Você está na página 1de 509

,

Royal hearts academy #1


TRADUÇÃO: EMMA
REVISÃO INICIAL: IZABELLY
REVISÃO FINAL: ANA CLAUDIA
LEITURA FINAL: JESSICA
CONFERENCIA: LIVIA, NANDA BAD BLOOD
FORMATAÇÃO: IRIS

Royal hearts academy #1


Cruel Prince
Royal Hearts Academy – Livro 01
A. Jade

Royal hearts academy #1


Nunca pensei que pisaria em Royal Manor novamente.
Mas quatro anos depois, aqui estou ... de volta para terminar
meu último ano na Royal Hearts Academy.

E forçada a enfrentar Jace Covington.


Meu primeiro amigo e primeira paixão. Primeiro beijo.
O que eu deixei para trás.

Só que ele não é o mesmo garoto que eu dei meu coração.

Esse novo Jace é tão cruel quanto lindo.


E ele está determinado a fazer da minha vida um inferno.
Junto com o resto de sua família e tripulação glorificada de
tiranos.

Eles esperam que eu adore o chão em que andam como todo


mundo, mas eu prefiro comer terra.

Se Jace Covington quer que eu faça isso ... ele terá que se esforçar
mais.
Porque eu nunca fui o tipo de garota a jogar de acordo com as
regras.

Royal hearts academy #1


O caminho para o inferno é pavimentado com boas intenções.

Provérbios

Royal hearts academy #1


JACE

Quatro anos antes…

— Nós não vamos deixá-los se safar com isso.

Os olhos da minha irmãzinha estavam vidrados quando


ela finalmente olhou para mim. — Não há nada que possamos
fazer, Jace. Eles já venceram. Liam se foi. — Outra lágrima
escorreu por sua bochecha. Eu nunca a vi chorar tanto em
meus quatorze anos. — Assim como mamãe.

— Ela está certa. — meu irmão, Cole, sussurrou. —


Talvez possamos convencer o papai a se mudar para outro
lugar.

Seu sorriso de assinatura havia desaparecido, e seus olhos


cor de avelã estavam tão sem vida quanto os de Liam, quando
o encontrei em um armário há três dias.

Meu peito apertou. Doía olhar para ele.

Você nunca saberia por suas personalidades, mas Cole e


Liam eram gêmeos idênticos. E agora isso só servia como mais
um lembrete de como tudo tinha se tornado fodido.

Minha família estava desmoronando aos poucos. E meu


pai estava muito envolvido no trabalho e na sua própria dor
para fazer algo sobre isso.

Isso não queria dizer que eu não pudesse.

Eu falhei com Liam - meu irmão mais novo e melhor


amigo - mas não falharia com os irmãos que me restavam.

Royal hearts academy #1


Não deixaria esta cidade, ou as pessoas nela, destruírem
minha família.

Minha mãe uma vez me disse que como o mais velho, era
meu trabalho cuidar dos outros. Ser a pessoa em quem eles
poderiam confiar. Mostrar-lhes como navegar pela vida para
que seja um pouco mais fácil para eles.

Mas a única maneira que eu poderia fazer isso, era


desligando toda a dor que eu sentia, e deixar a raiva
fervilhando no fundo da minha alma subir à superfície.

Minha mãe e meu irmãozinho não voltariam... não importa


quantas lágrimas derramássemos, ou quantas vezes
imploramos a Deus para desfazer o impensável.

Deus parou de ouvir há muito tempo.

Meu pai se desligou no momento em que sua esposa deu


seu último suspiro.

Eu era tudo o que eles tinham.

O que significava que não havia mais espaço no meu


coração para lamentação ou tristeza. Essas emoções foram
desperdiçadas nos mortos... eu tinha que cuidar dos vivos.

A raiva era uma força motriz muito superior. Ela ajudava


a mascarar toda a culpa que eu estava abrigando.

Me levantei. — Não vamos embora.

Confusão distorcia suas expressões.

Cole abriu a boca para falar, mas balancei a cabeça. Ele


teria seu tempo depois que eu terminasse. O que tinha a dizer
era importante.

— Deixar a cidade é o que eles querem.

Royal hearts academy #1


Royal Manor estava cheia de canalhas ricos, que preferiam
se livrar do problema, do que reconhecer o seu próprio.

Foda-se isso.

Liam morreu porque um bando de babacas na nossa


escola, achou divertido ameaçar uma criança com ansiedade e
gagueira.

E eu não estava lá para protegê-lo como deveria. Por


causa dela.

— Eles mexeram com a família errada. — cruzei os braços


sobre o peito. — Acho que é hora de darmos a eles um
gostinho do seu próprio remédio. Foder com todo mundo do
jeito que foderam com Liam. — Determinação fluiu através de
mim, tão forte que quase sufoquei com isso. — E não
pararemos até que cada um deles tenha medo de nós.

Bianca enxugou as lágrimas com a manga. — Até eles


pagarem.

O sorriso de Cole estava de volta. — Até mandarmos


nessa cidade e fazer deles todos, a nossa vadia.

Até que vingássemos o irmão que perdemos.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Dylan,

Espero que você tenha tido um bom voo. Tio Wayne e eu


devemos voltar de Paris amanhã de manhã. Há comida na
geladeira e seu quarto está pronto para você se mudar. Oakley
pode mostrar onde está tudo. Mal posso esperar para ver você.

Com amor e beijos,

Tia Crystal

PS: Vou fazer uma chave para você, mas até eu conseguir,
pode usar a chave de reposição embaixo do tapete.

O aborrecimento aparece quando olho o Post-it rosa neon,


preso à porta da frente. Uma simples mensagem de texto,
revelando onde a chave sobressalente estava oculta, teria sido
bom.

E muito mais seguro.

Não que Royal Manor seja uma cidade perigosa, longe


disso.

De fato, a baixa taxa de criminalidade e o bom distrito


escolar, foram os principais motivos pelos quais meus pais
queriam me criar aqui.

E se não fosse minha mãe falecendo quando eu tinha oito


anos, e meu pai se agarrando a uma nova esposa, que queria

Royal hearts academy #1


se mudar para uma cidade ainda mais elegante na costa oeste
quando fiz catorze anos…

Não, não estou indo por esse caminho hoje. Pensar em


como seria minha vida se minha mãe ainda estivesse viva, e
desejar que as coisas tivessem acontecido de maneira
diferente, não muda o passado.

Com um suspiro pesado, reorganizo minha bagagem na


varanda e tiro a chave de baixo do tapete, antes de entrar no
que será meu novo lar para o próximo ano.

Eu mal tenho um pé no chão de cerejeira quando meu


telefone toca.

Devo fazer um favor para nós dois e deixá-lo ir para o


correio de voz, mas toco o botão verde de qualquer maneira.

Estou magoada, brava... e ainda não estou pronta para


falar com ele.

Mas não estou acima de ser mesquinha.

— Você tem uma ligação à cobrar de Brian Taylor no


Centro Correcional de Oak Creek. Para aceitar esta chamada,
pressione cinco. Se você não deseja aceitar esta chamada,
pressione zero.

Eu pressiono rapidamente o zero e desligo.

Foda-se, Pai.

Graças a outro post-it da tia Crystal, consegui descobrir


qual quarto de hóspedes ela havia liberado para mim.

Embora liberado seja um pouco de eufemismo. Além da


cama queen-size coberta com uma colcha roxa, um escritório

Royal hearts academy #1


vazio e mais um post-it prometendo me levar às compras no
final da semana... o quarto estava completamente vazio.

Não que eu me importe. Consegui enfiar minha vida


inteira em uma mochila e uma mala média. Sem frescuras
combinava comigo.

Menos merda para se apegar.

Abro a porta do armário para pendurar algumas das


minhas roupas, porém três saias xadrez, três camisas brancas
de botões e três blazers marinhos chamam minha atenção.

O emblema da Royal Hearts Academy, acima do bolso no


lado esquerdo do peito, praticamente me provoca.

Eu não estava em posição de fazer nenhum pedido,


considerando que minha tia e seu marido, foram legais o
suficiente para receber uma perdida - mas a única coisa que
insisti, foi em frequentar a escola pública local, em vez da
Royal Hearts Academy. Meu pai me forçou a frequentar uma
escola particular no ensino fundamental e médio, e foi uma
das piores experiências da minha vida.

O orgão no meu peito aperta. Com exceção de conhecer


Jace.

Claro, a única coisa que eu queria, era a única coisa que o


marido de Crystal não estava disposto a negociar, já que era o
último ano do meu primo (tecnicamente, primo) e ele
frequentava a RHA.

Wayne acha que seria benéfico para mim ir à escola com


seu filho Oakley, então eu teria alguém para me mostrar as
coisas.

No entanto, é claro que o velho tio Wayne não deve ser


muito observador. Eu o vi apenas brevemente uma vez, no
casamento da minha tia há quatro anos, mas uma rápida

Royal hearts academy #1


rolagem no Instagram de Oakley sugere que ele é tão útil
quanto um peixinho dourado em um show do Bob Marley.

E por útil? Quero dizer, chapado.

O que provavelmente explica porquê ele não me pegou no


aeroporto como deveria, ou por que ainda não vi nenhum sinal
dele... apesar de estar aqui a tarde toda e a maior parte da
noite.

Enviei-lhe outro texto, mas assim como os dez primeiros


que enviei hoje, ele não respondeu.

Curiosidade tira o melhor de mim e saio pela porta do


meu novo quarto, me aventurando pelo longo corredor. Minha
tia disse que havia seis quartos na casa - mas depois de bater
em várias portas, é óbvio que o Oakley não está em nenhum
deles.

Abafando um gemido, desço a escada e entro na cozinha.


Assim como o resto da casa, a cozinha é espaçosa e tudo
parece caro, mas o preço à parte, é bastante padrão. Aparelhos
de aço inoxidável, mesa de vidro e uma grande ilha de granito
no centro.

E nenhum Oakley.

Depois de verificar a sala de estar, o escritório do meu tio


Wayne e o banheiro no primeiro andar, desço as escadas que
levam ao porão.

O cheiro de maconha se infiltra em minhas narinas quase


que imediatamente.

Eu não sou uma estraga-prazeres, não tenho problemas


com pessoas que fumam - o que tenho um problema, são com
pessoas que se entregam tanto, que esquecem as coisas
importantes.

Royal hearts academy #1


Como responder a mensagens de texto, ou buscar sua
prima no aeroporto.

A televisão de tela grande - que atualmente transmite


duas garotas nuas se esfregando uma na outra, com um
murmúrio de rap terrível - ilumina o porão o suficiente, para
que eu consiga ver as costas de um sofá de couro. A fumaça
flutuando na direção do ventilador de teto, me diz que há uma
boa chance de encontrar Oakley do outro lado dela.

Não sei se rio ou sacudo a cabeça enquanto viro a


esquina, e o vejo desmaiado com uma mão dentro da calça, e a
outra segurando o que parece ser um, baseado parcialmente
fumado.

O boné de beisebol que ele usa esconde a maior parte do


rosto, mas definitivamente parece que está dormindo há um
tempo. Como a casa não foi incendiada, é uma incógnita.

Estou prestes a jogar fora, o ainda aceso baseado, e voltar


para o andar de cima... mas então ele fala.

— Hey, babe1.

Uh. Meio estranho, mas considerando que fui chamada de


coisa pior por estranhos, decido seguir em frente.

— Hey.

— Eu estava pensando quando você chegaria aqui — ele


murmura, sua voz grossa com o sono.

Eu reprimo o desejo de dizer a ele que estaria aqui mais


cedo, se ele me pegasse no maldito aeroporto como deveria.

Nós vamos ficar presos juntos no próximo ano, e reclamar


com ele não é uma boa maneira de começar um
relacionamento.

1 Pessoa atraente, forma carinhosa de chamar. Amor, baby, querida...

Royal hearts academy #1


Abro a boca para perguntar se quer comer algo mais
tarde, mas ele fala novamente.

— Você é tão gostosa.

Okay, este trem atingiu oficialmente a estação estranheza.

— Hum. Obrig...

Antes que eu possa terminar essa frase, ele enfia a calça


de moletom para baixo e…

Oh. Meu. Deus.

Bile sobe na minha garganta quando ele envolve a mão em


torno de seu pau exposto.

— Vamos lá, linda... — ele geme. — Para de me provocar e


sente-se nele.

Tenho certeza de que devo estar super chapada, porque


essa é a única maneira de explicar por que diabos meu primo,
está me chamando para sentar no seu pau.

— Que nojo! O que há de errado com você?

Protegendo minha visão com as mãos, eu recuo.


Infelizmente, bato na mesa de café com tanta força que vejo
estrelas.

— Droga! — grito, segurando minha panturrilha


latejante.

— Você não é a Hayley.

Fale sobre declarar o óbvio.

— Não brinca, Sherlock?!. — Eu cometo o enorme erro de


olhar para cima. — Oh meu Deus, cara. Você pode por favor
guardar sua salsicha?

Royal hearts academy #1


— Claro. — o pervertido diz, levantando-se do sofá. —
Assim que me disser quem diabos você é, e por que está na
minha casa.

Ele deve estar brincando comigo.

— Sério? — eu aponto para mim mesma. — Eu sou a


Dylan.

Ele inclina a cabeça para o lado, como se estivesse tendo


problemas para entender, por que meu nome deveria ter
algum significado para ele.

— Sua prima. — cerro os dentes e ele empalidece.

Eureca.

Exalo um suspiro de alívio quando ele puxa as calças.

— Você não deveria estar aqui até sábado.

— Hoje é sábado! — o informo, e seus olhos se


arregalam.

— Bem, merda. — Ele coloca o baseado nos lábios e


inspira. — Essas coisas são melhores do que eu pensava. —
Tossindo, ele me oferece. — Quer um pouco?

Dou-lhe um sorriso irônico. — Agradeço a oferta de paz e


tudo, mas vou passar.

Ele não parece nem um pouco ofendido. — Isso é legal. —


Sua expressão se torna séria quando apaga o baseado em uma
lata de refrigerante. — Olhe, eu apreciaria se não dissesse às
unidades paternais que tentei transar com você, ok? Eles
estão no meu pé o suficiente ultimamente.

Oakley não precisava se preocupar. Não vou contar a


ninguém que ele tentou transar comigo.

Eu aceno para ele.

Royal hearts academy #1


Ele acena de volta.

E então não passa de um silêncio desconfortável.

Bem, troca fascinante que estamos tendo aqui.

— É sábado à noite — ele declara inesperadamente


enquanto estica os braços sobre a cabeça e boceja. —
Christian está dando sua grande festa encerrando o verão,
antes do início das aulas.

Não sei quem é Christian, mas não me importaria de ir a


uma festa. De fato, conhecer algumas pessoas e reconectar-me
com alguns velhos amigos antes do início das aulas,
provavelmente facilitará as coisas para mim na segunda-feira.

Meu coração dá um pequeno giro. Talvez Jace esteja lá.

Há tantas coisas que quero lhe dizer.

E ainda mais coisas que quero perguntar a ele.

Como por quê ele bloqueou meu número. Ou por quê


nunca retornou nenhuma das dezenas de mensagens que
enviei a ele nas redes sociais, depois que saí.

— Uma festa parece divertida. Eu posso estar...

— Não espere acordada. — Oakley diz, passando por


mim.

Bem, isso resolve então. Meu primo é uma ferramenta


maior que a contida em suas calças.

— A propósito... — ele grita da escada. — Os


administradores da escola são idiotas. Duvido que eles deixem
você manter essa porcaria azul no seu cabelo.

Luzes. Elas são chamadas de luzes.

Royal hearts academy #1


Um sorriso toca meus lábios. Espero que eles odeiem
tanto o meu cabelo azul, que recusem a admissão e eu não
tenha escolha a não ser, frequentar a Royal Manor High2.

2 A escola pública nos Estados Unidos, geralmente possui o nome da cidade e o HIGH
no final. Então aqui ela se refere a escola pública.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Seu cabelo! — minha tia exclama enquanto me envolve


em um abraço na manhã seguinte. — Eu gosto, mas a Royal
Hearts não. Vou ver se posso marcar uma hora de emergência
com minha cabeleireira hoje.

Oakley espia por cima do café da manhã que ele está


devorando. — Eu te disse.

Eu atiro a ele um olhar sujo, enquanto minha tia me


aperta mais forte.

— Minha nossa. Não consigo superar como você está


adulta.

Oakley sorri. — Como um Smurf alto.

Eu preferia quando ele estava desmaiado no sofá.

Há uma carranca no rosto da minha tia quando nos


separamos. Como eu e minha mãe - Crystal tem cabelos loiros
claros, olhos azuis escuros e um metabolismo
assustadoramente acelerado, que nos faz parecer estar em
muito melhor forma do que estamos.

Ela as vezes também é perturbadoramente perceptiva.

A sua expressão é cuidadosa, como se ela estivesse com


medo que eu pudesse quebrar. — Como você está indo?

Eu ignoro a pontada no meu peito. Se me entregar e


desmoronar agora, não tenho a menor chance de passar pelos
próximos doze meses.

Royal hearts academy #1


Desmoronar não vai mudar o fato de meu pai estar
atualmente preso, por desviar dinheiro da empresa
multimilionária, que o empregou como diretor financeiro.

Por causa da minha madrasta gananciosa.

Porque ele não queria perdê-la.

Porque em algum lugar ao longo do caminho, ela se tornou


mais importante para ele do que eu.

— Estou bem. — Engulo o caroço que se forma na minha


garganta. — Um pouco cansada do jet lag, mas além disso,
estou totalmente bem.

Tenho certeza de que minha tentativa de redirecionar sua


pergunta foi um fracasso, mas felizmente meu tio entra para
salvar o dia.

— Por que o porão cheira a maconha?

Ou não.

Wayne não é um homem grande, seu filho facilmente se


sobressai sobre ele, mas há algo muito intimidante nele.

O que provavelmente explica por que eles o chamam de


tubarão no tribunal, e é um dos principais advogados de
defesa do país.

Todos os olhos se voltam para o principal suspeito.

Por um momento, sinto-me mal por ele - mas depois


lembro-me do idiota que ele é.

Oakley empurra uma garfada de ovos em sua boca, sem


dúvida ganhando um pouco de tempo para responder.

Eu acho que meu primo não é tão burro quanto parece,


depois de tudo.

Royal hearts academy #1


— Eu não tenho ideia. — Ele dá de ombros
inocentemente antes de gesticular para mim. — Estava no
Christian a noite toda. Blue ficou em casa.

Yeah, retiro o que disse. Ele é mais burro do que uma


caixa de pedras. Não apenas pelo apelido terrível, mas por
pensar que minha tia sequer compraria sua insinuação.

— Sim, — falo, o sarcasmo grosso no meu tom. — Você


me pegou. Depois que saí do avião e peguei um Uber para cá,
desempacotei minhas malas e celebrei minha nova vida,
brincando no porão.

Oakley fica de pé. — Vê? — ele olha para minha tia e meu
tio. — Vocês devem ter mais cuidado com quem convidam
para morar aqui.

Minha tia revira os olhos. — Dylan não usa drogas. —


Seu olhar gira para mim. — Certo?

Eu concordo. — Na verdade não é minha praia.

Meu tio aperta a ponta do nariz. — Cristo. Nós


conversamos sobre isso, Oak. Se você quiser estragar sua vida,
faça-o sob seu próprio teto, não no meu.

Cheech... ou seria o Chong3?

Ele coloca o prato na pia. — Eu não estou estragando a


minha vida, pai. Pelo amor de Deus, é legal aqui agora.

— Legal para adultos, não para adolescentes.

— Eu sou...

— Você fez dezessete há um mês! — meu tio Wayne grita


tão alto que as janelas tremem. — Considere este seu primeiro

3Cheech and Chong é uma dupla humorística norte-americana que obteve uma larga
audiência nas décadas de 1970 e 80, fazendo diversos filmes com temas como a era
dos hippies, "paz e amor" e especialmente a maconha.

Royal hearts academy #1


e único aviso. Fume essa porcaria na minha casa de novo, e
eu vou tirar tudo que já te comprei, e você estará indo embora
para a escola militar.

Oakley parece genuinamente nervoso. Não posso dizer


que o culpo. Algo me diz que a ameaça de Wayne não é ociosa.

— Pai...

— Fim da discussão. — O tom de sua voz não deixa


espaço para discussão.

A testa da minha tia enruga. — Por que você pegou um


Uber para cá?

Estou prestes a jogar um osso para Oakley, mas não


tenho chance.

— Porque o seu enteado estava tão fora de si, que


provavelmente esqueceu! — meu tio explode antes de se virar
para mim.

— Peço desculpas pelo fodido monumental que meu filho


é, Dylan.

Whoa. Isso foi um pouco duro.

Aparentemente, minha tia está pensando a mesma coisa


porque sua expressão suaviza. — Wayne...

— Foda-se isso! — Antes que alguém possa falar, Oakley


pega suas chaves da mesa da cozinha.

Os olhos de Wayne se estreitam. — Onde você pensa que


está indo?

— Jace, — Oakley late, passando por seu pai. — Se está


tudo bem pra você, vossa alteza.

Meu estômago dá uma cambalhota. Oakley é amigo de


Jace? Meu Jace?

Royal hearts academy #1


O momento é terrível, mas tenho que saber.

— Jace Covington? — eu quase grito.

— Não é da sua conta, dedo duro. — Ele faz uma pausa


no meio do caminho para me encarar. — Um conselho? Melhor
devorar seus cereais amanhã... porque você acabou de perder
o único aliado que tinha. Royal Hearts vai comê-la viva. — Ele
ri zombeteiramente enquanto caminha em direção à porta. —
Mas não se preocupe. Vou dizer a Jace que você perguntou
sobre ele.

Royal hearts academy #1


JACE

— Mandei um cheque para a sua escola. — Meu pai


suspira pesadamente, afastando a tigela de aveia. — Deve
cuidar de quaisquer questões em potencial, que você e seu
irmão causem este ano.

Por questões, ele quer dizer problemas.

Do outro lado da mesa, os lábios de Cole se contraem. —


N...

Tudo o que ele ia dizer cai no esquecimento quando


Bianca entra... vestindo uma roupa minúscula que é dois
tamanhos pequeno demais.

Sorrindo para si mesma, ela pega uma maçã da cesta e


pisca. — E irmã.

Cole e eu trocamos um olhar.

Papai deveria ter enviado mais dinheiro a Royal Hearts.


Algo me diz que teremos as mãos cheias de questões este ano,
uma vez que Bianca agora é caloura na RHA.

Meu pai desviou o olhar, murmurando algo em voz baixa.

Como a maioria das pessoas que a conhece, Bianca o tem


enrolado em volta do dedo mindinho.

Minha mãe é parcialmente culpada por isso. Ela era uma


estrela de Bollywood... até que meu pai foi para a Índia com
seu próprio pai em uma viagem de negócios, deu uma olhada
na minha mãe, apaixonou-se e secretamente levou-a para os
Estados Unidos para viver feliz para sempre.

Royal hearts academy #1


Rumi Covington era a mulher mais linda do mundo. Sem
dúvidas, sem competição.

Mas, ao contrário de Cole, que fica atrás de meu pai com


seus olhos verdes claros e seu tom de pele irlandês pálido, ou
eu que cai em algum lugar entre uma mistura dos traços de
ambos os meus pais - Bianca é a imagem cuspida dela.

Desnecessário dizer que as coisas eram muito mais fáceis,


quando ela estava na fase do patinho feio... antes de tirar o
aparelho e conseguir lentes de contato. Entre outras coisas
que prefiro não pensar.

Pego meu garfo. O que meu pai precisa fazer é dizer a ela
para subir e se trocar... mas ele não vai.

Jason Covington é um profissional em evitar qualquer


tipo de confronto com seus filhos.

O que é irônico, considerando que ele é dono da Trust


Pharmaceuticals - uma das maiores empresas farmacêuticas
do mundo, e não tem nenhum problema em criar debates,
quando se trata de conseguir o que quer no trabalho.

É uma pena que não consiga reunir metade dessa energia


para lidar com seus próprios filhos, mas ele parou de se
importar há muito tempo.

Inferno, ele praticamente convida a mim e a meus irmãos


a andar por cima dele.

— Você não está usando isso. — digo à minha irmã


quando a porta do pátio se abre, e meu amigo Oakley entra na
varanda.

Ou melhor, ele tenta. O filho da puta tropeça em seus


próprios pés a meio caminho da mesa, porque suas pupilas
injetadas de sangue estão coladas em Bianca.

Royal hearts academy #1


Eu estreito meus olhos para ela. — Parece que você a
comprou no vadias express.

Ela dá uma mordida na maçã. — Provavelmente porque


peguei essa roupa emprestada de uma de suas namoradinhas
vadias.

Oakley e Cole riem, mas eu dou a eles um olhar de aviso


antes de voltar minha atenção para ela.

— Vá trocar.

Ela abre a boca para protestar, mas eu bato com o punho


na mesa. Hoje não estou com disposição para as merdas dela
ou de qualquer um. — Então que Deus me ajude, suba sua
bunda e troque ou...

— Tudo bem, tanto faz, — ela bufa. — Mal posso esperar


para você entrar na faculdade no próximo ano, seu grande
bully4.

Cole balança as sobrancelhas enquanto ela se afasta. —


Não fique muito animada, ainda vou estar aqui para
atormentá-la.

Ela joga a maçã meio comida na cabeça dele antes de


sair.

Seus olhos brilham com indignação quando esfrega o


couro cabeludo. — Vadia.

— Hey, — meu pai estala. — Não chame sua irmãzinha de


vadia.

Você viu isso? Jason não apenas contribuiu para uma


conversa, ele quase parecia um pai.

Como de costume, é sempre depois que lido com a


situação.

4 Aquele que pratica bullying. O valentão.

Royal hearts academy #1


Oakley se senta na cadeira vazia ao meu lado. — Está
tudo bem?

Antes que ele possa piscar, eu balanço meu punho em


seu braço.

— Jesus. Que diabos, cara? — ele grunhe, segurando o


ombro. — Esse é o meu braço de me masturbar.

— Bem, se olhar para a minha irmãzinha assim de novo,


vou quebrar e enfiar na sua bunda. Você me entendeu?

Ele estremece. — Eu não percebi que era a Bianca. Ela


parece tão...

— Cara, — Cole interpõe. — Esquece enquanto pode. —


Ele gesticula entre nós. — Da última vez que verifiquei, você
tem dois braços e somos dois. As probabilidades não estão a
seu favor.

Oak levanta as mãos. — Vocês dois precisam relaxar. Eu


não estou procurando por problemas ou tentando dar em cima
da intocável bebê Covington. Confie em mim, já tenho o
suficiente no meu prato.

Cole e eu trocamos outro olhar. Oak é legal e tudo, mas


ele é conhecido por fazer tempestade em copo d’água, o que o
leva a fazer coisas estúpidas.

Como ligar para o 911 no meio de uma festa, porque


alguém roubou sua erva.

Recosto no meu assento, pensando se vale ou não a


potencial irritação para descobrir o que está incomodando.

Suponho que tenha algo a ver com a grande festa que


Christian deu na noite passada. Eu estava indo, mas Britney
Caldwell tinha outros planos.

Royal hearts academy #1


Planos que envolviam chupar meu pau no caminho até lá,
e me implorar para encostar, para que eu pudesse colocá-lo na
sua bunda.

Desde que eu poderia usar o entretenimento, decido


perguntar ao meu amigo. — Aconteceu alguma coisa ontem à
noite?

— Nah. Não realmente. — Ele morde sua cutícula, mas


faz uma pausa, parecendo profundamente pensativo. — Bem,
eu quase enfiei o pau na minha prima antes de ir a uma festa.

Meu pai engasga com o café.

Cole se endireita. — O que você quer dizer com quase


enfiou o pau na sua prima?

Meu pai empurra a cadeira para trás e se levanta. — Com


licença, crianças. Tenho um telefonema importante a fazer.

Balançando a cabeça, ele entra na casa. A sua ausência


não importa tanto assim. Todo mundo está acostumado.

Soltando um suspiro, Oakley passa a mão sobre o couro


cabeludo. — Cara, eu não sabia que era ela. Estava fumando e
me masturbando o dia todo. Eu apaguei um pouco e então
pensei que Hayley tinha vindo cuidar dos negócios.

Hayley é a garota on/off5 do Oak. Embora geralmente seja


mais Off do que On com eles. No entanto, não importa quantas
vezes eles terminem, ela sempre se arrasta de volta.

Ela afirma que odeia o drama que vem de um namoro


com meu amigo, mas tenho certeza de que é viciada nisso.

Inferno, todo mundo na RHA6 é. Eles praticamente


prosperam com isso.

5 Eles são um casal que vive se separando e voltando.


6 É o nome da escola Royal Hearts Academy.

Royal hearts academy #1


Cole toma um gole de sua bebida. — Tudo bem, então você
estava chapado e desmaiou. Ainda não explica como quase
dormiu com ela. — Ele sorri. — A menos que esteja dizendo
que ela realmente concordou.

Oak abre bem os braços. — Foi exatamente o que


aconteceu. — Ele pega a tigela de uvas e coloca uma na boca.
— Ela estava totalmente de acordo... até que abaixei minhas
calças.

Meus lábios se contraem. — A pobre menina


provavelmente esqueceu sua lupa.

— Oh, vá se foder, Covington. Você não é o único que o


tem pendurado como um cavalo. — Ele bate no peito. —
Confie em mim. Seu garoto é bem dotado.

Não sei o que é mais perturbador. O fato de ele saber o


quão grande é meu pau, ou de sentir a necessidade de
defender o dele com tanto vigor.

Ele mastiga um caule de uva. — A pequena vadia de


cabelo azul já está fodendo a minha vida. Eu não sei como vou
sobreviver a sua bunda chata vivendo na minha casa, e indo
para a RHA por um ano inteiro.

A expressão de Cole corresponde à minha. É a primeira


vez que Oak menciona uma prima de cabelo azul que vem
morar com ele, ou que vai estudar em nossa escola.

Eu não gosto de recém-chegados. Especialmente aqueles


que já estão causando merda.

— Tudo bem, volte um pouco. Por que ela está morando


com você?

— Mais importante — diz Cole. — Ela é gostosa? —


Diversão reveste o seu rosto. — Pensando bem, quem se
importa? Uma garota disposta a dar umazinha o próprio

Royal hearts academy #1


primo, tem que ser chegada em uma merda bem esquisita, e é
melhor você acreditar que eu sou louco por isso.

Eu não estou surpreso. Meu irmão fodeu quase tudo em


uma saia na RHA. Incluindo professoras.

Oakley balança a cabeça. — Ah. Eu não acho que ela seja


do tipo chegada em esquisitice. Apenas uma grande
provocadora. — Ele pega um baseado atrás da orelha e
acende. — Uma provocadora gostosa, mas ainda assim, uma
provocadora.

Cole revira os olhos — As gostosas sempre são.

Oakley bate com o punho. — Exatamente, irmão. É difícil


encontrar uma gostosa com um belo corpo, que permita que
você saia do estacionamento, e enfie na estrada
imediatamente. — Soprando uma nuvem de fumaça, ele olha
para mim. — A menos que seu nome seja Jace Covington. O
idiota do qual todo mundo tem medo, mas toda garota ainda
quer um pedaço. Vai entender essa porra.

Ele não está errado. Mas diferentemente dele e do meu


irmão, sou seletivo em relação a quem enfio meu pau. Não vou
me contentar com o mesmo pedaço medíocre, a que todos os
outros caras têm acesso ilimitado... prefiro o de primeira.

Não que eu sempre recuse boceta fácil. Ainda é bom


molhar seu pau sempre que houver vontade. É por isso que
tenho Britney.

Mas até ela está começando a me entediar. Pela primeira


vez, eu gostaria de um desafio.

— Qual o tamanho dos peitos dela? — meu irmão


pergunta, interrompendo meus pensamentos.

Oakley suspira. — Mais para o lado dos pequenos, porém


eles são arrebitados.

Royal hearts academy #1


— Qual é o nome dela?

Esses dois farão bate e volta, dissecando sobre o corpo


dela o dia todo, mas prefiro começar com o básico.

Oak dá uma tragada em seu baseado. — Dylan. — Os


seus olhos se enrugam. — E sua reputação deve preceder,
porque ela perguntou sobre você.

Os pêlos minúsculos na parte de trás do meu pescoço se


arrepiam. Eu só conheço uma garota chamada Dylan.

Cole faz uma careta. — Como sua prima... — Ele faz uma
pausa no meio da frase, seu olhar girando para mim. — Bem,
que merda. Mundo pequeno, huh?

Muito pequeno. O que diabos ela está fazendo na cidade?


E vivendo com Oakley, de todas as pessoas.

Nunca rejeitando as fofocas, Oak não se incomoda em


esconder seu novo interesse. — Meu pai disse que ela já
morou em Royal Manor. Acho que vocês dois têm história?

Cole bufa. — Mais como química.

Eu chuto sua cadeira com tanta força que ele cai para
trás. — Cale a porra da boca.

Meu irmão sabe muito bem que isso não é uma piada. Ele
sabe o que ela fez. Pelo que ela é responsável.

A raiva se forma no meu estomago. Não sei por que ela


voltou e não me importo.

Dylan Taylor precisa sair de Royal Manor... para sempre.


A cadela já causou problemas suficientes para mim e minha
família.

Não vou dar a ela a oportunidade de fazê-lo novamente.

Royal hearts academy #1


A confusão grava as feições de Oakley. — Ela deixou a
cidade há muito tempo. Quanta histó...

— Não importa. — Pego seu baseado e dou uma longa


tragada. — Ela não vai ficar muito tempo.

Eu vou me certificar disso.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Passado…

Uma brisa suave acaricia meu rosto enquanto meu olhar


se desloca para a pequena figura sentada, sob uma sequoia
gigante.

Jace Covington.

Todas as outras crianças estão brincando durante o


recreio, mas como sempre, ele se mantém quieto.

Eu imaginei que sua introversão era por ser aluno novo,


tendo sido transferido para a minha escola não apenas
recentemente, mas também perto do final do nosso primeiro
ano no colegial. No entanto, ele está aqui há mais de dois
meses, e não fez nenhum amigo.

Não que eu esteja julgando. Morei em Royal Manor a vida


toda e ainda não me adaptei. Não tenho certeza se vou.

Minha terapeuta disse ao meu pai, que eu era reclusa


porque perdi minha mãe muito cedo. Segundo ela, perder
alguém tão importante dificulta a conexão com os outros.

Ela está errada, no entanto. Eu convivo com as pessoas


muito bem.

Contanto que não cheguem muito perto.

Quanto menos você sentisse por alguém... menos sua


ausência iminente machucaria.

Royal hearts academy #1


Sentindo-me fora do meu elemento, dou alguns passos na
direção dele, mas paro.

Não tenho certeza de que ir lá será uma coisa boa. Ele


parece preferir a solidão, algo com o qual posso me relacionar.

Meu coração aperta. Ele parece tão triste. Tão solitário em


um playground cheio de crianças.

Deixe-o em paz.

Mas eu não posso.

Há algo perigosamente enigmático em Jace Covington.

Suas bordas são afiadas como vidro quebrado...


impedindo que alguém se aproxime demais.

E enquanto a maioria das pessoas se afasta por medo de


ser cortada... quero mesclar meus pedaços quebrados com os
dele.

Ver que tipo de aliança nossas peças estranhas e


irregulares poderiam formar.

Cabeça erguida, eu caminho até ele. Jace ainda não sabe,


mas é meu novo melhor amigo.

Meu único amigo.

— Oi.

Cruzo os braços sobre o peito quando ele não retribui


minha saudação.

— Sou Dylan.

Silêncio.

Aqui estou, me aventurando longe da minha zona de


conforto, e ele está me ignorando.

Royal hearts academy #1


Irritada, bato meu pé. — Você está sendo muito rude.

Nada.

Com as mãos nos quadris, eu o encaro. — Vamos tentar


novamente. Oi, meu nome é....

— Eu sei o seu nome.

Olhos escuros e pensativos me encaram de volta, e mesmo


que seus lábios estejam torcidos em uma careta, eles indicam
um sorriso ameaçando romper a superfície. E Deus me ajude
se isso acontecer, porque meus joelhos estão começando a
tremer.

Precaução cintila em seu rosto. — O que você quer,


Dylan?

Eu pisco, sem saber como responder. — Nada. — Faço


um sinal para o local no chão ao seu lado. — Posso me sentar?

— Não. — Sua carranca se aprofunda. — Vá embora.

Eu engulo em seco. Obviamente, isso é um erro.

Giro os calcanhares, pretendendo voltar ao meu lugar


isolado perto da cerca.

— Espere, — ele grita quando estou a alguns passos de


distância. — Eu mudei de ideia.

Ele mudou de ideia?

Eu me viro para encará-lo. — Que pena. Talvez eu não


queira mais me sentar com um malvado como você.

E então acontece.

Aqueles seus lábios carnudos se partem em um grande


sorriso, revelando um conjunto de covinhas profundas.

Royal hearts academy #1


Meu coração dispara, batendo na caixa torácica como um
animal selvagem.

Como alguém tão lindo pode ser tão cruel? É um completo


paradoxo.

— Quantos anos você tem? Seis? Quem diz malvado?

Eu desço ao seu lado. Não vou deixar meu novo melhor


amigo me intimidar. — Eu digo. — Me concentro na coisa
pastosa que ele está pegando na lancheira aberta. — O que é
isso?

Como o toque de um botão, o sorriso deslumbrante se foi e


seu olhar se volta para dentro.

Somos amigos há apenas alguns segundos e eu já


estraguei tudo.

— Você não precisa me dizer.

— Kachori7.

Sua voz é tão baixa que quase não o ouço.

— O que é isso?

Ele encolhe os ombros. — Uma coisa que minha mãe


costumava fazer.

Seu uso do passado deveria parecer estranho, mas é


exatamente o oposto. É estranhamente familiar. No entanto,
não quero assumir o pior sem ter certeza.

— Por que ela não faz mais isso?

Minha pergunta permanece entre nós como um mau


cheiro, e eu imediatamente me arrependo de perguntar.

7 Kachori é um lanche apimentado, originário do subcontinente indiano, e comum em locais com


diáspora indiana e outra diáspora do sul da Ásia. Nomes alternativos para o lanche incluem 6, kachodi
katchuri e bolinho frito.

Royal hearts academy #1


Sei muito bem como é irritante quando as pessoas
bisbilhotam sobre minha mãe. Como é doloroso explicar que
eu não tenho mais uma... porque ela se foi para sempre.

Como arrancar uma casca de uma ferida que nunca irá


curar.

— Sinto muito. — sussurro e balanço a cabeça. Dizer que


sinto muito é inútil. Não traz as pessoas de volta. — Sinto
muito por dizer que sinto muito. Minha mãe... ela morreu
quando eu tinha oito anos.

Seus olhos cortaram para os meus. — Fica mais fácil?

Minha garganta trava e minha respiração congela. É uma


pergunta tão franca e não sei responder sem fazê-lo se sentir
pior.

Talvez eu devesse contar a ele a mesma coisa que meu pai


me contou. Que minha mãe é um anjo no céu e sempre
sentirei a sua presença.

Mas isso seria uma mentira. Eu não a sinto.

Eu nunca mais sentirei... porque ela nunca mais voltará.

— Não.

Ele assente, antes que eu possa detê-lo, coloca seu


kachori na grama e coloca o pé sobre ele.

— Não entendo como ela esteve aqui um dia e se foi no


outro. — Ele pisa as migalhas na terra. — Por que Deus nos
dá pessoas para amar, e depois as leva embora?

Gostaria de saber a resposta, mas não sei. Então, faço a


única coisa em que consigo pensar. Eu piso nas migalhas com
ele. A sua dor é a minha dor. E mesmo que não consiga
melhorar, posso deixar que ele saiba que não está sozinho.

Ele tem uma amiga... goste ou não.

Royal hearts academy #1


— Meu pai... ele chora à noite.

Concordo com a cabeça. Meu pai costumava chorar à


noite também.

— Ele acha que não posso ouvi-lo... mas eu o escuto. —


Ele faz uma pausa para olhar para mim. — Como devemos
passar por isso quando ele não consegue?

Sem esperar por uma resposta, ele rosna e pisa com mais
força. Eu sigo o exemplo.

Alguns minutos depois, o kachori não passa de poeira.

— Você gosta de videogame? — ele pergunta de repente.

Eu dou de ombros. — Alguns.

— Eu tenho um Xbox. — Ele me olha com cautela. —


Normalmente, jogo com meus irmãos Liam e Cole... mas acho
que posso deixar você jogar com a gente... às vezes.

Quero aceitar sua oferta sem entusiasmo, mas preciso


saber algo importante primeiro.

— Que tipo de música você gosta?

Música é minha terapia. Se Jace escuta música lixo, não


tenho tanta certeza de que nossa nova amizade sobreviverá.

— Rap.

Meu rosto cai. Apenas alguns rappers merecem meus


ouvidos, e a maioria dos grandes já está morto.

— E que tal rock?

Ele considera minha pergunta por um momento. — Na


verdade não. Isso depende.

Depende? Estremeço. É bom que somos amigos agora. Eu


posso colocá-lo no caminho certo.

Royal hearts academy #1


Pego a sua mão e a aperto. — Não se preocupe, Jace. Vou
consertar você.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Inspeciono cuidadosamente minhas mechas azuis


desbotadas no espelho. A garota no salão da minha tia era
boa, mas ela não conseguiu se livrar de todo o azul.

Infelizmente, a nova tonalidade desbotada é menos


perceptível depois que jogo meu cabelo em um coque, como
minha tia sugeriu. Combinado com o uniforme formal de RHA
que estou usando, é tudo o que posso fazer para não vomitar.

Normalmente, eu lutaria muito para não me conformar,


mas não quero dar trabalho para minha tia. Wayne é legal na
minha frente, mas sei que ele não ficou exatamente
empolgado, com a ideia de a filha de um condenado, ficar em
sua casa por um ano inteiro. Provavelmente demorou bastante
para convencê-lo.

Crystal parece aliviada quando me viro para encará-la. —


Eu mal posso ver. Você está bonita.

Ela sorri e por um momento meu coração lateja. Aos 28


anos, Crystal é apenas dez anos mais velha do que eu, e agora
ela me lembra muito minha mãe…

Não.

Respirando fundo, forço a dor o máximo que posso.

— Ela ficaria orgulhosa de você, Dylan.

Eu duvido disso. Na verdade, tenho certeza de que ela


soubesse que meu pai estava preso por peculato - o que vamos
ser honestos, é apenas uma palavra chique para roubo -
porque ele queria manter feliz sua interesseira esposa troféu -

Royal hearts academy #1


e eu estava me recusando a conversar com ele pelo resto da
eternidade, ela estaria rolando em seu túmulo.

Ou talvez não. É difícil dizer, já que nosso tempo juntas foi


tão breve.

Crystal me disse uma vez que minha mãe era forte,


inteligente, sensível e sarcástica. Quando perguntei se ela
havia acessado todos os adjetivos na letra S8 de um dicionário,
ela riu e disse que meu estranho senso de humor, também era
como o dela.

É realmente péssimo que eu nunca vá experimentar isso.


Mas essa é a vida... coisas ruins acontecem, e a única coisa
que você pode fazer, é lidar com isso.

Como estou desesperada para mudar de assunto, trago


meus planos para depois da escola. — Provavelmente chegarei
em casa um pouco tarde hoje à noite. Quero ir à procura de
emprego.

Ela levanta uma sobrancelha perfeitamente feita. — Você


não precisa se preocupar com dinheiro. Eu te disse...

Levanto uma mão, cortando-a. — Não. Não posso deixar


você fazer isso.

Aprecio sua oferta de pagar por tudo este ano, mas não
sou a filha dela.

Sou a dele.

E dado ao estado atual do meu pai sentado em uma cela, e


a sua casa junto com cada centavo que ele tinha, confiscado
pelo governo. Eu oficialmente não tenho escolha a não ser
prover para mim mesma.

8 Em inglês, todos os adjetivos citados começam com S. Strong, Smart, Sensitive e


Sarcastic. Por isso a piadinha do S.
Infelizmente se perde na tradução.

Royal hearts academy #1


Em breve, aos dezoito anos.

— É seu último ano, Dylan. Quero que você aproveite o


melhor momento da sua vida e que tenha tempo para estudar
para poder entrar em uma boa faculdade. — Ela suspira. —
No entanto eu sei que dizer para você não fazer algo, só a fará
querer ainda mais, então que tal chegarmos a um consenso?

Pego minha bolsa. — Estou ouvindo.

— Você pode trabalhar nos fins de semana e um dia


durante a semana. Combinado?

Balanço a cabeça. — Ninguém vai me contratar com esse


tipo de programação.

Os olhos dela brilham. — Bem, por acaso sei que a Sra.


Dickinson está procurando uma ajudinha extra no Top of the
Muffin. Posso passar por lá enquanto está na escola e dar uma
boa palavra por você.

— Top of the Muffin? — Deve ser novo, porque nunca ouvi


falar dele.

Ela ri. — É uma cafeteria... padaria. Não tenho muita


certeza para ser sincera. Mas a Sra. Dickinson é a velhinha
mais adorável. Você a amará.

Dou de ombros quando saio do meu quarto. — Se você diz.

Realmente não importa onde eu trabalho ou quão adorável


meu chefe é. Vou lavar banheiros, se for preciso. Um trabalho
é um trabalho.

— Oakley.

Royal hearts academy #1


Bato na porta dele novamente quando não responde. —
Vamos nos atrasar.

— O carro dele não está na entrada — diz Crystal atrás de


mim. — Eu acho que ele já saiu.

Claro que ele fez. O idiota.

Ela me leva escada abaixo. — Vou te dar uma carona.

Não sei por que minha tia estava tão preocupada com meu
cabelo quando parece que todas as outras garotas da RHA
estão violando o código de vestimenta da escola.

As saias xadrez são mais curtas que o sexo com o meu ex.

— Não fique nervosa — diz Crystal enquanto abro a porta


do carro. — Garanto que você será a garota mais popular aqui
até o final do dia.

Minha tia claramente não me conhece. Ela pode ter sido


popular no ensino médio, mas esses genes não foram
passados para sua sobrinha.

— Vejo você mais tarde. — murmuro por cima do ombro


enquanto saio de seu conversível.

Normalmente não sou uma pessoa ansiosa, mas odeio me


aventurar em território desconhecido e abomino totalmente ser
a garota nova.

Eu tive que fazer isso quatro anos atrás, depois que saí de
Royal Manor e o período de adaptação foi péssimo.

Pela aparência das coisas… essa merda vai ser muito pior.

Minha boca está seca enquanto atravesso o


estacionamento, que leva ao prédio bege de tijolos, com
arcadas altas.

Royal hearts academy #1


Até agora, não vejo ninguém que reconheço. Não que isso
importaria muito se fizesse. Eu não era exatamente a Srta.
Social.

De fato, o único amigo verdadeiro que eu já tive foi...

Meu coração bate no meu peito e meus joelhos travam,


quando me concentro na figura alta encostada em um Lexus
azul royal.

Jace Covington.

Minha respiração fica presa quando olho aqueles olhos


intensos, a pele bronzeada pelo sol, os lábios carnudos e a
barba escura roçando seu maxilar forte.

Jace sempre foi fofo, mas agora ele está…

Tão atraente que quase dói olhá-lo.

Balanço a cabeça, me sentindo uma idiota por comê-lo


com os olhos, como qualquer outra mulher nas proximidades.
Este é Jace. Meu Jace.

Como se ele sentisse minha presença, ele olha para cima e


sorri. Jesus. Esse sorriso é tão perigoso quanto ele.

— Hey, você... — ele fala arrastadamente, com uma voz


rouca que faz minhas bochechas esquentarem. — Há quanto
tempo.

E assim, todos os meus problemas, todas as coisas ruins


com as quais tenho lidado e mantido dentro não importam
mais.

Ele é minha pessoa. Ele sempre foi minha pessoa.

O único que pode me alcançar, quando desço demais para


a escuridão. Quando dói demais.

Royal hearts academy #1


Pela primeira vez em quatro anos, meu universo parece
certo novamente.

Dou a ele um sorriso tão grande que minhas bochechas


doem. — Eu sei...

Uma força passa por mim. — Muito engraçado. Eu estava


com você ontem à noite, bobo.

Coração alojado na garganta, assisto enquanto uma ruiva


alta e peituda vai até seu Lexus, deixando seu pequeno grupo
de amigas para trás, comendo poeira.

Náuseas se acumulam em mim quando ela se inclina para


beijá-lo. É preciso tudo em mim para não vomitar, quando
percebo quem ela é.

Britney Caldwell.

Mega rica. Mega popular. Mega vadia.

A garota - junto com seu rebanho de aspirantes a Britney -


me atormentou todas as chances que puderam no ensino
médio e fez da minha vida um inferno no primeiro ano do
colegial... e agora? Agora, ela está saindo com Jace.

Jace - que costumava enxugar minhas lágrimas, depois


que ela me provocava sobre a morte da minha mãe.

Meus pulmões queimam quando me forço a respirar


fundo. Eu sabia que as coisas seriam diferentes quando
voltasse à cidade, mas não tanto assim.

Felizmente, seu pequeno beijo é interrompido por um


BMW prateado, que zumbe pelo estacionamento, antes de
estacionar ao lado de Jace.

— E aí, filhos da puta? — Oakley os cumprimenta quando


sai do carro.

Royal hearts academy #1


Como uma cena de um filme, eu assisto enquanto Oakley,
outro cara, e a gang de garotas malvadas de Britney, formam
um círculo em torno de Jace e Britney.

Estou quase saindo quando meu olhar se depara com um


par de penetrantes olhos verdes, e maçãs do rosto afiadas.
Evidentemente, Jace não é o único que mudou. Mesmo que
eles não se pareçam, seu irmão mais novo, Cole, é tão bonito
quanto ele.

Diferentemente de Jace, que está silenciosamente


encostado no carro e observa todo mundo, Cole flerta
descaradamente com o grupo de Britney.

Nenhum deles parece se importar, no entanto. Muito pelo


contrário - eles estão absorvendo tudo.

Meu peito lateja então quando me bate. Há um irmão


Covington faltando.

Não conheço os detalhes, mas Liam, o gêmeo de Cole,


faleceu na mesma época em que saí da cidade.

Tentei entrar em contato com Jace, depois que vi alguém


postar RIP9 Liam nas mídias sociais, mas ele nunca respondeu
às minhas mensagens ou ligações.

Meu pai prometeu que faríamos uma viagem de volta a


Royal Manor, para que eu pudesse ver como ele estava se
saindo - mas como sempre, seu novo emprego e sua nova
esposa tiveram precedência sobre minhas necessidades.

Por mais que isso me mate, não posso culpar Jace por me
deixar de fora.

Jace sempre olhava por Liam, e eles eram próximos.


Perdê-lo deve ter sido absolutamente devastador. Como sua
melhor amiga, eu deveria estar lá por ele.

9
RIP, ou R.I.P, é a sigla para "Rest in Peace" que significa "descanse em paz", em português.

Royal hearts academy #1


Mas eu não estava.

E não importa por quê ou de quem foi a culpa. Tudo o que


importa é que não fui encontrada em nenhum lugar, durante
os momentos mais difíceis de sua vida. O tempo que ele mais
precisava de mim.

Arrumando meus ombros, começo a caminhar em direção


ao seu carro.

Eu sempre fui o tipo de pessoa que cuida das minhas


coisas. Portanto, mesmo que Jace não aceite minhas
desculpas, isso não tira o fato de ainda lhe dever uma.

Nenhuma pessoa olha para mim quando me aproximo do


seu pequeno círculo, o que é bom para mim.

Eu não estou aqui por eles.

— Hey.

Como se eu fosse invisível, Jace tira o telefone do bolso e


começa a digitar alguma coisa.

Ajustando a alça da minha bolsa, limpo a garganta e tento


novamente. — Escute, sei que você está ocupado, mas eu
esperava que pudéssemos conversar em particular por um
minuto.

Nada. É como se eu nem existisse.

O aborrecimento desliza pela minha espinha. Ele quer


guardar rancor? Bem. Essa é a sua prerrogativa. Porém eu me
recuso a ser tratada como uma cidadã de segunda classe, pelo
garoto que eu costumava chamar de melhor amigo e contar
todos os meus segredos.

Porra, vamos fazer dezoito anos em breve, não oito.

— Jace. — A mordida no meu tom faz todo mundo me


olhar.

Royal hearts academy #1


Todos, exceto ele.

— Me desculpe, querida. Você está perdida? — Britney


late. — É óbvio que ninguém aqui quer falar com você.

Abro a boca para responder, mas algo passa em seu olhar.


— Você parece familiar.

Não é de surpreender que uma cadela egoísta como ela,


não se lembre da garota que costumava pegar no pé.

Antes que eu possa informar Britney quem sou, sua boca


se abre de surpresa.

— Dylan Taylor. — Ela olha para sua legião com um


brilho malicioso nos olhos, antes de se virar para Jace. —
Vocês dois eram como melhores amigos há um tempo atrás,
certo?

Meu coração para quando seus olhos finalmente se


conectam com os meus.

— Não.

Doeria menos se ele enfiasse uma faca de verdade no meu


coração.

— Isso é mentira e você sabe disso. — sussurro enquanto


ele passa por mim.

Entendo que ele está com raiva, mas tem que haver uma
pequena parte dele que ainda se importa. Alguma lasca
debaixo do bloco de gelo que eu possa passar.

Lentamente, ele se vira. — Você está certa.

O sentimento ameaçador no meu estomago se intensifica


quando ele dá um passo à frente, diminuindo a distância entre
nós.

— Bem-vinda de volta, amiga.

Royal hearts academy #1


O sorriso que ele me lança é tão cruel que quase
estremeço.

— Droga. — Cole declara enquanto seu irmão se afasta


pela segunda vez. — Estar na lista de merda de Jace é.... —
Ele ri para si mesmo, enquanto passa um braço em volta do
ombro de uma garota. — Pensando bem... por que estragar
toda a diversão?

Eu olho para ele. Cole sempre foi um moleque arrogante,


mas evidentemente, isso foi atualizado para um completo
idiota crescido.

— Wow.

— Ew — Britney grita, olhando para a tela do telefone


com nojo. — Muito desesperada?

Eu não tenho ideia do que ela está falando. E não tenho a


chance de perguntar, porque ela joga a cabeça para trás, rindo
com suas companheiras enquanto caminham em direção ao
prédio. Meu primo imbecil nem sequer me poupou um olhar
de despedida, antes de persegui-los.

Por um momento, considero ligar para minha tia para me


buscar.

Não. Não lhes darei a satisfação de me irritar tão


facilmente.

Seja o que for, vai acabar logo. As fofocas do ensino médio


têm o prazo de validade das frutas. Sempre há um novo boato
que supera o anterior.

Meus passos são firmes enquanto entro.

Além disso, quão ruim poderia ser?

Royal hearts academy #1


JACE

— Obrigado pelo aviso, cara. — Oakley diz quando ele se


aproxima de mim.

O segundo período terminou apenas trinta segundos


atrás. As notícias saíram mais rápido do que eu pensava.

Por outro lado, os rumores de Britney tendem a se


espalhar rapidamente... assim como as suas pernas.

Mesmo assim, não sei por que Oakley está desperdiçando


seu tempo e o meu, com esse pequeno confronto em primeiro
lugar. Ele sabe muito bem que há uma chance melhor de ser
atingido por um raio duas vezes, do que eu pedir desculpas.

Eu fecho meu armário com força. — Se lhe dissesse com


antecedência, teria que ouvi-lo reclamar por um tempo ainda
maior.

Ele considera minha afirmação por um momento. — Tudo


bem, você tem razão. — Ele passa a mão pelo couro cabeludo.
— Mas agora Hayley está chateada, e ela não fala comigo.

— E isso é diferente de qualquer outro dia, por que?

— Porque ele estava tão perto de fazê-la concordar com


anal. — meu irmão Cole declara quando se junta a nós.

Oakley suspira quando começamos a caminhar pelo


corredor. — Vocês fizeram um pacto para estragar minha vida
hoje ou algo assim?

— Pare de ser tão dramático. — Cole encolhe os ombros.


— Na minha opinião, você perde uma namorada chata e ganha
uma prima esquisita e gostosa.

Royal hearts academy #1


Embora sua indireta tenha sido dirigida a Oak, ele olha
para mim em busca de uma reação.

Eu não dou a ele.

Cole sorri. — Se você não a quiser, eu posso dar um jeito


nela.

Antes que possa dizer para ele se foder, uma morena


gordinha de óculos de aro preto, que está carregando uma
pilha de livros, tromba com ele.

Cole faz uma careta. — Olhando por onde anda?

— Sim, eu ando com meu Senhor e Salvador todos os dias.


— a garota fala baixinho enquanto fixa os óculos.

Meu irmão abre a boca e a fecha, parecendo visivelmente


desconfortável.

A menina dá um falso sorriso doce. — Mas ele está de


folga agora. Portanto, coma merda e não enche, Covington.

— Jesus. Ela é irritante! — Cole rosna depois que ela se


afasta.

— Cuidado... — Oak zomba. — Seu Senhor e Salvador


pode ouvi-la.

Cole acena com o dedo médio, antes de entrar na sala de


aula.

— Olha, — Oakley diz quando chegamos à nossa próxima


aula. — Eu vou acompanhar o boato, porque quero que a
cadela de cabelos azuis também se vá, mas vou precisar que
você me faça um grande favor, e esclareça isso com a Hayley.

Não sei o que está acontecendo com ele ultimamente, mas


está mais dependente dela do que o habitual.

Royal hearts academy #1


Bem, sempre que ele não está em algum lugar,
estupidamente chapado.

Eu decido jogar um osso para ele. — Tudo bem. —


Examino a sala de aula para ver se Dylan já chegou. Ainda
não.

— Mas não até amanhã.

Até lá, ela já terá partido há muito tempo.

Royal hearts academy #1


DYLAN

O banheiro das meninas em uma escola é o equivalente a


uma zona de guerra.

Metade das meninas são as que falam merda... a outra


metade são os alvos.

E as poucas que não se encaixam nas opções acima são os


infortúnios - elas não querem participar do drama, nem o
defender.

Elas só querem fazer xixi em paz.

Geralmente sou um infortúnio. Mas não hoje.

Hoje, sou a garota que tem um alvo nas costas do


tamanho do Texas.

Tudo porque Oakley teve que abrir sua boca estúpida, e


dizer a todos que dormimos juntos. O que foi uma merda da
parte dele, considerando que foi ele quem me pediu para ficar
quieta, sobre me receber com um pau duro.

— Quero dizer, sério... — alguma garota do outro lado do


banheiro fala. — Quem dorme com o seu fodido primo? Tão
nojento.

Eu cerro os dentes enquanto termino meus negócios na


cabine.

— Ouvi dizer que ela é nova, — outra garota entra na


conversa. — Talvez seja de um desses estados de caipiras?

Reviro os olhos com tanta força que fico surpresa por não
ficar cega. Não sei mais o que me irrita. Os estereótipos, ou o
fato de ela se referir a mim como nova.

Royal hearts academy #1


— Eu acho que vocês estão sendo muito duras com ela, —
uma terceira garota se interpõe.

A esperança nasce eterna... até que ela termina sua frase.

— Oakley é quente. E antes que vocês duas me fritem, - eu


sei que ele é um cabeça de vento e não vai a lugar nenhum na
vida... mas primo ou não, eu não perderia a oportunidade de
pular em cima dele as escondidas, se tivesse a chance.

Ew. Ainda bem que estou perto de um banheiro.

O riso ecoa nas paredes.

— Não se preocupe, Gina, — uma delas garante. — Tenho


certeza de que você terá sua chance em breve. Ele distribui
aquele pau grande e chapado dele, como doces no Halloween,
sempre que ele e Hayley terminam.

Mais risadas desagradáveis.

Jesus. Elas são tão boas em fofocar e julgar, que deveriam


considerar estrelar um reality show de TV.

Estou prestes a sair e pôr um fim ao seu bate-papo, mas a


próxima frase me interrompe.

— Falando em casais, qual é o lance entre Jace e Britney?

— Eu não sei, — alguém diz com um suspiro. — Acho que


Brit-Brit finalmente pegou seu homem em um longo cabresto.
Eles estavam muito próximos esta manhã.

Os pêlos na parte de trás do meu pescoço formigam. Eles,


com certeza, estavam.

— Nah, eu não acredito nisso. Todo mundo sabe que Jace


Covington não tem relacionamentos... nem mesmo com
garotas populares como Britney.

Royal hearts academy #1


Considerando como eles estavam se beijando e flertando
esta manhã, isso é um pouco... estranho.

Eu guardo esse novo núcleo de informações para mais


tarde.

— Verdade. — Ouço o farfalhar de toalhas de papel. —


Pelo menos tem Cole. Ele não é Jace, mas é o mais próximo
que qualquer uma de nós vai chegar.

Ugh. Essas garotas são terríveis.

— Ficarei feliz em levar Cole como prêmio de consolação.


— Ela ri. — Porra, se ele não fosse um júnior ou um galinha,
ele provavelmente seria melhor do que Jace.

— Verdad...

O olhar de surpresa em seus rostos me diz que eu as


peguei desprevenidas.

— É a foda do primo — uma delas, pelos sons, Gina


grita/sussurra.

Elas olham para mim com os olhos arregalados, mas eu


mantenho meu comportamento impassível, enquanto ando até
a pia para lavar as mãos.

— Me certificarei de falar bem de vocês com o Oakley...


desde que somos tão próximos e tudo isso...

Suas expressões mudam de curiosas para horrorizadas.

Algumas pessoas correm e se escondem ao primeiro sinal


de um escândalo. Eu não.

Prefiro confrontar os idiotas responsáveis por espalhar os


rumores de frente. Ver do que eles realmente são feitos por
baixo de todas as extensões de cabelo, sutiãs e maquiagem.

Royal hearts academy #1


— Estamos atrasadas para a aula. — declara a loira alta
antes de correrem furiosamente para a porta.

Chocante.

As pessoas raramente têm coragem de dizer a merda que


cospem pelas suas costas, na sua cara.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Passado…

— Eu peguei seu namorado encarando os peitos de


Britney na aula de ginástica hoje.

Dado que Britney é a única garota no primeiro ano com


peitos tamanho GG, não estou surpresa. Especialmente
porque ela adora exibi-los em seus tops apertados e decotados,
sempre que a oportunidade surge.

Há rumores de que ela está de olho em Jace, e quer que


ele a convide para o próximo baile de final de ano, mas ele me
disse que não gosta dela.

Meu carrasco terá que tentar outra tática para chamar


atenção para si.

Engolindo meu aborrecimento, me viro para encarar


Tommy DaSilva.

Com seus olhos escuros em forma de amêndoa, cabelo


preto brilhante e pele bronzeada graças à sua descendência
meio japonesa/ meio brasileira - muitas garotas da minha
série têm uma queda enorme por ele.

Mas eu não.

O dia em que ele tirou sarro do irmão mais novo de Jace,


Liam, ele se tornou oficialmente o arqui-inimigo de Jace.

O que automaticamente o torna meu também.

Royal hearts academy #1


Ele sorri. — Ele planeja convidá-la para o baile na próxima
semana.

Apesar de saber melhor, meu estômago cai.

Não importa o quanto eu tente empurrar para baixo os


sentimentos novos e intensos que desenvolvi por Jace... eles
não vão embora.

Eles só estão ficando mais fortes.

Desviando o olhar, continuo organizando os suportes no


armário da sala da banda. O Sr. Rigo sabe o quanto eu amo
qualquer coisa relacionada à música, então ele geralmente me
deixa ficar depois do ensaio e da limpeza.

— Você deve estar perdido, Tommy. A última vez que


verifiquei, as aulas de tutoria depois da escola, eram
realizadas na cafeteria.

Tommy é legal de se ver, mas ele não é muito inteligente.


Tem problemas em quase todas as suas aulas, e foi pego
colando nos testes mais de uma vez.

Sobrancelhas franzidas, ele cruza os braços. — Por que


você é sempre uma vadia comigo?

Ele está parado na frente da porta, mas tento passar por


ele. — Você sabe o porquê.

Sua mão envolve meu pulso. — Porque seu namorado


estúpido, diz que você não tem permissão para falar comigo?
— Nojo varre por seu rosto quando ele me solta. — Ele te dá
um petisco, depois que você senta e rola?

O idiota está muito fora de linha. — Jace não é meu


namorado e eu não sou o animal de estimação dele. A razão de
não falar com você, é porque você é um idiota.

Royal hearts academy #1


Ele estuda meu rosto atentamente. — Eu já fui mal com
você?

Tommy não, mas isso não importa. Ele é mau para os


outros. Particularmente, Liam.

Desde o momento em que o irmão mais novo de Jace


pisou em nossa escola, ele foi o alvo de Tommy.

No entanto, Liam é tímido e ansioso demais para se


defender, e como seu irmão gêmeo Cole não é do tipo que luta
nas batalhas de ninguém, cabe a Jace vigiá-lo.

— Você é mau com Liam.

Diversão ilumina suas feições. — Não me diga que você


gosta do gaguinho.

Não, mas como sempre, Tommy está perdendo o objetivo.


— Prefiro passar a vida inteira em um armário com ele, do que
mais cinco segundos presa aqui com você. — Rosno. — Agora
saia do meu caminho.

Seus olhos estreitam quando se afasta e eu manobro por


ele.

— Dylan, espere... — ele bufa enquanto eu vou para a


saída. — Não vou mais tirar sarro do história.

História é o apelido que Tommy arrumou para o irmão de


Jace. Ele diz a todos que é porque a história sempre se
repete... assim como o Liam.

— Pare de chamá-lo assim — assobio.

— Okay.

Faço uma pausa, sem saber se o ouvi corretamente. —


Mesmo?

Royal hearts academy #1


— Se é isso que você precisa para ser legal comigo. — Ele
me dá um sorriso torto. — Eu até vou me desculpar.

Estou completamente pasma. — Você vai se desculpar


com Liam?

Um sentimento estranho percorre meu estomago quando


ele assente. Tommy não me parece o tipo de cara que faz algo
decente, sem querer algo em troca.

— Por qu...

— Como eu disse antes. — Ele se aproxima


desconfortavelmente. — Se você for legal comigo... eu serei
legal com ele. Entendeu?

Eu engulo em seco. O subtexto é alto e claro -


simplesmente não entendo o porquê. Passei a maior parte da
minha vida evitando-o, em vez de me envolver com ele.

— Qual é o seu problema, Tommy? Por que você quer


tanto ser meu amigo?

Seu olhar cai para os meus lábios. — Ele já te beijou?

Só em meus sonhos.

Minhas bochechas ficam quentes e o empurro para longe.


— Isso não é da sua conta.

Tommy ri enquanto caminha até a porta. — Te vejo por aí.

— Tommy DaSilva me disse que vai pedir desculpas ao


Liam.

Estou na casa de Jace há quase uma hora, refletindo


sobre quando eu deveria mencionar meu encontro com seu
rival, depois da aula.

Royal hearts academy #1


Estou perdendo o estúpido jogo de batalha de zumbis
mais uma vez.

Os dedos de Jace congelam no controle brevemente antes


de pressionar pausa. — Quando você falou com Tommy?

— Hoje... — engulo em seco. — Depois da escola.

Eu não sou o animal de estimação do Jace, como Tommy


sugeriu... mas não há como negar o intrínseco senso de
lealdade, que tenho com ele. No entanto, essa lealdade é nos
dois sentidos. Jace está sempre lá para mim, sempre que
preciso dele.

— Bem, depois do ensaio da banda — eu esclareço.

Não sei o que pensar da sua expressão. Somos opostos


dessa maneira. Enquanto eu sou um livro aberto, Jace usa
uma máscara de aço.

Combina com o campo de força que o rodeia.

O que ainda não consigo penetrar, apesar de sermos unha


e carne há mais de dois anos.

Sua expressão permanece neutra, mas a suspeita está


praticamente saindo dele em ondas. — Tommy não está na
banda.

Como não tenho nada a esconder, não tenho problema em


dizer a verdade. Mas preciso agir com cuidado, pois não quero
piorar a briga deles.

— Eu sei. Fiquei depois para limpar, e ele acabou se


juntando a mim no armário.

Aqueles olhos escuros praticamente queimam através de


mim. — Então, vocês dois fizeram planos de ficar sozinhos em
um armário juntos?

Royal hearts academy #1


Parece que uma pedra está presa dentro da minha
garganta. — Não. Não foi assim. Eu não... nós não fizemos
planos para sair. Eu não gosto do Tommy.

Como eu poderia, quando Jace segura meu coração na


palma da mão?

— Então por que vocês dois estavam sozinhos em um


armário… falando sobre meu irmão?

Oh, Deus. Eu sei que ele é protetor de seus irmãos, mas


Jace está agindo como se eu tivesse cometido traição.

— Olha, o que quer que você está pensando, pare. Eu


estava organizando os itens de música nos suportes do
armário, quando Tommy se aproximou de mim. Eu tentei sair,
mas ele estava em pé na frente da porta...

— O quê? — As veias em seus antebraços incham quando


as mãos dele se fecham. — Ele fez uma armadilh-

— Não. Você pode me deixar terminar?

Por mais que eu goste do lado protetor de Jace, não quero


que ele vá atrás de Tommy. O idiota finalmente concordou em
parar de tirar sarro de Liam. Além disso, Jace já foi suspenso
uma vez este ano, por espancar Tommy.

A máscara impermeável que ele veste se encaixa


novamente, quando coloca o controle no chão ao seu lado. —
Continue.

Pego um pedaço de linha no meu jeans. — Tommy queria


saber por que eu era má com ele, e eu disse que era porque ele
zombava de Liam o tempo todo, e eu não gostava disso. —
Olho para Jace. — Quando comecei a sair, ele disse que seria
mais gentil com Liam. Ele até se ofereceu para se desculpar.

Sua mandíbula estala. — Isso não parece o Tommy.

Royal hearts academy #1


— Eu sei. Eu pensei a mesma coisa. Mas quando
perguntei sobre sua súbita mudança de coração, ele disse que
queria que fôssemos legais. — Eu dou de ombros. —Acho que
ele está cansado de ser um idiota o tempo todo, e precisa de
um amigo.

Eu não sou corajosa o suficiente, para mencionar a parte


sobre ele querer saber se Jace me beijou.

Jace bufa. — Não. Ele está mexendo com você.

— Mexendo comigo como?

Aborrecimento varre suas feições. — Ao fazê-la pensar


que ele gosta de você. — Ele tira o controle remoto do chão. —
Ele sabe que somos amigos. Está apenas fingindo gostar de
você para tentar conquistá-la, e me irritar. Ignore-o se ele
tentar falar com você novamente. Eu vou resolver isso
amanhã.

Um sentimento estranho se forma na boca do meu


estômago. Não é que Jace não esteja certo. Tommy
provavelmente está me usando.

Mas o jeito desdenhoso em que ele está sugerindo que


Tommy não poderia gostar seriamente de mim...

É como se a noção de que alguém tivesse sentimentos por


mim, fosse totalmente ridícula.

— Por que você não está jogando? — Jace pergunta


depois de alguns minutos.

— E se ele não estiver? — eu sussurro. — E se Tommy


realmente gosta de mim?

Jace revira os olhos. — Ele não gosta, confie em mim. Não


é possível.

Ouch. A sensação de afundamento no meu estômago viaja


para cima, até envolver meu coração.

Royal hearts academy #1


Eu tenho que sair... antes de me fazer uma idiota ainda
maior.

Quando eu era adolescente, minha tia Crystal me avisou


que os próximos anos, seriam alguns dos melhores e piores da
minha vida.

Quando perguntei por quê, ela me disse que era a hora em


que a maioria das meninas tinha suas primeiras paixões,
primeiros beijos e primeiros amores... seguidos por seu
primeiro coração partido.

Eu no entanto, pensei que estava segura, porque a pessoa


a quem dei meu coração... era meu melhor amigo.

E os melhores amigos não têm permissão para partir seu


coração.

É contra as regras.

— Whoa. Onde você está indo? — Jace pergunta quando


me levanto. — Finalmente chegamos ao próximo nível de
Zombie Warfare. Estamos perto do apocalipse.

A ironia. Eu tenho certeza que é isso.

— É realmente tão difícil acreditar que alguém possa estar


interessado em mim? — A pergunta surge das minhas cordas
vocais como vômito de palavras.

Ele agarra a parte de trás do pescoço enquanto se levanta,


parecendo tão desconfortável quanto eu... Ótimo.

— Eu não... o que diabos está acontecendo com você, D?

Deus, ele realmente não sabe. Minha visão fica turva e eu


fecho meus olhos. Por que ele?

— É porque eu não tenho peitos enormes como a Britney?

Royal hearts academy #1


O desgosto passa por mim quando a primeira lágrima
desce pela minha bochecha, mas não consigo parar.

Acontece que há algo ainda pior do que o amor não


correspondido.

Ser forçada a fingir que isso tudo não existe.

Meus sentimentos por Jace estão lentamente me comendo


viva... e não é justo que eu seja forçada a lidar com eles.

Jace - que sempre parece despreocupado e no controle -


parece tão confuso que quase me sinto mal por ele. — O que
os peitos de Britney têm a ver com qualquer coisa?

Ugh. Ele está agindo tão burro que eu poderia gritar. — Se


eu parecesse com Britney, seria mais fácil para você acreditar
que Tommy está afim de mim?

Aborrecimento brilha em seu rosto. — Você gosta do


Tommy? É por isso que está tão brava comigo?

Eu nunca quis tanto dar um soco em alguém antes. Talvez


se eu desse, isso finalmente lhe traria algum sentido.

— Eu já te disse, não gosto de Tommy. Eu gosto de voc....

— Jesus! Pare de estragar tudo! — ele retruca. — Somos


amigos, Dylan. Isso é tudo que sempre seremos.

Nós olhamos um para o outro pelo que parece uma


eternidade, enquanto a magnitude total de sua explosão se
infiltra.

Jace não se sente como eu. Longe disso.

Puta merda. Seria mais humano se Jace arrancasse meu


coração palpitante, e o espancasse com um martelo.

Royal hearts academy #1


Eu limpo minhas lágrimas com as costas da minha mão. A
única coisa pior do que um coração partido, era chorar na
frente da pessoa responsável por isso.

A dor cresce no meu peito, e respiro fundo. Na minha


opinião, só tenho duas opções. Um - eu posso enfiar meu amor
o mais fundo que puder. Continuar fingindo que não sinto
nada por ele.

Mas eu cansei de fingir. E agora que tudo o que tenho


guardado lá dentro veio à tona... E é um longo caminho para
baixo.

Por tanto tempo, nunca poderemos voltar ao local em que


começamos.

Nossa amizade está condenada.

