Você está na página 1de 7

SEMEA 2002 – I Seminário Brasileiro de Engenharia de Áudio, 9 a 12 de Junho, 2002, Belo Horizonte - MG

GERAÇÃO DE RUÍDO ROSA A PARTIR DE RUÍDO BRANCO


Sidnei Noceti Filho e André L. Dalcastagnê

LINSE: Circuitos e Processamento de Sinais


Departamento de Engenharia Elétrica, UFSC
Campus Universitário, 88040-900 - Florianópolis SC - Brasil
Tel: (0xx48) 331-9504, Fax: (0xx48) 331-9091
sidnei@linse.ufsc.br andre@linse.ufsc.br

Resumo - Neste trabalho é mostrado como obter ruído dispositivos [1]. Por essa razão, é usual gerar um ruído rosa
rosa a partir de ruído branco. A razão de se obter ruído com DEP proporcional a 1/ f , a partir de um ruído branco.
rosa dessa forma se deve ao fato do mesmo ser É possível encontrar na literatura propostas de redes
encontrado na natureza junto com outros ruídos como equalizadoras analógicas [2] que possibilitam a geração de
“ruído de excesso” e, tipicamente, se apresentar ruído rosa a partir de ruído branco utilizando funções de
distribuído no espectro de freqüência de forma diferente transferência com singularidades (pólos e zeros) reais.
da ideal. O ruído rosa tem aplicações em síntese de sons Porém, a precisão obtida pode não ser suficiente para
da natureza e nas medições de sistemas eletroacústicos. algumas aplicações.
Neste trabalho, primeiramente se mostra a inclinação
Abstract - This paper introduces a method of generating obtida na magnitude da resposta em freqüência em função da
pink noise from white noise. The main purpose of relação entre as freqüências dos pólos e zeros quando a
obtaining pink noise by this way, is that this type of noise ordem é suficientemente alta de tal forma que as
is found in nature along with other noise sorts as excess deformações próximas do primeiro pólo e do último zero são
noise. Moreover, such a noise presents a power spectral desprezíveis na região de medida da inclinação. Neste caso, a
density which is different from the ideal distribution. ordem do sistema não é preestabelecida.
Pink noise has applications in several domains, such as Os outros resultados apresentados neste trabalho são
syntheses of nature sounds, electroacoustic baseados em técnicas de otimização. Considerando a faixa de
measurements, among other uses. áudio, determinou-se a melhor posição para os pólos e zeros
em função da ordem do sistema. É também apresentada a
I. INTRODUÇÃO forma de projetar dois tipos de redes, que permitem obter
Os ruídos são quaisquer sinais que têm a capacidade de ruído rosa “quase ideal” a partir de um ruído branco. A
reduzir a inteligibilidade de uma informação de som, imagem primeira das redes é essencialmente ativa, e tem sido
ou dados. No entanto, os ruídos têm seu lado útil. Devido à apresentada na literatura pertinente [3]. A segunda rede,
sua riqueza espectral, alguns tipos de ruídos servem de fonte proposta neste trabalho, pode ser passiva, desde que não seja
para a síntese da fala, de sons da natureza e de sons de necessária uma amplificação.
instrumentos musicais. Em adição, são úteis para a calibração Este trabalho está organizado da seguinte forma: na Seção
de equipamentos eletrônicos, como sinais de teste, e nas II, apresenta-se algumas definições básicas que possibilitam
medidas das características de sistemas de áudio um melhor entendimento deste trabalho; na Seção III,
eletroacústicos. mostra-se uma das possíveis formas de se obter ruído rosa a
Em medições de sistemas eletroacústicos, três tipos de partir de ruído branco; na Seção IV, estuda-se a inclinação da
sinais têm sido usados: i) sinais sinusoidais (usualmente 60 resposta em freqüência da rede equalizadora, em função da
freqüências por oitava); ii) ruído branco (quando se utiliza relação entre os seus pólos e zeros, quando a ordem é livre;
bandas de largura constante); iii) ruído rosa (quando se na Seção V; é mostrada a melhor posição das singularidades
utiliza bandas relacionadas por um fator constante como, por da função equalizadora em função da ordem, para a faixa de
