Você está na página 1de 4

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

Departamento de Química
Curso: Técnico em Química Turno: Diurno
Turma: Qui 1A
Disciplina: Introdução à Química Experimental
Profª.: Mariângela O. Lima
Aluna: Maria Luiza Andrade Aquino e Mariana Gabriela de Oliveira - T2
Data: 26/10/2009

Indicadores ácido-base

Objetivo:
Investigar as propriedades ácidas e básicas de certos materiais encontrados em casa,
utilizando como indicador ácido-base o extrato de repolho roxo.

Materiais/Reagentes:
_ 12 tubos de ensaio enumerados
_ estante para tubo de ensaios
_ 4 béqueres 100 mL
_ 1 béquer de plásico 100 mL
_ 13 pipetas de Pasteur
_ placas de petri
_ Liquidificador
_ H2O
_ NH4OH (amoníaco)
_ CH3COOH
_ Extrato de repolho roxo
_ 5 mL de HCℓ diluído
_ 5 mL de NaOH diluído
_ vinagre branco
_ detergente
_ limão
_ laranja

EPI’s:
_ jaleco
_ luvas

Introdução:
Existem substâncias em nosso cotidiano que apresentam sabor azedo, tais como o suco
de limão e o vinagre. Há também aquelas que apresentam sabor adstringente, ou seja
“amarram” a boca. É o caso da banana, do caju e do caqui verdes, do leite de magnésia. Na
verdade, esses dois tipos de sabor, o azedo e o adstringente, caracterizam dois grandes
grupos de substâncias: os ácidos e as bases. Químicos do passado, então perceberam que
as substâncias de sabor azedo e adstringente em determinados meios, como o suco de uva,
por exemplo, mudavam a coloração. A partir daí puderem classificá-las (essas classificações
são operacionais de ácidos e bases, ou seja, definições fundamentadas apenas em
operações experimentais).
Pelo fato de que provar toda e qualquer substância a fim de classificá-la é um
procedimento perigoso e completamente errado, descobriram-se indicadores que determinam
a acidez, alcalinidade ou neutralidade dessas substâncias.
São estes, indicadores ácido-base. Esses indicadores são substâncias que apresentam
uma determinada coloração em meio ácido e outra em meio básico.
Os indicadores ácidos possuem hidrogênio (s) ionizável (eis) na estrutura, quando o meio
está ácido (pH<7), a molécula de indicador é "forçada" a manter seus hidrogênios devido ao
efeito do íon comum, nesta situação a molécula está neutra. Quando o meio está básico
(pH>7), os hidrogênios do indicador são fortemente atraídos pelos grupos OH- (hidroxila) para
formarem água, e neste processo são liberados os ânions do indicador (que possuem
coloração diferente da coloração da molécula).
Os indicadores básicos possuem o grupo ionizável OH - (hidroxila), portanto, em meio
alcalino (pH>7) as moléculas do indicador "são mantidas" não-ionizadas, e em meio ácido
(pH<7) os grupos hidroxila são retirados das moléculas do indicador para a formação de
água, neste processo são liberados os cátions (de coloração diferente da coloração da
molécula).
Os químicos usam uma escala de pH para expressar quão forte é uma substância ácida
ou básica. Um valor de pH abaixo de 7 indica que a substância é ácida e, quanto menor for o
número (6,5,4,3,2,...) mais forte será o ácido. Um valor de pH acima de 7 indica que a
substância é alcalina (básica) e, quanto maior for o número (8,9,10,...) mais forte será a
substância alcalina.
Dentre os indicadores ácido-base destacam-se:
• Tornassol: Corante solúvel em água extraído de certos liquens. Torna-se vermelho em
condições ácidas e azul em condições básicas. A mudança de cor ocorre para variações no
pH de 4,5 a 8,3; ou seja, é possível determinar a função inorgânica (meio ácido ou meio
básico) de substâncias com pH entre 4,5 e 8,3. Pode-se adquiri-lo também na forma de
papéis azul e vermelho. O papel de tornassol azul é usado para testar se um certo material
é ácido. Ácidos fazem-no mudar de cor, de azul para vermelho. O papel de tornassol
vermelho é útil para indicar se determinado material é básico, uma vez que substâncias
álcalis fazem-no mudar de vermelho para azul.
• Fenolftaleína (C20H14O4): Indicador cuja mudança de cor ocorre da seguinte forma: para pH
inferior a 8,3 permanece incolor e para pH superior a 10,0 adquire a coloração rosa
(carmim). Portanto, uma solução básica (meio básico), em presença de fenolftaleína,
adquire a coloração résea.
• Alaranjado de metila (C14H14N3O3SNa): Corante orgânico que muda desde vermelho para
um pH abaixo de 3,1 (meio ácido) até amarelo para um pH acima de 4,4 a 25 oC. É usado
para titulações envolvendo bases fracas.
• Azul de Bromotimol (C27H28Br2O5S): Indicador de pH que em meio ácido adquire a
coloração amarela, em meio básico fica azul e em solução neutra fica verde. Adequado
para determinações de ácidos e bases fracos, preferencialmente com pH próximo de 7.
• Indicador universal: Mistura em volumes iguais de soluções dos seguintes indicadores:
vermelho de metilo, a-naftolftaleína, timolftaleína, fenolftaleína e azul de bromotimol. O
papel Universal pode checar por ambas as soluções ácidas ou básicas, e ainda, dar uma
indicação do valor aproximado de pH da solução sendo analisada. O indicador irá mudar de
cor quando umedecido na solução, e o pH será lido comparando-se a cor final do indicador
com uma carta de cores, geralmente contida na embalagem do próprio indicador.
Algumas plantas e flores podem ser utilizadas, também, como indicadores de pH
(indicadores ácido-base naturais). Um dos mais interessantes é o extrato de repolho roxo,
que apresenta cores diversas conforme a acidez e a basicidade do meio em que se encontra
(o extrato de repolho roxo mostrará cores diferentes para valores de pH diferentes). Flores
como a hortênsia, contém indicadores ácido-base naturais em suas pétalas. Podem adquirir a
cor rósea ou azul-arroxeada, dependendo de fatores como solo, adubação, etc., que
influenciam a acidez ou a basicidade das pétalas.
Procedimentos:
I – Preparo do extrato de repolho
a) Cortar um pedaço de repolho roxo e bater no liquidificador com 500 mL
b) Coar a mistura numa peneira fina.