O que deixou apenas a opção número dois. Eu preciso


descobrir o porquê. Dado que Jace claramente já está decidido
sobre a impossibilidade de sermos mais do que somos, eu
mereço ouvir todas as razões, pelas quais não podemos estar
juntos.

— Por quê? — eu sussurro.

Minhas cordas do coração não estão mais puxando... elas


estão penduradas por um fio amarrado a Jace Covington.

A sua garganta balança. — Porque somos amigos.

Eu odeio a maneira como ele enfatizou a palavra amigos.


Num piscar de olhos, ele conseguiu transformar um positivo,
em um negativo.

Aparentemente, meu coração também não é fã da resposta


dele porque tenho vontade de ir mais fundo.

— Você prefere namorar alguém com quem não se dá


bem?

Royal hearts academy #1


Ele balança a cabeça.

Dou um passo em sua direção. — Você gosta de estar


comigo?

Ele concorda. Eu dou outro passo.

Meu pulso está batendo tão forte que ecoa nos meus
ouvidos. — Você fica feliz quando saímos juntos? Eu torno o
seu dia um pouco melhor?

— Não. — Meus pulmões congelam... até que ele olha


para mim. — Você o torna muito melhor.

Se isso é verdade... Então só poderia significar uma coisa.

— Não sou bonita o suficiente para você?

Eu não sou linda como Britney. Tanto a minha altura,


como meus recursos são perfeitamente comuns. Meu nariz é
um tamanho padrão. Minhas maçãs do rosto não são
esculpidas em pedra. Meus olhos são azuis, mas não azuis
penetrantes. Um punhado de sardas polvilha a ponte do meu
nariz e bochechas, mas são quase imperceptíveis e só
aparecem quando passo um tempo ao sol.

Infelizmente minha característica mais notável, é a


covinha no meio do meu queixo.

Aquela que fez Britney me chamar de nomes estúpidos


como queixo de cú.

Mesmo em raras ocasiões em que me envolvia em


maquiagem, nunca fui um nocaute.

Uma vez minha tia se referiu a nossa aparência, como do


tipo a garota da porta ao lado, fofa e doce. Ela alegou que era
uma coisa boa, mas eu discordo.

Sou uma garota medíocre, com peitos pequenos e um


corpo magro, quase sem curvas.

Royal hearts academy #1


Medíocre não é sexy. É básico e chato.

O constrangimento torce minhas entranhas. — É isso, não


é?

Jace não está atraído por mim. Minha aparência comum é


um fator decisivo para ele.

O idiota é mais superficial do que eu pensava.

Então novamente, sua mãe era uma ex-atriz de Bollywood.


Eu já vi algumas fotos dela... mesmo antes de sua morte, ela
parecia um anjo.

Caramba, a família inteira de Jace - com exceção do pobre


Liam, que teve algumas cicatrizes, do acidente de carro que
matou sua mãe - é impecável.

Não é à toa que ele não quer alguém como eu. Nós não
estamos no mesmo patamar.

— Não é isso. — Sua voz é tão baixa que mal posso ouvi-
lo.

Eu me aproximo. — Então, o que há de errado comigo?

Odeio parecer tão desesperada, mas preciso do meu


melhor amigo para me fazer entender, como é possível eu
sentir tanto por ele... enquanto ele não sente nada por mim.

O pequeno espaço entre nós se aperta, quando coloco


minha mão em seu peito. Seu coração está batendo ainda
mais rápido que o meu.

— Nada. — Uma respiração pesada se aloja na minha


garganta quando a sua mão roça no meu quadril. — Você é
perfeita.

A tensão paira no pesado silêncio entre nós. É óbvio que


Jace está lutando contra isso, só não sei o por quê.

Royal hearts academy #1


O calor sobe para minhas bochechas e minhas mãos ficam
suadas. É agora ou nunca neste momento, e se eu estiver
descendo com tudo, posso muito bem balançar as coisas.

— Eu nunca te dei seu desafio.

Jace e eu temos um jogo estúpido que jogamos. Toda


sexta-feira antes do término das aulas, trocamos notas com
desafios que devem ser concluídos até o final da próxima
semana.

Geralmente, eles são desafios inofensivos e grosseiros.


Coisas como comer um inseto ou terminar uma torta, uma
pizza inteira e dois copos de leite em noventa minutos.

Se você se recusar, terá que limpar o quarto do outro e


responder a uma pergunta pessoal, geralmente embaraçosa,
da escolha do outro.

Para nossa sorte, somos competitivos e raramente


perdemos.

Nos últimos três meses, tive um certo desafio fazendo um


buraco proverbial no meu bolso... mas sempre me acovardei.

Hoje não.

Com os dedos trêmulos, pego a nota dobrada dentro do


bolso.

A mão no meu quadril aperta. — Não faça isso, D.

Muito tarde. Desdobro o papel e seguro-o.

Te desafio a me beijar.

Seus traços se contorcem de dor, apesar do aperto em


mim. — Não.

Royal hearts academy #1


— Se você é tão inflexível, que tudo que sempre seremos
não passará de amigos, um beijo estúpido não deve ser um
problema.

Silêncio.

É difícil argumentar com a lógica.

É ainda mais difícil argumentar com ciúmes.

— Se o pensamento de me beijar te dá nojo, eu vou só


pedir ao Tomm...

Paro de respirar quando suas mãos emolduram meu rosto.


— Não.

— Por quê?

— Porque você não pertence ao Tommy. — Suas narinas


se abrem. — Ele não pode ter você.

— Então você não me quer, mas ninguém mais pode me


ter? É isso?

Dedos longos envolvem a parte de trás do meu pescoço,


me puxando para mais perto. — Eu nunca disse que não
queria você. — Seu rosto fica tenso quando ele afunda a testa
na minha. — Eu disse que nunca poderíamos ser mais do que
amigos.

Ele está falando em círculos. Nos colocando em


turbulência sem motivo. A solução é simples. Literalmente
bem na nossa frente.

— Me beije, Jace.

— Não.

Irritação ondula através de mim. Estou ficando cansada


desses sinais mistos estúpidos, que são impossíveis de
decodificar.

Royal hearts academy #1


— Então me deixe ir.

Seu olhar cai para os meus lábios e ele se inclina.

Antes que eu possa piscar, seus lábios escovam nos meus


em um sussurro de um beijo.

Eles se foram tão rapidamente.

— Consegui! — declara Jace, dando vários passos para


trás.

— Conseguiu o quê? — pergunta Cole, tirando as


palavras da minha boca.

Jace levanta o dedo brevemente e depois o limpa nas


calças. — Dylan tinha um cílio nos olhos. Você sabe que bebê
ela é, quando se trata dos olhos.

Cole assente. — Ela é a pior. Não conseguia nem sentar


para assistir Jogos Mortais 4 sem ficar enjoada.

Jace ri enquanto eu atiro aos dois olhares sujos.

Liam me dá um sorriso simpático. — Eu t-t-t-ambém n-n-


n-n-não g-g-gosto de coisas n-n-n-nos olho-s-s, D-D-Dylan.

— Sim, eles são nojentos. — Volto minha atenção para


Jace. — Hum. Nós podemos...

— Eu pensei que você estava saindo? — Ele desvia o


olhar. — Tenho merda para fazer de qualquer maneira, então
você provavelmente, deveria ir.

Nós dois sabemos que Jace não tem nada a fazer. Eu li o


idiota alto e claro.

— Certo. — Pego meu casaco. — Até a próxima.

— E-e-e-espera, — Liam chama. — V-v-você p-p-poderia


s-s-sair c-c-comigo.

Royal hearts academy #1


Normalmente aceito a oferta de Liam, mas não quero estar
perto de Jace.

— Obrigada, Liam. Talvez na próxima vez.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Acontece que há coisas piores em RHA, do que o banheiro


das meninas.

Como chegar atrasada para a aula.

Ignorando as gotas de suor escorrendo pelas minhas


costas, eu rapidamente digitalizo a sala, com quem suponho
que seja a professora - já que ela está de pé na frente da sala
com uma carranca no rosto e tudo - suspirando exasperada.

— A aula começou há três minutos. — ela me informa


bruscamente, enquanto vou direto para o assento livre mais
próximo, no fundo da sala.

Todo mundo me estuda como se eu fosse um novo


micróbio em uma placa de Petri, e ando ainda mais rápido. —
Descul-

— Mexa-se — uma voz rouca explode, no segundo em que


minha bunda bate no assento.

Quando viro a cabeça para a direita, não sei se rio ou se


choro.

Jace está caído sobre sua mesa... olhando furiosamente


para mim. — Consiga um novo lugar. Agora.

Respire, Dylan.

Eu o olho bem nos olhos. — Não. Estou bem aqui.

Aqueles lindos olhos dele escurecem quando ele se senta.


— Confie em mim, você não está. Faça um favor para nós dois,
e sente-se em outro lugar.

Royal hearts academy #1


— Há algum problema, Sr. Covington? — a professora diz.

Ele volta sua atenção para ela. — Sim. Esta vad-

— Me force.

Se já não estivesse ciente de que todos estavam assistindo


a nossa troca, eu estaria agora.

A voz de Jace cai sugestivamente e meu coração acelera


por um motivo diferente. — Isso envolveria te tocar. — Sua
boca se curva em um sorriso de nojo, quando nossos olhos se
conectam. — Passo.

Eu me forço a fingir que deu ataque não dói como o


inferno. — Bom. — Endireito a coluna e olho para frente. —
Então, sentar ao meu lado não deve ser um problema.

Estou cutucando o urso, mas não me importo mais. Está


claro que ele não é o mesmo Jace. E o idiota que tomou o seu
lugar pode se foder.

Estou pegando meu tablet para fazer anotações, quando


ele fala novamente.

— Você está certa. Imaginei que poderia querer sentar ao


lado de Oakley.

Risadas suaves enchem a sala de aula. O órgão no meu


peito torce com sua traição.

Jace chuta a mesa do outro lado dele, e um Oakley grogue


sai do seu sono. — Já acabou? Podemos pegar panquecas?

Os engraçadinhos começam a rir... até o agravamento


nublar os traços de Jace. — Acho que Dylan quer sentar perto
de você, Bro10.

Uma pessoa surda podia ouvir a implicação, alta e clara.

10 Contração para Brother.... Irmão, parceiro.

Royal hearts academy #1


Meu estômago revira. Eu acho que Dylan prefere comer
terra. — Não-

— Tenho um assento em que ela pode sentar... — diz


Oakley, me cortando. — Novamente.

Alguns caras estendem a mão para lhe dar um high five,


enquanto um grupo de meninas balança a cabeça em
consternação, antes de me dar um olhar de repulsa.

Oakley ri e ganha High fives, enquanto eu ganho aversão.

Mesmo que o boato que ele começou, tenha um impacto


sobre nós dois. Padrão de critérios ambíguos?

Pelo canto do olho, noto Jace olhar na minha direção.


Esperando.

Esperando que eu desmorone... ou melhor ainda - saia do


fundo do poço e grite obscenidades para Oakley, em nome de
me defender.

Faça um show e alimente o drama.

Porque é isso que essas pessoas mais amam.

Minha garganta fica apertada quando olho para o meu


tablet.

Eu não estou dando a essas pessoas merda.

E Jace não terá uma reação minha, até que ele use sua
boca imbecil para me dizer, por que me odeia tanto.

Royal hearts academy #1


JACE

— Como eles esperam que sejamos saudáveis, quando


servem porcarias como pizza e macarrão gourmet? — Britney
lamenta antes de apontar o dedo para a amiga, parada do
outro lado da mesa. — Não coma isso, Hayley. Você estava
desleixada ontem no treino de animadoras. Deixe os
carboidratos.

Se eu fosse Hayley, diria a Britney para calar a boca e


comeria minha escolha. Mas como a leal e patética seguidora
de Britney que ela é, Hayley coloca sua garfada de linguine
para baixo. — Sim, você está certa. — Ela dá a Oakley, que
está sentado ao lado dela, um olhar fedorento, enquanto
empurra a bandeja para a frente. — Acabei me estressando
ultimamente.

Chapado como o inferno e perspicaz como o caralho, Oak


investe em seu prato. — Mais pra mim.

— É totalmente compreensível, — Britney fala com


simpatia. — Mas só porque sua vida é um desastre de trem,
não significa que você precise se parecer com um. — O seu
olhar pega algo, e ela ri. — Exemplo A.

Velhos hábitos morrem com dificuldade, porque minha


reação inicial, é colocar Britney em seu lugar. Felizmente, eu
recupero meus sentidos.

Vou dar crédito a minha antiga amiga. Ela durou mais que
a maioria.

Eu reprimo a vontade de rir enquanto a vejo procurar pela


cafeteria um lugar para sentar. Ela ainda não está no ponto de
ruptura, mas parece fora de si.

Royal hearts academy #1


E nervosa.

Os fones de ouvido, e o fato de estar cantarolando a letra


de uma de suas músicas favoritas, são dicas fatais.

"The Middle" de Jimmy Eat World. A música foi lançada


no mesmo dia em que ela nasceu. E oito anos antes de sua
mãe morrer.

Mas ninguém mais saberia essas coisas sobre Dylan.

A menos que a conheçam como eu. Como pensei que


conhecia.

Britney faz uma careta. — Sua bolsa é pré-histórica, seus


Doc Martens são um desastre da moda emo, e aquele esfregão
na cabeça parece um cone de neve azul... depois que alguém
vomitou.

Toda essa merda pode ser verdade, mas garanto que


Dylan não dá a mínima para o que alguém pensa sobre sua
aparência.

— Eu sei... — Hayley gorjeia. — Sério, quem diabos usa


botas de combate? Ela vai o que... se juntar ao exército?

— Só se pode esperar. — Britney murmura com um


dramático revirar de olhos.

Sua amiga, Morgan, ri como se fosse a coisa mais


engraçada que ela já ouviu. — A garota é uma perdedora. Uma
tragédia que seu uniforme é a coisa mais estilosa que ela
possui.

Britney pega o telefone e tira uma foto de Dylan. — Eu


tenho que postar isso no Instagram. — Ela sorri para a tela.
— Dylan Taylor, a foda de primo favorita de RHA. — Seu nariz
enruga quando suas amigas pegam seus próprios telefones. —
Eu não queria ser rude, então a marquei. Acha que ela vai se
importar?

Royal hearts academy #1


Eu mal consigo parar o gemido apresentado na minha
garganta. Normalmente sou capaz de descartar todas essas
besteiras idiotas, mas o tópico de discussão é a garota que
odeio.

Está tomando quase toda a minha força de vontade para


não jogar o punho na mesa, e depois bater a pessoa mais
próxima na cabeça.

Em vez disso, faço a próxima melhor coisa. Observo


enquanto Dylan carrega sua bandeja, olhando para a caixa
com os olhos arregalados enquanto ela paga — porque a
merda gourmet que eles servem aqui é cara pra caralho,
mesmo para os nossos padrões — então espero que ela passe
por mim.

Um segundo antes dela passar, eu tiro a bolsa de Britney


debaixo da mesa.

Dylan cai como uma pilha de dominós.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Foi uma má ideia pedir espaguete e almôndegas para o


almoço.

Tenho certeza de que o tom vermelho-laranja do molho de


tomate em que estou me atrapalhando, vai combinar bem com
minha camisa branca de botões.

Foda-se. Minha. Vida.

Pelo menos, posso me consolar com o fato de uma parte


da minha refeição estar respingada na bolsa mensageiro de mil
dólares da coleção Burberry, de Britney.

Vadia.

Mas por mais que eu queira bater na bunda dela por me


fazer cair intencionalmente, não vou dar a ela a satisfação de
deixá-la saber, que está mexendo com meu equilíbrio.

Em vez disso, calmamente me retiro do chão da cafeteria,


silenciosamente rezando para não escorregar. De novo.

Como suspeito, os olhos de todos estão treinados em mim.

Bem, todos exceto Jace, que parece estar gostando de sua


comida sem se importar com o mundo. E Oakley, que está
rindo tanto que chega estar tremendo.

Idiotas.

Um leve lampejo de piedade passa no olhar de algumas


pessoas enquanto eu me endireito, mas não o suficiente para
alguém me entregar uma maldita toalha de papel.

Tanto faz. Danem-se as ovelhas.

Royal hearts academy #1


Com um sorriso, tiro um fio de espaguete da minha
camisa e coloco na boca. — Está bom. Mas poderia usar um
pouco de sal.

— Nojo. Você é tão estran... — Britney começa a dizer


antes que seu rosto fique pálido. — Oh meu Deus, sua puta
estúpida. Você arruinou minha bolsa.

Eu lambo uma gota de molho da ponta do meu polegar e


dou de ombros. — Considere karma por estragar meu almoço.

Com isso, eu vou embora.

Mas não antes de pegar os espaguetes restantes da minha


camisa e jogá-los na direção dela.

— Você vai pagar por isso, vadia. — ela diz enquanto eu


vou em direção à saída.

Minha resposta é um dedo do meio no ar.

Eu mal estou no banheiro por trinta segundos, quando a


porta se abre e sinto alguém olhando para mim.

— Tire uma foto, ela vai durar mais tempo. — atiro


enquanto esfrego vigorosamente minha camisa manchada,
com uma toalha de papel.

— Não precisa. Britney já postou uma no Instagram.

Claro que ela fez.

— Antes de você tomar banho com molho de tomate. — a


garota acrescenta.

Levantando o olhar da bagunça, olho para a morena baixa


e curvilínea, usando um par de óculos de aro preto. Ela é fofa,
mas definitivamente não se parece com um membro típico da
equipe de Britney.

Royal hearts academy #1


Provavelmente uma aspirante.

— Obrigada pela descrição completa. — Torço o nariz. —


Agora volte para sua abelha rainha.

Ela cruza os braços sobre o peito. — Isso é um pouco


hipócrita, você não acha?

Irritada, paro de esfregar. — Como assim?

— Supôr que eu faça parte do grupo de Britney. — Com


um bufo, ela abre o zíper da bolsa e tira uma camisa branca
de botão. — Você está perdendo seu tempo. Essas manchas
nunca sairão.

Pisco, me sentindo uma idiota. Ela queria me ajudar, e eu


estava sendo uma idiota.

— Você está certa. Eu estava sendo hipócrita. — Olho a


camisa cautelosamente. — Não me sentiria bem ao pegar isso
de você agora.

— Não se preocupe. Eu tenho outra no meu armário, mais


duas no meu carro e mais vinte em casa. — Ela levanta a mão
para cima e para baixo, gesticulando para si mesma. — Vai
ficar enorme em você... obviamente. Então, se você não quer...

Eu pego a camisa. — Não... eu quero. Obrigada.

Ela me dá um breve aceno de cabeça, antes de eu entrar


em uma cabine próxima para me trocar.

Como esperado, fica grande, mas consigo fazê-la funcionar


com alguns ajustes.

A menina ainda está de pé junto às pias quando saio.

Isto é estranho.

Ocorre-me que ela pode estar esperando algo em troca. —


Não tenho muito dinheiro, mas...

Royal hearts academy #1


Ela levanta a mão, me cortando. — É por conta da casa.

Eu mexo na barra da minha saia. Nunca fui boa em


conversa fiada e está claro que ela também não é.

Como nossa troca estranha não pode piorar, pergunto a


ela algo que está na ponta da minha língua nos últimos cinco
minutos. — Por que você mantém tantas camisas de reposição
por aí?

Ela parece envergonhada. Por um momento, acho que vai


me dizer que tem algum tipo de problema de transpiração,
mas depois ela diz: — Me transferi para a RHA no ano
passado, quando estava no segundo ano. Mal estava aqui há
uma semana, quando Britney e suas companheiras roubaram
meu uniforme do armário da academia. Não teria sido grande
coisa, mas quando fui para o banho, elas levaram minhas
roupas de ginástica.

Meu coração afunda enquanto ela continua.

— Esqueci meu telefone celular em casa, então não


poderia ligar para minha mãe. Todo mundo já estava fora do
vestiário, então não tinha escolha a não ser voltar para a
academia de toalha, e pegar a professora. — Ela aponta para
si mesma. — E como eu sou assim, todos que me viram riram
e me humilharam. No dia seguinte, Britney postou uma foto
minha no Instagram, andando pelos corredores com uma
toalha. Desnecessário dizer que a vida realmente foi uma
droga por um tempo.

Jesus. Isso é terrível. — Ela é uma cadela.

Ela assente. — Mal posso esperar até que ela se forme.


Talvez eu possa aproveitar meu último ano. — Ela encolhe os
ombros. — Verdade seja dita, fiquei feliz que ela encontrou um
novo alvo, mas quando vi você coberta de molho, sabia que
tinha que ajudar. — Ela sorri. — Não que você precisasse. Foi
muito foda lá atrás.

Royal hearts academy #1


Isso tira uma risada de mim. — Estou lidando com Britney
desde o ensino fundamental, por isso estou acostumada com
as besteiras dela. Acontece que há muito mais disso agora.

Sem dúvida, devido a ela e Jace estarem saindo.

As suas sobrancelhas se contraem em confusão. — Você


estudava aqui? Eu pensei que era nova.

Balanço a cabeça. — Não. Quero dizer, talvez seja porque


já faz algum tempo, e só conheço algumas pessoas, mas me
mudei da Royal Manor quando estava no oitava ano. — Solto
um suspiro pesado. — Agora estou de volta.

E nada mudou... exceto Jace.

— O que é péssimo. — diz ela, tirando as palavras da


minha boca.

— Grande momento.

Ela estende a mão. — Meu nome é Sawyer Church. Eu


sou uma júnior e dirijo uma mini-van velha. Não sou rica
como todo mundo aqui, mas gosto de estudar, então consegui
uma bolsa de estudos para a RHA - na verdade, é apenas
porque o diretor Ryan é próximo da minha família. Ah, e não
gosto de noventa e nove por cento da população em geral, mas
isso não me impede de ajudar todos os imbecis do mundo,
porque OQJF?

Aperto a mão dela. — OQJF? É como uma banda ou algo


assim?

— Eu gostaria. Isso seria incrível. — Ela aponta para a


pulseira no pulso que tem as mesmas iniciais inscritas. — O
que Jesus faria.

Não é exatamente a resposta que eu estava esperando. —


Ah...

Royal hearts academy #1


Ela faz uma careta. — Ugh. Não faça isso. Eu pensei que
você era legal.

Não faço ideia do que ela quer dizer. — Fazer o quê?

— Olha, só porque sou religiosa, não significa que sou


algum tipo de aberração de Jesus. Bem... quero dizer que sou,
porque ele é incrível, mas prometo que sou normal. — Ela
desvia o olhar. — Tudo bem, talvez não seja normal - mas
xingo muito, fico fora do toque de recolher e assisto a filmes
ruins. — ela fica vermelha. — Eu também assisti pornô uma
ou duas vezes. E se Nick Jonas quisesse passar a noite
comigo, eu consideraria seriamente jogar minha virgindade
pela janela.

— Eu acho que ele é casado.

— Deus, não esfregue... — Ela levanta uma sobrancelha.


— Você nunca me disse seu nome.

— Dylan Taylor.

Ela bate o pé. — E…

Oh garoto. Essa garota é uma viagem. — Eu sou uma


veterana. Eu tenho minha licença para dirigir, mas meu carro
foi levado quando meu... — Paro no meio da frase, porque não
a conheço o suficiente para contar a ela sobre meu pai estar
na prisão. — É uma longa história.

Sawyer inclina a cabeça para o lado, me estudando. —


Está tudo bem. Nós vamos chegar lá.

— Onde?

Ela ajusta os óculos. — Na minha opinião, nós duas


somos desajustadas neste buraco do inferno. Por que não
sermos amigas?

Royal hearts academy #1


Em teoria, fazia todo o sentido, mas as amizades
superficiais para não estar sozinha, realmente não me atraem.
— Humm. Sem ofensa, mas-

— O quê? Sua melhor amiga fez sexo com seu namorado


ou algo assim?

— Mais como minha pior inimiga. — sussurro antes que


eu possa me conter.

Evidentemente, estou precisando de um amigo mais do


que pensava, porque precisou apenas de uma camisa extra
para contar todos os meus segredos.

Tristeza nubla seus olhos. — Ouch. Isso definitivamente


explicaria seus problemas de confiança. — Ela sorri. — Pelo
que importa, você não precisa se preocupar comigo fazendo
sexo com ninguém além do meu futuro marido. — Há um
brilho malicioso nos olhos dela. — Ou Nick Jonas. Porque o
céu me ajude, eu o montaria para frente, para trás e para os
lados em um domingo.

Começo a sorrir, mas me ocorre que, se queremos ser


amigas, devo contar a Sawyer a verdade. — Como estamos
falando de sexo, deixe-me declarar que eu não fodi meu primo.
Oakley começou o boato estúpido para se vingar porque acha
que o denunciei ao pai, por fumar maconha no porão.

— Tudo bem, deixe-me ver se entendi direito... você está


dizendo que não fodeu seu primo? — O rosto dela cai. —
Droga. Não tenho mais certeza se quero ser sua amiga. A maçã
perdeu o brilho, sabia?

Meio que amo que ela seja tão fluente em sarcasmo


quanto eu. — Bem, merda. Você reconsideraria se eu lhe
dissesse sobre o tempo em que fiquei bêbada, e comecei a me
esfregar no meu tio?

Uma mistura de choque e intriga toma conta de suas


feições. — Mesmo?

Royal hearts academy #1


— Não. Meu pai é filho único.

Ela começa a rir, mas o som da campainha atrasada


interrompe. Antes que eu possa protestar, ela me leva em
direção à saída. — Qual é a sua próxima aula?

— Química.

Ela estremece quando saímos pela porta. — Sra. Beck


pode ser difícil, mas posso ajudá-la -

Sua sentença é interrompida pelo som de algo pesado


atingindo um armário... seguido de gritos.

Quando nos viramos para ver qual é a comoção, minha


respiração congela na garganta.

O braço de Jace está preso no pescoço de um pobre rapaz,


enquanto Oakley e Cole estão na frente de uma garota
visivelmente irada, que é tão bonita que preciso dar uma
olhada dupla.

— Deixe-o em paz, Jace. Estávamos apenas nos beijando.

Sawyer puxa meu braço. — Vamos lá. Jace Covington não


é apenas uma má notícia, ele é a obsessão de Britney. Sua
vida será muito mais fácil se você ficar longe dele, e do drama
que sua família causa... especialmente agora que a bebê
Covington entrou no bate-papo.

Oh, merda. A última vez que vi Bianca, ela usava aparelho


nos dentes e ainda assistia desenhos animados.

Agora ela está...

Eu posso ver por que Jace quer espancar seu projeto de


namorado.

— Vá para a aula, Bianca — Jace range os dentes. — Eu


falo com você quando chegarmos em casa.

Royal hearts academy #1


Antes que ela possa protestar, ele agarra a gola do cara e
bate a sua cabeça no armário. — Ela é uma caloura,
pervertido. — O cara começa a falar, mas Jace o puxa para
frente e o bate contra o metal pela segunda vez. — Ela também
é minha irmãzinha.

O cara parece positivamente petrificado, e não posso dizer


que o culpo.

Jace sempre teve problemas de raiva profundamente


enraizados, - mas a maioria das pessoas não sabia, porque
geralmente confundem seu silêncio com contentamento.

No entanto no fundo, ele está silenciosamente


mergulhando em toda a raiva que fervilha sob a superfície...
como um vulcão mortal à beira de entrar em erupção.

É por isso que eu o procurei no parquinho naquele dia.

Nós éramos melhores amigos... mas nossos demônios eram


espíritos afins.

— Eu não tinha ideia, cara — o cara engasga. Quando


Jace relaxa um pouco, ele acrescenta: — Ela me disse que era
uma estudante sênior e de intercâmbio.

Bianca pisca para ele. — Bonjour.

Sawyer faz um gesto para sairmos novamente, mas eu


permaneço enraizada no local. Jace é um idiota, mas não
posso deixar de lado essa necessidade intrínseca de garantir
que ele não faça algo estúpido.

Como cometer homicídio no meio de um corredor da


escola.

— Vê? — ele proclama inocentemente enquanto Jace dá


um passo para trás. — Foi tudo ela. Estava praticamente
implorando-

Royal hearts academy #1


Sua sentença é interrompida pelo punho de Jace.

— Tente não machucá-lo demais — Cole diz enquanto


Jace enrola o braço para trás, preparando-se para lhe dar
outro. — O primeiro jogo do ano é sexta-feira, e Declan é um
dos melhores jogadores na linha defensiva.

O joelho que Jace navegando direto para virilha de


Declan, deixa claro que ele não dá a mínima para o próximo
jogo de futebol de seu irmão.

— Jesus Cristo, Covington — o cara chora quando Jace


bate em sua mandíbula. — Você fez o seu ponto, está bem?
Não vou me aproximar dela novamente.

Bianca revira os olhos. — Bichinha.

Oakley e Cole riem, mas Jace não se diverte. De fato, ele


parece estar ficando mais irritado a cada segundo que passa.

O que quer que esteja acontecendo agora, vai além de um


cara que está saindo com sua irmãzinha.

— Leve Bianca para a aula. — O tom de Jace é cortante.


Ameaçador. — Agora!

— Você está falando sério? — Bianca geme enquanto Cole


empurra sua bolsa e Oakley segura seu cotovelo. — Eu não
sou um bebê...

Jace dá um chute forte no estômago do adversário. É tão


brutal que eu estremeço quando ele desce pelo armário. — Se
levante porra!

— Pare! — interrompo antes que Jace enfie o pé no


abdômen de Declan. O cara já está no chão, enrolado em
posição fetal, com sangue escorrendo dos lábios... implorando
a Jace que acabe com a tortura. Já é suficiente. — Tenho
certeza de que ele recebeu o recado.

Aqueles olhos escuros penetrantes para mim. — F-

Royal hearts academy #1


— Que diabos ela está fazendo aqui? — Bianca interpõe.

Além de afirmar o óbvio, não tenho muita certeza de como


responder a isso.

Bianca dá vários passos até ficar em pé na minha frente.


— Você não já fez o suficiente?

O veneno atado em suas palavras, me faz estremecer


interiormente. Nós não saíamos muito devido à nossa
diferença de idade, mas sempre éramos legais uma com a
outra.

Ou então eu pensei.

Antes que eu possa perguntar qual é o problema dela, ela


se inclina para frente, ficando desconfortavelmente perto do
meu rosto. — Afaste-se da porra dos meus irmãos, sua
pequena cobra traiçoeira. Ou então Deus me ajude, eu vou-

— O quê no mundo, está acontecendo aqui? — alguém


grita atrás dela. — Você está bem?

Quando olho para cima, vejo uma mulher de rosto severo,


que está visivelmente furiosa. O olhar dela continua passando
entre Declan, que ainda está no chão, e o resto de nós.

— Merda — Sawyer murmura baixinho. — Essa é a Sra.


Beck.

Perfeito. Pelo menos agora ela saberá por que estou


atrasada.

Jace puxa Bianca em sua direção. — Vá para a aula. —


Ele olha para Cole. — Ambos. — Sua atenção se volta para
Declan. — Eu vou lidar com isso.

Eles começam a se afastar, mas a Sra. Beck os


interrompe. — Ninguém vai a lugar algum. Não até eu falar
com o diretor Ryan. — Ela pega o celular e o leva ao ouvido.

Royal hearts academy #1


— Desculpe incomodá-lo diretor Ryan, mas temos uma
situação urgente no corredor do laboratório de ciências.
Envolve um estudante ferido e os meninos Covington.

Ela praticamente cuspiu o sobrenome deles como se fosse


comida rançosa.

— Nada aconteceu. Estou bem, — Declan diz antes dela


desligar.

A professora não compra. — Não, você não est-

— Eu estava com pressa, então não estava prestando


atenção aonde estava indo. Acabei correndo de cara em um
armário aberto, e arrebentando minha bunda. — Levantando-
se do chão, ele aponta o queixo em direção a Jace, Cole e
Oakley. — Eles pararam para ver se eu estava bem.

Como se a sugestão, os três amigos concordam.

— É verdade — exclama Cole com um encolher de


ombros. — Só queria garantir que meu companheiro de equipe
não fizesse algo estúpido e se machucasse permanentemente.

— Exatamente, — Oakley fala. — Seria uma pena se algo


terrível acontecesse com o pobre Declan, antes do grande jogo
de sexta-feira.

— Antes ou depois do jogo. — Jace range entre os dentes


cerrados.

Irritada, a Sra. Beck se vira para Sawyer e eu. — Digam-


me o que realmente aconteceu?

— Não sabemos. — falo, gesticulando para minha nova


amiga. — Ficamos no banheiro o tempo todo. Não vimos nem
ouvimos nada.

Ao meu lado, Sawyer suspira. Eu posso praticamente


sentir a decepção irradiando dela. — Sim... o que ela disse.

Royal hearts academy #1


Eu não gosto de mentir, mas também não gosto de
delatar. Se Declan não quer contar a verdade à Sra. Beck, é
uma prerrogativa dele.

Além disso, há também uma pequena parte de mim, que


não quer que Jace seja derrubado por proteger sua irmãzinha.
Mesmo que ele tenha ido longe demais, e está claro que ela me
odeia.

A professora não parece convencida, mas está fora de suas


mãos quando o diretor Ryan e a enfermeira chegam ao local, e
Declan reitera que ele correu de cara no armário.

— Tudo bem, se for esse o caso, não há nada que eu possa


fazer aqui. — Ele levanta as mãos. — Vocês estão livres para
ir.

Começamos a dispersar... mas não antes que Bianca grite


— Eu quis dizer o que disse, vadia. — Ela se lança na minha
direção. — Fira um dos meus irmãos novamente, e eles
precisarão de registros dentários para identificar seu cadáver
traidor.

Jesus. A menina não está apenas guardando rancor... ela


está arquitetando um plano para o meu assassinato.

Por mais que eu gostaria de ignorar a sua ameaça, não


posso... porque não tenho ideia do por que ela está chateada
em primeiro lugar.

Eu nunca machuquei o irmão dela. A menos que você


conte quando me afastei abruptamente, mas isso não foi culpa
minha. Eu tentei alcançá-lo, mas Jace me ignorou.

Toda essa fúria que os Covington estão abrigando para


mim, não adiciona nada.

Eu nunca os trairia.

— Qual o seu prob-

Royal hearts academy #1


— Chega, Bianca. — Jace a conduz pelo corredor oposto.
— Você precisa se acalmar.

Sawyer espera até que estejam fora do alcance da voz,


antes de falar. — Sei que provavelmente não é da minha conta,
mas preciso perguntar. Qual é o problema com você e Bianca?
Por que ela te odeia tanto? — Seus olhos se arregalam. — O
que você fez com os irmãos dela?

— Não faço ideia — digo honestamente.

Mas pretendo descobrir.

Royal hearts academy #1


JACE

— Você vai ao Christian hoje à noite? — Oakley pergunta


enquanto vamos para nossos carros. — Há rumores de que ele
está virando as costas para o buraco do inferno, então vamos
ficar bêbados na festa dele.

Eu não estou surpreso. Christian encontrará qualquer


desculpa para dar uma festa. E como os pais dele não estão na
maior parte do tempo e têm uma casa enorme, ele tem a
configuração perfeita para isso.

— Não tenho certeza. — As palavras que estou prestes a


vomitar têm gosto de veneno na minha língua, quando me
aproximo do meu Lexus. — Depende do que Britney quer fazer
mais tarde.

Isso me garante um olhar estranho do meu amigo. — Eu


pensei que vocês dois pareciam muito próximos hoje, mas
achei que era porque ela te chupou antes da escola. — Ele
acende um baseado e dá uma tragada rápida, antes de passar
para mim. — Mas parece que as coisas estão ficando muito
sérias.

Dou uma longa tragada quando conjuro minha resposta.


Tecnicamente, ele não está errado. Britney e eu estamos
ficando sérios... mas não porque estou interessado nela por
algo além de molhar meu pau.

Eu só quero machucar Dylan.

Não. Mais do que machucar.

Quero torturá-la até que ela sinta uma pequena fração da


dor que causou, a mim e à minha família.

Royal hearts academy #1


E porque eu conheço minha amiga tão bem, conheço o
calcanhar de Aquiles dela.

Toda vez que ela me ver com Britney... isso a estripará.

Sempre que ela pensar em todas as coisas sujas que eu


faço com sua inimiga quando estamos sozinhos... isso afunda
a faca muito mais fundo.

Até que finalmente... ela não poderá mais alcançar e


voltará para onde quer que tenha vindo.

Ocorre-me que eu nunca descobri exatamente onde ela


estava, porque a mente excitada do meu irmão, interrompeu o
interrogatório.

— Porque ela está aqui?

— Quem? — Oakley olha em volta. — O estacionamento


está vazio. Saímos cedo para fumar, lembra?

— Dylan, — eu elaboro. — Por que Dylan está aqui?

Ele tira o foco de mim. — Essa merda deve ser melhor do


que eu pensava. Dylan não está aqui, Bro. Você está doidão.

É tudo o que posso fazer para não bater na cabeça dele. —


Vivendo com você! — enfatizo. — Por que diabos Dylan está
morando com você?

Finalmente, vejo as rodas em sua cabeça girarem. — Oh.


— Ele exala uma nuvem de fumaça. — Alguma merda
aconteceu com o pai dela. Ele está na prisão pelo próximo ano.
Meu pai conseguiu-

— Espere. Brian está preso?

Poucas coisas me chocam, mas o pai da Dylan, exímio


cumpridor da lei, "não se deve ultrapassar o limite de
velocidade enquanto dirige", sendo preso, definitivamente me
choca.

Royal hearts academy #1


— Você conhece o pai dela? — Oak ri para si mesmo. —
Ou devo dizer, meu tio. — Ele começa a tocar pontos
invisíveis no ar. — Ou ele é? Se a mãe de Dylan era irmã de
Crystal... e meu pai se casou com Crystal... e Dylan é sobrinha
de Crystal. O que isso faz do pai de Dylan para mim?

Estou começando a ver por que ele reprovou em biologia e


precisou repeti-la este ano. — Nada. Apenas um cara na
prisão.

Seus ombros se levantam enquanto ele inspira. — Droga.


Meu pai é tão idiota e chato, o pensamento de estar
relacionado a um idiota na prisão, foi bem legal.

— Eu te ouvi, cara. — Eu tomo a objeção dele. — Por que


ele foi preso?

Normalmente, não me importo de Oakley desabafar sobre


seu pai, mas o tempo é essencial.

Ele encolhe os ombros. — Ele desviou quase dez milhões


de seu emprego.

— Cristo.

Ele concorda. — Eu sei. Ouvi meu pai e Crystal falando


sobre isso uma vez. Aparentemente, ele fez isso por sua
esposa. Ou, como diria Crystal – sua esposa substituta de
peitos falsos, conivente, cavadora de ouro e prostituta.

Crystal não está errada.

A última vez que verifiquei, Brian era um oficial financeiro


que estava bem o suficiente para possuir uma casa no lado
bom da cidade, e pagar uma escola particular para Dylan.
Então do nada, arrancou com sua filha e sua nova noiva no
meio da noite, – tudo porque lhe foi oferecido, uma prestigiada
oportunidade de trabalho, e sua noiva disse que cancelaria o
noivado, se ele não aceitasse.

Royal hearts academy #1


Pelo menos essa foi a essência do frenético correio de voz,
que Dylan me deixou naquela noite.

Logo antes da cadela traiçoeira virar minha vida de cabeça


para baixo.

No entanto, dado o calendário de eventos... eu


rapidamente percebi que ela estava cheia de merda.

Dylan sabia que estava se mudando semanas antes de


sair. Talvez mais.

Minha ex-melhor amiga só queria me punir, por não dar o


que ela realmente queria.

O que nós dois queríamos.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Passado…

Meus pulmões queimam como se estivessem pegando fogo,


enquanto eu continuo correndo pela rua molhada, mas
empalidece em comparação com a dor rasgando meu peito.

Meu pai está noivo. De Savannah.

Savannah, que veste roupas justas e reveladoras que me


fazem corar, e fala com meu pai com uma voz estúpida e
ofegante. Eu não a suporto quando quer que ele lhe compre
algo.

Essa é a mulher que ele escolheu para substituir a minha


mãe.

Ele está cometendo um grande erro.

Savannah não pode fazê-lo feliz. Meu pai nunca sorri,


como fazia quando minha mãe estava viva. Ele também não ri
ou faz piadas tolas.

Meu coração afunda com a minha próxima realização.

Ele não fala mais sobre ela.

Porque em algum lugar ao longo do caminho, ele parou de


amá-la.

Não, pior. Ele se esqueceu dela. Como se ela nunca tivesse


existido.

Royal hearts academy #1


E eu sei que no segundo em que se casar com Savannah,
e eles tiverem bebês... ele também vai esquecer tudo de mim.

Porque está claro que ele odeia qualquer coisa que o


lembre dela – e agora que está se casando com Savannah e
começando de novo, ele não precisa mais de mim.

Ele terá sua família substituta.

Em vez da filha que ficou, quebrada e danificada, a que ele


ficou preso.

A que ele não quer mais, porque ela está presa a todas as
coisas ruins da vida dele.

Lágrimas ardem nos meus olhos quando viro a esquina e


corro pelo próximo quarteirão. Nem mesmo a forte chuva é
suficiente para mantê-las afastadas.

Ele prometeu que nunca me deixaria. Ele jurou que eu não


o perderia como a perdi.

Acontece que meu pai não passa de um idiota mentiroso.

A pedra bate na janela de Jace com tanta força que fico


surpresa por não quebrar.

Sr. Covington provavelmente ficará bravo, se me pegar


jogando pedras na janela de seu filho no meio da noite, mas eu
não me importo.

Independentemente do nosso argumento estranho antes,


preciso do meu melhor amigo. Não importa se Jace não sente
o mesmo por mim, eu vou superar isso. Prefiro ter parte dele
do que nenhuma.

Lancei outra pedrinha na janela do quarto dele. Se ele não


acordar depois disso, jogarei um tijolo maldito através dela.

Royal hearts academy #1


Felizmente não preciso, porque um Jace sonolento e sem
camisa mostra a cabeça para fora. — Dylan? — seu rosto cai
quando ele olha para mim. — O que há de errado?

— Tudo. — Minha voz falha quando cada grama de


emoção que eu tenho retido nos últimos meses explode. —
Meu pai... ele... Savannah. Tudo está errado, Jace.

Como o quarto dele está localizado no segundo andar,


começo a escalar a grande árvore que se inclina em direção ao
seu quarto, mas ele me interrompe.

— Está chovendo aí fora. Você vai escorregar e se


machucar. Vou abrir a porta da frente.

Antes que eu possa lembrá-lo de que subi na mesma


árvore mais de uma dúzia de vezes, ele está me conduzindo
para dentro de sua casa e subindo as escadas.

Eu tento ao máximo ficar quieta para que o pai dele não


acorde, mas meus soluços me traem.

Parece que estou perdendo minha mãe novamente.

Pior ainda... porque estou perdendo tudo certo junto com


ela agora.

Minhas memórias. Minha família. Até Jace está


escapando.

— Como ele pôde fazer isso comigo? — eu engasgo com


lágrimas gordas e feias, que correm pelas minhas bochechas.
— Como ele pôde se casar com ela?

A raiva de espalha no rosto de Jace. — Merda. Eu sinto m-

— São três da manhã. — O olhar confuso do Sr.


Covington salta entre nós. — O que Dylan está fazendo aqui?
— Antes que qualquer um de nós possa dizer uma palavra, ele
aperta a ponte do nariz e suspira. — Eu estava com medo de

Royal hearts academy #1


que algo assim pudesse acontecer. Sei que vocês dois se
importam um com o outro, mas vocês não tem idade suficiente
para fazer sexo-

— Jesus, Pai! — Jace interrompe. — Não estou ficando


com Dylan. Você não vê como ela está chateada?

Ele pisca enquanto olha para o meu rosto manchado de


lágrimas. — Oh. — Ele descansa as mãos nos quadris. —
Olha, desculpe... mas ainda não-

Jace pega minha mão e me puxa para os degraus


restantes. — Eu não ligo para o que você pensa. Dylan está
ficando.

Sr. Covington começa a dizer algo, mas Jace bate e tranca


a porta atrás dele. — Ele voltará a dormir em breve. Ele
sempre faz.

Estou com tanto frio que meus dentes batem. — Não tive a
intenção de causar problemas, só não sabia mais onde...

— Está tudo bem. — Ele pega um casaco na parte de trás


da cadeira, e o entrega para mim. — Põe isto.

Seu perfume fresco e limpo preenche minhas narinas,


quando eu o deslizo sobre minha cabeça. A maioria dos
garotos da minha série tem cheiro de queijo, suor e cebola,
mas não Jace.

Ele sempre cheira a roupa recém lavada direto da


secadora. Quente e familiar. Pessoal e íntimo.

Depois de manobrar cuidadosamente minha blusa


molhada, deslizo na cama ao lado dele.

Por instinto, ele passa um braço em volta da minha


barriga e me puxa, até minhas costas estarem pressionadas
contra seu peito.

Royal hearts academy #1


Esgueirar-me para o quarto de Jace no meio da noite para
se aconchegar, tem sido nosso pequeno segredo nos últimos
dois anos. Não é algo que mencionamos, e isso não acontece
com tanta frequência. Somente nos momentos em que um de
nós sente tanto a falta de nossa mãe, que não podemos
suportar a dor, e precisamos estar perto de alguém que
entenda.

Como meu pai, os Covington também não gostam de falar


sobre a mãe deles. Especialmente Liam e Bianca, já que
estavam no carro durante o acidente.

De acordo com Jace, o único que a cita de vez em quando,


é Cole.

Mas ele só fala sobre as coisas felizes. Os momentos


marcantes, momentos únicos.

Nunca as coisas importantes.

Como o quão triste e deprimida sua mãe ficou alguns


meses antes de morrer.

Ou o fato de que Jace é o único que sabe por quê ela


estava tão chateada.

Bem, Jace, Sr. Covington…

E a mulher com quem ele traiu a esposa.

Jace quer confrontá-lo e contar a verdade a seus irmãos,


mas ele sente que, se o fizer, estará levando o único pai que
lhes restaram.

Dada a minha situação atual, posso entender por que ele


está tão hesitante.

— Dói. — Meu peito está tão cheio de dor e sofrimento,


que provavelmente afundaria até o fundo do oceano mais
profundo. — Isso machuca muito.

Royal hearts academy #1


Ele me abraça mais forte enquanto eu cavalgo a próxima
onda de dor. — Eu gostaria de poder consertar isso.

Eu também.

— Ele me prometeu, — sussurro entre soluços que


encharcam seu travesseiro. — Ele prometeu que nunca mais a
esqueceria, nem criaria uma nova família.

— Eu sei que é péssimo, mas você ainda tem a mim. —


Há um tom sério em sua voz, como se essa promessa fosse
uma que ele está determinado a cumprir. — Sempre estarei
aqui.

— Hoje não me senti assim. — digo antes que eu possa


me conter.

Os membros em volta de mim ficam tensos. — Eu sei.

Eu sempre fui o tipo de pessoa que segue em frente, e esse


momento não é diferente. O pensamento de perdê-lo me
aterroriza, e eu preciso saber que nossa amizade sobreviverá à
minha paixonite estúpida.

— Eu odeio brigar com você, Jace. Parece brigar comigo


mesma. Isso arruína meu dia inteiro, e todos os dias depois
disso... até que eu saiba que estamos bem novamente.

— O mesmo para mim. — Seu coração acelera e o meu


segue o exemplo. — Não tenho problemas em brigar com mais
ninguém na minha vida. Mas brigar com você... isso fode
minha cabeça com seriedade. — Sua voz cai em um sussurro.
— Era o mesmo com minha mãe. Sempre que discutíamos, eu
não podia ficar bravo com ela por muito tempo. Isso me
comeria por dentro, porque sabia o quanto ela me amava. E
mesmo que eu quase nunca dissesse isso de volta, eu... —
Sua voz diminui.

— Ela sabia que você a amava.

Royal hearts academy #1


Jace pode nunca dizer isso, mas eu sei que ele precisa
ouvir.

Eu continuo falando quando ele fica em silêncio,


esperando que não desligue.

— Ela era realmente linda. — A primeira vez que Jace me


deixou assistir um de seus filmes antigos de Bollywood, sua
beleza me deixou sem palavras. — Ela realmente iluminava a
tela.

Sua testa encontra a curva do meu pescoço e ele solta um


suspiro pesado. — Ela sempre sorria em seus filmes. — Eu
posso sentir a mudança em seu comportamento. — Ela era
ótima em fazer um show. Esconder-se atrás de uma máscara,
e fingir que tudo estava perfeito, quando as pessoas estavam
assistindo. Cole é muito parecido com ela.

Eu mudo para encará-lo. — Ele não é o único. Você pode


não ser tão rude quanto seu irmão, mas também mantém as
pessoas afastadas. — Eu escovo o cabelo dos olhos dele. —
Apenas os deixa ver, o que você quer que eles vejam.

Ele me dá um olhar. — Nós dois fazemos.

Ele me pegou lá. Com uma pequena exceção.

— Não com você. Você entende tudo de mim.

Não sei o que fazer com a expressão no seu rosto. É uma


estranha mistura de prazer e turbulência. — Não. — Ele
desvia o olhar. — Você precisa parar de fazer isso, D. Não é
justo.

Dizer que estou confusa seria um eufemismo. — O que


não é justo?

— Você. — Ele desenrola os braços em volta de mim. —


Estar perto de você quando está assim.

Royal hearts academy #1


Ele não está fazendo nenhum sentido. — Assim como?

Ele está sentado. — Eu preciso que você pare de ter


sentimentos por mim. Nós não podemos. — Ele cruza os
braços. — Se você não consegue se controlar, não podemos ser
amigos. É simples assim.

Eu riria se ele não parecesse tão sério. — Se eu não


consigo me controlar? Você só pode estar brincando. —
Levanto-me para localizar meus sapatos. — Você ouve como
parece estúpido?

Eu posso lidar com meu melhor amigo, não tendo


sentimentos por mim. O que não posso lidar, é com ele sendo
tão quente e frio sobre isso.

Um segundo Jace olha para mim, como se eu fosse a


resposta para alguma oração não dita. Mas no próximo? É
como se eu fosse o diabo arrastando-o em uma viagem ao
inferno.

— Não vá. — ele murmura quando eu termino de amarrar


meu tênis.

Eu olho para ele. — Não seja um idiota insípido.

A primeira vez que o chamei de insípido durante uma


briga, ele pisou fora e não falou comigo por dois dias. Depois
que fizemos as pazes, ele confessou que odiava a palavra,
porque era assim que se sentia depois que sua mãe morreu.

Desprovido de cor e sentimento. Morto. Assim como ela.

Estou prestes a me desculpar por dar um golpe baixo, mas


ele estreita os olhos.

As próximas palavras que saem de sua boca, são o


equivalente a um nocaute.

Royal hearts academy #1


— Eu não precisaria ser um idiota, se você pegasse a dica,
e deixasse de ser uma parasita desesperada.

Raiva fermenta no meu intestino. Dane-se ele.

Ele verá como estou desesperada e dependente, quando


nunca mais falar com ele.

— Melhor ser uma parasita do que um covarde. — eu jogo


enquanto ando até a sua janela.

Está chovendo de novo, mas prefiro ser pega na chuva por


uma semana inteira a estar em qualquer lugar perto dele.

Eu posso senti-lo atrás de mim. — O que isso deveria


significar?

Tomando cuidado para não escorregar, abro a tela e


lentamente começo a me guiar pela janela. — Nem todo
mundo pode manter seus sentimentos engarrafados por toda a
eternidade, porque está com medo. — Estico o braço em
direção ao galho da árvore para poder me balançar. A chuva
está batendo tão forte que é difícil se concentrar. — Eu não
sou um robô como você. Não posso fingir que não sinto-

Eu grito quando minha mão desliza do galho e perco o


equilíbrio. Tenho quase certeza de que vou cair e meu rosto vai
quebrar na minha queda, mas Jace agarra minhas pernas e
me puxa de volta, fazendo-me bater no lado de sua casa.

Ele não se incomoda em esconder o brilho zombador em


seu tom, enquanto me puxa pela moldura da janela. — Eu
disse que era perigoso.

Depois de me recompor, me viro para encará-lo. — Quer


cookies?

— Considerando que você queimou cada fornada que já


fez. Vou passar.

Royal hearts academy #1


Agora ele está apenas sendo mesquinho. — Prefiro ser um
padeira terrível, do que um covarde insípido.

Seus olhos brilham. — Me chame assim mais uma vez, e


eu juro-

— O quê? Você não fala comigo por alguns dias?


Ameaçará acabar com a nossa amizade? — eu enfio um dedo
no peito dele. — Adivinha? Não me importo mais, porque não
somos mais amigos. — O empurro com todo pedaço de
frustração e raiva, que tenho fluindo através de mim. — Deus,
não acredito que dei meu coração a um covarde tão cruel e
insípi-

Acontece tão rápido que estou convencida de que devo


estar sonhando.

Porque, por que mais Jace Covington – meu melhor amigo


que virou paixão e inimigo – estaria me beijando?

Mas ele está.

Jace está me beijando.

E os seus…

Eu não sei. Ainda estou chocada demais para respirar e


muito menos me mexer.

Eu quero me chutar quando ele se afasta.

— Você fala muita merda para alguém que não pode se


garantir, Taylor.

Eu quero limpar o sorriso lindo do rosto dele. — Posso me


garantir, Covington. Confie em mim.

— Então prove. — Sua mão encontra a curva do meu


quadril. — Me beije como se você fosse minha. Eu te desafio.

Enrolo meus dedos em volta da sua nuca. — Eu sou su-

Royal hearts academy #1


Sua boca está na minha tão rápido, que ele quase tira
todo o ar dos meus pulmões.

Deveria ser estressante, considerando que eu não fiz isso


antes, mas não é.

É fácil. Como coçar uma coceira que você tem há meses.

Apenas dez milhões de vezes melhor.

Os lábios de Jace são tão cheios e macios quanto parecem.


Eu quero ficar aqui e beijá-lo para sempre.

A sala começa a girar e estou lutando para recuperar o


fôlego, quando a ponta da sua língua entra na minha boca.

É uma exploração curiosa no começo. Uma provocação


rápida, que faz todas as minhas terminações nervosas se
erguerem.

Então ele geme e volta para outro gosto... e tudo se torna


mais.

Mais alto. Mais intenso.

Como se nenhum de nós pudesse ter o suficiente.

Uma mão agarra a parte de trás do meu pescoço,


enquanto a outra vai para a parte inferior das minhas costas,
me puxando para mais perto.

Como eu pensei que Jace fosse insípido está além de mim,


porque agora, – sinto tudo. Sua necessidade, sua fome... toda
a raiva que fervilha abaixo da superfície.

Ele é o oposto de incolor.

Jace Covington é azul.

Um oceano bonito e turbulento, cheio de profundidade... e


um céu incandescente, que apenas oferece pequenos

Royal hearts academy #1


vislumbres de todas as suas cores radiantes... antes de ficar
sombrio e escuro.

— Eu vejo você, — respiro entre beijos. — Você é minha


cor favorita.

Espero que ele diga que sou uma esquisita, mas seus
lábios se curvam em um sorriso, antes de me puxar em
direção a sua cama.

Meu estômago cai quando minhas costas batem no


colchão, e ele se acomoda em cima de mim.

Jace pode não agir como se seus sentimentos por mim


fossem mútuos, mas ele está me beijando como se estivesse
preso no deserto por dias, e eu sou a única fonte de água por
quilômetros.

Como se ele me quisesse tanto quanto eu o quero. Talvez


até mais.

Mas isso não é possível... porque eu nunca quis ninguém


ou nada além de Jace Covington.

Há um puxão na minha barriga quando sua mão desliza


por baixo do meu moletom e as pontas dos dedos percorrem
meu abdômen.

Parte de mim está grata. A outra parte de mim está...


preocupada.

Não posso deixar de pensar que se ele estivesse sozinho


com Britney agora, ela não teria nenhum problema em deixar
Jace ir para a segunda base.

Pelo que sei, eles já foram.

— Deus, sua pele é tão macia. — A ponta do polegar traça


a borda do meu sutiã. — Tudo bem? Eu posso parar se você...

— Tire minha camisa. — deixo escapar.

Royal hearts academy #1


Outro gemido escapa dele... então, antes que eu possa
processar o que está acontecendo, ele está do outro lado do
quarto.

Como se não estivesse longe o suficiente de mim.

— Fiz algo de errado?

— Eu fiz. — Ele passa a mão pelos cabelos, segurando os


fios curtos. — Nunca deveria ter te beijado.

Doeria menos se ele rasgasse meu coração com as


próprias mãos.

— Por quê?

— Porque você não é minha para beijar. — A frustração


alinha seus traços. — Isso foi um erro.

Sento e olho para ele. — Se me beijar foi um erro, então


por que você continuou fazendo isso?

O silêncio se estende entre nós pelo que parecem horas,


antes dele falar novamente. — Eu queria ver se sentia alguma
coisa por você. — Ele me olha bem nos olhos. — E não sinto.

A dor incandescente se infiltra em minha caixa torácica,


até travar em volta do meu coração como um torno.

Jace me beijou como se me amasse. Como se ele me


quisesse tanto quanto eu o quero.

— Eu não entendo.

— Não preciso que você entenda. Preciso que aceite e pare.

Ele faz parecer que estou tentando seduzi-lo a cada


segundo do dia. — Parar o que?

Suas pupilas quase me lavam com a severidade da


tempestade rodopiando dentro delas. — Pare de tentar me

Royal hearts academy #1


fazer sentir algo mais do que amizade, porque isso nunca vai
acontecer. Nunca.

Sua declaração é como uma guilhotina. Definitiva.

Enrolo meus braços em volta de mim. Jace me empurrou e


puxou tanto. Estou surpresa por não ter chicotadas.

— Eu quero ir para casa.

A ironia. Considerando que eu vim aqui para escapar do


que estava acontecendo lá.

Ele concorda. — Acho que é uma boa ideia.

O formigamento das lágrimas se aloja na minha garganta,


mas me recuso a desmoronar na sua frente.

— Dylan, espere... — ele diz quando me aproximo da


janela.

O órgão traidor no meu peito voa. — O quê?

Sua garganta balança em um movimento frenético. —


Imaginei que seria melhor se você soubesse de mim primeiro.

— Saber o quê?

Ele enfia as mãos nos bolsos da calça de pijama de flanela.


— Vou levar Britney ao baile.

É como se eu nem soubesse mais quem ele é.

Nenhum de nós diz uma palavra enquanto saio do quarto


dele. Fora de sua vida.

— D-d-dylan! — Liam chama quando chego ao final da


entrada.

Não estou com vontade de falar com ninguém, mas porque


é Liam, paro de andar.

Royal hearts academy #1


— V-v-você e-e-está b-b-b-bem? — ele pergunta quando
me alcança. — Jac-c-ce d-d-disse que v-você está c-c-c-
chateada.

Vendo que acabei de sair, é estranho que ele saiba disso.


É ainda mais estranho que ele mande Liam atrás de mim. —
Quando? Por que ele te disse isso?

Ele encolhe os ombros. — Ele m-m-e m-m-mandou uma


m-m-mensagem me p-p-p-pedindo para te c-c-checar.

Porra de inacreditável. — Diga ao seu irmão estúpido, que


se ele está tão preocupado com o meu bem-estar, deveria
deixar de ser um idiota, e parar de enviar o irmãozinho para
fazer o trabalho sujo dele.

O rosto dele cai. — Oh.

Ele pega meu braço quando começo a andar. — E-e-


espera. Deixe-me i-i-ir com v-v-você para c-c-casa.

Normalmente eu não me importaria, mas tudo o que quero


fazer é ir para casa e dormir.

Felizmente quando eu acordar, as últimas vinte e quatro


horas serão um pesadelo horrível, e tudo voltará ao normal.

— Eu aprecio isso, mas realmente só quero ficar sozinha


agora. — Faço um gesto para a casa dele. — O sol está quase
nascendo. Você deveria descansar.

Ele faz uma careta. — Oh. O-k-k-kay.

Estou passando a caixa de correio deles quando ele diz, —


A p-propósito. O-o-obrigado pela c-c-coisa com o T-t-tommy.

Não sei bem o que ele quer dizer. — Que coisa com o
Tommy?

Royal hearts academy #1


— Ele mandou men-men-mensagem no Ins-s-stagram e d-
d-disse que v-você não seria a-a-amiga dele se ele f-f-fosse
mau comigo, e-e-então nós est-t-tamos bem a-a-agora.

Não foi exatamente isso que aconteceu, mas se Tommy


parar de ser um idiota para Liam, estou feliz.

Eu sorrio para ele. — Fantástico. Vê? Eu disse que as


coisas melhorariam.

Ele sorri. — T-t-te vejo na e-e-escola.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Eu não deveria estar surpresa, Oakley me abandonou


novamente.

No entanto, estou chateada.

Minha tia - que também não atende o telefone - me


mandou uma mensagem antes, para dizer que marcou uma
entrevista com a Sra. Dickinson depois da escola.

Estou tão desesperada, que vasculho o estacionamento


quase vazio pela minivan de Sawyer.

Claro, não há sinal disso.

Olho para o meu relógio. — Merda.

Eu andaria, mas fica do outro lado da cidade, e minha


entrevista é em exatamente dezessete minutos.

Vou levar pelo menos quarenta e cinco para chegar lá a


pé. Trinta e cinco se eu começar a correr agora.

Vasculho minha bolsa em busca do meu telefone, para


poder verificar minha conta bancária. Eu tenho exatamente
sessenta e três dólares, o que é suficiente para um Uber, mas
não o suficiente para almoçar o resto da semana.

Na verdade, nem amanhã, dada a merda cara que eles


servem aqui.

Foda-se. Preciso de um emprego muito mais do que do


dinheiro para o almoço.

Estou abrindo o aplicativo quando ouço uma voz profunda


chamar meu nome.

Royal hearts academy #1


Olho ao mesmo tempo que um Subaru11 laranja chega ao
meio-fio, e o motorista desce a janela do lado do passageiro.

— Ei, estranha. Como você está?

Puta merda. Eu reconheceria aqueles olhos amendoados


escuros, cabelos pretos e um sorriso torto em qualquer lugar.

Tommy DaSilva.

— Ei. — A emoção na minha voz me trai. É bom ver um


amigo de infância que não me trata como lixo. — Parece que
foi pra sempre. Como você está?

Ele coloca um braço sobre o banco do passageiro. — Muito


bem. Alguns altos e baixos, mas estou aqui.

— Sim, eu ouvi você. — De repente me ocorre que é a


primeira vez que o vejo o dia todo. — Eu não tinha ideia de
que você estava aqui. Não te vi-

— Eu não estou. — Ele respira fundo. — Meu irmãozinho,


Stone está. Hoje é o primeiro dia do ensino médio, e prometi
dar uma carona para casa.

— Ah. — A decepção cintila no meu peito, mas é


rapidamente substituída pela ansiedade. Se tenho alguma
esperança de chegar a tempo, preciso seguir em frente. — Me
dê um segundo. Tenho que pedir um Uber para o meu
trabalho...

— Eu posso te dar uma carona.

É tudo o que posso fazer para não pular pela janela e


abraçá-lo. — Você tem certeza? Eu não quero atrapalhar.

— Em que? Levando meu irmãozinho para casa? — Ele


empurra a porta do passageiro e ri. — Entre. Eu não aceito
não como resposta.

11 Marca de carro

Royal hearts academy #1


Ele não precisa se preocupar com isso. Não estou em
posição de contestar sua oferta gentil. — Obrigada. A
entrevista é em um local chamado Top of the Muffin.

— Estive lá algumas vezes. A dona é meio rude, mas a


comida é boa.

Isso é... tranquilizador.

Percebo uma camisa de futebol e capacete junto com uma


bolsa de ginástica no banco de trás. — Eu não sabia que você
jogava futebol.

As sobrancelhas dele dançam. — Sim, sou um Viking


desde o segundo ano. — Ele pisca. — Alguns dizem que sou o
melhor linebacker12 desde Lawrence Taylor.

— Não faço ideia de quem seja, mas ele tem um


sobrenome estelar.

Ele coloca a mão sobre o coração, fingindo ofensa. —


Ouch. Vamos lá, Dylan. The Giants. O cara era uma lenda no
campo. — Ele estremece. — Fora do campo, há uma história
diferente, mas... — Seus olhos mudam para algo atrás de
mim. — Ali está ele. Finalmente.

Eu assisto quando uma versão mais jovem e altamente


irritada de Tommy abre a porta e sobe no banco de trás.

Apesar de seu humor visivelmente azedo, Tommy sorri


para ele. — Já era hora, rugrat13.

A carranca do garoto se aprofunda. — Quem é a vadia?


Outra caçadora de jogadores?

12
Linebacker é uma posição do futebol americano, na defesa do time e se posicionam a pelo menos
4 metros atrás da linha defensiva.
13
Os Rugrats é um desenho onde um grupo de bebês mostra suas ideias sobre o mundo do seu
próprio ponto de vista infantil. Tommy e seus amigos estão em constante batalha com a prima mais
velha, Angélica, que gosta de atormentá-los.

Royal hearts academy #1


Abafando meu aborrecimento, estendo a mão. — Oi, eu
sou Dylan. Eu sou uma velha amiga do Tommy.

Ele dispensa minha mão e direciona sua atenção para seu


irmão. — O acordo está desfeito, idiota. Você não poderia me
pagar o suficiente para passar outro dia naquele inferno.

Amém a isso. Royal Hearts Academy é uma merda


completa.

— É apenas o seu primeiro dia, — Tommy range os


dentes. — As coisas vão melhorar.

— De nenhuma fodida maneira, — o garoto late. — Não


com aquela cadela estúpida, não vai.

Woah. Esse é um vocabulário colorido para uma criança


de catorze anos.

Tommy muda o carro para a estrada. — O que aconteceu?

Stone pega seu telefone e o joga no rosto de seu irmão. —


Eu não sei, você me diz.

Tommy pisou no freio. — Eu estou dirig... Que porra é


essa? — É óbvio que ele está se esforçando ao máximo para
não rir. — Droga, todo esse tempo eu pensei que era o único
com os genes de merda. — Uma pena genuína brilha em seus
olhos. — Você tem apenas catorze anos, cara. Tenho certeza
que vai crescer.

— Foda-se, idiota. Esse não é meu pau.

Eu quase engasgo com o cuspe.

— Aquela piranha pegou uma foto minha que enviei para


Debbie, e colocou um pinto de bebê nela.

Tommy inclina o telefone e me arrependo de não fechar os


olhos. Será quase impossível tirar esse visual perturbador da
minha cabeça.

Royal hearts academy #1


Uma coisa é certa, quem fez isso era um profissional de
photoshop.

A única coisa que está saindo da foto, é a maneira como


Stone flexiona seus músculos no espelho e sorri
presunçosamente, parecendo muito orgulhoso de seu pênis
microscópico.

— Debbie é namorada dele — esclarece Tommy.

— Ex-namorada — Stone corrige. — Qualquer cadela que


dê uma foto minha para Bianca poder destruir minha vida,
pode se foder com um vibrador espetado.

Sento-me no meu lugar. — Espere, Bianca Covington fez


isso?

Stone assente. — Sim.

Isso parece... excessivo. Até para ela. — Por quê?

Stone bufa. — Porque eu sou irmã-

— Você vai se atrasar para sua entrevista de emprego. —


Tommy interrompe. Ele olha para Stone através do espelho
retrovisor. — Relaxe. Nós resolveremos isso mais tarde.

Stone balança a cabeça. — Não. Eu te disse, acabou. Não


há como me recuperar dessa merda. A não ser que abaixe
minha calça, mostre a ela meu pau de verdade, e o empurre
pela sua garganta na frente de todos.

Jesus. — Jace literalmente vai te matar se você mexer com


sua irmãzinha.

Hoje mesmo ele quase destruiu um aluno senior, que ela


enganou para dar uns amassos. Estremeço ao pensar no que
ele faria com um cara forçando o pau na garganta dela.

Royal hearts academy #1


Os olhos de Stone se tornam pequenas fendas. —
Engraçado, porque da última vez que verifiquei, foram os
DaSilvas que-

— Cale a boca! — Tommy estala. — Pare de trazer a tona


besteira velha.

Stone revira os olhos. — Tanto faz. Você está oficialmente


sozinho, quando se trata dessa besteira velha. Quando
chegarmos em casa, digo à mãe que quero voltar para a escola
pública. Se ela disser não, eu vou fugir.

Tommy pisa no acelerador. — Bem. Ok, Bro.

Dada a explosão de seu irmão mais novo, não posso deixar


de me perguntar. — Ainda existe sangue ruim entre você e
Jace?

Se houver, tenho quase certeza de a quem pertence, as


habilidades de photoshop utilizadas para a foto de Stone.

Muitas pessoas não sabem disso, mas Jace é um gênio


quando se trata de computadores.

Gráficos, programação e criação de seus próprios


videogames, são apenas algumas de suas áreas de
especialização. Ele pode passar horas - às vezes dias - na
frente de uma tela de computador, fazendo coisas que
levariam anos para os meros mortais aperfeiçoarem.

Tommy segura o volante. — Não. Quero dizer, não de


verdade. — Sua expressão se torna solene. — Verdade seja
dita, acho que ele nunca vai me perdoar por como eu tratava o
seu irmão.

— Mas você e Liam eram amigos antes...

Meu coração está doendo e não consigo terminar essa


frase.

Royal hearts academy #1


Liam deveria estar aqui.

— Eu sei. — Tommy diz suavemente. — Você está certa,


nós éramos. — Ele encolhe os ombros. — Sabe como é o Jace.
O Vaticano pode declarar-lhe um santo, e ele ainda guardará
rancor contra você, por um erro que cometeu quando criança.

Ele não está errado. Jace não guarda apenas rancor, ele
os abraça e os usa para alimentar sua raiva.

Seu próprio pai é um exemplo perfeito.

E agora ele está fazendo a mesma coisa comigo.

Me dando um gelo, mas não antes de tornar minha vida


um inferno.

Por razões que nunca vou entender.

Tommy aperta meu ombro. — Você está bem?

Na verdade não, mas não estou prestes a descarregar


meus problemas com Jace no Tommy.

— Sim. É péssimo que ele não possa deixar o passado.

— Não se estresse. Ele faz as coisas dele e eu as minhas.


— Ele sorri. — A única vez que o encontro, é quando jogamos
contra os Knights, e meu time acaba com a bunda de Cole em
campo.

Sua arrogância é quase cativante. Acho que vou ter que


verificar isso em algum momento.

— Estamos programados para jogar contra eles na sexta-


feira. — Ele pisca. — É o primeiro jogo da temporada, por isso
é um grande negócio. Seria incrível ver você lá.

Estou pensando em uma maneira educada de recusar,


quando ele chega a um pequeno prédio encantador, com uma
placa verde neon que diz: ‘Top of the Muffin'.

Royal hearts academy #1


Depois de verificar meu relógio, abro a porta do carro. —
Você é um salva-vidas.

— Eu posso buscá-la, se quiser. — Ele gesticula para o


irmãozinho. — Depois que o deixar.

— Você tem certeza? Eu não-

— Desculpe, não consigo te ouvir — ele diz com uma


piscadela enquanto sai do estacionamento.

— Estamos sem biscoitos — uma mulher gorda com


cabelos ruivos e um toque de sotaque irlandês me
cumprimenta, enquanto ando até o balcão.

Eu sorrio. — Tudo bem, eu-

— E isso inclui macaroons14. — Ela me olha de cima a


baixo. — Eu conheço o seu tipo.

Não acredito que essa mulher esteja me julgando sobre


minha escolha de assados.

Ela também está errada. Eu sou uma garota de bolo de


chocolate. Um macaron passou pelos meus lábios uma vez, e
foi o suficiente.

Eu sorrio mais. — Isso é legal, eu não-

— Se você está procurando um desses desastres de cream


cheese com especiarias e abóbora, há um Starbucks na
estrada.

Como é que essa mulher permanece nos negócios?

— Também não estou procurando nenhum.

14 Macaron ou macaroon é um pequeno bolo granulado e comumente produzido sob forma


arredondada de 3 ou 5 cm de diâmetro, especialidade de Lorraine, na França. Não deve ser confundido
com o massepain de Saint-Léonard-de-Noblat, em Limousin.

Royal hearts academy #1


A mulher está visivelmente irritada. — Não tenho-

— Entrevista de emprego! — eu deixo escapar. — Que tal


esse?

A mulher pisca. — Oh. — Ela estende a mão. — Dylan,


certo? Sua tia me disse que você estaria aqui.

Eu agito. — Prazer conhecê-la.

Ela me estuda com cautela, sua irritação comigo


retornando. — Então me diga, Dylan de cabelo azul. Qual é a
sua sobremesa favorita?

— Eu gosto de bolo de choco...

— Desculpe. — Ela aponta para a porta. — Receio que


não se encaixe bem.

Ela não pode estar falando sério. — Espere? Bem desse


jeito? Isso não é justo. Você nem me entrevistou.

Ela levanta um dedo. — Ah, mas eu fiz. E não gosto de


mentirosos.

Ok, agora estou ofendida. — Eu não menti. Realmente


gosto de bolo de chocolate. É simples e clássico e-

— Não é o seu favorito. — Ela cruza os braços sobre o


peito. — Bem. Vamos tentar mais uma vez. Qual é a sua-

— Pãozinho Irlandês?

Agora, estou mentindo. Mas se eu conseguir o emprego,


que assim seja.

— Puxa saco. — Ela acena com a mão. — Adeus.

Meu coração afunda. — Por favor, diga-me qual é a


resposta certa. Ou melhor ainda, faça-me algumas perguntas
reais. — Começo a marcar as coisas com os dedos. — Quão

Royal hearts academy #1


séria é minha ética de trabalho. Ou se eu sou capaz de
trabalhar noites e fins de semana, eu sou, a propósito. Ou, se
tenho experiência - tudo bem, talvez não pergunte isso porque
não tenho, mas sou uma aprendiz rápida. — Seguro o seu
olhar. — Lamento não ter escolhido a sobremesa mais chique,
ou se você pensou que estava mentindo porque gosto de bolo
de chocolate, mas realmente preciso desse emprego e farei
apenas uma-

— Qual é a sua...

— Cannoli15!! — Grito. — Eu gosto de cannolis, ok?

Ela revira os olhos. — Esse foi o meu quarto palpite.

— Isso significa que você me dará uma chance?

Seus lábios tremem. — Talvez.

A campainha acima da porta toca e um homem de terno


entra. Ele está segurando um buquê de flores e parece que vai
desmaiar a qualquer segundo.

Afasto-me para que ele possa fazer seu pedido.

— Oi, vou pedir a minha namorada hoje à noite em


casamento. Eu sei que é de última hora, mas estava esperando
conseguir um pouco de morangos cobertos com ch...