exemplo, 1/3 de oitava ou 1/10 de década). A vantagem da aúdio; na Seção VI, é mostrado como projetar as redes
utilização de ruído rosa ao invés de sinais sinusoidais ou equalizadoras para geração de ruído rosa a partir de ruído
ruído branco será justificada na Seção II deste trabalho. branco; na Seção VII, são apresentadas as conclusões.
Um ruído rosa “ideal” apresenta uma Densidade Espectral
de Potência (DEP) (esta grandeza será definida na Seção II) II. DEFINIÇÕES BÁSICAS
proporcional a 1/ f , ou seja, a potência do ruído tem uma A. Densidade Espectral de Potência
variação inversamente proporcional à freqüência. Este tipo A função DEP ( S x (w) ou S x ( f ) ) de um sinal x(t ) define
de ruído também é chamado de “ruído de excesso”, por estar a densidade de potência por unidade de banda em função da
presente em dispositivos eletrônicos junto com outros tipos freqüência (potência média por unidade de banda) do
de ruídos. Além disso, A DEP dos “ruídos de excesso” mesmo. A sua unidade é Watt por radiano por segundo
encontrados na natureza tipicamente apresentam uma ( W/rad/s ) ou Watt por Hertz ( W/Hz ). A sua integral em
característica proporcional a 1/ f a e tem sido observado que uma determinada banda nos fornece a potência média do
o expoente a assume valores de 0,8 a 1,3 em vários sinal [1].
Mas por que definir mais esta grandeza S x (w) ? Como se equalizado, pode ser usado para gerar sons de chuva,
sabe, a transformada de Fourier de um sinal é uma cachoeira, vento, rio caudaloso e outros sons naturais.
importantíssima ferramenta matemática que nos auxilia a A função DEP em uma banda B1 = f s - f i nos fornece a
interpretar fisicamente sinais e sistemas, assim como analisar potência média da função. Então, para a DEP
e sintetizar sistemas. S p ( f ) = N p / f , a integral nos fornece uma potência média
Sabemos que se um sistema estável, linear e invariante
Pp1 do ruído dada por:
(amplificador, filtro ou sistema eletroacústico) com uma
resposta em freqüência H (w ) é excitado com um sinal x(t ) , f
fs df
com transformada de Fourier X (w) , sua saída apresenta um Pp1 = N p ò = N p ln s . (3)
f
i f fi
sinal r (t ) , com transformada de Fourier R(w) dada por:
Vamos determinar agora qual é a potência média do ruído
R(w) = H (w ) X (w ) (1) rosa em uma banda que é K vezes a banda anteriormente
considerada ( B2 = KB1 = Kf s - Kfi ):
Porém, nem todos os sinais têm transformada de Fourier. A
existência dessa transformada está condicionada a uma Kf s f
Pp 2 = N p ln = N p ln s = Pp1 . (4)
representação do sinal por uma função matemática. Como Kf i fi
alguns sinais não possuem tal representação (a maioria dos
ruídos, por exemplo), utiliza-se a função DEP como uma Este resultado indica que a potência média do ruído rosa é
forma de caracterizá-los. constante se as medidas são feitas em bandas que se
Se um sinal com DEP S x (w) é aplicado a um sistema relacionam por um fator constante. Isso também acontece
estável, linear e invariante, com resposta em freqüência com o ruído branco se as medidas são feitas com largura de
banda constante.
H (w ) , a DEP do sinal de saída do sistema, S r (w ) , é dada
Consideremos o caso de medidas na faixa de áudio,
por: primeiramente com medidas em 1/3 de oitava e com
S r (w ) = H (w ) S x (w )
2
(2.a) freqüências aumentando com fator constante K (ou com um
percentual fixo K % = ( K - 1) ´ 100 % ). Chamando a
ou S r ( f ) = H ( f ) S x ( f )
2
(2.b) freqüência inicial da primeira banda de uma oitava qualquer
de f INI , a freqüência inicial da segunda banda será Kf INI . A
A função Densidade Espectral de Potência Sx ( f ) freqüência inicial da terceira banda será K 2 f INI e a
2
também é comumente expressa nas unidades A /Hz e 3
freqüência final será K f INI . Como a freqüência final de
V 2 /Hz . Ou seja, também é definida como potência média uma oitava é 2 ´ f INI , tem-se que:
por unidade de banda, em um resistor de 1 W . Isso se deve
ao fato de que alguns ruídos se apresentam na natureza sob a 1

