Você está na página 1de 4

ANÁLISE COMPARATIVA DOS ENROLAMENTOS

CAMADA MISTA E DUPLA


Adilson Carlos Machado – Adilsonm@weg.com.br
Seção de Desenvolvimento do Produto - WMO

RES UMO Para facilitar o entendimento do trabalho, faremos


uma breve introdução a teoria de enrolamentos.
Neste trabalho explicarei a técnica de substituição
dos enrolamentos camada dupla por mista, para os
motores de indução trifásicos, mostrando as vantagens 2. ENRO LAMENTO:
desta mudança, conforme descritas abaixo:
Entende-se enrolamento como um conjunto de
a) Menos cobre
b) Menor resistência bobinas distribuidas em grupos, sendo cada bobina
c) Menor cabeça de bobina formada por várias espiras.
d) Menos isolantes entre camadas Quando uma ranhura do estator contém apenas uma
e) Menor tempo de inserção das bobinas bobina, diz-se que é um enrolamento camada única
(fig.1), e quando contém duas bobinas, diz-se que é
um enrolamento camada dupla (fig.2).
1. INTRODUÇÃO: O enrolamento camada mista (fig.3), como o
próprio nome sugere, é uma mistura dos dois casos,
Os motores trifásicos Weg até 1996 eram bobinados
ou seja, algumas ranhuras têm uma só bobina,
ou em camada única (motores Standard) ou dupla
enquanto outras têm duas (isoladas entre si).
(motores Alto Rendimento e Especiais).
O enrolamento camada única pode ser bobinado
Se gundo nosso assessor, Sr. João Pacheco,
mecanicamente, enquanto o camada dupla e mista
estávamos desperdiçando cobre nos motores
são bobinados manualmente na Weg.
bobinados em camada dupla!!!
A vantagem destes últimos sobre o primeiro é a
Passamos a observar também que os concorrentes
redução das harmônicas de enrolamento. Por isso
utilizavam ou camada única (motor standard) ou são utilizados na maioria dos motores de alto
mista (Alto Rendimento).
rendimento e especiais.
Daí em diante, fizemos alguns protótipos com
enrolamento camada mista em 4 pólos na fábrica III
e verificamos a redução imediata no peso de cobre e
tempo de inserção das bobinas no estator, além, é
3. DIAGRAMA DE CONDUTORES
claro, da redução de 50% dos isolantes entre É definido pela distribuição das bobinas nas
camadas (estator com 72 ranhuras). ranhuras, seguindo uma regra convencional de
Desta forma, modificamos todos os motores IV sinais para o sentido da corrente elétrica.
pólos desta fábrica para camada mista. Como exemplo, analisaremos uma das fases de um
O trabalho foi estendido posteriormente às fábricas motor trifásico, 4 pólos, 72 ranhuras, para os casos
I e IV nos motores Premium 4 pólos (36 e 48 de enrolamentos camada dupla e mista (fig. 4).
ranhuras) e mais tarde, foi implantado na carcaça
280/315, 6 pólos (72 ranhuras). Como podemos observar, os dois diagramas de
O mesmo poderá ser estendido para outras carcaças condutores são idênticos, ou seja, os dois
em 2, 6 e 8 pólos, dependendo apenas de uma enrolamentos são equivalentes.
análise de processos para definir o isolante entre-
fases, que deve ser reduzido.

9
Fig.1 “ Enrolamento Camada Única” Fig.3 “ Enrolamento Camada Mista”
Passo 1:14:16:18 Passo 1:12:14:16:18

Fig.4 “ Diagramas de Bobinagem e Condutores”

Obs: No enrolamento camada mista, os dois passos


externos têm o dobro de espiras dos passos internos.
Fig.2 “ Enrolamento Camada Dupla”
Passo 1:12:14:16:18:20:22

10
Para verificarmos as vantagens mencionadas no Por conseguinte, teremos:
início deste artigo, tomaremos como exemplo um
motor de 450cv, 4pólos, Linha Normal, carcaça M = 8,9 x 10 -6 x 15646882
355M/L, 440V, 60Hz, com pacote de chapas de 550
mm, que possui os dados de bobinagem abaixo: M = 139,3 kg

Passo 1:12:14:16:18:20:22 Ω)
b) Cálculo da resistência de fase (Ω
Espiras por bobina = 2
Fios = 40 x 1,32 mm R = (ρ . G . C) / (A.a2 ) , onde:
Camada Dupla
Ligação Paralela ρÚ Resistividade do cobre
(17,5 x 10–6 Ω.mm)
Perímetro de cada passo de bobina: a Ú Ligação (neste caso, a = 2, paralela)
12 => 1710 mm
14 => 1816 mm R = (17,5x10 –6 . 4 . 23820) / (54,74 . 4)
16 => 1932 mm
18 => 2038 mm R = 0,007615 Ω
20 => 2154 mm
22 => 2260 mm
c) Cálculo do fator de enrolamento (Fe ):
a) Cálculo da massa de cobre (kg):
Fe = |∑(Zi.ejα i)| / ∑|Zi| , onde:
M = µ . V , onde:
e Ú Nº neperiano (2,7182818...)
αi Ú Ângulo elétrico do “ i”ésimo passo
µ Ú massa específica do cobre
(8,9 x 10 –6 kg/mm 3)
V Ú Volume de cobre (mm3 ) ejα i = Cos αi + j.Sen αi