— Não. — Ela bate no balcão enfaticamente. — Você


parece um homem de cheesecake.

Essa mulher não é apenas louca, ela é a pior vendedora da


história de todos os tempos.

O homem vai ficar noivo. Deixe-o pegar alguns morangos.

15 Os cannoli são uma sobremesa proveniente da Sicília, que consiste em uma massa doce frita, em
formato de tubo, recheada com um creme de ricota. Os cannoli são bem populares na cozinha italiana
nos Estados Unidos.

Royal hearts academy #1


Ele sorri nervosamente. — Cheesecake é o meu favorito,
mas eu sei que ela realmente ama-

— Suponho que você comprou um anel bonito para ela?

Ele assente enfaticamente. — Sim, um pouco mais de dois


quilates.

Ela assobia. — Garota de sorte. — Ela coloca uma caixa


de bolo vazia no balcão. — Confie em mim, você quer o
cheesecake.

As sobrancelhas dele se juntam quando ela remove um


grande da caixa de vidro. — Mas ela gosta de-

— Aceite de alguém que sabe, jovem. É fácil cortar pela


metade a batata onde houver amor.

Compreensivelmente, ele estava confuso. — Eu não tenho


ideia do que isso significa.

Você e eu, amigo.

— Isso significa, — ela puxa quando fecha e depois cola a


caixa. — Que quando você está apaixonado, compartilha tudo
sem ressentimento. — Ela aponta para o bolo agora
embalado. — Incluindo este delicioso cheesecake.

Antes que ele possa falar, ela aperta alguns botões em sua
caixa registradora. — Isso será $52. 47.

Para minha surpresa, o homem pega sua carteira e a paga


antes de sair com a sobremesa que ele não pediu.

Os olhos dela se voltam para mim. — Quartas-feiras


depois das aulas, das quatro às oito e sábados das seis às oito
da noite. O salário é de doze dólares por hora. Sem férias
pagas ou tempo de doença. Se você se sair bem, adicionarei
outro turno.

Royal hearts academy #1


Seu tom não deixa espaço para negociação, então eu
aceito. — Perfeito.

Ela abre a caixa de vidro novamente. — Você é uma boa


padeira?

— Sim, — eu minto. — Mas você sabe o que dizem,


sempre há espaço para melhorias.

Ela resmunga. — Como estão suas habilidades de


limpeza?

— Top de linha.

Pelo menos isso não é mentira.

Com um suspiro, ela coloca um pequeno saco de papel no


balcão e coloca um cannoli nele antes de entregá-lo para mim.
— Te vejo na quarta-feira. Diga à sua tia que eu disse oi. —
Ela levanta um dedo. — Espere.

Observo enquanto ela retira uma Torta de maçã do


mostrador e a coloca na sacola. — Sua favorita.

Engraçado, porque eu juraria que o favorito dela era


pãezinhos de canela, mas não vou discutir.

Como prometido, Tommy está esperando lá fora por mim.

— Obrigada — digo enquanto deslizo para o banco de


passageiros.

— Você conseguiu?

— Depois de algumas tentativas.

Quando ele levanta uma sobrancelha, eu explico. —


Digamos que ela é muito exigente quanto as sobremesas
favoritas das pessoas.

Royal hearts academy #1


Rindo, ele sai do estacionamento. — Eu deveria ter
avisado sobre isso. Minha culpa.

Um silêncio constrangedor se constrói depois que dou o


meu endereço e ele conecta ao GPS.

— Seu irmão-

— Pelo que vale fico feliz que você tenha voltado — ele diz
ao mesmo tempo.

Eu brinco com uma linha solta na minha saia. — Gostaria


de poder dizer o mesmo.

— Tudo certo?

— Sim... não, na verdade. — Respiro fundo. — Se eu lhe


contar uma coisa, pode ficar entre nós? As únicas pessoas que
sabem são minha família e-

— Dylan. — Ele olha para mim pelo canto do olho. —


Nunca te julgarei. Você sabe que eu fiz minha parte de merda
horrível. Pode me dizer qualquer coisa.

Aqui vai. — Meu pai... ele fez algumas coisas ruins em seu
trabalho. — Engulo o formigamento na minha garganta. — E
agora ele está preso por peculato. É por isso que voltei. Minha
tia mora aqui com o marido, e eles foram gentis o suficiente
para me acolher, para que eu pudesse terminar meu último
ano do ensino médio.

— Merda. — Ele exala bruscamente. — Droga. Eu sinto


muito.

— Sim, é... quero dizer, estou bem. Meu pai é um idiota


por roubar para impressionar sua esposa burra, e merece
servir seu tempo, mas ainda é muito embaraçoso. Felizmente,
não apareceu nas manchetes nacionais, apenas em alguns
artigos no jornal local. — Os nervos se amontoam no meu
estômago. — Eu realmente aprecio que você não conte a uma

Royal hearts academy #1


alma. Não quero que todos na cidade saibam que meu pai é
um ladrão, ou que ele está na cadeia.

Ele se aproxima e dá um pequeno aperto no meu joelho. —


Seus segredos estão seguros comigo. — O canto da sua boca
se inclina para cima. — Se isso faz você se sentir melhor, meu
pai esteve dentro e fora da cadeia minha vida toda.

Não me sinto melhor. — Eu sinto muito.

Ele encolhe os ombros quando vira no meu quarteirão. —


Não sinta. O cara é um perdedor. Sempre foi, sempre será.

— Isso é péssimo. Eu sint-

— Que tal pararmos de pedir desculpas por coisas que não


são nossa culpa? — ele diz enquanto se aproxima do meio-fio
ao lado da casa da minha tia.

É algo com que posso concordar. — Combinado.

O constrangimento de mais cedo volta no momento em


que ele desliga o motor e me encara.

— Senti sua falta.

— Sim, o mesmo aqui. Foi bom vê-lo novamente. — Pego


minha bolsa do chão. — Obrigada pela caron-

— Tentei entrar em contato com você algumas vezes


depois que saiu.

Merda. Esta é a conversa que tenho temido. — Eu sei.


Sinto muito.

Eu sempre quis responder às mensagens dele, mas estava


muito ocupada tentando lidar com todas as novas mudanças
na minha vida.

Além disso, Tommy me lembrava Jace.

Royal hearts academy #1


Jace que estava me ignorando.

Assim como eu estava ignorando Tommy.

— Eu deveria ter respondido para você de volta.

— Por que você não respondeu?

Como você diz a alguém que seus sentimentos estavam te


assustando? Ou que você gostava de alguém muito mais do
que gostava dele?

Meu estômago dá um nó quando me ocorre. Talvez seja


por isso que Jace se recusou a falar comigo?

Não. Se ele não tivesse sentimentos por mim, não teria


feito ou dito o que fez logo antes de eu sair.

— Eu não sei.

Tommy olha para mim como se eu estivesse cheia de


merda. Ele não está errado.

— Wow... — ele zomba. — Uma das coisas que mais


gostava em você era que, em um mundo cheio de mentirosos e
fakes, você sempre se manteve verdadeira.

Ele tem razão. Normalmente, não tenho problemas em


dizer a verdade.

No entanto, não quero machucá-lo. Não quando ele não foi


nada além de bom para mim, e sei como é ser desprezado por
alguém que você pensou que era um amigo de verdade.

Examino meu cérebro em busca de um núcleo de verdade


para acalmá-lo. — Foi um tempo agitado. Eu estava tentando
me encaixar em uma nova escola, lidar com meu pai se
casando com minha madrasta mostro e-

— Namorando aquele hipster com um nome estranho. —


Suas palavras têm uma ligeira nota de descontentamento

Royal hearts academy #1


sobre elas, apesar do sorriso torto que me dá. — Talvez eu
tenha espiado seu Instagram algumas vezes.

Então ele deve saber que não estamos mais juntos. E não,
já faz um tempo.

Caspian - ou Casper - como seus amigos o chamavam foi


meu primeiro namorado de verdade.

Eu não gostei dele no começo, mas quando fomos


designados parceiros para um projeto da escola, as faíscas
voaram.

Por um tempo, pelo menos.

No final, Caspian e eu namoramos apenas oito meses. Me


importava com ele o suficiente para lhe dar meu cartão V16,
algumas semanas antes de nosso relacionamento terminar,
mas nunca me apaixonei por ele.

Não como eu fiz com Jace.

É por isso que eu sabia que tinha que terminar com ele.

Considerando que ele fodeu minha amiga dois dias depois,


ele se recuperou rapidamente.

Tommy por outro lado, obviamente ainda está chateado


comigo por tê-lo dispensado.

— Olha, eu já te disse que estou arrependida. Não sei mais


o que você quer-

— O que eu quero, é a minha chance. — Seu olhar se fixa


na minha boca. — É tudo o que eu sempre quis de você.

Oh, garoto. Eu não estou no estado de espírito certo, para


ter qualquer tipo de relacionamento romântico.

16
Sua virgindade.

Royal hearts academy #1


— Minha vida está uma bagunça, Tommy. — Uma onda
de exaustão toma conta de mim. — E ela só vai ficar mais
bagunçada, porque Jace me odeia e não tenho ideia do porquê.
— Jogo minhas mãos para cima e rio impotente. — E ele não
é o único. Britney está de volta aos seus velhos truques, com
sua equipe de garotas malvadas. Bianca Covington está
planejando meu assassinato por algum motivo desconhecido.
Inferno, até meu próprio primo... — Para minha surpresa e
vergonha, minha voz falha. — Não pretendo colocar toda essa
merda em você. Eu realmente não estou pronta-

— Entendi, você tem muito com o que lidar. — A


preocupação alinha seus traços quando ele inclina meu
queixo. — Não estou tentando adicionar mais besteira ao seu
prato. Estou contente em ser seu amigo... por enquanto.

— Obrigada. Isso é... eu realmente poderia ter um amigo.


— Inclino minha cabeça. — Eu provavelmente deveria ir antes
que minha tia fique preocupada e venha aqui.

Ela não vai. Não é apenas descontraída, duvido que ela


possa nos ver, porque a casa fica no topo de uma colina
gigante. No entanto, quanto mais tempo eu ficar neste carro,
pior me sinto por não poder dar a ele o que quer.

— Ei, Dylan? — ele chama quando eu começo a andar.

Eu giro. — Sim.

— Você tem meu número. Se precisar de uma carona, ou


alguém com quem conversar... se precisar de alguma coisa.
Estou aqui.

Dou-lhe um sorriso sincero. — Isso significa muito.

Um músculo em sua mandíbula pula. — Da próxima vez


que Jace começar a brigar com você, é melhor me dizer. Não
quero que ele faça você se sentir uma porcaria, ou encha sua

Royal hearts academy #1


cabeça de mentiras, porque não pode lidar com sua merda e
está descontando em você.

Está na ponta da minha língua dizer a ele que sou


perfeitamente capaz de lidar com Jace sozinha, mas realmente
quero entrar para encontrar Oakley, e tentar achar um ponto
em comum com ele.

— Claro. — grito por cima do ombro antes de começar a


subir a garagem.

Fico grata quando ele liga o motor e o ouço ir.

Estou passando no carro de Oakley quando olhos escuros


e furiosos cortam através de mim como uma faca quente na
manteiga.

— Jace. O que você está-

Como se estivesse respondendo minha pergunta, Oakley


sai correndo pela porta da frente. Tem uma toalha de praia
pendurada no ombro e um calção de banho na mão.

— Pronto para... — Ele para de falar quando me vê.

Claro que Jace está aqui para ver Oakley.

Meu estômago está doendo. Jace e Oakley são melhores


amigos agora.

Os olhos de Jace travam em algo atrás de mim, mas ele


permanece em silêncio.

Oakley rastreia seu olhar e faz uma careta. — Que porra


Tommy DaSilva estava fazendo aqui?

É tudo o que posso fazer para não revirar os olhos. — Me


dando uma carona para casa. Sabe... como você deveria ter
feito.

Royal hearts academy #1


Ele bufa. — Droga, eu sabia que você era fácil, mas não
achava que estivesse desesperada.

Raiva corre sobre a minha pele. — Com licença.

Ele dá um passo à frente. — Esse pedaço de merda não é


bem-vindo aqui. Nunca.

Ele não tem o direito de me dizer com quem eu posso sair.


Especialmente desde que começou o boato que me fez uma
leprosa.

— Esse pedaço de merda é meu amigo. Lide com isso.

Ele balança um dedo na minha cara. — Cristo, você tem


muita coragem. Quer rodar por aí com o lixo, faça-o em outro
lugar. Se eu pegá-lo em minha propriedade novamente-

— Não é sua propriedade. — eu lembro. — A última vez


que verifiquei, era do seu pai. — O encaro. — Você não possui
merda nenhuma, vadio. Exceto talvez, alguns sacos de
maconha para que possa ficar chapado, e esquecer o perdedor
que você realmente é.

Oakley joga a cabeça para trás e ri. — Eu sou o perdedor.


Menininha, não deturpe as coisas. — Sua voz cai em um
sussurro gelado. — O boato é que a coisa mais legal sobre
você, é que todo mundo pensa que eu coloquei meu pau na
sua boceta.

Tudo o que posso fazer é tentar não enfiar o punho no


nariz dele. Tanto para tentar uma trégua...

Eu zombo. — Oh meu Deus, coitadinho. — Olho para


Jace, que está ali tão impassível quanto uma estátua. — Você
não contou a ele?

Meu olhar volta para o meu primo. — Eu odeio dizer isso


para você, querido, mas só é popular por causa dele. —
Estendendo a mão, dou um tapinha no seu ombro. — Como é

Royal hearts academy #1


saber que nunca será bom o suficiente, para ser mais do que o
fantoche de alguém? Ou que todas as garotas que você
pegou... estão secretamente desejando que você fosse outra
pessoa.

Eu posso dizer que foi um golpe baixo pela maneira como


sua voz cai. — Me escute bem, seu pequeno inseto . Seu lugar
aqui não é permanente. Tudo o que tenho a fazer é estalar os
dedos. — Para provar seu argumento, ele o faz. — E você e o
lixo da sua tia, estarão na rua. — Ele bate seu peito contra
mim com tanta força, que tropeço para trás. — Porra, me
tente.

— Vamos lá, — Jace resmunga. — Britney disse que as


meninas já estão na piscina. — Ele aperta a mão no ombro de
seu amigo, direcionando-o para o carro. — Aposto que Hayley
está usando aquele biquíni vermelho que você gosta.

Oakley sorri como o gato Cheshire. — Eu amo muito


aquela coisa. Faz as mamas dela parecerem enormes.

Jace assente. — Sim cara. Agora, pare de brigar com ela


para que possamos nos divertir. — Por um momento, acho
que Jace está me fazendo muito bem, mas então ele diz —
Divirta-se com garotas que não são sanguessugas de duas
caras.

O olhar que ele me dá quando entram no carro de Oakley


e partem, poderia derreter uma geleira.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Hey, você está em casa. Como foi seu primeiro dia? —


minha tia pergunta enquanto eu penduro meu blazer no
cabide perto da porta da frente.

Meu rosto deve me denunciar porque ela franze a testa. —


Oh, meu Deus. Sou a pior tia de todos os tempos. Por favor,
diga-me que não voltou para casa a pé. Eu ia buscá-la, mas
achei que Oakley a traria. E então, quando recebi seu texto,
percebi que ele não o fez... mas então recebi seu segundo
texto, e você disse que um amigo seu estava lhe dando uma
carona, então-

— Tudo bem, eu não estou brava com você.

É claro que ela não compra porque me guia até o sofá na


sala de estar. — Tudo bem, comece a falar. O jantar está na
panela elétrica, o que significa que tenho pelo menos uma
hora e meia para conversa de garotas.

— Não há nada para falar. Se você não se importa, vou


tirar uma soneca antes do jantar.

Se eu rachar e contar a ela tudo o que está acontecendo


na escola, será como experimentar tudo de novo e só quero
esquecer por algumas horas.

A preocupação brilha em seus olhos. — Mas eu realmente


quero saber como foi o seu dia. — Seu rosto se ilumina. —
Você conseguiu o emprego?

Eu concordo. — Sim. Quartas-feiras depois da escola e


sábados das 6h às 20h.

Royal hearts academy #1


Ela torce o rosto. — Esse sábado é um assassino para sua
vida social, mas acho que você pode descansar aos domingos.

É preciso tudo em mim para não rir. — Que vida social?

Ela acena com a mão. — Não se preocupe, uma garota


bonita e inteligente como você, terá enxames de meninos ao
redor em pouco tempo. Aposto que eles já começaram.

Essa é a coisa da minha tia Crystal. Eu a amo, mas ela


nunca foi uma pária social. Era a líder de torcida e namorava
o cara mais popular da escola.

Ela era Britney.

Apenas uma versão loira e muito menos vil.

Ela se senta ereta. — Conte-me sobre essa amiga que a


deixou. Você a conhece de-

— Ele. — eu a corrijo. — E sim. Nós somos meio que...


velhos amigos. Eu acho.

Os olhos dela brilham. — Esse garoto tem nome?

— Tommy. — Olho para o tapete. — Mas ele não estuda


no RHA. Ele frequenta a escola pública do outro lado da
cidade.

Suas sobrancelhas franzem. — Então como...

— Ele estava pegando seu irmão mais novo que vai para a
RHA. Ou melhor, costumava ir.

Ela pisca. — Oh.

Se houvesse um bom momento para pressionar para ir à


escola pública novamente, seria esse o caso.

Royal hearts academy #1


— Então... eu estava pensando, você e o tio Wayne
reconsiderariam, me mudar de colégio...

— Querida, não. Sinto muito, mas é a única coisa em que


seu tio Wayne não aceita. Ele quer que você tenha a melhor
educação. — Ela suspira. — Pessoas obtusas realmente o
incomodam. Ele diz que lida com elas o dia todo no tribunal, e
não quer lidar com elas em casa também.

Quero ressaltar que existem muitas pessoas obtusas com


educação de um milhão de dólares. Assim como uma
infinidade de pessoas inteligentes que frequentaram escolas
públicas, mas é indiscutível neste momento.

Eu me levanto. — Certo. Vou tomar um banho rápido e


tirar uma soneca. Eu vou jantar.

O rosto dela se contrai. — Essa camisa está nadando em


você. Eu poderia jurar que peguei um tamanho pequeno...

— Você pegou. — abro minha bolsa e a entrego a sacola


com os doces. — Mas Britney me fez tropeçar no almoço, e cai
em cima da minha bandeja de espaguete com almôndegas.
Felizmente, uma garota chamada Sawyer teve pena de mim, e
me emprestou uma de suas camisas extras.

A mão dela voa para a boca. — Espere. O quê? Uma garota


te fez tropeçar na cafeteria.

— Sim.

— De propósito?

— Oh sim. Sou a inimiga pública número um dela.

Crystal parece indignada. — Qual é o sobrenome dessa


pirralha? Vou ligar para os pais dela...

Royal hearts academy #1


— Tia Crystal, completarei dezoito em poucas semanas,
não oito.

Ela parece desanimada. — Eu sei, mas... eu não sei,


Dylan, você não pode esperar que eu não faça nada sobre isso.
Ninguém mexe com minha sobrinha e foge disso.

Espere até ela descobrir que tipo de boato seu enteado


começou sobre mim.

Eu me sinto uma porcaria por pensar que ela não poderia


entender, quando vejo as lágrimas em seus olhos.

— Sempre fomos próximas. Você é como minha... você


sabe o quanto eu te amo.

Eu sei. E vê-la tão chateada me faz sentir uma merda.

— Lido com Britney há anos. Ela é como um fungo que


nunca desaparece, mas eu posso lidar com isso. Vou ficar
bem.

— Você tem certeza?

— Sim. É o que é. Mais cedo ou mais tarde ela ficará


entediada.

Tristeza brilha em seus olhos azuis. — Você me lembrou


muito a sua mãe agora. — Ela tira um lenço de papel de uma
caixa próxima, e enxuga os olhos. — Ela era tão forte e bonita.

Começo a sorrir, mas então ela começa a chorar.

Eu congelo, sem saber o que fazer. Ela é definitivamente a


mais emocional de nós duas, mas nunca a vi tão emocionada
antes.

Estou completamente fora do meu elemento. — Então...


é...

Royal hearts academy #1


Ela acena um lenço de papel. — Estou bem, eu juro. É
apenas o Clomid.

Eu não tenho ideia do que é isso. — Isso é uma técnica de


ioga sofisticada ou algo assim?

Ela ri, apesar das lágrimas ainda escorrendo pelo rosto. —


Não, é meu medicamento para infertilidade.

Bem, merda. — Oh. Eu não sabia que você estava fazendo


isso.

Embora eu acho que não é surpreendente. Minha tia


queria ter filhos desde que me lembro. Para ser sincera,
sempre me perguntei por que ela e Wayne ainda não tinham.

Acho que agora eu sei.

— Não queria te contar, porque não queria que pensasse


que está nos incomodando por vir morar aqui. — Ela pega
minha mão e eu me sento. — Você não está. Eu precisava de
algo para alegrar meu ânimo depois do aborto, e ter você aqui
é isso.

Meu coração torce. — Eu sinto muito. Eu não...

— Você não deveria. Eu sei como você é, Dylan. Eu não


queria faze-la sentir que estava atrapalhando. Ou te fazer
pensar em... — Sua voz desaparece.

Minha mãe.

A única coisa pior do que encontrar minha mãe morta, no


chão da cozinha naquela manhã... era que ela estava grávida
de cinco meses, quando isso aconteceu.

Eu não só a perdi. Perdi também minha irmãzinha.

A que eu disse aos meus pais que nunca quis.

Royal hearts academy #1


A ironia... porque eu daria tudo para ter as duas hoje.

Um pensamento perturbador e horripilante me atinge. —


Tia Crystal, você está bem? Disse que teve um aborto
espontâneo. Teve um ataque cardíaco como minha mãe?

Ela parece bem, mas minha mãe também. A sala começa a


girar e é difícil aspirar oxigênio.

Minha tia é literalmente tudo o que me resta. Se eu a


perder... não posso.

— Não, nada disso. — Ela me puxa para um abraço. —


Estou bem. Isso aconteceu há pouco mais de um mês e meio
atrás. Eu mal sabia que estava grávida, era tão cedo. O médico
disse que era apenas uma daquelas coisas que acontecem às
vezes.

Eu a abraço mais forte. — Tem certeza de que deveria


tentar novamente tão cedo? — Não é da minha conta, mas
preciso garantir que ela esteja bem. — Não estou tentando ser
deprimente. Só não quero que nada de ruim aconteça com
você.

— Estou em perfeita saúde, prometo. — Ela sorri. — Na


verdade, eu tive uma consulta com meu médico hoje. Foi por
isso que não respondi imediatamente ao seu primeiro texto.

O alívio me enche, e meus olhos ficam vidrados. — Ah.


Isso é bom.

— Olhe para você sendo a idiota agora.

— Eu não posso evitar. Foi um dia de merda e não quero


perder minha tia favorita.

— Sou sua favorita, porque sou a única. Mas eu aceito,


garota. Você está presa comigo para sempre.

Royal hearts academy #1


— Promete?

— Sim. Mas vou precisar que você me diga onde está essa
garota Britney, para que possa chutar a bunda dela.

Isso só me faz chorar mais. — Ela está com Jace, fazendo


uma estúpida festa na piscina.

Eu posso ouvir a decepção em seu suspiro. — Os meninos


são tão estúpidos às vezes. Jace pode ser o garoto lindo e
popular da escola agora, mas ele também é um imbecil. Mais
cedo ou mais tarde, ele perceberá seus caminhos idiotas e
voltará rastejando.

— Não tenho tanta certeza disso. Ele está realmente


zangado comigo e não faço ideia do porquê.

Ela segura minhas bochechas. — Você e eu sabemos que


não fez nada errado. Eram melhores amigos. Um vínculo como
vocês dois tinham, não desaparece no ar. Ele tirará a cabeça
da bunda e voltará logo.

O som do meu tio pigarreando interrompe nosso pequeno


abraço. — Está tudo bem?

— Não. — Crystal diz quando nos separamos. —


Precisamos de chocolate.

— E sorvete.

Eu também poderia ir atrás de ouro.

Minha tia me entrega um lenço de papel e segura a caixa


vazia. — E mais lenços.

Os olhos de Wayne se arregalam. — Qualquer outra coisa


que vocês duas queiram?

Royal hearts academy #1


Sim. Eu quero fazer do seu filho minha piñata17 pessoal.

Mas principalmente?

Quero meu melhor amigo de volta.

17 A pinhata ou pichorra é uma tradição ibérica bastante difundida em certos países americanos.

Trata-se de uma brincadeira, que, normalmente, se dedica às crianças, onde acertam com um bastão
um boneco oco, mas cheio de doces, até quebrar.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Eu sinto no momento em que minha tia me deixa na


escola, na manhã seguinte.

Algo está errado.

As pessoas estão olhando.

Alguns deles estão rindo.

Todo mundo está sussurrando.

E eu mal pisei dentro do prédio.

Você acharia que o boato estúpido sobre eu ficar com o


Oakley já seria uma notícia antiga, mas aparentemente não.

Sawyer corre apressadamente, no segundo em que me vê


no corredor. — Ei. Você está aqui.

— As pessoas realmente precisam ter uma vida.

Ela embaralha os pés. — Sim.

— Eu não fodi meu primo. — assobio alto o suficiente


para que as pessoas que estão olhando por perto ouçam. —
Encontrem outra coisa para alimentar seu drama.

— Nós já temos. — diz um cara presunçoso.

— O que isso deveria significar?

Sawyer solta um suspiro. — Sinto muito, Dylan. Tentei


tirar o máximo que pude, mas eles continuam colando-os de
volta.

Royal hearts academy #1


— Colando o quê? — Meus joelhos dobram quando
viramos o corredor onde meu armário está.

Isso não pode estar acontecendo.

— Como eles... — eu engulo e parece vidro. — Quem?

Meu estômago revira quando passo pelas fileiras de


armários alinhados com a foto do meu pai e um artigo
descrevendo seu caso no tribunal.

Toda a minha roupa suja, a única coisa que eu queria


manter em segredo, está apresentada para todo mundo ver.

A humilhação queima através de mim como fogo, quando


me aproximo do meu próprio armário, onde a palavra ladrão
está pintada com spray vermelho brilhante.

Quem malditamente teria um coração tão frio, cruel...

Eu congelo quando me ocorre.

Oakley não só sabe que meu pai está preso, ele não gosta
de mim o suficiente, para usar as informações para me
machucar.

Desde o momento em que pisei em Royal Manor, ele


deixou claro que eu não era bem-vinda.

Imaginei que acabaria logo, mas ele foi longe demais desta
vez.

— Eu vou matá-lo.

As sobrancelhas de Sawyer se erguem. — Quem?

Eu não respondo a ela porque estou muito ocupada


abrindo caminho pelo corredor cheio de pessoas, procurando o
idiota responsável pelo espetáculo de hoje e de ontem.

Royal hearts academy #1


Meu pulso acelera quando meu Doc Martens martelam o
chão brilhante de terrazzo18. Cada passo que dou é alimentado
por veemência.

Estou aqui há menos de uma semana e já cheguei ao meu


ponto de ruptura.

Eu tentei ignorá-los.

Eu tentei dar a outra face.

Eu tentei me defender... tudo sem sucesso.

E a única pessoa que deveria proteger as minhas costas


nesse buraco do inferno, meu membro da família, é quem está
puxando as cordas para esse pequeno show de merda.

Se eu não fizer algo drástico e acabar com as besteiras


agora, isso só continuará.

Pego Oakley saindo no final do corredor perto do seu


armário. Ele está de costas para mim, quando uma garota
visivelmente agitada, que eu presumo ser a sua namorada, o
repreende por ignorar os telefonemas dela.

Espere sua vez, querida. Ele é meu primeiro.

Pessoas intuitivas, que podem sentir o cheiro de uma


briga a uma milha de distância, se afastam quando eu me
aproximo dele.

Com pouco mais de um metro e oitenta, Oakley tem quase


quarenta e cinco quilos a mais que eu, mas isso não me
impede na minha missão.

Eu posso ser mal-humorada, mas já lutei o suficiente para


saber que o primeiro soco tem poder suficiente para

18 Piso, revestimento.

Royal hearts academy #1


desorientá-lo, ou pelo menos, desnorteá-lo o suficiente para
que consiga um segundo.

Quanto maiores eles são, mais forte eles caem. Eu me


lembro quando bato em seu ombro.

Fica claro que minha presença é indesejada quando ele


gira em torno. Sentimento mútuo, idiota.

— O que você qu-

Eu não falo, apenas ajo.

No momento em que registro o som dos meus dedos


estalando contra os ossos de sua face, sei que consegui um
bom.

E eu não paro por aí. Nem mesmo quando ele levanta uma
das mãos em legítima defesa.

— Cristo. Qual é a porra do seu problema?

Minha resposta é outro soco. Desta vez direto para a


garganta. — Você.

Ele tropeça para trás. A mão que cobre o olho voa para o
pescoço, e ele tosse.

Metade das pessoas que nos rodeiam ofegam de surpresa,


enquanto a outra metade incentiva Oakley a me dar um soco
de volta.

Mas ele não vai. Ele não pode. Eu bati o ar fora dele
temporariamente.

É exatamente a posição em que eu o queria. Incapaz de


lutar, mas também muito orgulhoso de pedir ajuda a alguém
enquanto uma garota bate em seu traseiro.

Royal hearts academy #1


Ele se lança em minha direção e, por uma fração de
segundo, acho que vai me bater, mas ele começa a se afastar.

Ainda não terminei com você.

Segurando sua camisa, eu puxo o material até rasgar, e


ele é forçado a me encarar novamente.

— Diga a todos a verdade! — exijo.

— Sobre o quê?

Resposta errada. Meu joelho vai direto para as suas bolas.

Ele se dobra de dor. — Jesus Cristo.

Pego um punho cheio de seus cabelos loiros escuros,


obrigando-o a olhar para mim. — Diga-lhes a verdade.

— Bem. Eu não transei com você. — Seu riso é


provocador. — Não estou tão desesperado.

Eu dou outro soco em seu rosto com a mão livre. Sangue


respinga na frente da minha camisa branca como gotas de
chuva no para-brisa.

— Sua vadia louca! — ele late enquanto inclina a cabeça,


tentando parar o sangue gotejando do nariz.

Ele não está errado. Eu fiz meu ponto e devo parar, mas
não posso.

Me faz me sentir bem demais.

Minha palma se conecta com sua bochecha. — Quem é a


vadia agora?

— Caralho... Eu juro por Deus... — ele ruge, me


empurrando.

Royal hearts academy #1


— Qual é o problema? — Eu zoo, navegando meu joelho
em seu saco pela segunda vez. — Ficando cansado de ter sua
bunda entregue a você por uma garota, na frente de toda a
escola?

Ele está agachado agarrando suas bolas, mas eu ouço um


rosnado baixo se libertar. Posso dizer que foi a última gota, e
ele vai me cobrar a qualquer segundo.

Devo estar mais perturbada do que pensei, porque quero


que ele faça.

— Vamos lá! — eu peço enquanto bato nele de novo e de


novo, batendo nas suas costas tantas vezes que perco a conta.
Minha visão fica vítrea. — Me bata, idi...

Um par de braços fortes me envolve e estou no ar contra


minha vontade brevemente. Eu chuto minhas pernas quando
eles começam a me rebocar para longe, mas seu aperto de
ferro é inflexível.

Suponho que seja um professor ou segurança, mas


quando olho para o braço em volta da minha barriga, percebo
que as mangas de sua camisa branca estão arregaçadas,
exibindo fortes antebraços musculares e pele perfeitamente
bronzeada que eu reconheceria em qualquer lugar.

— Deixe-me ir, Jace. — cerro os dentes. — Ainda não


terminei com seu precioso garoto.

O ciúme reveste meu interior e não faço nenhum esforço


para escondê-lo.

Detesto Oakley por começar rumores sobre mim. Eu o


detesto por contar a todos sobre o meu pai, de uma maneira
tão bagunçada, e me humilhar.

Mas o detesto ainda mais por tomar o meu lugar, como o


melhor amigo de Jace.

Royal hearts academy #1


Estou furiosa, cheia de adrenalina e raiva, quando Jace
me arrasta para um armário de armazenamento e tranca a
porta.

A única lâmpada fraca, balançando acima de nós como


um pêndulo, ilumina sua estrutura alta e esbelta o suficiente,
para eu distinguir a linha afiada de sua mandíbula e o formato
perfeito daqueles lábios carnudos.

Minha reação à proximidade dele é visceral.


Instantaneamente meu pulso, minha respiração e minhas
emoções - batem em excesso.

Quando eu era criança, não entendia por que


experimentava uma resposta tão extrema quando ele estava
por perto, mas agora sim.

Ninguém no mundo inteiro, tem o poder de me fazer sentir


amor e ódio ao mesmo tempo, além de Jace Covington.

Ele é o yin do meu yang. O baixo para o meu alto. O louco


para o meu normal.

As peças danificadas em todas as minhas partes


quebradas.

Eu poderia fazer amizade com todas as pessoas no


planeta, e ninguém nunca vai me conhecer do jeito que ele
conhece.

Ninguém nunca chegará perto de me fazer sentir tão viva,


ou acender minha alma em chamas.

Ninguém nunca vai me machucar mais.

— Olha, eu não se-

Royal hearts academy #1


— Cale a boca. — Em dois passos, ele está diminuindo
a distância entre nós, me prendendo contra a parede. — Você
não é quem está dando as cartas dessa vez.

Claramente, a memória dele é diferente da minha, porque


eu nunca dei nenhuma das cartas, quando se tratava de nós
dois.

— O que você quer de mim?

Por que você está me tratando, como se eu fosse mais baixa


que a sujeira?

Seu olhar cai no meu peito e sua expressão escurece. —


Nenhuma maldita coisa.

Ele pode querer acreditar nisso, mas seus olhos o traem.


Eles estão cheios de saudade e desejo, apesar de toda a sua
hostilidade.

Pressiono a palma da mão no seu peito e sua frequência


cardíaca acelera. — Você tem certeza disso?

Minha respiração trava quando sua mão desliza pela


frente da minha camisa, descansando intencionalmente entre
os meus seios antes de viajar até a minha garganta. — Vamos
esclarecer uma coisa. — Dou um suspiro de surpresa quando
ele agarra a parte de trás do meu pescoço. — O que eu senti
por você naquela época, não existe mais.

Nós dois sabemos que isso não é verdade, caso contrário,


ele não estaria em um armário comigo. Novamente.

Meu peito dói quando a lembrança vívida da última vez


que o vi me lava. — Então por que você está aqui?

Seu olhar aquecido queima como o sol. — Você está certa.


— Eu vejo o brilho de metal em sua língua antes de ele

Royal hearts academy #1


abaixar a cabeça e lamber a coluna da minha garganta. — Há
algo que eu ainda quero.

— O quê...

Tudo o que eu ia dizer evapora quando ele passa seu


piercing da língua sobre o meu ponto de pulsação, e chupa a
pele macia em sua boca.

Uma onda de calor se instala entre minhas coxas e meu


corpo inteiro vibra com a necessidade. — Não pare.

Ele é tão áspero, que sei que está marcando minha pele,
mas não me importo.

Cavando minhas unhas em suas costas, eu coloco uma


perna em volta de sua cintura, exigindo mais.

Um gemido baixo lhe escapa e ele morde com mais força.


Por um momento, sinceramente me pergunto se ele vai rasgar
o tecido e arrancar minhas cordas vocais com os dentes.

— Jac...

— Tire sua calcinha, — ele rosna no meu pescoço. —


Mostre-me como eu te deixo molhada.

Minhas bochechas coram quando deslizo minhas mãos


por baixo da saia e deslizo minha calcinha para baixo.

Ele as pega rapidamente do chão e examina o local úmido.


— Parece que você quer algo também. — Seus lábios se
curvam em um sorriso perverso. — Mas você terá que implorar
por isso.

Eu seguro o seu olhar. — O que acontece se eu não o


fizer?

Royal hearts academy #1


— Vou encontrar alguém que faça. — Ele chupa meu
lóbulo da orelha entre os lábios. — Mas não é isso que você
realmente quer, é?

Balanço a cabeça.

O pensamento dele fazendo isso com Britney, ou com


qualquer outra pessoa, faz com que a bile surja no meu
esôfago.

Estou confusa quando ele agarra meus dois pulsos e os


coloca nas minhas costas. — O que você está fazendo?

Ele beija o buraco da minha garganta. — Quero você à


minha mercê, enquanto faço todas as coisas doentes e
pervertidas, com as quais sonho há anos.

O calor corre pelo meu interior e eu não protesto quando


ele usa minha calcinha para me prender à estrutura de uma
prateleira próxima.

— Não posso decidir se devo provar você aqui primeiro. —


Seu dedo mergulha entre o meu decote. — Ou aqui. — Tremo
quando ele aperta a parte interna da minha coxa.

Borboletas disparam pela minha barriga quando sua boca


desce. — Talvez eu comece com seus peitos e desça até o fim.

Apertando minhas coxas para aliviar um pouco da


pressão, eu grito — Por favor.

— O quê? — A ponta áspera do polegar acaricia meu


mamilo através da camisa. — Você quer que eu te foda?

Lambendo meus lábios, eu grito — Sim.

Com um grunhido, ele agarra minha camisa e a abre,


enviando botões espalhados por toda parte.

Royal hearts academy #1


Um sorriso bruto ilumina seu rosto enquanto ele olha
para mim. — Nem que você fosse o último pedaço de buceta
na terra.

Por um momento, acho que estou ouvindo coisas, mas fica


claro que não é o caso quando vejo a ira nadando em suas
esferas escuras.

Isso não passava de um truque cruel.

E eu caí direitinho nisso... anzol, linha e chumbada.

Eu luto contra as restrições, mas ele as amarrou tão forte


que não há como eu mesma sair delas. — Por que você está
fazendo isto comigo?

A raiva aperta suas feições. — Você sabe o porquê.

Sinceramente, não. — É porque eu fui embora?

Estou atirando no escuro aqui, mas é tudo o que tenho.


Nada mais se soma.

— Não consigo decidir se essa é sua tentativa de uma


piada doentia, ou se perdeu muitas células cerebrais ao longo
dos anos. — Um músculo em sua mandíbula flexiona e ele
fica tão perto do meu rosto que não sei se vai me beijar ou me
morder. — Você sair da cidade, foi a melhor coisa que já me
aconteceu. E se você tivesse algum senso, faria isso de novo.
Para sempre desta vez.

Meu sangue ferve e eu cuspo na cara dele. — Foda-se.

Independentemente dos meus sentimentos, ele não irá


falar comigo como se eu fosse uma merda.

Ele limpa o rosto e atira de volta — Aparentemente você


ainda não recebeu o memorando. — Sua expressão fica

Royal hearts academy #1


frouxa. — Prefiro enfiar meu pau em um moedor de carne, do
que dentro de você.

— Odeio dizer isso a você, mas seu pau foi muito sensível
a alguém que você rejeita.

Suas mãos se fecham em punhos ao lado do corpo. — Não


se iluda. A única coisa que me excitou, foi o pensamento de
ver você desmoronar quando eu te rejeitei.

— Droga. Acho que você terá que se esforçar mais na


próxima vez. Claramente, estou completamente arrasada com
a oportunidade perdida de uns amassos. — fungo
sarcasticamente. — Não tenho certeza de como vou me
recuperar, das profundezas desse desespero. — Batendo os
cílios, olho para ele. — Pensando bem, eu deveria estar
agradecendo. Como seu pau esteve dentro de Britney, tenho
certeza de que ele está se afogando em todos os tipos de
doenças venéreas. Portanto, você e seu pau não me atraem
mais. — Afundo meus dentes no lábio inferior e sorrio
ironicamente. — Parece que me trouxe aqui por nada.

— Você está certa. — Ele se move em minha direção em


passos predatórios. — Se te dar um fora e assistir você chorar
fosse minha única intenção, eu falhei. — Há uma nota
calculada em sua voz. — Mas não era.

Eu reviro meus olhos. — Então por favor diga, qual era


exatamente o sentido disso tudo?

Ele aperta minha bochecha. É um gesto muito gentil para


a raiva que irradia dele. — Para informar que não foi Oakley
quem começou o boato sobre vocês dois. — Há um brilho
zombeteiro nos olhos dele. — Ele também não colocou as
mugshots19 de seu pai em toda a escola. — A ponta do seu
dedo roça meu lábio. — E não foi minha garota que te fez

19 Mugshot são as fotos tiradas de frente e de lado, para o registro policial.

Royal hearts academy #1


tropeçar no almoço ontem. — Seus dentes brancos fazem uma
aparição. — Foi tudo eu.

A dor que aperta meu coração é uma que eu não sinto há


muito, muito tempo. Tento sugar o ar para poder forçar a
picada, mas a agonia se espalha dentro de mim como um
vírus, me pegando pela garganta.

O que Jace fez, vai muito além da traição, não há um


termo para isso.

Ele é como um tirano, segurando uma lupa contra os raios


do sol, e eu sou a formiga que está lutando para sobreviver,
enquanto ele me vê queimar de dentro para fora.

Sinto falta da minha mãe. O pensamento é suficiente para


me deixar de joelhos.

Se ela estivesse aqui, me diria o que fazer, como superar


isso.

E se tudo mais falhasse, ela me pegaria nos braços e me


seguraria enquanto eu chorava.

Para minha pura humilhação, uma lágrima escorre pela


minha bochecha.

Ele a pega no polegar e a leva à boca. — Tem um gosto


bom.

É a última coisa que ele diz antes de sair, batendo a porta


atrás dele.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Passado…

— Tive a sensação de que você estaria se escondendo aqui.

Aborrecimento sobe pela minha espinha, ao som da voz de


Tommy. Ele tentou me dizer que isso iria acontecer na última
sexta-feira, mas eu não acreditei nele.

— Você veio aqui para se gabar?

Ele caminha até as estantes de música que estou


organizando. — Não. Achei que você poderia usar um amigo.
Desde que Jace está sendo um merda.

Meu coração dá um baque doloroso com a menção do


nome dele.

No terceiro período, a notícia de que Jace e Britney iriam


ao baile juntos, já havia circulado.

O fato de ele estar sentado com ela durante o almoço, era


apenas a cobertura gelada no fodido bolo que ele estava
empurrando na minha garganta.

— Não me olhe assim. — Eu desvio meu olhar. — Não


quero ou preciso da sua pena.

Eu já tive mais do que suficiente hoje. Quando as pessoas


não estão sussurrando nas minhas costas, elas estão olhando
para mim como se fosse um filhote de cachorro perdido, que
não consegue encontrar o caminho de volta para casa.

Royal hearts academy #1


O que suponho, não está longe da verdade, dado que
quase todos os aspectos da minha vida, foram virados de
cabeça para baixo.

Tommy revira os bolsos pelo avesso. — Sorte sua, estou


sem no momento. — Uma covinha fraca espreita pela
bochecha direita dele. — Eu só queria ter certeza de que você
estava bem.

— Um pouco irônico, você não acha?

— O que é?

Eu nivelo ele com um olhar. — O valentão da escola,


verificando para ver como estou me sentindo.

Ele se recosta a um grande arquivo e balança as


sobrancelhas escuras. — Você não ouviu? Eu sou um homem
mudado.

Apesar do meu ceticismo, um pequeno sorriso se abre. —


Odeio dizer isso a você, mas o veredicto ainda está por vir.

Só o tempo dirá se Tommy realmente mudou de verdade.

— Ah. Aí está...

Ele me pegou. — Eu não-

— Esse sorriso. — Ele caminha até onde eu estou. — Fico


feliz que o idiota não destruiu minha nova coisa favorita.

— Jace não é um idio-

— Ele escolheu Britney a você.

Não posso discutir com isso.

Ele dá outro passo, quase diminuindo a distância entre


nós. — Ele vai se arrepender um dia. Confie em mim.

Royal hearts academy #1


O silêncio cai sobre o armário desarrumado. Só que não é
do tipo embaraçoso e irritante.

É do tipo que me deixa ansiosa.

Há algo estranho se formando entre nós. Não é


exatamente a atração magnética que tenho com Jace, mas
estaria mentindo se dissesse que a presença de Tommy não
me afetou de uma maneira pequena, e muito inesperada.

Eu mal consigo reprimir uma vacilada quando ele segura


minha bochecha. — O que está acontecendo nessa sua
cabeça?

Olho para o chão, porque olhar nos penetrantes olhos


amendoados dele, me faz sentir desconfortável. — Não tenho
certeza.

Seus lábios se contraem. — Mentirosa. — Sua expressão


fica séria. — Se formos amigos... e outras coisas. Teremos que
ser honestos um com o outro.

— O que exatamente outras coisas envolve?

Se ele está esperando que eu fique com ele, porque Jace


partiu meu coração, está fora de si.

— O que você quiser.

— E se eu só quiser ser sua amiga?

Os arrepios surgem sobre a minha carne quando ele se


inclina e sussurra — Então seremos apenas amigos. — Seus
lábios roçam minha têmpora. — Por agora.

Eu dou um passo para trás. Isso - o que quer que ele


esteja fazendo - é demais. Estou tendo problemas para
envolver minha cabeça em torno dele e de seus motivos.

— O que você quer, Tommy?

Royal hearts academy #1


— Pensei que já repassamos isso.

— Sim, mas... — não sei como terminar essa frase sem


parecer estúpida.

— Mas o quê?

— Eu não entendo...

— Isso é porque está muito ocupada obcecada com Jace.


— Ele encolhe os ombros. — Não percebeu quem tinha uma
queda por você, durante todos esses anos.

Eu estou surpresa por sua confissão. — Você tem uma


queda por mim há anos?

Seus olhos brilham com diversão. — Por aí.

Definitivamente, isso é novidade para mim. — Eu não


fazia ideia.

— Como você poderia? Está colada ao lado de Jace desde


a quinta série.

Ele não está errado. — Então, o que exatamente isso


significa? O que você quer?

— Quero o que você quiser.

— Não faço ideia do que quero.

Isso não é bem verdade. Sei exatamente o que, ou melhor,


quem eu quero, mas ele não me quer.

Seus olhos sondam meu rosto. — Você está indo ao baile?

— Hum. — Minha boca fica seca. — Não tenho certeza.

Eu pensei sobre isso, mas não quero ir sozinha.


Especialmente agora que Jace está indo com ela.

Royal hearts academy #1


Nervosamente pego minhas cutículas. — E você?

— Não sei. — Há uma nota provocadora em sua voz. —


Depende.

— De quê?

Ele sorri timidamente. — Que você esteja lá ou não.

— Essa é a sua maneira estranha de me pedir para ir com


você?

Fico chocada quando percebo que há uma pequena parte


de mim que gostaria que ele fizesse.

Do jeito que eu vejo, se Jace está indo com minha


inimiga… tenho todo o direito de aparecer no braço dele.

Não consigo decodificar a expressão dele. — Não.

O constrangimento aquece minhas bochechas e olho para


o chão. Eu me sinto tão estúpida por assumir.

— Dylan.

— Sim?

— Não sou a segunda escolha de ninguém. Quando eu te


convidar para sair, será por que tenho certeza, de que você
não está mais chorando por algum idiota, que escolheu a
garota errada.

Com isso, ele vai embora.

— Eu s-s-sinto m-m-muito.

Fico surpresa ao ver Liam quando saio da sala da banda,


mas ainda mais surpresa que ele esteja se desculpando.

Royal hearts academy #1


— Pelo quê? Você não tem por que se desculpar, Liam.

Pego minha mochila e começo a jornada para o meu


armário.

Ele segue atrás de mim. — Sint-o-o m-m-m-muito, Jac-c-


ce é um i-i-i-idiota. Ouvi o-o-o que ele f-fez. — Ele parece tão
desanimado... você pensaria que foi ele que o irmão
machucou. — N-n-não é c-c-certo. Brit-t-tney é uma vadi-di-a
com você.

Sim, ela é. — Nenhum argumento aqui.

Ele arrasta os pés quando nos aproximamos do meu


armário. — Eu e-e-estava p-p-pensando. Já que v-você não v-
v-v-vai ao b-b-b-baile, e eu n-n-não vou, talvez nós p-p-p-
possamos s-s-sair? C-c-como a-assistir a um filme ou a-a-algo
pa-parecido.

Giro o botão para minha combinação e pondero sua


pergunta.

Normalmente, não tenho problemas em sair com Liam,


mas realmente não quero ver Jace se preparando para seu
grande encontro com Britney.

Ou pior, vê-lo após o encontro.

— Eu não sei. Não é nada contra você, só não quero ficar


perto do seu irmão. — Pego alguns livros do meu armário e os
jogo na minha bolsa. — Mas não deixe que nossa briga o
impeça de ir.

Se alguém merece se divertir, é Liam. Entre o acidente,


perder a mãe e ser constantemente vítima de bullying, por sua
gagueira e cicatrizes - a criança parece não conseguir uma
folga.

Royal hearts academy #1


— N-N-Não tenho n-n-ninguém com q-q-quem ir. — O
rosto dele se ilumina como uma árvore de Natal. — E-e-e se-e
nós fo-fossemos j-j-juntos?

Minha apreensão deve estar escrita em todo o meu rosto,


porque ele olha para os sapatos e diz, — E-e-esqueça. Isso f-f-
foi e-e-estúpido. Claro que v-v-você não-

— Vamos. — eu interrompo.

Eu posso odiar o irmão dele atualmente, mas não é culpa


de Liam.

Além disso, ir ao baile com ele é melhor do que ficar em


casa na sexta-feira à noite, assistindo reprises de Friends, com
um galão de sorvete de menta em uma mão, e um controle
remoto na outra.

Seus olhos se arregalam. — S-s-sério? Você vai c-c-


comigo?

— Por que não? — Eu fecho meu armário com força. —


Somos amigos, certo? Amigos podem ir a bailes juntos.

Um sorriso enorme está estampado em seu rosto quando


eu olho para ele. — S-sim. — Sua expressão vacila por um
segundo. — N-N-Não precisam-m-mos con-ve-versar com Jac-
c-ce se você não q-q-q-quiser.

— Parece bom para mim. — Estendo a mão e dou-lhe um


soquinho. — É um encontro.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Vou morrer neste armário.

Eles vão encontrar meu corpo amarrado a uma prateleira


por uma calcinha de algodão branco, enquanto meu sutiã
igualmente simples e chato, está em exibição.

E não vamos esquecer as manchas de rímel que estão


manchando minhas bochechas, graças a Jace - o imbecil -
Covington.

Solto um suspiro, tentando mais uma vez desatar a


calcinha que me mantêm refém. Sem chance.

Quem quer que me encontre, provavelmente pensará que


meu agressor decolou, devido ao meu gosto espetacular em
roupas íntimas confortáveis, mas sem brilho.

Minhas únicas opções são gritar em plenos pulmões, e


esperar que uma pobre alma que esteja passando me ouça, ou
esperar que alguém note minha ausência, e inicie uma equipe
de busca.

Nesse caso, serão pelo menos mais vinte e quatro horas,


porque a única pessoa que perceberá ou se importará com a
minha saída, é minha tia Crystal, e a essa altura a escola
estará fechada para a noite.

Minha única esperança é Sawyer.

No entanto, ainda não nos conhecemos o suficiente, e ela


provavelmente presumirá que eu fui para casa.

Royal hearts academy #1


Meu estômago afunda. A opção A não é apenas meu
último recurso, é meu único recurso.

Engulo o máximo de ar que meus pulmões aguentam,


então abro a boca e grito — Socorro. — Tão alto que
surpreendo minhas cordas vocais não rasgarem.

Se tiver sorte, será um professor que me encontrará, e não


um aluno.

— Soco-

A maçaneta da porta se vira e meu herói coloca a cabeça


pela fresta.

Ou não.

— Dylan? — Os olhos de Oakley, um deles, porque o


outro está inchado, se arregalam. — Estive procurando por
você em todo lugar.

Ele diz isso como se eu estivesse incomodando ele, por


estar amarrada.

Suas sobrancelhas franzem. — Por que você está aí em pé


de sutiã?

Eu olho para ele. — Ah, você sabe. Só estou trabalhando


no meu bronzeado.

Intrigado, ele olha em volta dos limites escuros. — Sério?

— Não, seu imbecil — eu grito quando ele entra.

Ele rapidamente fecha a porta atrás dele. — Fale baixo. Há


pessoas vindo pelo corredor.

E no entanto, nenhum deles foi selecionado por qualquer


poder superior que esteja cagando em mim atualmente, para
abrir esse depósito condenado, e me libertar deste inferno.

Royal hearts academy #1


Não, isso seria fácil demais. Em vez disso, fico presa com
esse idiota.

Isso tem que ser algum tipo de piada doentia. Na verdade,


do jeito que as coisas estão indo, eu não descartaria isso.

— Deixe-me adivinhar, Jace enviou você aqui para que


possa realmente levar os boatos de foda entre primos a sério, e
arruinar minha vida ainda mais.

Ele coça a parte de trás da cabeça. — Olha, eu vou


precisar que você se acalme, e coloque a merda de Jace em
segundo plano por um tempo. Temos coisas mais importantes
com que nos preocupar.

É a coisa mais inteligente que ele já proferiu.

Ele caminha até mim. — Meu pai e sua tia estão a


caminho da escola.

— Eles estão? Por quê?

Desta vez, é ele quem olha para mim como se eu estivesse


chapada quando aponta para o seu rosto. — Porque você fez
carne picada da minha linda cara na frente de todo mundo, e
depois saiu para passar o tempo nua, em um armário de
armazenamento.

Ele não pode estar falando sério. — Espera. Você está


sugerindo que eu fiz isso comigo... de propósito?

Ele levanta as mãos. — Algumas pessoas gostam do estilo


de vida exibicionista e BDSM. — Ele balança um dedo para
mim. — Mas vou precisar que você tome partido com a sua
merda no seu próprio tempo. Temos menos de dez minutos
para nos juntar e apresentar uma história, antes que as
unidades parentais cheguem.

— Eu não... isso não é... eu não me despi e me amarrei.

Royal hearts academy #1


— Tanto faz. — Esfregando o queixo, ele me avalia. —
Então, com o que exatamente estou trabalhando aqui? Qual é
a sua bondage de escolha?

— Não tenho bondage de escolha. Jace me amarrou com...


— Minhas bochechas esquentam e eu engulo em seco. —
Pensando bem, isso realmente importa? Apenas me tire daqui.

Eu quero dar um soco nele quando ele começa a assobiar.


— Porra, ele realmente se esforçou. Esse nó é mais apertado
que um filho da puta. — Ele faz uma careta. — Você está
suando? O tecido parece o de uma-

— Oh meu Deus, cala a boca! — Chuto sua canela. —


Apenas pare de falar.

— Tudo bem. Jesus. — Ele dá um empurrão forte no


tecido, libertando meus pulsos. — Não coloque sua calcinha
em... esquece. Tarde demais para isso.

Eu as arranco dele. — Vire de costas.

Notavelmente, ele faz o que eu peço. — Relaxe, não é nada


que eu não tenha visto antes. Embora se você quiser meu
conselho sincero, se beneficiará de uma viagem, ou cinco, até
a Victoria's Secret.

Eu as coloco e esfrego meus pulsos irritados. — Estou


bem, obrigada.

Ele me para quando vou para a porta. — Não tão rápido.


Ainda temos que descobrir o que contaremos a eles.

— Dizer o que a quem?

— Meu pai e sua tia.

— Não sei, mas a verdade parece um bom começo.

Royal hearts academy #1


Ele corre quando eu giro a maçaneta. — Oh, espere. Não
vamos fazer nada louco.

Ele deve estar mais chapado que o normal. — Você


realmente espera que eu minta para eles, depois de tudo o que
fez?

Embora agora que penso nisso, ele realmente não fez


nada. Jace fez.

Não. Oakley não é exatamente livre de falhas. Jace tinha


que ter obtido as informações para usar contra mim de
alguém.

Eu moo meus molares. Oakley poderia ter parado os


rumores e se recusado a alimentar Jace com os meus
segredos, mas ele não o fez.

Se gabou e fez tudo pior.

Eu posso dizer que ele está tentando escolher as


próximas palavras com cuidado. — Eu já deixei você chutar
minha bunda na frente de todos, isso não é o sufic-

— Você é inacreditável!

Abro a porta, mas ele me leva de volta para dentro e fica


na frente dela.

— Dylan, por favor. — Sua expressão é solene. —


Desculpe, ok? Eu fui malvado com você, e você não mereceu.
Mas minhas notas são uma merda, e se eu não agir com
cuidado, talvez não me forme. Eu realmente preciso que você
tenha minhas costas nisso.

Eu bufo. — Como todas as vezes que você teve as minhas


nos últimos dias?

Ele abre a boca e depois a fecha.

Royal hearts academy #1


Eu cutuco seu peito com o dedo. — Você tem alguma ideia
do quanto eu temia voltar para Royal Manor? — Minha
garganta fica mais grossa. — Eu sei como essas pessoas
podem ser, e odiava a ideia de voltar ao lugar onde pessoas
como Britney e sua equipe de garotas malvadas reinam livres,
mas não tive escolha. — Dou de ombros, impotente. —
Imaginei que talvez, apenas talvez, as coisas não fossem tão
ruins na RHA, porque teria um amigo - não, teria família -
aqui e poderíamos cuidar um do outro. Não esperava sermos
super próximos ou algo assim, e não queria me inserir no seu
círculo de amigos - mas definitivamente não esperava voltar,
para ser tudo completamente o oposto do jeito que era quando
eu saí. Ou que você estaria ajudando meu melhor amigo de
infância, a destruir minha vida, porque ele insiste em guardar
rancor contra mim, por algum motivo que eu desconheço.

Ele exala bruscamente. — Eu não sabia que vocês eram


tão próximos. Ele nunca mencionou você ao longo dos anos.
Nem mesmo depois que meu pai se casou com Crystal.

É como um chute direto no coração. Jace Covington não é


o garoto que eu conhecia.

— Sim, bem. Provavelmente há muitas coisas que você


não sabe sobre ele. Ele mantém quase todo mundo à um braço
de distância.

— Verdade. — Ele se inclina contra a porta. — Então,


novamente, todos temos nossos segredos. — Ele passa a mão
pelos cabelos. — Acho que começamos com o pé errado.
Podemos começar de novo?

Eu mudo desconfortavelmente. — Se esse é outro truque,


prefiro me apoiar na minha tia, do que cair nessa.

— Não é um truque. — ele insiste. — É sério.

Royal hearts academy #1


— Bem, perdoe-me por não confiar em você, mas ontem
me chamou de vadia e disse que poderia ter eu e minha tia
jogadas fora como... — Eu estalo meus dedos como ele fez. —
Isso.

— Eu digo muita merda que não quero dizer quando estou


com raiva. Muita.

— Compreensível, eu também faço isso, mas vamos


esclarecer uma coisa. Minha mãe está morta e meu pai está na
prisão. A única pessoa que tenho na minha vida, é a minha
tia. Ela tem sido a pessoa mais estável e sólida da minha vida,
e a única que nunca me decepcionou. Então se você acha que
eu vou deixá-lo ameaçar o casamento e a felicidade dela...

— Eu não vou. Não faria isso. — Um lampejo de tristeza


passa em seu olhar. — Não sou meu pai.

— O que isso deveria significar?

— Nada. Esqueça. — Ele estende o punho. — Amigos?

— Mesmo quando Jace e o harém de seguidoras de


Britney estiverem por perto?

— Sim.

— Tem certeza? Não causará problemas com você e Jace?

Ele encolhe os ombros. — Provavelmente. Mas ele não me


controla. Ficará bravo no começo, mas acabará superando.
Ninguém entende mais o valor da família do que ele, então
mesmo que não goste, ele entenderá.

Apesar da minha apreensão, dou-lhe um soco no punho.


— Não me passe a perna, Oak. Vou chutar sua bunda dez
vezes pior do que fiz hoje.

Royal hearts academy #1


— Eu não vou te foder. Mas para o registro? Você só
chutou minha bunda, porque não acredito em colocar minhas
mãos em uma mulher. — Sorrindo, ele coloca um braço em
volta do meu ombro. — Agora, quando o diretor Ryan nos
perguntar o que aconteceu, não diga nada. — Ele dá um tapa
no coração. — Siga o conselho do filho de um promotor
público, prima. O silêncio é seu amigo. Se nenhum de nós
disser uma palavra, é como se nunca tivesse acontecido.

Tenho quase certeza de que não é assim que funciona,


mas de qualquer maneira, dou um ok para ele. — Entendi.

Ele olha para mim, mas rapidamente desvia o olhar. —


Você precisará corrigir a situação em que está antes de
sairmos.

Olho para baixo e xingo. — Eu não posso. Jace arrancou


todos os botões.

Ele segura a mão na frente do rosto. — TMI20, Dylan.


Coloque seu blazer... para trás.

— Eu não posso. Deixei no carro da Crystal hoje de


manhã.

Ele faz uma careta. — Eu também não tenho o meu.


Tenho certeza de que Hayley está fazendo um boneco de vodu
com isso.

Faço uma anotação mental para perguntar sobre o


relacionamento deles mais tarde.

Eu quase faço uma dança feliz quando isso me ocorre. —


Preciso que você encontre Sawyer. Ela vai me dar uma camisa.

20 Significa “TOO MUCH INFORMATION”, ou seja, “MUITA INFORMAÇÃO”.

Royal hearts academy #1


— Considere feito. — Seus movimentos são
interrompidos. — Eu não tenho ideia de quem é essa garota
Sawyer. Como ela se parece?

— Ela é baixa e cheia de curvas, tem cabelos escuros na


cintura e usa óculos de aro preto. Ah, e ela é júnior, não
sénior.

Ele faz uma careta. — Sim, desculpe, não toca uma


campainha. Eu não saio com perdedores.

Eu o belisco e ele grita.

— Ela não é uma perdedora. Ela é demais. Vá encontrá-la


para mim.

Ele levanta os braços. — Como vou encontrar uma garota


que nunca conheci...

O som do sinal do segundo período tocando o interrompe.

Eu o empurro para fora da porta. — Vá. Tente pegá-la


antes da próxima aula.

— Sawyer — Eu o ouço gritar enquanto ele se aventura


pelo corredor, batendo palmas. — Ok, aqui está o negócio,
filhos da puta. Se alguém ver uma garota chamada Sawyer,
preciso falar com ela imediatamente. Temos uma emergência
familiar acontecendo aqui.

Esfrego minhas têmporas e gemo. Se nada mais, ser amiga


de Oakley nunca será chato.

Quando ele não está completamente chapado, ele meio


que...

O som de brigas interrompe meus pensamentos.

— Solte-me — Sawyer grita quando Oakley a puxa pela


porta. — Que diabos está errado com você?

Royal hearts academy #1


Oakley a empurra em minha direção. — Tire sua camisa e
entregue a ela.

A boca de Sawyer se abre. — Você é louco?

Pressiono as palmas das mãos nos meus olhos. — Sim.


Sim, ele é.

Uma pessoa normal teria contado a situação, e


perguntado se ela tinha uma camisa sobressalente.

Mas não Oakley. Ele arrasta a pobre garota para um


armário, para chantageá-la.

Oakley estala os dedos. — Tique, taque, pequenina.


Estamos dentro de um prazo aqui.

Jesus. Ele está prestes a arruinar a única amizade que


tenho. — Sawyer, mantenha suas roupas. Oakley pare de
incomodá-la. — Faço um sinal para o que resta do meu
uniforme. — Ele quer dizer... bem, ele só está tentando me
ajudar.

Sawyer compreensivelmente, parece cansada. — O que


aconteceu?

Não faz sentido mentir. — Jace Covington me arrastou até


aqui, me seduziu, me amarrou, rasgou minha blusa e me
deixou para sofrer.

Seus globos oculares quase saltam das órbitas. — Que


porra é essa? Isso é como um roteiro ruim para um filme da
Netflix.

— Conte-me sobre isso.

Ela abre a bolsa e me entrega uma camisa sobressalente.

— Obrigada. Eu pagarei você de volta.

Royal hearts academy #1


Ela balança a cabeça. — Eu não quero o seu dinheiro. Mas
vou pegar o seu número de telefone. Dessa forma, seu tonto
aqui não precisará invadir o banheiro feminino, enquanto eu
estiver mijando, na próxima vez que algo acontecer.

Eu olho para o meu primo tonto enquanto coloco a camisa


nova. Sério, Oakley?

Seus ombros se erguem em um encolher. — Você me disse


o que precisava, e eu entreguei. Não critique meus métodos.

Sawyer me dá o telefone e eu coloco meu número. — Te


devo uma... de novo.

Ela amassa o lábio entre os dentes. — Se você está falando


sério, conheço uma maneira de me compensar.

— Certo. Mas eu já chutei o traseiro de Oakley hoje, e não


tenho certeza se ele sobreviverá a um segundo ataque tão
cedo.

Ela ri. — Não. Embora eu não me importe em vê-lo


apanhar de novo. — Ela mexe com as mãos. — Uh. Há uma
festa na casa de Christian neste sábado. Eu nunca estive em
uma e esperava que você fosse comigo. — Ela endireita a
coluna. — Estou considerando uma espécie de experimento
social. Eu mentiria se dissesse que não estava curiosa, para
ver como as pessoas no topo da cadeia alimentar caem.

Oakley bufa. — Não querendo ser um idiota, mas


experimento social ou não, acho que nenhuma de vocês duas
pode se dar bem em uma das festas do Christian.

O olhar desafiador nos olhos de Sawyer me diz que essa é


a verdadeira razão, pela qual ela quer ir.

— Infelizmente, não vou conseguir. Eu não posso.


Trabalho das seis da manhã até fechar.

Royal hearts academy #1


Os ombros dela caem. — Ah. Bem, não é grande coisa.
Talvez na próxima vez.

Eu odeio a decepção no seu rosto. — Pensando bem, se


você estiver disposta a esperar até depois do meu turno, eu
posso dar um jeito.

Aqueles grandes olhos castanhos praticamente brilham. —


Certo. A que horas você sai? Imaginei que sairíamos por volta
das sete, mas...

— Ninguém sequer aparece até depois das dez. — Oakley


grita. — Por que vocês duas não me encontram quando
chegarem lá, para não se envergonharem?

Sawyer levanta uma sobrancelha. — Realmente? Você tem


certeza de que o príncipe da Royal Hearts Academy, permitirá
que um de seus nobres súditos, saia com duas insignificantes
indigentes como nós?

Ela é oficialmente minha nova pessoa favorita.

— Oakley desistiu de ser um traidor e será um ser


humano decente. — respondo por ele. — E eu saio às oito,
então você deve totalmente vir a minha casa cedo, e se
arrumar comigo.

Com alguma sorte, poderei convencê-la a jogar a faixa de


cabelo azul marinho, que ela está usando desde que nos
conhecemos no lixo, e experimentarmos um pouco de brilho
labial.

— OK, legal. Soa como um pla...

— Desculpe interromper essa merda de irmandade ya-ya,


— Oakley resmunga. — Mas Dylan e eu temos uma situação
urgente que precisamos lidar.

Merda. Ele está certo.

Royal hearts academy #1


Nós três saímos do armário.

— Vou te mandar uma mensagem daqui a pouco, —


sussurra Sawyer antes de seguirmos caminhos separados.

Os corredores estão vazios enquanto caminhamos para o


escritório do diretor, e depois de capturar nossos reflexos em
uma vitrine, fico agradecida.

Oakley parece que perdeu várias rodadas com Mike Tyson,


e parece que eu acordei em um beco decadente depois de
passar uma noite na boate.

Nós formamos um bom par.

O Diretor Ryan está absolutamente fervendo. Como assim


você defende o quinto? — Ele aponta um dedo para Oakley. —
Você tem olho um roxo, nariz machucado e lábio sangrento. —
Ele aponta para mim. — E você... — ele vacila. — Digamos
que você não está exatamente seguindo o código de vestuário,
mocinha. — Seus olhos redondos se alternam entre nós. —
Vários estudantes se apresentaram para relatar, que houve
um confronto entre vocês dois, antes da aula nesta manhã.

Oakley encolhe os ombros. — Defina confronto.

Eu sigo o exemplo. — Defina várias.

Minha tia joga as mãos para o alto. — Sinto muito, mas


isso é ridículo. Não há como minha sobrinha ser capaz de
causar tanto dano, a um garoto do tamanho do meu enteado.
Sem mencionar, por que diabos ela espancaria seu próprio
primo? — Ela lança um olhar de simpatia em nossa direção.
— Acho que eles não estão apresentando a verdade, porque
alguém os está ameaçando, e você precisa descobrir quem.

Royal hearts academy #1


Meu tio Wayne suspira. — Acalme-se, Crys. Eu disse para
você me deixar falar.

Eu posso ver a quem Oakley puxou.

Ele brinca com o relógio. — Chamar-nos aqui foi uma


perda de tempo. Você não pode cobrar de nenhum deles, sem
evidência firme. Tudo o que tem é boatos.

O diretor Ryan parece tão frustrado, que aposto que ele


está pensando em beber em período integral. — Não estamos
no tribunal, Sr. Zelenka. Não preciso de evidências para
suspender, ou expulsar um aluno.

Faço uma oração silenciosa ao bom Senhor lá em cima.


Por favor, me expulse.

Ele respira fundo. — Vários estudantes relataram que a


briga entre eles começou por causa de um boato sobre... —
Ele se debate como um peixe. — Seu relacionamento próximo.

Isto é desconfortável.

Wayne parece entediado. — Realmente? Isso é tudo?

O diretor Ryan está pasmo. — Como assim, isso é tudo?


Temos uma política de tolerância zero na Royal Hearts
Academy, quando se trata de violência... entre outras coisas.
Orgulhamo-nos da classe e dignidade. — Seu rosto fica
vermelho. — Independentemente do que acontece em sua
casa, esta escola não tolera atividades imorais.

É preciso tanto autocontrole para não rir, que eu tremo


um pouco. Não apenas não estamos fazendo sexo, mas nem
somos parentes de sangue.

Wayne cutuca a mesa com o dedo. — Você sabe, para


alguém que afirma se orgulhar de classe e dignidade, é
repugnante que você sugira que meu filho e sua prima,

Royal hearts academy #1


estejam envolvidos em algum tipo de relacionamento sexual.
Eu deveria ter seu traseiro pervertido preso por calúnia.

— Boomm. — Oakley bate no ar. — Promotor Zelenka


está na porra da casa.

— Linguagem, Oak — minha tia sussurra antes de dar


um sorriso tenso ao diretor Ryan. — Meu marido tem um
argumento válido. Não há como no mundo, esses dois estarem
envolvidos. — A preocupação cintila em seu olhar quando ela
olha para nós. — Certo?

— Certo. — eu asseguro a ela.

Oakley me cutuca. — Siga o roteiro. — Ele coloca um


dedo sobre os lábios e gesticula, 'Silêncio'.

Crystal se levanta. — São crianças boas, Jim. É óbvio que


o que você ouviu, não passou de um boato, e não há
necessidade de arrastá-los pela lama. — Ela gesticula para
Oakley. — Em vez de desperdiçar o tempo de todo mundo
culpando minha sobrinha - que aliás, é uma aluna com
honras nota A- você deve procurar o idiota de verdade que
espancou meu enteado.

O diretor Ryan parece envergonhado. — Você tem razão,


Crystal. — Ele cora. — Como sempre, você é tão inteligente e
equilibrada quanto bonita.

A mandíbula do meu tio se fecha.

Ao meu lado, Oakley faz um som de engasgos. — Cara,


vamos lá.

Eu olho ao redor da sala. — Isso significa que estou livre


para ir?

Apesar de sua paixão pela minha tia, ele não parece


convencido. — Não tão rápido. — Ele tira um bloco da gaveta

Royal hearts academy #1


da mesa. — Vou emitir um ticket para detenção depois da
escola pelos próximos três dias. Vocês dois.

Merda. — Eu não posso. Eu tenho trabalho.

— Por que ainda estamos sendo punidos, quando não


fizemos nada de errado? — pergunta Oakley.

Ele olha para minha tia e tio. — Seus pais querendo ou


não acreditar, é óbvio que algo aconteceu esta manhã, com
base em seus ferimentos. — Ele olha para mim a seguir. —
Em conjunto com a tinta spray encontrada no seu armário,
duvido que tenha sido apenas uma coincidência. —
Agarrando uma caneta, ele rabisca furiosamente no bloco. —
Vocês podem não serem o culpados, mas vocês dois sabem
quem é, e estão cobrindo eles. — Ele nos entrega dois papéis.
— É a primeira semana de aula. Se eu não der um exemplo
agora, isso só continuará a piorar.

— Espere, — minha tia diz. — Alguém pintou o armário


de Dylan com spray? Quem faria algo assim?

— É exatamente isso que estou tentando descobrir.

Todo mundo se vira para mim.

Eu nunca pensei que veria o dia em que eu gritaria o


nome de Jace Covington.

Mas depois do que ele fez hoje, não quero apenas entregá-
lo rio abaixo, quero afogar o bastardo nele.

Arrumo meus ombros. — J-

Oakley chuta meu pé. — Não faça isso. — Sua boca se


aperta. — Silêncio é seu amigo.

Quero lembrá-lo de que o silêncio nos levou três dias em


detenção, mas ele está certo.

Royal hearts academy #1


Existem outras maneiras de voltar para Jace.

Vou atacar quando ele menos esperar.

Não vai me impedir de apontar o crime dele para outra


pessoa.

Como sua preciosa namorada.

Olho o diretor Ryan bem nos olhos. — Britney Caldwell.


Ontem ela me fez tropeçar no almoço e hoje pintou com spray
a palavra ladrão no meu armário.

Oakley joga as mãos para cima. — Você é louca? Tem


alguma ideia do que está fazendo?

Sim.

Estou destruindo o reino.

É como um jogo de xadrez.

Você tem que derrubar a rainha, antes de conquistar o rei.

Ou nesse caso, O Príncipe.

Royal hearts academy #1


JACE

Paro o motor e olho o relógio.

A padaria fecha em cinco minutos, mas Dylan já está


girando a placa na porta, de aberta para fechada.

Estalo minha língua. Garota má.

Ela estremece ao girar a fechadura, e por um momento,


me pergunto se ela me viu. É improvável, já que o local em que
estacionei, lhe oferece uma visibilidade limitada no ângulo que
está.

Assim como para mim.

Depois de puxar minha máscara de esqui pelo rosto, abro


o laptop e começo a trabalhar.

Felizmente, o sistema de segurança da Sra. Dickinson,


tem apenas uma câmera de vídeo dentro da loja, e é barata.

Algumas teclas depois, eu já hackeei a rede, e tenho Dylan


na minha tela.

Aproximo o zoom enquanto ela descarta seu avental verde


e pega uma vassoura. Ela começa a varrer, mas faz uma
pausa para enfiar a mão dentro do bolso da calça jeans.

