Você está na página 1de 5

Vigília

1°Palavra - Andréia

Atravesse a MARGEM DO RIO, para MERGULHAR NO PROFUNDO DE DEUS.

A cada dia percebo que a vontade do Senhor é que passemos a outra margem de nossas vidas,
que passemos para o outro lado. Mas muitos podem me perguntar: O que seria passar para o
outro lado?

Passar para o outro lado é andar com Jesus no sobrenatural. É conhecer um pouco do
“ambiente” que Deus age e vive. É sair da esfera terrena que limita o homem as coisas naturais
deste mundo e entrar no mar do desconhecido “sobrenatural” de Deus. Lugar este aonde o
Senhor é visto e revelado aos homens pelo Seu poder e pelo qual é ILIMITADO. Aonde sua
onipresença, onipotência e onisciência é revelada aos homens. Ir para o outro lado é sair da
margem do conformismo e entrar para um caminho muitas vezes de risco. É sair da margem
da mediocridade e chegar à margem da benção. É claro que para que isso ocorra, muitas vezes
estaremos sujeitos a ventos contrários e ondas enormes nos caminhos de nossas vidas. Muitas
vezes estar em perigo no ambiente natural é uma ótima oportunidade para que o sobrenatural
de Deus se manifeste. Aliás, muitos conhecem Jesus assim, na margem no superficial.

Filipenses 3:12-14

Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o
que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado;
mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as
que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em
Cristo Jesus.

Qual o objetivo de ir para a outra margem?


O outro lado. As regiões além da margem oposta. Deus nos coloca um objetivo para alcançar a
margem oposta, esse objetivo só atinge quem nada no Espírito, isto é, caminha em direção ao
alvo, removendo medos, aceita desafios e, ao mesmo tempo em que apreciam todos os
benefícios que ela nos traz, a vida no Espírito.

Quando falamos de margem vemos logo a imagem de Rio e águas:

RIOS: O rio representa a vida no Espírito.

João 7:38,39

Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre.
E isto disse ele do Espírito que haviam de receber os que nele cressem; porque o Espírito Santo
ainda não fora dado, por ainda Jesus não ter sido glorificado.

ÁGUA: As águas vivas estão fluindo.


João 4:14

Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der
se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.

Na vida com Deus a partir de Cristo, temos pelo menos 4 níveis para sairmos da superfície e
mergulhar no projeto original, vejamos:

1. Nível do natural.
Em Gênesis 1.29 vemos que Deus colocou tudo a disposição do homem, para que ele fosse
mantido pleno sobre a terra, nada lhe faria falta. Seja mantimento, seja metal precioso, pedras
preciosas, nada lhe seria negado, a terra tinha a obrigação de lhe dar.

Quando entramos no caminho e aceitamos Jesus como nosso salvador, passamos então a viver
o nível natural, que é o nível onde a criação divina nos mantém, por exemplo, Pedro quando
tirou uma moeda da boca de um peixe: Mateus 17:24-27

DEUS NÃO DISPENSA O ESFORÇO HUMANO. Antes de se ter UM PEIXE foi necessário se ter
UM PEDRO! (Mas, para que os não escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol

 DEUS NOS CONCEDE NÃO PARA BENEFICIO PRÓPRIO, MAS PARA SEREM
COMPARTILHADOS.  Toma-o, e dá-o por mim e por ti.

AQUI ESTÁ O QUE JESUS ESTAVA ENSINANDO A PEDRO, QUE É A MESMA LIÇÃO QUE ELE
ESTÁ TENTANDO NOS ENSINAR HOJE: “Se você lidar com as pequenas coisas agora, eu te
levarei a um caminho sobrenatural de fé e provisão. Levar-te-ei a um caminho que trará
honra ao nome do Senhor.”