forma de correntes ou tensões. Como, para um resistor de K 3 f INI = 2 f INI \ K = 2 3 = 1, 25892541 @ 1, 26 (5)
1 W , os valores eficazes de tensão e de corrente são a raiz
Considerando, por simplicidade de cálculo, que na banda
quadrada positiva da potência média, os ruídos também são
apresentados na forma de valor rms de corrente ou valor rms total de áudio tem-se f i = 20 Hz e f s = 20 kHz , teríamos
de tensão por raiz de Hertz, nas unidades A/ Hz e V/ Hz , cerca de 10 oitavas e portanto um total de 30 bandas de
freqüência. A norma ISO – International Standards
respectivamente.
Organization – estabelece freqüências em torno de 5 Hz e
B. Ruído Branco 50 kHz para f i e f s , respectivamente. Logo, o número
O ruído branco é, por definição, aquele que tem a sua usual de bandas de freqüência é maior do que 30.
potência distribuída uniformemente no espectro de Consideremos agora medidas em 1/10 de década e com
freqüência, ou seja, S w ( f ) = N w , que é uma constante. O freqüências aumentando com fator constante K ' . Chamando
nome ruído branco advém da analogia com o espectro a freqüência inicial da primeira banda de uma década
eletromagnético na faixa de luz. A luz branca contém todas qualquer de f INI , a freqüência inicial da segunda banda será
as freqüências do espectro visível, daí o nome adotado. K ' f INI . De forma análoga ao desenvolvimento feito
C. Ruído Rosa anteriormente, tem-se que:
O ruído rosa é, por definição, aquele cuja DEP é 1
proporcional ao inverso da freqüência, na forma ( K ')10 f INI = 10 f INI \ K ' = 1010 = 1, 25992104 @ 1, 26 (6)
S p ( f ) = N p / f . O nome ruído rosa vem também de uma
analogia com o espectro luminoso. A luz vermelha possui a Logo, o aumento percentual ao se atuar em escalas de 1/10
mais baixa freqüência do espectro visível e o ruído rosa tem de década, é aproximadamente igual à atuação em escalas de
mais energia nas baixas freqüências. 1/3 de oitava.
Dentre todos os ruídos, o ruído rosa é o que mais tem Se pensarmos em bandas de largura constante com o
relação com os sons da natureza. Se convenientemente intuito de utilizar o ruído branco como sinal de entrada para
as medidas e tomando como base a largura da primeira banda
H (s) =
K
H inf ( s + z1 )( s + z2 ) ( s + z n )
B1 = 1, 26 ´ 20 Hz - 20 Hz = 5, 2 Hz , teríamos um número K
( s + p1 )( s + p2 ) ( s + pn )
(10)
aproximado de (20.000 - 20) ¸ 5, 2 = 3.842 bandas! No final
da banda, os acréscimos seriam de aproximadamente onde n é a ordem do sistema; z1 , K, z são os zeros em
K
n
(5, 2 ¸ 20.000) ´ 100 % = 0, 026 % . Se tomássemos valores rad/s, p1 , , pn são os pólos em rad/s; H inf é o valor da
de banda constantes, fixando em 30 o seu número máximo, função de transferência quando s ® ¥ . O ganho na origem
as bandas teriam a largura de aproximadamente dessa função de transferência é:
(20.000 - 20) ¸ 30 = 666 Hz . A variação percentual no início
da banda seria de (666 ¸ 20) ´ 100% = 3.330 % ! H (0) =
K
H inf z1 z2 zn
K
p1 p2 pn
(11)