Alguns segundos depois, seus fones de ouvido estão


firmemente no lugar, e ela está cantando enquanto limpa.

Eu sei exatamente qual música está bombando em seus


tímpanos, no momento em que ela começa a cantarolar a letra.

"Sic Transit Gloria... Glory Fades" por Brand New.

Royal hearts academy #1


Nome estúpido para uma música, mas não tira seu valor.

Rangendo os dentes, bato no touch do aparelho de som, e


a provocadora melodia com letras enigmáticas, enche meus
alto-falantes.

A primeira vez que Dylan tocou para mim, eu disse a ela


que me lembrou de uma perseguição de gato e rato que deu
errado.

A ironia não está perdida para mim esta noite.

Nem o modo como Dylan começa a ser influenciada, e


balançar com a música.

O jeans e a camiseta que ela está vestindo não são


particularmente sexys, mas a maneira como o jeans abraça
seus quadris afiados e se molda à curva de sua bunda,
enquanto ela se move ao ritmo da música, definitivamente é.

Meu pau ganha vida enquanto continuo assistindo, mas


estou excitado demais para parar, ou me repreender por isso.

Verdade seja dita, eu prefiro isso à nossa troca no


armário, onde precisei de cada grama de força de vontade, - do
tipo que não sabia que alguém como eu possuía, - para não
abrir suas coxas, e ver meu pau desaparecer dentro dela.

Observá-la através de uma tela, me permite a chance de


deixar minhas fantasias sujas vagarem livres, sem a iminente
culpa na consciência que sempre segue.

Aqui no meu carro, posso fingir que Dylan não é a traidora


conivente que ela é, mas sim a garota que eu acreditava que
era.

Aquela pela qual eu quebrei as regras.

Incluindo a mais importante de todas.

Royal hearts academy #1


Seu telefone cai do bolso devido aos seus movimentos, e
ela se inclina para pegá-lo, me dando uma visão ainda melhor
de sua bunda.

Mordo a articulação do meu dedo quando um golpe de


calor intenso lambe meu pau. — Porra.

Pressiono minha mão contra o zíper para aliviar a dor,


mas isso só piora. Especialmente quando ela levanta os
cabelos e eu vejo a marca de mordida que deixei em seu
pescoço.

Minha outra mão aperta o volante. Eu quero afundar meus


dentes em cada centímetro de sua carne impecável. Mostrar o
quanto ela faz meu sangue queimar, e minha pele arrepiar.

O quanto ela fode comigo.

Aposto que se eu batesse na porta agora, ela me deixaria


entrar. E com convencimento suficiente da minha boca e
dedos, eu a teria dobrada sobre o balcão, pegando cada
centímetro do meu pau punitivo por trás, com força e rapidez.

Mente girando, eu seguro minha maçaneta da porta.

E então acontece... como sempre acontece.

A culpa afunda suas garras no meu peito.

Ele nunca poderá ter um trabalho.

Por que ela deveria?

Esfregando uma mão no meu rosto, respiro fundo e


desligo o som.

Coloque sua cabeça no jogo, imbecil.

Olho o pé de cabra no meu banco do passageiro.

Royal hearts academy #1


O plano era vir aqui logo após o turno dela terminar, para
que eu pudesse acusá-la de roubar sua chefe, e conseguir que
fosse demitida. Não me masturbar enquanto ela dança e
canta.

Dylan Taylor não conseguirá ser feliz.

Ela não merece nada além de miséria e mágoa. O mesmo


tipo que infligiu a mim e à minha família.

Olhando para a tela, eu a vejo limpar a bancada de vidro.

Ela fechará a loja em mais alguns minutos.

Examino o estacionamento em busca do carro de Tommy,


já que ele foi quem a deixou, mas não há sinal disso.

Bom. Não precisarei bater com o pé de cabra no crânio


dele, e passar os próximos vinte e cinco anos na prisão.

Pressionando algumas teclas no meu laptop, desligo a


câmera durante a noite, para não ser pego.

Depois de colocar as luvas, pego o pé de cabra sobre o


assento, ao mesmo tempo em que meu telefone começa a
vibrar.

O nome de Oakley pisca na tela, mas eu ignoro.

Quando aparece uma segunda vez em menos de um


minuto, pressiono um botão no volante e aceito a chamada.

O filho da puta é implacável e continuará discando até eu


responder. Especialmente agora que sabe, que estou irritado
por ele estar amigável com Dylan.

— Hey.

Enfio o pé de cabra no bolso do meu moletom preto, e


levanto o capuz respondendo. — O que tá rolando?

Royal hearts academy #1


— Não muito, só resolvendo umas coisas. Estava me
perguntando se você queria se encontrar, para um pouco de
fumaça de improviso.

Normalmente eu iria, mas foda-se ele e sua erva por me


desafiar. — Não posso. Estou ocupado hoje à noite.

— Ah, explica? No que você está se metendo? Talvez eu vá


dar uma passada.

Eu deveria dizer a ele que não é da conta dele, mas se a


merda for para o sul, poderia usar o álibi. — Estou relaxando
com a Britney.

Deixo a implicação pairando no ar.

— Interessante... — ele fala.

Não tenho tempo para lidar com ele ficando magoado ou


passivo-agressivo sobre ser desprezado. Ele fez isso consigo
mesmo.

— Sim. Te vejo dep-

A minha porta do motorista se abre. Merda.

— Britney? — Oakley enfia a cabeça dentro do meu carro.


— A menos que ela esteja no porta-malas, eu diria que você é
um mentiroso. — Levantando uma sobrancelha, ele me avalia.
— E a menos que você esteja planejando esquiar no telhado
daquele prédio, eu diria que também parece que você está
prestes a fazer algo realmente idiota.

Arrancando minha máscara de esqui, empurro-o de volta e


saio do meu carro. — Dá o fora porra!

Ele acende um baseado. — Existe uma maneira de te dar


a porra sem foder? Nesse caso, prefiro fazer isso.

Royal hearts academy #1


Sua tentativa de humor cai em ouvidos surdos. — O quê
diabos você está fazendo aqui?

— Eu? Que merda você está fazendo aqui? — Ele levanta


a mão para cima e para baixo. — Talvez eu não seja a pessoa
mais inteligente por aí, mas sei que um capuz preto, junto com
uma máscara de esqui e um pé de cabra, se soletra problemas.

— Eu te disse. Tenho que cuidar de alguma coisa.

Ele faz uma careta. — Não me diga que você veio aqui
para atacar Dylan. Eu sei que a odeia, mas isso está indo
longe demais, cara.

Eu moo meus molares. O caralho que ele irá me dizer o


que é ir longe demais. Não quando se trata dela.

Eu rio, mas não há uma gota de humor. — Você


seriamente vai ficar aí, e proteger a garota que chutou sua
bunda na frente de toda a escola? — Dando um passo à
frente, arranco o baseado dele. — Saia da porra da minha
frente, você me deixa doente.

— É como se eu nem soubesse mais quem você é. — Ele


arranca o baseado da minha mão, um segundo antes que
chegue aos meus lábios. — Vocês dois têm um passado, eu
entendo. Mas seu passado com ela, não é meu. Não quero ser
forçado a escolher um lado, ou tornar a vida dela um inferno,
por causa de alguma merda que aconteceu um dia entre vocês
dois. Você é meu garoto, mas ela é-

— Família. — Eu termino por ele.

E é aí que reside o meu maior problema com Oak. Ele


nunca me deu um motivo para duvidar dele ou de sua
lealdade. Até agora.

— Até o próximo ano, estaremos vivendo sob o mesmo


teto. Eu gostaria que as coisas ficassem bem, entende?

Royal hearts academy #1


Ele oferece o baseado para mim, mas recuso. — Faz
sentido.

Ele balança a cabeça. — Não me olhe assim, cara. Nada


mudou. Eu ainda sou seu melhor amigo.

— Claro. — Estou apaziguando ele, e ele sabe disso.

Antes que eu possa piscar, ele parte para cima. — Pare de


ser um idiota! Nos últimos quatro anos, eu fiz tudo por você,
menos chupar o filho da puta do seu pau, e agora vai agir
como se eu tivesse te deixado na mão, porque não vou ajudá-
lo a destruir a vida dessa garota? — Ele cospe no meu carro
antes de seguir até o dele. — Foda-se você! — Ele dá um tapa
no peito. — Você não quer mais ser meu amigo? Tudo bem. Ao
contrário de você, não preciso andar por aí arruinando a vida
das pessoas, para me sentir bem comigo mesmo, seu canalha.

Encostado no meu Lexus, eu o encaro. — Você já


terminou?

— Sim. — Ele respira fundo. — Sim, acho que terminei.

— Bom. — Eu dou um passo mais perto. — Porque na


próxima vez que você cuspir na minha propriedade, eu vou
bater um dente para fora de você, e mijar no seu crânio. —
Dou outro passo. — Você não quer escolher lados? Tudo bem.
Mas não fique parado e aja como se tivesse fazendo essa porra,
porque você é tão nobre. Sinto o cheiro da sua besteira a uma
milha de distância.

O cara coloca mais esforço em seu relacionamento com


cereais do que com Hayley, e é claro que ele está procurando
uma maneira de terminar com isso, sem ter que ser o único a
puxar o gatilho.

Royal hearts academy #1


— Você não está protegendo ou defendendo a Dylan,
porque ela é da família e você, um cara legal. Você está usando
ela.

Algo passa em sua expressão. — E daí se eu estou? — ele


solta um suspiro. — Qual é o grande problema?

Cristo. Oak é como um filhote de cachorro que precisa


constantemente de supervisão, para não mastigar um fio e se
eletrocutar.

Mesmo que eu devesse chutar o traseiro dele através do


estacionamento, sei que não sermos amigos o machucará dez
vezes mais do que a mim, devido a todos os seus problemas de
abandono.

Jogo um osso para o filhote. — Usar Dylan para deixá-la


com ciúmes não vai ajudar. Você só precisa encontrar suas
bolas e acabar com a maldita coisa.

Ele acende outro baseado. — Eu gostaria que fosse assim


tão fácil.

— Isto é. A menos que... — Meu interior se enrola quando


me ocorre. — Ela não está grávida, tá?

Ele estremece. — Não... Não que eu saiba. — Ele solta


uma nuvem de fumaça. — Se ela está, não é meu. Nós não
transamos há semanas.

Quero lembrá-lo que pode levar meses para que uma


garota perceba que engravidou, mas eu deixo pra lá. Com o
quão desinteressado ele está, as chances são de que ele não se
importe de qualquer maneira.

— Escute, quanto mais você continuar arrastando, pior


será. — Dou de ombros. — Mas faça o que quiser com seu
pau, cara. Use e foda com Dylan, ou não. De qualquer
maneira, não dou a mínima.

Royal hearts academy #1


— Não estou interessado em transar com ela. — Suspeita
roda em seus olhos. — Mas não posso deixar de pensar que
você pode estar.

Oakley pode ir para o inferno. — Ah. Por que eu


mergulharia meu pau em um bolo de carne seco e medíocre,
quando já tenho um bom pedaço suculento de filé mignon,
esperando por mim sempre que quero?

Ele sacode a mão como se tivesse sido queimado. —


Droga. Você não está certo, Covington. Mas como estamos
falando sobre o assunto, ouvi que Britney se safou, porque
seus pais estão tendo um ataque, e nunca encontraram a lata
de spray.

Eles nunca vão porque eu joguei na lixeira.

— Sim.

Abro a porta do carro e entro. Dylan está trancando a


padaria, então ela estará aqui a qualquer momento. Não só
não quero vê-la, como não quero que questione minha
presença.

— Acho que você está indo para casa.

— Sim. — Como o roubo não está mais no menu, terminei


aqui.

Ele enfia as mãos nos bolsos. — Estamos bem, cara?

Por agora. — Sim.

— E sobre Dylan? Você já terminou de foder com ela?

Eu sorrio enquanto ligo o motor. — Se você realmente não


quer ser pego no fogo cruzado, sugiro que pare de me fazer
perguntas para as quais não gostará das respostas.

Com isso, eu decolo.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Tem certeza de que pareço bem? — Sawyer puxa o


longo suéter turquesa que ela está vestindo. — Ainda é a
primeira semana de setembro, talvez o suéter seja uma má
ideia.

Giro a última mecha de seu cabelo ao redor do babyliss.


Eu quase gritei quando ela concordou em tirar a fita da
cabeça, e me deixar arrumar o seu cabelo.

Sawyer pode não pensar assim, mas ela é linda. E com


suas novas ondas sedosas, não vai só virar a cabeça dos caras
hoje à noite.

Ela vai quebrar pescoços.

A roupa dela, por outro lado? Precisa de um pouco de


trabalho. Geralmente sou a favor de peças retrô e vintage, mas
a saia roxa que ela veste é mais alta que a cintura e mais
longa que as pernas. No entanto, o suéter é fofo e é baixo o
suficiente para dar uma dica de seu decote generoso.

Mordo o lábio, pensando em como devo responder. Eu não


seria uma boa amiga se não fosse honesta com ela, mas
também não quero que me odeie, e se sinta insegura.

— Você quer a verdade honesta? Ou uma pequena


mentira branca?

Ela levanta uma sobrancelha recém feita. — Isso é uma


pegadinha? Vou levar a verdade por quinhentos, Alex!

Coloco o babyliss de lado e pego um tubo de batom


framboesa. É perfeito para a pele dela.

Royal hearts academy #1


— A verdade é que você é linda. — Começo a aplicar um
pouco nos seus lábios. — Você não precisa de maquiagem ou
nada disso. — Tiro o excesso com um lenço de papel. — Mas
essa saia não faz nada pela sua cintura. Seria melhor utilizada
para acender a lareira da minha tia.

— Oh. — Os olhos dela disparam pelo quarto. — Eu não


trouxe nenhuma outra roupa, pensei...

Levantando um dedo, abro minha gaveta da cômoda e tiro


uma calça legging. — Não se preocupe. Tente essa.

Ela olha para mim como se eu fosse louca. — Sim, isso


não vai acontecer. Agradeço a oferta, mas você veste 38. Eu
visto 46 em um bom dia. Não há como se encaixar.

Suprimindo um gemido, as jogo para ela. — As leggings


são projetadas para caber em quase todo mundo. Experimente
antes de reclamar.

Ela faz beicinho. — Tudo bem, mas se não couber, vamos


parar na minha casa a caminho da casa de Christian, para
que eu possa pegar outra saia.

Eu me viro para lhe dar um pouco de privacidade. —


Combinado.

— Você já descobriu o que vai vestir? — ela grita atrás de


mim.

— Não.

Não vou lá para impressionar ninguém. Estou oferecendo


estritamente apoio moral a Sawyer.

Começo a vasculhar uma pilha de camisetas de bandas. —


Provavelmente o de sempre. Jeans e uma camiseta.

Royal hearts academy #1


Por que eu mergulharia meu pau em um bolo de carne seco
e medíocre, quando já tenho um bom pedaço de filé mignon
esperando por mim sempre que quero?

Fecho os olhos quando as palavras cruéis que ouvi Jace


dizer a Oakley, atiram no meu crânio como uma flecha
perfurando seu alvo.

Eu lutei com problemas normais do meu corpo e como eu


parecia, e eles voltam de tempos em tempos, como a maioria
das adolescentes. Mas na maioria das vezes, estou bem segura
comigo mesma.

No entanto, a declaração de Jace? Machucou.

Ainda dói.

E enquanto a parte racional do meu cérebro sabe que não


devo colocar muito pensamento nisso...

A outra parte? Quer fazê-lo engasgar com suas palavras.

Jogo a camisa do Rob Zombie que eu usaria na cama. —


Eu não sou uma porra de bolo de carne.

— O cantor21 ou a comida? — pergunta Sawyer.

Eu me viro para encará-la. Como previsto, as leggings se


encaixam. Em conjunto com o suéter azul-petróleo e seu longo
cabelo esvoaçante, ela parece incrível.

— A comida. Embora eu prefira o cantor. Mas não importa


tudo isso. Você está gostosa.

O nariz dela enruga. — Você tem certeza? Se eu me


inclinar, meu corpo vai ficar cheio de celulite.

21
Pois Meatloaf pode ser carne ou um nome de um cantor americano.

Royal hearts academy #1


— Sawyer. — Eu a agarro pelos ombros. — Sua bunda é
ótima. A única parte feia sobre você, é a sua autoestima. Juro
pela minha vida, você é classicamente bonita. Como a criança
amorosa de Adele e Sophia Loren. Qualquer um que pense de
maneira diferente é cego, invejoso ou burro e pode se foder.

— Merda. — Pela primeira vez hoje à noite, ela sorri. —


Obrigada. Se o gerenciamento de bandas de rock indie não der
certo, você deve considerar seriamente o discurso
motivacional. — O sorriso dela vacila. — Agora, o que você
estava dizendo antes sobre bolo de carne?

Eu dei a ela a versão resumida da minha história com


Jace quando me pegou no trabalho, para que ela esteja a par
em todo o drama atual. No entanto, nunca lhe disse o que ouvi
na outra noite, quando Oakley me deu uma carona para casa
depois do meu turno.

— Jace me comparou ao bolo de carne. — Quando ela


parece confusa, acrescento — Outra noite no meu trabalho, o
ouvi dizer a Oakley que Britney era filé mignon... e eu era um
bolo de carne medíocre.

Ela está visivelmente indignada. — Aquele cuzão pomposo


precisa de uma lobotomia com um picador de gelo.

Pego a camiseta da minha cama e a examino. — Eu sei


que deveria deixar pra lá... mas...

— Hoje à noite você quer fazê-lo comer, aquele seu coração


negro. — ela responde com um sorriso malicioso.

Meu sorriso combina com o dela. — Pra caralho.

Ela olha o relógio. — Passa pouco das nove, ainda temos


tempo de sobra para deixar você toda produzida.

— Você tem certeza? Eu não sou... — engulo, tentando


pensar nas palavras certas para dizer sem parecer errada. —

Royal hearts academy #1


Não sou uma daquelas garotas vaidosas, que se vestem de
certa maneira para chamar a atenção, e não quero que você
pense que sou.

Sawyer ajusta os óculos. — Dylan, você tem um corpo que


eu legitimamente mataria pra ter. Se não usar algo que dê a
Jace um tesão instantâneo, e faça Britney querer arrancar
seus olhos, por parecer dez vezes mais gostosa que ela, nunca
mais vou falar com você.

Bem, merda. — Okay, então. Acho que estamos fazendo


isso. — Vou até meu armário e faço uma careta. — O único
problema é que não tenho nada que daria a Britney, uma
corrida pelo seu dinheiro.

Vendi algumas das minhas roupas mais caras no eBay


durante a primeira semana de prisão do meu pai. Não foi um
problema para mim, uma vez que a maioria era de presentes
disfarçados de presentes da madrasta, mas elas certamente
seriam úteis hoje à noite.

Minha amiga fica ao meu lado e assobia. — Você está


certa. As leggings que você me emprestou são a coisa mais
elegante que você tem. — Há um brilho travesso nos seus
olhos quando ela olha para mim. — Mas sua tia pode ter
alguma coisa. Parece que ela sabe uma coisa ou duas sobre
moda.

— Ela sabe. No ensino médio, ela era basicamente uma


Britney sem a parte vadia.

— Fale sobre ironia. Pelo lado positivo, vocês duas


poderiam praticamente passar por gêmeas...

Uma batida na porta a interrompe.

— Entre, — nós duas gritamos ao mesmo tempo.

Royal hearts academy #1


Um momento depois, minha tia Crystal entra, segurando
um colar. — Ei meninas. Uma de vocês pode me ajudar?
Wayne e eu estamos assistindo um filme noturno daqui a
pouco, então imaginei que me arrumaria enquanto ele termina
alguns telefonemas em seu escritório.

— Claro. — Eu me movo atrás dela para poder prender


seu colar.

Ela olha para Sawyer. — Uau, olhe para você. É uma


garota completamente diferente de quando entrou. Adoro seu
cabelo.

Sawyer sorri. — Obrigada. — Ela olha para mim. — Você


vai perguntar a ela, ou eu pergunto?

Ela pode ser muito insistente quando quer alguma coisa.

Minha tia parece nervosa. — Me perguntar o quê?

— Estava pensando se poderia pegar uma roupa


emprestada hoje à noite.

Ela parece surpresa. — Claro. Quero dizer, não tenho


certeza se tenho algo que se encaixe no seu estilo, mas-

— É exatamente isso que estamos procurando. — Sawyer


fala. — Dylan precisa de algo sexy o suficiente para fazer
Britney se encolher de inveja e Jace de tesão.

Sútil, Sawyer. Muito sútil.

Os olhos da minha tia se arregalam. — Entendo. — Ela


acena com a mão, conduzindo-nos para fora do meu quarto. —
Entre nós três, tenho certeza de que encontraremos algo.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Duas horas depois, estou sentada no carro de Sawyer,


usando mais maquiagem e menos roupas do que jamais usei
antes, quando estive em público.

Inclinando a cabeça, verifico se meus peitos não saíram da


blusa preta com renda que peguei emprestada da minha tia.

Como Crystal e Sawyer não conseguiram chegar a um


acordo sobre calça de couro e minissaia, optei por um par de
jeans justos.

— Eu tenho uma blusa extra no meu banco de trás, você


quer?

— Não, obrigada. Eu estou bem.

Não estou me mexendo porque estou com frio, são meus


nervos. Britney está mais irritada do que nunca, desde que
tentei colocá-la em apuros, então não há como dizer como ela
reagirá, ou o que fará quando me vir.

Pego meu telefone e mando uma mensagem para Oakley


pela décima vez hoje à noite.

Como sempre, fico sem resposta.

Sawyer suspira. — Passa das onze. Eu tenho que estar em


casa à uma e meia. Provavelmente deveríamos ir sem ele.

Pego minha bolsa do chão. — Você está certa. Vamos.

Royal hearts academy #1


— Espere. — Ela olha de soslaio enquanto espia pelo
para-brisa. — Eu acho que é ele. Estacionou alguns carros
abaixo de nós. Conversando com um cara.

Eu sigo a linha de visão dela, e com certeza, Oakley está


no carro dele, tendo o que parece ser, uma conversa muito
tensa, com alguém que não me lembro de ter visto antes.

Eu abro minha porta. — Vamos.

Sawyer segue atrás enquanto corro pela rua até onde ele
está estacionado.

Ele está tão focado que não nos vê aproximar.

Eu bato na janela dele. — Ei. Lembra de mim?

Ele abaixa a janela e xinga. — Minha culpa. Eu esqueci.


Encontro você daqui a pouco.

O cara ao lado dele desvia sua atenção de Oakley para


mim. O olhar ameaçador em seus olhos, quando ele me encara
de cima a baixo, me faz tremer interiormente.

— Quem é?

Não sei o que pensar da expressão de Oakley. — Ninguém.


Só um amigo.

Sim, Oakley definitivamente não está agindo como seu eu


normal, estranho e descontraído.

Não sei ao certo qual é o acordo com os dois, mas não


gosto nem um pouco.

Cruzo os braços sobre o peito. — Sou prima dele. —


Levanto uma sobrancelha. — Há algum problema?

Oakley fica tenso. — Não. Vá para dentro. Encontrarei


com você daqui a pouco.

Royal hearts academy #1


Sawyer puxa meu cotovelo. — Vamos. Podemos esperar no
meu carro até ele terminar.

A contragosto, sigo a liderança dela.

— Do que você acha que se trata? — Sawyer pergunta


quando voltamos para sua van.

— Eu honestamente, não tenho ideia.

— Talvez seja de quem ele pega a erva?

Balanço a cabeça. — Duvido. Eu estava com ele quando


usou uma identidade falsa, e pegou algumas em uma loja de
fumo na outra noite.

Atirando meu olhar na estrada para onde ele está, eu


assisto a conversa deles.

Oakley está falando a maior parte do tempo e ele está


usando muito as mãos, como se o que quer que esteja dizendo,
o está aborrecendo.

O outro cara fica estoico com uma expressão sombria.

Isso é até que ele se inclina sobre o console central, e


sussurra algo no ouvido de Oak.

Oakley assente solenemente e a mão em torno de seu


volante, flexiona e aperta antes que ele feche os olhos.

— Eu me pergunto se... — Sawyer começa a dizer até que


ela para. — Deixa pra lá.

— O quê?

Se Sawyer tem uma teoria sobre o que pode estar


acontecendo aqui, sou toda ouvidos.

Royal hearts academy #1


— Você acha que talvez... — sua voz diminui e ela respira
fundo. — Você acha que ele pode ser... gay?

Dizer que estou surpresa seria um eufemismo. — O cara


com quem ele está? Ou Oakley?

Ela pega suas cutículas. — Eu não sei... os dois?


Provavelmente estou enganada, mas seu primo e Hayley
estavam praticamente transando ao ar livre no ano passado, e
agora é como se ela nem existisse. Ele também está ficando
muito mais chapado do que costumava... como se estivesse
tentando escapar do que o está incomodando. — Ela encolhe
os ombros. — Provavelmente estou lendo demais.

Eu penso na teoria dela. Não está totalmente fora de


questão. — Não. Você pode estar no caminho certo. Eu o
peguei assistindo pornô uma vez, mas seus olhos estavam
fechados, então ele realmente não estava assistindo, sabe? Era
basicamente um ruído de fundo, - e se meu ex tem algo para
contribuir, - isso não é normal para os caras. — eu sento em
linha reta. — Ele também não se opôs ou negou, o boato que
Jace começou sobre nós transando.

Observo o cara sair do carro de Oakley e correr para outro


mais adiante na rua. Oakley o observa o tempo todo. Quase
como se ele já sentisse sua falta. — Eles tiveram um momento
antes. O cara sussurrou algo para ele, e Oakley parecia
machucado pelo que ele disse.

Os olhos de Sawyer se arregalam. — Oh meu Deus, você


está certa. Sem mencionar que esse cara não gostou muito de
você, mas relaxou quando disse que era prima dele. Talvez ele
esteja chateado com Oakley, que está fingindo ser algo que
não é, e ele estava com medo de que você fosse a nova carne
dele. — Sawyer aperta o peito dela. — Olhe... Oakley está
assistindo ele sair. Não consegue tirar os olhos dele. — Ela
suspira. — Eles são amantes apaixonados. Um Romeu e

Royal hearts academy #1


Julieta moderno. Só que um... Romeu e Romeu. — O rosto
dela cai. — Ele obviamente está com medo de assumir. Temos
que estar lá para ele, Dylan. Ele tem que saber que tem
pessoas que irão amá-lo e apoiá-lo, não importa qual seja sua
sexualidade.

Concordo. — Sim, definitivamente. Quero dizer, somos


uma família. — Meu coração afunda. — No outro dia ele disse
algo, sobre o pai não se importar com a felicidade de outras
pessoas. Talvez ele tenha tentado contar ao meu tio, e ele se
recusou a apoiá-lo. Mas ele não precisa do apoio de Wayne.
Ele tem a mim... E tem você.

A voz dela oscila. — Não daremos as costas a ele.

Estamos tão envolvidas em nossa conversa que pulamos


quando Oakley bate na janela.

— Vocês estão prontas para explodir essa barraca de


picolé?

Sawyer e eu trocamos um olhar quando saímos de sua


van.

Então, antes que eu possa me convencer do contrário.


Envolvo meus braços em torno dele. — Sei que não
começamos com o pé direito, mas preciso que saiba que estou
aqui por você.

Oakley congela. — Uh. Obrigado?

Eu o abraço mais forte. — Estou falando sério, Oak. Nós


somos uma família. O que quer que você esteja passando, eu
te protejo. Você não está sozinho.

Sawyer se junta ao nosso abraço em grupo. — Estou aqui


para você também. — Ela aponta para o céu. — E ele
também. Deus ama todos os seus filhos.

Royal hearts academy #1


A boca de Oakley cai aberta. — Que porra vocês duas
estão fumando, e posso ter um pouco, por favor?

— Só queremos que você saiba o quanto te apoiamos, —


diz Sawyer antes que ela olhe para mim e murmure — Ele
ainda não está pronto.

Eu concordo. Não podemos empurrá-lo. Ele vai sair


quando achar que é a hora certa.

E estaremos aqui para ele quando for.

Oakley limpa a garganta. — Por mais legal que seja essa


festinha do amor, há uma garrafa de uísque com meu nome lá
dentro.

Seus olhos estão treinados em mim quando todos nos


separamos. — Camisa legal.

Minha mente volta para o armário e a sugestão que ele fez


sobre eu precisar fazer uma viagem à Victoria's Secret. Talvez
ele goste de ir lá sozinho?

— Obrigada. Talvez possamos fazer compras algum dia?

— Dylan, — Sawyer assobia. — Não o estereotipe.

Merda, ela está certa. — Eu sinto muito. Está tudo bem se


fazer compras não é a sua. Podemos fazer o que você quiser.

Ele abre a gola da camisa. — Quero dizer, eu tenho um


senso de moda incrível. — Ele passa um braço em volta dos
meus ombros e outro em volta dos de Sawyer, levando-nos à
casa em estilo mediterrâneo, que está tocando música. — Mas
podemos falar sobre isso mais tarde. Primeiro, deixe-me dar a
vocês duas um alerta. Alguns caras mau caráter estão por
aqui, então sempre prepare e sirva suas próprias bebidas. Se
você a soltar, deixe-a e faça outra. As festas do Christian

Royal hearts academy #1


possuem bebidas suficiente para manter um país do terceiro
mundo bêbado por meses.

Eu não sou de beber, mas é bom saber.

— As pessoas transam no segundo andar. Se a porta do


quarto estiver fechada, vá para outro lugar ou aguarde a sua
vez por uma aberta. — Ele faz uma pausa. — Além disso, não
beba o ponche.

Sawyer gira a cabeça para olhar para ele. — Por que? Está
batizado?

— Não, — Oakley responde com um sorriso. — Porque


uma vez Cole ficou tão bêbado, que achou que era um
mictório.

— Nojento. — diz Sawyer, ecoando meus pensamentos.

Ele ri de si mesmo quando nos aproximamos da entrada.


— Ah. Ele continuou chamando de néctar dourado dos
deuses, e desafiando as pessoas a tomar um gole. Foi
engraçado pra caralho... até que algumas garotas caíram
nessa, beberam e perguntaram por que estava quente e com
um gosto engraçado. — Suas sobrancelhas dançam. — Então
foi histérico.

Sawyer e eu trocamos outro olhar chocado quando ele gira


a maçaneta.

No momento em que a Oakley abre a porta da frente, é um


pandemônio absoluto.

Há uma monção de pessoas em várias áreas da casa, e


todos que passamos têm um copo vermelho nas mãos.

À nossa direita, algumas pessoas estão dançando e se


divertindo, enquanto outras estão tentando dançar, e se
saindo terrivelmente mal.

Royal hearts academy #1


Alguns casais estão brigando... outros estão se beijando
em qualquer superfície que possam encontrar.

Posso dizer que Sawyer está ainda mais impressionada do


que eu, porque seu queixo quase atingiu o chão no segundo
em que entramos.

— É sempre assim? — ela pergunta.

— O quê? — Oakley grita acima da música, enquanto se


dirige para uma mesa cheia de bebida.

— Eu disse, é sempre assim?

Oakley espirra uma porção generosa de líquido âmbar em


um copo. — Às vezes. Ela morre um pouco enquanto a noite
passa. Você vai ver.

Sawyer pega um copo vazio da pilha e examina a mesa. —


Há algo aqui com uma porcentagem de álcool abaixo de cinco?

Oakley toma um longo gole antes de pegar o uísque


novamente. — Porra, eu sei lá.

Vejo uma garrafa meio vazia de refrigerante escondida


atrás de uma jarra e a pego. — Aqui.

Depois de dar uma fungada cautelosa, ela enche dois


copos. — Então, o que devemos fazer agora? Para ser sincera,
já estou meio entediada.

Ela me entrega um dos copos e tomo um gole. — Eu


também. Sem mencionar que a música é péssima.

Oakley revira os olhos. — Isso é porque vocês duas estão


sóbrias.

Sawyer levanta as chaves. — É porque estou dirigindo.

Oakley olha para mim. — Qual é a sua desculpa?

Royal hearts academy #1


Gostaria de ficar alerta e orientada em uma casa, onde a
maioria das pessoas que conheço, são meus inimigos.

— Não bebo muito. — eu estabeleço.

— E aí! — uma voz profunda grita do outro lado da sala.

Não perco o jeito que Sawyer se encolhe, enquanto ele


caminha até nosso círculo.

— Sim, essa festa é um fracasso oficialmente.

Evidentemente, minha amiga não é fã de Cole Covington.

Não posso dizer que a culpo. O quarterback22 estrela pode


ser bonito, mas ele é desagradável e arrogante como o inferno.

Também dói olhar para ele, porque é uma aparição


ambulante de seu irmão gêmeo.

Um vislumbre cruel de um futuro que nunca existirá.

Um triste lembrete do que uma vez já existiu.

Não tenho certeza de como Cole, ou Jace e sua família,


lidam com isso.

— Qual é o problema, Dylan? — Aqueles olhos verdes


afiados que atiram punhais em mim. — Parece que você viu
um fantasma.

Pela primeira vez, fiquei sem palavras.

Sawyer não ficou, no entanto. — Deixe-a em paz,


Covington.

— Bem, se não é a minha nerd favorita. — Seu rosto se


ilumina em um sorriso zombador quando ele a observa. — Eu
quase não te reconheci. Tem certeza de que não está perdida,

22
Posição principal de jogador no futebol americano.

Royal hearts academy #1


doçura? — Inclinando-se, ele aponta a garrafa de cerveja em
direção à saída. — O grupo de estudo da Bíblia fica no final da
estrada.

Cruzando os braços, ela o encara. — Por favor... Você não


conheceria um grupo de estudo nem se ele lhe desse um tapa
na cabeça, e subisse na sua bunda.

Ele lambe a ponta da garrafa de cerveja sugestivamente.


— Oh baby. Adoro quando você fala sujo comigo.

Seu rosto se contrai com nojo. — Deus, você é um porco.

Cole se concentra em seu peito e morde o lábio. — Oink,


oin-

Uma garota que eu reconheço do grupo de Britney se


aproxima dele no meio da frase e ele a abraça. — Ei, sexy.
Pensei que iria te encontrar na banheira de hidromassagem?

Ela começa a falar, mas Cole desvia sua atenção para algo
atrás de nós. — Já era hora de você terminar.

Meu coração estúpido e traidor pula em disparada,


quando vejo Jace descendo as escadas.

Ele está usando uma Henley preta, que faz coisas


deliciosas em seus braços esculpidos, e jeans bem ajustados
que penduram nos quadris.

Seu rosto, como sempre, está malditamente perfeito.


Ainda mais com a fina camada de barba por fazer em sua
mandíbula hoje à noite.

Estou tão focada na aparência dele, que levo um segundo


para perceber que ele está afivelando o cinto... e que Britney
está se escondendo atrás dele, como um ranço que permanece,
mesmo depois que você tira o lixo.

Royal hearts academy #1


Estou pensando em pegar a mão de Sawyer e sair para o
pátio para tomar um ar, mas Britney já me notou.

A fração de segundo de inveja, imediatamente seguida por


inquietação no seu rosto, faz valer a pena ter que aguentá-la
um pouco.

— Bem, veja o que o cabeça de maconha arrastou. — Ela


lança a Oakley um olhar irritado. — Muito obrigada, Oak.
Tenho certeza de que Hayley, sua futura ex, ficará emocionada
quando chegar aqui.

Oakley não parece perturbado por sua ameaça... nem um


pouco.

Jace vai direto para o balcão improvisado sem me dar uma


olhada. Como Sawyer e eu, ele vai direto ao refrigerante,
desconsiderando o álcool.

Eu sorrio quando ele examina a garrafa e range os dentes.


— Que imbecil está se servindo da minha merda, sem
permissão?

Ao meu lado, Sawyer fica rígida.

Eu tomo o resto da minha bebida e orgulhosamente


seguro meu copo vazio. — Esta imbecil.

Os músculos do seu pescoço ficam tensos. — O que


diabos você está fazendo aqui? — Seu olhar se estreita, e seus
olhos escuros brilham com algo diferente de desdém por um
rápido segundo, antes dele se concentrar em Oakley. — Você
não quer problemas? Não traga nenhum.

— Eu estava vindo com ou sem Oakley, — eu o informo.


— Mas ei, se estar aqui te incomoda tanto... você realmente
deveria me ignorar. — Passo um dedo pelo meu braço nu. —
A menos que eu tenha tanto controle sobre você, que não
poderá se divertir. Nesse caso, sugiro que procure ajuda

Royal hearts academy #1


profissional. — Lancei-lhe um olhar cheio de simpatia
simulada. — Não é saudável ficar tão obcecado por alguém,
que não está mais na sua vida.

Não percebo a maneira horrível que minhas palavras


podem ser mal interpretadas, até que vejo um lampejo de dor
gravado em seus traços.

— Jace, eu não...

— Não. — Meu estômago cai quando ele sorri, mostrando


sua covinha profunda e pega a garrafa de refrigerante. — Você
está certa. — Mais rápido do que posso piscar, ele se
aproxima e derrama o refrigerante na minha cabeça. —
Aproveite o resto da sua noite.

Britney e sua amiga riem como hienas, enquanto ele joga


sua garrafa vazia em minha direção e sai.

— Alguém está obcecado, — Britney zomba. — Mas


definitivamente não é Jace.

Sawyer pega um rolo de papel toalha da mesa e entrega


para mim.

— Obrigada. — Começo a enxugar o excesso de líquido


que puder.

— Ok. — Cole esfrega as mãos. — Vou entrar na


banheira, quem vem?

— Eu. — a garota ao lado dele fala baixinho.

— Vou ver se Jace quer, — Britney diz. — Se não,


provavelmente voltaremos para minha casa, para que eu possa
fazê-lo se sentir melhor... você sabe... já que alguém arruinou
sua noite.

É preciso um esforço substancial para ignorá-la.

Royal hearts academy #1


Oakley olha para mim. — Um mergulho rápido pode
ajudá-la a se limpar.

Eu adoraria saber em que universo ele está vivendo,


porque no meu, não vou dar um mergulho rápido em uma
banheira de hidromassagem, com o irmão de Jace ou a melhor
amiga de Britney, por qualquer motivo.

— Sério, Oakley? — Britney rebate. — A menos que você


queira que Jace dê um chute no seu traseiro, pare de convidar
ela para os lugares. Ela não é bem-vinda. E se você continuar,
também não será.

Sua amiga coloca a mão no quadril. — O mesmo vale para


sua amiga gorda.

— Calma... — diz Cole. — Sawyer nem fez nada.

As duas o ignoram.

— Deus. — Britney joga o cabelo por cima do ombro. —


Você consegue imaginar ver aquela bolha em uma banheira de
água quente?

— A água é o habitat natural de uma baleia. — diz sua


amiga, presunçosa.

Sawyer fica vermelha de vergonha.

Eu, no entanto, estou vendo vermelho.

Especialmente quando o lábio inferior de Sawyer começa a


tremer.

— Foda-se elas! — eu digo a ela. — Elas estão com


ciúmes.

— De quê? — gargalhadas de Britney. — Insuficiência


cardíaca congestiva e diabetes? Não, obrigada.

Royal hearts academy #1


— Maravilha... — Britney murmura. — Acho que ela vai
chorar.

A raiva se forma no meu estomago. Britney é a pessoa


mais vil e miserável que já conheci na minha vida, e estou tão
cansada dela pensar que é muito melhor do que todos os
outros.

Ela é como um fungo, que continua crescendo, infectando


todos com seu câncer.

Mas ela se espalhou o suficiente. De jeito nenhum eu vou


ficar aqui, e deixá-la continuar machucando minha amiga.

Aperto minhas mãos. Quem falar a seguir é o primeiro a


cair.

Sua companheira enruga o nariz. — Meu Deus. Ela vai.


Banha de porco vai totalmente chor...

Um punho voa em sua boca.

Só que não é meu.

É o de Sawyer.

E minha garota dá um soco poderoso porque ela a bate no


chão.

Descobrindo os dentes, Sawyer olha para ela. — Eu posso


estar chorando, mas você é quem está sangrando... puta.

A garota se lança para ela, mas Sawyer tem a vantagem e


sobe em cima dela.

Britney me empurra. — Tire essa bunda gorda da minha


amiga antes que ela a sufoque.

Uma névoa vermelha lava sobre minha visão. Isso já


deveria ter acontecido há muito tempo.

Royal hearts academy #1


Pego um punhado de seus cabelos ruivos. — Coma um
saco de paus, vadia!

E então eu enfio meu punho no seu nariz.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Isso foi incrível — diz Sawyer de seu lugar no chão do


banheiro.

Apesar do latejar na minha mão, e do sangue escorrendo


do meu lábio devido ao primeiro e único soco que Britney
acertou, eu tenho que concordar.

Por quase quinze minutos, Sawyer se levantou e se


defendeu, e eu pulei e bati a merda fora do meu pesadelo de
infância.

As coisas ficaram tão loucas, que um círculo de festeiros


se formou ao nosso redor, e alguém mudou a música para a
música-tema do Rocky.

Cole e Oakley tentaram o seu melhor para acabar com


isso, mas sempre que eles pegavam a mim ou Sawyer,
começávamos a trabalhar em equipe, para garantir que
Britney e sua amiga não tivessem vantagem.

Ficou tão ruim, que eles tiveram que chamar Jace em


busca de apoio, porque metade das pessoas ao redor não
queria se envolver, e a outra metade não queria interromper o
entretenimento.

O olhar no rosto de Jace quando ele me arrancou de cima


de sua pequena namorada, e depois a arrancou do chão, não
tinha preço.

Eu acaricio a mecha de cabelo vermelho na pia do


banheiro. — Conseguimos até uma lembrancinha.

Royal hearts academy #1


Rindo, ela se levanta do chão. — Amanhã estaremos tão
doloridas.

Estremeço enquanto verifico meus dedos. Nada está


quebrado, mas eles estão inchados e machucados. — Conte-
me sobre isso. Tecnicamente, esta é minha segunda briga em
uma semana.

Ela estende a mão e me ajuda a levantar. — Você deve


começar a treinar profissionalmente.

— Só se eu puder usar Britney como meu saco de


pancadas.

Abro a torneira e lavo o rosto, pois ainda está pegajoso


pelo refrigerante que Jace derramou em mim.

— Merda. — Sawyer diz enquanto olha para o relógio. —


São uma e quinze. Vou me atrasar para o toque de recolher.

Porcaria. Ficamos escondidas no banheiro, reunindo


nossos rumos e o tempo deve ter escapado de nós.

Ela pega o telefone. — Vou mandar uma mensagem para o


meu pai e dizer que estarei em casa assim que deixar você.

— Não, eu posso pegar uma carona com Oakley. Se você


sair agora, chegará em casa a tempo.

Ela me olha com cautela. — Tem certeza? Não quero


deixar você presa aqui. Além disso, Oakley está bebendo.

— Ele está, mas eu não. Tenho certeza de que não terá


nenhum problema comigo dirigindo.

Depois de lhe dar um rápido abraço de despedida, eu a


acompanho até a van e procuro meu primo.

Royal hearts academy #1


Imaginei que ele ainda estaria na sala, mas não há sinal
dele. De fato, metade das pessoas que estiveram aqui se foi
agora, e espero seriamente que ele não seja um deles.

Vou até dois caras sentados no sofá. Seus olhos vermelhos


e a maneira como eles se agacham, - sem mencionar o
baseado grande que estão compartilhando - me dizem que eles
são o pessoal de Oakley, e podem ser capazes de me dizer
onde ele estaria.

— Hey.

O cara de gorro levanta a cabeça. — Ah, Merda. É você. —


Ele dá um tapa no ombro do amigo. — É a foda de primo que
espancou aquela garota Britney antes.

Se eu nunca mais ouvir o termo foda de primo na minha


vida, será muito cedo.

Seu amigo solta uma grande nuvem de fumaça e tosse. —


Você é uma lenda, B23. Louco respeito. — Ele aponta para o
cachimbo. — Você quer dar um tapa nisso?

— Agradeço a oferta, mas estou procurando Oakley. Vocês


o viram?

Eles trocam um olhar.

— Ah, — um deles diz. — Não desde a briga.

— Mas Cole está do lado de fora, na banheira —


acrescenta o amigo. — O Bro pode estar com ele.

— Ok, obrigada.

Eu começo a me afastar, mas eles me param.

23 Aqui eles usam B pra falar com ela, como B de Bitch, que seria vadia... Mas no caso
deles, é mais como uma gíria carinhosa.

Royal hearts academy #1


— Hey, B. Talvez da próxima vez que você brigar, possa
mostrar uma teta ou algo assim. — Ele balança um peito
imaginário. — Tente se tornar viral e faça alguma merda no
próximo nível. Sabe o que estou dizendo?

Deus me ajude se eu seguir conselhos sociais ou de


carreira desses caras.

— Certo. Verei o que posso fazer.

Com um aceno curto, eu os deixo com o seu cachimbo e


vou para o lado de fora.

Pequenas linhas de luz iluminam o caminho que leva à


grande banheira de hidromassagem estacionada no lado
oposto do pátio.

E como eles disseram, é onde eu encontro Cole.

Com exceção de algumas pessoas desmaiadas em algumas


cadeiras, ele está sozinho.

No entanto, há uma boa chance de ele saber para onde


Oakley foi.

Seus olhos estão fechados, e a parte de trás da cabeça


está apoiada na borda da jacuzzi quando me aproximo.

Ele está tão relaxado que preciso limpar a garganta para


chamar sua atenção.

— Hey, desculpe incomodá-lo, você sabe onde está Oakley.


Eu preciso de uma carona para casa.

Ele abre um olho. — Você não veio com a Sawyer?

— Sim, mas eu disse a ela para ir para casa, porque


estava atrasada para o toque de recolher.

Royal hearts academy #1


Estendendo o braço, ele pega um copo nas proximidades.
— A última vez que o vi, foi logo depois de colocarmos uma
atadura em Britney e Casey. — Ele toma um gole de sua
bebida. — Você já tentou ligar para ele?

— Sim. — Giro os calcanhares, me preparando para


voltar para dentro. — Obrigada mesmo assim. Aproveite o
resto da sua noite.

— Não tão rápido. — Ele dá um tapinha na borda da


banheira. — Entre aqui no meu escritório. Nós precisamos ter
uma pequena conversinha.

O que quer que esteja naquele copo dele deve ser forte. —
Não tenho roupa de banho.

Seus lábios se contraem. — Nada que eu não tenha visto


antes.

— Desculpe, eu não... não.

Ele encolhe os ombros. — Você que sabe. — A curiosidade


dança em seu rosto enquanto ele se move para o lado da
banheira mais perto de mim. — Mas não consigo deixar de me
perguntar... — a voz dele diminui, convidando-me a preencher
o restante da declaração ou a perguntar sobre isso.

— Tudo bem, eu vou morder a isca. Perguntar o quê?

Sua expressão se torna angelical. — T-t-talvez se e-eu f-f-


falasse a-a-assim...

É como um soco bem no estômago. Antes que eu possa me


parar, minha mão bate em sua bochecha. — Que porra há de
errado com você?

Chorei até dormir depois que descobri que Liam havia


falecido, e novamente depois que ficou claro, que Jace não

Royal hearts academy #1


queria mais falar comigo, e eu tinha perdido não uma, mas
duas pessoas com quem me importava.

Eventualmente, me forcei a esconder meus sentimentos


sobre a morte de Liam, na mesma caixa que escondia minha
mãe.

No entanto, ser insultada com sua memória por seu gêmeo


idêntico, não é apenas totalmente cruel, mas também envia
uma onda de dor à superfície.

Lágrimas brotam dos meus olhos e eu aperto meu peito.

Liam deveria estar aqui... mas ele não está. Meu amigo
nunca mais voltará.

— Sinto muito... — sussurro enquanto meu cérebro


processa o que fiz. — Eu sinto muito.

Cole começa a dizer algo, mas eu já estou correndo de


volta para casa.

Dói demais. Eu não consigo respirar. Eu não consigo…

Uma força bate em mim e tropeço, mas um aperto de aço


captura meu braço, me endireitando antes de cair de bunda.

— Olhe por onde anda! — Jace late.

O fato de ele estar sem camisa, e de duas garotas de


biquíni estarem atrás dele, é insignificante. Meu foco está na
tatuagem em seu peito.

Rabiscadas em letras pretas e grossas, as palavras: My


Brother's Keeper24 está sentado acima de um par de
intrincadas asas de anjo, que se estendem sobre todo peitoral.

24 Quer dizer O guardião ou Protetor do meu irmão.

Royal hearts academy #1


Um nó sobe na minha garganta, quando uma nova onda
de dor toma conta de mim. Liam.

Impulsivamente, eu escovo meus dedos sobre a tinta.

Jace puxa uma afiada respiração... então afasta minha


mão. — Não me toque, porra.

— Eu... — Balanço a cabeça, me sentindo estúpida por


fazer algo tão pessoal. Tão insensível. — Eu sinto muito.

Enrolando meus braços em volta de mim, eu passo por


Jace e pelas meninas vestidas de biquíni.

Preciso encontrar Oakley para poder ir embora. Estar


aqui, lidar com essas emoções escondidas... Tudo isso é
demais.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Estou procurando Oakley há mais de vinte minutos, e


ainda não há sinal dele.

Num último esforço, subo a escada, preparando-me para


atravessar todas as portas que encontrar.

Depois de verificar os dois primeiros quartos, e irritar dois


casais no meio da paixão, faço o meu caminho para o que fica
no final do corredor.

A porta está fechada, então eu bato algumas vezes.

Quando não recebo uma resposta do outro lado, entro.

O quarto está escuro, mas vejo Oakley imediatamente. Ele


está sozinho e esparramado, no meio de uma cama king-size.

Dou um suspiro de alívio. Eu odeio acordá-lo, mas quanto


mais cedo ele me entregar suas chaves, mais cedo pode dormir
em sua própria cama.

— Vamos lá, animal de festa. — Eu bato em seu


tornozelo. — Está na hora de ir para casa.

Ele faz um barulho baixo no fundo da garganta.

— Oak. — Eu dou um tapinha na perna dele. — Levante-


se.

Ele olha para mim através das pupilas injetadas de


sangue. — É você.

Royal hearts academy #1


— Sim, sou eu. Sawyer teve que sair. — Eu procuro as
chaves na mesa de cabeceira, mas está vazia. — Onde estão
suas chaves?

Suas pálpebras abaixam. — Huh?

Colocando meu joelho na cama em busca de apoio,


começo a vasculhar seus bolsos.

— Eu senti sua falta.

Seu discurso é tão arrastado que quase não o ouço.

Evidentemente Oakley é o bêbado eu amo todo mundo.

Esfrego o seu ombro. — Saudades de você também. Mas


sabe o que mais estamos perdendo? Suas chaves. Você se
lembra... — Não, não adianta perguntar. Ele não vai saber
onde estão. Movendo-me na cama, tento o meu melhor para
alcançar nos bolsos traseiros de suas calças.

Ele fecha os olhos com dor. — Você está me matando.

Muito dramático? — Desculpe, mas preciso encontrar as


chaves do seu carro.

Suas mãos emolduram meu rosto. — Eu não posso. — Os


olhos vidrados e encapuzados ficam ainda mais vidrados e sua
voz falha. — Isso dói.

Eu pisco, sem saber o que fazer ou dizer. Bêbado ou não,


há muita convicção por trás dessas palavras, e meu coração
dói por ele.

Oakley merece felicidade. Mas ainda mais que isso? Ele


merece a liberdade de amar quem ele quer.

Seu aperto se torna mais forte e ele treme. — Eu não


aguento.

Royal hearts academy #1


Oh, homem. Eu sempre fui ruim nesse tipo de coisa. No
entanto, quero que ele saiba que estou aqui, e que vai passar
por isso.

— Não consigo imaginar o que você está passando, mas


estou aqui...

Ele me puxa para mais perto. — Eu preciso de você pra


caralho.

O álcool está claramente afetando sua compreensão. —


Você me tem. Eu não vou a lugar nen-

Ele enfia os dedos pelos meus cabelos e a próxima coisa


que eu sei... seus lábios estão nos meus.

Mas. Que. Porra.

Abro a boca para perguntar o que ele está fazendo, mas no


segundo que faço, a língua dele mergulha.

Eu congelo, completamente pega de surpresa. Percebo que


ele pode estar confuso, mas não sou a pessoa certa para testar
as águas.

Eu bato em seus ombros quando ele aprofunda o beijo


indesejado.

Move seus quadris e geme.

Meu estômago se agita, quando uma coisa se torna


abundantemente clara.

A coisa atualmente me cutucando no lado. Eca.

— Ouvi o termo beijando os primos, mas nunca o vi antes.


— uma voz que soa muito como a que Cole diz da porta.

Empurro Oakley o mais forte que posso, até que


finalmente ele tira a boca da minha.

Royal hearts academy #1


Limpando os lábios com as costas da mão, saio da cama e
giro.

Claro, não é apenas Cole. Jace também está lá.

E seu olhar está mais cauteloso do que nunca.

— Não estamos... isso não é... — Olho para o idiota


bêbado na cama. — Eu pensei que você era gay. Estava
tentando te ajudar.

A cabeça de Oakley se inclina para o lado e ele cochila.

Os lábios de Cole se contraem. — Sério?

— Sim! — eu cuspo. — E não sou a única. Sawyer


também pensava assim. — Eu chuto a estrutura da cama. —
Eu ia levá-lo às compras, imbecil.

Diversão ilumina a expressão de Jace.

Cole se dobra de tanto rir. — Essa é a melhor merda que


já ouvi. Não acredito que ele fingiu ser gay, para entrar nas
suas calças.

— O quê? Não foi isso que aconteceu.

Sua risada para. — Mas você acabou de dizer...

Claramente, Sawyer e eu pulamos a arma e nos


empolgamos. — Nós o vimos no carro com um cara antes e
assumimos...

— Que cara? — Jace pergunta.

Antes que eu possa responder, ele passa por mim. —


Merda.

Todo o sangue escorre do meu rosto quando me viro.

Oakley está tremendo violentamente.

Royal hearts academy #1


O pânico espirra através de mim e eu pego meu telefone.
— Vou ligar para o 911?

— Não! — Jace late. — Ele tem epilepsia. — Suas feições


endurecem quando ele rola Oakley para o lado. — Ele não tem
uma convulsão há algum tempo, mas estresse e drogas são os
seus gatilhos.

Se for esse o caso, Oakley realmente precisa avaliar seu


hobby favorito.

— Ele fuma maconha o tempo todo.

Jace me dá uma olhada. — Maconha não é o problema. De


alguma forma, ainda ajuda. — Ele olha para o relógio. — É
quando ele brinca com merdas estúpidas, que coisas assim
acontecem.

Oh. O cara com quem Oakley estava antes, era realmente


um traficante, afinal.

Jesus. Eu me sinto totalmente desamparada - mas ainda


mais do que isso - brava comigo mesma por não o impedir.

Estou sem saber o que fazer ou como torná-lo melhor. —


Talvez eu deva ligar para meu tio.

— Não! — Cole late. — Se você disser a ele, ele não só


ficará chateado por causa das drogas, como também levará o
carro dele por um ano.

Provavelmente. — Mas se ele estiver usando drog...

— Um minuto e dez segundos. — Jace declara.

Oakley pisca para o teto, parecendo tão perdido e confuso


que quero correr e dar um abraço nele.

Jace olha para ele. — Você teve uma convulsão, cara.

Royal hearts academy #1


Oakley tenta falar, mas Jace se inclina e o segura pela
gola. — Você me prometeu porra!

Seu tom é mais frio que o gelo, mas seus olhos estão
cheios de tanto medo, que meu coração se contrai.

Jace puxa sua camisa até que suas cabeças estejam


pressionadas juntas. — Pare de falar com Loki para sempre, e
acabe com essa besteira, ou eu acabei com você para sempre.
Entendido, idiota?

A culpa de Oakley é palpável quando ele dá um pequeno


aceno a Jace, antes de fechar os olhos.

Cole solta um suspiro. — Ok, qual é o plano? Estou


dirigindo o carro dele de volta para nossa casa?

Jace balança a cabeça. — Não. Você tomou algumas


cervejas hoje à noite, então também não quero que dirija.
Vamos deixá-lo aqui e buscá-lo de manhã. — Ele tira o
telefone de Oakley da mesa de cabeceira. — Vou mandar uma
mensagem para Wayne, e avisar que ele está passando a noite
na nossa casa.

— Eu sei dirigir. Não tomei nenhuma bebida. — Estreito


os olhos. — Além de refrigerante.

Com um grunhido, Jace enfia a mão no bolso da calça


jeans e joga um conjunto de chaves para mim. — Bem. Você
pode levá-lo para minha casa, mas depois disso, precisa sair.
Você não é bem-vinda na nossa casa.

Uma mistura de dor e confusão toma conta de mim. — Se


for esse o caso, por que não pego o carro de Oakley, e levo nós
dois para casa?

Jace cruza os braços. — Não.

Royal hearts academy #1


— Desculpe, papai. Eu não sabia que precisava da sua
permissão, para começar.

Cole bufa. — Olhe, trabalhe conosco ou saia do nosso


caminho enquanto lidamos com essa merda. Wayne pensar
que seu filho passou a noite em nossa casa, porque bebeu
demais em uma festa, é diferente de empurrar as evidências
reais na sua cara, e colocar Oakley em problemas.

Eu acho que ele tem razão. Acho. — Tudo bem, que tal eu
dirigir o carro de Oakley para casa? Dessa forma, você não
precisará...

— Não — Jace diz firmemente.

— Por que você está sendo tão malditamente difícil?

— Porque eu estou cuidando do meu amigo. — Jace


avança em minha direção. — Você está realmente preparada
para enfrentar o interrogatório de seu tio? O que vai dizer
quando ele perguntar por que o carro do filho está na
garagem, mas ele não está em casa? Você vai desmoronar e
dizer que ele teve uma convulsão? Ou deixar escapar que ele
estava tão fora de si, chapado e bêbado que a beijou?

Eu luto contra o desejo de amarrá-lo por suas bolas. —


Claro que não.

Sua risada é amarga. — Bem, me chame de louco, mas


não confio em você. Se realmente quer ajudar Oak, mantenha
a boca fechada e faça o que diabos eu mandar. — Ele acena
com o queixo para Cole. — Vá com ela. Certifique-se de que ela
não vá rápido, e leve Oak para casa.

Cristo, ele é inacreditável.

Cole e Jace tiram Oakley da cama e reposicionam cada um


dos braços em volta dos seus ombros.

Royal hearts academy #1


— Se você pudesse andar na nossa frente, e abrir a porta
da entrada, isso seria ótimo — Jace range entre os dentes.

Se ele não estivesse apoiando fisicamente, um Oakley


muito grogue no momento, eu o chutaria nas bolas.

Um pensamento horrível passa pela minha cabeça


enquanto descemos as escadas.

Eu lutei contra Oakley outro dia. Ele poderia ter tido uma
convulsão.

Tudo porque Jace me deixou acreditar, que seu amigo era


o responsável por todas as coisas que ele fez.

Meu sangue ferve quando saímos.

No segundo em que tivermos Oakley acomodado, e eu


souber que ele está bem, vou ter uma conversinha com Jace.

A viagem para a casa de Jace é bastante silenciosa, além


do ronco periódico de Oak, no banco de trás.

Olho para ele pelo retrovisor. — Ele ficará bem?

Não sei muito sobre epilepsia, mas pretendo fazer minha


pesquisa.

Cole assente. — Eu só o vi ter algumas ao longo dos anos,


mas ele fica sempre muito cansado depois. — Mudando de
posição, examina o amigo. — Ele também está bêbado como
um gambá e muito chapado agora, então é melhor deixá-lo
dormir.

Certo. Por mais chateada que esteja com ele agora, por
usar drogas e se colocar nisso, estou muito mais preocupada
com sua saúde, do que em ler o seu ato de revolta.

Royal hearts academy #1


Eu posso sentir os olhos de Cole em mim. — Posso te dar
uma carona para casa, se você quiser esperar um pouco.

— Eu aprecio isso, mas estou bem.

Desde que Tommy não retornou minha mensagem, prefiro


rastejar de volta à casa da minha tia em cacos de vidro, do que
aceitar uma carona de um Covington.

Provavelmente eu também estaria melhor, porque nesse


ritmo eles me matariam e enterrariam meu corpo na floresta.

Ele olha para frente. — Faça o que achar melhor.

Enquanto Jace é um idiota consistente, Cole tem sido


quase agradável durante toda a nossa curta viagem.

Isso me deixa nervosa. —Por que você está sendo tão legal
comigo?

As sobrancelhas dele se erguem de surpresa. — Sinto


muito. — Ele passa a mão pelos cabelos escuros. — Não quis
ofendê-la por não ser um idiota. Farei melhor da próxima vez.

Viro à esquerda, no quarteirão deles. — Eu não quis dizer


isso. Eu aprecio você ser... educado. No entanto, não é segredo
que Jace me odeia, e você também não gosta muito de mim.
Acho que estou me perguntando por que a mudança repentina
no coração, isso é tudo.

Percebo que ele está refletindo sobre sua resposta, pela


maneira como sua mandíbula meche, quando estacionamos
em sua entrada.

Estou tirando o cinto de segurança quando ele finalmente


fala. — Todos nós fazemos escolhas e cometemos erros neste
mundo. — Tristeza sombreia seus olhos. — E há uma
pequena parte de mim, que não pode deixar de pensar que no
seu caso, pode ter sido a segunda opção. — Ele encolhe os

Royal hearts academy #1


ombros. — Se eu estiver certo, todas as vezes que você se olha
no espelho, já está se punindo muito mais do que Jace ou eu
somos capazes de fazer.

Ele sai do carro antes que eu possa perguntar o que ele


quer dizer, ou a qual erro meu ele está se referindo.

Jace para atrás de mim, bloqueando o carro de Oakley,


depois acena para seu irmão.

Oakley está um pouco mais alerta depois que eles o


ajudam a sair do banco de trás, mas ele ainda está realmente
derrubado.

— Você está com raiva de mim?

Ele parece tão abatido, que eu me dobrei como uma


cadeira de jardim barata. — Um pouco, mas vamos conversar
amanhã. — Eles estão prestes a entrar, mas eu envolvo meus
braços em torno dele. — Você me assustou.

— Desculpe. — ele sussurra quando nos separamos e


Jace e Cole seguram seus braços.

Eu me concentro no meu inimigo. — Depois de levá-lo


para dentro, volte. Precisamos ter uma conversinha.

Aqueles olhos sinistros me examinam da cabeça aos pés.


— Como é?

Eu mantenho minha posição. — Você me ouviu.

Jace começa a querer discutir, mas Cole diz — Eu assumo


daqui. — Ele dá um tapa nas costas de Oakley. — Vamos lá,
grandão. Podemos acordar Bianca e levá-la a fazer alguma
comida.

Ele se anima um pouco, e eles fazem o seu caminho até a


garagem.

Royal hearts academy #1


No momento em que eles estão lá dentro, empurro Jace
contra o carro. — Você é um maldito hipócrita. Sabia que
Oakley tinha epilepsia, mas ainda me deixou pensar que ele
fez todas aquelas coisas ruins.

Jace não parece divertido. — Você só pode estar brincando


comigo.

— Não, eu não estou, seu idiota. O ataquei por causa


disso. — Meu coração cai. — Eu poderia tê-lo machucado
seriamente, Jace.

Não sei o que fazer com a expressão no rosto dele. — Sim,


você poderia. No entanto, aqui está você na minha garagem me
culpando.

Ele passa os dedos em volta do meu pulso e me puxa até


eu ser a pessoa contra o carro. — Notícia rápida, Dylan. Eu
não te fiz fazer merda nenhuma. Você escolheu espancá-lo,
porque esse é o seu MO25. Sempre que alguém te machuca ou
te irrita, você a leva ao extremo.

A raiva cresce na minha garganta. Ele tem muita coragem,


considerando tudo o que fez. — Tem certeza de que não
roubou o esconderijo de Oakley hoje à noite? Esse é o seu MO.
A única coisa que eu já fiz, foi ser uma boa amiga, o que é
muito mais do que posso dizer de você.

O lábio superior dele se curva e ele se inclina. — Eu queria


que você fosse um cara, porque juro por Deus, eu te bateria
até seu coração parar, sua boceta vil e manipuladora.

Já fui chamada de coisas ruins antes, mas isso é a cereja


do bolo. É a pior coisa que alguém já disse para mim ou sobre
mim.

25 Modus operandi

Royal hearts academy #1


Eu dou um tapa em sua bochecha com tanta força que
minha própria mão dói. — Eu te odeio!

Eu sou honesta como Deus neste momento. Nem importa


porque ele está com raiva de mim, porque não me importo
mais.

Ele planta as duas mãos no carro, me prendendo. — Isso


deveria me assustar? Porque não. Não há mais nada que você
possa fazer, não há mais nada que possa tirar de mim. Eu não
vou deixar você fazer isso.

Meu coração bate contra a caixa torácica. Ele está falando


em círculos, e isso não nos leva a lugar nenhum. — Eu não fiz
nada pra você. — Agarro seu rosto, forçando-o a olhar para
mim. — Você me conhece, Jace. Você me conhece melhor do
que ninguém. O que quer que você pense...

— Não. Eu não conheço. — A tristeza em sua voz me


atinge profundamente. — Não tenho certeza de que já conheci.

Eu estava errada antes. Isso é a cereja do bolo. — Você


segura meu coração na palma da sua mão, desde os onze anos
de idade. Se alguém tem o poder de machucar o outro aqui, é
você, não eu. — Minha garganta formiga e uma onda de raiva
enche a cavidade do meu peito. — Diabos, é tudo o que você
têm feito desde que voltei. — Enfio um dedo no seu peito. —
Britney Caldwell? Você acha que eu sou vil? Ela, é a própria
definição disso.

Sua mão desliza pela minha nuca e ele agarra meu rabo
de cavalo, inclinando minha cabeça para trás. — Ela pode ser
uma vadia, mas pelo menos nunca me traiu.

— Dê-lhe tempo.

Royal hearts academy #1


A ponta do seu nariz roça o comprimento do meu pescoço
exposto. — Cuidado, Taylor. Seu ciúme está começando a
aparecer.

Eu rio. — Por favor. Ela não tem nada que eu queira. —


Meus olhos se estreitam. — Não mais.

— Você tem certeza disso? — ele desafia.

— Positivo. — eu minto.

Suas pálpebras abaixam. — É por isso que você usou essa


blusa sexy hoje à noite? — Seu hálito quente faz cócegas na
lateral do meu pescoço. — Esperando chamar minha atenção?

— Não.

Mentirosa, mentirosa, calças em chamas26.

Isso me garante uma risada rouca. — Que pena. — Ele


pressiona os lábios contra a minha garganta. — Porque está
funcionando. Você tem toda a minha atenção. — Ele passa os
dedos pelo meu tronco. — A pergunta é... o que você vai fazer
com isso?

Meus dentes cerram de frustração. — Dizer para você se


foder.

Eu tremo quando ele passa a língua perfurada no meu


ponto de pulso. — Acho que seria mais divertido te foder.

— Como se eu fosse deixar.

Meu pulso dispara quando os nós dos seus dedos roçam a


tira de pele nua acima da cintura da minha calça jeans. — Nós
dois sabemos que você iria.

26
Mentiroso, mentiroso, sua calça está pegando fogo; mentiroso, mentiroso, nariz de Pinóquio; tá
mentindo, tá mentindo; mentira! mentira!
Música infantil tradicional dos EUA.

Royal hearts academy #1


— Você está errado.

Suas narinas se abrem em um suspiro profundo. — Bem.


Então me diga para parar. Diga-me para parar de tocar em
você e entrar.

Eu não posso.

— Foi o que pensei. — Suspiro quando ele traça o zíper


da minha calça jeans com o polegar. — Gostaria de saber o
que eu encontraria se puxasse isso para baixo, e deslizasse
minha mão para dentro.

Sangue pulsa em meus ouvidos quando seus dentes


roçam a cavidade do meu pescoço. — Aposto que você estaria
macia e molhada para mim. — Ele chupa a pele sensível na
boca. — Aposto que imploraria pelo meu pau também.

— Eu não te imploraria por nada. — digo, embora pareça


pouco convincente, até para meus próprios ouvidos.

Ele aperta minha carne, chupando e mordendo com tanta


força que dói. — Quem disse que você precisaria? — A palma
da sua mão desliza pelo meu abdômen. — Talvez eu só dê a
você. — Ele passa minha perna pela cintura dele,
pressionando sua ereção em mim. — Puxar esses jeans e fodê-
la sem sentido aqui. Acabar com isso, para que possamos
seguir em frente.

Eu juro que paro de respirar. — É isso que você quer?

— Eu não sei. — Ele mói contra o ponto que está doendo


por ele. — Diga-me você.

Meu interior desce quando ele abaixa a cabeça e a boca


roça o material de renda da minha camisa. Mas não importa o
quanto eu queira isso, não estou disposta a aceitá-lo, com um
lado de Britney.

Royal hearts academy #1


Eu quero todo o Jace. Cada pedaço fodido e parte
quebrada. Tudo para mim.

— Não vou te foder enquanto estiver com ela.

Ele começa a falar, mas meu telefone toca, interrompendo-


o.

Rosnando, ele enfia a mão dentro do meu bolso e o puxa


para fora.

Instantaneamente, seu rosto se enche de nojo e ele me


empurra.

Sua expressão é tão cruel, é como se ele tivesse sido


esculpido em pedra. — E eu não vou te foder... nunca. — Ele
joga meu telefone para mim. — Mas, hey. Aposto que o Tommy
faria.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Obrigada por vir me buscar.

Tommy me dá um breve aceno de cabeça e muda seu


carro para a estrada.

Cinco minutos se passam antes que ele fale.

— A casa de Jace era o último lugar que eu esperava que


você passasse um tempo.

Não estamos namorando, então tecnicamente, não devo a


Tommy uma explicação para o meu paradeiro, mas se eu
estivesse na posição dele, ficaria curiosa também.

— Eu não estava. Estava em uma festa. — Enrolo um fio


solto nas minhas calças em volta do meu dedo. — Para
encurtar a história, a amiga com quem fui lá teve que sair
porque estava atrasada para o toque de recolher, e meu primo,
com quem eu estava pensando em pegar uma carona para
casa, ficou muito bêbado. — Puxo o fio com mais força. —
Jace e Cole são amigos dele, então eles insistiram que ele
passasse a noite na casa deles, mas Cole estava bebendo,
então dirigi o carro de Oakley.

Tommy faz uma careta. — Não faria mais sentido dirigir o


carro de seu primo de volta para casa, desde que vocês moram
juntos?

Solto um suspiro exasperado. — Jace não queria que eu


fizesse isso também.

Royal hearts academy #1


Seus músculos da mandíbula pulsam quando ele desce o
meu quarteirão. — Velhos hábitos são difíceis de morrer,
suponho.

— Não seja assim. Eu não tive escolha.

O olhar que ele me dá me diz exatamente o que pensa da


minha desculpa.

— Se é nisso que você realmente acredita, acho que está


certa. — Ele estaciona na calçada perto do final da minha
entrada e desliga o motor. — Mas não espere que eu esteja à
sua disposição para fazer o papel do idiota. Novamente.

É agravante que ele veja nosso relacionamento dessa


maneira, quando pensei que éramos amigos. Sem mencionar
que ele me disse para ligar, se precisasse de alguma coisa.

— Uau, tudo bem. — Tiro o cinto de segurança. —


Aprecio a carona. Eu não vou incomodá-lo novamente.

— Dylan, espere. — Ele pega meu braço. — Não estou


tentando ser um idiota, mas fui completamente honesto com
você, desde o início. Não estou interessado em ser só seu
amigo ou em ficar na retaguarda do seu relacionamento
ferrado com Jace. Eu quero mais do que isso. — Sua palma
patina sobre meu ombro nu. — Eu mereço mais do que isso...
e você também.

Entendo o que ele está dizendo, e em algum nível, ele está


certo. Nenhum de nós merece ser pego de surpresa, mas não
estou pronta. Tommy quer muito mais do que eu sou capaz de
dar neste momento.

— Voltei há apenas uma semana. Preciso de mais tempo


para resolver minha cabeça.

— Eu sei e estou disposto a dar a você. — Os olhos dele


brilham. — Mas não me faça de bobo. — Seus ombros caem

Royal hearts academy #1


um pouco. — E também não deixe Jace brincar com você. Não
é segredo que ele e Britney estão se pegando há anos. Esses
dois estão indo e voltando desde a oitava série.

Minha garganta se fecha. — Certo.

Seu olhar cai para os meus lábios. — Ele te beijou hoje à


noite?

Não sei ao certo como responder. Em parte porque não é


da conta dele. E em parte porque quase fizemos muito mais do
que beijar.

Eu vou com a verdade. — Não.

— Você quer que ele faça?

Eu desvio meu olhar. — Que diferença faz?

Fechando a distância entre nós, ele pressiona um beijo


suave nos meus lábios.

No que diz respeito a beijos, Tommy não é ruim. É vivo,


gentil e seguro.

É tudo que eu deveria querer.

Começo a me afastar, mas sua mão segura minha


bochecha, pedindo-me para abrir minha boca. No momento
que eu cedo, ele empurra a língua para dentro.

Uma imagem de Jace passa pela minha cabeça como um


míssil, e tenho que me lembrar de beijar Tommy de volta,
antes de recuar.

— Não vou machucá-la como ele vai. — Seus lábios


viajam para o canto da minha boca, depois para o meu queixo.
— Eu gosto muito de você para fazer isso.

Eu dou a ele um sorriso aguado. — Eu sei.

Royal hearts academy #1


Inclinando a cabeça, ele vem para outro beijo muito mais
longo.

— Você tem alguma ideia de quanto tempo eu quero fazer


isso? — ele sussurra quando nos separamos.

— Desde que você tinha catorze anos?

Ele ri. — Mais ou menos. — O desejo escurece sua


expressão e sua mão desliza pelo meu estômago. — Mas a
coisa real é muito melhor do que qualquer uma das fantasias
para me aliviar.

Sim, ele poderia ter mantido esse pequeno detalhe para si


mesmo.

Eu o paro antes que ele vá longe demais. — Desculpe, eu


não-

— Está pronta — ele termina para mim.

Respirando fundo, concordo. — Estamos apenas... tudo


isso está acontecendo um pouco... - na verdade muito, - rápido
para mim.

— Tudo bem. — Ele levanta as mãos. — Vou guardar


essas para mim, até você estar pronta.

Cantada brega ou não, o fato de ele me respeitar ganha


alguns pontos importantes.

Suas sobrancelhas se apertam como se estivesse


pensando em algo.

— O que há de errado?

