Você está na página 1de 5

CAPÍTULO 4: AS MALDIÇÕES INFERNAIS

O FOGO QUE ARDA NA ALMA


OS GRANDES LORDES E AS MALDIÇÕES
AS MALDIÇÕES APÓCRIFAS
FRAQUEZAS DO ESPÍRITO
AMBICIOSO
CAÓTICO
CONTROLADOR
CORRUPTOR
FURIOSO
LUXURIOSO
SÁDICO
A Maldição da Dor
“Vocês mortais se apegam demais à carne, mas é o espírito que os torna fortes. Colocarei você à
prova, tornarei seu espírito forte, mas para isso terei de afligir sua carne. Você pode começar a gritar
agora, se quiser.”

Alcunhas: Nihilim, Nihilistes, Castigadores, Flageladores


Dor. Física ou emocional, não importa, dor é um sinal de vida. A dor nos lembra que ainda
estamos vivos, mas mais importante, nos avisa que esta vida está ameaçada. Sentimos dor quando ferimos
o corpo, mas também quando nosso espírito é machucado. Chamamos-na de agonia ou sofrimento, mas
ela é um aviso. Um aviso bem claro e desagradável de que, se não fizermos nada a respeito, a dor nos
consumirá até morrermos. Não suportamos a dor por causa disso: e quanto mais a sentimos, mais
tememos que iremos morrer.
A dor é uma constante no Inferno. Ela é um espetáculo quando almas se enfrentam em arenas,
ferindo-se além do que corpos vivos seriam capazes de suportar. Ela é uma punição quando uma alma
desobediente ou fraca é torturada pelos seus senhores infernais. Ela é disciplina quando um demônio
superior pune um inferior para mostrar que, apesar de imortalidade, a dor ainda existe, consumindo até
mesmo imortais, forçando-os a colaborar com os desígnios dos mais fortes. Dor é um recurso no Inferno,
e os infernais que portam a Maldição da Dor são seus coletores.
Os Sádicos são demônios frios, incapazes de sentir empatia pelos outros. Dizem que, quando
renascem no Inferno pela primeira vez, as almas dessas criaturas são flageladas por Ialdabaoth, sua
piedade e compaixão extirpadas violentamente. No lugar, nasce um desejo pela dor alheia. Como se
fossem sugadores da alegria, os Sádicos sentem prazer ao presenciar sofrimento. Diante de seus olhos, a
dor física se torna um prazer indescritível que corre por suas espinhas, e a agonia mental é uma emoção
viva que os torna mais fortes e sagazes.
A maioria dos Sádicos prefere uma fachada de autocontrole e frieza. O próprio olhar de um destes
infernais já produz calafrios na espinha de quem os fita, e seu comportamento metódico e gestos
ameaçadores podem ser tão perturbadores que o simples medo instintivo dos mortais já é capaz de
satisfazer parte das necessidades malditas do demônio. Sádicos se divertem intimidando e ameaçando, e
ocasionalmente ferindo suas vítimas. Eles preferem chocar ou causar repulsa, pois tais marcas
psicológicas são menos perceptíveis contra mortais do que atos físicos diretos. Porém, atividades como
tortura física ou abuso emocional são mais raros, reservados apenas a vítimas especiais ou àqueles que
ousam desafiar tais demônios.
Sádicos são incapazes de compaixão, mas respeitam força e poder. Aqueles que demonstram
crueldade ou frieza ganham o respeito de um Sádico. Quando encontra uma pessoa, Celestial ou demônio
que não se dobra diante da dor e a resiste bravamente, um Sádico costuma poupá-la, respeitando tal força
de espírito. Uma pessoa que não demonstre sofrimento ou que desafie seu torturador, mesmo diante de
dores terríveis, não alimenta a Maldição do demônio.
No Inferno, Sádicos são prezados como torturadores e interrogadores. Muitos assumem posições
como mantenedores da ordem em Feudos. Porém, acautele-se quem entrar nos domínios de um Lorde
Sádico: um governante marcado pela Maldição da Dor pode ser volátil, punindo as menores transgressões