III. DETERMINAÇÃO DE RUÍDO ROSA A PARTIR


Fixando n e as freqüências limite da banda desejada,
DE UM RUÍDO BRANCO
existe uma posição ótima para os pólos e zeros de H ( s ) de
Para fins didáticos, vamos investigar inicialmente o que
acontece quando passamos um ruído branco através de um modo que a inclinação de H (w) se aproxima ao máximo de
filtro passa-baixa de 1a ordem, conforme é ilustrado na –3 dB/oitava. Quanto maior a quantidade de pólos e zeros,
Figura 1. H (w) será mais próxima da função ideal.

IV. DETERMINAÇÃO DA RELAÇÃO ÓTIMA ENTRE


Ruído
+
R
+ VO (w)
VI (w) C VO (w) H (w) =
AS SINGULARIDADES REAIS
branco
- - VI (w)
Neste estudo, da melhor relação entre os pólos e zeros ( k )
Figura 1 – Aplicação do ruído branco em um filtro passa-baixa de 1a e a inclinação ( I ), foi feito com um número relativamente
ordem. grande de singularidades (22 singularidades ou n = 11 ), para
melhorar a precisão dos resultados.
Pode ser mostrado que a magnitude da resposta em O pólo p1 foi fixado e as demais singularidades foram
freqüência ao quadrado é:
calculadas da seguinte forma: z1 = k ´ p1 , p2 = k 2 ´ p1 ,

H (w ) =
2 1
(7) z2 = k 3 ´ p1 e assim por diante até se chegar em zn , ou seja:
1 + (w RC )2
pi = k 2i - 2 ´ p1 ; i = 1: n (12)
Se na faixa de freqüência de interesse for forçada a
?
condição (w RC ) 2 1 , tem-se:
zi = k 2i -1 ´ p1 ; i = 1: n (13)
2
1 1 /( RC )
H (w ) @ =
2
(8) Quando os zeros e os pólos estão muito próximos, k
(w RC ) 2
w2
pequeno, o efeito dos pólos e zeros tende a se cancelar. No
Logo, obtém-se na saída do filtro um ruído do tipo 1 / f 2 limite, para k = 1 todos os pólos e zeros se anulam e assim
uma vez que a Densidade Espectral do ruído branco é H (w) = H inf , o que quer dizer que teríamos uma inclinação
S w (w ) = N w . igual a zero. Se k for muito grande, as singularidades estão
distantes umas das outras, e com isso praticamente não há
1 /( RC ) 2 NB
SO (w ) = S w (w ). H (w ) = N w = influência de uma sobre a outra. Assim, a inclinação de
2
(9)
w 2
w2 H (w) tende a de um filtro de primeira ordem, -6 dB/oitava,
O filtro passa-baixa de 1a ordem apresenta uma inclinação após um pólo e para inclinação nula após um zero. Portanto
?
de –6 dB/oitava quando (w RC ) 2 1 e com ele se obtém existe um valor ótimo para k , para o qual H (w) possui a
2
ruído 1/ f . Sendo assim, para se obter um ruído rosa com inclinação mais próxima da desejada.
Densidade Espectral 1/ f a partir de um ruído branco seria O parâmetro k foi variado entre 1 e 5 e a inclinação
baseada em H ( f s ) - H ( f i ) . Foi arbitrada a relação f s = 2 f i
necessário um filtro tal que H (w ) @ 1 / w ou
(uma oitava) com freqüência central calculada como a média
H (w ) @ 1 / w ,
2
que apresentaria uma inclinação de geométrica do primeiro pólo p1 e o último zero z11 . Desta
-3 dB/oitava. Essa função não é fisicamente realizável na sua forma, tem-se que:
forma exata, porém é possível obter uma boa aproximação
em uma determinada faixa de freqüência. f0 = p1 ´ zn 2p = f s fi (14)
Uma das formas possíveis para a obtenção de uma
resposta em freqüência cuja magnitude apresente uma Como f s = 2 f i , pode-se facilmente mostrar que:
inclinação de -3 dB/oitava, é projetar um filtro com pólos e
zeros reais alternados, com função de transferência dada por: fi = f0 2 (15)
- (2 n -1)
Pode ser determinado a partir da tabela geradora da Figura k =  z n / p1  (18)
2 (b) que a melhor relação k é aproximadamente 1,56 (para
o valor desejado de I @ -3, 0103 dB/oitava ). Portanto, é necessário encontrar (via método numérico) o
parâmetro “a”, de modo que H ( f ) seja o mais próximo
0
I (dB/o)
possível da função ideal 1/ f , dentro da faixa de interesse.
-0.5
Considerou-se um vetor de freqüências discretas
-1
K
f = [ f1 , f 2 , , f N ] , onde N é o número de pontos utilizados,
-1.5 dentro da faixa de áudio. A estratégia utilizada foi minimizar
o erro médio quadrático, dado por:
-2
N
1 2
å= éëc / fi - H ( f i , a ) ùû
-2.5
erro(a ) = (19)
-3 N i 1