— Vá a um encontro comigo.

Zero a sessenta novamente. — Minha agenda está


bastante agitada esta semana...

Royal hearts academy #1


— Então semana que vem. Depois que os vikings
acabarem com os Raiders. Você pode sair comigo, e com
alguns amigos da minha equipe.

— Ok. — eu digo, porque sinceramente não consigo


pensar em um único motivo para recusá-lo.

Ele sorri. — Você vai se divertir. Eu prometo.

— Diversão parece perfeito.

Além de sair com Sawyer mais cedo, não tenho tido


nenhuma diversão há um longo tempo.

Tristeza se agarra na minha barriga. Eu não acho que Jace


tenha tido também.

Tommy inclina meu queixo. — Ok, minha vez. O que há de


errado?

Os eventos desta noite pesam no meu coração. — Posso te


perguntar uma coisa?

— Sim.

Dado que Tommy viveu em Royal Manor a vida toda, há


uma chance de que ele saiba muito mais do que eu, sobre a
morte de Liam.

— Como Liam morreu? Tentei mandar mensagens para


Jace e sua família, mas eles nunca responderam. E o obituário
dele - se é que você pode chamar assim - lista apenas o
aniversário dele, além do mês e ano em que morreu.

Até hoje, o último post de Liam no Instagram, é uma foto


que tiramos juntos no baile da escola. Fiquei esperando que o
comentário do RIP Liam que vi dois dias depois, fosse um erro.

Royal hearts academy #1


Nunca esquecerei o sentimento ameaçador em meu
coração, quando a opção de comentar suas fotos foi
desativada, pouco antes de sua conta ser em memória.

Tommy se move para frente em seu assento. — Não tenho


todos os detalhes, mas pelo que entendi, foi apenas um
daqueles acidentes estranhos. — Há uma leve careta no seu
rosto. — Para ser sincero, tudo ao redor da morte de Liam foi
bem quieto. O funeral foi muito particular, somente para a
família. — Ele aperta o ombro dele. — Dado que Liam morreu
tão perto da última semana do colegial, e Jace e eu fomos para
diferentes escolas depois, nunca o vi por perto. — Seus traços
se alteram. — No entanto, ouvi de algumas pessoas que ele
tem um pavio curto. Se você for pego falando sobre Liam, ele
irá reorganizar seu rosto.

Com base no que testemunhei recentemente, não duvido.

Mas não posso dizer que não entendo. Deus sabe o quanto
eu queria dar um soco na garganta de Britney, toda vez que
ela me provocava sobre a minha mãe.

Ele encolhe os ombros. — Não posso realmente condenar o


cara, eu acho. Stone me irrita, mas se ele morresse, não tenho
certeza se poderia passar por esse tipo de perda. Você
entende?

Uma bola de dor se aloja na minha garganta. — Sim.

O fato de Jace e sua família encontrar forças para se


levantar todos os dias, é um feito em si.

Ele toca os dedos no volante. — Olha, não conte a


ninguém que te contei isso, mas certa vez ouvi de um
professor, que foi uma complicação do acidente em que ele
estava, quando era mais jovem.

Royal hearts academy #1


Presumo que ele esteja se referindo ao acidente de carro
que matou sua mãe. — Como assim?

— Bem, aparentemente ele também desenvolveu algum


tipo de problema cardíaco depois. — Ele pega uma garrafa de
água no porta-copos. — Dizem que o pai dele - você sabe, o
proprietário da Trust Pharmaceuticals - estava fazendo com
que Liam testasse um medicamento que eles desenvolveram
para ele, mas não correu tão bem, e morreu dormindo.

Minhas mãos voam para o meu rosto. — Não.

Jace já tinha um relacionamento difícil com o pai após a


morte da mãe, mas agora? Eu não ficaria surpresa se eles
quase nunca falassem.

Os olhos de Tommy se enchem de tristeza. — Sim, é


realmente horrível. Entendo por que a família dele não fala
sobre isso. Por razões pessoais e legais.

Quem poderia culpá-los?

Sr. Covington tentou ajudar seu filho, e acabou matando-


o.

Jesus. Não consigo imaginar o tipo de culpa que ele


carrega... ou o ressentimento que seus filhos devem nutrir por
ele.

— Hey... — Tommy sussurra depois de alguns minutos.


— Eu sei que você se importava com Liam, mas não acho que
ele queira que você se sinta infeliz. — Inclinando-se, ele beija
minha têmpora. — Ele quer que você encontre uma maneira
de seguir em frente.

Tommy não está errado. Tirando a minha mãe, Liam era a


pessoa mais gentil e altruísta que eu já conheci.

É o que torna sua perda tão significativa.

Royal hearts academy #1


Limpo minha garganta e abro a porta do passageiro. — Eu
vou entrar. — Com um aceno, saio do carro. — Dirija para
casa em segurança. Mais uma vez obrigada pela carona.

Eu mal estou a dois passos da minha entrada quando


ouço a porta do carro abrir e fechar.

No momento em que me viro, ele passa os braços em volta


de mim.

— Parece que você precisava de um desses.

Eu não sabia que precisava até esse momento. — Sinto


muita falta dele.

Sinto saudades do meu amigo.

Dos dois.

— Eu entendo. — Ele bagunça meu cabelo e beija o topo


da minha cabeça. — Mas você sabe o quanto machucaria ele
vê-la assim.

Limpo a névoa dos meus olhos enquanto nos separamos.


— Eu sei.

Tommy está certo. Liam definitivamente preferia sorrisos a


lágrimas.

Meu coração torce, protestando contra o pensamento que


está se formando no meu cérebro, mas no fundo eu sei que é a
coisa certa a fazer.

Jace era meu melhor amigo antes de se tornar meu tudo,


e não importa o quanto doa vê-lo com outra pessoa, eu quero o
melhor para ele. E embora não ache que seja Britney, ela deve
fazê-lo feliz... caso contrário, ele não estaria com ela.

Royal hearts academy #1


Talvez seja a hora de sair deste carrossel com Jace, e me
abrir para a possibilidade de que haja mais alguém que possa
encontrar o caminho para o meu coração.

Se as poucas borboletas que sinto são alguma indicação,


tenho certeza de que esse alguém está parado na minha
frente.

— Ligo para você amanhã.

Tommy abaixa a cabeça e eu levanto na ponta dos pés


para encontrar seus lábios.

Assim como o primeiro beijo que compartilhamos, este é


suave, gentil e seguro.

É tudo o que Jace Covington não é.

E pela primeira vez, estou percebendo que é exatamente


disso que preciso.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Passado…

Luzes estroboscópicas refletem nas paredes do ginásio


como raios laser, enquanto Liam e eu terminamos o que deve
ser, a nossa vigésima dança em uma hora.

Eu posso dizer que ele está ficando um pouco cansado,


mesmo que não queira dizer isso.

Aceno um braço quando a música muda e uma lenta


começa. — Que tal um pouco de suco?

O alívio que cruza seu rosto é adorável. — C-c-claro. Se v-


você q-q-quiser.

Caminhamos até a mesa cheia de bebidas e eu coloco um


copo para ele antes de fazer o mesmo por mim. — Não acredito
que estou prestes a admitir isso, mas estou realmente me
divertindo.

Seu rosto cai e eu percebo o meu erro.

— Não por você, bobo. Eu sempre me divirto com você. Eu


quis dizer aqui, no baile. Estou feliz por termos vindo.

Independentemente do olhar fedorento de Britney, sempre


que ela me vê, ou o quão quente Jace fica em sua camisa de
botão e calça social - ou a enorme onda de ciúmes que sinto,
quando os vejo dançando - não me arrependo de vir aqui.

Ele sorri. — Eu t-t-também.

Royal hearts academy #1


Descanso minha cabeça no ombro de Liam. — Obrigada
por continuar sendo meu amigo, apesar de seu irmão ser um
enorme babaca.

Ele ri. — Você n-não tem q-q-que me a-a-a-agradecer. Eu


me i-i-importo-

— Bem, se não são minhas duas pessoas favoritas. — diz


uma voz familiar atrás de nós.

Liam projeta o queixo. — Hey, T-t-t-Tommy. Es-t-tá se d-


d-divertindo?

Não perco a maneira como os olhos de Tommy brilham


com travessuras, quando ele olha na minha direção. — Estou
agora. — Encostado na mesa, ele examina a pista de dança.
— Parece que seu irmão está se divertindo.

Eu luto contra o desejo de jogar meu ponche de frutas na


cara dele.

Liam embaralha seus pés. — S-sim.

Tommy cutuca Liam com o cotovelo. — Britney - e suas


gêmeas - estão muito gostosas hoje à noite, não é?

Não perco o olhar que ele me dá enquanto se serve de um


copo de suco.

Franzindo a testa, Liam se aproxima de mim. — Não. Não


r-r-realmente.

E isso bem ali mesmo, é apenas uma das razões pelas


quais Liam é tão incrível. Ao contrário de seu irmão estúpido,
ele é leal às pessoas com quem se importa.

O olhar de Tommy permanece em nós por um minuto a


mais antes de ele sorrir. — Ah, — Estala os dedos — Eu
esqueci de te contar.

Royal hearts academy #1


Liam toma um gole de sua bebida. — M-me c-c-contar o q-
q-que?

— Dizem que Heather Gibson quer dançar com você.

As sobrancelhas dele se erguem em confusão. — E-e-ela v-


v-veio com C-c-cole.

Depois de pousar a bebida, Tommy aponta para o gêmeo


de Liam, que com certeza não está dançando com seu
encontro. — Cole está dançando com Hayley nos últimos dez
minutos. — Ele aponta para uma morena que está fungando
nas arquibancadas. — Desnecessário dizer que Heather não
parece feliz com isso.

Isso porque dois em cada três irmãos Covington, são


idiotas.

A carranca de Liam se aprofundou. — E-e-então por que


v-você n-n-não dança-ç-ça com ela?

Tommy estremece. — Posso te contar um segredo?

Eu moo meus molares. Conheço Tommy bem o suficiente


para sentir quando ele não está sendo bom.

Ele olha em volta do ginásio, como se o que está prestes a


dizer, seja informação sigilosa. — Veja, eu gosto de Heather...
mas você sabe como eu sou. Sempre estragando tudo e
dizendo as coisas erradas. — Ele tira a bebida da mesa e toma
um longo gole. — Eu esperava que talvez você pudesse me
fazer um favor e dançar um pouco com ela. — Sorrindo
maliciosamente, ele faz um gesto para si mesmo. — Falar bem
de mim.

Liam olha para mim. — M-m-mas e q-quanto a Dylan?

Tommy revira os olhos. — Não se preocupe, vou manter


seu pequeno encontro ocupado.

Royal hearts academy #1


Como o inferno, ele vai.

Os olhos de Liam disparam entre mim e uma Heather


visivelmente machucada, do outro lado do ginásio, e eu posso
sentir sua luta interna.

Liam é muito gentil para o seu próprio bem. O


pensamento de uma garota chorando de lado, porque seu
irmão gêmeo é um idiota, não se sente bem com ele.

Caramba, é por isso que ele está aqui comigo hoje à noite,
em vez de com alguém em quem ele realmente está
interessado.

— Você deveria ir. — digo a Liam. — Ela está obviamente


chateada, e se alguém pode animá-la, é você.

— V-você tem c-c-certeza?

— Positivo. Não se preocupe.

Ele solta um suspiro. — Ok-k-kay. E-estarei de vol-l-ta em


b-b-breve.

Inclinando-me, beijo sua bochecha e sussurro, — Nunca


mude, Liam Covington. O mundo precisa de pessoas mais
incríveis como você.

Ele cora. — O-o-obrigad-

— Vamos, cara... — Tommy o interrompe. — Ronnie


Higgins parece que está prestes a pedir dançar com ela, e se
ele o fizer, estou frito.

— Não se p-p-preocupe. E-e-estou ni-s-sso.

— Você é um idiota. — digo a Tommy depois que Liam


sai.

Royal hearts academy #1


Ele coloca a mão sobre o coração, fingindo ofensa. — E
aqui eu pensei que estava fazendo algo legal para aquela pobre
garota.

Faço um sinal para Liam, que vasculha seus bolsos em


busca de um lenço de papel para entregar a Heather. — Liam
é quem está fazendo algo legal. Você está apenas manipulando
ele.

Ele muda sua postura para ficarmos próximos um do


outro. — O que te faz dizer isso?

— Você não gosta de Heather Gibson.

Ele balança as sobrancelhas. — Eu posso gostar. — Sua


voz cai para um sussurro. — Isso faria você ficar com ciúmes?

— Estar com ciúmes implicaria que eu gosto de você. —


Reúno meu melhor olhar sujo. — Eu não gosto.

Sua respiração assobia entre os dentes. — Esqueci. Meu


sobrenome não é Covington.

— Não seja assim.

— Como o quê?

— A razão de eu não gostar de você, não tem nada a ver


com Jace. Eu não gosto de você porque é mau.

— Não para você. — Seu olhar se aproxima de Liam, que


agora está dançando com Heather. — Ou para ele. Desde que
você me disse para parar.

Ele é inacreditável. — Não é assim que funciona. Agradeço


por você ter sido gentil com Liam, mas não deve fazê-lo porque
gosta de mim. Você deveria fazer isso porque gosta dele.

Ele pisca. — Desculpe, mas ele não é realmente o meu


tipo.

Royal hearts academy #1


Reviro os olhos e ele brinca empurrando o meu ombro. —
Relaxa. Pela primeira vez, minhas intenções são boas. Liam é
meu garoto, então vou me esforçar para brincar de
casamenteiro, e marcar ele com a Heather.

Ele obviamente não pensou nisso. — Como espera que


isso aconteça, quando enviou Liam para lá para falar bem
sobre você?

Seus braços se abrem. — Tudo parte do plano. Não


importa o que Liam diga sobre mim, Heather estará muito
focada no cara que realmente se importou o suficiente, para
ver se ela estava bem. — Ele sorri. — Nenhuma garota pode
resistir a um cavaleiro branco. Dez dólares que eles darão o
nome de seu primeiro filho, em minha homenagem.

Não posso deixar de rir. Não importa o quão frustrante ele


possa ser, Tommy tem um certo charme que te suga para ele.

— Você é louco. — Dou-lhe um sorriso sincero. — É


muita gentileza sua fazer isso por Liam. Espero que este seu
pequeno plano diabólico dê certo.

Ele merece algo de bom.

Algo passa em seu olhar. — Dance Comigo.

— Não.

Sua voz baixa. — Você sabe que quer.

— Então, por que eu recusaria você?

Ele se inclina tão perto que sua respiração faz cócegas no


meu ouvido. — Porque você ainda não descobriu que seu
príncipe encantado, já encontrou a Cinderela dele.

Meu coração sobe na garganta quando ele inclina a cabeça


e eu sigo sua linha de visão.

Royal hearts academy #1


Jace está dançando lentamente com Britney. As mãos dele
estão na cintura dela e a cabeça dela no ombro dele. Eles são
tão lindos e perfeitos juntos, deveriam estar na capa de uma
revista.

— Você e eu somos muito parecidos, sabe.

Um escárnio empurra meus lábios. — Como assim?

— Não temos tudo em uma bandeja de ouro, como o seu


príncipe. Temos que lutar como o inferno por tudo o que
queremos.

Está claro que ele não tem ideia de quem Jace realmente
é. — Você não sabe do que está falando.

Ele me lança um olhar incrédulo. — O que te faz tão...

— Porque ele é meu melhor amigo — eu falo. — Sei tudo


sobre ele. Como o quanto é ruim que sua mãe morreu, e como
a morte dela o forçou a crescer muito antes de estar pronto.
Ou como ele literalmente, faria qualquer coisa por seus irmãos,
porque eles são as pessoas mais importantes do mundo para
ele. Jace não é um garoto rico e mimado, com um problema de
atitude. Ele é o cara que faz o jantar, ajuda Bianca e Cole com
a lição de casa, vai com Liam às consultas fonoaudiológicas
para que não esteja sozinho, e de alguma forma, ainda
encontra tempo para sair comigo e ouvir meus-

Ele bufa. — Parece que ele é a Cinderela.

Repulsa, raiva, desprezo - tudo surge através de mim


como um tsunami. — Você é patético, Tommy. — Isso não é o
suficiente, eu quero acertar ele onde dói, porque bem agora, eu
estou sofrendo. — Um perdedor patético e ciumento. É por isso
que você intimida todo mundo o tempo todo. — Eu chego
perto do seu rosto. — Não importa o quanto Jace goste de
Britney - mesmo que ele se case com ela, e eles tenham um

Royal hearts academy #1


milhão de bebês - eu nunca estaria com alguém tão inseguro e
lamentável quanto você.

Com isso, saio do ginásio.

Estou passando pelos armários quando ouço passos atrás


de mim.

— Dylan, espere — grita Tommy.

Virando a esquina, continuo pelo corredor vazio e semi-


iluminado. Vou me desculpar por explodir mais tarde, só
preciso de um pouco de ar para poder me controlar.

— Eu só quero ficar sozinha.

Ele aperta a mão no meu braço. — Eu sinto muito.

Ele acelera e fica à minha frente. O genuíno remorso em


seu rosto, é suficiente para me deixar sem palavras.

— Você estava certa. — ele sussurra. — Estou com


ciúmes.

Engulo, sem saber como responder.

— Meu pai foi embora depois que meu irmãozinho nasceu,


e embora minha mãe trabalhe em dois empregos, as coisas
ainda estão muito apertadas. — Ele passa a mão pelo couro
cabeludo. — Não tenho nada facilmente, como metade das
crianças que frequentam aqui. E ver alguém como Jace, que
anda como se fosse o dono do mundo, e age como se todos se
curvassem aos seus pés, apenas por respirar o mesmo ar que
ele. — Seus dentes cerram. — Isso me irrita.

Tommy entendeu tudo errado. — Jace não é assim-

— Sim, ele é. Você pode não querer acreditar, mas ele não
é um cara legal. — Ele aperta a mão na minha direção. —
Olha o que ele fez com você.

Royal hearts academy #1


Está na ponta da minha língua para discutir, mas não
posso. Jace não apenas puxou o tapete debaixo dos meus pés,
me estrangulou com ele também.

— Lamento ter incomodado você lá atrás. Eu só queria


que entendesse.

— Entendesse o quê?

— Eu gosto de você, Dylan. Muito — ele confessa


enquanto se aproxima. — E tenho certeza que você também
gosta de mim. Mesmo que não admita.

— Eu... — Palavras engasgam na minha garganta. Eu


deveria negar e dizer que não... mas uma pequena parte de
mim, sabe que ele está certo.

Não consome, nem é intenso como o que eu sinto por


Jace, mas é um lampejo de... alguma coisa.

Tanto quanto eu gostaria de poder me forçar a gostar de


Tommy, porque ele é obviamente a melhor escolha para mim...
não posso.

Seria como correr, depois de ter experimentado como é


voar.

Isso nunca será suficiente. Não quando meu coração sabe


como é a coisa real.

Tommy é quase.

Mas Jace é meu absoluto.

As sobrancelhas de Tommy se arregalam de preocupação.


— O que há de errado?

Eu não posso responder. Se fizer isso, vou partir o coração


dele.

Royal hearts academy #1


Não sou o tipo de pessoa que poderia fazer uma coisa
cruel como essa.

Não sou meu melhor amigo.

Ele dá outro passo. — Se você está com medo de que eu


possa machucá-la, não fique. — Suas mãos emolduram meu
rosto. — Eu não sou Jace...

— Você está brincando comigo?

Eu pulo com o som da voz de Jace.

Os olhos de Tommy brilham de raiva. — Você se importa?


Estamos no meio de algo.

Eu posso praticamente sentir a raiva girando dentro de


Jace quando ele se aproxima de nós. — Sim, eu me importo.
— De uma só vez, ele agarra o colarinho de Tommy e o puxa
de volta. — Você está perdendo seu tempo. Dylan não está
interessada.

Tommy bufa. — Como você saberia? Ficou muito obcecado


com Britney e seus peitos-

Tommy não consegue terminar essa frase porque Jace o


empurra. Forte. — Cale a boca ou farei você comer o chão.

Meu estômago revira. — Para, Jace.

— Não, está tudo bem. Há um tempo que estou querendo


bater no traseiro dele. — Tommy tira a jaqueta. — Vamos
fazer isso, Covington.

Jace tira a gravata e estala o pescoço. — Pronto quando


estiver, saco de lixo.

Exasperada, olho para o teto. — Vocês dois precisam se


acalmar-

Royal hearts academy #1


Eu grito quando o punho de Tommy vai para a bochecha
de Jace e ele tropeça para trás.

— Que diabos, Tommy?

Os olhos dele se estreitam. — Regra número um quando


você está em uma luta, - preste atenção ao seu oponente. Não
na garota dele.

Jace mostra os dentes. — Ela não é sua garota.

— Ela também não é sua. — Um brilho maligno ilumina o


rosto de Tommy. — Você é muito m-m-marica.

Fervendo, Jace ataca por ele. No entanto, Tommy se move


no último minuto, fazendo Jace bater de cara nos armários.

— Filho da puta! — ele ruge.

Gargalhando, Tommy salta na ponta dos pés. — Uau, para


alguém que se gaba tanto do jeito que você faz, com certeza
luta como um marica.

Meu coração se contrai quando vejo o sangue escorrendo


do nariz agora inchado de Jace.

Eu preciso acabar com isso, antes que eles acabem se


matando. Como já sei o quão teimoso Jace é, minha melhor
opção é Tommy.

— Tommy, você precisa relaxar.

É como se ele nem me ouvisse.

— Vamos lá, garoto arrogante. — Ele aponta para o


queixo. — Dê o seu melhor.

Tempos drásticos exigem medidas drásticas. Jace já está


machucado e de jeito nenhum vou deixar Tommy piorar as
coisas.

Royal hearts academy #1


Passando entre eles, agarro o rosto de Tommy. — Você
quis dizer o que disse antes?

Ele concorda. — Sim, por quê?

— Pare de lutar e volte para dentro.

— Você está de brincadeira...

— Por favor, Tommy. — Eu seguro seu olhar. — Eu sei


que você é um cara legal. Não precisa lutar com Jace para
provar isso. Faça o que é certo pela primeira vez... por mim.

Se Tommy realmente mudou, ele vai.

— Eu... tudo bem. — Seus olhos examinam meu rosto. —


Você vem comigo?

— Sim. Encontro você depois de falar com Jace.

Eu posso dizer que ele quer discutir, mas para minha


surpresa, cede. — Ok. — Ele olha para Jace. — Mantenha
suas patas sujas longe da minha garota, maricas.

Coloco minha mão no peito de Jace quando se lança para


ele.

— Tommy, vá — rosno como uma mãe protegendo seu


filhote.

Inferno, agora eu meio que me sinto como uma.

Meu estômago está com um nó nos vários momentos


agonizantes que Tommy leva para atravessar o corredor e virar
a esquina.

— Ele se foi. — Eu giro. — Você está bem?

Jace parece que alguém chutou seu filhote... e depois o


matou na frente dele.

Royal hearts academy #1


— Tommy DaSilva? — Por um segundo, acho que ele vai
ficar doente. — Você gosta dele? — Ele chuta um armário. —
Jesus, é como se eu nem te conhecesse.

O sujo falando do mal lavado. — Posso dizer o mesmo de


você. — Colocando as mãos nos quadris, o encaro. — Você
veio com Britney Caldwell, lembra-se?

Ele desvia o olhar. — Eu não queria... — Balançando a


cabeça, aponta um dedo na minha cara. — Não importa quais
foram minhas razões. Você tem muita coragem de vir com
Liam, e depois o abandonando para dar uns amassos com
Tommy. O que diabos está errado com você?

Eu luto contra o desejo de bater algum sentido nele. —


Sair com Britney apodreceu suas células cerebrais? Liam está
lá dançando com Heather Gibson.

Ele pisca. — Esse é o encontro de Cole. — Antes que eu


possa explicar, ele circula a orelha com o dedo. — Acho que
sua pequena sessão de hóquei de amígdalas com Tommy já
estragou tudo. Liam é o gêmeo que veio com você.

Eu reviro meus olhos. — Sei disso, seu idiota. Cole


abandonou Heather no meio do baile para sair com Hayley.
Ela estava chorando, então Liam foi vê-la, e agora eles estão
dançando.

Suas narinas se abrem. — Então você decidiu vir aqui e


dar uns amassos com seu novo namorado.

Ele cuspiu a última palavra como se fosse rançosa.

Para alguém tão inteligente, ele pode ser muito estúpido


às vezes.

Começo a marcar as coisas com os dedos. — Tudo bem,


primeiro: Tommy não é meu namorado. Segundo: não
estávamos nos beijando. Mas mesmo se estivéssemos, Liam e

Royal hearts academy #1


eu somos amigos, então realmente não acho que ele se
importaria. E terceiro: pare de agir como se eu tivesse feito
algo errado, quando você foi quem veio com a minha inimiga.
— A raiva surge através de mim e eu o empurro. — Você é
literalmente, o pior melhor amigo de todos os tempos.

— Sim? Bem, você não é muito melhor.

Ele é absolutamente insano. — Dane-se. Eu sou uma


ótima amiga. Eu não fiz nada...

— Você estragou tudo! — ele grita tão alto que eu juro que
os armários chacoalham. — Estávamos bem, mas você teve
que agir como uma espécie de cachorrinho apaixonado, e me
desafiar a beijá-la.

Doeria menos se ele me desse um soco.

Porque ele está certo.

Ainda seríamos amigos e meu coração ainda estaria


intacto se eu não tivesse me apaixonado por ele.

Eu estraguei tudo. Assim como ele disse.

— Está certo... bem, não se preocupe. Isso não vai


acontecer novamente. — Enrolando meus braços em volta de
mim, vou para o corredor. — Você deve dar uma olhada no
nariz. Parece muito ruim.

— Dylan. — ele rosna.

Fechando os olhos, eu me forço a respirar. — Volte para


Britney.

Eu odeio o jeito que minha voz falha.

Minha mãe costumava me dizer, que não havia problemas


em chorar se alguém me machucasse, mas depois que a dor

Royal hearts academy #1


diminuísse, eu precisava me levantar do chão e me limpar...
porque eu não pertencia a ele.

No entanto, não sei como me recuperar quando Jace


continua me chutando.

Toda vez que eu o vejo, ele rouba outro pedaço de mim.

Logo não sobrará nada.

— Dylan, pare. — Sua voz é áspera, instável. Quase como


se ele estivesse se revelando também. — Por favor.

— Volte para Britney. — repito com convicção que não


sinto.

— Eu não posso. — Ele parece sem fôlego, como se


tivesse acabado de correr uma maratona. — Não posso.

Já chega. Eu me viro. — Por quê? — rio, mas não há uma


gota de humor. — Deixe-me adivinhar...

— Ela não é você. — A força do seu olhar faz meu coração


bater forte e meus joelhos enfraquecerem. — Ela não me faz
sentir nem metade das coisas que sinto por você. Acho que
ninguém jamais o fará. — Ele parece totalmente derrotado. —
Deus, eu estou tão ferrado.

Meu coração para de frio. — Por quê?

Uma combinação de turbulência e determinação reveste


seu rosto, quando ele começa a andar na minha direção. —
Porque o que estou prestes a fazer, mudará tudo.

Nervos puxam minha barriga quanto mais perto ele chega.


Não sei dizer se esse será o melhor momento da minha vida...
ou o pior.

Encontro minha resposta quando ele agarra meu rosto, e


sua boca captura a minha.

Royal hearts academy #1


JACE

Eu sabia que era uma má ideia, no segundo em que pulei


no meu carro.

Mas como uma filha da puta de mariposa em em direção


as chamas, aqui estou eu.

Observando com nojo enquanto ele abraça Dylan, e a


abraça como se ela fosse a coisa mais preciosa do mundo.

Parte de mim quer que ela resista aos avanços dele.


Chute-o nas bolas e corra para dentro.

Mas a outra parte - a que está ganhando - quer ir até lá,


mergulhá-los em gasolina e acender um fósforo.

Fazê-los sofrer por seus pecados.

Alívio me enche quando eles se separam. No entanto, é de


curta duração, quando ele abaixa a cabeça e se inclina para
ela.

Não o beije.

Por um breve segundo, seu corpo fica rígido e acho que ela
vai se virar... mas então se levanta na ponta dos pés.

A mão em torno do meu volante flexiona, quando seus


lábios se encontram.

Ele a beija como se ela fosse de vidro, capaz de quebrar a


qualquer momento.

Isso prova o quão pouco ele sabe sobre ela.

Royal hearts academy #1


Dylan Taylor é mais forte que o aço, e mais resistente que
o couro.

Não tem como ela estar gostando de Tommy manipulando-


a como uma bonequinha de porcelana.

Eu sorrio quando vejo sua mão tremer um pouco, como se


quisesse afastá-lo, mas ela está se forçando a resistir um
pouco mais.

Engula isso, baby.

Porque será um dia frio no inferno, antes que eu te toque


novamente.

Chegando ao meu painel, toco em um botão na tela de


toque.

Britney atende no segundo toque. — Hey.

— Você está ocupada?

— Não, por quê?

— Encontre-me fora de sua casa em dez minutos.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Você precisa de uma carona para casa? — Não há


como esconder a ligeira borda afiada na voz de Oakley.

— Não. — Tiro meu blazer do meu armário. Outubro em


Royal Manor, significa que o clima é maravilhoso durante o
dia, e frio à noite. — Mas obrigada por perguntar.

O olhar que ele me dá é cheio de desprezo. — Eu não gosto


disso, Dylan. Não gosto disso nem um pouco.

Oak fez sua aversão por ver Tommy bem conhecida.


Sempre que pergunto o que ele pessoalmente, tem contra o
Tommy, quando nunca falaram, ele segue o discurso dizendo
sobre como Jace é como um irmão, e se Jace odeia Tommy até
a alma, ele também o faz.

É tão juvenil. Quase tão juvenil quanto o fato de Jace não


falar comigo há um mês.

Na verdade, isso não está certo. Ele não falar comigo, é


algo que eu posso lidar.

O idiota literalmente não reconhece minha existência.

— Hey, Oak. — Cole chama enquanto ele e Jace se


aproximam do meu armário. — Deixe eu falar com você bem
rápido.

Fale do diabo e ele aparecerá.

Oakley se encosta no meu armário, fechando-o. — O que


há de bom, cara?

Royal hearts academy #1


Eu o cutuco no ombro. — Você se importa? Ainda preciso
pegar meu livro de química.

Ele começa a se mexer, mas Cole diz — Como você se


sente sobre strippers?

Oakley permanece enraizado no local, sorrindo como um


tolo. — Eu me sinto incrível sobre strippers.

Eu o cutuco novamente. — Você poderi-

— Ótimo. — Cole interpõe. — Acho que devemos


contratar algumas, para a festa de aniversário de Jace, na
próxima semana.

— Porra filho da puta, sim!! — exclama Oakley. — Essa é


a melhor ideia que você já teve.

Eu jogo minhas mãos para cima. Está claro que a atenção


da Oakley está em outro lugar, mas me recuso a sair sem meu
livro.

— Eu sei. — Cole dá um tapa no braço de Jace. — Agora


diga isso a esse idiota, porque ele disse que não as quer.

Oakley parece insultado. — Cara, por quê? — Estendendo


a mão, ele a coloca na testa de Jace. — Você está se sentindo
bem?

Jace golpeia sua mão. — Estou bem. Só não vejo por quê
precisamos contratar strippers no meu aniversário.

— Porque você terá dezoito anos. — diz Cole. — Você é


oficialmente adulto. — Ele passa o braço por cima do ombro
de Jace. — O mínimo que posso fazer pelo meu irmão mais
velho, é contratar para ele algumas dúzias de dançarinas
exóticas.

Royal hearts academy #1


— E uma vadia de peitos grandes pulando de um bolo —
acrescenta Oakley.

— Meu homem. — Cole lhe oferece o punho. — Eu gosto


do jeito que você pensa.

Sério? — Elas são seres humanos, idiotas. Não vadias.

Cole me dá um olhar de reprovação. — Leve essa besteira


feminista para outro lugar, desmancha prazeres. Isso é entre
eu e meus garotos.

— Odeio ressaltar o óbvio, mas um de seus garotos, não


parece gostar da ideia. Como é o aniversário dele, você
provavelmente não deve forçá-lo a fazer algo que não quer.

Longe demais, Dylan. Muito longe.

— Pensando bem, as strippers parecem perfeitas. — Jace


sorri para o irmão. — Quanto mais, melhor.

Idiota.

— Hey, — Sawyer me cumprimenta enquanto se junta ao


nosso pequeno círculo. — Encontrei minhas anotações antigas
sobre química, se você ainda as quiser.

— Sim. — Eu olho para Oakley. — Nesse momento, elas


são a única coisa com a qual tenho para estudar hoje à noite,
já que alguém se recusa a sair do meu caminho.

Oakley desliza para fora do caminho. — Eu fui distraído.

— Ei, Sawyer — Cole diz enquanto abro o armário, e enfio


meu livro de química na minha bolsa. — Gostaria de saber se
sua igreja, estaria disposta a contribuir para uma boa causa,
na próxima semana.

Sawyer levanta uma sobrancelha. — De acordo com minha


mãe, nossos fundos estão bem gastos, mas vou ver o que

Royal hearts academy #1


posso fazer. — Ela enfia uma mecha de cabelo atrás da
orelha. — O que você precisa?

— Cestas de doação. — Ele olha para Jace e Oakley. —


Eu acho que podemos tê-las circulando pela sala, enquanto as
garotas estão se despindo, e dando a Jace suas danças no
colo.

— Ótimo! — diz Oak. — Muito mais elegante do que jogar


dinheiro nelas.

Sawyer pisca. — Deixe-me ver se entendi. Você quer que


minha igreja lhe empreste cestas de doação para strippers? —
Ela faz uma careta. — Que diabos há de errado com você? Eu
passo!

— Tudo bem, mas só para você saber, existem outras


maneiras de doar. — Cole lança um sorriso lascivo. — Como
me dando um show privado, por exemplo.

Ela torce o nariz. — Nos seus sonhos, porco.

Ele morde o lábio. — Ah, doçura. Nos meus sonhos, você


faria muito mais do que se despir.

Sawyer fica mais vermelha que um tomate.

Enlaçando meu braço através de um dos dela, eu a salvo


do inimigo. — Vamos lá... deixaremos os garotos sujos com
sua conversa fascinante.

Ela me entrega um caderno enquanto nos dirigimos para a


saída. — Eles são codificados por cores e tudo mais.

— Perfeito. Você é a melhor. — transfiro o caderno para a


minha bolsa. — Tommy e eu vamos dar uma parada rápida
para comer e ir ao cinema, mas estou planejando fazer uma
grande sessão de estudos depois.

Royal hearts academy #1


Seus passos diminuem um pouco. — Jantar e um filme,
não é? Parece que as coisas estão ficando sérias entre vocês
dois.

Não sei como responder a isso. Na maioria das vezes,


Tommy entendia bem que eu não queria oficializar as coisas,
mas ultimamente estou começando a sentir, que a folga que
ele me deu está se esgotando.

— Na verdade não. Ainda estamos nos divertindo. Ele sabe


que ainda não estou pronta para um relacionamento. Ele é
livre para ver outras pessoas, e eu também.

Sawyer parece não convencida. — Ele sabe disso? — sigo


seu olhar para o Subaru laranja estacionado junto ao meio-fio.
— Ele esteve aqui para buscá-la todos os dias desta semana.

Por que sinto que minha amiga está me fazendo um


interrogatório? — Não sabia que você estava contando. —
Subo minha mochila pelo ombro. — Obrigada pelas anotações.
Eu trago elas de volta para você amanhã.

Começo a me afastar, mas ela pega meu cotovelo. —


Dylan, espere. — Ela me guia para um canto vazio sob a
marquise. — Preciso lhe contar uma coisa, e espero que você
não me odeie.

Isso não pode ser bom. — Okay.

— Eu queria lhe contar mais cedo, mas toda vez que


tentei, você me disse que não era sério entre vocês dois, então
eu me sentiria uma idiota por falar nisso. Daí imaginei que
Tommy mencionaria isso em algum momento, mas ele
obviamente nunca o fez e eu...

— Sawyer, — Eu interrompo quando ela fica sem ar. —


Respire. Seja o que for, prometo que não odiarei você.

Royal hearts academy #1


Ela torce as mãos. — Tommy e eu ficamos juntos uma vez
- não, duas vezes tecnicamente. Isso aconteceu há mais de
seis meses, mas juro que não significou nada.

— Você não precisa se explicar.

— Sim, eu quero. É isso que uma boa amiga faz. — Um


sulco aparece em sua testa. — Não quero ficar sentada no seu
casamento daqui a sete anos, ainda me sentindo culpada por
nunca lhe dizer que fiquei com seu marido. Eu não posso viver
assim.

Rapaz, ela está realmente se precipitando. — Entendi. —


Eu discuto a pergunta na ponta da minha língua, porque não
é da minha conta. — Quero dizer, não é como se vocês
tivessem feito sexo. Certo?

Tudo bem se eles fizeram, mas isso pode tornar a nossa


garota meio estranha, quando eu começar a fazer sexo com
ele. Eventualmente.

Ela faz uma careta. — De jeito nenhum. Eu lhe disse, meu


cartão V está firmemente no lugar, até Nick Jonas perceber
que somos almas gêmeas. — Ela respira fundo. — Para ser
sincera, nem sei por que fiz isso. Eu estava sozinha, ele estava
lá... o resto é história.

Sim. Estive lá, fiz isso. — Entendi. Merda acontece.

— Você realmente não está assustada com isso? — ela me


olha com ceticismo. — Tem certeza de que esse não é um
daqueles momentos passivo-agressivos, em que você age como
se tudo estivesse legal hoje, mas em duas semanas corta meus
pneus aleatoriamente? Porque se for esse o caso, devemos
acabar com essa merda agora, enquanto a Goodyear27 ainda
está em liquidação.

27
Fábrica de pneus.

Royal hearts academy #1


Ela é adorável quando fica incrédula. — Sawyer, meu
primo enfiou a língua na minha garganta no mês passado, e
estamos totalmente bem. — Dou de ombros. — Eu tenho uma
tolerância bastante alta para esse tipo de coisa. Não é
realmente nada para se estressar. Agradeço que você tenha me
contado, mas não penso menos de você. Ainda somos amigas.

Ela parece aliviada. — Obrigada por não me odiar. — Sua


expressão fica séria. — Prometo que nunca, conscientemente,
ficaria com ele ou com qualquer outra pessoa que você goste.

Colocando minha bolsa no chão, coloco meu blazer. —


Você pode, se quiser. Ele não é minha propriedade.

— O garoto pode não ser seu, mas está definitivamente


apaixonado. — Ela me dá um abraço. — Me mande
mensagem mais tarde.

Depois que ela sai, vou até o carro de Tommy.

— Hey. — Ele dá um beijo rápido nos meus lábios quando


entro. — Como foi o seu dia?

— Bom. O seu?

— Não muito ruim. O treinador está nos empurrando com


mais força do que o habitual, mas não posso reclamar. — Ele
toma um gole grande da garrafa de água. — Sobre o que você e
sua amiga estavam conversando? A conversa parecia bastante
intensa.

— Na verdade, não. Ela só queria que eu soubesse que


vocês tinham ficado há um tempo atrás. — Aperto o cinto de
segurança. — Eu disse a ela que não era grande coisa.

Ele começa a engasgar com a água. — Isso é estranho.


Não me lembro de nada disso ter acontecido. — Ele incha as
bochechas. — Cara, eu deveria estar muito bêbado.

Royal hearts academy #1


Algo em seu tom me irrita. — Isso é ruim. Ela não é
apenas incrível, mas tem o melhor par de peitos que eu já vi.

Sua boca abre e fecha como um peixe. — Eu não tenho


ideia do que dizer sobre isso.

— Silêncio é provavelmente a sua melhor aposta.

Ajeitando o carro, ele concorda. — Certo.

Olho pela janela quando ele pisa no acelerador.

Meu estômago dá um nó quando vejo Jace e Britney


saindo juntos.

Descobrir que Tommy e minha amiga se pegaram, não me


causa uma lambida de ciúmes ou desconforto.

Mas ver Jace andando ao lado dela, me causa tantos


conflitos, que meus molares correm o risco de virar pó.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Passado…

— Você poderia parar com isso? — Jace rosna. — Toda


vez que vou te beijar, você tenta enfiar essa coisa no meu
nariz.

— Quanto mais cedo você me deixar fazer, mais cedo eu


pararei.

Carrancudo, ele olha em volta do armário da sala de


banda. — Tudo bem. Mas só se eu te beijar depois.

— Depende, — eu digo timidamente.

— De?

Enfio o tampão na sua narina. — Se você e Britney


terminarem para sempre.

Eu preciso ouvi-lo dizer as palavras.

— Terminar? Nós nem começamos. — Sua mão encontra


minha cintura. — Como poderíamos, quando a única garota
que eu quero é você?

Tudo o que posso fazer, é não me beliscar para ter certeza,


de que isso está mesmo acontecendo. — Realmente?

Seus lábios se curvam em um sorriso lento. — Você não


tem ideia, não é?

— Sobre o quê?

Royal hearts academy #1


A intensidade do seu olhar me deixa sem fôlego. — Quão
profundos são meus sentimentos por você.

Não, mas se o que ele sente por mim é apenas uma fração
do que eu sinto por ele, temo que ambos possamos entrar em
combustão espontânea.

— Quão profundo estamos falando? Poças? Reservatórios?


Lagos?

Diga-me oceanos, caramba.

Suas mãos emolduram meu rosto. — A Fossa das


Marianas não é profunda o suficiente.

Meu coração palpita como as asas de um beija-flor.

Jace Covington acabou de dizer que me ama... com um


tampão no nariz.

Este é oficialmente, o momento mais feliz da minha vida.

— Posso te beijar agora? — ele bufa. — Confie em mim,


sou muito melhor nisso do que essa merda romântica...

Começo a rir... até que ele inclina a boca sobre a minha.

Então eu estou voando, voando...

— Eu não posso fazer isso. — ele resmunga.

Meus pulmões apertam. Não, não. Não. Eu sabia que era


bom demais para ser verdade.

Eu sou tão estúpida.

— Whoa. — Preocupação brilha em seus olhos. — O que


há de errado?

Deus me ajude, eu vou matá-lo. — Diga-me que você não é


tão estúpido. Você acabou de dizer que não pode-

Royal hearts academy #1


— Beijá-la com um tampão preso no meu nariz. — Ele
puxa a corda até ele sair. — Ele não é apenas um assassino de
clima, mas também está estragando minhas incríveis
habilidades de beijo.

Eu olho para baixo. — Oh.

Evidentemente, eu sou ridícula. E insegura.

Vê-lo com Britney seriamente me ferrou.

Como se sentisse meu sofrimento interno, ele passou os


braços em volta de mim, me puxando para um abraço de urso.
— Eu sinto muito.

Respiro seu perfume fresco e limpo. — Por que Britney?


De todas as garotas com quem você poderia escolher ir ao
baile. Porque ela?

— Porque eu queria te machucar e te afastar. Odeio que


isso tenha funcionado tão bem. — Ele aperta meu queixo. —
Mas não acontecerá novamente. Prometo.

Ele parece tão sério, calor inunda meu peito.

Mas com a mesma rapidez, uma centelha de ciúmes


floresce. — Você a beijou?

— Não.

Eu espio suas orbitas escuras. — Fez sexo com ela?

Ele olha para mim como se tivesse brotado outra cabeça.


— Sério?

Considerando que alguns de nossos colegas de classe


começaram a transar como coelhos, isso não está totalmente
fora de questão.

Royal hearts academy #1


— Se eu não queria beijá-la, o que diabos faz você pensar
que transaria com ela?

Ele tem razão.

Expirando, olho para o teto. — Eu não sei. Estou apenas…

Com ciúmes.

Amarga.

Ansiosa.

Tudo acima.

— Entendi. — Um músculo em sua mandíbula flexiona.


— Eu queria arrancar cada membro do corpo de Tommy, e
bater sua cabeça com eles, quando vi vocês dois no corredor
antes.

— Wow, esse é o visual.

— O que posso dizer? Foi horrível. — Ele me dá um


sorriso torto. — Agora me beije e melhore isso.

Eu me levanto na ponta dos pés. — Só para você saber,


não precisa se preocupar com Tommy. Eu sou toda su...

Lábios quentes batem nos meus antes que eu possa


terminar minha frase.

Não demorou muito para que o beijo passasse de doce e


gentil, para intenso e que tudo consome.

Tremores lentos dançam sobre a minha pele quando ele


me pressiona contra a parede e passa a língua contra a minha.

— Não é justo quão bom você é nisso.

Royal hearts academy #1


Seus lábios se curvam. — Sou excelente nas coisas que
adoro fazer. — Com ternura, ele morde meu lábio inferior. —
Beijar você é minha nova coisa favorita.

— Minha também.

Envolvendo meus braços em volta do seu pescoço, eu o


provoco de volta.

— Jesus, Dylan — ele sussurra antes de pegar minha


nuca e me beijar mais profundamente.

Eu agarro seus ombros enquanto ele explora minha boca.


Todos os meus sentidos são intensificados, e meus hormônios
estão girando fora de controle.

Eu não me canso disso. Quero provar, tocar e sentir cada


parte dele.

— Deveríamos ter feito isso antes. — ele murmura.

— Sim... — Meus ouvidos se alertam quando ouço um


leve clique. — Você ouviu isso?

— O quê?

Movo o pescoço, mas é impossível ver em torno do grande


armário de arquivos ao lado. — Pensei ter ouvido a porta se
abrir.

Ele beija minha mandíbula. — Tenho certeza de que


tranquei.

— Oh meu Deus.

O tremor que corre através de mim, quando os lábios de


Jace roçam meu pescoço, é quase violento.

Ele faz isso de novo, só que desta vez gentilmente chupa


minha pele.

Royal hearts academy #1


Eu tremo e minhas pernas se transformam em massa. —
Você está me matando.

Jace ri, enviando outro tremor na minha espinha.

— É tão bom. — Cavo minhas unhas na parte de trás da


sua cabeça. — Eu quero mais.

Seus dedos param no primeiro botão do meu vestido. —


Tudo bem?

Quando eu aceno, ele beija o local e geme. — Você tem a


pele mais macia.

Estou prestes a dizer para ele desabotoar o próximo, mas


meu telefone toca.

— Não atenda. — Jace murmura enquanto beija minha


clavícula. — Ainda temos uma hora antes do fim do baile.

Normalmente não atenderia, mas é o toque do meu pai.


Dado que ele anda tão preocupado com Savannah, ele nunca
me liga, a menos que seja algo importante.

— É o meu pai.

Jace se levanta na vertical. — Sim, você provavelmente


deveria atender isso.

Luto contra o desejo de rir, enquanto tiro meu telefone da


bolsa. Nada estraga uma sessão de beijos, como o pai de uma
adolescente ligando.

— Hey, pai, — Eu respondo. — E aí?

— Pegue suas coisas, tater tot, — ele diz, parecendo


perturbado. — Estou estacionado em frente ao baile.

Está na ponta da minha língua perguntar se ele está


bebendo, porque não me chama de tater tot há anos.

Royal hearts academy #1


— Agradeço por ter vindo me buscar, mas o baile não
terminará por mais uma hora ainda. Sr. Covington disse que
viria nos buscar, desde que eu planejava sair com Jace por um
tempo depois.

Não sei bem o que fazer com a expressão no rosto de Jace,


mas não tenho tempo para insistir nisso, porque a próxima
afirmação de meu pai deixa a minha mente cambaleando.

— Desculpe querida. Diga a Jace que houve uma


mudança de planos. Preciso que você pegue suas coisas, e me
encontre aqui fora.

Meu estômago cai. — Está tudo bem?

Jace se aproxima de mim.

Meu pai ri. — Melhor que tudo bem, tater tot. Eu tenho
notícias fantásticas. Porém, não quero explicar tudo por
telefone, então encontre-me aqui fora.

Eu dou um suspiro de alívio. — Estarei aí em um minuto,


deixe-me dizer adeus ao Jace.

— Tudo bem, mas faça isso rápido.

Uh. Isso é estranho. — Por quê?

— Cristo, Dylan. Pare com as noventa e nove perguntas.


Prometo que vou explicar tudo, quando te ver.

— Tudo bem, tudo bem.

— Está tudo bem? — Jace pergunta depois que eu


desligo.

— De acordo com meu pai, tudo está melhor do que bem.


Aparentemente, ele tem uma notícia interessante para me
dizer, que não podia esperar até que eu chegasse em casa.

Royal hearts academy #1


— Isso é…

— Estranho? Sim, eu sei.

Seus ombros se erguem em um encolher de ombros. —


Talvez ele tenha ganhado na loteria.

Eu bufo. — Tenho certeza de que Savannah simplesmente


amará isso. — Aperto meu peito quando o pensamento me
atinge. — E se ela estiver grávida?

Jace empalidece. — Eu- merda. Você acha?

— O que mais poderia ser? Não consigo pensar em nada


que justifique que ele estar tão animado. — Respirando
trêmula, ando de um lado para o outro. — Ele mencionou se
candidatar a uma promoção em seu trabalho, mas isso é algo
que poderia ter esperado até mais tarde. — Engulo o caroço
que se forma na minha garganta. — Meu pai sempre quis uma
família grande. Quando minha mãe morreu e minha irmã... —
Pausando, eu olho para Jace. — Se ele espera que eu seja feliz
com a desova de Savannah, está louco.

— Eu não culpo você. — Estendendo a mão para mim, ele


me puxa para seus braços. — Mas não será tudo dela.
Considerando que você também tem metade dos genes de seu
pai, há 50% de chance dessa criança ser incrível, assim como
a irmã mais velha.

Ninguém tem a capacidade de me convencer como ele.

— Você está certo. — Eu descanso minha cabeça no peito


dele. — Odeio mudanças.

— Às vezes a mudança é boa. — Ele beija o topo da


minha cabeça. — Sei que você está preocupada, mas ter
irmãos não é tão ruim assim. Claro, eles nos dão nos nervos,
mas os positivos superam os negativos. É como ter um melhor

Royal hearts academy #1


amigo para toda a vida. — A expressão dele se aproxima da
dor. — Alguém que sempre te apoiará.

Inclino o seu rosto. — Você está bem?

— Sim, só tenho que falar... — ele balança a cabeça. —


Está tudo bem. — Ele aponta o queixo em direção à porta. —
Você deveria ir antes que seu pai fique bravo.

Depois de apertar o botão do meu vestido, dou-lhe um


beijo rápido. — Se eu conseguir fingir empolgação suficiente
com o bebê, devo estar na sua casa às nove e meia, o mais
tardar. Caso contrário, mantenha sua janela aberta.

Enfiando as mãos nos bolsos, ele solta um suspiro. — Soa


como um plano.

Definitivamente, algo está acontecendo com ele. — Você


está...

O toque do meu pai me interrompe novamente.

Jesus. Ele nunca foi tão irritante antes.

— Estou saindo agora — grito antes de desligar e me


concentrar em Jace. — Te envio uma mensagem daqui a
pouco. — Paro quando percebo algo. — Diga ao seu irmão que
sinto muito por sair mais cedo.

— Sim. — Ele aperta a nuca. — Vou lhe dizer.

Eu sopro um beijo para ele e saio correndo pela porta.

— Então, quais são as grandes novidades? — pergunto


enquanto entro no banco de trás do carro do meu pai.

Claro, Savannah está sentada no banco do passageiro,


como a súcubos que ela é.

Royal hearts academy #1


Meu pai sorri de orelha a orelha enquanto ele troca a
marcha do carro. — Lembra-se de como eu lhe disse que
estava buscando uma promoção no trabalho?

Eu aceno enquanto aperto o cinto de segurança. — Sim,


você conseguiu?

Ele balança a cabeça. — Não, eles deram a Jim. —


Estendendo a mão, ele beija a mão de Savannah. — Mas
Savannah aqui - deusa incrível que é - descobriu que o marido
de sua amiga Brandi, que é CEO da Flash Corp, teve que
demitir seu diretor financeiro, devido a algumas discrepâncias
financeiras, e ele precisava ser substituído o mais rápido
possível.

Savannah sorri enquanto olha por cima do assento. —


Adivinhe quem eles contrataram para preencher a vaga?

Nossa, eu não tenho ideia.

É tudo o que posso fazer para não puxar suas extensões


de cabelo baratas, mas não quero estragar o bom humor do
meu pai. — Parabéns. Fantástico.

— Eu disse que tator tot ficaria feliz. — Antes que possa


perguntar por que pensou que não, ele acrescenta — Sei que
coloquei isso em você no último minuto, mas Savannah tem
tudo a ver. Ela conseguiu encontrar uma empresa de
mudança de serviço completo em pouco tempo, e eles virão
arrumar a casa amanhã. — Ele faz uma careta. — Por
enquanto, vamos ficar em um hotel, mas você e Savannah
podem começar a caçar casas amanhã, enquanto eu estiver no
escritório.

Mudança. Porra. Insana.

— Espera… o quê? Por que estamos nos mudando? O que


há de errado com a casa em que vivemos agora?

Royal hearts academy #1


A casa em que cresci.

A casa que minha mãe amou.

— Vamos lá, Dylan. Eu pensei que você era esperta... —


Savannah gorjeia quando ela desliza o visor e olha no espelho.
Estou surpresa por mostrar o reflexo dela e não uma bruxa
demoníaca. — A Flash Corp fica em Orange County.

— Orange County? — Se não fosse a primeira semana de


junho, eu pensaria que isso era uma piada doentia de primeiro
de abril. — Fica há cinco horas daqui.

Girando o volante, ele assente. — Eu sei que vai precisar


de alguns ajustes, criança, mas oportunidades como essa são
raras, e você precisa atacar enquanto o ferro está quente. A
Flash Corp é a maior empresa de software promissor, desde a
Microsoft. Meu salário inicial, é o triplo do que eu estava
fazendo na Mayer Inc.

Meu coração está batendo tão rápido que estou certa de


que deve ser um ataque cardíaco. — Mas e quanto a...

— A escola terminará em menos de uma semana. — Ele


acena com a mão. — Ligarei para eles na segunda-feira, mas
com suas notas, tenho certeza de que tudo ficará bem.

Jace. E. Quanto. A. Jace?

— Jace. — Minha voz falha. — Eu tenho que...

— Pare de ser tão dramática — Savannah lamenta. —


Você e seu amiguinho ainda podem manter contato. É por isso
que Deus criou o Instagram e o Facetime.

Meu pai ri, como se fosse a coisa mais engraçada que ele
já ouviu.

Royal hearts academy #1


A raiva rola através de mim e eu aperto minhas mãos em
punhos. — Como você pode me tirar da minha casa de
infância, e longe de todos os meus amigos, sem me dar a
chance de dizer adeus?

Lágrimas quentes escorrem pelo meu rosto. Como a


melhor noite da minha vida, pode se tornar a pior?

Savannah estala sua língua enquanto aplica o batom. —


Realmente, Dylan, você pode tentar ficar feliz por seu pai?
Esta é uma oportunidade incrível. — Não perco as adagas que
ela atira com o olhar, enquanto beija um lenço de papel. — Ele
não fez nada além de trabalhar duro, para que pudesse lhe dar
tudo o que você sempre quis. É o mínimo que você pode fazer.

Meu pai sorri.

Ele está arruinando a minha vida, e está fodidamente


iluminado como uma árvore de Natal.

Isso é um pesadelo.

— Como diabos você sabe, sua vadia estúpida? Você não o


conhece nem há um ano.

E nesse curto espaço de tempo, a personalidade de meu


pai teve um salto de um extremo a outro... tudo por causa
dela.

Eu sei que ele sente falta da minha mãe, também sinto


falta dela, mas Savannah e mudança não são a resposta.

Royal Manor é tudo que conheço. Meus pais optaram


especificamente por me criar aqui, porque minha mãe adorou.

Por que ele está destruindo sua memória?

— Cuidado com a boca! — meu pai late.

Royal hearts academy #1


— Como ousa falar assim comigo. — Savannah se vira na
cadeira. — Quer você goste ou não, serei sua mãe em breve, e
não vou tolerar ter um pirralha mimada, que fala como um
marinheiro, como minha filha.

Minhas unhas cavam minhas palmas com tanta força que


corto a pele. Ela cruzou a linha.

— Você nunca será minha mãe. Você não passa de uma


prostituta garimpeira, que meu pai fode porque está sozinho e
sente falta dela.

Ela engasga e meu pai pisa no freio com tanta força, que
eu bato no banco na minha frente.

Ele gira. — Basta, Dylan.

— Eu te odeio. — Tento abrir a porta, mas está trancada.


— Deixe-me sair.

Posso correr de volta, e implorar ao Sr. Covington que me


deixe morar com ele. Não é como se meu pai se importasse. Se
alguma coisa, não me ter por perto, será menos dor de cabeça
para ele.

A testa dele enruga. — Lamento que você não tenha se


despedido de seus amigos, mas esta é a oportunidade de uma
vida. Pensei que teria mais tempo para me preparar, mas eles
precisam que eu comece imediatamente. Não tenho escolha. —
Ele pega minha mão, mas eu me afasto. — Tator tot...

— Eu não sou sua fodida tator tot.

A partir de hoje à noite, eu nem sou mais sua filha.

Minhas lágrimas estão caindo tão rápido que encharcam a


frente do meu vestido.

Royal hearts academy #1


— Você deveria parar de agir como um maldito bebê! —
rebate Savannah. — Nunca conheci alguém tão ingrata na
minha vida. — Ela olha para o meu pai. — Se ela mantiver
esse comportamento, devemos começar a procurar internatos.

Ele aperta o joelho de Savannah. — Relaxe. Ela só... Isso é


muito. Dylan geralmente não é desobediente. Ela é uma boa
menina.

Ele diz isso como se eu fosse a porra do animal de


estimação da família.

Sem mencionar, como no mundo ele saberia como eu


normalmente sou? Não conversamos mais de três minutos,
desde que minha mãe morreu.

— Por favor, querida. — meu pai pede — Eu preciso


disso. — Apesar da minha resistência, ele pega minha mão
novamente. — Nós precisamos disso. É um novo começo para
nós dois.

Não quero um novo começo.

Quero a casa onde as minhas memórias favoritas com a


minha mãe estão.

Eu quero meu melhor amigo.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Você tem certeza que seu namorado não se importa,


que eu te roube pela noite toda? — Oakley pergunta enquanto
nos dirigimos para a mesa cheia de bebida, na sala de estar de
Christian.

— Primeiro de tudo, ele não é meu namorado. Segundo,


mesmo que ele se importasse, isso não mudaria nada. Eu
ainda estaria aqui.

Verdade seja dita, Tommy e eu tínhamos planos hoje à


noite, mas quando Oakley perguntou se eu iria com ele para a
festa de aniversário de Jace, e ser sua motorista designada,
não pensei duas vezes.

Não só porque me preocupo com meu primo idiota e quero


que ele esteja seguro, mas Tommy está se tornando um pouco
pegajoso.

Espero que algum espaço diminua as coisas.

— Eu ainda não aprovo — ele murmura balançando a


cabeça. — Você pode fazer muito melhor do que aquele
babaca.

Aqui vamos nós novamente.

Eu decido experimentá-lo com seu próprio remédio. —


Falando de relacionamentos. Como estão as coisas com você e
Hayley?

Ele se serve de um copo de uísque e bebe metade antes de


responder. — Bem.

Royal hearts academy #1


Uh-huh. Esses dois vivem em altos e baixos que me dão
chicotadas. Um segundo Oakley diz que quer resolver as
coisas, e no próximo, está fazendo tudo ao seu alcance para
evitá-la.

Olho em volta da mesa procurando algo não alcoólico, mas


tudo o que encontro é o Mountain Dew de Jace, escondido
atrás de um pouco de gelo. Dado que é o dele - e eu estou
vestindo minha camiseta favorita do show Jimmy Eat World -
não voltarei a atacar o seu esconderijo.

— Sawyer está vindo? — ele pergunta, mudando de


assunto.

Eu gostaria. — Não. Ela disse que não se sente à vontade


vendo mulheres recorrerem a tirar a roupa para os homens,
para ganhar algum dinheiro.

Olho pela sala. Apesar de todo o barulho que Cole fez em


querer dezenas de strippers, não vejo nenhuma.

Por outro lado, chegamos tarde, então é possível que elas


já tenham saído.

— Acho que as perdemos?

Oakley balança a cabeça. — Ah. Cole não conseguiu


contratá-las porque ainda não tinha dezoito anos. O mesmo
para mim. — Ele toma outro gole de sua bebida. — Pedimos a
Jace que fizesse isso, mas ele recusou. Algo está acontecendo
com ele ultimamente. O cara não está agindo direito.

Isso chama minha atenção. — O que você quer dizer?

Ele me dá um olhar. — Estou pensando que uma certa


loira ,com uma boca grande e um inferno de gancho de direita,
está fodendo com a cabeça do cara.

Royal hearts academy #1


— Bem, se ele simplesmente... eu não sei, falasse comigo,
talvez pudéssemos resolver nossos problemas.

Por mais que eu tente me convencer, de que Jace me


ignorar durante o último mês não dói... isso dói. No outro dia,
eu disse a Sawyer que realmente preferia, quando ele estava se
esforçando para me intimidar.

Ela me disse que eu era louca. Estou começando a pensar


que ela está certa.

Oakley bufa. — Espere sentada. Ele é um filho da puta


teimoso.

Como se eu não soubesse. No entanto, tenho certeza de


que também sei por que Jace não está se sentindo festivo, e
não é por minha causa.

— O motivo de ele não estar agindo como ele mesmo, é


porque é seu aniversário.

A expressão confusa de Oakley me diz que ele não


entende. — Por que isso o deixaria chateado?

— Porque é outro lembrete de que a mãe e o irmão, não


estão aqui.

É difícil comemorar ter mais um ano, sem pensar em


quanto tempo se passou, desde a última vez que você viu as
pessoas que ama.

Dado que nossos aniversários têm exatamente duas


semanas de intervalo, sinto a dor de Jace. Também não estou
ansiosa pelo meu.

— Merda. Eu nem pensei nisso. — Ele parece


envergonhado. — Provavelmente deveria ter lembrado. Deus
sabe que minha mãe ignorou os meus o suficiente ao longo

Royal hearts academy #1


dos anos. Não é a mesma coisa que você e Jace passam, mas
ainda é uma porcaria.

Eu não duvido. O pouco que sei sobre a mãe de Oakley


não é bom. De acordo com minha tia, ela é uma viciada em
drogas, que usa os homens - ou qualquer um de verdade - e
Oakley e Wayne ficaram muito melhores, quando ela chutou o
balde.

— Sinto muito, Oak. — Eu descanso minha cabeça em


seu ombro. — Devemos abolir os aniversários.

— Inferno, sim. — ele concorda. — E se livrar das leis


enquanto estivermos nisso.

Abro a boca para responder, mas Hayley se aproxima de


nós.

— Nós precisamos conversar.

Oakley olha para mim. — Vou deixar vocês duas nisso.

Eu o puxo de volta, quando ele começa a se afastar. —


Tenho certeza de que ela quis dizer com você. — Faço um
gesto para a cozinha. — Vou ver se consigo encontrar uma
garrafa de água.

— Traidora. — Oakley assobia baixinho, antes de eu


deixá-lo com o que acho que é, sua ex-namorada.

Com toda a honestidade, estou fazendo um favor a ele.


Quanto mais cedo eles acabarem, melhor. Por que continuar
segurando alguém que você precisa deixar ir?

Estou indo para a cozinha quando meu telefone vibra.

Irritação sobe pela minha espinha, quando vejo o nome de


Tommy iluminar a tela. É a segunda vez que ele me liga, desde
que eu disse que tinha que cancelar.

Royal hearts academy #1


E se eu não responder, ele continuará ligando.

— Hey. — Prendendo o telefone entre a orelha e o ombro,


abro a geladeira. — E aí?

— Só queria ter certeza de que você estava bem.

— Sim. — digo a ele enquanto vasculho várias marcas de


cerveja na prateleira. — Nada mudou desde a última vez que
conversamos.

Há inteiros quarenta minutos atrás.

— Você disse que tinha que estar com a família hoje à


noite, então eu estava preocup- onde você está? Parece uma
festa.

— Eu te disse, meu primo precisava que eu fosse com ele,


para que ele pudesse fazer essa coisa-

— Uma coisa de festa. — ele diz laconicamente.

Deus. Alguém bebe água nesta casa?

— Sim. Uma coisa de festa. — repito, fechando a porta da


geladeira.

— Interessante.

Eu ando até a pia. Água da torneira será. — O que é?

— Acho um pouco zoado, eu convidá-la para festas com


meus amigos, mas você nunca me convidar para festas com os
seus.

Ele tem razão. — Você está certo.

Eu localizo um copo no armário e o encho com água da


torneira. Tomo meio copo antes de me limpar. — Não o

Royal hearts academy #1


convidei porque achei que algum espaço, poderia nos fazer
bem. Além disso, é a festa de aniversário de Jace hoje à noite-

— A festa de aniversário de Jace. — ele late. — Sim. Tudo


faz sentido agora.

Termino o que está no meu copo e o encho novamente,


tentando decidir como responder.

Por um lado, posso entender sua preocupação. De acordo


com Tommy, ele me perdeu para Jace uma vez, e não quer que
isso aconteça novamente.

Mas por outro lado? Eu deixei perfeitamente claro que, por


enquanto, não existem restrições em nosso relacionamento.
Jace ou não Jace, eu deveria estar livre para fazer o que quero.

Como ir a uma festa com meu primo sem sentir que fiz
algo errado.

— Olha, eu ainda não vi Jace hoje à noite, se é com isso


que você está preocupado. — Trazendo o copo aos meus
lábios, tomo outro gole de água. Evidentemente, o confronto
me deixa com sede. — Mas eu não sou sua namorada, Tommy.
Estamos indo devagar e nos conhecendo de novo, lembra?

— Dylan, não tenho cinco anos. Eu sei qual é o acordo.


Também sei que se fosse ao contrário, e eu cancelasse nosso
encontro para ir a uma festa de aniversário, de uma garota
com quem você não se dava bem, você teria todo o direito de
ficar chateada.

Bem, quando ele coloca assim.

— Sim. — eu sussurro. — Você tem um ponto.

— Fico feliz que você finalmente tenha percebido. — Ele


limpa a garganta. — O que você me diz, de eu passar e pegar-

Royal hearts academy #1


— Acho que devemos esfriar um pouco.

Eu odeio fazer isso com ele, mas preciso clarear minha


cabeça.

Não sou o tipo de garota de me aproveitar de alguém, e


agora não tenho certeza dos meus sentimentos por Tommy.

Eles existem, então eu sei que gosto dele... mas não tanto
quanto ele gosta de mim.

— Dylan, vamos lá. Eu pensei que estávamos nos


divertindo?

— Nós estamos. Mas acho que você deve fazer as suas


coisas, e eu farei as minhas. Não estou pronta para um
compromisso, e agora parece que estou em um.

Pronto. Eu falei isso.

— Você disse que tinha sentimentos por mim também. —


ele fala entredentes.

— Eu tenho. Só preciso de tempo para resolvê-los.

— Então, o quê? Alguns dias, algumas semanas?

— Não tenho certeza. — respondo honestamente. — Mas


eu vou deixar você saber quando tiver.

— Certo.

Com isso, ele desliga.

— Problemas no paraíso?

Virando a cabeça, encontro Cole me olhando com uma


expressão confusa.

Royal hearts academy #1


— Eu invoco a quinta emenda, pelo direito de ficar calada.
Já sei que tudo o que disser, pode e será usado contra mim,
por você e seu irmão.

Isso tira uma risada dele. — Justo.

Andando até a geladeira, ele pega duas cervejas. Oferece


uma para mim, mas recuso.

— Sou a motorista designada de Oakley.

Assentindo, ele se inclina contra o balcão. — Cadê a


Sawyer?

— Ela não queria vir por causa das strippers.

Sorrindo, ele tira a tampa da cerveja. — Deus, eu daria


uns pegas nessa garota.

Pelo brilho nos olhos, eu diria que é um pouco mais do


que uns pegas.

— Ela não é exatamente sua maior fã, mas se você fala


sério e prometer não machucá-la, posso dar a ela uma palavra
por você.

Ele me dá um sorriso de menino. — Você faria isso por


mim?

Puta merda. Cole já se parece com uma estrela de cinema,


mas sorrindo com aqueles olhos verdes de lobo, ele é
praticamente uma bomba nuclear.

Mas, por mais bonito que ele seja, dói demais encará-lo
por muito tempo. Os olhares de Liam eram atenuados por seu
ar de inocência e pureza. No entanto, não posso deixar de me
perguntar, se Liam mais velho teria parecido e agido como
Cole, se ele ainda estivesse vivo.

Royal hearts academy #1


É um pensamento terrível de ter, porque Cole e Liam eram
pessoas diferentes, mas...

— O que mais você gostaria de fazer por mim?

Eu estava tão perdida na minha cabeça, que não percebi


que Cole se moveu por vários centímetros, invadindo
intencionalmente meu espaço pessoal.

— O que você quer dizer?

Ele desliza a ponta do dedo pelo meu braço. — Vamos lá,


linda. Não seja tão puritana.

— Não esto... o que diabos há de errado com você? —


avalio a cerveja na sua mão. — Quantas dessas você já teve?

Inclinando-se, ele sussurra — O suficiente para saber que


quero te arrastar lá para cima, e fodê-la até que não possa
mais ficar de pé.

Minha boca se abre, mas eu tenho que fechá-la porque a


bile sobe. — Isso nunca vai acontecer. — Minha mão se
contrai com a necessidade de dar um tapa nele, mas me
afasto. — Fique longe de mim.

Se ele se sente rejeitado por eu recusá-lo, não mostra. Se


alguma coisa, ele parece satisfeito. — Por quê?

— Porque não estou interessada.

Ele dá um passo à frente. — Por quê?

— Como assim por quê? Você sabe porquê.

Não importa o quanto Jace me irrite, eu nunca dormiria


com seu irmão.

Começo a me afastar, mas a mão dele envolve meu


antebraço. — Acho que você deveria ir embora.

Royal hearts academy #1


— O quê? — O desgosto ondula através de mim. — Por
quê? Porque eu não vou fazer sexo com você?

— Não. — Sua expressão escurece e ele aumenta seu


aperto. — Porque você já machucou Jace o suficiente. E se
voltou aqui para fazer isso de novo, juro por Deus que vou te
matar, porra.

A resolução por trás de sua ameaça, me diz que não é


brincadeira, mas estou mais perturbada por ele acreditar que
eu voltaria para machucar Jace.

— Apesar do que você pensa, eu nunca machucaria seu


irmão. Nunca.

— Por quê?

Eu digo a ele o primeiro pedaço de verdade que vem à


minha mente. O que eu sinto até a minha medula. — Porque
eu o amo. — Eu seguro seu olhar. — E não machuco as
pessoas que amo.

Não se eu puder evitar.

Ele procura no meu rosto o que parece uma eternidade.


Não sei o que ele encontra, mas o que quer que seja, o faz
liberar seu domínio sobre mim. — Você pode ficar.

Sem outra palavra, ele sai da cozinha e eu saio para


rastrear meu primo.

Eu o encontro chupando o rosto de Hayley no sofá da sala.

Acho que eles voltaram de novo.

Balançando a cabeça, eu me viro e vou para o banheiro.


Toda a água que tive está querendo sair.

Royal hearts academy #1


Evidentemente, eu não sou a única que tem que fazer xixi
como um cavalo de corrida, porque a fila para o banheiro mais
próximo está quase no final do corredor.

A do outro lado da casa não está muito melhor.

— Existe um banheiro no andar de cima? — sussurro


para o cara usando um gorro na minha frente.

Seus olhos se abrem um pouco e eu percebo que ele é um


dos meninos do cachimbo da última festa que fui. — Não, B.
Má ideia.

— Por quê?

— Meu garoto, Bugs, ouviu que Christian estava


recebendo um beijo grego de uma garota lá em cima, e ela
vomitou pedaços dela em todos os lugares, menos na
privada... aquela cadela.

Uau, isso foi muito mais informações do que o necessário.


Sem mencionar nojento.

— Obrigada pela atenção.

Ele me dá um breve aceno de cabeça, e segura o cachimbo


na mão. — Você quer um pouco disso enquanto esperamos?

— Agradeço a oferta, mas fico paranóica ao volante,


quando estou chapada. Minha velocidade cai para trinta e
acho que todo carro que passo é a polícia. — Como não quero
parecer uma perdedora total, acrescento — Mas
definitivamente da próxima vez.

— Anotado. — Ele traz o isqueiro para o cachimbo e inala.


— Não se preocupe.

Apertando minhas pernas, olho para a fila. Sem contar


com meu amigo do cachimbo, há mais quatro pessoas na

Royal hearts academy #1


minha frente. — Você pode dizer a quem está aí para se
apressar?

Um cara à frente dá de ombros. — Já pedi.

— Eu não vou aguentar.

Vou me arriscar com o vômito. Se ela errou a privada, pelo


menos estará limpa.

— Faça o que fizer, não mije na banheira de


hidromassagem. — meu amigo aconselha. — As pessoas
ficam realmente bravas quando você faz isso. — Ele sorri para
Cole quando passa. — Experimente a tigela de ponche.

Cole bebe sua cerveja e joga o punho no ar. — Néctar dos


deuses.

Espero que isso não aconteça, mas é bom saber que tenho
opções.

Eu caminho com o polegar na direção da escada. — Vou


subir.

Sua expressão se torna solene quando eu saio da fila. —


Boa sorte, minha amiga.

Subindo as escadas correndo, faço uma corrida louca para


o primeiro banheiro que vejo.

Para minha surpresa e alívio, não há vômito a ser


encontrado. Pela primeira vez, o boato funcionou a meu favor.

Depois de cuidar dos negócios, vou até a pia.

Estou lavando as mãos quando ouço uma voz, que soa


muito como o rosnado de Jace — Meu pau não vai se chupar
sozinho. Você goste ou não.

Royal hearts academy #1


Eu reviro meus olhos. Sutileza nunca foi o ponto forte de
Jace.

Rapidamente, desligo a pia e deixo de secar as mãos. A


última coisa que eu quero ouvir, é Jace e Britney fazendo isso.

— E se eu não fizer?

Droga. Estou muito curiosa para o meu próprio bem.


Pressiono meu ouvido na porta, que fica no lado oposto da
porta de saída, para ouvi-los melhor.

— Não irá cair a pele das minhas bolas. — Algo faz


barulho. Possivelmente uma fivela de cinto? — Sua amiga
Casey me disse que estaria disposta para o que eu quisesse,
quando quisesse, então vou curtir com ela hoje à noite.

