Você está na página 1de 4

A queda da civilização

A queda foi um fato histórico, os liberais negam e os


secularistas não crêem, mas está implícita na humanidade essa
tendência a insensibilidade. A historia bíblica é uma narrativa
dessa catástrofe. Apenas algum tempo depois da expulsão do
Paraíso, vimos Caim se levantar contra Abel, e Caim abriu um
caminho, esse caminho é o caminho da humanidade, a bíblia
fala sobre o caminho de Caim (Judas 1:11) Foi a falta de
expressão de contemplar o belo que Caim levou a cabo seu
intento, tornou-se i primeiro homem homicida, já que homicida
desde o princípio é o diabo (João 8:44) a porta da ruína foi
aberta pelo diabo e o homem caminha sobre essa senda de
destruição. Insensível perante o erro, o engano e a mentira. A
insensibilidade da civilização é uma característica herdada do
sentimento de Caim. A humanidade sofre de um egocentrismo
extremo, e para isso mesmo levanta toda a vida como uma
forma de expressar apenas satisfação centrada no eu, e para
que isso funcione, precisa amar mais a si mesmo e desprezar
seu semelhante. Assim Quando lidamos com o dilema de Jó,
simples mente segue a filosofia do diabo, que sabe
perfeitamente e entende muito da psicologia humanista, então
declara com muita perspicácia a declaração “Pele por pele, e
tudo quanto o homem tem dará pela sua vida”(Jó 2:4) essa é
uma declaração sofisticada, ampla no seu sentido psicológico.
Mais a frente na historia do livro de Genesis, encontramos a
época de Noé. Note o quanto eram insensíveis, Jesus mesmo
declarou sobre a corrupção da sensibilidade daquela civilização:
“E não o perceberam”(Mateus 24:39) e por causa dessa falta de
discernimento e sensibilidade, Jesus acrescenta que veio o juízo
divino e levou a todos. é isso que vai ocorrer dentro de alguns
anos, o mundo irá sofrer o grande juízo, mesmo que as pessoas
não estejam dispostas a crer, mesmo que haja muitos
negacionistas do fato, isso não muda nada, a insensibilidade de
uma civilização não evita a ruína da sua própria condenação,
pelo contrario acelera ainda mais o juízo sobre o mundo. Mas o
problema da insensibilidade não é apenas mundano, os cristãos
também sofrem dessa decadência sentimental. Note que a
igreja moderna caiu na armadilha do secularismo e do
mundanismo, tornou-se materialista, é focada nos bens
terrenos. É lamentável afirmar que aquela oferta dos reinos do
mundo que satanás ofereceu a Cristo no dia da tentação, são
consideradas hoje em dia por muitos como bênçãos de
possessão temporal, eis porque o numero de evangélicos
cresceu tanto em nossos dias, porque caíram na armadilha de
satanás atraídos pela isca do materialismo. Além disso, o dito
povo de Deus está mudo com relação a volta de Cristo, não há
anseio, não há clamor e não há vontade de ir para o céu, a
cristandade insensível se sente muito bem no mundo e não
quer perder a vantagem de possuir as coisas dessa terra, eis
porque em dias futuros, quando as sombras do anticristo
repousarem definitivamente sobre a civilização, a maioria dos
cristãos nominais estará dispostos a trocar a liberdade pela
segurança, O mundo será uma perda incalculável para um
cristão que não tem o céu dentro do coração.

Um convite a sensibilidade é uma chamada para que o


remanescente creia no retorno literal e triunfante de Cristo e
seja a noiva que anseia com desespero pelo Noivo. Uma igreja
de redimidos que chore com muita amargura por ver o estado
lastimável da civilização, onde toda sorte de abominações
crimes tem etsão sendo cometidos contra a criação e contra
todas as criaturas. É um clamor amargo, lagrimas de absintos
por causa das tendências atuais contra as leis de Deus, contra o
pecado, contra toda a impiedade que se alastra no mundo.
Gemidos que saem de um coração quebrantado diante de um
mundo obscurecido na pratica de coisas terríveis contra Deus.
Creio que o amado leitor já se dá conta de que pessoas que
tenham essa sensibilidade são muito raras hoje em dia. Anos
atrás testemunhei um pastor que estava fazendo uma
campanha de arrecadação de dinheiro para construir um
ginásio de esportes para a denominação, isso não está certo,
nos nossos dias tão difíceis, teria que construir uma sala ampla
de oração, para colocar a igreja em prantos, num clamor
extremo por causa das coisas que estão acontecendo. Os
evangelistas eletrônicos por sua vez, o que estão fazendo?
Profissionais da fé estão abordando apenas questões
secundarias e superficiais quando vistos de um ponto de vista
da eternidade. Querem a cura do corpo e nada fazer com
relação a cura da imoralidade, pedem dinheiro mas nunca
querem compartilhar nada do que possuem, desejam
desesperadamente que os insensíveis projetem uma
sustentabilidade para um ministério que profana a sacralidade
do evangelho, e isso de forma tão clara que causa repulsas em
quem conhece de fato o Evangelho.

Assim a decadência espiritual e moral da civilização segue a


mesma direção dos povos que viviam na época de Noé o
pregoeiro da justiça, e Noé representa os poucos
inconformados num mundo que mergulha na indiferença. Sua
mensagem profética não foi bem recebida em seu meio, sua
mensagem estragava a festa do mundo. Noé era pessimista
demais para uma época de muitos otimistas, era
fundamentalista demais para uma época de liberalismo
teológico, era intolerante demais para uma época de
relativismo moral, era muito exclusivista para uma época de
ecumenismo, era muito literal para uma sociedade acostumada
com o simbólico, era um pregador muito rígido para uma
sociedade frouxa, Noé era muito fanático para uma sociedade
universalista, mas o final da historia é que Noé sobreviveu ao
dilúvio e os insensíveis pereceram porque não perceberam a
literalidade e a seriedade das advertências da mensagem
profética de um pregoeiro solitário.

Autor: Clavio J. Jacinto

(48)99947392

facebook/claviojacinto

claviojj@gmail.com