-3.5 O método numérico utilizado foi o Sequential Quadratic


-4
Programming [4], que é um método de programação
não-linear.
-4.5
1 1.5 2 2.5 3 3.5 4 4.5 5 O ganho da função H ( f ) na origem é variável com
(a) k
“ a ”, porque a função na origem H (0) é dependente da
-2.98 posição das singularidades, como mostra a equação (11). Por
I (dB/o) simplicidade e sem perda de generalidade, adotou-se
-2.99 H (0) = 1 (0 dB). A cada nova iteração, o ganho no
infinito H inf era novamente calculado como:
-3

H inf =
p1 p2 Kp
Kz
n
-3.01 (20)
z1 z2 n

-3.02
Feito isso, ajusta-se a função 1/ f através de um ganho
c , dado pela seguinte equação:
-3.03

c= f0 H ( f 0 ) (21)
-3.04
1.3 1.4 1.5 1.6 1.7 1.8 1.9 2
(b) k
onde f 0 = 20 ´ 20000 Hz .
Figura 2 – Inclinação I em função de k : O cálculo da posição das singularidades foi feito para
(a) Inclinação I na faixa 1 £ k £ 5 ; 2 £ n £ 8 e os resultados estão na Tabela I. Além de p1 , zn
(b) Detalhe de I na faixa 1,3 £ k £ 2 . e k , é também mostrado o valor de H ( f ) em 20 Hz .
Pode-se perceber pelos resultados apresentados na
V. DETERMINAÇÃO DA MELHOR POSIÇÃO DAS
Tabela I que à medida que a ordem aumenta, o erro diminui,
SINGULARIDADES COM FIXAÇÃO
DA BANDA E DA ORDEM o que é esperado, e k diminui, o que já havia sido
constatado na Seção IV.
Quando se deseja H (w) com inclinação de -3 dB/oitava
dentro de uma determinada faixa de freqüência (no caso a TABELA I
faixa de áudio, de 20-20000 Hz), deve-se escolher uma Resultados do programa de otimização para várias
ordem e posicionar as singularidades de modo a minimizar o ordens
erro médio quadrático. Nesse caso, não é conveniente fixar a n p1 (rad/s) zn (krad/s) k H ( f = 20) erro
freqüência do pólo p1 . Seu valor será obtido através de 2 326,514 48,3635 5,29101 0,935648 3,77220x10-5
otimização. Para posicionar as singularidades, foi adotada a 3 176,180 89,6321 3,47777 0,829739 3,37473x10-6
4 97,7862 161,488 2,88201 0,665362 8,18718x10-7
seguinte estratégia:
5 47,9982 328,999 2,66820 0,473060 1,66123x10-7
6 33,5103 471,239 2,38285 0,413638 2,47842z10-8
p1 = 2p ´ 20 / a (16) 7 30,6497 243,753 2,11370 0,408428 5,37554x10-9
8 17,9520 879,646 2,05438 0,314695 2,11274x10-9
zn = 2p ´ 20000a (17)
A Figura 3 apresenta a magnitude da resposta em
As demais singularidades são calculadas através das freqüência para as várias ordens, dentro da faixa de áudio,
equações 12 e 13, podendo ser mostrado que: juntamente com a curva correspondente à função c / f .
0 -5
dB dB
-5 -10
-15
-10
-20
(a) -15 (f)
-25
-20
-30
-25 -35
-30 -40
10 2 10 3 f (Hz) 10 4 10 2 10 3 f (Hz) 10 4

