Você está na página 1de 2

CORPO FREUDIANO ESCOLA DE PSICANÁLISE - SEÇÃO SÃO LUÍS

MÓDULO 0:

A FORMAÇÃO DO PSICANALISTA

EMENTA:

Historicamente o fundamento da formação do analista sustenta-se no tripé


constituído pela análise pessoal, pelo estudo teórico da psicanálise e pela supervisão
clínica. A singularidade desta formação ao mesmo tempo que dificulta sua apreensão
social, obriga os analistas a não retrocederem frente as dificuldades. Freud defendeu
o caráter leigo, profano da formação do analista. Lacan afirmou que jamais falara
dela, mas sim em formações do inconsciente. Tentava deixar claro, em seus
seminários, que seu ensino visava produzir, essencialmente, efeitos de formação.
Com essa visada, ele caracteriza a formação do analista como pontual e inacabada,
um refazer contínuo. Este módulo inicial da Formação Básica propõe-se a trilhar esse
caminho aberto por Freud e as incidências do redimensionamento dessa problemática
por Jacques Lacan.

BIBLIOGRAFIA:

1. FREUD, S. A história do movimento psicanalítico.


2. FREUD, S. A questão da análise leiga.
3. FREUD, S. Sobre o ensino da Psicanálise nas universidades.
4. FREUD, S. Recomendações aos médicos que exercem a Psicanálise.
5. FREUD, S. Psicologia das Massas e Análise do eu. Cap. VII - Identificação.
6. FREUD, S. Análise terminável e interminável (1937). In: ESB, vol. XXIII.
7. FUKS, Betty. AS INSTITUIÇÕES PSICANALÍTICAS E SUAS FORMAÇÕES
SINTOMÁTICAS.

8. JORGE, MAC. Lacan e a formação do psicanalista. Rio de Janeiro, Contra Capa


Ed., 2007.
9. LACAN, Jacques. Situação da psicanálise e formação do psicanalista em 1956.
In: Escritos. Rio de Janeiro,Zahar,1998.
10. ________.Nota italiana. In: Outros Escritos.Rio de janeiro, Zahar, 2003.
11. _______. Proposição de 9 de outubro de 1967, sobre o psicanalista da Escola. In:
Outros Escritos. Rio de Janeiro,Zahar, 2003.
12. MANNONI, Maud. Um saber que não se sabe: a experiência analítica. Campinas,
Papirus, 1989.
· Cap V: O ensino da psicanálise.
· Cap VI: Psicanálise didática ou de formação – problemas passados e presentes.
13. _____________. Da paixão do ser à “loucura” de saber: Freud, os anglo-saxões e
Lacan. Rio de Janeiro: Zahar. 1989.
. Cap. IV - Tornar-se psicanalista: entre a formação e o modelo.
. Posfácio – As formações da Instituição.
14. MAURANO, Denise. Para que serve a psicanálise? Rio de Janeiro: Jorge Zahar
Ed., 2003. Col. Psicanálise Passo a Passo.
15. SAFOUAN, Moustapha. Jacques Lacan e a questão da formação dos
analistas.Porto Alegre, Artes Médicas,1985.
16. SOUSA, William Amorim. A escola de Lacan e a formação do psicanalista.

Você também pode gostar