Você está na página 1de 2

Nome: Henrique Junqueira Gestão do Comportamento Organizacional 63

A importância das mudanças nas organizações

A mudança na organização é um processo cultural (Trindade e Trindade, 2010).


Os mesmos autores parafraseiam Schein (2009), que a função cultural é a de resolver os
problemas básicos de sobrevivência do grupo, seja no processo de adaptação às pressões
do ambiente externo, ou no de integração e de organização do ambiente interno. Com
base nisso, verifica-se que a principal razão de um indivíduo resistir à mudança é
acreditar que a nova condição lhe levará a alguma perda, seja ela poder, status, renda,
privilégios, conforto, etc. Não se pode negar, que mudanças modificam o sistema social
das organizações e os indivíduos temem perder sua influência sobre este sistema.
Caso a empresa utilize alguns aspectos considerados básicos para que a mudança
de fato ocorra, será possível abranger as mudanças. Trindade e Trindade (2010) listam
sete desafios que envolvem os processos de mudança organizacional. Acredita-se que se
for possível trabalhar em cima desses aspectos, as mudanças serão palpáveis.
A incrementação de patrocínio fará com que sejam criados workshops com a
finalidade de introduzir claramente o comprometimento com as transformações
organizacionais, facilitando dessa forma o trânsito entre as áreas e aumentando o
comprometimento dos gestores e funcionários envolvidos no processo. Já o processo de
comprometimento auxilia na transformação, pois faz com que a presença das pessoas
seja mais constante em momentos importantes do projeto, além de uma série de ações
que facilitam o gerenciamento de funções relacionadas.
O processo de priorização das ações relacionas às mudanças devem ser
primordiais para a efetividade dos objetivos, e a liberação de recursos deve ser calcada
na compreensão sobre os ganhos e benefícios que serão trazidos à tona pelo projeto. Por
outro lado, a efetividade na comunicação é primordial para gerar sentimentos seguros a
respeito do investimento de tempo que será realizado.
Pensar na agilidade no processo das informações para que o repasse das mesmas
seja efetivo é papel predominante para o sucesso das mudanças. Desta forma, torna-se
necessário efetivar uma logística de reuniões eficazes, objetivas e de curto prazo, para
que seja possível enquadrar isso às agendas cada vez mais lotadas das pessoas
envolvidas. Em contra partida, ter um profissional que não acredite no projeto faz com
que seus liderados sigam a mesma linha de pensamento, por isso visa-se estabelecer
uma base fortificada antes de dar sequência das ações.
Além disto, de acordo com SILVA (2001) para chegar aos resultados desejados,
é preciso fazer com que os indivíduos que participam do processo se engajem
plenamente na realização dos objetivos estratégicos estabelecidos.

SCHEIN, E. H. Cultura Organizacional e liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

SILVA, J. R. G.; ZALTZMAN, C.; PINTO, S. R.; GREVE, L. M. Preparação das


Pessoas para Mudança: Marketing Interno e Desenvolvimento do Foco na Integração
em uma Organização de Serviços, Anais do 25º ENANPAD, 2001.

TRINDADE, C. G.; TRINDADE, L. H. Sete desafios envolvendo pessoas em processos


de mudança organizacional, XXI ENAGRAD, Brasília: 2010.