0 -10
dB dB
-5 -15
-10 -20
-15 (g) -25
(b)
-20
-30
-25
-35
-30
-35 -40
10 2 10 3 f (Hz) 10 4
10 2 10 3 f (Hz) 10 4
Figura 3 – Resposta em freqüência para várias ordens: (a) n=2;
0 (b) n=3; (c) n=4; (d) n=5; (e) n=6; (f) n=7; (g) n=8.
dB
-5
VI. REDES EQUALIZADORAS
-10
A Figura 4 mostra duas realizações possíveis para
-15 obtenção das funções de transferência propostas na Seção V.
(c)
-20
+ +
+ RE
-25
VI ( j w) C1 C2 Cn -
VO( j w)
-30 (ruído branco) RB (ruído rosa)
R1 RA
R2 Rn
-35 (a)
10 2 10 3 f (Hz) 10 4

-5 Cn Rn
dB
-10
C2 R2
-15
C1 R1 (ruído rosa)
-20 RI
(d) RE
-25
+ V ( j w) - +
-30 I
(ruído branco) + VO( j w)
(b)
-35
Figura 4 – Redes equalizadoras.
-40
10 2 10 3 f (Hz) 10 4
A função de transferência das redes (a) e (b) é dada pela
equação (22), com H (0) = ( RA + RB ) / RA para a rede (a) e
dB -5
-10 H (0) = - RE / RI para a rede (b).
1/ R E
-15 H ( s ) = H (0) n
(22)
-20 1 / R E + å Yi ( s)
(e) i =1
-25
1 s
onde: Yi ( s ) = (23)
-30 Ri s + 1/ Ri Ci
-35 Os valores dos componentes das duas redes, que são
iguais, foram obtidos através de otimização e estão
-40
10 2 10 3 f (Hz) 10 4 apresentados na Tabela II (escalados para RE = 1 W ).
Como exemplo de aplicação, foi projetada uma rede de 5
dB
ordem 5 (passiva sem o estágio de ganho ou ativa com 0
RE = RI ). Com o intuito de diminuir os desvios nas funções -5
-10
de transferência, as impedâncias foram escaladas de tal -15
forma que algumas capacitâncias coincidissem com os -20
valores da série comercial E12 [5], já que o grau de liberdade -25
para a escolha das resistências (série E96 [5]) é maior. A -30
capacitância de C3 foi arbitrada em 47 nF, gerando um fator -35
-40
de escalamento igual a 1, 435 ´10-3 ¸ 47 ´10-9 = 30540, 42 . -45
10 0 10 1 10 2 10 3 10 4 105 10 6
Os demais capacitores são divididos e os resistores f (Hz)
multiplicados por esse fator. Os valores resultantes são: Figura 5 – Magnitude da resposta em freqüência
R1 = 26,1 kW R2 = 8,87 kW R3 = 3, 24 kW R4 = 1,18 kW da rede de ordem 5.
R5 = 324 W RE = 30,9 kW , C1 = (270 + 27) nF , passivas e ativas normalizadas de várias ordens, para
utilização de ruído rosa em medições de sistemas
C2 = (120 + 2, 2) nF , C3 = 47 nF , C4 = 18 nF ,
eletroacústicos. É mostrado um exemplo prático de projeto
C5 = (4, 7 + 4, 7) nF . de um equalizador de ordem 5, com valores de componentes
Se for necessário um ganho, esse deve ser calculado em comerciais de resistores (série E96) e capacitores (série E12).
