. Inserindo as incertezas
O LAB Fit permite fazer o ajuste de curvas levando em contas as incertezas nos
dados das variáveis dependente e independente (até 6 variáveis independentes). O
Apêndice 1 apresenta mais informações sobre como o LAB Fit lida com a entrada e o
cálculo das incertezas. Mas, antes de inserir as incertezas de X e Y, deve-se determiná-
las.
1) A incerteza de X é a metade da menor divisão da escala milimétrica do
paquímetro: 𝑢𝑥 = 0,5𝑚𝑚. Levou-se em conta apenas a incerteza do instrumento de
medida.
2) A incerteza de Y pode ser calculada com uma propagação de incertezas,
levando em conta as incertezas da massa (m) e da aceleração da gravidade (g). Adotou-
se 𝑢𝑚 = 0,01 𝑔 e 𝑔 = (9,80 ± 0,05) 𝑚/𝑠 2 .

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 6


𝐹 = 𝑚𝑔
2 2
𝜕𝐹 𝜕𝐹

𝑢𝐹 = ( 𝑢 ) +( 𝑢 )
𝜕𝑚 𝑚 𝜕𝑔 𝑔

2
𝑢𝐹 = √(𝑔 𝑢𝑚 )2 + (𝑚 𝑢𝑔 )

uF = √(9,80.0,01)2 + (m. 0,05)2 (1)

Substituindo as massas da Tabela 1 na Eq. 1 encontra-se as incertezas de Y,


mostradas na Tabela 2.

Tabela 2 – Incertezas para as medidas de força, em newton.

Ponto 1 2 3 4 5 6

𝑢𝐹 (N) 0,098 0,099 0,10 0,11 0,11 0,12

Agora, tendo determinado as incertezas de X e Y, insira-as no LAB Fit junto


com os dados que já foram inseridos na seção 2. Para isso, como foi feito em 2 crie um
novo arquivo clicando em File → New, no menu superior esquerdo.
Na caixa Data: general information selecione 1 e selecione também as opções
Inform uncertainties of X e Inform uncertainties of Y.

Como na seção 2, neste momento deve-se escolher como os dados serão


inseridos: digitando os dados manualmente no programa ou colando dados em colunas a
partir do Excel - ou algum software semelhante.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 7


3.1 Inserindo as incertezas manualmente
Para informar manualmente os dados com as incertezas (até 500 pontos), clique
em OK para abrir a caixa de aquisição LAB Fit - Data e preencha os espaços na janela
Enter Data: X, como feito na seção 2.1. Clique em OK.
Então será aberta a janela Enter Data: SIGMAX para entrar com os valores da
incerteza de X. Insira estas incertezas respeitando a ordem dos pontos inseridos em
Enter Data: X e clique em OK.

Preencha a janela Enter Data: Y como foi feito na seção 2.1 e clique em OK.
Insira na janela Enter Data: SIGMAY as incertezas de Y calculadas no início da seção 3,
respeitando a ordem dos pontos inseridos em Enter Data: Y.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 8


Ao terminar clique em OK. Aparecerá o navegador para salvar o arquivo, então
faça o mesmo procedimento explicado em 2.1. Será mostrado o mesmo gráfico que foi
mostrado em 2.1 e 2.2 porque se as incertezas não forem consideradas, o arquivo de
dados é o mesmo e neste momento as incertezas ainda não são mostradas no gráfico.

3.2 Inserindo as incertezas a partir do Excel


Para colar dados e suas incertezas em colunas a partir do Excel ou outro
software semelhante (no máximo 300 pontos):

1 - Na caixa Data: general information clique em Paste para abrir a caixa LAB
Fit - Paste Data in Columns.

2 - Abra a planilha do Excel com os dados e copie as quatro colunas, atentando-


se à ordem: a primeira coluna deve ser o deslocamento, a segunda a 𝑢𝑥 , a terceira a
força e a quarta a 𝑢𝐹 .

3 - Volte para o LAB Fit e cole os dados na área branca da caixa Paste Data in
Columns clicando com o botão direito do mouse e selecionando Colar.

O resultado será este:

Note que como foram selecionadas as opções Inform uncertainties of X e


Inform uncertainties of Y na caixa Data: general information, aparecem marcadas
com Yes as opções Are there uncertainties in X? e Are there uncertainties in Y?.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 9


Então clique em OK na caixa Paste Data in Columns e nas duas próximas
caixas de diálogo que aparecem na sequência. Aparecerá o navegador para salvar o
arquivo, então faça o mesmo procedimento explicado em 2.1. Como foi explicado em
3.1, será mostrado o mesmo gráfico que foi mostrado em 2.1 e 2.2.