Desagradável. Embora eu desse quase qualquer coisa


para ver o olhar no rosto de Britney agora.

— Você está falando sério? — Britney grita. — Não


acredito que essa puta burra, está tentando foder meu
namorado, pelas minhas costas.

Suas putas não são leais, Brit-Brit.

Bato uma mão na boca para não rir, mas as próximas


palavras de Jace me deixam com o queixo caído.

— Recolha as garras. Eu não sou seu namorado, lembra?

Jesus. Queria ser uma mosca na parede, nesse show de


merda.

Ela suspira. — Eu sei, baby. Eu só... é uma coisa de


garotas. Casey cruzou a linha. — Sua voz fica ofegante. —
Mas não vamos mais falar sobre ela, aniversariante. — Ela ri.
— Estou usando aquela calcinha rosa que você gosta.

Royal hearts academy #1


É tudo o que posso fazer para não engasgar, enquanto me
retiro. Definitivamente é hora de partir.

— Não estou interessado. — ele range os dentes.

Eu corro de volta para a porta.

— Certo. Como sempre, você só quer sentar enquanto eu


te dou um boquete. — ela resmunga. — Não querendo ser
uma vadia, mas estou ficando realmente cansada e doente de
ser uma boneca boqueteira. Era uma vez no tempo, onde você
estava interessado em mais do que minha boca.

Eu me encolho. Contos de fadas, bonecas boqueteiras e


Britney fazem uma imagem ruim.

— Olha, nunca te obriguei a fazer o que não queria. — O


colchão range. — Me chupe ou não, eu não dou mais a
mínima. Cansei das suas besteiras.

— Oh meu Deus, é ela. Não é? Desde que ela voltou... nós


não transamos. — Britney parece estar a um fio de navalha
longe de chorar. — Você não me quer mais, não é?

— Você não sabe do que está falando. — Jace rosna. —


Cale a boca!

— Se eu estiver errada, prove. Foda-me aqui e agora.


Como você costumava fazer antes dela aparecer.

Meu coração torce e eu coloco minha mão na porta, como


se isso pudesse pará-lo.

Não faça isso, Jace.

Não sei o que está acontecendo, porque eles param de


falar.

O que só pode significar uma coisa.

Royal hearts academy #1


Um tom verde de ciúme nubla minha visão, enquanto os
segundos passam.

Justo quando perdi toda a esperança, Jace resmunga —


Está certa. Você não me excita mais.

Solto o ar que estava segurando.

— Você está mentindo. — Britney assobia. — Olhe para


mim e olhe para ela. Não há nenhuma maneira no inferno, de
qualquer cara com um pulso, escolher aquilo à mim.

Jace ri, mas não há humor por trás disso. — Tem algo
errado com sua cabeça, Brit.

— Tem algo errado com seu pau, Jace. — ela cospe. — E é


exatamente isso que vou dizer a todos, se você me fizer parecer
uma tola.

— Foda-se você. A única que te faz parecer uma tola, é


você mesma.

Ele bate à porta com tanta força, que chocalha.

Oh. Meu. Deus.

Espero alguns minutos antes de me aventurar no andar


de baixo novamente. Quando eu faço, encontro Jace tendo
shots com Oakley e Cole.

Oh, garoto.

— Inferno, sim. — Oak grita. — Já estava na hora de você


relaxar e se divertir, Covington.

Royal hearts academy #1


Renunciando ao copo desta vez, Jace pega a garrafa de
Jack e toma um gole enorme.

Meu estômago cai. Jace não está fazendo isso por


diversão. Ele está fazendo isso para ficar destruído e esquecer.

Felizmente, Cole entende. — Devagar, mano. Temos a


noite inteira pela frente.

— Exatamente. — Oak pega a garrafa dele. — Guarde um


pouco para o resto de nós, cara.

Jace lhes dá o dedo e vai embora.

Ele pode não perceber ainda, mas todo esse uísque vai
atingi-lo nas bolas em breve.

Os olhos inquietos de Cole travam nos meus e eu ando até


ele e Oakley.

— Ele comeu alguma coisa hoje à noite?

Ele encolhe os ombros. — Na verdade, não. Meu pai nos


levou para jantar para comemorar, mas Jace saiu antes que
acabasse.

Isso não é bom.

Pensando rapidamente, procuro no meu bolso meu


telefone e puxo por uma pizzaria local.

— Gostaria de pedir uma pizza de abacaxi, por favor.

Por razões que nunca entenderei, é a favorita de Jace.

— Estamos fechando em quinze minutos. — o cara no


telefone responde.

Eu olho para o meu relógio e amaldiçoo. — Não sendo


uma chata, mas existe alguma maneira de fazer isso

Royal hearts academy #1


acontecer? É o aniversário do meu amigo e ele... eu realmente
preciso de uma pizza de abacaxi.

Oakley pega meu telefone. — E mais uma com queijo


extra.

— Alguma com alho também. — acrescenta Cole.

Pego meu telefone de volta. — Sinto muito, mas prometo


dar uma gorjeta incrível quando você chegar aqui.

Eu silenciosamente digo adeus, a metade do meu salário


da padaria.

— Tudo bem. Estaremos aí em vinte minutos. — o cara


resmunga antes de desligar.

Vinte minutos depois, Jace está bebendo e dançando se


esfregando, em um grupo de garotas no pátio.

Cole toma um gole de cerveja. — Pelo menos ele está se


divertindo.

Faço um sinal para a caixa de pizza que estou segurando.


— Deveríamos incluir um pouco disso em seu sistema, antes
que isso mude.

Depois de arrumar tudo em uma mesa próxima, eu me


viro para Cole e Oakley. — Qual de vocês quer agarrá-lo?

Oakley pega um baseado e acende. — Eu faço isso.

Em um piscar de olhos, ele entra na pista de dança


improvisada, flutuando e fluindo com a multidão até chegar a
Jace e gesticular o baseado.

Royal hearts academy #1


Piscando um sorriso de gato de Cheshire, Jace o segue.

Mas não antes de dar a Hayley, uma de suas muitas


parceiras de dança, um rápido tapa na bunda.

Felizmente, Oak não parece se importar.

Cole engasga com a cerveja. — Jesus.

Afasto-me enquanto eles se dirigem para a mesa. Jace não


me nota quando está sóbrio, então só posso imaginar como ele
reagirá à minha presença, quando estiver bêbado e a caminho
de ficar na merda.

— Abacaxi? — Jace exclama enquanto se senta. — Cara,


seus idiotas derrotados, vocês são os melhores amigos de
todos os tempos.

Cole e Oakley trocam um olhar.

— Não fomos nós. — diz Oakley, apesar de eu sinalizar


para ele ficar de boca fechada.

Cole sacode o queixo para mim. — Dylan pediu.

Jace se vira na cadeira. — Claro que você não a


envenenou?

— Só um pouco. — estudo minhas unhas. — Mas não me


empolguei, já que é seu aniversário e tudo mais.

Ele sorri e foda-se, porque é como ver um arco-íris depois


de uma tempestade terrível. — Obrigado, idiota. —
Levantando a pizza à boca, ele dá uma mordida enorme. —
Essa merda está boa.

— Aceito sua palavra. — Oakley faz uma careta. — Você é


a única pessoa que conheço, que gosta dessa porcaria de
pizza.

Royal hearts academy #1


Meu coração dá um baque triste. Também era a favorita de
Liam.

Jace fica tenso, mas um pequeno grupo de meninas da


pista de dança entra, e se dispersa entre os caras.

Hayley cai no colo de Oakley, uma morena voa para Cole,


enquanto as duas restantes vão direto para Jace.

E eu? Espero que os meninos do cachimbo ainda estejam


aqui, porque prefiro a companhia deles a isso.

O ciúme se mexe quando a garota à direita de Jace


sussurra algo em seu ouvido, e seu rosto se ilumina como o
quatro de julho.

— Vou lhe dizer isso, vá me pegar uma garrafa de Jack e


deixe-me terminar esta fatia, então eu sou todo seu. — Ele
pisca para a amiga dela. — E seu.

Sim, os meninos do cachimbo soam cada vez melhores.

A garota e sua amiga saem correndo como se tivessem


tirado a sorte grande.

Estou prestes a sair também, mas Jace late — Onde está


seu namorado?

— Na última vez que verifiquei, não tinha um.

Ele parece refletir sobre isso enquanto mastiga.

Estou me preparando para ir embora pela segunda vez,


quando ele fala.

— Bem, da próxima vez que seu namorado-não-namorado,


buscar você na escola, eu estou quebrando a cara dele e
enfiando um bastão na sua garganta. — Inclinando a cabeça,
ele me olha fixamente. — Considere esse seu único aviso.

Royal hearts academy #1


Ele não pode estar falando sério. Quem diabos ameaça
alguém, por dar uma carona para casa depois da escola?

Nem sei como responder. Pensando bem, sim, eu sei.

— Você não pode controlar quem me dá uma carona ou


não. Também não pode ameaçar meus amigos.

Ele começa a dizer alguma coisa, mas as duas meninas -


que agora estão de biquíni e carregando uma garrafa de
uísque, - caminham de volta para ele.

Instantaneamente, ele tira a garrafa da garota de biquíni


branco e começa a beber.

Os olhos de Oakley se arregalam. — Tenha calma, filho.

Jace não escuta. Quase meia garrafa se foi, antes que Cole
tomasse de volta. — Você vai ter uma ressaca assassina
amanhã, cara.

Ele devora outra fatia de pizza. — Eu não dou a mínima.


— Ele sorri para as meninas. — Vão me esperar na banheira
de hidromassagem.

Elas não perdem um segundo para seguir suas ordens.

Olho para Oakley, que está preparando um shot. — Vou


sair um pouco. Avise-me quando estiver pronto para ir.

Oakley começa a falar, mas Jace se levanta e late — Vem


aqui!

Oh não, ele não fez isso.

Olho ao redor do pátio. — Desculpe, você está falando


comigo? Porque eu não respondo aos neandertais. — Estreito
os olhos. — Se você me quer tanto, pode trazer sua bunda
aqui.

Royal hearts academy #1


Lentamente, ele passa o olhar sobre o meu corpo. — É
assim mesmo?

Meu coração está na minha garganta enquanto ele


percorre a curta distância para mim.

— Aqui estou. — ele fala com sua voz rouca e rude.

Não há como negar o desafio carregado em suas palavras,


mas eu me forço a não reagir. Ele está bêbado, é seu
aniversário e ele está apertando meus botões. Nada mais, nada
menos.

— Sim, aqui está você. Agora, qual é o seu problema?

Minha respiração engata quando ele prende o dedo no


puxador do meu jeans, e me arranca para ele. — Você.

Jesus. Escondo a vontade de passar a mão sobre o


impressionante conjunto de abdominais e protuberâncias
proeminentes, contra as quais estou comprimida. — Tudo
bem, então eu vou embora.

Sua mão enrola em torno do meu quadril


possessivamente, e ele balança levemente. — Não.

— Que diabos você pensa que está fazendo, sua


vagabunda pequena e feia? — exige uma voz estridente.

Claro, Britney viria aqui para marcar seu território.

Embora depois do que ouvi, território seja discutível.

Oakley e Cole param de falar, sem dúvida se preparando


para a segunda rodada. No entanto, estou cansada do drama,
então não presto atenção nela.

Eu começo a me afastar, mas Jace aumenta seu aperto e


olha por cima do ombro para Cole. — Vou embora.

Royal hearts academy #1


A maneira como ele fala e balança, diz que o uísque o
atingiu como um trem de carga.

Britney é a menor das minhas preocupações, quando ele


tira as chaves do bolso.

— Você não pode dirigir, Jace.

— Eu vou ficar bem. — ele argumenta, dando um passo


atrás.

— Você está bem, baby? — fala Britney.

Ignorando-a, eu me concentro nele. — Você está bêbado.


— Olho para Oakley. — Vamos, podemos deixá-lo no caminho
de casa.

Oakley começa a acenar, mas Hayley faz beicinho. — Mas,


coelhinho, você prometeu que poderíamos passar a noite aqui.

Isso é novidade para mim.

Algo passa no olhar de Oakley e ele encolhe os ombros. —


Ela está certa. Desculpe, prima. — Ele beija o braço de Hayley.
— O que minha garota quer, minha garota recebe.

Impressionante. Ele praticamente me arrastou aqui sem


motivo.

Cole levanta as mãos. — Eu dirigiria, mas tomei algumas


cervejas. — Ele sorri para a morena. — E estava pensando em
cair aqui também, durante a noite.

Jace passa por mim. — Estou bem.

Eu agarro seu braço. — Me dê suas chaves. Posso levá-lo


para casa, — Pensando rápido, acrescento — ou posso
chamar um Uber. Qualquer um funciona bem.

Ele murmura algo incoerente.

Royal hearts academy #1


— Hum, com licença! — Britney late. — Eu sou a
namorada dele, portanto vou levá-lo para casa.

Eu juro que parece que todos estão de olho em nós.

Abafando o desejo de colocar a cadela em seu lugar, me


viro para encará-la. — Você teve alguma bebida?

Por mais que eu odeie a ideia de Britney lhe dar uma


carona, é mais importante que ele chegue em casa em
segurança. Considerando que ele odeia minhas entranhas,
tenho certeza que prefere sair com ela.

— Eu tive meio Bay Breeze28, três horas atrás.

Uma avaliação rápida atesta que ela não está bêbada. —


Tudo bem, mas-

— Oh, Deus. Vai se foder, vadia. — Ela me empurra para


fora do caminho. — De jeito nenhum eu vou ficar parada, e
deixar você tentar violá-lo.

O que ela disse? — Como é?

Ela joga a cabeça para trás e gargalha. — Oh, querida.


Todo mundo sabe que você é obcecada por Jace. Eu não
deixaria que você, ou seu desespero, tirassem vantagem dele
em seu estado embriagado, porque sabemos que é a única
maneira de ele te foder.

— Wow, Brit-Brit. Você não está projetando demais?

Seus olhos se estreitam em pequenas fendas. — Perdão?

Não, não vou lavar a roupa suja de Jace aqui. — Nada.

— Foi o que eu pensei. — Ela passa as garras para cima e


para baixo no peito de Jace. De olhos fechados, ele parece que

28
O Bay Breeze é um cocktail que tem como base o Cape Codder.

Royal hearts academy #1


está tentando ao máximo não vomitar. — Agora vá e encontre
outro pobre rapaz, que está bêbado o suficiente para foder lixo
como você. — Seu nariz se enruga. — Eu cuido disso.

Algumas pessoas riem.

— Quer creme para essa queimadura? — grita um cara.

Mais risada.

Minhas mãos tremem com a necessidade de lançar meu


punho em seu rosto, mas se eu fizer, não terminará aí e Jace
poderá sair durante a briga.

Engolindo meu orgulho, saio do caminho.

Britney passa o braço por um dos de Jace. — Vamos lá,


baby.

Balançando a cabeça, ele cambaleia para trás. — Não.

Britney revira os olhos. — Tudo bem, vamos ficar lá dentro


por um tempo.

Ela tenta puxá-lo, mas Jace não se mexe.

— Jace, baby-

— Não! — ele rosna tão mortalmente baixo, que os


minúsculos pelos dos meus braços se levantam.

Rindo nervosamente, ela olha para Cole e Oakley. — Uma


ajudinha, por favor.

Nenhum deles move um músculo. Fica claro pelas suas


expressões, que eles não estão muito felizes com ela no
momento.

Ela o alcança novamente, mas isso só o deixa mais


irritado.

Royal hearts academy #1


— Não me toque, porra! — ele rosna, dando um passo
para ela. — Eu te disse antes, que tinha terminado com você e
suas besteiras.

Hayley engasga.

— Ah, merda... — Oakley exclama.

— Já era a maldita hora — Cole murmura.

Britney dá a Jace um sorriso tenso. — Amor, você está


obviamente bêbado. Antes você me arrastou para o andar de
cima porque não conseguia tirar as mãos de mim, e ficava
implorando pela minha boca.

Essa é uma versão distorcida de um evento, se eu já ouvi


uma.

Britney ainda não terminou. — Eu sei que te machuquei


quando disse que deveríamos dar um tempo, mas quis dizer o
que disse, sobre sermos amigos. — Ela tenta tocar seu rosto,
mas Jace vira a cabeça. — Isto sou eu sendo sua amiga.
Sugiro que você não faça nada para estragar tudo.

Estou começando a pensar que ela é a embriagada,


porque não foi isso que aconteceu.

Abro a boca para dizer algo, mas Jace começa a rir.

Histericamente.

Jesus Cristo. Ele está literalmente tremendo de tanto rir.


— Sua boceta de acesso fácil, costumava valer o lado do show
de horrores que a acompanhava, mas não mais.

Meu queixo cai. O mesmo acontece com Britney.

— Quer um pouco de creme para essa queimadura? —


Oakley diz.

Royal hearts academy #1


Ela lança um olhar sujo para ele antes de se concentrar
em Jace. — Olha, essa é sua última chance. Você quer parar
de ser um idiota bêbado e agressivo, para que eu possa levá-lo
para casa ou não?

Ele me joga suas chaves. — Estou pronto quando você


estiver.

Ele não precisa me dizer duas vezes.

— Juro por Deus que se você sair com ela, — Britney


avisa quando ele cambaleia até mim. — Vou contar a todos
sobre o seu pequeno problema.

Dando as costas para ela, ele lhe mostra o dedo do meio.

— Tudo bem. Mas só para você saber, o álcool só deixará


esse seu pau mole, ainda mais mole. — Seu sorriso é cruel
quando ela olha ao redor do pátio. — É por isso que terminei
com ele hoje à noite. Jace não tem mais o que é preciso para
me satisfazer, ou qualquer outra garota... se vocês me
entendem.

Minhas mãos se fecham quando Jace se vira.

— Não se pode terminar com alguém, que nunca quis ser


seu namorado em primeiro lugar. — ele rosna. — E talvez
meu pau gostasse mais de você, se resolvesse o seu pequeno
problema ao sul. — Acenando com a mão na frente do seu
rosto, ele se aproxima dela. — Não sou médico, mas tenho
certeza de que sua boceta não deveria cheirar, como se algo
tivesse se arrastado por lá e morrido.

Bem, merda. Suas palavras não são apenas brutais, elas


são pontuadas pelo fato de que, parece seriamente, que ele vai
ficar doente.

— Se eu tivesse que passar mais um minuto naquele


quarto com você, e essa sua caixa de peixes, teria-

Royal hearts academy #1


Observo com partes iguais de horror e encantamento,
quando ele projeta um vômito de pedaços de pizza de abacaxi
e uísque, em cima dela.

Britney grita tão alto, que me surpreende meus tímpanos


não estourarem, enquanto todos riem e aplaudem.

Jace tira a camisa e limpa a boca com ela, antes de jogá-la


para Britney. — Eu teria feito isso.

Ele olha para mim. — Está pronta?

Eu tento não me concentrar naqueles seus abdominais em


exposição. — Sim. — Passo um braço em volta de sua cintura
quando ele balança. — Mas o que você acha de encontrarmos
uma escova de dentes e um enxaguante bucal primeiro?

Royal hearts academy #1


DYLAN

Além de me avisar para não bater seu Lexus, e pedir para


parar em uma loja de conveniência vinte e quatro horas, Jace
não disse uma palavra desde que entramos no carro.

Pelo lado positivo, ele parece muito melhor depois de


vomitar por toda Britney.

Ele sobe o capuz da blusa de moletom. - aquela que ele me


pediu para tirar do porta-malas, enquanto se limpava no
banheiro. — Estarei de volta em um minuto.

— Tem certeza de que não quer que eu vá com você?

Ele sai do veículo, batendo a porta atrás de si.

Acho que não.

Entre o capuz preto e sua expressão indignada, você


acharia que ele estava prestes a cometer um crime, enquanto
entra na pequena loja de conveniência.

Dois minutos depois, ele volta, carregando uma lata de


refrigerante de gengibre e uma garrafa de água. — Vamos.

Mudando a marcha do Lexus para dirigir, murmuro: —


Você é alérgico a boas maneiras?

Tudo o que recebo em resposta é um grunhido.

Estamos quase na sua casa, quando ele gesticula para o


meu lado da estrada. — Vire à esquerda aqui.

— Esse não é o caminho para sua casa.

— Nós não estamos indo para minha casa.

Royal hearts academy #1


Isso não é sinistro nem nada. Eu piso no freio. — Por quê?

— Ainda não estou com vontade de ir para casa, está


bem? — Ele cruza os braços. — Comece a dirigir... ou eu irei.

Piso no acelerador e viro à esquerda. — Como quiser. —


Idiota.

Não tenho certeza de onde vamos parar, mas a estrada


estreita e sinuosa combinada com a chuva forte me dá
arrepios.

— Vire à direita — ele instrui.

— Para onde exatamente estamos indo?

Eu tenho minha resposta quando nos aproximamos do


que parece ser, um parque degradado.

Paro em uma vaga e desligo o carro. — Não sabia que


havia um parque aqui.

— Eles o construíram depois que você saiu, mas os ricos


do nosso lado da cidade, não estavam interessados nisso. —
Ele encosta a cabeça no banco. — Então agora apodrece.

Isso é péssimo.

Ficamos em silêncio pelo que parece uma eternidade,


antes de encontrar minhas bolas proverbiais. — Jace,
podemos-

— Não. — Há uma nota sombria em sua voz, um aviso


para não cutucar a besta. — Eu fodidamente não posso ir lá.
Não essa noite.

Não sei onde lá significa, mas não quero incomodá-lo no


seu aniversário, então deixo ir. — Ok.

Mudando um pouco, eu me viro para olhar para ele.

Royal hearts academy #1


Ele está reclinado em seu assento, com as pernas abertas
e o capuz cobrindo metade do rosto... isso faz minhas
entranhas se agitarem, mas meu coração dói.

É claro que ele está lutando contra alguns demônios...


mas está fazendo isso sozinho.

Eu odeio isso.

Reclinando meu próprio assento, relaxo contra o couro


macio. — Hey.

Ele inclina a cabeça um pouco, seu olhar se movendo


sobre mim como lava. — Hey.

Levantando minha mão, traço a curva de sua testa. — É


meio louco.

Seu rosto lindo é todo duro, ossos esculpidos e lábios


carnudos, mas nesse momento, seus olhos têm uma
suavidade e vulnerabilidade, que eu não vejo há anos.

— O que é?

Eu corro meu polegar pela sua bochecha. — Que faz tanto


tempo que não nos vemos, mas estar assim tão perto de você,
ainda...

A realidade de que não somos mais amigos, afunda suas


garras no meu coração, e eu paro de falar.

Pontas de dedos percorrem meu braço estendido. —


Ainda?

Me faz querer mesclar meus pedaços quebrados com os


seus.

— Me quebra bem aberta. — sussurro, porque amigos ou


não, nunca poderei esconder nada dele. — Acho que meus

Royal hearts academy #1


pedaços quebrados sentiram tanto a falta dos seus, quanto eu
senti de você.

Ele exala bruscamente. — Você as vezes diz as merda


mais estranha.

Não posso deixar de rir. Ele não está errado.

Ele também é o único que realmente já me entendeu.

— Sim, mas você ama.

Ele sorri antes que sua expressão se torne séria. — Sim...


eu amava.

Eu gostaria de saber o que causou essa mudança, ou


como corrigí-la, mas Jace construiu seus muros tão altos, que
é impossível escalar.

No entanto, nunca fui o tipo de garota para desistir. As


fechaduras do seu reino fodido podem ter mudado, mas ainda
me lembro do layout.

— Cole disse que você saiu no meio do seu jantar de


aniversário.

Um músculo em sua mandíbula trabalha. — Cole tem


uma boca grande e fodida.

Ele tem, mas isso não vem ao caso. — Estávamos


preocupados com você. — Seguro o seu olhar. — Você não
precisa me dizer se não quiser, mas seus segredos sempre
ficarão seguros comigo. Não importa o quanto você me
machuque.

Depois que Jace confessou ter feito todas aquelas coisas


horríveis, eu poderia ter retaliado, ao derramar tudo o que ele
já me disse quando éramos crianças, mas não o fiz.

Royal hearts academy #1


Nós éramos melhores amigos antes de sermos inimigos,
portanto meu amor por ele, sempre será mais forte que minha
animosidade.

Eu posso sentir o gelo ao seu redor, derreter um pouco


antes que ele fale. — Meu pai continua me pressionando para
ir para a faculdade. Então hoje à noite no jantar, ele
mencionou que me quer trabalhando para a Trust
Pharmaceuticals, começando com um estágio no próximo ano.

— Mas não é isso que você quer fazer.

Não é uma pergunta, é um fato. Jace nunca manifestou


interesse em trabalhar para a empresa de seu pai. Ele sempre
teve como objetivo, ser desenvolvedor de videogames.

Ele balança a cabeça. — Foda-se, não. Não sei nada sobre


o que ele faz e não desejo.

Sem mencionar o elefante na sala. Por que Jace iria querer


trabalhar para a empresa, responsável pela morte de seu
irmãozinho?

Concedido, foi um acidente, mas ainda assim. Seria um


soco na cara de lembrete, dia após dia.

— É realmente uma sacanagem dele, empurrar isso em


você.

— Eu sei. — Sua garganta balança quando ele engole. —


Não tenho certeza se quero ir para a faculdade em primeiro
lugar. Mas se eu fizesse isso, iria a uma por perto, para poder
estar aqui por Cole e Bianca. — Ele encolhe os ombros. — De
qualquer forma, eu estava pensando em conseguir um
apartamento depois da formatura, com o dinheiro que ganhei
com o Z.I. ... E se não estiver tendo aulas, terei tempo para
desenvolver e vender mais jogos.

Royal hearts academy #1


Orgulho cresce no meu peito. — Você vendeu um jogo?
Fantástico.

Os olhos dele brilham. — Zombie Island. Bem, foi assim


que a empresa que comprou o nomeou. Originalmente, eu
chamei de Zombie Nightmare29.

— Zombie Nightmare é muito mais legal.

— Não é? — Ele faz uma careta. — Eles queriam vender


para crianças mais novas, então eu tive que mudar algumas
coisas e... — ele balança a cabeça. — Não importa. A questão
é que não preciso ir à faculdade, para fazer algo de mim
mesmo.

— Não, você não precisa. A menos que queira ir. Quero


dizer, eu vou para ter um diploma de negócios nas minhas
mãos-

— Não é uma má ideia. — ele interpõe. — Dessa forma,


quando você iniciar sua gravadora, não precisará contratar
um bando de idiotas que a levarão no bico, e arruinarão seu
negócio.

— Exatamente. — Eu mastigo minha cutícula. — Embora


seja preciso muito mais do que um diploma de negócios, para
fazer a bola rolar. Eu ainda tenho que encontrar bandas - boas
bandas - que confiarão em mim o suficiente, para colocar seus
sonhos em minhas mãos. Além disso, com meu pai na cadeia
,e as autoridades sequestrando cada centavo de suas contas
bancárias, tenho que encontrar uma maneira... — Respiro
fundo. — Estou me adiantando.

Apenas o pensamento de tudo o que preciso fazer em


breve, já faz minha cabeça girar. Sem mencionar o fato de que
vou estar tão sem dinheiro, que miojo será um luxo.

29
Pesadelo Zumbi aqui, e anteriormente, Ilha Zumbi.

Royal hearts academy #1


Mas onde há vontade, há um caminho, e estou
determinada a fazer isso acontecer.

— Ainda não consigo acreditar que ele está na prisão. —


A desaprovação marca seu rosto. — Acha que Savannah pode
ter algo a ver com isso?

Um urso caga na floresta? — Sim. No entanto, ela


conseguiu se livrar, alegando que era uma jovem esposa
inocente, que não sabia de nada. — A raiva passa por mim e
eu me sento. — Enquanto isso, foi ela quem conseguiu o
emprego para ele. O CEO era o marido de sua amiga. E com a
maneira como ela continuou pressionando-o por mais
dinheiro, depois que nos mudamos - não há como isso não
fazer parte de seu grande plano desde o início.

— Que puta! — Jace resmunga. — Mas com ela fora de


cena agora, seu relacionamento com seu pai deve ser melhor.

— Na verdade, não. — Eu desvio meu olhar, porque o que


estou prestes a dizer, sem dúvida me fará parecer uma cadela
sem coração. — Ainda não consigo responder às ligações dele
ou visitá-lo.

— Oh. — Há surpresa, mas não há uma pista de


julgamento. — Por que não?

— Porque estou com raiva. — digo, engolindo o nó na


garganta. — Acho que é a minha maneira de puní-lo por
esquecer minha mãe, e escolher Savannah, em vez de mim. —
Fecho os olhos. — Jesus, quão fodido é isso?

— Não, eu entendi. — Rapidamente, ele se retira para


dentro de si mesmo novamente, aquele comportamento frio
firmemente de volta no lugar. — Há algumas coisas que você
não pode perdoar. — O olhar que ele me dá, fatia através do
meu coração. — Não importa quanto tempo se passou.

Royal hearts academy #1


Eu não aguento mais. Me sinto como uma pessoa cega
tentando desmontar uma bomba. — Por q-

— Não. — Seu olhar se afia. — Me leve para casa.

Com um aceno de cabeça, aperto um botão e ajusto meu


assento. A única coisa que eu não queria, era estragar o
aniversário dele, e claro, foi exatamente isso que acabei
fazendo.

— Desculpe. — sussurro enquanto um raio ilumina o céu


e a chuva cai mais forte. — Mas está me matando-

— Bom. — Seu tom é cortante, letal. — Agora você sabe


como é.

Frustrada, bato minha mão no volante. — Não quero


brigar com você.

— E eu nunca mais queria te ver, mas porra, aqui estamos


nós!

Jesus. Não importa o que eu diga ou faça, ele está


determinado a me fazer pagar. Preciso que ele supere seu
ressentimento e perceba, que não sou sua inimiga.

Sei que ele quer ir para casa, mas sou eu quem está com
as chaves. O que significa que ainda tenho tempo para passar
por todas as suas camadas de teimosia.

Olho para o relógio no painel. Passa um pouco das duas


da manhã.

— Tecnicamente ainda é seu aniversário no Havaí. —


Mudando de posição, olho para ele. — Se você pudesse ter
uma coisa no seu aniversário - excluindo o óbvio, porque eu
não posso trazê-los de volta - o que seria?

Royal hearts academy #1


Ele me olha como se tivesse brotado outra cabeça em
mim. — Você acha que um presente de aniversário estúpido,
vai melhorar tudo?

— Não. — Estendendo a mão sobre o console, cutuco seu


estômago duro como uma pedra. — Mas quanto mais cedo
você me contar, mais cedo eu vou calar a boca e te levar para
casa.

Irritação grava suas características. — Você é realmente


um pé no saco, sabia?

Eu sorrio ironicamente. — Confie em mim, estou ciente.

Os cantos dos seus lábios se contraem por um segundo


antes de comprimirem, e sua expressão fica solene. —
Gostaria de poder desligar isso. — Seu olhar se volta para
mim. — Só por um tempinho.

Sua dor é tão palpável que tira o ar dos meus pulmões.

Aproximando-me, corro meus dedos pela barba por fazer.


— Desligar o qu-

Sua boca bate contra a minha.

O beijo é um desespero vibrante, misturado com ganancia


vingativa. Nossos lábios suavizam e se chocam como amantes
e inimigos que se entregam e pecam... tentando ver o quê
vencerá.

Uma de suas mãos paira em volta da minha garganta e a


outra cobre meu rosto enquanto ele me alimenta com sua
língua com golpes apaixonados, me desafiando a me juntar a
ele.

Ele rosna quando eu faço, e sua mão desliza para baixo.


Um calafrio percorre meu corpo quando a ponta do seu
polegar varre a curva do meu peito.

Royal hearts academy #1


— Jace — eu ofego em sua boca.

Ele abaixa a cabeça, chupando e mordendo a coluna da


minha garganta. Corro minhas unhas ao longo de sua nuca
antes de prender o tecido de seu suéter. — Eu preciso disso
fora.

Sem aviso, ele quebra o beijo... e sai do carro.

Fico em confusão por quase um minuto, tentando


entender o que aconteceu.

A raiva rola através de mim como o trovão acima, quando


eu percebo... e começo a tremer com a força disso.

Ele não continuará fazendo isso comigo.

Em um minuto, ele é fogo, no próximo, gelo. Estou


cansada disso.

Eu não sou um maldito videogame que ele pode desligar e


ligar sempre que quiser.

Não sou alguém que ele pode continuar punindo, porque


não consegue controlar suas emoções.

Jace Covington queria uma briga... mas ele vai ganhar


muito mais do que esperava.

Porque estou prestes a dar-lhe uma guerra de merda.

Meu peito se agita e minha pressão arterial aumenta


quando eu saio do carro.

A chuva está caindo em baldes, mas meus olhos ficam


presos em sua forma alta enquanto eu ando em direção a ele.

— Ei, Covington.

Outro raio de raiva me acende quando ele me ignora.

Royal hearts academy #1


Eu pego meu ritmo. — Ei, idiota!

Os músculos de suas costas ficam tensos e ele se vira. —


O quê?

— Foda-se você! — eu grito.

Então lanço meu punho na sua cara.

Ele cambaleia um pouco para trás, sem dúvida pego de


surpresa.

Então ele endireita a coluna. — Faça de novo. — Um raio


zumbe no céu, iluminando o olhar perigoso que está me
dando. — Eu te desafio.

Devo estar completamente louca, porque a ameaça não é


suficiente para me impedir.

Se alguma coisa, me excita, e eu o soco novamente.

Ele está fervendo demais enquanto dá um passo em


minha direção. — Mais forte.

Então eu faço, forte o suficiente para dividir seus lábios.

Os nervos atacam minha barriga enquanto ele cospe


sangue no chão e avança para frente, me apoiando em seu
carro. — Já terminou?

Nem de perto, mas dou-lhe um pequeno aceno de cabeça.

— Bom. — ele diz rouco enquanto suas mãos travam nos


meus quadris. — Agora é minha vez.

De uma só vez, ele me puxa e me gira, me curvando sobre


o capô molhado. — Não comece algo que você não pode
terminar, Taylor.

Royal hearts academy #1


— Quem disse que não estou preparada para terminar? —
eu cerro os dentes.

Ele abre o zíper do meu jeans e o empurra para baixo. —


Acho que vamos descobrir. — Sua mão desliza entre as
minhas coxas e ele agarra a costura da minha calcinha, antes
de rasgá-la, e jogar fora. — Não é?

— Faça o seu pior. — Olho por cima do ombro para ele. —


Eu te desaf...

Eu suspiro quando dois dedos longos deslizam por entre a


minha carne.

Ele ri. — Eu sabia que você ficaria molhada para mim. —


O inchaço duro de seu pau cutuca minha bunda enquanto ele
bombeia seus dedos. — Tão boa e apertada.

Os nervos ao longo da minha pele formigam e eu moo


contra ele, precisando de mais. — Tire isso e me foda.

Ele remove os dedos. — Não, Baby. Você tem que merecer


esse pau. — Mudando, ele se abaixa em cima de mim. Sua
respiração agitada faz cócegas na minha orelha, enquanto ele
puxa meu rabo de cavalo. — Abra sua boceta. — Ele morde
meu lóbulo da orelha e meu corpo sacode em resposta. —
Estou no clima para comer.

O calor corre pelas minhas veias quando saio do meu


jeans e o chuto para o lado.

Com um grunhido, ele coloca as pernas entre as minhas,


afastando-as o máximo que puderem.

Um rubor rasteja pelas minhas bochechas quando ele


amassa minha bunda, me expondo. — Muito melhor.

Royal hearts academy #1


Empurrando minha camiseta pela caixa torácica, ele
morde minha espinha, passando seu piercing de língua ao
longo de cada vértebra que passa, até ficar de joelhos.

Outro relâmpago zumbe no céu e ele faz um zumbido


baixo no fundo da garganta. — Olhe para você, toda linda e
rosa para mim.

Jesus. Sua boca é uma arma de várias maneiras.

Eu assobio quando a barba por fazer pica minha carne e


ele me inspira.

É tão íntimo. Tão sujo e ilícito.

Minha respiração sai em suspiros curtos e rápidos quando


seu rosto se instala entre as minhas coxas, e ele lambe o
comprimento da minha fenda.

Um grunhido baixo e estrangulado o deixa. — Porra, isso é


bom. — Sua língua mergulha para dentro e ele passa a me
comer como um animal imundo e voraz.

Ele é tão guloso, tão pervertido. Tão…

— Oh, Deus.

Estou ficando tonta a cada golpe perverso. Caindo mais


rápido em seu abismo.

Ajustando a mão, ele massageia meu clitóris com os dedos


enquanto enrola a língua, sacudindo o metal contra a minha
umidade.

— Jace. — Estou voando como um estilingue,


preparando-me para lançar onde ele quiser, enquanto me leva
à beira do esquecimento. — Porra, assim...

Chegando atrás de mim, eu seguro sua cabeça, mantendo-


o lá. — Não pare.

Royal hearts academy #1


Um som gutural retumba em seu peito e seus movimentos
aceleram. A sensação que me atravessa é tão intensa, que
vibra através dos meus ossos quando eu estremeço e tremo ao
seu redor.

Rosnando, ele lambe o meu orgasmo. — Isso é tudo o que


você tem para mim?

— Eu...

Ele esfrega um círculo lento em torno do meu clitóris,


causando tremores secundários, que me fazem sacudir e me
debater. É como estar em uma montanha-russa sem parar.

Estou tão sensível que não aguento. Um gemido doloroso


rasga minhas cordas vocais quando ele me vira, e afunda dois
dedos dentro de mim... logo antes de prender a boca naquele
local, que faz meus dedos se curvarem.

Minhas coxas tremem em torno de sua cabeça enquanto


eu choramingo e me contorço. É muito. Muito intenso.

A emoção entope minha garganta, quando eu sufoco com


o seu nome.

É uma luta puxar o ar quando meu corpo se contrai e eu


desmorono novamente, só que ao contrário da última vez, este
é rápido e cru. Prazer matizado com respingos de dor.

Eu me sinto tão vulnerável, como se acabasse de


compartilhar algo privado e sagrado. Até agora, eu tinha sido a
única pessoa capaz de me dar um orgasmo, mas nunca tive
uma resposta tão visceral antes.

Limpando a boca com as costas da mão, ele se levanta.


Seus olhos passam por mim como duas brasas, me fazendo
sentir ainda mais nua do que estou.

Royal hearts academy #1


Abro a boca para falar, mas não tenho chance... porque
ele vai embora.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Quase duas semanas se passaram, desde que Jace me


deixou seminua no capô do carro, e foi embora sem dizer uma
palavra.

É o mesmo de antes, exceto que agora ele se esforça para


me evitar ativamente, chegando a evitar parar no corredor
para conversar com Oakley, se eu estiver por perto.

O único lado positivo disso tudo, é que ele também não


fala com Britney. De acordo com o boato da RHA, ela já seguiu
em frente. E se esses rumores estão certos... foi com Cole.

Que é o motivo da carranca no rosto de Sawyer, enquanto


ela me visita no trabalho.

— Eu não entendo... — Sawyer bufa. — O que Cole veria


nela?

A mesma coisa que Jace viu.

— Seu peitos GG? — ofereço enquanto limpo o balcão.

Por outro lado, os peitos da minha amiga são bastante


espetaculares. Sem mencionar, ela tem uma personalidade
muito melhor.

Cole é um idiota por não persegui-la.

— Eu pensei... — Balançando a cabeça, ela olha para


baixo. — Esqueça. Não importa.

Oh, cara. Ela pode não perceber ainda, mas está mal.

— Você pensou o quê?

Royal hearts academy #1


— Que talvez... apenas talvez, ele fosse diferente de todos
os outros idiotas da equipe popular. — Ela encolhe os
ombros. — Nem sei o porquê. Mas obviamente eu estava
errada, e ele não é.

Sua decepção é tangível.

Eu gostaria de poder dizer algo positivo, mas não tenho


nada. Meninos são uns merdas. Especialmente os meninos
Covington.

— Sinto muito, Sawyer.

— Oh, querida. Ele não a lambeu de uma pedra —


declara a Sra. Dickinson, enquanto remove uma bandeja de
croissants do forno.

O olhar no rosto de Sawyer, me diz que ela está tão


confusa quanto eu, com a declaração da minha chefe.

— Não sei o que isso significa. — diz Sawyer. — Por que


Cole lamberia uma pedra?

A senhora Dickinson suspira. — Isso significa que as


personalidades e ações das pessoas, são sempre influenciadas
por alguém. — Ela abre a caixa registradora e coloca algumas
contas em um envelope. — Talvez ele esteja envolvido com
essa moça, porque sente que é o tipo de garota que deveria
namorar.

Por mais que eu odeie admitir, minha chefe pode não estar
muito longe da verdade. Cole é o quarterback principal… e até
agora, Britney é capitã das líderes de torcida. Eles combinam
como manteiga de amendoim e geléia.

Ou melhor, manteiga de amendoim e alguma substância


gelatinosa, artificial e sem calorias, como Britney.

Royal hearts academy #1


— Ela está certa. Eu duvido muito que Cole realmente
goste dela. Ele está apenas mantendo as aparências por causa
de seu status social.

A senhora Dickinson assente. — Como costumava dizer


minha mãe - se você se deitar com cachorros, se levantará
com pulgas.

— Exatamente. — Dou um sorriso a Sawyer. — Mas a


grande pulga se forma este ano, então ela partirá em breve.

Sawyer franze a testa. — Assim como você.

— Não é como se eu fosse embora para a faculdade. —


Caramba, eu não poderia pagar, mesmo que quisesse. —
Ainda nos veremos nos fins de semana, e conversaremos por
telefone.

— Promete?

Eu seguro meu mindinho. — Prometo.

Ela envolve o dedo mindinho em torno do meu e balança


as sobrancelhas. — Isso significa que você vai me contar o que
aconteceu com Jace?

Volto a limpar os balcões. — Eu te disse. Ele estava


bêbado, era seu aniversário, nós ficamos juntos... e agora ele
voltou a fingir que não existo.

Ela franze os lábios. — Você perguntou a ele por que está


tão bravo com você?

— Tentei, mas ele não quis falar sobre isso. — esfrego os


balcões com mais vigor. — Estou começando a pensar que
nunca vou descobrir. E para ser sincera, estou começando a
me importar cada vez menos. Dane-se Jace Covington, eu
cansei dele e de seus jogos.

Royal hearts academy #1


Ouvi dizer que se você disser a mesma coisa
repetidamente, mais cedo ou mais tarde começará a acreditar.

Sawyer me olha com ceticismo. — Acho que isso explica


por que você vai sair com Tommy hoje à noite.

Sim. — Não. Tommy é meu... bem, amigo. Mais ou menos.


Ainda estamos indo devagar.

— Tão devagar, que você saiu de vê-lo todos os dias, para


não vê-lo por quase duas semanas inteiras — aponta Sawyer.

— Eu tenho estudado. — Defendo, apesar de saber a


verdade.

A verdade é que eu estava esperando Jace começar a agir.


Mas ele não vai... então é hora de seguir em frente.

Sawyer e a Sra. Dickinson trocam um olhar.

Eu balanço meu dedo para elas. — Parem com isso. Não


estou usando Tommy para voltar para Jace. Eu realmente
tenho sentimentos por ele.

Eles simplesmente não chegam perto, dos sentimentos que


tenho por Jace.

A senhora Dickinson estala sua língua. — Coloque seda


em um bode, e ele ainda é um bode.

— Tommy não é um bode. — Abrindo o armário de vidro,


corto a fatia de pão de banana que Sawyer pediu. — Tem
certeza de que não está se preocupando comigo porque ainda
o quer?

Lamento as palavras no momento em que vejo a expressão


magoada de Sawyer.

— Não. Eu te disse que não-

Royal hearts academy #1


— Eu sei. — Coloco o pão em um saco da confeitaria. —
Desculpe, ok? Eu só... acho que parte de mim percebe que é
errado amarrar Tommy, mas não estou fazendo isso para ser
uma vadia. Estou fazendo isso porque realmente quero que as
coisas funcionem entre nós. Estou cansada de ficar presa no
carrossel bagunçado de Jace. Pela primeira vez, eu gostaria de
ver como é quando alguém me trata como ouro, e devolve o
mesmo esforço que dedico, você entende?

A tristeza reveste seus traços. — Sim, entendi. —


Levantando-se na ponta dos pés, ela dá um beijo na minha
bochecha. — Estarei no ensaio do coral hoje à noite, mas vou
te mandar uma mensagem depois que sair. Quero ouvir tudo
sobre o seu encontro romântico.

— Não é tão romântico — eu a informo. — Vamos apenas


tomar sorvete e caminhar até o cais para conversar.

— Parece bem romântico para mim. — Ela diz com um


sorriso atrevido antes de ir embora.

Eu levanto o saco. — Não esqueça seu pão de banana.

Tento entregar a ela, mas a Sra. Dickinson pega. — O pão


de banana não é o favorito dela. — Ela vira seu olhar feroz
para mim. — Ficamos sem éclairs?

Oh, cara. — Não, mas não foi isso que Sawyer pediu.

Ela choraminga. — Os clientes raramente pedem certo.


Você não deveria dar a eles o que acham que querem. Deveria
dar a eles, o que realmente querem.

Aqui vamos nós novamente. E ela se pergunta por que as


vendas começam a diminuir, cada vez que ela dirige o balcão
da frente.

Sawyer pega o saco de volta para ela. — O que realmente


quero, é meu pão de banana.

Royal hearts academy #1


— Você não é uma garota do tipo pão de banana. —
protesta minha chefe. — Você, minha querida, é uma éclair.
Doce, único e dou....

— Talvez eu não queira mais ser uma de éclair! — Sawyer


rosna antes de sair.

— As pessoas mudam, Sra. Dickinson. Às vezes, o que


você pensou que queria, não se encaixa mais.

Ela coloca uma bandeja de cupcakes no forno. — Absurdo.


Não importa o quanto você mude, ainda chegará em casa com
um braço tão longo quanto o outro.

— Acho que os Knights vão aos playoffs30 este ano —


Tommy me informa.

— Isso... — Faço uma pausa, sem saber o que dizer, já


que os Knights são tecnicamente, seu time rival. — É uma
merda?

Ele ri. — Sim, é. Mas tenho certeza de que também


estaremos nos playoffs. — Seus olhos seguram os meus. —
Se, - ou devo dizer quando - isso acontecer, você irá ao jogo?

— Sim. — Pego um pouco de sorvete na minha colher. —


Eu gostaria disso.

Mais como tolerar isso, já que particularmente, não gosto


de futebol, mas de qualquer forma, estarei lá.

Seus lábios se curvam. — Senti sua falta. Fico feliz que


você tenha me enviado uma mensagem mais cedo.

30
Jogo ou série de jogos finais, que visam determinar o vencedor entre equipas num campeonato ou
num torneio de futebol americano.

Royal hearts academy #1


Coloco minha tigela no painel do seu carro. Levamos mais
de uma hora para chegar aqui, mas a vista da marina à noite
vale totalmente a pena.

— Também senti sua falta.

Como alguém sente a falta de um belo par de meias


aconchegantes.

O oposto da maneira como-se-perdesse-um-órgão-


essencial, que sinto falta de Jace.

Tommy toca os dedos no volante. — Olha, preciso


perguntar uma coisa. Você pode me dizer que não é da minha
conta, mas realmente espero que me diga a verdade.

Sento em minhas mãos para parar de me remexer. — O


que você quer saber?

— Alguns caras da RMH31 estavam na festa de Christian,


há duas semanas. — Seus olhos se voltaram para os meus. —
Você sabe, a mesma que você estava quando terminou as
coisas comigo.

Não tenho muita certeza de onde ele está indo com isso. —
Sim, eu me lembro.

Suas narinas se abrem. — Bem, meu amigo disse que você


saiu da festa com Jace, depois que ele gritou e vomitou em
cima da Britney.

— Okay. — Mastigo minha cutícula. — Parece que você


recebeu o resumo do que aconteceu do seu amigo, então qual
é exatamente a sua pergunta?

Seus olhos brilham. — Você fodeu com ele?

Wow, okay, isso não é da conta dele.

31
Royal Manor High - A escola pública que Tommy frequenta.

Royal hearts academy #1


Palavras me faltam. Não tenho ideia de como responder,
porque em primeiro lugar, não lhe devo uma explicação.

— Você fez. — Sua mandíbula estala. — Sua boca pode


estar fechada, mas seu rosto é um livro aberto.

Se for esse o caso, ele precisa seriamente trabalhar sua


compreensão de leitura.

— Eu não transei com ele.

Não sei o que fazer com o olhar que ele me lança. —


Chupou ele?

— Desculpe?

Ele solta um suspiro. — Olha, eu não estou tentando ser


um idiota. Só não quero os restos de Jace Covington.

Minhas bochechas queimam. E eu aqui pensando, que


Tommy era um cara legal. — Não sou os restos de ninguém,
idiota.

Seu rosto fica frouxo, como se a coisa idiota que ele disse
apenas lhe ocorresse. — Merda. Isso saiu errado.

Ele tenta segurar minha bochecha, mas viro minha


cabeça. — Por favor, me leve para casa.

Ele agarra meu rosto com as duas mãos. — Olha, me


desculpe. — A sinceridade gira em suas orbes escuras. — Mas
ele não te merece, Dylan. Não como eu.

Ele tem razão. Mas o coração não escolhe quem amamos


pelo seu valor.

Porque o amor não é uma escolha.

É uma consequência ilógica e consumidora que resulta de


alguém roubando uma pedaço vital de você.

Royal hearts academy #1


E eu queria que Jace me desse meu pedaço de volta.

Ele abaixa a testa na minha. — Me dê uma chance. Vou te


fazer tão feliz.

— Você não me fazer feliz, não é o problema.

— Então o que é?

— Eu não sei. — digo honestamente. — Estou ferrada, eu


acho.

Tenho que estar, porque, por que mais eu escolheria o cara


que continua me machucando, ao invés do cara que quer me
fazer feliz?

Fechando os olhos, dou um beijo em sua bochecha. — Eu


gostaria de não estar. Sinto muito.

Não deve ser tão difícil. Jace ou não Jace, eu não deveria
ter que me forçar a sentir mais por Tommy.

Também não quero arruinar a oportunidade dele, de


conhecer o amor da sua vida, quando tiver certeza de que não
sou eu.

— Você é incrível, mas acho que estamos melhor como


amigos. E como sou sua amiga, não quero continuar
brincando com você ou te machucando.

Sua mandíbula aperta. — Dylan...

— Você vai fazer uma garota tão feliz um dia.

Mas essa garota não sou eu.

Os olhos dele se estreitam. — Se é assim que você


realmente se sente, por que diabos me fez dirigir por uma hora
fora do meu caminho hoje à noite, só para que pudesse
terminar as coisas para sempre? — Seu rosto se enche de

Royal hearts academy #1


indignação. — Por que malditamente você fez eu perder meu
tempo, Dylan?

Ele tem o direito de ficar irritado. — Desculpe, pensei-

Uma risada fria me interrompe. — O quê? Que poderíamos


pintar as unhas e trançar o cabelo um do outro, enquanto
fofocamos?

Agora ele está apenas sendo desagradável. — Não...

Sua boca bate na minha com tanta força que meus dentes
doem. Eu bato em seu peito, mas ele já está empurrando a
alavanca para baixar o meu assento e subindo pelo console.

Não, não, não, não, não.

Mordo seu lábio com tanta força que sinto gosto de


sangue. — Saia de cima de mim.

Ele segura meu rabo de cavalo, forçando-me a olhá-lo. —


Eu tentei ser legal e fazer o certo por você, mas você continuou
me provocando. — Faço uma careta quando ele lambe o lado
do meu rosto. — Você sabe o que eu penso? Acho que gosta de
ser tratada como uma putinha...

Eu dou-lhe uma joelhada nas bolas.

Ele cai para a frente e uiva. — Jesus Cristo. Isso dói.

— Bom.

Estendendo a mão, ele abre a porta do passageiro. — Saia


da porra do meu carro, sua puta estúpida. — Ele me empurra
quando não me movo rápido o suficiente. — Agora!

Com prazer.

Eu saio de seu carro e ele sai da marina vazia.

Royal hearts academy #1


Quando olho em volta, percebo que é depois da meia-
noite, e estou encalhada no meio do lugar onde Judas perdeu
as botas. Impressionante.

A primeira pessoa que eu ligo é Sawyer, mas vai direto


para o correio de voz. Como ela normalmente desliga o telefone
quando está na igreja ou no ensaio do coral, é provável que
tenha esquecido de ligá-lo novamente. Não seria a primeira
vez.

Esfrego as mãos no meu jeans enquanto caminho para


uma das docas flutuantes e me sento.

Se eu ligar para minha tia, ela provavelmente vai surtar e


envolver meu tio.

Ugh. Oakley vai me dar muita merda por isso, mas ele é
minha melhor opção, já que Sawyer não atende o telefone.

Felizmente, ele atende depois do segundo toque. — E aí?

— Hey, você está ocupado agora?

— Na verdade, não. Apenas fumando um baseado.

Surpresa, surpresa. — Oh, isso é legal. Eu… hum. Eu


estava esperando que você pudesse me fazer um favor?

Eu ouço vozes abafadas ao fundo, mas Oakley diz para


falarem baixo. — Você não parece bem. O que houve?

— Estou meio que presa nas docas.

— As docas? — ele pergunta. — Que docas?

— Na marina de Richm-

— O quê? — Oakley ruge antes que eu possa terminar


minha frase. — Que porra você está fazendo em Richmond?
Você sabe o quão perigoso é aí essa hora da noite?

Royal hearts academy #1


Não, mas espero mesmo não descobrir. — Acho que então
é bom eu estar sozinha, não é? — Engulo em seco. —
Desculpe incomodá-lo, mas eu não tinha mais ninguém-

— Estou a caminho. Mantenha seu telefone por perto e


não fale com nenhum estranho — ele diz antes de desligar.

Quarenta minutos depois, vejo os faróis do carro de


Oakley enquanto ele acelera para a marina.

Mas, após uma inspeção mais detalhada, percebo que não


é o carro de Oakley.

É o de Jace.

Oakley está sentado no banco do passageiro, e pelo que


parece, Cole está no banco de trás.

Foda-se. A. Minha. Vida.

Eu mal comecei a caminhar em direção a eles quando


Oakley e Jace pulam, parecendo que estão prontos para
espancar alguém.

— O que aconteceu? — Oakley grita. — Você está bem?


Quem fez isto para você?

Ele pode ser tão dramático às vezes. — Estou bem.

De jeito nenhum eu estou dizendo uma coisa a Oakley,


enquanto Jace está aqui.

Meus olhos pingam entre meu primo e meu inimigo. — Eu


realmente quero ir para casa, ok?

Royal hearts academy #1


Resmungando, Oakley me leva ao banco de trás do carro
de Jace.

Cole não diz uma palavra, quando me jogo no banco, e fico


grata por isso.

Jace, como sempre, finge que eu não existo quando ele


queima borracha no estacionamento.

Oakley, no entanto, fala o suficiente por todos. — Como


você chegou aqui?

Eu pego minhas cutículas. — Um dia minha mãe e meu


pai-

— Estou falando sério, — ele murmura enquanto Cole


bufa. — Não tem como você sair para dar um passeio, e acabar
em Richmond. Alguém te trouxe. — Virando-se, ele olha para
mim. — Eu pensei que fosse aquele filho da puta, mas você
disse que terminou com ele na festa de aniversário do Jace.

Eu realmente gostaria que Oakley aprendesse a calar a


boca, e mantesse as coisas que digo a ele em particular. — Eu
não terminei com ele. Nós nunca estivemos juntos.

Os olhos dele se estreitam. — Eu quero um nome.

Eu sorrio docemente e estendo minha mão. — Meu nome é


Dylan. Prazer em conhecê-lo.

Ele olha para Jace. — Ela sempre foi tão espertinha


assim?

Os lábios de Jace se curvam. — Apenas quando ela está


nervosa ou escondendo alguma coisa.

Abro a boca para dizer a ele para se foder, mas a fecho. Se


ele não quer falar comigo, não quero falar com ele. Dois podem
jogar esse jogo.

Royal hearts academy #1


Oakley faz beicinho. — Por que você não me conta?

Eu gostaria que ele parasse de me perguntar tanto. —


Porque não é grande coisa.

Sua boca se abre. — Alguém te deixou para morrer, e isso


não é grande coisa?

— Ninguém me deixou para morrer, Oak. — Cruzo os


braços. — Deixa de ser uma maldita rainha do drama.

Cole ri. — Ela-

O som do meu telefone tocando o interrompe.

Vejo o nome de Sawyer piscar na tela e pressiono o botão


verde. — Oi-

Oakley bate no meu telefone e leva-o ao ouvido.

Eu tento arrancá-lo dele, mas ele faz um gesto para Cole


me conter.

O idiota desliza pelo assento e senta no meu colo.

— Hey, Sawyer. Aqui é Oakley, primo de Dylan. Olhe, algo


muito ruim aconteceu com ela hoje à noite, e preciso que você
me conte tudo o que sabe. Começando em com quem ela
estava.

Ele deve estar brincando comigo. — Não conte nada a ele,


Sawyer. Estou bem! — eu grito.

— Não, não é ela — diz Oakley. — Essa é minha


madrasta. Elas não apenas se parecem, mas também falam
igual. Louco, né? De qualquer forma, vou precisar de um
nome.

— Pare de falar, Sawyer — grito nas costas de Cole. —


Desligue o maldito telefone.

Royal hearts academy #1


— Encontro romântico? — ele cantarola e eu murmuro
uma maldição.

— Ah, isso é engraçado. — Ele olha para mim. — Não


acho que ser largada sozinha no meio da noite é muito
romântico, você acha?

Pelo canto do olho, vejo Jace tenso.

Muito hipócrita? Embora Jace tenha me deixado seu carro


quando foi embora, não é exatamente a mesma coisa. Mas
ainda é fodido, no entanto.

— O quê? — Ouço Sawyer gritar através da linha. — Meu


Deus. Ela está bem? O que diabos há de errado com Tommy?

Porcaria. Aperto as costelas de Cole até que ele grite e saia


de cima de mim.

— Tommy. Entendi. Paz, menina. — Oakley diz antes de


desligar e me encarar com raiva. — Ele estuprou você? Eu juro
que vou-

O carro desvia bruscamente e várias pessoas na estrada


buzinam.

— Estou bem, Oakley. Ele não... eu estou bem.

Vou contar para ele mais tarde, quando estiver mais calmo
e Jace não estiver por perto.

Meu primo aponta para o rosto dele. — Olhe nos meus


olhos e diga que ele não machucou você.

A mão de Jace flexiona em torno do volante.

— Se por machucar você quer dizer que ele me chutou


para fora do carro, então sim. Acho que tecnicamente ele me
machucou, mas prometo que estou bem.

Royal hearts academy #1


Oakley ainda não parece satisfeito depois disso, mas pelo
menos deixa de lado pelo resto do caminho de volta para casa.

Eu saio do carro depois que Jace estaciona na nossa


garagem, mas dedos envolvem meu pulso.

Por um segundo, acho que é Oakley, mas ele já está a


meio caminho da porta da frente.

Girando, olho para o rosto severo, mas lindo de Jace. —


Obrigada pela carona.

Gentilmente, ele inclina meu queixo. Sinto seu olhar


percorrer todas as partes do meu rosto e corpo, mas pela
primeira vez, não é de maneira sexual.

— Estou bem. — digo a ele. — Tommy e eu... acabamos.

Ele permanece em silêncio enquanto termina sua


avaliação cuidadosa de mim.

Quando ele está satisfeito, volta para o carro e vai embora.

Deixando-me sem uma única palavra.

Como ele sempre faz.

Royal hearts academy #1


JACE

Seu Subaru laranja se sobressai como um dedão dolorido,


entre os outros carros na garagem.

Depois de verificar a hora no meu painel, puxo minha


máscara de esqui para baixo e agarro meu taco.

Dado que Tommy vive em um complexo de baixo


orçamento, a única câmera de segurança foi muito fácil de
desmontar.

No entanto, isso não significa que alguém não vá me


atacar, então tenho que fazer essa merda rápida.

Vou pela janela da porta traseira antes de passar para o


para-brisa e as janelas laterais.

Mas ainda não terminei.

Depois de puxar a alavanca da tampa de combustível,


pego a bolsa no capuz e tiro a garrafa de litro de água e a
esvazio no tanque.

Então eu desabotoo minha calça e mijo nele.

Agora você está preso também, filho da puta.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Minha tia assobia quando ela entra no meu quarto. —


Uau, você parece…

Eu dou os retoques finais na minha maquiagem e me viro.


— Tão ruim?

— Não... apenas diferente. Mais velha.

Eu sorrio. — Quero dizer, é meu aniversário.

Ela me olha de cima a baixo, absorvendo meu cabelo


escovado, maquiagem com olhos esfumados e o vestido justo
que comprei, com um dos cartões-presente que ela me deu. É
vermelho, super curto, e o tecido franzido faz parecer que
tenho algumas curvas perigosas acontecendo.

— Você está linda, Dylan. — Ela está atrás de mim no


espelho. — Só espero que você esteja fazendo isso pelas razões
certas.

— A única pessoa para quem estou fazendo isso sou eu, —


digo honestamente.

Eu pensei que namorar Tommy me ajudaria a superar


Jace, mas não funcionou.

Estou começando a pensar que nada vai... exceto o tempo.

Mas isso não significa que não posso me soltar e me


divertir no processo. Durante toda a minha vida, fui
responsável - e de acordo com todos os adultos que já conheci
- amadureci e fui sábia além dos meus anos.

Royal hearts academy #1


Pela primeira vez, gostaria de ir à loucura e não me
preocupar com as consequências. Não que exista alguma, já
que eu vou encontrar Sawyer e Oakley na casa de Christian, e
sei que eles estarão nas minhas costas.

Minha tia estremece quando pego meu Doc Martens. —


Não, não posso deixar você fazer isso.

— Mas eu amo esses sapatos.

— Eu sei querida, mas eles não combinam com o seu


vestido. — Ela levanta um dedo. — Volto já.

Dois minutos depois, ela está empurrando um par de


Louboutins para mim. — Uma roupa assim merece um Lou.

— Mas esses são super caros. Tem certeza de que usá-los


em uma festa é uma boa ideia?

— Positivo. Eu tenho uns quinze pares, então posso ficar


sem eles por uma noite.

— Quinze? — Não tenho certeza se tenho quinze de nada.

Ela sorri. — Wayne conhece o caminho para o meu


coração.

Sinto-me como um filhote de cervo aprendendo a andar,


depois de colocá-lo, mas considerando todas as coisas, eles
não são tão terríveis. Além disso, eles fazem minhas pernas
parecerem ter quilômetros de comprimento.

— Perfeito! — ela exclama. — Deus, eu queria ser jovem


de novo.

— Você é jovem. — eu a lembro.

Algo passa em seu olhar antes que ela sorria. — Vamos,


aniversariante. Vou te dar uma carona para a festa.

Royal hearts academy #1


Eu posso sentir os olhos de todos em mim, no momento
em que entro na casa de Christian. E pela primeira vez, não é
porque algo constrangedor aconteceu, ou porque eu dei um
soco em alguém.

— Puta merda — Sawyer diz enquanto eu ando até ela e


Oakley. — Quem é você e o que fez com a minha melhor
amiga?

— É demais?

Ela balança a cabeça. — Não. Você está mais gostosa que


Eta Carinae.

— A estrela mais luminosa da galáxia? — Eu vou levar


essa.

Pego um copo vazio da pilha em cima da mesa. — Tem


certeza de que está tudo bem em ser minha Motorista
designada?

— Positivo. — ela me diz. — É seu aniversário. Quero que


você se divirta.

Olho para Oakley, que ficou em silêncio o tempo todo com


a mão na frente do rosto. — Você está bem, Oak?

— Sim, está tudo bem. — ele diz a Sawyer.

Sawyer e eu trocamos um olhar.

— Por que você não olha para mim?

— Porque eu posso começar a babar como qualquer outro


cara na área circundante, e isso é assustador, prima.

Eu reviro meus olhos. — Oh, pare. É apenas um vestido.


— O cutuco no estômago. — Tome uma bebida comigo no

Royal hearts academy #1


meu aniversário. Pensando bem, tome várias e me ensine uma
coisa ou duas sobre como festejar como O-Bro.

Ele sorri. — Você tem certeza disso?

— Positivo.

Ele se vira para a mesa cheia de bebida. — Então me


considere seu barman pessoal hoje à noite. Mas não diga que
não te avisei.

Uma… Duas… Não sei quantas horas depois - os


Louboutins não importam, porque não consigo mais sentir
meus pés.

Inferno, não tenho certeza se posso sentir outra coisa,


senão o bater da música e a energia das pessoas ao meu
redor, enquanto balanço meu corpo ao ritmo.

Alguém - Oakley, pelo que parece - se aproxima e me


entrega um copo.

— Você é o melhor foda de primo que já tive! — grito


porque quero ter certeza de que ele me ouça.

Suas sobrancelhas se erguem. — Oh, sim. Alguém está


sentindo isso. — Ele olha para a bebida na mão. — Vá
devagar com esta, ok?

Dou-lhe um polegar para cima. — Sim, senhor.

Trago o copo para a minha boca e jogo goela abaixo.

— Ou não. — murmura Oakley. — Acho que vou levar


você para tomar um pouco de água.

— Água é para maricas! — eu grito no topo dos meus


pulmões.

Royal hearts academy #1


Um cara que passa me oferece o punho. — Inferno, é sim.

Eu pisco. É o Cole.

— É você! — digo para o seu corpo alto. — Você está aqui.

Tomando um gole de cerveja, ele olha para Oakley. — Algo


me diz que as coisas vão ficar muito interessantes em breve.

Oakley balança a cabeça. — Cara, onde você esteve? As


coisas foram interessantes durante a última hora e meia.

Inclinando-se, Cole mostra a Oakley algo em seu telefone.

Oakley exala bruscamente. — Sim, eu digo que nós dois


ficamos bêbados, então ele não pode nos culpar por essa
merda.

— Gosto da maneira como você pensa. — diz Cole antes


de passearem até a mesa de bebidas.

Eu não tenho ideia do que eles estão falando. — Quem?


Quem vai te culpar? — pergunto na sala antes de me virar
para Sawyer. — Está tudo bem?

Evidentemente, fico super emocional e preocupada quando


bebo.

Ela assente. — Tudo está bem. — Ela olha o relógio. —


Embora eu tenha que estar em casa em meia hora.

Oh. Isso é uma merda. Eu estava começando a me divertir.

— Oakley, você vai dividir um Uber comigo mais tarde? —


pergunto quando ele e Cole retornam. Espere, isso foi rude. Eu
olho para a minha amiga. — Você me odeia?

Rindo, ela balança a cabeça. — Claro que não. Eu só


quero ter certeza de que você tem uma carona segura para
casa, antes de eu sair.

Royal hearts academy #1


— Está tudo bem. — diz Oakley. — Eu vou cuidar dela.
No pior dos casos, vamos dormir nossa ressaca em um dos
quartos, no andar de cima.

Algumas pessoas perto de nós riem.

— Não seria a primeira vez que vocês dividiriam uma


cama. Não está certo, O-Bro? — alguém diz.

— Cara, cale a boca antes que eu dê um tapa na sua mãe


com meu pau e faça de você meu primo também. — zomba
Oakley.

Sawyer pisca. — Acho que você quer dizer enteado.

Ele encolhe os ombros. — Tanto faz. Tomate, tomate.

— Tom... — Ela acena com a mão. — Você sabe o quê?


Deixa pra lá.

Jogo um braço em volta dos ombros deles. — Vocês não


estão se divertindo muito?

— Ainda não. — Oakley levanta o copo. — Mas estou


chegando lá.

— Eu tenho que fazer xixi, — digo a Cole porque ele é o


único que está bem na minha frente.

Ele olha para Oakley. — Essa é a maneira dela dizer que


ela quer a tigela de ponche? Porque isso seria épico.

Sawyer dá um tapa no braço dele. — Se eu descobrir que


você deixou minha amiga fazer xixi na tigela de ponche, depois
que eu for embora, o seu médico levará uma semana para
contar as marcas de arranhões no seu corpo.

Os olhos de Cole ficam encobertos. — Bem, merda.


Vamos, fazer isso doçura.

Royal hearts academy #1


Ela se encolhe. — Nem mesmo nos seus sonhos. — Os
olhos dela giram ao redor da sala. — Você não deveria estar
com sua nova namorada? Ou alguém nos fez um favor, e
deixou cair uma casa em cima dela?

Cole sorri. — Eu serei amaldiçoado. Isso é uma pitada de


ciúmes que detecto? Você está sendo suave comigo, soldado da
Bíblia?

Ela lança um olhar sujo para ele. — Nunca. Prefiro


rastejar sobre vidros quebrados, e comer o vômito que seu
irmão cuspiu por toda Britney, do que dormir com você.

Cole considera isso por um momento. — Então você está


dizendo que ainda há uma chance?

Bufando, ela enlaça o braço no meu. — Vamos, eu vou


com você ao banheiro.

— Ok, mas temos que parar e conversar com os meninos


do cachimbo no caminho de volta.

— Quem?

— Você vai ver. — garanto a ela.

Royal hearts academy #1


JACE

A música está bombando enquanto eu caminho até a


porta da frente de Christian. Só que, em vez da besteira pop
habitual da casa, ouço "Control" por Puddle of Mudd,
explodindo pelos alto-falantes.

É uma boa música. Uma das minhas favoritas deles.

Os pêlos minúsculos no meu pescoço levantam. Graças a


Dylan me forçando a ouvi-la sem parar, em um verão.

Aperto a maçaneta com mais força do que o necessário,


enquanto entro.

Algumas meninas passam os olhos por mim quando passo


por elas, mas não estou interessado em sair hoje à noite.
Estou aqui apenas para fazer check-in, e garantir que meu
irmão e amigo não fiquem perdidos demais, e façam algo
estúpido.

Eu os encontro na sala, pairando perto da mesa de


bebidas. Nenhuma surpresa nisso.

Estou indo até eles, quando meu olhar se depara com uma
garota dançando em uma mesa de café. Não consigo ver o
rosto dela porque está de costas para mim, mas isso não
importa. Com um corpo assim, ela poderia parecer um
bulldog, e metade dos caras aqui ainda a foderia.

Abafo uma risada quando vejo os amigos maconheiros de


Oakley, da Royal Manor High. Até hoje à noite, nunca os vi
prestando atenção em nada além de seus cachimbos. No
entanto, está claro que a gostosa em cima da mesa os deixa
paralisados.

Royal hearts academy #1


E eles não são os únicos. Dwight Davis e Courtland
Bennet, dois dos melhores jogadores na linha ofensiva para os
Knights, estão praticamente salivando. Dwight é um cara
legal, mas de acordo com meu irmão, Courtland é um
bastardo pretensioso.

Minha virilha se mexe quando me concentro na garota


novamente. Pernas longas, bundinha curvilínea e o tipo de
cabelo que eu gostaria de passar os dedos e puxar enquanto
meu pau é chupado.

Sim, estou começando a entender a força gravitacional.

Também não estou sozinho, porque mais alguns caras do


time de futebol cercam a mesa de café.

— Você é tão gostosa. — um deles diz. — Quanto custa


uma dança de colo privada?

A garota não presta atenção nele. Ela está tão interessada


na música, que ninguém mais importa. Mordo meu lábio
enquanto ela move seu corpo ao ritmo, como uma encantadora
de serpentes. Há algo de sexy em uma garota que não dá a
mínima.

— Hey. — Oakley grita. — Quanto você quer para calar a


porra da maldita boca?

Cole aperta o ombro dele. — Relaxe. Griffin é inofensivo.

Hmm. Oakley geralmente não tem um pavio tão curto. A


menos que alguém seja burro o suficiente, para mexer com
aqueles com quem ele se importa.

Como algum tipo de foda-se pessoal do universo, meu


cérebro junta as peças, ao mesmo tempo em que a garota se
vira.

Royal hearts academy #1


Uma mistura de raiva, confusão e outra coisa, que não
estou pronto para reconhecer, me revira por dentro quando
olho para Dylan.

Por que diabos ela está dançando em uma mesa...


parecendo assim? O copo vermelho que ela leva aos lábios
brilhantes, responde à minha pergunta.

É o aniversário dela... e o aniversário da morte de sua


mãe.

Claro, ela está bebendo. Pelas mesmas razões que eu fiz.

Ela quer esquecer.

Eu moo meus molares enquanto vou direto para Oakley e


Cole.

Oakley cutuca meu irmão quando ele me vê se aproximar.


— Olha quem está aqui. — Ele bate no meu punho. — Hey,
cara. O que há de bom?

Colocando meu refrigerante na mesa, eu o encaro. —


Alguma razão para sua prima estar fazendo um strip para
metade da escola agora?

Ele faz uma careta. — Ela está dançando, não tirando a


roupa.

Cole sorri sobre sua garrafa de cerveja. — Ainda não, pelo


menos.

Oakley bate no braço dele. — Cale a boca. — Seu olhar se


volta para Dylan, que agora está sacudindo a bunda, - desta
vez para uma estranha música de hip-hop - e é assim que eu
sei que ela passou do ponto de parar. — É aniversário dela.
Ela merece se divertir. — Seus olhos se voltam para os meus.
— Todo mundo precisa de uma folga de seus problemas de vez
em quando.

Royal hearts academy #1


Ele não está errado, mas isso não significa que deve ficar
parado e ser complacente, enquanto vários caras babam por
ela, como se ela fosse um copo de água gelada em um dia
quente.

O aborrecimento se forma no meu peito, enquanto Dylan


gira lentamente seus quadris e passa os dedos pelos cabelos
loiros.

Um dos companheiros de maconha de Oakley, levanta seu


cachimbo e pergunta se ela quer um trago. Eu quero gritar
para ela não ser idiota, porque embora pareçam inofensivos,
não há como dizer o que eles poderiam ter misturado com essa
merda.

Meus dedos se fecham quando ela se inclina e traga.

— Você vai acabar com isso?

Oakley olha para mim como se eu fosse louco. — Acabar


com o quê? Ela dando um trago?

Não, com o jeito que Courtland Bennett a olha, como um


cachorro que quer um osso suculento. Meus dentes cerram
quando ele diz algo para Dwight.

Não consigo ouvi-lo, mas sei entender como é a expressão


sexo grupal, quando ela sai da boca de alguém.

Dwight parece hesitante, antes de rir e dar de ombros.

Irritação me faz estalar. — Sério, Oakley?

— Sério, o quê? — Ele fixa seu olhar em mim. — Pare de


agir como se eu estivesse fazendo algo errado, porque você
está com ciúmes.