função da amplitude do ruído branco de entrada e do nível de
ruído rosa desejado. Os capacitores devem, REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
preferencialmente, ser medidos com precisão de 1 % e [1] C. D. Motchenbacher and J. A. Connelly, “Low-Noise
apresentar baixas perdas de polarização do dielétrico Electronic System Design”, John Wiley & Sons, 1993.
(dielétrico de polipropileno ou mica). A Figura 5 apresenta a [2] Audio Handbook, National Semiconductor Corporation.
magnitude da resposta em freqüência da rede da Figura 4 (a). [3] Elliot Sound Products, “Pink Noise Generator for Audio
Note que entre 20 Hz e 20 kHz a inclinação da curva é Testing”, Disponível em
praticamente de –3 dB/oitava. <http://sound.westhost.com/project11.htm> Acesso em:
VII. CONCLUSÕES 22 nov. 2001.
[4] T. Coleman; M. A. Branch and A. Grace, “Optimization
Neste trabalho, foi apresentado um estudo sobre a geração Toolbox”, 1999, 1 CD-ROM.
de ruído rosa a partir de ruído branco, utilizando [5] S. Noceti Filho, “Filtros Seletores de Sinais”,
equalizadores analógicos compostos por pólos e zeros reais Florianópolis: Editora da UFSC, 1998.
alternados. Foi mostrado que existe uma relação ótima entre
os pólos e zeros, considerando a ordem do sistema livre. Em AGRADECIMENTOS
adição, foram apresentados projetos otimizados de redes Os autores agradecem a Rosalfonso Bortoni, M.Sc., pelas
frutíferas discussões.
TABELA II
Valores dos componentes para várias ordens
n 8 7 6 5 4 3 2
-1 -1 -1
R1 1,5328 1,4283 1,0841 8,5727x10 7,3852x10 5,2865x10 2,7709x10-1
C1 1,7690x10-2 1,0807x10-2 1,1552x10-2 9,1083x10-3 4,8047x10-3 1,9398x10-2 2,0890x10-3
-1 -1 -1 -1 -1 -1
R2 6,4353x10 5,8653x10 4,0465x10 2,9132x10 2,3445x10 1,4040x10 4,2761x10-2
-3 -3 -3 -3 -3 -3
C2 9,9835x10 5,8905x10 5,4507x10 3,7649x10 1,8221x10 6,0388x10 4,8354x10-4
R3 3,0391x10-1 2,6982x10-1 1,6650x10-1 1,0732x10-1 7,8346x10-2 3,1202x10-2
C3 5,0089x10-3 2,8661x10-3 2,3331x10-3 1,4354x10-3 6,5649x10-4 2,2466x10-3
-1 -1 -2 -2 -2
R4 1,4680x10 1,2654x10 6,9123x10 3,8806x10 2,0159x10
-3 -3 -4 -4
C4 2,4570x10 1,3679x10 9,8975x10 5,5763x10 3,0718x10-4
-2 -2 -2 -2
R5 7,1104x10 5,9031x10 2,7709x10 1,0576x10
-3 -4 -4
C5 1,2019x10 6,5630x10 4,3484x10 2,8739x10-4
-2 -2 -3
R6 3,4106x10 2,6280x10 8,1902x10
-4 -4
C6 5,9372x10 3,2997x10 2,5910x10-4
R7 1,5559x10-2 8,4395x10-3
-4
C7 3,0837x10 2,2998x10-4
R8 5,0939x10-3
C8 2,2317x10-4