4. Ajuste de curva
Com os dados experimentais inseridos e salvos, com a tela do gráfico dos pontos
plotados aberta, o próximo passo é ajustar uma curva a esses dados.
Também é possível abrir um arquivo de dados já salvo anteriormente para a
realização do ajuste. Se isso for necessário, clique no menu superior esquerdo em File →
Open e selecione esse arquivo no navegador.

Admitindo que o usuário conhece o modelo matemático do ajuste, o ajuste pode


ser feito de duas maneiras: utilizando uma função que já está na biblioteca do LAB Fit
(208 disponíveis) ou inserindo (por digitação) uma função de interesse.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 10


4.1 Ajuste de curva com a função na biblioteca do software
Se a função desejada para o ajuste já está na biblioteca do LAB Fit:

1 - Clique em Curve Fit → 2: Fit: functions of the library, no menu superior


esquerdo.

2 - Será aberta a caixa Functions with 1 independent variable. Nesta caixa


selecione a função adequada para o ajuste deste tutorial que é a função 2. Y=A*X -
Straight line (origin).

Note que clicando em More tem-se acesso a mais funções. Clique em OK.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 11


3 - Será aberta a caixa Settings com os valores iniciais dos parâmetros a serem
determinados, o número máximo de iterações e a tolerância. Não é necessário alterar
esses valores, clique em OK.

4 - Será aberta a caixa Power, também não faça alterações nela, clique em Fit.
5 - Será aberta a caixa Decision, clique em Yes.
6 - Será aberta a caixa Results com o valor médio e a incerteza do parâmetro A.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 12


No exemplo deste tutorial o parâmetro A representa o valor da constante da
mola (k) e o SIGMAA representa a incerteza no valor da constante (menor que a
incerteza padrão, vide seção 5). Essa incerteza foi determinada com base nas incertezas
inseridas para as variáveis X e Y. Se for interessante, anote neste momento os valores
de A e de SIGMAA.
Na parte superior da caixa Results encontram-se informações sobre o ajuste,
como o número de iterações necessárias para atingir a tolerância que foi determinada na
caixa Settings.
Na parte inferior da caixa Results encontram-se diversas opções que podem ser
exploradas. Clicando em Details, por exemplo, tem-se acesso ao documento
SAIDA.LST que pode ser salvo no formato “bloco de notas” e possui os resultados e os
dados de todo o ajuste (incluindo matriz de covariância). O valor da função de ajuste
para valores desejados de X é calculado clicando-se em Evaluate e a rejeição de alguns
pontos experimentais poderá ser realizada através do botão Rejection.
Para continuar o ajuste e obter a expressão analítica e o gráfico, clique em OK.

7- Será aberta uma nova janela chamada GRAPH2D. No menu superior clique
em Graph → Graph 2D.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 13


8 - Será aberta a caixa 2D Graph (Settings). Marque as opções desejadas, como
Include error bar e Show Grid e clique em OK.

9 - Será aberto o gráfico do ajuste e a caixa 2D Graph (Caption). Nesta caixa há


a possibilidade de colocar um título, uma legenda e nomear os eixos dos gráfico.

Em geral, não altere a linha da função para que fique claro o modelo escolhido
para o ajuste. Tendo feito essas alterações, clique em OK.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 14


10 - Será mostrado, ainda na janela GRAPH2D, o gráfico resultante de todo o
processo de ajuste.

Para salvar o gráfico fora do LAB Fit, clique em File, no menu superior e
escolha entre uma das duas opções dadas: Print window ou Save.

Dentre os formatos possíveis para salvar o gráfico tem-se PDF na opção Print
window e Bitmap em Save. Clicando em Main menu a janela GRAPH2D é fechada e o
LAB Fit volta para a tela inicial.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 15


4.2 Ajuste de curva inserindo a função por digitação

Se a função não estiver na biblioteca do LAB Fit ou for interessante inserir (por
digitação) uma função:
1 - Clique em Curve Fit → 3: Fit: User writes function, no menu superior
esquerdo.

2 - Será aberta a caixa Function (User Function). Na caixa de texto de cima,


escreva qual a função desejada (máximo de 150 caracteres) e na caixa de texto de baixo
indique a quantidade de parâmetros. Clique em OK.

3 - Será aberta a caixa General. Clique em OK. Essa ação é análoga à feita na
caixa Settings da seção 4.1 (passo 3).
4 - Siga os passos 4 a 10 da seção 4.1 para terminar o ajuste e salvar os
resultados e o gráfico.