V = 3 . G . C . A , onde: α = 360 . p / N1 , onde:

3 Ú Nº de fases (trifásico) p Ú Nº de pares de pólos (neste caso, p=2)


G Ú Nº de gr upos por fase (neste caso G=4) N1 Ú Nº de ranhuras do estator
C Ú Comprimento total de um grupo (mm)
A Ú Área de cobre (mm2 ) α = 360 . 2 / 72 = 10°

Os ângulos de cada passo de um grupo de bobinas,


C = ∑ (Zi.Ci)
para uma fase, são distribuídos conforme abaixo:
Zi Ú Nº de espiras da “ i”ésima bobina
Ci Ú Perímetro da “ i”ésima bobina

Como no enrolamento camada dupla as espiras são


iguais, temos:

C = Z . ∑(Ci)
C = 2 . (1710+1816+1932+2038+2154+2260)
C = 23820 mm
Fig. 5 “ Ângulos elétricos de cada passo”
A área total de cobre é:

A = 40 x {¶.1,322 / 4} = 54,74 mm2 Como no enrolamento camada dupla as espiras são


iguais, temos:
Então:
Fe = Z.| ∑(ejα i)| / ∑|Zi|
V = 3 . 4 . 23820 . 54,74

V = 15.646.882 mm 3

11
Sentido “ positivo” da corrente (ver figura 4): Ω)
b) Cálculo da resistência de fase (Ω
j0°
e = Cos 0° + jSen 0° = 1,000
R = (ρ . G . C) / (A.a2 )
ej10° = Cos 10° + jSen 10° = 0,985 + j0,174
ej20° = Cos 20° + jSen 20° = 0,940 + j0,342
R = (17,5x10 –6 . 4 . 22932) / (54,74 . 4)
ej30° = Cos 30° + jSen 30° = 0,866 + j0,500
ej40° = Cos 40° + jSen 40° = 0,766 + j0,643
R = 0,007331 Ω (-3,7%)
ej50° = Cos 50° + jSen 50° = 0,643 + j0,766
∑(ejα i) (+)............................. = 5,200 + j2,425
c) Cálculo do fator de enrolamento (Fe ):
Sentido “ negativo” da corrente:

ej160°= Cos160° + jSen160° = -0,940 + j0,342


ej170°= Cos170° + jSen170° = -0,985 + j0,174
ej180°= Cos180° + jSen180° = -1,000
ej190°= Cos190° + jSen190° = -0,985 - j0,174
ej200°= Cos200° + jSen200° = -0,940 - j0,342
ej210°= Cos210° + jSen210° = -0,866 - j0,500
∑(ejα i) (-)...............................= -5,716 - j0,500 Fig. 6 “ Ângulos elétricos de cada passo”

∑(ejα i) = ∑(ejα i) (+) - ∑(ejα i) (-) = 10,916 + j2,925 Assim como no cálculo do comprimento total de um
grupo (C), temos que considerar a fórmula original
|∑(ejα i)|.............................. = 11,301 para o cálculo do fator de enrolamento:

∑|Zi| = 24, pois neste motor temos 2 espiras para Fe = |∑(Zi.ejα i)| / ∑|Zi|
cada bobina, sendo então um total de 12 no sentido
positivo e 12 no negativo. Sentido “ positivo” da corrente:

Fe = 2 x 11,301 / 24 4.ej0° = 4.(Cos 0° + jSen 0°) = 4,000


4.ej10°= 4.(Cos10° + jSen 10°) = 3,939 + j0,695
Fe = 0,942 2.ej20°= 2.(Cos20° + jSen 20°) = 1,879 + j0,684
2.ej30°= 2.(Cos30° + jSen 30°) = 1,732 + j1,000
∑(ejα i) (+)..................................= 11,552 + j2,379
Faremos os mesmos cáculos, considerando agora o
enrolamento camada mista: Sentido “ negativo” da corrente:

2.ej140°= 2.(Cos140°+jSen140°)= -1,532+j1,286


a) Cálculo da massa de cobre (kg):
2.ej150°= 2.(Cos150°+jSen150°)= -1,732+j1,000
Como as espiras não são iguais em todos os passos, 4.ej160°= 4.(Cos160°+jSen160°)= -3,759+j1,368
teremos que considerar a fórmula original para o 4.ej170°= 4.(Cos170°+jSen170°)= -3,939+j0,696
cálculo do comprimento total de um grupo, ou seja: ∑(Zi.ejα i) (-)................................=-10,962+j4,350

C = ∑(Zi.Ci) ∑(Zi.ejα i) = ∑(Zi.ejαi)(+) - ∑(Zi.ejα i)(-) = 22,51 - j1,971


C = 2x1710 + 2x1816 + 4x1932 + 4x2038
C = 22932 mm |∑(Zi.ejα i)|.............................. = 22,596

V= 3 . G. C. A Fe = 22,596 / 24
V = 3 . 4 . 22932 . 54,74
V = 15.063.572 mm 3 Fe = 0,942

Por conseguinte, teremos: Obs: A igualdade no fator de enrolamento


comprova a equivalência dos dois esquemas.
M = 8,9 x 10 -6 x 15063572

M = 134,1 kg (-3,7%) 4. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:


João Pacheco, “Apostila sobre Enrolamentos”, 1995.

12