com grandes sofrimentos.
Grande Lorde: Até recentemente, Astaroth, o Terceiro Filho, Lorde da Dor e governante do
Reino de Gehenna. Após o início da Quinta Grande Guerra, porém, a destruição de Astaroth levou à
ascensão do 14o. Filho de Ialdabaoth, Azazel, que tomou o Reino de Gehenna para si e se tornou o Grande
Lorde da Agonia.
Aparência: Os Sádicos variam muito em aparência. Aqueles que têm aparência monstruosa são
verdadeiros horrores agonizantes, com características repulsivas e viscerais que lembram o resultado de
torturas e agonias indescritíveis. Mesmo os Sádicos mais humanos em aparência costumam ter algo que
os torna difíceis de contemplar: feridas abertas, presas monstruosas, olhos frios de um cadáver ou uma
aparência doentia e frágil. Alguns, porém, têm uma aparência absolutamente normal, mas seus gestos e
maneirismos frios são mais do que suficientes para indicar que não são pessoas comuns.
Dom: Carne Infesta. O toque dos Sádicos é infesto, causando calafrios na pele, infeccionando
feridas, intensificando dores e até mesmo ferindo plantas ou pequenos animais. Enquanto o Sádico
mantiver seu toque sobre um alvo, este sofre uma penalidade -1 em todos os seus testes devido ao
desconforto e intensificação da dor. O Sádico pode inibir esta habilidade se assim desejar.
Normalmente, apenas tocar por um instante (como num ataque desarmado) não ativa esta
habilidade: o Sádico deve manter o toque para que as penalidades se mantenham. Porém, gastando um
ponto de Gladius enquanto toca o alvo (mesmo que por um instante), o demônio pode prolongar os efeitos
para um turno por nível de Casta, esta duração começando assim que o toque for interrompido.
Imperfeição: Frieza Emocional. Sádicos são emocionalmente afastados e têm dificuldade não só para
compreender sentimentos alheios como para demonstrar seus próprios sentimentos. Mais ainda, a aura de um
Sádico é tenebrosa, ameaçadora, fazendo com que as pessoas instintivamente o evitem. Por causa disso, esses
demônios sofrem uma penalidade de -2 em testes que envolvam Carisma, exceto quando usarem intimidação,
chantagens ou medo para conseguirem o que desejam.
Poderes sobrenaturais mentais ou emocionais que envolvam testes do Atributo Carisma são afetados por
esta Imperfeição, exceto aqueles que envolvam dominar mentes, criar emoções negativas, provocar descontrole
emocional ou roubar o livre arbítrio de uma pessoa.
Ações de Poder: Como criaturas que se alimentam de dor e sofrimento, Sádicos sentem a força de
sua Maldição quando presenciam ou causam agonia. Exemplos incluem:
— Beneficiar-se da Dor: Alcançar um objetivo desejado (conseguir informações, conseguir um
favor, forçar o alvo a executar uma tarefa) após pelo menos 10 minutos de tortura física ou psicológica
sobre um alvo. A tortura pode ser realizada pelo demônio ou por outros, mas o demônio deve presencia-la
e deve se beneficiar diretamente dos resultados da mesma;
— Chocar Testemunhas: Cenas de crueldade, explícitas ou não, diante de testemunhas, de forma
a apavora-las, traumatiza-las ou choca-las. O demônio pode provocar tais eventos ou simplesmente
presenciá-los para se beneficiar;
— Crueldade Excessiva: Prolongar desnecessariamente a dor ou o sofrimento de uma pessoa,
quando isto custa tempo mas não traz benefícios diretos ao demônio (torturar um alvo antes de matá-lo,
prolongar a dor de uma vítima antes que ela seja curada, etc.);
— Destruir Esperança: Atormentar uma pessoa destruindo sua esperança. O demônio precisa
presenciar o desespero causado para se beneficiar desta Ação de Poder.
SANGUINOLENTO
TENTADOR

Você também pode gostar