2.Nível da fé.
Viver o nível da fé é de fato aceitar e não titubear sobre o caráter divino, entendendo pela
palavra nossos direitos. O nível da fé nos permite entrar em oração nos colocando ante a corte
celestial e usarmos a palavra como nosso livro de leis, da constituição do reino e reivindicar
nossos direitos e vivendo os deveres, vejamos:

Lucas 7:1-10 (LER)

Este homem acostumado a viver dando e recebendo ordens, vivendo como um legionário de
romana, sabe a importância de uma palavra de comando, quando está é liberada. “Por isso,
nem mesmo me considerei merecedor de ir ao teu encontro. Mas ordena, com uma só
palavra, e o meu servo será curado”.  
Vemos na vida deste centurião um coração humano aberto a Deus, crendo que algo
sobrenatural poderia acontecer.

É necessário desenvolvermos uma fé que nos leve a compreensão de que Cristo tem toda a
autoridade nos céus e na terra. Uma Palavra liberada de Jesus pode transformar o coração
humano, mais do que mudar a situação.
Quando acreditamos nisto e nossos olhos passam a estar focados em Cristo, mantemos a
esperança, que nos faz encontrar a força necessária para prosseguirmos e nunca
esmorecermos. Hoje temos mais revelação do que teve este centurião em Cafarnaum, talvez o
que nos falte é uma fé mais simples, crendo que apenas uma Palavra seja o suficiente. Saiba,
Cristo é a única Palavra, sendo mais do que suficiente para nós.
  

3. Nível da intimidade e unção


Mateus 6:6: Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu
Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.

OBS: A oração secreta no quarto é um sangrento campo de batalha, ali são travadas violetas e
proféticas batalhas, porque orar é uma afronta ao reino estabelecido pelo inimigo no mundo,
porque o diabo não tem medo de você, ele tem medo da sua vida de oração.

Para estar no lugar secreto diariamente somos desafiados por inúmeros gigantes, como:
atividades profissionais, ofícios ministeriais, incumbências familiares, além da nossa carne e o
diabo.

A nossa natureza carnal nunca vai inclinar-se facilmente para estar quieta no lugar de oração.
A nossa carne tem que ser colocada nesse lugar, ainda que forçadamente, quando quer resistir

Você sabe por que o lugar secreto é tão valorizado por Deus?

Simplesmente por que é o lugar onde as orações mais sinceras e transparentes são realizadas.
Nesse lugar, não estamos preocupados em impressionar outros ou em sermos criticados e
julgados. No quarto secreto não ficamos cuidadosos em escolher as melhores palavras e o tom
de voz mais impressionante. No lugar secreto somos nós mesmos, sem máscaras. Esse lugar é
tão importante para Deus por que nele nós somos nós mesmos. Por isso, o convite sempre foi:
entra no teu quarto, fecha a porta e teu Pai que te vê no secreto irá te recompensar
publicamente (Mateus 6.6). A busca é no secreto, mas a recompensa é pública.

O local secreto é um lugar:


De guerras e de descanso.
De lutas e de paz.
De gritos e de silêncio.
De lágrimas e de sorrisos.

É o lugar que move o céu e paralisa o inferno.