5. Interpretação dos resultados

Com o gráfico salvo, é necessário obter os valores da constante elástica da mola,


sua incerteza e ainda pode ser interessante ter acesso a mais informação sobre o ajuste.
No passo 6 da seção 4.1 esses valores e informações já podem ter sido obtidos
quando mostrados na caixa Results e ao salvar por exemplo o arquivo SAIDA.LST.
Mas, caso essas informações não tenham sido obtidas no passo 6, ainda é possível ter
acesso a elas.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 16


Para isso:
1 - Sem fechar o gráfico resultante do processo de ajuste, abra a pasta de
instalação do LAB Fit. O caminho mais comum é Meu computador → C: → LAB Fit.
2 - Nesta pasta, encontre o arquivo RESULTS.TXT e clique duas vezes sobre
ele para abrir. Na última linha deste arquivo, o primeiro número corresponde à
constante da mola (k = parâmetro A) e o segundo à incerteza da constante da mola
(menor que a padrão, vide final desta seção).
Obs.: Os valores da constante da mola (k) e sua incerteza gerados pelo LAB Fit
levam em conta as incertezas de X e Y e a incerteza devido ao processo de ajuste.
3- Na pasta LAB Fit tem-se acesso também ao arquivo SAIDA.LST.

Ou, alternativamente:
1- Depois que o gráfico final do ajuste foi salvo, vá para a tela inicial do LAB
Fit, clicando por exemplo em File → Main menu (no menu da janela GRAPH2D). Note
que na tela inicial do LAB Fit o gráfico dos pontos plotados deve estar aberto.
2 - No menu superior esquerdo da tela inicial do programa clique em Curve Fit
→ 5 - Results: Fit - library or use model.

3 - Será aberta a caixa Results (Fitting) com todas as opções descritas para a
caixa Results no passo 6 da seção 4.1, inclusive o acesso ao arquivo SAIDA.LST
clicando no botão Details.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 17


O arquivo SAIDA.LST possui os resultados estatísticos e os dados de todo o
ajuste, dando inclusive detalhes sobre cada uma das 8 iterações feitas. Descendo a barra
de rolagem até o final do documento encontram-se as informações sobre a oitava
(última) iteração:

********************************************************************
RESULTS AFTER THE TRANSFERS OF UNCERTAINTIES FROM X TO Y
********************************************************************

THE CONVERGENCE HAPPENED IN THE ITERATION 8

Arquivo principal.txt

N. 2: Y = A*X <--- Straight line (origin)

PARAMETERS: Mean UNCERTAINTIES: SD t P(t)

A = 0.65750870150E+00 SIGMAA = 0.89966635973E-02 0.730836E+02 0.000

Attention: SIGMA(p) = f * SIGMA


p=68.3%: f= 1.11 p=90%: f= 2.01 p=95.4%: f= 2.65 p=99%: f= 3.99

Chi-Square:
Deg. Freed.= 5 ChiSq.=0.500000E+01 Red. ChiSq.=0.100000E+01 => P(Red. ChiSq.)=0.416

Standard Deviation of the Fitting: 0.227982E+00

Correlation Coeficient:
R²yy(x) = 0.9975658E+00 adjR²yy(x) = 0.9975658E+00

Ryy(x) = 0.998782E+00 => P(NP,|R|) = 0.000E+00

Average Absolute Residual:


Res_av = Sum of Absolute Residuals / Number of points =>
Res_av = 0.100849E+01 / 6 => Res_av = 0.168082E+00

Y(Xi) (THROUGH THE FIT FUNCTION)

0.000000E+00 0.197253E+01 0.394505E+01 0.723260E+01 0.920512E+01


0.111776E+02

UNCERTAINTIES OF Y(Xi) (THROUGH ERROR PROPAGATION, 95.4%)

0.000000E+00 0.715707E-01 0.143141E+00 0.262426E+00 0.333997E+00


0.405567E+00

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 18


Dessas informações tem-se por exemplo que após ter sido atingida a
convergência do processo (na oitava iteração):
- Pela linha em vermelho: A = k = 0.658 N/mm e SIGMAA = 0.009 N/mm

Obs.: SIGMAA = 0.009 é uma incerteza menor do que a incerteza padrão.