Royal hearts academy #1


— Ele está certo! — Cole grita. — Se você quer impedir
que os cachorros façam xixi no gramado, precisa colocar uma
cerca... Não uma placa.

Essa analogia não apenas não faz nenhum sentido, como


também não se aplica.

— Vocês dois podem se foder. Eu não estou com ciúmes.

Já tive o suficiente dessa merda. Se eu passar mais um


minuto aqui, os Knights perderão dois jogadores para o
próximo jogo dos playoffs.

Pegando minhas chaves do meu bolso, eu levando o dedo


médio para eles. — Estou saindo.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Você quer outro? — pergunta meu amigo do cachimbo.

Assentindo, inclino-me e coloco meus lábios em volta do


bocal.

— Droga. — um cara vestindo uma camisa de futebol diz,


enquanto aspiro o cachimbo. — Parece que você está gostando
disso.

Tossindo, respondo — É muito bom. Não que eu seja


profissional ou algo assim.

Ele troca um sorriso travesso com o amigo. — Isso é uma


vergonha. Uma boca tão bonita não deve ser desperdiçada.

Não estou tão chapada, para não conseguir entender sua


tentativa grosseira de uma insinuação.

Não prestando atenção neles, volto a dançar como se


ninguém estivesse assistindo.

Assim como minha mãe costumava me dizer para fazer.

Embora eu não acho que ela tivesse esse cenário em


particular.

Uma dor aguda se infiltra no meu peito. Se ela não


quisesse que a filha dançasse sobre mesas, pelo seu
aniversário de dezoito anos, ela não deveria ter morrido.

Eu tiro o pensamento terrível da minha cabeça.


Raramente sinto tanto ressentimento e amargura por sua
morte, mas dado que esse aniversário é um dos grandes, -
combinado com o álcool que flui atualmente pelo meu sistema

Royal hearts academy #1


- acho que está começando a trazer a tona, um lado irritado
em mim.

Eu fecho meus olhos. Mantenha isso junto, Dylan.

Forçando-me a respirar fundo algumas vezes, enfio a dor


nas profundezas o máximo que posso.

Vou precisar de mais álcool. O suficiente para afogá-la.

Estou prestes a sair da mesa e encontrar Oakley, mas


uma mão desliza pela minha perna.

— Então, eu estava pensando, — o cara da camisa


começa. — Que tal se eu e meu amigo levássemos você lá para
cima por um tempo? — Sua mão viaja mais alto, subindo pela
minha coxa. — Nós cuidaremos muito bem de você, linda.
Prometo.

No fundo, sei que não é uma boa ideia, mas é melhor do


que pensar na minha mãe, e no quanto odeio que ela não
esteja aqui. Ou como meu pai está na prisão no meu
aniversário e-

Lágrimas formigam minha garganta, e eu tenho que limpá-


la antes de falar. — Eu-

Não tenho chance de terminar essa afirmação, porque


Jace agarra a mão do cara e dobra um dos seus dedos para
trás. — Toque nela novamente, e vou quebrar os outros nove.

O cara da camisa grita de agonia quando ele se lança para


Jace, mas Cole e Oakley o agarram.

Enquanto Jace me agarra.

— Que diabos você está fazendo? — eu grito quando ele


me pega e me joga por cima do ombro, como uma boneca de
pano.

Royal hearts academy #1


Oh, cara. O chão parece muito longe daqui de cima.

— Divirta-se. — Oakley diz enquanto Jace nos vira. —


Nós cuidaremos dos cães para você.

Eu não tenho ideia do que isso significa, e não tenho


tempo para pensar, porque Jace sai da sala como um homem
em uma missão.

Bato nas suas costas quando ele sai pela porta da frente.
— Você pode me colocar no chão?

— Não.

É isso aí? É tudo o que recebo.

— Oakley está com minha bolsa.

— Ah, bom.

— É meu aniversário! — Lembro-o, esperando que ele


conceda.

Ele confere o relógio. — Não mais.

Bastardo.

— Posso pelo menos ter outro shot antes de sairmos?

Vou precisar para sobreviver a outro passeio de carro com


ele.

— Você já teve mais do que o suficiente.

— Então você provavelmente deveria me colocar no chão,


antes que eu vomite em você.

Ele ri sombriamente. — Nocauteie-se.

— Prefiro nocauteá-lo. — Murmuro quando ele abre a


porta do passageiro do carro e me joga no banco.

Royal hearts academy #1


Um sorriso vulgar curva sua boca. — Aposto que você
faria.

Então ele bate à porta.

Estou mal-humorada, um pouco tonta e muito confusa


quando Jace estaciona em sua entrada.

— Pensei que tivesse dito, que eu não era permitida pisar


em sua casa. — Eu falo com uma voz provocadora.

Sua expressão é impassível. — Você não estará pisando.

Fico perplexa quando ele sai do carro e chega ao meu lado.

Eu zombo quando ele abre minha porta. — Uau, quem


disse que o cavalheirismo estava mor-

Eu grito quando suas mãos apertam minha cintura, e me


jogam por cima do ombro, onde eu vou pela segunda vez hoje
à noite.

— Eu sei andar! — digo a parte inferior das suas costas.

Ele resmunga.

— Para onde você está me levando? — pergunto quando


seus movimentos param e ouço o clique de uma trava.

Silêncio.

No entanto a abertura e o fechamento do portão, junto


com a grama abaixo de nós, me diz que estamos no seu
quintal.

— Você cavou uma cova para mim ou algo assim?


Pensando em me enterrar ao lado da toca de coelho da
Bianca?

Royal hearts academy #1


Nervos rastejam na minha barriga, misturando-se com o
álcool. Oh, merda.

Por que mais ele estaria me carregando, contra a minha


vontade, pelo seu quintal? No meio da noite, nada menos.

— Puta merda, seu maldito psicopata. Não me mate e me


enterre no seu quintal.

Ele não diz nada para aliviar minha ansiedade.

Um momento depois, a grama se transforma em concreto.

— Jace! Juro por Deus! — Eu bato em suas costas


quando o bonito brilho azul-petróleo de sua piscina aterrada,
aparece. — Coloque-me para baixo, imbecil...

Eu grito quando ele me solta e caio em um abismo de


água fria.

Engasgo e tusso quando chego à superfície. — Que porra é


essa?

Com as mãos nos bolsos da calça jeans, ele encolhe os


ombros inocentemente. — Você me disse para te colocar para
baixo.

Estreitando os olhos, eu me preparo para gritar com ele,


mas então uma realização horrível me atinge.

Meu coração afunda quando vejo os saltos pretos com


solas vermelhas flutuando do outro lado da piscina.

— Seu idiota! — Eu nado até eles. — Estes são


Louboutins!

— Lou - O quê? — Seu rosto se torce. — Quem é você


agora?

Royal hearts academy #1


Um por um, eu os jogo nele. — Estes são da minha tia,
seu idiota. Ela me emprestou esta noite, e agora eles estão
arruinados.

Ele não parece nem um pouco preocupado. — São


sapatos. Se ela ficar chateada, compre outro par para ela.

Eu quero gritar porque ele não entende. — São sapatos de


oitocentos dólares. Levarei pelo menos seis semanas para
ganhar o dinheiro no Top of the Muffin. Estava tentando
economizar para um carro. — A frustração engasga na minha
garganta e bato na água. — Nem todo mundo é rico como você.

Inferno, mesmo antes de meu pai desembarcar na prisão,


não chegamos perto de ter o tipo de dinheiro que a família de
Jace tem.

Por um breve momento, a simpatia pisca em seus olhos,


antes que eles endureçam. — Estarei na casa de hóspedes. —
Ele começa a andar pelo caminho curto que leva à casa de
pedra e tijolo. — Sinta-se livre para continuar seu mergulho
noturno.

— Jace? — eu golpeio meus cílios quando ele se vira. —


Você se importaria de me ajudar?

Ele sorri. — Então você pode me puxar? Não, obrigado.

Droga. Isso era exatamente o que eu ia fazer.

Com um suspiro, nado até o fundo e subo a escada.

Um vislumbre de satisfação corre através de mim, quando


suas pálpebras se abaixam e vejo o seu pomo de adão
balançar.

É a primeira semana de novembro, então faz frio à noite.


Considerando que eu não usava sutiã com o meu vestido,
tenho certeza que ele está tendo um bom show.

Royal hearts academy #1


Endireitando minha coluna, empino o peito e passo por
ele. — Apreciando a vista?

Os músculos de suas costas ondulam antes que ele solte


um suspiro, e me encontre na casa de hóspedes.

Ele evita o contato visual enquanto abre a porta e entra.

Ainda parece o mesmo que eu me lembro, com algumas


pequenas atualizações.

— Vou pegar uma toalha. — Jace murmura antes que ele


desapareça no único quarto.

Ando pela minúscula sala de estar até terminar na


cozinha, que compartilha o mesmo espaço aberto.

Dado que Jace terminou minha festa cedo, ele me deve um


bom tempo.

Infelizmente, a única coisa que encontro é uma garrafa de


vinho meio vazia e algumas cervejas.

— As cervejas são de Cole. — Jace diz atrás de mim. — E


elas são péssimas.

Eu prefiro a garrafa de vinho. — Isso é seguro?

— Nenhuma ideia. Uma garota trouxe na outra noite.

Meu estômago se revira. Nem me ocorreu que ele poderia


estar saindo com outra pessoa depois de Britney.

Depois de mim.

— Então os rumores são verdadeiros? — abro o armário e


tomo um copo de vinho. — Britney está realmente namorando
Cole?

Ele caminha até o sofá e se senta. — Não sei. Não ligo.

Royal hearts academy #1


Eu pondero isso enquanto tomo um longo gole. — Não
incomoda você? Ele é seu irmão e ela é sua... tanto faz.

— Você está fodendo comigo agora?

Eu não tenho ideia do que aconteceu, mas a julgar pelo


olhar mortal que está apontando para mim, claramente
Britney é um gatilho para ele.

— Desculpe, não vou trazê-la à tona novamente. — Tomo


outro gole do meu vinho e percebo o quanto isso foi cruel. Ele
pode não a querer, mas não há como não doer. — Pelo que
vale a pena, você pode fazer muito melhor que ela.

Ele olha para mim pelo que parece uma eternidade antes
de falar. — Não posso decidir se você está realmente falando
sério, ou se é apenas uma atriz muito boa que conseguiu seu
papel.

— O que diabos isso quer dizer?

Honestamente, estou ofendida por ele achar que eu


alguma vez fingi algo ao seu redor.

— Nada. — Ele pega o controle remoto da televisão. —


Esqueça.

Termino o que está no meu copo e o encho novamente.


Estou começando a ter aquela sensação relaxada e alegre
novamente, que é exatamente o que eu queria.

— Por que você me trouxe aqui, Jace?

Ele não responde. Choque.

Tenho quase certeza de que sei, mas quero a confirmação.

Não. Mais do que querer. Eu preciso.

E algo me diz que há apenas uma maneira de obtê-lo.

Royal hearts academy #1


Tomo mais um gole de vinho em busca de coragem, depois
vou para o sofá, parando quando estou na frente dele.

Ele está assistindo algo chato de videogame, mas eu pego


o controle remoto da sua mão e desligo.

Ele me olha furiosamente. — Você se importa?

— Eu realmente me importo. — Afio meu olhar. — Por


que você me trouxe aqui?

— Porque você está bêbada.

— Eu estava em uma festa... no meu aniversário. Oakley


estava cuidando de mim. Cole também, aliás.

Não havia razão para Jace interferir... e definitivamente


não era o suficiente para ele me arrastar para fora, e me trazer
aqui.

A menos que ele estivesse com ciúmes.

E ele não ficaria com ciúmes, se não tivesse sentimentos


por mim.

Sentimentos que ele se recusa a reconhecer.

— Você não me trouxe uma toalha. — eu o lembro


timidamente.

Ele começa a se levantar, mas eu monto em seu colo e


pressiono meu corpo no dele, molhando suas roupas. — Acho
que não preciso mais de uma.

Suas mãos encontram meus quadril. — O que você está


fazendo?

— Eles queriam me levar para o andar de cima. —


Recuando um pouco, olho para ele. — Ambos.

Royal hearts academy #1


Seus olhos escurecem. — Eles queriam fazer sexo grupal
com você.

— Pensei que eram necessários três ou mais caras para


fazer grupal? — Dou-lhe um sorriso sensual. — Então
novamente, talvez eles estivessem planejando convidar seus
amigos... isso poderia ter sido divertido.

— Dylan, — ele rosna, seus dedos cavando meus quadris.

Eu lambo meu lábio inferior sugestivamente. — Eles


prometeram que cuidariam bem de mim.

Ele bufa. — Se você acreditou neles, sinto te informar que


foi propaganda enganosa.

Trilho meus lábios ao longo da concha de sua orelha. —


Gostaria de saber se eles teriam comido minha boceta tão bem
quanto você, naquela noite.

Eu o sinto engrossar em seus jeans e seus olhos se


tornam pequenas fendas.

Eu beijo um caminho ao longo de sua mandíbula antes de


ir para a matança. — Desafio você a me fazer esquecer tudo
sobre eles.

Ele faz um barulho áspero no fundo da garganta,


enquanto fecha a distância entre nós. Seu beijo é meio
desesperado, meio faminto - como se ele nunca tivesse o
suficiente.

E então ele está se afastando. — Eu não fodo com garotas


bêbadas.

— Estou alegre. Uma grande diferença.

Ele segura o meu olhar. — Não para mim.

— Posso andar em linha reta, se quiser.

Royal hearts academy #1


— O que eu quero, é que você saia do meu colo.

Estreitando os olhos, eu balanço contra seu pau. Se o


contorno pesado pulsando sob seu jeans é algo para deixar ir,
eu diria que ele me quer tanto quanto o quero.

Nossas respirações se misturam quando olhamos um para


o outro.

— Tenho certeza que você gosta de mim no seu colo.

Os nervos formigam ao longo da minha pele quando ele


gira os quadris, moendo contra um ponto que faz meu coração
disparar.

Fechando os olhos, ele sussurra — Eu já disse, não fodo


com garotas bêbadas.

Eu odeio o jeito que ele está me colocando em uma caixa


generalizada. Como se fosse apenas outra garota querendo
fodê-lo, que ele tem que recusar.

— E eu te disse, não estou bêbada.

Quando ele não parece convencido, digo — Tudo bem.


Não me toque. — Abaixando a cabeça, beijo seu pescoço,
respirando seu familiar perfume limpo. — Vou tocar em você.

Ele faz um som áspero, quase doloroso, quando caio de


joelhos. Não sei se é o prazer do meu toque, ou aborrecimento
porque estou apertando os seus botões. Conhecendo Jace,
provavelmente os dois.

Minhas mãos deslizam sob a sua camisa e sou recebida


por uma dourada pele amanteigada e ondas de músculos. —
Você nunca teve o abdômen assim quando éramos
adolescentes.

Royal hearts academy #1


Isso tira uma risada dele. — Isso porque eu não
frequentava a academia cinco dias por semana.

Sim, seu trabalho duro está bem aparente.

Eu sorrio enquanto beijo seu peito. — Eu diria o quanto


você é sexy, mas tenho certeza de que está ciente.

Eu corro minha língua sobre um de seus gominhos e ele


respira fundo. — Alguém está cheia de elogios esta noite.

Minha boca fica molhada quando me concentro naquelas


profundas linhas em V. — Quer me encher com outra coisa?

Suas narinas se abrem. — Você está me matando.

Eu olho para ele. — Ainda nem comecei.

Seu polegar acaricia a borda da minha mandíbula. —


Talvez você não deva.

— Tudo bem. Se é isso que você realmente quer. — Trilho


minha unha pelo seu zíper, soltando-o. — Se importa se eu
der uma olhada no que está por baixo do capuz primeiro? Ver
o que eu estarei perdendo, porque você é muito teimoso?

Ele abre a boca e fecha antes de rosnar — Vá em frente.

A antecipação brilha através de mim quando eu abro o


botão em seu jeans e o puxo para baixo. Eu fico
impressionada, se estou sendo sincera, com a ereção maciça,
armando sua boxer preta, implorando para ser livre.

Com um pequeno sorriso, escovo as pontas dos dedos ao


longo da cintura elástica, tomando meu doce tempo.

Sua cabeça cai para trás, e vejo os tendões em sua


garganta se moverem, enquanto empurro sua cueca para
baixo.

Royal hearts academy #1


Minha respiração me deixa com pressa quando seu pau
balança livre, batendo contra seu umbigo.

Ele é longo, grosso e com veias. Perfeito de uma ponta a


outra.

O sorriso presunçoso em seu rosto me diz que ele sabe


disso.

Mas ainda não terminei de provocá-lo. Eu quero fazê-lo


perder o controle.

Chego o mais perto que posso sem fazer contato. — Você


não tem ideia do quanto eu quero colocar minha boca nele.

Seu pau se contrai e uma pequena gota de líquido brilha


em sua ponta.

Gemendo, ele passa a mão pela base e sobe, dando uma


bombada lenta. — É mesmo?

Assentindo, lambo a ponta do seu polegar. — Mas alguém


acha que é uma má ideia... então eu não posso.

Ele murmura uma maldição. — Você fez o seu ponto.

Meu Deus, como as mesas viraram.

Outra gota de fluido se forma em sua ponta, desta vez


vazando em seu estômago.

— Você tem certeza?

— Você me diz. — ele fala com voz baixa e rouca.

Meu pulso dispara quando deslizo minha língua sobre a


pérola em seu estômago. — Você tem gosto de certeza.

Seus lábios se separam quando ele olha para mim. —


Dylan.

Royal hearts academy #1


Há tanta luxúria e desejo envolvendo meu nome, que
minha pele esquenta.

Passo meus dedos pela sua coxa. — Você nunca me


perguntou o que eu queria no meu aniversário.

Os olhos dele brilham. — O que você quer para o seu


aniversário?

Abaixando minha cabeça, lambo um círculo em torno de


sua ponta, dando-lhe minha resposta.

Sua respiração fica difícil. — Cristo.

Envolvendo minha mão em torno de sua base, estico meus


lábios sobre sua ampla coroa.

Ele me observa com intensidade urgente. — Jesus.

A tensão alinha seus traços quando eu o solto com um


estalo molhado. — Continue. — Seus olhos estalam com o
calor e sua mão emaranha meus cabelos, me mantendo
exatamente onde ele me quer. — Eu preciso de mais disso.

O tom carnal entrelaçando suas palavras, vai direto para o


meu núcleo e minha boca o encontra novamente, levando-o
mais profundo desta vez.

Sua testa se enruga e ele solta um gemido baixo. — Sim,


baby. Bem desse jeito.

Há algo tão quente na maneira como ele está me guiando,


me dizendo exatamente o que gosta.

Sentindo-me corajosa, lambo e chupo o mais fundo que


posso.

Seu corpo estremece e a mão no meu cabelo aperta. —


Porra.

Royal hearts academy #1


Vou repetir o movimento, mas ele se inclina e me puxa de
volta para seu colo.

— O que-

Seus lábios encontram os meus, e ele agarra minha nuca


me segurando firme, enquanto me beija com tanta fome, que
eu me derreto nele.

— Eu estava me divertindo. — digo enquanto ele inclina


minha cabeça para trás e lambe minha garganta.

— Eu também, — ele rosna. — Muito. — Ele puxa a parte


de cima do meu vestido, expondo um seio. — Queria ver isso
antes que acabasse. — A luxúria corre através de mim como
um fio elétrico, quando ele inclina a cabeça e acerta meu
mamilo com sua língua. — E valeu a pena pra caralho.

Eu sou uma bagunça desamparada, enquanto ele suga


com puxões calculados e ansiosos. — Jace.

Mãos ásperas agarram minha bunda, me aproximando de


sua boca. — Eu amo o jeito que você diz meu nome. — Ele
puxa a parte de cima do meu vestido novamente, expondo meu
outro seio. — E seus peitos. — Meu corpo estremece quando
ele faz aquela coisa com a língua novamente. — Especialmente
esses pequenos mamilos apertados.

Oh, Jesus. Acho que nunca vou me cansar da sua boca


suja.

Eu gemo quando seus lábios encontram o vão da minha


garganta.

Ele ri, sabendo muito bem o quão sensível eu sou lá. —


Aposto que você está tão molhada pra mim agora. — Sua mão
desliza por baixo do meu vestido. — Vamos ver se estou certo.

Royal hearts academy #1


Eu assobio quando seus dedos traçam a renda da minha
calcinha.

— Você usou isso para mim hoje à noite?

— Não. Eu uso para mim.

— Ela está molhada, — ele observa, batendo-a contra a


minha pele.

Chegando entre nós, dou a seu pau um empurrão lento e


provocador. — Eu sei. Você me derrubou em uma piscina,
lembra?

— Espertinha, — ele murmura antes de afundar os


dentes no meu pescoço, e meus olhos se fecharem.

— Que tal isso? — Um sorriso arrogante puxa os cantos


de sua boca enquanto ele move minha calcinha para o lado e
segura minha boceta. — Isso é para mim?

— Por hoje à noite. — eu provoco, e seus olhos


escurecem.

Minha respiração para quando a ponta do seu dedo


circunda lentamente minha abertura. — Tire esse vestido.
Está arruinando minha visão.

Aperto a bainha e o puxo sobre a cabeça. — Algo mais?

Sua mão livre envolve a parte de trás do meu pescoço e ele


me puxa para perto, como se quisesse me contar um segredo.

— Sim, na verdade. — Ele chupa meu lóbulo da orelha


entre os dentes, e mergulha dois dedos dentro de mim. —
Monte-os.

Enlaçando meus braços em volta do seu pescoço para me


alavancar, começo a me esfregar contra sua mão. Faço um

Royal hearts academy #1


som sufocado e angustiante quando ele os enrola dentro de
mim.

— Lá vamos nós. — Ele faz um som rouco de aprovação


enquanto os desliza para fora, me mostrando meus líquidos
antes de chupá-los em sua boca. — Bom pra caralho.

A visão dele lambendo minha umidade de seus dedos,


envia um tremor violento através de mim. É tão sexy que estou
propensa entrar em combustão. — Meu Deus.

Sorrindo, ele afunda-os de volta, mais profundo desta vez.


— Coloque sua mão no meu pau.

Eu o levanto para cima e para baixo, enquanto seus dedos


trabalham, mergulhando forte e rápido, na minha boceta.

— Isso não está funcionando. — diz ele.

Meu corpo silenciosamente protesta a perda de seu toque.


— O quê? Por quê?

Ele agarra meus quadris antes de nos mudar, então


estamos deitados no sofá. — Preciso que você se sente em
outro lugar.

— Onde?

Sorrindo, ele bate no queixo. — Bem, aqui. — Aqueles


globos escuros piscam quando ele tira minha calcinha. —
Bem, agora.

Eu começo a me mover, mas ele balança a cabeça. — De


costas. Quero que você termine o que começou enquanto como
essa pequena boceta. — Ele dá um tapa na minha bunda
enquanto me reposiciono. — Confie em mim, não vai demorar.
— O calor corre pelas minhas veias como uma droga potente
enquanto ele me guia sobre a boca. — Para qualquer um de
nós.

Royal hearts academy #1


Calafrios dançam sobre a minha pele quando ele me
lambe, jogando o metal do piercing contra meus pontos mais
sensíveis.

Estou tão excitada que não consigo ver direito. Eu o chupo


o mais profundo e rápido que posso, querendo os sons ásperos
e selvagens que ele faz.

Meu corpo vibra com a tensão e minhas coxas começam a


tremer, quando ele puxa e lambe minha carne. Apenas quando
acho que não posso me sentir melhor, ele adiciona um dedo à
mistura, dedilhando-o sobre o meu clitóris como seu
instrumento favorito.

Um calor branco passa pela minha espinha, enquanto eu


pego o ritmo do meu lado. Seu pênis pulsa na minha boca e
ele empurra seus quadris para cima. É o único aviso que
recebo antes que ele gema e goze na minha garganta. Um
pouco de líquido escorre no processo e eu lambo suas bolas,
amando o jeito que ele estremece debaixo de mim.

Mãos amassam minha bunda, e ele volta a me lamber em


um frenesi impotente. Um momento depois, a bobina apertada
de prazer dentro de mim se encaixa, e eu gozo contra sua
boca, choramingando seu nome quando chego ao clímax.

Pequenos arrepios percorrem minha espinha, enquanto ele


dá um beijo suave na minha boceta, antes de me colocar no
sofá e me levantar.

Nenhum de nós diz uma palavra quando ele se enfia de


volta na calça jeans e pega meu vestido molhado do chão.

O medo afunda como uma pedra no meu intestino,


quando ele o coloca em minhas mãos, sem olhar para mim.

Royal hearts academy #1


Eu diria que ele está desconectado - mas não é isso. Posso
sentir a sua dor penetrando na minha alma, como se fosse
minha.

Jace parece tão culpado, tão enojado de si mesmo, que me


sinto doente ao colocar meu vestido de volta, e calçar os
saltos.

Eu posso sentir a agitação e repulsa se agitando dentro


dele, enquanto ele digita algo em seu telefone. É como se não
pudesse esperar que eu fosse embora, para que ele pudesse
fazer planos com alguém melhor.

Alguém que não o repele como eu.

Minha garganta fica entupida quando pisco as lágrimas,


que me recuso a derramar.

Não entendo por que ficar comigo, faz com que ele aja
assim.

Em um segundo, ele está adorando meu corpo, e no


próximo é como se minha presença causasse repulsa, e ele
preferisse arrancar os olhos, do que passar mais um segundo
em uma sala comigo.

— Jace. — eu sussurro, minha voz está à um fio de


navalha de rachar.

— Oakley estará aqui em algumas horas — ele me


informa. — Você pode ficar aqui até então.

Ele nem consegue compartilhar um carro comigo, pelos


dez minutos que levaria para me deixar em casa?

Enfiando o telefone no bolso de trás da calça jeans, ele se


dirige para a porta.

— Jace. — eu engasgo, minha voz quebrando como vidro.

Royal hearts academy #1


Fale comigo. Diga-me o que eu fiz.

Por que você me odeia tanto, quando eu nunca parei de te


amar.

Ele faz uma pausa, sua respiração estática. — Não


podemos mais fazer isso.

Há um milhão de coisas que quero dizer, e mais ainda,


que quero perguntar.

Em vez disso, passo por ele.

Eu tenho muito respeito próprio para deixá-lo me reduzir


a nada. Serei a única a sair desta vez.

— Diga a Oakley que eu fui andando para casa. — digo


por cima do ombro enquanto saio pela porta.

Meu coração bate na caixa torácica a cada passo que dou.

Quero que ele corra atrás de mim, diga que cometeu um


erro e que nunca mais me deixará ir... mas ele já deixou
perfeitamente claro, que hoje à noite, eu fui o único erro que
cometeu.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Por que está tão frio? — Sawyer reclama enquanto


subimos as arquibancadas.

Eu sinto a sua dor. As temperaturas não costumam cair


abaixo de dezoito em novembro, mas hoje está quase dez.
Muito frio para o sangue da costa oeste.

— Não sei, mas agradeço que este é o meu primeiro e


último, jogo de futebol da temporada.

Atrás de nós, Oakley geme. — Vocês duas parariam de


reclamar? Vocês estão colocando energia negativa no universo,
logo antes do grande jogo do meu garoto.

— Que seja, seu grande hippie. — provoco enquanto


encontramos lugares vazios, e estacionamos nossas bundas.

— Lembre-me novamente por que viemos hoje à noite? —


diz Sawyer entre dentes. — Tenho certeza de que meu cérebro
está congelado.

Aponto para meu primo, que está sentado entre nós. —


Pergunte a ele.

Oakley revira os olhos. — Eu já disse, Cole me proibiu de


ir a qualquer um dos jogos dele, porque acha que tenho azar.

Sawyer torce o rosto. — Então você está aqui porque...

— É o último jogo em casa da temporada. — ele afirma


com os olhos arregalados. — Acho que o que ele não sabe, não
vai machucá-lo. — Ele bate na cabeça. — Afinal, a sorte só
existe aqui. — Sua voz cai para um sussurro. — Além disso,

Royal hearts academy #1


ficarei sem quinhentos dólares, se os vikings não derrubarem
os Knights.

Sawyer e eu trocamos um olhar.

— Você quer dizer se os Knights não derrubarem os


Vikings.

Oakley parece envergonhado. — Claro. Vamos com isso.

Sawyer dá um tapa no braço dele. — Você apostou contra


os Knights?

Eu bato no seu outro braço. — O que há de errado com


você? Pensei que Cole fosse seu amigo?

Oakley olha em volta. — Vocês duas conseguiriam manter


a voz baixa? — Ele revira os ombros. — Cole é meu garoto,
mas todo mundo em Royal Manor, está apostando nos Knights
contra os Vikings.

— Sim... todo mundo, exceto você! — aponta Sawyer.

— Fala baixo, pequenina. — Sua expressão fica pensativa.


— Como eu disse, todo mundo está apostando que os Knights
vão para o campeonato estadual... o que significa que há
muito dinheiro em jogo para um idiota sortudo, se os Vikings
vencerem.

— Eu pensei que você não acreditasse em sorte?

— Sim. — Sawyer zomba enquanto aponta para a cabeça


dela. — Pensei que só existisse sorte aqui.

Ele faz uma careta. — Vocês duas poderiam me deixar em


paz? — Ele pega o telefone. — Conversem entre si até o jogo
começar... e então... — Ele faz um movimento rápido de zíper
nos lábios, antes de focar novamente no telefone.

Royal hearts academy #1


— Tudo bem... — diz Sawyer antes de se concentrar em
mim. — Você já decidiu o que vai fazer?

— Não tenho certeza se realmente há algo a fazer. — Dou


de ombros. — Eu dei os sapatos para minha tia. Ela estava um
pouco confusa, pois me disse para não me preocupar com
isso, mas de certa forma agradecida.

Ela não era a única.

Dois dias atrás, abri meu armário para encontrar uma


caixa, contendo um par de Louboutins idênticos aos que eu
usava, na noite em que dei um mergulho não solicitado, na
piscina de Jace.

Dizer que fiquei chocada foi um eufemismo, mas Oakley


deixou escapar, que alguns dias após a nossa noite desastrosa
juntos, Jace pediu que ele descobrisse o tamanho do sapato
da minha tia, para que ele pudesse pedir um novo par para
ela.

Evidentemente, eles estavam em atraso devido as festas,


mas ele conseguiu localizar um par esta semana.

O pensamento de Jace Covington, pulando através de


sites, para que pudesse comprar um par de sapatos para
minha tia é... incompreensível.

Especialmente porque não nos falamos.

Sawyer contrai os lábios. — Eu mandaria uma mensagem


de texto para ele, mas depois de todo o rala e rola, pega e
chupa, obrigado e adeus, eu-

— Okay!! — Oakley declara. — Já chega de conversa de


garotas.

Royal hearts academy #1


Sawyer olha por cima da cabeça dele. — Acho que eles
estão servindo chocolate quente gourmet, no posto de
concessão hoje à noite. Quer pegar um pouco?

Será o cacau em pó e a água quente mais caros que já


tive, mas está congelando aqui, por isso estou dentro. — Claro,
vamos lá. — Olho para Oakley. — Quer alguma coisa?

Ele começa a falar, mas Sawyer o interrompe. — Dylan, ele


é um traidor! Deixe o garoto prover para si mesmo.

Eu suspeito que minha garota pode ser uma fã, não tão
secreta, dos Knights.

Ou talvez apenas de Cole. Por outro lado, ela ainda jura


que não gosta dele, e afirma que ele faz sua pele arrepiar...
então talvez não.

— Desculpe, primo. Apenas para fãs dos Knights. — digo


antes de descermos as escadas correndo.

— Você vai ao Christian hoje à noite? — Sawyer pergunta


depois que entramos na fila.

— Provavelmente, não. Estou exausta.

Ela faz uma careta. — Esqueci que você teve que trabalhar
no Dia de Ação de Graças. — Ela balança a cabeça. — Mesmo
meu chefe não foi tão insensível, e isso diz algo.

Sim, o chefe de Sawyer no Cluck You - o restaurante de


frango em que ela trabalha - faz a minha parecer uma santa.

— Não foi tão ruim. Ontem por apenas meio dia. E é


verdade que estávamos lotados o tempo todo.

Tão lotados que a Sra. Dickinson deixou que todos


pedissem o que quisessem, sem discussão.

— Você estará trabalhando amanhã?

Royal hearts academy #1


Não. Normalmente trabalho aos sábados, mas farei algo
muito pior.

Visitar meu pai na cadeia.

Minha tia disse que ele está ligando, e pedindo que ela me
convença a vê-lo.

Eu não ia, mas depois lembrei da suposição de Jace, de


que meu relacionamento com meu pai estava melhor agora,
que Savannah estava fora de cena.

Obviamente, esse não é o caso, mas ainda me atingiu em


um nervo.

Nunca vi o fato dele estar na prisão, como uma


oportunidade de nos reconectarmos, mas agora que a poeira
baixou, espero que possa salvar meu relacionamento com ele.

Seria incrível se algo positivo saísse desse desastre.

Sawyer acena uma mão para cima e para baixo. — Terra


para Dylan.

Oh, merda. — Não... — Eu respondo. — Não estou


trabalhando amanhã.

Ela levanta uma sobrancelha. — Você está bem?

Mordo o lábio inferior, debatendo as palavras certas para


dizer. Sawyer sabe tudo sobre o drama com meu pai, mas eu
não quero que ela faça sua típica coisa de Sawyer, e que... se
importe.

A garota vai acabar me assando biscoitos, oferecendo-se


para dirigir as duas horas necessárias para chegar à cadeia,
enfileirando minhas músicas favoritas no caminho para lá, e
me dando o ombro para chorar no processo.

Royal hearts academy #1


Isso a torna uma amiga incrível, mas não quero que ela
sinta que fez algo errado, quando eu não for responsiva a isso.

Desde que encontrei minha mãe morta no chão da


cozinha, aprendi a enterrar em uma caixa, todos os meus
sentimentos e emoções em relação à morte dela e a outras
coisas ruins, e então guardá-la profundamente.

De acordo com a terapeuta que meu pai me forçou a ver


quando eu era mais jovem, era a minha maneira de lidar com
algo tão pesado, em uma idade jovem.

Por outro lado, ela também disse ao meu pai que era
apenas uma questão de tempo até eu explodir, e isso ainda
está para acontecer, então foda-se.

— Eu uh… Estarei visitando meu pai. — sussurro para


que ninguém ao nosso redor ouça.

Os olhos dela se arregalam. — O quê? Realmente? Uau...


isso é enorme.

Eu sei. — Sim, mas não quero fazer um grande alarde


disso.

Ela me olha com ceticismo. — Com medo de que você se


acovarde?

Estou começando a odiar o quão perspicaz ela é. — Sim.

Ela dá um pequeno aperto na minha mão. — Estou aqui


se precisar de mim.

Eu sei.

Felizmente, somos as próximas da fila.

Pedimos nossos chocolates quentes - e um para Oakley,


porque nós duas somos molengas, - e retornamos às
arquibancadas.

Royal hearts academy #1


Pelo menos esse era o plano. Estou tão distraída com a
ideia de ver meu pai, que não estou prestando atenção e
esbarro em alguém. Chocolate quente derrama sobre o lado do
meu copo, mas estou muito focada em Jace para me importar.

Seus lábios carnudos e maçãs do rosto esculpidas estão


levemente ruborizadas pelo frio, e as duas mãos estão enfiadas
no bolso de seu capuz preto.

Como sempre, ele parece tão lindo que deixa minha


respiração presa.

O bastardo.

— Preste atenção onde você está indo.

E ele não está sozinho.

Casey, a segunda em comando de Britney, e escolhida


para assumir sua posição de capitã da equipe de lideres no
próximo ano, está ao lado dele.

Não posso deixar de notar que a jaqueta dos Knights,


pendurada sobre seus ombros, é três vezes maior que sua
pequena silhueta, e protege a maior parte de seu uniforme de
líder de torcida.

Obviamente não é dela.

Meu coração torce dolorosamente no meu peito.

Jace pega um guardanapo de uma mesa próxima e


entrega para mim, mas eu me afasto.

Não quero nada dele... nunca.

Tudo o que ele faz é me machucar.

Por um breve momento, seus olhos suavizam. — Dyl-

Royal hearts academy #1


Meu coração torce dolorosamente no meu peito.

— Vamos lá, Jace. Tenho que voltar ao campo em dois


minutos. — Casey diz secamente.

Ela bufa quando ele não se mexe. — Tudo bem. Vou pegar
minha própria garrafa de água. — Ela tira a jaqueta e joga
para ele. — Entregue a jaqueta ao seu irmão depois do jogo. —
Os olhos dela apontam para Sawyer. — Não quero que meu
namorado fique bravo comigo.

Ao meu lado, Sawyer fica tensa.

Ouvi rumores de que Cole e Casey eram uma coisa, mas


depois que o boato de Britney acabou sendo falso, presumi
que esse também fosse.

O olhar confuso no rosto de Sawyer, me diz que não sou a


única.

Parecendo satisfeita, Casey agita os dedos em um aceno


delicado, antes de pular para o posto de concessão.

Os olhos de Jace jogam pingue-pongue entre nós, como se


ele quisesse dizer alguma coisa, mas não estou interessada.

Eu jogo um dos meus chocolates quentes e agarro a mão


de Sawyer, porque mesmo que ela não diga, sei que precisa do
apoio.

Por alguma razão, ela realmente acreditava que Cole era


um cara legal, por baixo de seu exterior sedutor e extrovertido.

Mas ele não é. Nenhum deles é.

O único irmão Covington bom, está morto.

— Respire — sussurro enquanto passamos por ele. —


Você vai ficar bem.

Royal hearts academy #1


Embora não tenha certeza de quem estou tentando
confortar. Ela ou eu.

— Que diabos? — Oakley murmura quando o chutador


dos Vikings erra o gol. — Essa era a nossa única esperança!

Sawyer e eu trocamos um olhar. Dificilmente.

Estamos no quarto sete e a pontuação é de vinte e três a


três a favor dos Knights.

Mesmo que o kicker tivesse marcado, ainda não seria


suficiente para colocar os vikings à frente.

Das arquibancadas, vejo o número dezesseis - que Sawyer


apontou anteriormente como Tommy, - socando a mão em
frustração.

Não posso dizer que o culpo. Eles estão sendo esmagados


hoje à noite.

Sawyer esfrega as mãos e sopra sobre elas. — Falta


apenas um minuto para o fim do jogo.

É adorável como ela está focada nisso, apesar do sortudo


número sete - também conhecido como Cole - ser um idiota.

A empolgação em toda a arquibancada é contagiosa,


quando assistimos os Knights entrarem em formação. Por
causa do barulho da torcida, a voz de Cole é quase inaudível
quando ele chama o jogo, colocando as duas equipes em
movimento. Ele recua e lança a bola pelo campo, colocando a
multidão em pé.

Estou focada no jogador que pega a bola, quando ouço


Sawyer gritar o nome de Cole. Meu olhar retorna bem a tempo
de vê-lo ser arrancado de seus pés por trás, e bater no

Royal hearts academy #1


gramado. O medo inunda meu estômago quando sua cabeça
salta do chão em um ângulo anormal, e ele cai sobre seu
pescoço e ombros.

— O que diabos aconteceu? — Oakley grita.

— Ele o atingiu tão atrasado. Cole nunca viu isso


chegando, — diz Sawyer, com a voz vacilante.

Uma combinação de raiva e choque me enche quando


percebo quem é responsável por isso. — Foi o Tommy.

Os árbitros correm, jogando bandeiras amarelas quando o


número dezesseis sai de cima de Cole, e joga as mãos para o
alto, agindo como se ele tivesse feito uma grande jogada.

O idiota está comemorando... enquanto Cole está deitado


lá... sem vida.

— Meu Deus. Ele não está se movendo. — Sawyer


resmunga enquanto as suas mãos voam para o rosto dela. —
Cole não está se movendo.

Ao meu lado, Oakley fica rígido. — Que porra é essa? Cole


já tinha jogado a bola, não havia razão para Tommy tocá-lo!

Não conheço a mecânica do jogo ou quem não deveria


fazer o que, mas sei que o golpe foi além de brutal. Adversário
ou não, Tommy não deveria estar comemorando isso.

A menos que ele tenha feito de propósito, como Oakley


está insinuando .

Aperto o estômago enquanto vejo os médicos correndo


para o campo.

— Ele vai ficar...

Meu coração está na garganta quando Jace pula a cerca


de arame mais rápido que um raio.

Royal hearts academy #1


— Merda. — Oakley desce as escadas e eu sigo atrás dele
o mais rápido que meus pés me carregam.

As pessoas nas arquibancadas começam a gritar quando


Jace faz uma linha reta para Tommy, mas eu as bloqueio.

Oakley e eu aceleramos o passo, correndo pelo portão,


mas é tarde demais. Tommy já está no chão e Jace está
pairando sobre ele, torcendo sua perna em um ângulo
estranho. Tommy luta para fugir, mas o aperto de Jace é
revestido de ferro.

Mal estamos em campo quando ouço o estalo de osso, e


Tommy gritando em agonia.

Segundos depois, um bando de homens com os uniformes


dos Viking enxameiam ao redor deles, bloqueando nossa visão,
mas não antes de Tommy uivar novamente.

— Vocês dois, fora do campo. — alguém late para nós


quando levam Cole em uma ambulância.

— Deixe-me ir. — Jace grita com os jogadores que o


contêm.

Ele está praticamente espumando pela boca como um


animal cruel. Seus globos escuros estão presos a Tommy, que
se contorce na grama, gritando algo incoerente sobre sua
perna e pulso.

— Ainda não terminei com ele.

O olhar sádico em seus olhos me arrepia a espinha.

— A polícia vai o tirar daqui. — alguém afirma antes que


os médicos se apressem até Tommy.

Como se fosse uma sugestão, ouço as sirenes pairando ao


longe.

Royal hearts academy #1


— Merda. — Oakley pega o telefone enquanto algum
oficial nos leva para fora do campo.

— Para quem você está ligando?

Meu coração está batendo uma milha por minuto. Tudo o


que eu quero fazer, é correr para lá e proteger Jace, mas dois
policiais estão colocando algemas em seus punhos, e o
arrastando para longe.

— Oi pai, — Oakley diz ao telefone. — Vou precisar que


você me encontre na delegacia, imediatamente.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Estou olhando pela janela de um ônibus quando meu


telefone vibra.

Atendo no primeiro toque, orando silenciosamente por


boas notícias. A última atualização que Oakley me deu, foi que
eles estavam mantendo Cole a noite.

Quando perguntei o quão ruim eram seus ferimentos, ele


disse que não sabia. Eles ainda estavam fazendo testes.

— Hey, — Eu respondo. — Alguma novidade?

— Sim, — Oakley diz. — Concussão... Uma bem ruim.


Mas eles o estão liberando hoje, mais tarde.

Eu dou um suspiro de alívio e faço uma anotação mental,


para mandar uma mensagem para Sawyer com a última
atualização, assim que desligarmos. A pobre menina ficou
acordada metade da noite rezando.

— Graças a Deus.

— Eu sei. — Ele ri. — Mas não posso dizer o mesmo sobre


o cuzão. Os rumores são de que Jace o fodeu tanto, que ele
ficará no hospital por duas semanas... pelo menos.

— Ele merece. — digo antes que um pensamento horrível


me atinja.

Depois que Jace espancou Tommy por machucar seu


irmão, ele foi arrastado para fora do campo em algemas.

Certamente a gravidade dos ferimentos de Tommy,


significaria acusações piores para Jace.

Royal hearts academy #1


— E Jace?

— Já te disse, — Oakley começa. — Meu pai cuidou disso.


Às vezes, ele é um idiota, mas é o melhor advogado de defesa
do estado. Jace foi libertado na noite passada. Ele está no
hospital, se você quiser passar por aqui e vê-lo.

— Não posso, — digo enquanto o ônibus para na estação.


— Eu... uh. Tenho uma coisa.

— Que tipo de coisa?

— Não é importante. Te informarei mais tarde esta noite.

— Hum... tudo bem. — Oakley diz inquieto. — Se precisar


de mim, me ligue.

— Eu ligo. Obrigada pela atualização sobre Cole. Estou


muito feliz que ele esteja bem.

— Eu também. — ele diz. — Me assustou muito. É seguro


dizer que nunca mais vou a outro jogo dele.

— Não foi sua culpa. Foi de Tommy.

Ele não cruzou a linha ontem à noite, ele a destruiu. Eu


tenho vergonha de já ter estado na dele.

— Sim, bem. Há uma boa razão para eu nunca ter gostado


daquele maldito saco de merda — Oakley cospe antes que ele
limpe a garganta. — Ah Merda. Tenho que ir. As enfermeiras
estão me dando olhares sujos, e perguntando se eu sou da
família.

Pego minha bolsa e saio do ônibus. — Falo com você mais


tarde.

— Calma, senhora. Cole é meu irmão de outra mãe. —


ouço Oakley gritar antes de desligar.

Royal hearts academy #1


Limpo minhas mãos suadas no meu jeans quando a porta
se abre, e o oficial de justiça traz meu pai para fora.

Considerando tudo, ele não parece muito terrível. Há


bolsas embaixo dos olhos, seu corpo esbelto está um pouco
mais fino e o macacão laranja parece errado, mas seus olhos
brilham com otimismo quando ele me vê.

Eu ofereço a ele um sorriso triste quando se senta do seu


lado do blindex, e pega o telefone.

Eu pego o do meu lado. — Você parece bem.

O seu sorriso não chega aos seus olhos. — Eu ia dizer a


mesma coisa para você. — Ele aponta para a minha cabeça.
— O que aconteceu com o azul?

— É contra o código de vestimenta da RHA, então tive que


me livrar dele.

Ele concorda com a cabeça. — Como estão as coisas?


Crystal me disse que você ainda está acertando um A, e que
fez uma amiga.

— Sawyer, — eu o informo. — E sim, ela é incrível. Tenho


sorte de tê-la.

Seus olhos enrugam nos cantos. — Olhe para isso - vocês


duas têm nomes de meninos.

Royal hearts academy #1


Não posso deixar de rir. A única coisa que meus pais
tinham em comum além do amor, era o gosto pela música.
Especificamente seu artista favorito, Bob Dylan.

Meu pai queria me chamar de Bob, se eu era ou não um


garoto, mas felizmente minha mãe insistiu em Dylan.

— Nós temos. — Olho em volta. Não há muitos visitantes.


— Como você está aqui?

— Estou bem. A comida é péssima e eles só nos deixam


sair uma hora por dia, mas poderia ser pior. — Ele olha para
os pés. — Às vezes me sinto sozinho.

Algo no meu peito desloca e estou prestes a prometer a ele


que vou visitar mais... até a próxima declaração.

— No entanto Savannah tem me visitado muito


ultimamente... mantendo meu ânimo para cima.

Sinto como se tivesse sido mergulhada em um tanque de


água gelada. — Eu pensei que ela queria um divórcio?

Um sorriso genuíno ilumina seu rosto. — Não, nós


resolvemos as coisas.

— Tem certeza de que é uma boa ideia? — Sentando no


meu assento, me aproximo do vidro. — Pai, ela é a razão de
você estar aqui.

Tristeza reveste seu rosto. — Não, tator tot. Não tenho


ninguém para culpar além de mim mesmo por essa bagunça.

Sou a favor das pessoas que assumem a responsabilidade


por suas ações, mas Savannah definitivamente desempenhou
um papel nisso.

— Eu estava lá, lembra? Ela estava sempre reclamando


sobre você não ganhar dinheiro suficiente, enquanto isso

Royal hearts academy #1


gastava quase todo centavo que você ganhava, enquanto ficava
sentada o dia inteiro. Ela colocou muita pressão em você... o
fez se sentir como se não fosse bom o suficiente. — Coloco
minha mão no vidro, esperando chegar até ele. — Ela estava
errada, pai. Você é bom o suficiente e não precisa dela.

Nós não precisamos dela.

— Savannah é uma boa mulher, — ele começa. — Ela-

— Mamãe foi um milhão de vezes melhor — digo, porque


alguém tem que fazê-lo ver a luz. — Mamãe nunca teria
pressionado você por nenhuma porcaria material, como
Savannah fez. Ela nunca faria você se sentir inútil. Mamãe te
amou. Savannah usa você. Grande diferença.

Por um instante, vejo a dor brilhando em seus olhos antes


que ele incline a cabeça. — Dá última vez que chequei, sua
mãe não voltou da sepultura em que a enterramos há dez
anos, Dylan. — Ele ergue o olhar para o meu. — Eu sei que
você e Savannah têm suas diferenças, mas vocês terão que
aprender a se dar bem.

Nunca. Eu nunca vou me dar bem com aquela bruxa


manipuladora. Ela pode beijar minha bunda magra. — Não.

— Ela está grávida. — Os olhos dele brilham. — Você


finalmente será uma irmã mais velha, tator tot. É por isso que
eu queria que me visitasse... para que eu pudesse lhe contar
pessoalmente.

Eu aperto meu peito. Não consigo respirar. Não posso...

— O quê? — A sala está girando. — Como isso é possível?


É quase dezembro. Você está aqui desde agosto.

— Ela está de quatro meses — ele diz devagar, como se eu


fosse estúpida.

Royal hearts academy #1


Isso pode ser verdade, mas meus sentidos estão me
dizendo que algo é muito suspeito sobre tudo isso. Eles estão
casados há anos, mas Savannah fica grávida... enquanto o
marido está na prisão.

Parece mais que ela foi emprenhada pelo primeiro cara


que encontrou, depois que meu pai foi preso, e esse cara, não
queria ficar por perto.

— Você não deve ser tão rápido em acreditar nela. — Eu


seguro seu olhar. — Faça um favor e faça um teste de
paternidade, antes de assumir a responsabilidade por esse
bebê.

A indignação cruza seu rosto. — Ela é minha esposa.

Frustração borbulha dentro de mim. — E eu sou sua filha.


— O encaro. — Algo que você sempre parece esquecer.

— Do que você está falando? Não fiz nada além de cuidar


de você todos esses anos.

Depositar dinheiro para o seu filho, não faz de você um


pai... apenas faz de você um doador.

Um pai de verdade constrói um relacionamento com seu


filho.

Um pai de verdade dedica tempo para nutrir e aprender


quem seu filho é como pessoa.

Um pai de verdade não deixa seu filho se sentir não


amado e indesejado por um único dia, e muito menos anos.

— Ao contrário de sua esposa, eu nunca quis seu


dinheiro. Tudo que sempre quis foi você. — Eu dou de
ombros, impotente. — Mas você não estava lá.

Royal hearts academy #1


Ele pisca. — Estou tendo problemas para entender
exatamente o que você está sugerindo.

Como sempre, ele não entende. Está muito embrulhado


em Savannah.

— Estou dizendo que tive um pai... e ele se foi.

— Isso não é verdade, — ele protesta. — Estive aqui a


vida toda.

— Sim, como um fantasma. Nós não conversamos. Você


não sabe minhas esperanças, meus sonhos, meus medos.
Inferno, você nem sabe minha cor favorita.

— Sim, eu sei. É rosa.

— É azul! — eu grito. — Rosa era a cor favorita da


mamãe.

Ele esfrega a mão no rosto e suspira. — Não sei o que você


quer que eu diga aqui, Dylan.

Nada.

Eu levanto. — Não diga nada. Assim como nos últimos dez


anos.

Não deveria ter que trabalhar tanto para que ele me


amasse.

Eu não deveria ter que lutar tanto para fazê-lo entender, o


quanto ele está me machucando.

— Sente-se.

Eu espeto o vidro com o dedo. — Não. Chega. Quer


continuar enterrando a cabeça na areia, enquanto Savannah
anda por cima de você? Seja meu convidado. Mas não vou
ficar por aqui. — Pego minha bolsa do balcão. — Parabéns

Royal hearts academy #1


pelo seu novo bebê. Espero que você não ignore esse e
estrague tudo, como fez comigo.

Com isso, eu me viro e saio.

Foda-se a esposa dele.

Foda-se seu novo bebê.

Foda-se ele.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Meu telefone toca pela terceira vez em quatro horas.

O nome de Sawyer pisca na tela, e eu pressiono o botão


ignorar novamente.

Assim que entrei pela porta da frente, disse à minha tia


que não me sentia bem, e não tinha intenção de conversar
sobre a visita com meu pai. Nunca.

Estou escondida no meu quarto desde então. Mal


segurando tudo junto.

Meu telefone vibra com um texto recebido:

Sawyer: Você não precisa conversar. Eu só quero que saiba


que estou aqui se precisar de mim.

A culpa pinica meu peito. Não é culpa de Sawyer que ele


seja um idiota.

Colocando o telefone no meu ouvido, eu ligo de volta.

Ela atende no primeiro toque. — Hey.

— Hey, — Eu sussurro. — Não estou te ignorando. Eu só


estou... estou com uma cabeça muito ruim agora.

Um pequeno empurrão na corda bamba e eu vou cair.

— Sinto muito. — Eu posso ouvir a hesitação na sua voz


antes que ela diga — Estava pensando em comer um fast food
à meia-noite, se você quiser ir.

Olho para o relógio na minha mesa de cabeceira. São


apenas dez e quarenta e cinco. — Ainda não é meia-noite.

Royal hearts academy #1


Ela ri. — Eu sei, mas estou tentando uma nova dieta esta
semana, e vou seriamente arrancar meu cabelo se não
conseguir um cheeseburger no meu sistema em breve.

É a minha vez de rir. — Acho que pelo seu cabelo lindo, eu


tenho que ir, não é?

— Sim. Confie em mim, não tenho estrutura óssea para


ficar careca. — Sua voz cai um pouco. — Não precisamos
conversar hoje, se você não quiser. Podemos apenas andar por
aí, nos deliciarmos com hambúrgueres gordurosos, e ouvir sua
música rock favorita.

— Parece perfeito para mim. — Eu me levanto da cama.


— Se importa se eu chamar Oak para ir junto? Ele me
mandou uma mensagem no caminho para casa da prisão, e
me disse que terminou com Hayley de vez. Ele provavelmente
poderia me pegar algo para se animar também.

— Wow…isso… Quero dizer, uma pessoa cega podia ver


isso vindo de uma milha de distância, mas sim. Diga a ele
para vir. Estarei lá em vinte minutos.

— Maravilhoso. Vejo você então. — digo antes de terminar


a ligação e mandar uma mensagem para Oakley.

Depois de colocar um par de Chucks e verificar meu


telefone, atravesso o corredor até o quarto de Oakley.

Bato quatro vezes, mas ele não responde, então vou para a
cozinha. Deus sabe que é o seu segundo quarto favorito em
casa. O primeiro é o porão.

Não há sinal dele.

Estou prestes a perguntar a minha tia e tio se o viram,


mas lembro que minha tia mencionou algo sobre ir a algum
tipo de leilão de caridade hoje à noite.

Royal hearts academy #1


Levantando meu telefone no ouvido, ligo para o celular
dele. Sou preguiçosa e não quero andar até o térreo e voltar se
ele não estiver lá.

Toca algumas vezes antes de ir para o correio de voz.

Humm.

Uma sensação estranha aperta meu intestino quando eu


viro a maçaneta para o porão. Espero que ele não tenha tido
uma convulsão.

Desço as escadas, mas paro cambaleando quando ouço


vozes.

— Sinto sua falta. — Oakley diz, seu discurso arrastado.

Eu reviro meus olhos. Aqui vamos nós novamente. Outra


rodada no trem Hayley.

Estou prestes a subir as escadas, mas a próxima voz que


ouço me interrompe.

— Eu já disse, acabou. Não podemos continuar fazendo


isso.

Balanço a cabeça, convencida de que estou ouvindo


coisas.

— Está me matando, — diz Oakley, sua voz cheia de


emoção. — Eu não aguento.

São as mesmas palavras que ele me disse, na noite em que


o encontrei bêbado no andar de cima da casa de Christian.

Oh, meu Deus. Oakley não estava me beijando... ele


pensou que eu era ela.

— Sinto muito por machucá-lo, — diz minha tia. — Mas


eu amo meu marido.

Royal hearts academy #1


Bile trabalha na minha garganta. Não. Não tem como isso
acontecer.

— Você e eu sabemos que isso não é verdade. — Oakley


resmunga. — Apenas está com medo de perder seu caixa
eletrônico.

— Como você ousa. Sabe que eu não sou assim.

— Então prove! — diz Oakley. — Fuja comigo. Assim


como conversamos.

Eu tenho que cobrir minha boca para não ofegar.

— Você está fora de si.

— Não. — ele objeta. — Pela primeira vez, finalmente


estou pensando com clareza.

Não há nada além do som de ofegos e depois — Temos que


ser rápidos. Wayne estará em casa a qualquer momento.

— Bom. Quero que ele veja o quão bem eu fodi a sua


esposa, enquanto ele estava fora. — Minha tia geme quando
os sons de pele batendo juntas assaltam meus ouvidos. —
Mostrar-lhe o quanto ela adora levar o pau do seu filho.

A sala gira e eu pego o corrimão para não cair.

Isso tem que ser um erro. Eu conheço minha tia. Ela


nunca faria algo assim. É uma boa pessoa. Nunca trairia o
marido, ou usaria o enteado adolescente para se satisfazer.

Não, eu não acredito nisso. Me recuso. Balançando a


cabeça, desço as escadas na ponta dos pés.

Isso é uma piada doentia.

Uma estúpida, doente...

Royal hearts academy #1


Meu estômago revira quando Oakley se dirigi furiosamente
em minha tia, que está inclinada sobre o sofá, gemendo seu
nome.

Eles gostam tanto do que estão fazendo que nem me vêem.

Minha mente quer rejeitar a cena inteira enquanto subo as


escadas e fecho a porta atrás de mim. Mas eu não posso. Isso é
real demais. Muito cru. Muito-

— Hey, Dylan. — Wayne me cumprimenta enquanto entra


pela porta da frente. — Sua tia está lá em cima?

— Minha tia? — eu chio.

— Sim, tentei ligar para ela no meu caminho para casa,


depois da audiência, para ver se precisava de alguma coisa,
mas ela não respondeu.

— Oh? — É como se meu cérebro não pudesse formar um


pensamento coeso para salvar minha vida.

— Sim, da última vez que conversamos, ela disse que


ainda não estava se sentindo bem. — Ele sorri. — Entre eu e
você, acho que o enjôo matinal a está atingindo.

Meu coração para. — Enjôo matinal?

Ele encolhe os ombros. — Sim, quero dizer, ainda não o


confirmamos oficialmente, mas ela está doente há quase uma
semana.

Oh... ela está doente, com certeza!

E eu também. Náusea me atinge com uma força tão forte,


que minha respiração engata. Ela está destruindo toda a
família... assim como meu pai.

— Whoa, criança. Você está bem?

Royal hearts academy #1


Não. Não, eu não estou.

Vou cambaleando até a porta da frente como uma pessoa


bêbada. — Eu, uh. Preciso de um pouco de ar.

No segundo em que meus pés batem no capacho, grandes


e feias lágrimas rolam pelo meu rosto, refletindo a tempestade
lá fora.

É nela que eu busco conselhos. O único adulto que me


restava para admirar.

O último pedaço bom da minha mãe.

Estou sozinha agora. Eu não tenho mais uma família. Não


tenho...

Algo dentro de mim estala e saio correndo como um


morcego no inferno... acelerando em direção à única pessoa no
mundo que entenderá.

A única pessoa que pode fazer melhorar.

O único que pode me recompor novamente.

Royal hearts academy #1


JACE

Faço uma pausa quando passo por Cole na escada.


Vestido com sua jaqueta, e as chaves do carro em sua mão.

— Onde você vai?

Ele encolhe os ombros. — É sábado à noite.

Sobre meu corpo morto, que ele ficará bêbado na festa de


Christian. Inferno, não deveria nem dirigir por mais algumas
horas. Especialmente neste clima louco de merda. Raramente
temos tempestades aqui, e esta é a segunda em um mês.

— Você recebeu alta há três horas. Fique em casa.

Ele me dá um olhar. — O pai não tem problemas com isso.

Nenhuma surpresa nisso. No segundo em que ele ouviu


que os ferimentos de Cole não eram terríveis, voltou ao
escritório e está lá desde então.

Também estou disposto a apostar que Cole nem


perguntou a ele, e está apenas tentando me irritar.

— Bem. Da próxima vez que precisar de algo, pergunte ao


doador de esperma.

Eu passo por ele, mas Cole me para. — Eu vou ficar em


casa.

Dou-lhe um breve aceno de cabeça. — Boa escolha.

Ele aperta a nuca. — Olha, eu sei que não conversamos


sobre isso no hospital, mas o que você fez-

— Não preciso de um obrigado.

Royal hearts academy #1


Ele é meu irmãozinho. Perseguir a pessoa que o machucou
- especialmente aquele filho da puta - nem era um
pensamento, era um instinto.

Se os vikings não me tirassem dele quando o fizeram, eu


ainda estaria sentado em uma cela... perdendo vinte anos de
vida.

A expressão de Cole é desconfortável quando ele enfia as


mãos nos bolsos. — Acho que o que estou tentando dizer é...
eu teria feito o mesmo por você.

Eu levanto uma sobrancelha. — Realmente?

Meu irmão não tem escrúpulos em ser egoísta. Só porque


estou cuidando de suas costas, não significa que espero que
ele cuide das minhas.

Eu luto minhas próprias batalhas.

— Eu não sei, talvez. — Sorrindo, ele encolhe os ombros.


— É a intenção que conta, certo?

Meus lábios se contraem. — Idiota.

— Nunca afirmei que não era. — Sua expressão fica séria.


— Eu sei que não dizemos... mas... — a voz dele diminui.

Essa conversa é oficialmente estranha pra caralho, mas


entendo o que ele quer dizer. — Sim. Idem.

Se Cole ou Bianca acham que eu não irei até os confins da


terra e os protegerei de volta, eles estão completamente
errados.

Ele solta um suspiro. — Agora que tiramos isso do


caminho, quer jogar Black Ops?

— Wow, você realmente me ama se está disposto a jogar...

Royal hearts academy #1


Um barulho alto contra a casa me interrompe no meio da
frase.

— O que foi isso?

Ele levanta um ombro. — Uma batida. Provavelmente a


tempestade.

— Sim, você está provavelmente...

Outro baque, muito mais alto do que antes, nos fez subir
as escadas.

— Bianca? — eu grito.

Ela sai do quarto quando chegamos ao corredor. — O quê?

— Você está bem?

Ela olha para mim como se tivesse brotado outra cabeça.


— Por que não estaria?

— Você não ouviu isso? — pergunta Cole.

Ela faz uma careta. — Sim, mas achei que vocês, idiotas,
deixaram cair alguma coisa. — Ela aponta para a porta. —
Agora posso ir-

O som de cacos de vidro nos faz correr pelo corredor.

Pensando rápido, agarro o braço de Bianca e a puxo de


volta. — Fique aqui.

— Sério?

Juro que a única ambição dessa garota na vida, é me dar


um ataque cardíaco antes dos vinte anos.

O olhar que dou a ela deve deixar claro para não me


pressionar, porque ela cede.

Royal hearts academy #1


— É a sua janela, Jace! — grita Cole.

Eu murmuro uma maldição quando entro no meu quarto,


vendo o vidro no chão, a pedra grande e a janela quebrada.
Merda está certa.

Cole esfrega o queixo. — Acha que foi Tommy?

— Duvidoso.

Não só o filho da puta ficou sem rodas, como também sem


pernas.

Bem, pelo menos uma delas.

Cole pega a próxima pedra que entra voando pela minha


janela agora quebrada. — Bem, quem quer que seja ele, ainda
está lá fora. — Ele bate a mão. — E tem um braço assassino.

Pego a manga da sua camisa quando ele dá um passo à


frente. — Não.

A última coisa que ele precisa, é uma pedra batendo na


sua cabeça e desenvolvendo outra concussão.

Eu atravesso o quarto em direção à minha janela,


perdendo por pouco a próxima pedra. — Ei, idio...

Eu congelo quando vejo Dylan. Embora esteja tendo


dificuldade para acreditar que é ela, porque ela está...
destruída.

Posso contar com uma mão o número de vezes que a vi


chorar assim. Porque ela não chora.

— Merda.

Sem pensar, saio do meu quarto.

Royal hearts academy #1


Quando eu a alcanço, ela se dobrou no meu gramado
diante da chuva, arranhando a grama e arfando.

Algo no meu peito desloca. Quero encontrar quem é o


responsável por isso, e reduzi-los a pó. Não, pior.

Muito. Pior.

— O quê-

— Que porra? — Cole diz atrás de mim, tirando as


palavras da minha boca.

— Que diabos ela está fazendo aqui? — Bianca se encaixa


diante de seus olhos, encarando Dylan. — Você não podia
simplesmente bater na porta, como uma pessoa normal,
vadia?

Eu me viro para enfrentá-los. — Vão para dentro. Vocês


dois... Agora! — Eu grito quando eles não se mexem.

Bianca quer protestar, como sempre, mas Cole segura o


seu antebraço e a leva para dentro.

Concentro minha atenção de volta em Dylan.

— Hey. — Eu me aproximo dela como se fosse uma


bomba. Com cuidado. — O que aconteceu?

Ela não responde. Não pode.

A menina está tão fora de si, seu pequeno corpo está


tremendo com a força de seus soluços.

Eu nunca vi alguém tão machucado.

Não desde...

Colocando a bola de dor no chão, coloco minha mão nas


suas costas. Suas roupas estão encharcadas.

Royal hearts academy #1


A temperatura mal ultrapassa dezoito graus, e venta
muito. Nesse ritmo ela sofrerá de pneumonia, antes de poder
me dizer o que está errado.

Envolvendo um braço em volta de sua cintura, eu a puxo


para meus braços.

Ela enterra a cabeça no meu peito, segurando minha


camisa pela sua vida.

— Respire, baby. Eu peguei você. — Com o coração cheio


de chumbo, a carrego para dentro.

Passei os últimos quatro anos ansiando pela oportunidade


de destruir a vida dessa garota, para que eu pudesse vê-la
quebrar.

Quem sabia que o sucesso teria um gosto tão amargo,


porra.

Minha janela está coberta com um pedaço grande de


papelão, e Cole está varrendo o vidro em uma pá de lixo,
quando eu entro no meu quarto.

— Obrigado.

Ele continua varrendo. — Eu te devia uma. Achei que isso


era o mínimo que poderia fazer.

Começo a depositar Dylan na minha cama, mas ela prende


os braços em volta do meu pescoço e trava as pernas em volta
da minha cintura.

— Preciso encontrar roupas para você. — digo a ela, mas


isso só a faz apertar ainda mais.

Royal hearts academy #1


— Posso pedir a Bianca que empreste alguma. — sugere
Cole.

Sim, isso vai funcionar como um peido na igreja.

— Não. Eu dou um jeito.

Carregando uma Dylan perturbada, vou para minha


cômoda. Puxo um moletom e uma calça de pijama de amarrar.

Eles ficarão muito grandes nela, mas é o melhor que posso


fazer.

Chegando entre nós, começo a desabotoar o jeans de


Dylan, mas meus olhos pousam em Cole. — Um pouco de
privacidade.

Ele balança as sobrancelhas. — Eu ouvi você alto e claro,


irmão.

Sim, porque garotas emocionalmente instáveis são tão


excitantes.

A porta se fecha e eu me sento na minha cama.

Ela ainda está chorando e tremendo, então me sinto um


merda, quando tenho que arrancar seu aperto mortal do meu
pescoço, mas não tenho escolha. Eu preciso colocar roupas
secas nela.

Seus dentes começam a bater quando tiro sua blusa.

— Eu sei, — digo enquanto coloco a nova sobre a sua


cabeça. — Vamos colocar você debaixo das cobertas, e aquecer
em breve.

Cristo. Eu não sei quem é esse cara que se importa com a


garota que ele deveria odiar, como se ela fosse a coisa mais
preciosa do mundo…

Royal hearts academy #1


Na verdade, sei sim.

Sou eu... cerca de quatro anos atrás.

De volta a quando a garota chorando nos meus braços,


era minha melhor amiga.

Meu tudo.

Forçando meu pau a não reagir, a levanto e deslizo seu


jeans pelos quadris. Então coloco a calça do pijama nela e
amarro o cordão com força para que não caia.

— Você vai me contar o que aconteceu?

Quem estarei chutando?

Qual vida vou ter que destruir?

O sangue de quem estará em minhas malditas mãos, por


ser estúpido o suficiente para machucá-la.

— Meu pai, — ela sussurra.

— Eu pensei-

— Savannah... o bebê.

Oh merda.

Estou começando a ter uma imagem, até que ela engasgue


— Oakley... minha tia Crystal... você. — O som gutural que
ela faz passa direto por mim como uma bala. — Tudo está tão
fodido. Eu não posso... eu não posso…

Os músculos do meu peito se contraem. Nossos demônios


são quase idênticos, e está claro que os dela estão causando
estragos agora.

Pela primeira vez, Dylan não pode combatê-los por conta


própria.

Royal hearts academy #1


Envolvendo meus braços em volta dela, a puxo para perto.
— Está tudo bem. Você não precisa.

Eu vou lutar essa batalha por você.

Royal hearts academy #1


DYLAN

O som do trovão me acorda com um sobressalto, mas


braços fortes me seguram com mais força.

Jace.

Eu reconheceria o toque dele em qualquer lugar.

É como um cobertor quente em volta de mim, no meio de


uma tempestade de neve. Mantendo-me segura e quente.

— É apenas um trovão. — ele sussurra contra a minha


têmpora.

Virando na cama, o encaro. — Há quanto tempo eu estou


dormindo?

— Três horas e dezessete minutos.

— Wow, isso é… preciso.

A ponta do seu polegar traça minha mandíbula. — Como


você está?

Ele está me olhando com tanta preocupação, que temo


que meu coração possa explodir direto do meu peito.

— Melhor.

Por causa dele.

Depois que eu corri para cá como um psicopata durante


um colapso, Jace cuidou de mim.

Não... mais que isso.

Royal hearts academy #1


Ele ouviu sem julgamento enquanto eu soltava tudo o que
tenho guardado por dentro.

Meus problemas. Meus medos. Minha dor.

E então ele me segurou enquanto eu chorava até dormir.

Seus olhos analisam meu rosto. — Você deveria descansar


um pouco mais.

Estou prestes a ceder, porque a exaustão que percorre


meu corpo, me faz sentir como se eu pudesse dormir por
semanas e ainda não seria suficiente, mas então lembro.

Eu levanto. — Oh meu Deus, Sawyer. Íamos-

— Relaxe. — Ele acena para o meu telefone na mesa de


cabeceira. — Seu telefone continuou tocando, então eu atendi.
E disse a Sawyer que você estava passando por uma merda, e
ficaria a noite aqui.

Oh. — Como foi essa conversa?

Diversão reveste seu rosto. — Depois de pedir provas


fotográficas para comprovar que você estava segura, ela
ameaçou usar uma serra elétrica para as minhas bolas e as do
meu irmão, se não devolvesse você em uma só peça.

Essa é a minha garota. — Eu ligo para ela de manhã. —


Náuseas se acumulam em mim. — Provavelmente deveria
contar para minha tia traidora e papa anjo, que estou aqui.

Passando um braço pela minha cintura, ele me coloca de


volta em sua cama. — Não precisa. Eu disse a Oak para cobrir
por você, e dizer que está passando a noite na casa de Sawyer.

— Oh.

Royal hearts academy #1


Está na ponta da minha língua perguntar se ele disse a
Oakley o que eu vi, mas não posso sem a bile subindo no meu
esôfago.

— Eu… uh… — Minha voz treme com a ameaça de


lágrimas e a limpo. — Não sei por que estou sendo tão
dramática com isso. É apenas…

— Alguém que você amava cometeu um erro. — Sinto os


músculos do corpo dele se apertarem. — Um que mudou
permanentemente quem eles eram aos seus olhos.

É exatamente isso. — Não sei como superar isso. Entre ela


e meu pai…

— Eu sei. Entendi. — Ele se ergue sobre o cotovelo e me


encara. — Pelo menos eu pensei que sim.

Levantando minha mão, traço a curva de sua sobrancelha.


— O que você quer dizer?

— Talvez tudo não seja tão absoluto, sabe? — ele exala


bruscamente. — Eu costumava acreditar que tudo era preto e
branco... certo e errado. Mas agora estou começando a pensar,
que as pessoas podem não ser a soma de suas maiores
realizações... ou seus piores erros. — Ele engole em seco. —
Talvez alguém possa fazer a coisa mais cruel que se possa
imaginar... e de alguma forma... ainda ser uma boa pessoa por
baixo.

Penso nisso por um momento e percebo que ele tem razão.


Minha tia fez algo horrível, mas ainda é minha tia.

Ela ainda é quem dirigiu quatro horas para me ver,


quando eu menstruei pela primeira vez, e depois me levou
para o meu primeiro show para comemorar. A mulher que me
levou para comprar meu primeiro sutiã. A pessoa que nem

Royal hearts academy #1


sequer hesitou em me receber, quando meu pai acabou na
prisão.

— O ruim nem sempre apaga o bom. — eu sussurro.

— Não. — Seus olhos se voltaram para os meus. — Eu


acho que isso se mistura.

Meio que como o céu. As nuvens estão no caminho, mas


isso não torna o azul menos bonito.

Infelizmente, o conceito de Jace não se aplica a todos.

— Talvez eu possa salvar o relacionamento com minha tia,


mas não posso dizer o mesmo para meu pai. Dói demais. —
As lágrimas brotando nos meus olhos derramam pelos lados
do meu rosto. — Ele não me quer, Jace. Ele parou de me amar
no dia em que ela morreu.

Eu me forço a respirar e tento me acalmar, mas não


adianta. Eu me desenterrei do ventre da besta.

A constatação fria e cruel, de que você não é amado pela


pessoa que mais deveria te amar, é o pior sentimento do
mundo.

Meu peito se agita e torna-se uma luta para respirar. —


Às vezes não tenho certeza se qualquer um me ama-

A boca dele está na minha tão rápido, que estou sem


fôlego.

A posse em seu beijo é absoluta... como se ele tivesse um


ponto a provar.

E meu coração está tão esfarrapado e carente por ele, que


o absorvo como uma esponja. Envolvendo meus braços em
torno de seu pescoço, eu o puxo para mais perto.

Royal hearts academy #1


Separo minhas coxas e ele se instala entre elas.
Instantaneamente, a sensação no meu peito aumenta um
pouco, passando de suave e necessitado, a urgente e frenético.

Eu preciso disso... preciso tanto dele, que estou disposta a


me colocar novamente, direto na linha de fogo.

Levantando minha pélvis, eu moo contra ele, tirando-lhe


um gemido. Posso sentir o quanto ele me quer, e o quero
igualmente, se não mais.