É o lugar que entramos com um fardo e saímos livres.
É o lugar que entramos naturais e saímos vestidos do extraordinário.
É o lugar que entramos vazios e saímos transbordando.
É o lugar que entramos cegos e surdos para o que é espiritual e saímos vendo e ouvindo o que
o Pai está fazendo e dizendo.
É o lugar que entramos perdidos e sem saída e saímos com as instruções para execução de um
plano perfeito para uma nova história.
É o lugar que entramos fracos e saímos fortes.
É o lugar que entramos sozinhos naturalmente e saímos escoltados sobrenaturalmente.
É o lugar de encontro.
É o lugar de vida.
É o lugar de transformação.
É o lugar da cura completa.
É o lugar onde o céu toca a terra numa união que somente dois corações encontram-se: o
nosso e o de Deus.
É o lugar que o inferno treme quando o homem entra.
É o lugar que vencemos grandes batalhas, mas que também somos vencidos por aquele que
rege todas as coisas – o Abba Pai.
É o lugar que entramos órfãos e saímos desfrutando de um grande Pai.
É o lugar que entramos cativos e saímos livres.
É o lugar que entramos silenciados, mas saímos com uma canção de exaltação ao Pai e uma
doce gratidão ao Amado que nos colocou em Seus braços.
É o lugar que entramos rejeitados e saímos amados e aceitos.
É o lugar que entramos com uma alma no deserto e nesse lugar um jardim floresce fazendo a
alma ter esperança novamente.
É o lugar que se vence para entrar nele todos os dias.
É o lugar que se enfrenta gigantes das mais variadas alturas: gigante da culpa, da condenação,
da orfandade (que nos faz enxergar Deus como carrasco e não como Pai amado), da falta de
tempo, do pecado, do cansaço físico e emocional, da incredulidade, da falta de esperança. É
preciso ser matador de gigantes para estar no lugar secreto diariamente.
É o lugar que poucos decidem entrar, mas os que entram experimentam o que a cruz liberou.
É o lugar que nos permite desfrutar hoje o que o céu planejou desde a fundação do mundo.
É o lugar que entramos no presente e coisas modificam-se no futuro.
É o lugar que entramos carregando nações e sairemos com povos afetados pela intervenção do
eterno.
É o lugar que entramos de mãos vazias e saímos com nosso “baú” cheio – nosso espírito
carregado dos tesouros escondidos.
O lugar secreto é o lugar em que os tesouros escondidos são achados. Jesus nos deixou o
mapa do tesouro e esse mapa localiza-se em Mateus 6.6: “Tu, porém, quando orares, vai para
o teu quarto e, após ter fechado a tua porta, orarás ao Teu Pai, que está em secreto; e teu Pai
que vê em secreto, te recompensará publicamente”.
Existe um tesouro a sua espera. Você vai decidir pegar o mapa e encontrá-lo?
Existe o guia – o Espírito Santo e o mapa está em Mateus 6.6 a sua disposição. Um tesouro
valiosíssimo está esperando por você.
É o lugar que você decide sair da superfície e mergulhar em águas profundas.
Quem vive no secreto, não vive o que é natural viver; não vive por sorte, vive por intervenções
divinas.

Deus não nos priva da Sua voz, somos nós que nos retiramos da frequência em que O ouvimos.
Saímos da frequência quando damos lugar à carne: deixando de confiar nEle para nos
entregarmos as preocupações e ansiedades; aos medos; Assim como um rádio mal sintonizado
dificulta a nossa compreensão do que está sendo dito, a nossa alma mal sintonizada impede
que o nosso espírito ouça com clareza a voz de Deus.

A unção vem sobre quem está se deixando o ser esmagado no lugar secreto pelo Eterno e
ninguém que a carrega passará pela jornada da vida ileso de perseguições, de inveja, de
críticas e de julgamentos; mas se a temos ela nos fará florescer e nos tornará fonte de bálsamo
para muitos, até mesmo no deserto escaldante. A unção é o poder de Deus manifestado pela
sua presença. destruindo as cadeias do inimigo, curando e capacitando os filhos para uma vida
cristã plena.

A unção tem poder de transformação de pessoas comuns em armas poderosas nas mãos do
Deus vivo.
Quanto mais próximos (íntimos) estivermos de Deus maior será o poder liberado para uma
vida de milagres. Uma coisa é certa: Deus não derrama fogo em altar sem sacrifício. Muitos
querem o poder, mas não querem a presença de Deus

4. Nível da glória
Nesse momento você está no nível mais elevado, visto que a gloria é o próprio Deus. Ao
contrário do que pensamos gloria não é poder, nem unção, mas é o próprio ser de Deus, a
própria pessoa divina. Andar nesse nível é andar “cheio”, “repleto” da presença de Deus numa
entrega completa e sem reservas. Operar nesse nível significa de fato, dar um passo para traz e
deixar o próprio Deus fazer, nesse momento já não precisamos liberar palavras para que algo
aconteça, já não há preocupação, não precisa “suar”, nem fazer força, mas você entra no nível
de repouso enquanto a própria presença Deus, o próprio Deus opera livremente.

Você também pode gostar