- Pode-se obter a incerteza padrão (68,3% de confiança, ou seja, probabilidade


de encontrar o valor de k no intervalo) e incertezas expandidas a partir de SIGMAA. As
linhas em azul podem ser traduzidas pela Tabela 3 que mostra como encontrar essas
incertezas:

Tabela 3 - Encontrando a incerteza padrão e incertezas expandidas a partir de SIGMAA

Confiança Fator de multiplicação Operação Incerteza para cada


confiança

68, 3% 1,11 SIGMAA*1,11 0,01 N/mm

90,0% 2,01 SIGMAA*2,01 0,02 N/mm

95,4% 2,65 SIGMAA*2,65 0,03 N/mm

99,0% 3,99 SIGMAA*3,99 0,04 N/mm

Ou seja, com 68,3% de confiança tem-se que A = k = (0,66 ± 0,01) N/mm.

Nota: Quando se considera uma população com distribuição normal, tem-se que o fator
de abrangência k assume os valores 1, 2 e 3 para as probabilidades de 68,3%; 95,5% e
99,7% respectivamente, conforme se utiliza em aula. Os cálculos realizados pelo LAB
Fit consideram uma distribuição amostral de uma população normal e levam em
conta o número de amostras (número de pontos experimentais) utilizados no ajuste da
função. Isso justifica os valores do fator de multiplicação que aparecem na Tabela 3
para o cálculo das incertezas para cada grau de confiança. Quanto maior o número de
amostras, mais aproxima-se da população, e portanto, da distribuição normal. Maiores
detalhes sobre esse assunto podem ser encontrados em [4].

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 19


Apêndice 1

O LAB Fit permite que sejam plotadas curvas a partir de funções com uma ou
mais variáveis independentes (até 6) com ou sem incertezas nas variáveis (dependente
ou independente).

Pontos com incertezas desconhecidas: Se não existem incertezas conhecidas


nem em y nem em x, as incertezas de x serão consideradas automaticamente pelo
programa iguais a zero e as de y serão inicializadas como 1.

Depois disso uma segunda condição será executada, impondo o valor 1 para chi-
quadrado reduzido, o que faz a curva confiável e possibilita calcular a incerteza comum
para todos os valores de y.

Pontos com incertezas apenas em y: no caso de existirem incertezas em y e


não em x, a curva será, então, feita nessa situação.

Pontos com incertezas apenas em x: se existem incertezas em x mas não em y,


uma pré curva será plotada, atribuindo o valor residual da incerteza de y (igual a
0,0000001). Depois, uma nova curva com as incertezas transferidas de x para y por
propagação de erro será executada, usando aproximação de primeira ordem.

Pontos com incertezas em x e em y: se existe incerteza em x e em y, uma pré


curva considerando a incerteza apenas em y será executada. Depois, uma nova curva
com a incerteza transferida de x para y por propagação de erro será executada, usando
aproximação de primeira ordem.

Em todos os casos vistos anteriormente, o peso estatístico é definido como o


inverso da raiz quadrada das incertezas finais em y.
Como já visto, se não existirem incertezas nem em x nem em y, o LAB Fit
impõe uma nova condição de chi-quadrado reduzido igual a 1 para a curva. Por outro
lado, em casos com y e/ou x com incertezas, o usuário terá a opção de impor ou não chi-
quadrado igual a 1.

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 20


6. Referências

[1] Silva, W.P. and Silva, C.M.D.P.S., LAB Fit Curve Fitting Software (Nonlinear
Regression and Treatment of Data Program) V 7.2.48 (1999-2011), online, available
at: http://zeus.df.ufcg.edu.br/labfit/index_p.htm, Data de Acesso: 03/08/2018.
[2] Silva, W.P. et. All, “LAB Fit Ajuste de Curvas”: Um software em português para
tratamento de dados experimentais; Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 26, n. 4, p.
419 - 427, (2004)
[3] Vídeo: Tutorial sobre o ajuste de curvas no software LabFit. Disponível em
<https://www.youtube.com/watch?v=Cq2BJhvca1o&feature=youtu.be&t=20> e pelo
site da disciplina ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia
<https://sites.google.com/site/esto01717/>. Acesso em 03/08/2018.
[4] Rumsey, D. Estatística II para Leigos, Ed. Alta Books, Rio de Janeiro, 2014,
Capítulo 3 .

7. Créditos

Projeto: Métodos Experimentais em Engenharia - A Interdisciplinaridade na Prática


da Engenharia

Produção

Melissa Keiller Gomes

Reynaldo Gisto Gabriel Sandrini

Coordenadores

Denise Consonni

Julio Carlos Teixeira

Agradecimento

Laís Bezerra Bertunes

ESTO017-17 Métodos Experimentais em Engenharia 21

Você também pode gostar