II – Preparo da escala padrão de pH


a) Preparar 7 tubos de ensaio como indicado:

Valor de pH
Solução Preparo
(aproximado)
1 5 mL de HCℓ diluído + 5 mL do extrato de repolho roxo 1
2 5 mL de água destila + 5 gotas de vinagre branco + 5 mL 3
do extrato de repolho roxo
3 5 de álcool comum + 5 mL do extrato de repolho roxo 5
4 5 mL de água destilada + 5 mL do extrato de repolho roxo 6
5 5 mL de água destilada + 1 gota de NH4OH (amoníaco) + 9
5 mL do extrato de repolho roxo
6 5 mL de água destilada + 5 gotas de NH4OH (amoníaco) + 11
5 mL do extrato de repolho roxo
7 5 mL de NaOH diluído + 5 mL do extrato de repolho roxo 12

III – Teste de pH de algumas substâncias de uso diário:


a) Colocar, num tubo de ensaio, 5 mL de água destilada + 5 mL de extrato de repolho roxo e
5 gotas de suco de laranja;
b) repetir o item anterior, em outros tubos de ensaio, substituindo o suco de laranja pelos
seguintes materiais: suco de limão, Xampu, detergente e leite
c) comparar a coloração obtida em cada solução com a escala de pH prepara anteriormente
utilizando o extrato de repolho roxo.

Resultados:
- Procedimento II

Valor de pH Coloração
Solução Preparo
(aproximado) obtida
1 5 mL de HCℓ diluído + 5 mL do extrato de repolho 1
Vermelho
roxo
5 mL de água destila + 5 gotas de vinagre branco +
2 3 Rosa
5 mL do extrato de repolho roxo
3 5 de álcool comum + 5 mL do extrato de repolho 5
Lilás
roxo
4 5 mL de água destilada + 5 mL do extrato de 6
Roxo
repolho roxo
5 5 mL de água destilada + 1 gota de NH4OH 9 Azul
(amoníaco) + 5 mL do extrato de repolho roxo
6 5 mL de água destilada + 5 gotas de NH4OH 11
Verde
(amoníaco) + 5 mL do extrato de repolho roxo escurol
7 5 mL de NaOH diluído + 5 mL do extrato de 12 Verde claro
repolho roxo
- Procedimento III

Produto Coloração obtida Valor pH aproximado


Suco de limão Rosa escuro 1–3
Suco de laranja Lilás roseado 3–5
Xampu Palmolive Lilás escuro 5–6
Detergente Lilás escuro 3–5
Leite Roxo azulado 6 – (7) – 9

Discussão:
- O extrato de repolho roxo, tal como as solução que o levaram na sua composição devem ser
prepradas imediatamente antes do uso pelo fato de se decompor com facilidade.

Questões:
1. Coloque os materiais que você testou em ordem crescente de acidez, mostrando quais
são ácidos e quais são básicos.

(meio básico) (meio ácido)

Leite < detergente < Xampu Palmolive < Suco de laranja < suco de limão
pH 6 – 9 pH 3 – 5 pH 5 – 6 pH 3 – 5 pH 1 – 3

2. Coloque os materiais que você testou em ordem crescente de basicidade.

suco de limão < suco de laranja < Xampu Palmolive < detergente < leite

3. Por que não é muito correto, do ponto de vista científico, afirmas, como em algumas
propaganda de Xampu:
“Xampu com pH neutro”

Conclusão:
Essa prática nos permitiu concluir que é possível medir o pH (aproximado) de substâncias
utilizando indicadores ácido-básico naturais. Além disso, foi realizada com sucesso, pois os
resultados foram facilmente percebidos, de forma correta. É um análise química qualitativa
muito utilizada em laboratórios onde se tem poucos recursos financeiros, devido aos baixos
custos, materiais utilizados e facilidade de obtenção dos mesmos.

Bibliografia:
- TITO e CANTO. Química na abordagem do cotidiano. São Paulo: Moderna, 2006.
- Folha entregue pela professora.
- www.ufpa.br/quimicanalitica/sindicador.htm. Acesso em 28 out. 2009
- www.puc-rio.br/piues/docs/acidos%20e%20bases.ppt. Acesso em 28 out. 2009