Você está na página 1de 3

Análise Matemática II

Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

27 de março de 2019 1.a Frequência Duração: 1h 30min

Não é permitido o uso de calculadoras. A resolução completa de cada exercı́cio inclui a justificação
do raciocı́nio utilizado e a apresentação dos cálculos efetuados.

p
1. Considere a função real de duas variáveis reais definida por f (x, y) = 3 − 4x2 − y 2 + 2y.

(a) Determine o domı́nio de f e represente-o graficamente.


(b) Esboce o gráfico de f e indique o seu contradomı́nio.

2. Considere a função f : R2 → R definida por

 2x2 − y 3

, se (x, y) 6= (0, 0)
f (x, y) = x2 + y 2 .
0, se (x, y) = (0, 0)

(a) Mostre que não existe lim f (x, y).


(x,y)→(0,0)

(b) Calcule, caso existam, as derivadas parciais de 1.a ordem de f em (0, 0).
(c) Justifique que f não é diferenciável em (0, 0).

3. Seja F uma função real de três variáveis reais definida por F (x, y, z) = ex cos y + sin z.

(a) Justifique que F é diferenciável no seu domı́nio.


(b) Escreva uma equação do plano tangente à superfı́cie definida pela equação F (x, y, z) = 1 no
ponto (0, 0, 0).
(c) Seja g uma função real diferenciável definida por g(u, v) = F (v + ln u, uv , uv). Calcule, usando
a Regra da Cadeia, gu (1, 0).

4. Considere a função f : D → R definida por f (x, y) = y 2 − x, onde D = {(x, y) ∈ R2 : 2x2 + y 2 ≤ 1}.


Justifique a existência de extremos absolutos de f em D e determine-os.
Z 1Z 1
5. Calcule o valor do integral √
cos(1 + 2y 3 ) dy dx depois de inverter a ordem de integração.
0 x

Cotação: 1. 1,5 2. 2,0 3. 2,5 4. 2,0 5. 2,0


Análise Matemática II
Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

29 de maio de 2019 2.a Frequência Duração: 1h 30min

Não é permitido o uso de calculadoras. A resolução completa de cada exercı́cio inclui a justificação
do raciocı́nio utilizado e a apresentação dos cálculos efetuados.

1. Considere a região do plano D = {(x, y) ∈ R2 : x2 + y 2 ≤ 2, x ≥ 1}.

(a) Determine a área de D, recorrendo ao cálculo de integrais duplos.


(b) Seja C o arco da curva x2 + y 2 = 2, que vai de A = (1, 1) para B = (1, −1) no sentido horário.
R
Calcule C 3x2 y 2 dx + (2x3 y + 7x) dy, usando o Teorema de Green.
(c) O campo de vetores F~ (x, y) = 3x2 y 2 ı̂ + (2x3 y + 7x) ̂ é conservativo?

2. Seja E a região de R3 limitada superiormente pela superfı́cie esférica x2 +y 2 +z 2 = 2 e inferiormente


pelo paraboloide elı́ptico z = x2 + y 2 .

(a) Faça um esboço de E e escreva uma expressão para o seu volume usando integrais triplos
i. em coordenadas cartesianas;
ii. em coordenadas cilı́ndricas;
iii. em coordenadas esféricas.
(b) Use uma das expressões obtidas na alı́nea anterior para calcular o volume de E.
(c) Seja S a superfı́cie queZlimita
Z  E, orientada com a normal unitária exterior n̂. Utilize a alı́nea

2 2 2
anterior para calcular (2x + z ) ı̂ + x y ̂ + x (3 − z) k̂ · n̂ dS.
S

3. Seja F~ o campo de vetores em R3 definido por F~ (x, y, z) = −z 2 ̂ + yz k̂.

(a) Considere a superfı́cie S = {(x,Zy, 3 2 2 2


Z z) ∈ R : x + y + z = 1, x ≥ 0}, orientada pela nor-
mal unitária exterior. Calcule (rot F~ ) · dS,
~ usando uma conveniente parametrização da
S
superfı́cie S.
(b) Confirme o resultado obtido na alı́nea anterior recorrendo ao Teorema de Stokes.

Formulário: (sin u)′ = u′ cos u, (cos u)′ = −u′ sin u, (tan u)′ = u′ sec2 u, onde u é uma função real de
variável real, definida em intervalos adequados.

Cotação: 1. 3 2. 4,5 3. 2,5


Análise Matemática II
Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores
27 de junho de 2019 Exame de recurso Duração: 2h 30min
Não é permitido o uso de calculadoras. A resolução completa de cada exercı́cio inclui a justificação do
raciocı́nio utilizado e a apresentação dos cálculos efetuados.

1. Considere a função f : R2 → R definida por



 2xy , se (x, y) 6= (0, 0)
f (x, y) = x2 + y 2 .
 0, se (x, y) = (0, 0)
(a) Averigue se f é contı́nua em (0, 0).
(b) Mostre que fx (0, 0) = 0 = fy (0, 0).
√ √
(c) Seja ub = 22 ı̂ + 22 ̂. Prove que não existe Dub f (0, 0).
(d) A partir dos resultados obtidos nas alı́neas anteriores, justifique, de dois modos diferentes, que f
não é diferenciável em (0, 0).
2. Considere a função definida por f (x, y) = y 2 − x2 .

(a) Justifique a existência de extremos absolutos de f na região R = (x, y) ∈ R2 : x2 + y 2 ≤ 4 e
determine-os.
(b) Sejam x e y duas funções reais definidas por x(s, t) = es + cos t e y(s, t) = s sin t e F a função
definida por F (s, t) = f (x(s, t), y(s, t)). Mostre, usando a regra da cadeia, que Fs (0, 0) = −4.
3. Usando coordenadas polares, represente, sem calcular, na forma de integrais iterados a área da região
do plano que está no interior da circunferência de equação x2 + (y − 1)2 = 1 e fora da circunferência
de equação x2 + y 2 = 1.
4. Seja C a curva com equações paramétricas x = 1 − t2 e y = t, t ∈ [−1, 1].
Z
(a) Usando a definição de integral curvilı́neo, determine o valor do integral 2xy dx + x2 dy.
C
(b) Recorrendo ao Teorema de Green, comprove o resultado obtido na alı́nea anterior.
5. Considere o sólido V = {(x, y, z) ∈ R3 : x2 + y 2 ≤ 4 e 0 ≤ z ≤ 6 − x}.
(a) Utilizando integrais triplos, calcule o volume de V.
(b) Usando o Teorema da Divergência, determine o valor de
ZZ

− →

F · dS ,
S

onde F~ (x, y, z) = (x − 1) ı̂ − y ̂ e S é a superfı́cie {(x, y, z) ∈ R3 : x2 + y 2 = 4 e 0 ≤ z ≤ 6 − x},


orientada com a normal exterior unitária.
(c) Seja C a curva {(x, y, z) ∈ R3 : x2 + y 2 = 4 e x + z = 6} orientada no sentido Z positivo induzido
pela orientação da superfı́cie S. Utilizando o Teorema de Stokes, calcule (x2 ı̂ + z ̂ + xy k̂) · d~r.
C

Cotação: 1. 4,5 2. 3,5 3. 2,5 4. 3,5 5. 6