Você está na página 1de 2

PROFESSOR: RONI MAYER LOMBA.

ALUNO: Antônio Augusto Cavalcante da Silva.


TURMA: 2019.1
DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL E BRASILEIRO.
Resumo da obra: GLOBALIZAÇÃO E FRAGMENTAÇÃO NO MUNDO CONTEMPORÂNEO
CHINA NA NOVA DINÂMICA GLOBAL – FRAGMENTADORA DO ESPAÇO GEOGRÁFICO
ROGÉRIO HAESBAERT (organizador)
China, um país milenar onde se desenvolvia uma política voltada ao imperialismo,
tendo uma forte cultura e costumes. A China nos seus antepassados já foi considerada
a civilização mais ricas e inovadoras do mundo, sua principal economia antigamente
era o comércio com venda de especiarias, temperos, tecidos, etc.
A China então passa uma base fundadora através de duas fontes culturais, que são elas
confucionismo e taoísmo. Ao contrário do modelo socialista que existia na antiga união
soviética, o papel dos camponeses que eram em torno de 80% da população, foi de
algo essencial para o projeto maoísta tornando assim a principal formação dos
comunas populares rurais autossustentados.
A partir da década de 80 a China passa a mudar seus planos de governo (Deng
Xiaoping) e passa a transformar a china de uma 23° colocação no mercado mundial,
para 2°. Então a China passa a fazer um modelo que não depende somente da
exportação, retraindo assim sua produção para investir em infraestrutura, assim
fortalecendo a classe média e passar a não ficar dependente de exportação e passar a
vender seu produto internamente. O país vive uma desigualdade social muito grande e
claro que isso tem quer destacado, onde na área rural é onde se encontra a população
mais pobre e com piores condições de vida, sendo a maioria analfabeta e vivendo do
mínimo possível. Na área urbana uma China com cidades caóticas, com problemas
estruturais, pois vale ressaltar que hoje a população na China é de 1.600.000 (um
bilhão e seiscentos mil) habitantes. Nesse mesmo enredo cito que a China se fez da
zona urbana em destaque duas áreas para seu desenvolvimento que foi a indústria de
base, onde a mesma é existente para a produção de matéria prima como por exemplo
o minério de ferro onde é beneficiado e transformado em aço e dessa produção é
distribuído para as empresas prestadoras do produto. E a outra área em questão é a
zona economia localizado em todo o litoral do mar da China, empresas que lá estão
seriam empresas privadas onde usufrui da característica política da China.
Revigorando este passo é onde se tem a questão da quantidade de pessoas na área
urbana, onde fizeram com que pessoas que estavam em áreas rurais se deslocassem
para a área urbana atrás de melhores condições de vida, só que ai vem a grande
questão, que a exploração da mão de obra, onde o empregado passa a trabalhar
nestas empresas e passam a ser explorados e enganados, pois a maioria das empresas
fazem promessas de que irão pagar um salário e acabam tirando, pois os empregados
na maioria das vezes moram e alojamentos que ficam dentro do próprio
estabelecimento da empresa, a comida também é descontada do salário, e assim por
diante. O fato de isso acontecer é que na China não se tem uma luta de causa, um
apoio para os trabalhadores, como sindicatos ou algo do tipo, então os empregadores
fazer o que lhes dão vontade para tratar o empregado até mesmo como escravo.
A China tem tudo para ser um país grande por muito tempo, mais a questão interna de
seu país é algo que tem que ser mudado, muitas pessoas estão começando a entender
estas questões de direitos, mas como é um país fechado e titulado para um governo
autoritário, então dificilmente irá mudar. É um país grandioso e que depende de
muitos recursos, um país que está em sempre busca por parcerias em troca de
recursos, pois sem isso é difícil de se desenvolver e se manter no topo da economia
mundial.

Você também pode gostar