Nós olhamos um para o outro, ambos ofegando antes que


nossos lábios se encontrem novamente. Nosso beijo cresce
com uma fome que tudo consome, como um foguete logo antes
da decolagem.

Minhas mãos puxam o tecido de sua camiseta, há muita


roupa entre nós. — Eu preciso disso fora.

Quebrando o beijo, ele chega atrás dele e puxa a camisa


por cima da cabeça.

Mas não é bom o suficiente para mim. Eu preciso de mais.

Seus lábios descem até chegarem ao longo do meu


pescoço, mas não chupa, ele morde e lambe minha carne até
que eu esteja arranhando seus ombros. — Mais.

É a única palavra que sou capaz de dizer neste momento.

Alcançando a barra da minha blusa, a tiro e a jogo através


do quarto. Meu sutiã segue rapidamente, cortesia de Jace.

Seus olhos estão encobertos enquanto ele olha para os


meus seios, e meu interior se agita quando sua boca
mergulha, apenas pairando sobre o meu mamilo. Ele brinca e
me provoca com sua respiração na minha pele, até que
finalmente seus lábios se separam e me chupa com puxões
gananciosos.

Royal hearts academy #1


Eu acaricio seu pescoço quando ele se move para o outro,
e o esbanja com a mesma atenção. — Isso é tão bom.

— Está prestes a ficar ainda melhor. — ele rosna,


abaixando-se pelo meu corpo.

O calor surge através de mim, quando ele beija o local


embaixo do meu umbigo, e desata o cordão da minha calça.

Levanto meus quadris e ele os puxa, junto com minha


calcinha.

Ele sorri timidamente enquanto seu olhar se concentra em


onde estou molhada e dolorida, como se soubesse que o que
está prestes a fazer, vai me tirar absolutamente da minha
cabeça.

Eu suspiro quando sua cabeça desaparece entre as


minhas coxas e ele planta beijos quentes, desleixados e de
boca aberta para cima e para baixo na minha fenda.

Meus dedos do pé enrolam e me mexo com a necessidade.

— Jace, por favor. — imploro quando não aguento mais.

Sua cabeça se levanta e ele coloca o dedo sobre os lábios,


lembrando-me de ficar quieta porque seus irmãos estão no
final do corredor.

Oh Deus. Não faço ideia de como devo ficar calada


quando…

Bato uma mão na minha boca enquanto dedos longos me


abrem e sua língua me lambe em um frenesi impotente.

Olho para baixo e vejo que ele está me encarando. O calor


rodando em suas esferas escuras, queima minha pele
enquanto ele chupa meu clitóris, e desliza um dedo para
dentro.

Royal hearts academy #1


Contorcendo-me, mordo minha mão porque meu orgasmo
está próximo e não posso emitir nenhum som.

Enfio meus quadris em sua boca, enquanto ele


implacavelmente, extrai cada grama de prazer do meu corpo,
até que eu esteja tremendo e espasmódica.

Mal tenho chance de recuperar o fôlego, antes que ele


suba no meu corpo, e ataque meus lábios.

A luxúria corre através de mim, quando ele mói contra o


meu núcleo, atingindo todos os lugares certos. Eu arqueio
minhas costas, silenciosamente implorando por mais.

As pontas de seus dedos pressionam minha mandíbula e


ele procura meu rosto, como se estivesse buscando permissão.

Eu concordo. Ele já tem meu coração, se quer meu corpo e


todos os meus fragmentos fodidos também, terei prazer em
entregá-los.

Deus sabe que eu quero que cada pedaço irregular que


Jace Covington tenha. Não me importo com o quão afiados e
profundos serão os cortes.

Inclinando a cabeça, ele mapeia beijos na minha garganta


enquanto alcança a mesa de cabeceira em busca de um
preservativo. — Abra suas pernas para mim, baby.

Eu faço, sem hesitação.

Ajoelhado no espaço aberto entre elas, ele tira a calça de


moletom. A antecipação inunda minhas veias quando seu
pênis se liberta, longo e grosso. Ele se contrai e pulsa quando
rasga o pacote de papel alumínio.

Um grunhido baixo e estrangulado o deixa, quando eu


envolvo minha mão em seu comprimento, dando-lhe um golpe
leve. Cada parte dele é perfeita. Meu pulso bate nos meus

Royal hearts academy #1


ouvidos enquanto giro o fluido vazando de sua ponta com o
polegar, antes de pegar a camisinha e desenrolar.

Suas narinas se abrem em um suspiro, enquanto se


instala entre as minhas coxas abertas, alinhando-se com a
minha entrada.

Meu sangue acelera e coloco minha mão em seu coração.


Está batendo tão rápido quanto o meu.

O espaço entre nós se aperta e bloqueamos os olhares.


Gentilmente, ele levanta minha bunda e angula seus quadris,
lentamente guiando seu pau dentro de mim.

Ele é tão grande que quase dói, quando me alongo para


acomodá-lo.

Um gemido se aloja na minha garganta quando ele


avança, me enchendo ao máximo. Já fiz sexo algumas vezes
antes, mas isso é diferente de tudo que já experimentei.

Seus olhos se fecham e os músculos de suas costas


ondulam quando se afasta e empurra de volta.

— Cristo, — ele geme baixo e profundo. — Você é tão


malditamente apertada. — Suas sobrancelhas se apertam. —
Eu posso ir devagar-

Abrindo minhas coxas, sussurro — Não.

Mordo um gemido enquanto ele se move mais rápido. Me


fodendo com movimentos rápidos e constantes.

Sua boca encontra a minha, e ele me dá um beijo lento e


lânguido. — Você se sente tão malditamente bem.

Eu? Isso é tudo ele. Toda vez que ele se move, um arrepio
de prazer corre através de mim.

Royal hearts academy #1


Eu nunca soube que poderia ser assim. Quero fazer sexo
com Jace Covington a cada segundo de cada dia, daqui em
diante.

Um som incoerente me deixa quando ele empurra


novamente, quente e forte.

— Oh, Deus. Não pare. — Minha voz está fraca,


desesperada.

Segurando a cabeceira da cama com uma mão, ele acelera


o ritmo, trabalhando-me tão bem que tenho que morder seu
ombro para evitar gritar.

Seus olhos travam nos meus, e algo passa em seu olhar. É


como se estivesse memorizando cada momento disso. Ele não
é o único.

A tensão no meu núcleo aperta, e minha respiração se


torna superficial quando ele chega entre nós, e esfrega meu
clitóris.

A sensação é tão intensa que meu corpo vibra. — Eu-

Não consigo falar... inferno, nem consigo me mexer. Estou


longe demais.

A bobina de pressão se rompe, e o prazer bate em mim tão


rápido e duro, que eu juro que vejo estrelas reais.

Ele acaricia o vão da minha garganta enquanto eu o


aperto e aperto. — É isso, baby. — Estremecendo, ele
empurra mais forte, tirando meu orgasmo de mim. — Jesus
Cristo.

Minhas pernas tremem e me agarro a seus ombros


enquanto a onda final percorre meu corpo.

Royal hearts academy #1


Segurando minha nuca, ele me mantém firme enquanto
bombeia em mim com força e rapidez, uma última vez. Seu
pau pulsa e um grunhido baixo e estrangulado o escapa,
quando um tremor violento percorre seu corpo.

Minhas mãos deslizam por suas costas enquanto nós dois


recuperamos o fôlego.

Emoção entope minha garganta, quando pego o olhar


dolorido em seu rosto, e a tempestade se formando em seus
olhos.

Oh. Deus. Ele está se arrependendo disso. Assim como da


última vez.

Eu começo a me mover, mas ele me interrompe. — Fique.

Minha vulnerabilidade deve ser palpável, porque ele se


move e me puxa para seus braços.

Eu me aconchego mais perto, pressionando minha


bochecha em seu peito enquanto seus dedos traçam a curva
das minhas costas.

— Eu amo você, — sussurro.

Sempre amei. Sempre amarei.

Quando olho para cima, seus olhos estão fechados. O som


suave e constante de sua respiração, me diz que ele já está
dormindo profundamente.

Inclinando minha cabeça, planto um beijo carinhoso em


seu peito.

Não demora muito para que o som do seu coração


batendo, me leve a dormir.

Royal hearts academy #1


JACE

Passado…

Eu tenho que contar a verdade a ele.

Quanto mais esperar, pior ficará.

Quanto mais demorar, mais ele vai me odiar.

Estalando meus dedos, respiro fundo.

Eu preciso sair desse armário e acabar logo com isso.


Acabar com essa merda como quem tira um Band-Aid, para
que possamos lidar com isso, e seguir em frente.

Mente feita. Giro a maçaneta e saio.

Dylan disse que ele estava dançando com Heather, então


talvez ele…

Não. Sem chance.

Liam está apaixonado por Dylan, desde o segundo em que


ele a viu.

Eu juro que era como nada que já vi antes. Ele estava a


um segundo de se transformar em um desenho animado com
passarinhos circulando sua maldita cabeça.

Não dava a mínima na época, Dylan era minha melhor


amiga, e eu ainda achava que a maioria das meninas era
irritante e tinha piolhos.

Royal hearts academy #1


Mas então o mesmo inseto que o mordeu, virou-se e soltou
seu veneno em minhas veias.

A partir desse momento, tudo mudou.

Dylan Taylor não era mais destinada a ser minha melhor


amiga... ela era destinada a ser meu tudo.

O problema era que Liam já havia apostado sua


reivindicação.

Não importava que ela fosse tecnicamente minha primeiro.

Imaginei que ele iria superar sua paixão e seguir em


frente, mas nunca conseguiu. Na verdade, seus sentimentos
por ela continuaram a crescer.

Junto com os meus.

Tentei contar a ele várias vezes, mas não consegui


expressar as palavras.

Talvez se Liam fosse um idiota como Cole - ou eu, nesse


caso - teria sido mais fácil.

Mas ele não é. Ele é sensível e compassivo. O tipo de


pessoa que lhe daria a sua única camisa, se você precisasse.

A vida já havia lhe dado um acordo de merda entre sua


gagueira, causada pela ansiedade de estar no acidente que
matou nossa mãe, algumas cicatrizes faciais do acidente e os
surtos de depressão, que ele tenta esconder de todos nós.

Assim como nossa mãe.

Mas toda vez que ele via Dylan, dizia que era como se o sol
estivesse finalmente brilhando para ele.

Como seu irmão e amigo, eu me recusei a ser o único a


rasgar isso.

Royal hearts academy #1


Não importa o quanto eu a queria, não poderia fazer isso
com ele.

Durante anos, eu ignorei meus sentimentos, e fingi que


eles não existiam.

Até o dia em que ela me desafiou a beijá-la.

E confirmou meu maior desejo e pior medo.

Ela também tinha sentimentos por mim.

Só espero que Liam entenda, porque essa coisa entre


nós... é muito poderosa para ignorar.

Sinto a mudança no momento em que volto para o ginásio.


Algo está errado.

As pessoas estão olhando, algumas estão sussurrando...


outras estão rindo.

E não há sinal de Liam.

Pego Cole na minha visão periférica e o agarro. — Cadê o


Liam?

Ele encolhe os ombros. — O que eu sou, o guardião dele?

Não, mas como o mais velho, eu sou. E agora, há um tijolo


no meu estômago do tamanho do Texas.

— Cole — eu cerro os dentes.

— Ele correu para casa chorando como uma putinha.

— Por quê?

Uma pitada de simpatia brilha em seus olhos. — Não


tenho certeza. Tommy e Liam deixaram o ginásio por alguns
minutos. Quando eles voltaram, Liam estava chorando e

Royal hearts academy #1


Tommy estava sorrindo como um gato que comeu um peixe
dourado.

— Merda.

— Fica pior. — Ele estremece. — Tommy começou a


apontar e rir dele. Chamando-o de viadinho arrogante. Logo,
logo todos os outros se juntaram. — Ele desvia o olhar. —
Liam tentou se defender, mas ficou tão chateado que-

— Ficou preso na primeira palavra.

Ele bufa. — Mais como na primeira letra. Foi muito brutal,


até eu me senti mal por ele.

Não mal o suficiente para intervir, e fazer qualquer coisa a


respeito.

Mas não tenho tempo para me preocupar com o péssimo


relacionamento de Cole e Liam. Eu tenho coisas mais
importantes para cuidar.

A raiva me ilumina como um inferno e eu procuro Tommy


no ginásio. — Onde diabos ele está?

Vou enfiar o punho na sua garganta e arrancar sua


maldita língua, para que ele nunca mais possa falar merda
sobre Liam.

— Não tenho certeza. Eu o vi sair alguns minutos depois


de Liam.

Eu verifico meu relógio. — O pai não estará aqui por mais


meia hora.

Se chegar aqui, é claro. Na maioria das vezes, ele ainda


está trabalhando em seu escritório, e é mais fácil caminhar
vinte minutos até nossa casa, do que esperar que se lembre
dos filhos.

Royal hearts academy #1


— Eu vou para casa.

Cole assente. — Divirta-se. Eu vou encontrar Hay-

Eu seguro sua jaqueta. — A porra que você vai.

O aborrecimento distorce seus traços. — Este não é o meu


problema. Por que eu tenho que-

— Porque você também é irmão dele. — Eu o empurro. —


Comece a agir como um, idiota.

— Bem. Tanto faz. — Ele olha para Hayley e suspira. —


Vamos.

Chegamos em casa em quinze minutos.

Bianca está sentada no sofá pintando as unhas. Como não


vejo sinais da Sra. Garcia - a babá que meu pai contrata nas
raras ocasiões em que eu e meus irmãos não estamos por
perto - presumo que Liam esteja em casa.

— Liam está tão bravo com você. — Bianca diz quando


nos vê.

Cole e eu trocamos um olhar.

— Não é minha culpa que ele tenha acabado o baile


chorando — diz Cole com uma careta. — O responsável foi
Tommy DaSilva.

Considerando que Cole não o defendeu hoje à noite, Liam


tem o direito de ficar chateado com ele.

— Você não. — Ela olha para mim. — Você.

— Eu? — Isso não faz sentido. — Ele disse o porquê?

Royal hearts academy #1


Ela pensa nisso por um momento antes de responder, —
Não. — Sorrindo, ela olha para o teto. — Mas ele me
perguntou onde estava o bastão.

Como se fosse uma sugestão, há um barulho alto no


andar de cima.

Cole assobia. — Vou adivinhar e dizer que você o apontou


na direção certa.

Bianca sopra as unhas. — Duh.

— Muito obrigado.

Subo as escadas dois degraus de cada vez.

Cole segue atrás de mim. — O que você fez?

— Eu não faço ideia.

— Nunca o vi tão bravo antes. — Bianca sussurra.

Cole e eu nos viramos. — Desça as escadas.

Fazendo beicinho, ela desce a escada. — Espero que Liam


acerte uma tacada nas suas bolas.

Ótimo. Outro irmão que consegui marcar esta noite.

Estilhaços de vidro atacam meus ouvidos quando abro a


porta do quarto.

Meu estômago cai quando vejo minha tela do computador


quebrada. — Que diabos você está fazendo?

Bastão na mão, aqueles olhos verdes zangados giram para


mim. — T-t-tomando a-a-algo que você a-a-ama. — Ele
balança novamente, atacando a CPU desta vez. — T-t-talvez a-
a-agora v-v-você s-s-saiba c-c-como eu me s-s-sinto.

Royal hearts academy #1


Jesus Cristo. — Não faço ideia do que você está falando.
Eu não tirei nada de....

— Dylan! — ele ferve, passando para o meu Xbox. Várias


peças de plástico e metal voam pela sala. — Eu v-vi v-vocês d-
d-dois se b-b-b-beijando no a-a-a-rmário.

Merda. Como eu começo a explicar isso?

Fácil... não posso.

— Já era hora. — diz Cole, sem ajudar.

— C-c-cala a b-b-boca!! — Liam grita, sua voz falhando.

Cole levanta as mãos. — Mano, você está agindo como um


psicopata. Coloque o bastão no chão.

— N-n-não. — Ele atinge a pilha dos meus videogames


mais premiados a seguir. — V-v-você s-s-sabia q-q-quanto eu
a a-a-amava.

Ele tem razão. Eu sabia.

Meu peito parece que é feito de chumbo. — Como você


descobriu?

Dylan me disse que ele estava dançando com Heather, não


havia como ele saber que estávamos lá.

— Eu j-j-já te d-d-disse, i-i-idiota. Eu v-v-vi.

— Como você sabia que estávamos no armário? — As


palavras de Cole anteriores detonam meu cérebro. Tommy. —
Droga.

Ele esmaga minha televisão em seguida. — T-t-tommy m-


m-me disse que v-vocês esta-tavam s-s-se e-e-esgueirando p-
p-elas minhas c-c-costas. Eu não a-a-acreditei nele, mas ele d-
d-disse que po-p-poderia p-p-provar.

Royal hearts academy #1


Como ele soube?

Não importa. A única coisa que importa agora, é que Liam


acha que eu o traí.

— Eu sinto m-

O som do meu telefone tocando me interrompe.

O toque me diz que é Dylan ligando, mas de jeito nenhum


vou atender na frente dele.

Como se sentisse meu debate interno, Liam aponta para


mim. — I-i-isso é e-e-ela?

Tirando meu celular do bolso, desligo. — Não importa.

Balançando a cabeça, ele coloca meu laptop novo em cima


da minha mesa.

Dou um passo em sua direção. — Liam, pare!

Liam balança o ar entre nós antes que ele abra meu laptop
e comece a esmagar a tela e o teclado em pedacinhos.

— Você d-d-disse a ela que eu a a-a-amava? — Ele


balança novamente e sua voz falha. — V-v-vocês d-d-dois d-d-
deram uma b-b-boa r-r-risada?

— Não. — Liam me fez prometer nunca contar a ela, até


que estivesse pronto. Eu jurei que levaria o segredo dele para o
meu túmulo. — Te disse que não faria isso com você.

— Haha. C-como eu p-p-posso c-c-confiar em v-você —


ele grita. — Você não é n-n-nada a-a-além de um m-m-
mentiroso.

— Cristo, cara. Controle-se — grita Cole. — Pare de agir


como um maníaco e destruir as coisas de Jace.

Royal hearts academy #1


Liam olha para seu irmão gêmeo. — Ele b-b-beijou D-dy....

— Sim, eu sei. Mas Dylan nunca foi sua, cara. — Ele


bufa. — Você realmente achou que tinha uma chance com
ela? — Ele balança nos calcanhares. — Uma pessoa cega
pode ver que ela está afim do Jace há um tempo. Mas mesmo
que não estivesse, de jeito nenhum ela namoraria alguém como
você.

Meus dedos se fecham em punhos. — Cole.

Apesar do meu tom e das lágrimas de Liam, ele continua.

— Ninguém gosta de você, Liam. Nem mesmo sua própria


família. — Seus traços se revolvem em desgosto. — Você é
constrangedor. Sempre procurando atenção com seu choro e
gagueira...

— Já chega! — eu rosno, abrindo meu punho de volta. —


Diga outra palavra, e juro por Deus, que vou te dar uma surra.

— Tanto faz. Dane-se isso. — Ele olha para Liam. —


Foda-se você. — Ele vira o dedo para nós dois. — Seus
idiotas, resolvam suas próprias merdas. Pra mim já chega. —
Ele começa a andar, mas faz uma pausa quando chega a
porta. — Queria que tivesse sido um de vocês que morreu, ao
invés da mamãe. Talvez essa família não fosse um desastre.

Com isso, ele sai, batendo a porta atrás de si.

Três irmãos derrubados. Zero restantes. Maravilhoso.

Depois de limpar um local, sento na minha cama. — Sinto


muito, Liam. Eu sei que você está bravo. Tem todo o direito de
estar. Mas não quis machucá-lo. Dylan e eu...

— Sim, v-você q-q-queria. Caso c-contrário v-v-você não t-


t-teria feito i-i-isso. — Lágrimas nublam seus olhos. — V-você
s-s-sabe o q-q-quanto eu a a-a-amo. E-e-ela e-e-era a única c-

Royal hearts academy #1


c-coisa b-b-boa na m-m-minha v-v-vida. — Seu corpo começa
a tremer com soluços. — A-a-agora ela se f-f-foi. A-a-assim c-
c-como a m-m-mamãe.

Eu me sinto tão impotente, que isso é tudo que me impede


de gritar. Não queria tomar Dylan, ou incomodá-lo assim.

Pela primeira vez, eu só queria ser feliz... e é exatamente o


que Dylan me faz.

Mas como sempre, não tenho esse privilégio. Liam é meu


irmão mais novo e tenho que fazer as coisas direito entre nós.

É o que a mamãe iria querer.

Esfregando uma mão no meu rosto, digo, — Diga-me como


consertar isso. O que é preciso para você me perdoar?

Minha mãe sempre nos dizia, que nada na vida estava


quebrado além do reparo. Com determinação suficiente, tudo
poderia ser consertado e restaurado.

No entanto, o olhar inconsolável no rosto de Liam, esvazia


sua teoria.

— Você n-n-não pode, i-i-i-idiota. — A raiva irradia dele


em ondas e ele volta a esmagar minhas coisas. — Eu n-n-
nunca v-v-vou te p-p-perdoar por i-i-isso. Você é um t-t-
trapaceiro. O p-p-pior i-i-irmão do m-m-mundo. F-f-foda-se.

Droga. Tentei manter a calma e entender, mas já tive tudo


o que posso aguentar. Eu poderia me virar do avesso e rolar
sobre cada pedaço de vidro quebrado neste quarto, e isso não
importaria neste momento. Ele está determinado a me fazer
sofrer.

Por que eu deveria me importar com ele, quando está claro


que não dá a mínima para mim, ou para a minha felicidade?

Royal hearts academy #1


De pé, aponto para a porta. — Saia. Eu não sou seu saco
de pancadas.

Sua mandíbula aperta. — N-não. — Ele esmaga a


moldura que contém uma foto minha e de nossa mãe na
minha mesa de cabeceira. — Eu te o-o-odeio.

Qualquer que seja o fio que eu estava pendurado, partiu-


se. — Tudo bem, mas me odiar e esmagar minha merda, ainda
não fará Dylan ficar com você. — Correndo em direção a ele,
pego o bastão da sua mão.

— Saia da porra do meu quarto, bebê chorão. — Seus


olhos se arregalam e ele congela, mas é tarde demais. Já me
levou ao meu limite. Não há como voltar agora.

Segurando seu braço, começo a puxá-lo para a porta.


Quando ele luta, eu agarro seu cabelo e o arrasto pelo quarto
como um animal. É exatamente como ele está agindo. —
Parabéns, você acabou de perder o único amigo que já teve. —
Abrindo a porta, eu o empurro além do limiar. — Na verdade,
dois amigos. Porque você pode apostar que vou contar tudo,
quando ela aparecer mais tarde.

— Jac-c-c... — Ele começa a dizer, mas eu o empurro


tanto que cai.

— Cale a boca, porque cansei de te ouvir. — Bato com o


punho no seu peito. — Recuso-me a ser infeliz só porque você
é. Dylan me faz feliz e eu a faço feliz. — Minha garganta
aperta ao ponto de dor. — O que você nunca poderá fazer.

Com isso, bato a porta na cara dele.

Segundos depois, ajoelho-me ao lado da foto quebrada de


mim e minha mãe, e enterro a cabeça nas mãos.

Eu queria que ela estivesse aqui, para me ajudar a pegar


os pedaços quebrados da minha vida.

Royal hearts academy #1


Mas uma pequena parte de mim, agradece que ela não
esteja... então não pode ver a bagunça que eu fiz.

O sol espreitando através das cortinas, é como um laser


dando um tiro através do meu crânio. Com um grunhido, eu
me viro e enfio meu travesseiro na cabeça, tentando bloquear
a luz.

Os eventos da noite passada voltam correndo como um


tsunami.

Dylan.

Liam.

O quarto que meu irmãozinho destruiu levou quatro horas


e sete sacos de lixo para limpar.

Por impulso, pego meu telefone na mesa de cabeceira.

Está desligado.

Virando a cabeça, olho pela janela.

A que eu tranquei ontem à noite.

A mão no meu telefone estremece com a necessidade de


ligar para ela e explicar.

Não.

Não até eu falar com Liam e resolver toda essa confusão.

Família vem em primeiro lugar.

Não importa o quanto os três me irritem - e Jesus Cristo,


eles o fazem - cuidar deles tem sido minha única

Royal hearts academy #1


responsabilidade desde que minha mãe morreu, e meu pai se
tornou um fantasma.

Não importa o quanto eu queira jogar a toalha em alguns


dias, e dizer foda-se. Eu não posso.

Eu sou tudo o que lhes resta.

A briga com Liam na noite passada foi ruim, mas não é


irreparável.

Minha mãe costumava me dizer que todo nascer do sol


trazia um novo dia, e uma chance de começar de novo.

Depois de jogar as cobertas, visto uma camiseta e uma


calça de moletom.

É fim de semana, o que significa que todos, exceto o


doador de esperma, estão em casa, e quando acordarem, terão
fome.

Penso em bater na porta de Liam quando passo pelo


quarto dele, mas penso melhor porque sei que ele - assim
como minha irmã Bianca - gosta de dormir o maior tempo
humanamente possível, nos fins de semana.

Como são quase sete horas, desço as escadas correndo.

Cole já está sentado à mesa enfiando cereal na boca


quando entro na cozinha. Não é surpresa, já que somos os
madrugadores da família. É uma das únicas características
não físicas, que compartilhamos com nosso pai idiota.

— Hey.

Ele faz um barulho no fundo da garganta antes de levar a


tigela à boca, acabando com o restante do leite.

— Se você ainda estiver com fome, estou fazendo o café da


manhã.

Royal hearts academy #1


Pego manteiga, leite e uma caixa de ovos na geladeira.
Então eu alcanço o armário e tiro uma caixa de mistura de
panqueca.

Panquecas e ovos são os favoritos de Liam, e espero que


seja um ramo de oliveira bom o suficiente, para ele querer
conversar.

A expressão de Cole é azeda quando examina os itens da


ilha. — Eu odeio panquecas.

— Eu sei.

Seus olhos se estreitam. — Panquecas são os favoritos do


Liam.

Eu cerro os dentes. Cole precisa superar essa competição


interna que tem com Liam.

— Eu sei. — Quebro dois ovos em uma frigideira e


misturo um pouco de leite. — Vou fazer alguns ovos mexidos
para você.

— Não gosto de ovos mexidos.

Cristo Todo-Poderoso. Comecei o dia com apenas uma foda


para dar, e ele já está mijando nela. — Você gostou na semana
passada.

— Não é verdade. — Cruzando os braços, ele se recosta


no banco. — Vamos lá, Jace. Qual é o meu café da manhã
favorito?

— Logo será o seu rosto em uma frigideira. — Eu quebro


mais três ovos e adiciono um pouco de tempero. — Você
sempre gostou de ovos mexidos.

— Sim, ovos mexidos da mamãe.

Royal hearts academy #1


Desculpe, imbecil. A última vez que verifiquei, o Céu não faz
entregas.

— O que você quer comer, Cole?

— Minha comida favorita no café da manhã.

Isso se transformou em algum tipo de teste, que estou


fadado ao fracasso. — Bem. Como não são mais ovos mexidos,
qual é o seu novo favorito?

Presunçosamente, ele empurra sua tigela de cereal para


longe. — Frittatas32 e crème brûlée.

Ovos mexidos será. — Você nunca teve uma Frittata na


sua vida. Além disso, o crème brûlée não é um café da manhã,
é uma sobremesa. E só para deixar claro, eu não sou um chef
filho da puta, então ou coma a merda que estou fazendo, ou
não coma.

— Por que todo mundo ainda está gritando? — Bianca


lamenta enquanto se senta no banco ao lado de Cole.

— Porque Jace gosta mais de Liam do que de mim.

— Isso não é-

— Duh. — Ela pesca uma maçã da cesta de frutas. —


Todo mundo gosta mais de Liam.

Ele afunda. — Mamãe não. Eu era o favorito dela.

Bianca começa a rir. — Não-

— Bianca. — Eu dou a ela um olhar de aviso. — Pare com


isso.

32
Fritatta é uma especialidade da culinária italiana como omeletes e que normalmente é preenchida
com diferentes ingredientes, como carne, legumes, queijos, cogumelos, etc. Em vez de serem
produzidos em forma de folha como o resto das tortilhas à frittata é aberta e adiciona temperos e
acompanhamentos no topo.

Royal hearts academy #1


Se Cole quiser acreditar que ele era o favorito da mamãe,
eu não o corrigirei.

Verdade seja dita, ela mimava Liam muito mais. Mas é


apenas porque Liam era o que ela chamava de exigente, e ele
precisava de atenção extra.

Quando Cole começou a agir diferente - sem dúvida


tentando roubar o foco de Liam - ela já estava dando à luz
Bianca, e finalmente teve a menininha que sempre quis. Seu
foco foi dividido ainda mais.

Acho que posso ver por que Cole tem uma série de ciúmes.

Eu preciso cortar essa merda pela raiz antes que ela fique
fora de controle. — Por que você, eu e Liam não saímos hoje?

Bianca faz uma careta. — E quanto a mim?

— Duh, — repito sua nova palavra favorita. — Podemos


ligar para a Sra. Garcia, e pedir que ela nos leve ao shopping.
— Coloco os ovos em um prato grande. — Ou podemos ir ao
cinema.

— Essas são as coisas favoritas de Liam. — Cole


resmunga.

Suspirando, belisco a ponta do meu nariz. — Podemos


jogar uma partida de futebol no quintal por um tempo, antes
de sairmos.

Onde Liam despreza os esportes, Cole parece não se


cansar deles. Especialmente futebol. O garoto tem um braço
assassino.

Isso tira um sorriso dele. — Tudo bem. — ele olha para


Bianca. — Acha que Liam vai chorar como da última vez?

— Só se você jogar a bola na cara dele de novo.

Royal hearts academy #1


Cole contempla isso. — Boa ideia.

— Você vai parar? — Jogo a panela suja na pia e tiro uma


limpa. — Podemos passar um maldito dia juntos, sem toda
essa besteira?

Bianca cutuca Cole com o cotovelo. — Qual é o problema


dele? Está mais triste do que o normal.

Coloquei a mistura de panqueca em uma tigela. — Ainda


posso ouvi-la, você sabe.

Ignorando-me, Cole se inclina e diz — Jace e Dylan


ficaram na noite passada no baile e Liam perdeu a cabeça.

— Por quê? — ela faz uma careta. — Jace e Dylan estão


se querendo há meses. — Ela tira algumas uvas da cesta. —
Não acredito que Liam realmente pensou que tinha uma
chance.

Então, Deus me ajude, ou vou jogar essa maldita massa


sobre suas cabeças.

— Aqui está uma ótima ideia. Que tal não falarmos sobre
isso?

Bianca faz barulhos de beijo. — Mas você e Dylan estão


apaixonados.

Cave a faca mais fundo, garota.

— Não, não estamos. — Limpo a garganta. — Estamos...


estamos dando um tempo. — Eu me mexo mais. — Até
Liam... você sabe.

Não me odiar por roubar a garota dele.

— Dar a permissão dele? — Bianca investiga.

— Mais ou menos. — murmuro.

Royal hearts academy #1


— Isso é idiota. — declara Cole. — Liam precisa parar
com essa merda. O mundo não gira em torno dele.

Estou começando a suspeitar que Cole vindo em minha


defesa na noite passada, teve mais a ver com o aborrecimento
dele em relação a Liam, do que em me ajudar.

— Talvez você e Dylan possam se ver em segredo. —


Bianca oferece. — Vi um filme outro dia, em que o marido da
moça foi trabalhar mas o garoto da piscina apareceu depois.
Ela estava tão animada por vê-lo que se ajoelhou-

— Que porra é essa? — Cole e eu gritamos ao mesmo


tempo.

— Como você... onde você...

Não consigo formular palavras, porque meu cérebro não


quer saber como minha irmãzinha, colocou as mãos em
pornografia.

Bianca morde sua pêra. — Fui ao quarto do papai na


semana passada procurando esmaltes da mamãe. Eu não
queria voltar para as escadas para pintar as unhas, então
liguei a televisão e o filme começou. — Ela faz beicinho. —
Mas não terminei. Acabei derramando o esmalte no tapete,
quando a senhora começou a rezar.

Cole e eu trocamos um olhar.

— Começou a rezar? — pergunta Cole.

— Sim. — Bianca encolhe os ombros inocentemente. —


Por que mais ela estaria de joelhos?

— Porque ela estava-

Atiro a Cole um olhar mortal.

Royal hearts academy #1


— Rezando. — Ele tosse. — Aposto que ela estava rezando
muito bem.

Eu me forço a respirar novamente. Com não um, mas três


irmãos mais velhos, as chances são de Bianca não começar a
orar até os oitenta e cinco anos.

Eu vou me certificar disso.

Viro as panquecas e verifico o relógio. Agora são quase


oito, mas sei que Liam prefere as duas primeiras panquecas
da pilha. Segundo ele, o resto nunca é tão fofo e não tem um
sabor tão bom.

— Um de vocês pode subir e chamar Liam? O café da


manhã estará pronto em breve.

— Não. — Cole e Bianca dizem ao mesmo tempo.

Sim, eu deveria ter visto isso vindo há uma milha de


distância. — Bem-

O resto da minha frase cai no esquecimento, quando ouço


a porta da frente se abrir.

Você poderia cortar a tensão com uma faca, no momento


em que meu pai entra na cozinha.

Depois de colocar a pasta em uma cadeira próxima, ele


olha em volta e sorri. — Oh, wow. O que é tudo isso?

Como se eu não fizesse café da manhã para seus filhos,


quase todos os dias. — Com o que se parece?

— Certo, bem. Cheira muito bem. — Desviando o olhar,


ele mexe de brincadeira no cabelo de Bianca. — Obrigado,
Jace.

Não preciso que me agradeça por fazer o que ele deveria


estar fazendo.

Royal hearts academy #1


Eu preciso que ele saia do meu caminho, ou dê um passo
à frente e seja pai.

— Tanto faz. — Jogo a espátula no balcão ao lado do


fogão. — Vou acordar Liam.

Ouço sua tentativa de conversar com Bianca e Cole


enquanto subo as escadas. Pelo som das coisas, eles
acabaram com as besteiras dele também.

Bom. Ele sabe que eu já terminei com isso há anos.

Bato na porta de Liam mais forte do que o necessário. —


Hora de acordar. — Quando ele não responde, tento
novamente. — Sei que você está com raiva de mim, mas espere
um pouco porque estou preparando seu café da manhã
favorito.

Sem resposta.

Não sou burro o suficiente para pensar que panquecas vão


consertar as coisas entre nós, mas o mínimo que ele pode
fazer é responder.

— Vamos lá, cara. — Eu bato na porta dele com mais


força. — Pelo amor de Deus, apenas me responda. Grite
comigo. Diga-me que sou o pior irmão do mundo novamente.
Algo.

Eu não recebo nada.

Desço o corredor e verifico o banheiro. Vazio.

Um sentimento estranho se arrasta no meu estomago e


bato na porta dele novamente. — Liam.

Desta vez, quando ele não responde, viro a maçaneta.

A sensação estranha no meu estomago serpenteia pela


minha espinha quando noto sua cama vazia e arrumada.

Royal hearts academy #1


Ele deve ter acordado antes de mim. Merda.

Meu cérebro está tentando evocar todos os lugares que ele


poderia ter fugido, quando meus olhos pousam na porta de
seu armário.

Demoro um segundo para processar o que estou vendo.

Corda.

Meus olhos rastreiam o caminho da corda em torno da


maçaneta até onde está entre o topo da moldura e a porta.

Por que Liam teria corda...

Isso me bate como um tijolo na cabeça e meus joelhos


dobram.

Não. Não. Não. Não.

Um som gutural rasga da minha garganta enquanto corro


pelo quarto até o armário.

— Pai! — minha voz está tão rouca que mal a reconheço.


— Pai, eu preciso de você. Algo está errado com Liam!

Deus, por favor me diga que estou errado.

Diga-me que ele não fez, o que eu acho que fez.

Diga-me que meu irmão mais novo não está...

Meus piores temores são confirmados quando giro a


maçaneta, e o que restava do meu coração depois que minha
mãe morreu...

Se despedaça em mil pedacinhos.

Minha mãe estava errada.

Royal hearts academy #1


Algumas coisas não podem ser consertadas.

Um novo dia nem sempre traz novas chances.

Às vezes, apenas traz dor e mais tristeza.

Liam já estava morto há horas quando o encontrei, mas


não precisava dos paramédicos para me dizer isso.

Seus lábios estavam azuis. Sua pele estava azul. As


pontas dos dedos cavando a corda estavam azuis.

Até o cesto que ele chutou era azul.

Tudo estava azul.

Irônico que um tom representando as melhores coisas do


mundo - o céu, o oceano, a cor dos olhos de Dylan - também
simbolizasse o pior.

Minha cor preferida... agora me deixava mal do estômago.

Quase tão doente quanto o fato, de meus irmãos e eu


estarmos lá embaixo conversando, e agindo como se tudo
estivesse bem... enquanto nosso irmão estava pendurado em
uma corda.

Sozinho em um armário. Descartado como um feio suéter


de Natal.

Os músculos do meu peito se contraem quando coloco um


travesseiro na boca e grito tão alto que meus ouvidos estalam.

Isso é tudo minha culpa.

Eu o matei.

Eu o amava.

Eu matei ele a amando.

Royal hearts academy #1


Eu grito de novo, mais alto desta vez, mas assim como os
de Liam... meus gritos de ajuda são silenciosos.

A verdade fria das últimas quarenta e oito horas penetra


nos meus ossos como uma toxina agressiva, contaminando
minha realidade.

Ele se foi e nunca mais voltará.

Ele não me deu a chance de consertar isso.

Ele não me deu a chance de pedir desculpas.

Ele não me deu a chance de provar, que eu poderia ser um


bom irmão.

Ele não me deu a chance de dizer que eu faria qualquer


coisa por ele.

Incluindo desistir dela.

Fechando meus punhos, eu soco meu crânio.

Sou o irmão mais velho dele, eu deveria ter sido para


quem ele viria.

Aquele para ajudá-lo a encontrar uma resolução diferente


daquela que escolheu.

Em vez disso, fui eu quem causou a dor que acabou com


sua vida.

Eu soco meu crânio novamente. Tão forte que fico tonto.

Se não o expulsasse do meu quarto...

Se eu o tivesse verificado antes de ir para a cama.

Se não me apaixonasse pela garota, a qual ele deu seu


coração.

Royal hearts academy #1


Deveria ter. Poderia ter. Teria.

Há tantos que estou me afogando neles.

Mas nem um maldito deles trará Liam de volta.

Nada trará.

A morte é uma cicatriz permanente, que as pessoas


deixadas para trás, são forçadas a suportar.

E suicídio, um fardo que você carrega para sempre.

Meu telefone zumbe ao fundo e eu o pego na minha cama.

Dylan.

É sempre Dylan ligando.

Eu deveria contar a ela o que aconteceu... contar o que fiz,


mas não posso.

Liam está morto, porque fui egoísta. Falar com ela, seria o
equivalente a cuspir na cova em que o enterraremos amanhã.

Eu sinto falta dela.

O invólucro de metal cava na ponta dos meus dedos


enquanto eu aperto meu celular, combatendo o desejo de falar
com ela.

Não posso.

Talvez quando as coisas não estiverem tão ruins, e eu


consiga respirar sem a onda esmagadora de dor, girando como
uma faca, possamos ser amigos novamente.

Jogo o telefone contra a parede e vejo a tela rachar.

Se eu nunca a beijasse no baile, Liam ainda estaria vivo.

Os pêlos da minha nuca se arrepiam.

Royal hearts academy #1


Se Liam não tivesse nos procurado, eu teria a chance de
explicar tudo. Ele não teria sido pego de surpresa e se
envergonhado.

Mas isso não aconteceu... porque alguém roubou a


oportunidade de mim. Então ele derramou sal na ferida rindo
e apontando enquanto Liam chorava.

Todos eles fizeram.

A adrenalina me ilumina como um foguete, enquanto fico


de pé.

Olho para o relógio na minha mesa de cabeceira. A escola


terminará em vinte e cinco minutos.

Não posso trazer Liam de volta. Não posso consertar o


papel que desempenhei em sua morte.

Mas há algo que eu posso fazer.

Algo que aliviará a dor... e ensinará a alguém uma lição


que nunca esquecerá.

— Aonde você vai? — pergunta Cole enquanto desço as


escadas.

Tiro o bastão do armário no vestíbulo, o mesmo que Liam


usou na outra noite. — Fazê-lo pagar.

A necessidade de vingança percorre meu peito a cada


passo que dou em direção ao prédio.

Eu não sou estúpido o suficiente para entrar e bater nele.


Há muitas testemunhas.

Mas eu sei que a mãe dele trabalha o tempo todo, e ele


volta para casa andando, em vez de pegar o ônibus.

Royal hearts academy #1


Eu verifico meu relógio. O sinal de saída deve estar
tocando a qualquer momento.

Como se na sugestão, eu assisto centenas de crianças


saindo da escola.

A maioria está rindo e sorrindo... sem dúvida, feliz pelo


último dia de aula estar no horizonte.

Enquanto todos comemoram o dia de amanhã... estarei


enterrando meu irmãozinho.

Por causa daquele filho da puta imbecil ali.

A ira pura pulsa em minhas veias, enquanto eu o vejo


acenar para algumas pessoas, antes de descer a calçada... sem
se importar com o mundo.

Deve ser bom ter amigos.

Além de mim e Dylan, Liam não tinha nenhum.

Por causa dele.

História. O apelido que Tommy deu a Liam queima como


ácido na minha garganta.

Tudo o que Liam queria era se encaixar, sentir que ele


pertencia... essa é a razão pela qual perdoou Tommy, e fez
amizade com ele, mesmo que eu o tenha advertido a não fazer.

Infelizmente para Tommy, eu não sou do tipo que perdoa.

Meus passos ganham velocidade quando ele chega ao fim


do quarteirão.

Uma área arborizada está chegando à frente. O que


significa que não há lugar para onde ele possa fugir.

Tick tack, porra. Seu tempo está chegando ao fim.

Royal hearts academy #1


Vou fazer coisas que nem seus piores pesadelos podem
evocar.

Euforia me enche quando ele pega o celular e o leva ao


ouvido.

Ele está distraído. Perfeito.

Sem aviso, bato o bastão contra suas costas. Para minha


diversão, ele tropeça simultaneamente em uma fenda no
cimento e cai como uma pilha de tijolos.

Aproveito a oportunidade para arrastá-lo para a floresta,


de barriga para baixo.

— Que porra é essa? — ele grita, arranhando a terra e os


galhos. — Alguém me ajude!

Desculpa, cara. Não há piedade para um pedaço de merda


como você.

Paro quando encontro um bom lugar e subo em cima dele,


pressionando seu rosto na terra.

— Socorro!

Ele luta contra mim, mas torço seu rosto com mais força
antes de deixá-lo respirar um pouco.

Se eu matá-lo rápido demais, perderei toda a diversão.

— Por que você está fazendo isso? — ele engasga. —


Quem é você?

Inclinando-me, sussurro, — Vou lhe dar uma dica.

Seu corpo fica tenso. — Jace?

Ele tenta se levantar e lutamos na terra por um minuto.


Eu lhe dou margem de manobra suficiente para virar, mas no

Royal hearts academy #1


segundo que consegue, envolvo minha mão em torno de sua
garganta e bato minha testa contra seu nariz.

Confusão estraga seu rosto sangrento. — Mas que porra?


Por que… Por-por que você está fazendo isso?

Eu cuspo nele. — Olha quem está gaguejando agora,


viadinho.

Antes que ele possa falar, coloco o cano do bastão sobre


sua virilha e o pressiono enquanto me levanto, esmagando
suas bolas.

Eu rio quando ele grita em agonia.

— Pare!

— Okay, — Eu digo a ele. — Mas se eu fizer, esse bastão


está indo para outro lugar. Em algum lugar um pouco mais
estreito.

Eu posso sentir o medo flutuando sobre ele. — Sinto


muito pelo que fiz com Liam no baile. — Ele respira fundo. —
Vou me desculpar quando o vir. Juro pela minha vida.

Outro raio de raiva corta através de mim. — Você não


pode, cara de merda.

— Sim, eu posso...

— Ele está morto. — Aplico mais pressão e assisto com


prazer enquanto ele treme de dor. — Morreu... por sua causa.

E minha.

— Porra! — Não tenho certeza se a explosão dele é da


agonia que ele está enfrentando, ou do choque das notícias. —
Eu sinto muito.

Royal hearts academy #1


— Você deveria sentir. — Eu me inclino no bastão e ele
grita. — Mas não se preocupe, tudo vai acabar. — Mostro
alguns dentes para ele. — Eventualmente.

Ele olha para o céu e amaldiçoa. — Eu gostaria de nunca


tê-la ouvido.

Não tenho ideia do que ele está divagando. — Ouvido


quem?

— Dylan.

Evidentemente, eu ainda tenho um coração porque acelera


com a menção do nome dela.

— Do que diabos você está falando?

— Era o plano dela. — A voz dele fica rouca. — Ela me


enganou. Enganou a todos nós, Jace.

Não tenho certeza do que ele está falando, mas Dylan é


minha melhor amiga, então a necessidade de defendê-la
supera instintivamente qualquer treta de Tommy.

Eu piso na sua perna. — Dylan não enganou ninguém,


filho da puta.

— Sim, ela enganou. — Ele solta um grito agudo quando


eu torço o bastão. — Cara, cara. Não tenho motivos para
mentir para você. Eu também tenho um irmãozinho, então sei
como isso funciona. Se Liam se matou por causa de algo que
fiz, sei que não tenho chance de sair vivo desse bosque. — A
respiração dele o deixa em suspiros rasos. — Mas você pode
querer saber a verdade antes de bater no meu crânio.

O cabeçote tem razão. Eu alivio a pressão levemente. —


Comece a falar.

Royal hearts academy #1


Sua expressão tremula de culpa. — Eu tenho uma queda
por Dylan desde a sétima série.

Eu o paro ali. A última coisa que preciso é ouvi-lo falar


sobre o quanto ele a quer. — Eu não estou interessado em
seu-

— É importante, — ele insiste. — É por isso que as coisas


aconteceram como aconteceram no baile.

Eu não estou acompanhando. — O que você gostar de


Dylan ter a ver, com levar Liam ao armário para nos flagrar,
ou tirar sarro dele na frente de toda a escola?

— Esse era o plano. — Ele dá um tapa na terra com a


palma da mão — ela queria se vingar de você por ir ao baile
com Britney. — Ele respira fundo. — Deixe-me voltar do
início. Aproximei-me dela no armário da sala da banda, depois
de ouvir que você convidou Britney para o baile. Eu sabia que
Dylan ficaria chateada com isso, e esperava usá-lo em meu
proveito.

Eu pressiono o bastão.

— Deus, Jace. Eu não acabei.

— Então eu sugiro que você fale mais rápido, — cerro os


dentes. — Porque cada palavra que sai da sua boca, me faz
querer arrancar suas bolas e empurrá-las pela sua garganta.

Ele empalidece. — Ela me disse que estava chateada, e


sugeri que igualasse a pontuação, indo ao baile comigo. — Ele
encolhe os ombros. — Eu já tinha passado um tempo com ela
na sala da banda algumas vezes depois da escola, e nossas
conversas... pensei que finalmente tinha uma chance, agora
que você estava fora do caminho.

Minha mente flutua de volta para quando Dylan


mencionou que ela falou com Tommy depois da aula.

Royal hearts academy #1


Eu ignoro a sensação estranha que se forma no meu
estomago. Pessoas suspeitas não são honestas com seus
melhores amigos.

Para não mencionar, ela me desafiou a beijá-la naquele


dia.

— Okay. Então o quê?

— Ela me recusou. Disse que já estava indo com alguém,


que seria um trabalho muito melhor para te irritar. Quando
perguntei quem... Ela me disse que era Liam.

Ele está mentindo. Dylan não faria isso.

— Não tenho motivos para mentir para você, cara. Agora


não. — Ele engole em seco. — Posso te perguntar uma coisa?

Apesar da minha aversão, eu o pergunto. — O quê?

— Dylan já fez ou disse alguma coisa, que o fizesse


acreditar que ela gostava do Liam?

O olhar no meu rosto deve dar a minha resposta, porque


ele diz — Não estou tentando ser um idiota, mas por que mais
Dylan iria ao baile com ele?

Esse pensamento se agita dolorosamente no meu


estômago. Por mais que eu odeie admitir, havia uma pequena
parte de mim que brevemente se perguntou, se ela foi com
Liam para me fazer ciúmes.

Mas então eu rapidamente percebi o quanto isso era


estúpido, porque não importa o quão brava ela estivesse
comigo, Dylan nunca faria de Liam seu peão.

Eu imaginei que Liam finalmente decidiu fazer sua jogada,


e ela estava começando a pensar na ideia dele.

O que me fez ainda mais um irmão terrível por beijá-la.

Royal hearts academy #1


Me arrependo e remorso enche meu peito.

Eu me convenci de que estava indo lá para enfrentá-la, a


fim de proteger Liam, mas vê-la tão perto de Tommy fez meu
sangue ferver.

Nunca dei a meu irmãozinho um pensamento depois


disso.

Até Dylan mencionar que queria ir para a minha casa


naquela noite.

Tommy continua falando quando fico em silêncio. — Ela


me disse que me daria uma chance, se eu pudesse ajudá-la a
elaborar um plano ainda melhor, para atingir você. — Ele
parece envergonhado. — Então eu fiz.

Parece que uma pedra está entalada na minha garganta.


— Qual era o plano?

Eu preciso ouvir todos os detalhes. Cada elo da cadeia


bagunçada que eles construíram, terminou com meu
irmãozinho morto.

— Desde que ela já estava com Liam, eu disse a ela que


encontraria uma maneira de distraí-lo no meio da dança.
Desta forma, poderíamos fugir. Por sorte, Cole abandonou seu
encontro, o que foi perfeito.

A bile na minha garganta se torna uma pedra, sugando


meu suprimento de ar com cada palavra que ele diz.

— Meu plano era que você nos pegasse no corredor, depois


que notasse que ela não estava com Liam, mas ela me disse
que não era bom o suficiente. Dylan queria que eu te
provocasse, e começasse uma briga com você.

Faço um gesto para que ele continue, porque não consigo


formular palavras.

Royal hearts academy #1


— Liam deveria nos pegar no corredor brigando por ela. O
objetivo era causar uma brecha entre você e seu irmão, porque
ela sabia que isso iria machucá-lo.

— Liam disse que nos viu no armário, não no corredor.

Estou agarrando canudos aqui, mas é tudo o que tenho.

Não quero acreditar que Dylan seria capaz de fazer algo


tão rancoroso e vingativo.

Tommy assente. — Dylan se desviou do plano quando ela


me disse para voltar para dentro. Estava com tanta raiva dela,
que decidi contar tudo para Liam eu mesmo...

Sua voz diminui, mas preciso ouvir o resto.

Eu empurro o bastão. — Continue falando.

Ele lança uma maldição. — Liam não acreditou em mim,


então eu disse a ele que poderia provar isso. — Seu rosto se
contorce de dor. — O levei para o corredor, mas vocês não
estavam lá. Eu rapidamente descobri onde você poderia ter
ido, porque era onde costumávamos nos encontrar. No
entanto, o que eu não esperava ver era... Que não parecia
falso.

Para mim não parecia falso, também.

A dor em brasa corre pelo meu peito. Odeio que a versão


dos eventos de Tommy, esteja perfeitamente alinhada com o
que realmente aconteceu naquela noite.

Ele faz uma careta. — Eu estava chateado. Pensei que


Dylan era minha garota. Liam ficou chateado também... até
mais do que eu. — Ele levanta as mãos. — Estraguei tudo,
Jace. Estava errado por intimidar ele. Mas cara. Eu estava
com tanta raiva dela. — Suas narinas se abrem. — Como um
tolo, parte de mim continuou segurando a esperança, mas

Royal hearts academy #1


quando descobri que ela foi embora, tudo fazia sentido. A
cadela estava brincando comigo também.

Que porra é essa?

— Ela não foi embora.

— Sim, ela foi. Um professor da escola confirmou hoje. Ela


se foi, cara. — Seus olhos se conectam com os meus. —
Evidentemente, o pai dela descobriu que conseguiu um novo
emprego há algumas semanas. — O queixo dele inclina. —
Acho que Dylan queria queimar algumas pontes, antes de
deixar Royal Manor para sempre.

Jesus Cristo.

Meus pulmões se comprimem e minha visão fica vermelha.

É como ver Liam pendurado no armário novamente... só


que de alguma forma pior.

Porque a pessoa em quem mais confiei neste mundo me


traiu.

A intenção de Dylan talvez não fosse Liam se matar, mas


ela ainda o usou.

Não, pior. A cadela o machucou intencionalmente, mesmo


ele sendo completamente inocente.

A tensão trava minha mandíbula, e desce pelo meu


pescoço. Liam nunca fez nada de errado, para acontecer de ser
pego no meio de nada disso.

Inferno, ele nunca pensou em machucar Dylan. Ele


preferiu morrer.

Liam nunca mereceu nada disso.

Royal hearts academy #1


Um rugido me atravessa, e quando coloco um pé no
estômago de Tommy e pego o bastão, noto uma mancha
molhada se formando na frente de sua calça.

Eu vou matá-lo. Sinto isso nos meus ossos.

Dói demais, e Liam não está aqui para ser minha


consciência, e me contar toda a merda que mamãe costumava
falar.

— Merda. Abaixe o bastão, Jace.

Meus pulmões congelam quando vejo Liam caminhando


pela floresta. — Liam?

Ele está bem. Tudo está bem. Eu posso consertar meu


erro. Posso…

Meu coração cai quando Liam se aproxima de mim, e


percebo que não é Liam, afinal... é Cole.

Tudo não está bem. Nunca mais ficará.

— Ele machucou Liam. — Merda molhada está


escorrendo pelo meu rosto, borrando minha visão enquanto
levanto o bastão. — Dylan machucou Liam.

Eu machuquei Liam.

Todo mundo na escola machucou Liam.

Por que todos eles tiveram que rir e cutucá-lo?

Por que eles simplesmente não o viam pela pessoa incrível


e genuína que ele era?

Por que eu não me apaixonei por alguém como Britney, em


vez dela?

Royal hearts academy #1


Estou girando em círculos, mas não consigo parar. Não
consigo fazer nada disso parar.

Tudo o que sei é que eu quero tanto meu irmãozinho, que


trocaria minha vida pela dele sem hesitar.

E Tommy tem que morrer, porque não é justo que ele


continue respirando, quando Liam não está.

Cole aperta meu ombro. — Eu sei que dói. — Ele tira o


bastão das minhas mãos. — Mas matar Tommy não vai
melhorar.

Como o inferno que não vai.

Tommy começa a se afastar, mas Cole pega sua camiseta.

— Só para esclarecer. Eu impedí-lo de matar sua pobre


bunda, não tem nada a ver com você. — Ele bate a testa na de
Tommy. — Se eu ainda acreditasse em Deus ou em alguma
dessas besteiras, pessoalmente imploraria para que ele te
enviasse direto para o inferno, onde você pertence. — Ele
aperta ainda mais. — Jure pela sua família, se você disser
uma palavra sobre o que aconteceu nessa floresta, eu vou-

— Eu não vou. — Seus olhos frenéticos disparam entre


nós. — Se minha mãe perceber alguma coisa, vou culpar outra
pessoa.

Eu chego perto do seu rosto. — Não pense por um


segundo que estamos bem. Quando me ver andando pela rua,
é melhor você virar para o outro lado, e rezar para qualquer
poder superior em que acredite, para que eu não o encontre
primeiro, filho da puta.

— Entendi. — Ele se senta e olha em volta, como se


estivesse esperando que o parássemos.

Royal hearts academy #1


— Saia daqui antes que eu mude de ideia! — grito tão alto
que tenho certeza de que minhas cordas vocais se rompem.

Se atirando do chão, ele manca para fora da floresta o


mais rápido que suas pernas curtas podem carregá-lo.

— Que porra foi essa? — Cole grita depois que ele se foi.
— Você realmente ia matá-lo.

— Dói. — Afundo até os quadris. — Dói demais.

Ele se junta a mim no chão. — Você não pode fazer isso


conosco, Jace. Você ainda tem eu e Bianca. Nós precisamos de
você.

Ele tem razão. Seria difícil cuidar deles de uma cela.

— Sinto falta dele.

Sinto falta dos seus sorrisos e piadas. Sinto falta de sua


compaixão pelas pessoas, e de seu entendimento por aqueles
que não o mereciam.

Não sei como devo aceitar que nunca mais vou


experimentar isso.

Ele fez do mundo um lugar melhor.

Cole assente. — Eu também. Eu... — ele fecha os olhos.


— Me sinto diferente. — ele bate no peito. — Algo aqui... não
parece mais certo. — sua voz falha. — Sinto-me vazio e oco.
Como se estivesse perdendo um pedaço grande de alguma
coisa.

— É porque nós estamos. — Eu enterro as palmas das


mãos nos meus olhos, para parar a merda molhada
escorrendo pelo meu rosto. — Não estou pronto para me
despedir. — palavras entopem minha garganta. — Não quero
dizer adeus a ele.

Royal hearts academy #1


Eu só quero ficar dormente.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Um beijo suave atrás da minha orelha faz minhas


pálpebras se abrirem.

Nós devemos ter trocado de posição enquanto dormíamos,


porque minhas costas estão pressionadas contra o peito de
Jace e ele está segurando meu peito.

— Bom dia. — ele sussurra.

Meus mamilos enrugam quando ele balança os quadris, e


seu pau cutuca a curva da minha bunda.

Bom dia mesmo.

Chegando atrás de mim, eu corro minha mão ao longo do


inchaço de sua ereção. Apenas um pequeno movimento e ele
estaria dentro de mim... exatamente onde eu o quero.

Seus dentes roçam meu ombro. — Continue fazendo isso,


e eu vou te dar meu pau no café da manhã, ao invés vez de
ovos.

O pensamento de Jace me fazendo café da manhã é doce e


tudo, mas sua outra oferta é mais atraente.

— Promete?

Seus dedos cavam meus quadris. — Estive duro por você


pela última hora. — Meu coração dá um pulo quando ele se
coloca entre minhas pernas. — Então isso vai ser rápido... —
Choramingo quando ele me abre e me provoca com a ponta do
dedo. — E sujo.

Royal hearts academy #1


Ele esfrega de um lado para o outro no meu clitóris, antes
de deslizar para a minha abertura. — Eu amo o quão molhada
sua boceta fica para mim. — Ele mergulha o dedo, enviando
calafrios ao meu núcleo. — Vai ser tão bom quando você
gozar no meu pau.

Minha respiração fica instável e eu alcanço a gaveta da


mesa de cabeceira para pegar uma camisinha.

No minuto em que ele se veste, rola de costas e segura o


pau. A fome que obscurece seus olhos quando olha para mim,
é inconfundível.

Quero mantê-lo assim em meu banco de memória para


sempre, porque juro por Deus, é a coisa mais quente que já vi.

Seu olhar é tempestuoso quando ele me puxa em cima


dele. — Você está demorando demais. — Ele passa a mão no
meu mamilo. — Sou um filho da puta impaciente, quando se
trata de você.

Provocando-o, eu lentamente me abaixo em seu pênis.

Suas mãos seguram minha cintura e ele ergue os quadris


para cima, me enchendo até o fim. — Você está me matando
aqui.

Usando a cabeceira da cama, eu balanço contra ele. —


Melhor?

Seus lábios se abrem com um gemido quando encontro


um ritmo que ele gosta. — Sim, exatamente assim. — Olhos
escuros percorrem cada centímetro da minha pele. — Cristo.
Você é linda pra caralho.

Um… ele tem se olhado no espelho ultimamente?

Um choque de calor corre através de mim, quando ele


pressiona o polegar no meu clitóris.

Royal hearts academy #1


Eu olho para ele. Estou tentando me concentrar no seu
prazer, para deixá-lo louco, e ele está dificultando meu foco.

Jace me dá um sorriso presunçoso e faz de novo, só que


desta vez gira o nó inchado e empurra com força.

— Jace... — assobio quando ele me massageia em


círculos rápidos e molhados.

Seus olhos escurecem quando os sons dele trabalhando


em mim, enchem o quarto.

Minha respiração sai em rajadas afiadas enquanto ele


continua sua lenta tortura. — Oh meu Deus... — Eu tremo
enquanto o atrito aumenta. — Seu idiota.

Eu queria transar com ele, até que ele derretesse em uma


pilha de gosma, mas como sempre, ele virou o script e
assumiu o controle.

Cascalho engrossa sua voz. — Um idiota que está prestes


a fazer você gozar em todo o seu pau.

Com uma mão na minha parte inferior das costas, ele


pega meu clitóris entre os dedos, e passa a dirigir seu pau
contra um ponto que me ilumina.

Oh inferno.

As primeiras agitações do meu orgasmo caem sobre mim,


e eu reprimo um grito quando perco o equilíbrio.

Mãos ásperas agarram minha bunda, e ele nos puxa para


uma posição sentada, empurrando rápido e selvagem.

Eu me agarro a seus ombros, apertando seu pau enquanto


desmorono.

— Jesus Cristo — ele raspa a pele da minha garganta e


depois se junta a mim.

Royal hearts academy #1


Deus, eu amo o jeito que ele geme quando goza. Carnal e
selvagem, como se estivesse morrendo e acordando ao mesmo
tempo.

Roço minhas unhas em suas costas enquanto


recuperamos o fôlego, e ele enterra o nariz na curva do meu
pescoço, me inalando. — Você cheira a sexo e doces.

— Há uma música33 sobre isso, você sabe.

Ele solta uma risada baixa e sexy. — Deus, eu senti pra


caralho a sua falta.

Meu coração bate dentro da caixa torácica. Quero me


beliscar, porque levamos quatro longos anos para chegar a
este lugar, mas finalmente estamos aqui.

Nada pode nos separar agora. Ele está incorporado na


minha alma.

E eu espero que ele sinta o mesmo por mim.

— Hey. — Minha mão encontra sua mandíbula. —


Estamos bem agora... certo?

Suas feições se acentuam e o olhar dolorido em seus olhos


está de volta. Lentamente, ele desembaraça seus membros dos
meus, e pega sua calça de moletom no chão.

— Vou pegar uma garrafa de água. Quer uma? Talvez


alguma comida?

Dane-se as bebidas. O que eu quero é saber, é por que ele


sempre parece tão cheio de culpa, depois de estar comigo.

Aperto meu peito quando um pensamento vil, se infiltra no


meu cérebro. — Você voltou com Britney?

33
Ela se refere a música do Marcy Playgroud - I smell like sex and candy. Que traduzida quer dizer:
Eu cheiro a sexo e doces.

Royal hearts academy #1


É a única explicação lógica que posso encontrar neste
momento.

Ele olha para mim como se eu fosse louca. — O quê?


Inferno, de jeito nenhum.

Pelo menos é um alívio.

Puxo os lençóis ao meu redor e ele corre para a porta,


como se não pudesse fugir rápido o suficiente.

— Estarei de volta em um instante.

Frustração se instala na minha garganta.

Estou começando a pensar que devo amarrá-lo, na


próxima vez que abordar o assunto.

Dessa forma, ele não poderá fugir.

— Você está brincando comigo? — a voz de Jace cresce do


outro lado da porta. — Você a trouxe aqui? — Um grande
golpe me faz pular. — No quarto da minha mãe?

Oh, merda.

Lutando, eu visto minhas roupas e abro a porta.

Meus olhos se arregalam enquanto eu observo a cena


diante de mim.

Jace está parado ali sem camisa, mais irritado do que eu


já o vi.

Enquanto o pai parece... Bem envergonhado e muito


desconfortável.

A mulher bonita, embora tímida, escondida atrás dele, não


parece muito melhor.

Royal hearts academy #1


Por um momento, me pergunto se o Sr. Covington está
dormindo com um dos parentes de sua esposa morta. Não há
como negar a estranha semelhança que ela tem com a mãe de
Jace... ou com Bianca.

Oh garoto. Isto é ruim. Muito ruim.

Eu dou um passo à frente. — Jac...

— Que diabos? — Cole pergunta enquanto sai do quarto.


Confusão estraga seu rosto quando ele olha entre Jace e seu
pai.

Eu posso ver o momento em que ele entende, porque


estreita os olhos. — Sério? Você não poderia levar sua
prostituta para um motel?

Antes que seu pai possa responder, a porta do quarto de


Bianca se abre e ela sai. — O que está acontecendo? —
Bocejando, ela esfrega o sono dos olhos. — Por que todo
mundo est... — Seus olhos se concentram na mulher
escondida atrás do pai. — Quem é ela? — Esperança brilha
em seus olhos escuros e ela se vira para Jace. — Ela é um
membro da família visitando da Índia?

— Não. Nosso doador de esperma só possui uma


preferencia em particular. — Jace cospe, olhando
furiosamente para o pai. — Não estou certo, papai?

Pigarreando, o Sr. Covington tenta falar, mas Bianca o


interrompe. — Espere... você passou a noite com ela? Na cama
da mamãe? — Seu lábio inferior balança. — Como você pode
fazer isso?

Compreensivelmente, a mulher em questão parece


absolutamente mortificada.

Royal hearts academy #1


Verdade seja dita, me sinto terrível por ela. Sem seu
conhecimento, ela apenas entrou em uma zona de guerra
completa.

E o olhar sinistro no rosto de Jace, me diz que isso é


apenas o começo.

Sr. Covington solta um suspiro pesado. — Eu sei que


vocês estão chateados, mas acho que todos precisamos nos
acalmar...

— Foda-se você! — Jace grita. — Você não sabe nada


sobre o que essa família precisa. — Ele ri, mas não há humor.
— Cristo, você não pode passar um tempo com seus filhos,
mas tem tempo para foder com ela?

Seu pai se eriça. — Com licenç-

— Não. — Jace o prende com um olhar ameaçador. —


Você não fala há mais de sete anos, por que começar agora? —
Seu olhar passa para a mulher atrás dele. — Vou lhe dizer o
quê. Eu adoraria conversar com sua garota. Contar a ela tudo
sobre o homem com quem está transando.

Tremendo, a mulher tímida enterra a cabeça no ombro do


amante.

— Já chega! — Sr. Covington late. — Deixe Nadia em paz.

Seja qual for a compostura que Jace estava segurando, ele


avança em seu pai. — Hora errada de encontrar suas bolas,
Jason. — Ele o empurra. — Acaba quando eu digo que
acabou. — Piscando alguns dentes, ele dobra um dedo para
Nadia. — Não se assuste, querida. Eu não mordo...

Ela se encolhe.

Eu não a culpo. Jace está agindo como um maníaco


desequilibrado.

Royal hearts academy #1


Já faz muito tempo que vem acontecendo. Mais cedo ou
mais tarde, todos os vulcões entram em erupção.

Jace aperta o ombro do pai. — Também não traio minha


esposa, ou ignoro meus filhos como ele faz.

A pele pálida do Sr. Covington fica branca como um lençol.

— Você me disse que sua esposa morreu. — a mulher


sussurra.

Todos os três irmãos olham para ela, mas é Jace quem


fala.

— Ela morreu, então não se preocupe. — O olhar que ele


dá ao pai faz meu sangue gelar. — Não foi com você que ele
traiu minha mãe. Essa era uma prostituta diferente.

A sensação de mal estar no meu estômago se intensifica,


quando Cole e Bianca se voltam em choque para ele.

— Você traiu a mamãe? — Cole late.

— Oh meu Deus. — Bianca olha para o pai. — Como você


pôde?

— Eu não traí sua mãe! — grita o Sr. Covington.

Os olhos de Jace se tornam pequenas fendas, e ele se


aproxima do rosto de seu pai. — Mentiroso, mentiroso, calças
em chamas.

Sr. Covington balança a cabeça profusamente. — Não...

— Mamãe me contou sobre você e sua secretária. Então


não se atreva a ficar aí, e me dizer que ela mentiu.

Ele respira fundo, sem dúvida, percebendo que está preso


em uma situação difícil, e precisa seguir com cuidado. — Há
muitas coisas que fiz de errado na minha vida, mas trair sua

Royal hearts academy #1


mãe, não foi uma delas. — Ele olha para os três filhos. — Eu
a amava mais do que tudo.

Ainda mais do que seus próprios filhos.

Seu olhar volta para Jace. — Eu amava muito a sua mãe,


mas ela tinha muitos problemas. Havia momentos em que
seus episódios maníaco-depressivo eram tão ruins, que ela
acreditava em coisas que não eram verdadeiras...

Eu suspiro quando Jace dá-lhe um soco. — Cale a boca!


Mamãe não era mentirosa.

Tropeçando para trás, o Sr. Covington segura sua


mandíbula. — Jace, eu...

Jace mostra os dentes. — Cale a boca! — Ele concentra


sua atenção em Nadia novamente. — Você quer saber que tipo
de homem Jason Covington realmente é?

Sem esperar por uma resposta, ele abre bem os braços e


diz — Ele é o tipo de homem que se casa com você, leva você
para um novo país, para começarem sua vida juntos... mas
nunca te deixa ver sua família novamente. Não importa o
quanto você esteja triste, ou o quanto sinta falta deles.

Eu ouço seus dentes estalando. — É o tipo de homem que


ignora seus filhos há anos. — Ele dá um soco no peito. — O
tipo de homem que não podia se incomodar com sua própria
carne e sangue, então eu tive que intervir e criá-los. — Ele
encolhe os ombros. — Eu não fiz um trabalho ruim, certo?
Quero dizer, apenas um em cada quatro morreu. — Sua
risada é cruel e ameaçadora. — Quem sabe? Talvez - apenas
talvez - Liam ainda estivesse vivo se você estivesse lá. Talvez se
você desse um pouco de atenção ao seu filho, ele não teria
morrido. Já pensou nisso, pai?

Royal hearts academy #1


Meu coração afunda. Considerando que sua empresa
fabricou a droga responsável por matá-lo, esse foi o menor dos
golpes baixos.

Os olhos verdes do Sr. Covington se enchem de tristeza. —


Jac-

— Não. — Há uma nota sombria na voz de Jace, que


nunca ouvi antes. — É claro que você não fez isso. — Pura
agonia - do tipo que torce minhas entranhas, e faz com que os
minúsculos pêlos em meus braços se arrepiem - contorce sua
expressão, quando ele agarra seu pai pelo colarinho e o olha
nos olhos.

— Afinal, você é o homem que me fez tirar meu irmãozinho


da porta do armário, e cortar a corda do seu pescoço... porque
não podia fazer isso!

Um turbilhão de emoções forma um nó gigante no meu


estômago.

Balanço a cabeça como se a ação sozinha, pudesse apagar


as horríveis palavras de Jace.

— O quê? — Tento aspirar ar para os pulmões, mas é


impossível. — Liam... se matou?

As expressões deles me dizem que estou louca, e espero


que sim, porque não consigo entender nada disso.

Algo passa no olhar de Jace e ele abre a boca para falar,


mas não tem a chance, porque Bianca diz — Não aja como se
você não soubesse.

A pressão aperta contra minhas costelas. Claro que eu não


sabia.

Minha cabeça gira. — Tommy diss-

Royal hearts academy #1


— Guarde isso! — ela range com os dentes cerrados. —
Nós já sabemos sobre você e Tommy. — Uma carranca torce
sua boca enquanto ela dá um passo à frente. — E como você
se aproveitou de Liam, para poder se vingar de Jace por estar
com Britney.

A implicação me atinge como um tijolo. Liam e eu éramos


amigos.

Eu nunca o usaria para machucar Jace. Nunca usaria


Liam, ponto final.

Balanço a cabeça. — Eu não-

— Bianca! — Jace rosna e ela olha para ele.

— Você prometeu a Liam que não contaria a Dylan, que


ele estava apaixonado por ela... não eu. — Ela vira seu olhar
furioso para mim novamente. — Além disso, não é como se a
cadela não soubesse. Tudo fazia parte de seu plano mestre,
lembra? Levar Liam para o baile, fazê-lo pensar que realmente
tinha uma chance com ela... e depois bum... esmagar os dois
como insetos. — Seus olhos ficam vidrados. — Como você vive
com você mesma? Como acorda todos os dias, sabendo que é
responsável por tirar alguém tão incrível deste mundo?

Tento respirar além da dor nas costelas, mas dói demais.


Isso não pode ser real.

— Eu não... Eu sinto muito. — engasgo, minhas pernas


dobrando.

Não machuquei Liam intencionalmente, mas isso não


importa.

Ele morreu por minha causa.

Uma onda de emoção aperta meu coração, me pegando


pela garganta.

Royal hearts academy #1


Oh, Deus. Eu matei meu amigo.

Ela cospe na minha cara. — Foda-se você e seu pedido de


desculpas. — Ela se lança para mim, mas Cole e Jace se
apressam. — Você já matou um dos meus irmãos. Não vou
ficar parada e assisti-la fazer isso de novo. Fique longe de
Jace, ou juro por Deus que vou arruinar sua vida.

Ela luta contra Jace quando ele a pega. — Saia antes que
eu enrole uma corda no seu pescoço! — ela começa a soluçar
tanto que treme. — Eu te odeio! — Um som gutural a deixa, e
corta através de mim como vidro. — Sinto muita falta dele.

Jace envolve os braços em torno de seu pequeno corpo. —


Eu sei que você sente. — Ele fecha os olhos. — Também sinto
a sua falta.

O Sr. Covington parece tão desamparado quanto eu,


quando seu olhar pousa em mim. — Você precisa ir.

Ele tem razão.

Eu já destruí esta família, o mínimo que posso fazer é ficar


longe.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— Dylan?

Não sei como Sawyer sabia que estaria aqui, mas isso não
importa.

Ainda não vou falar com ela.

A lápide que estou olhando atualmente, é um lembrete


evidente de que sou a pior amiga do mundo.

Eu machuco as pessoas que se preocupam comigo. Assim


como meu pai faz.

É melhor ficar longe de Sawyer, Jace e de todos os outros


que eu amo. Para o bem deles.

Sem entender, Sawyer se ajoelha ao meu lado. — Você não


foi para a escola nos últimos três dias. Tentei ligar e enviar
mensagens de texto, mas não respondeu.

Porque eu te amo, e não quero que você acabe em um


túmulo, como Liam.

Limpando a garganta, ela tenta uma tática diferente. —


Conversei com Cole e Oakley... eles me disseram o que
aconteceu. Bem, Cole principalmente. Oak sabia tanto quanto
eu.

Ela pega minha mão, mas eu a puxo para trás.

— Dylan, o que aconteceu não foi sua culpa.

— Se você honestamente acredita nisso, Cole não deve ter


te contado tudo. — sussurro, puxando meus joelhos no peito.

Royal hearts academy #1


— Ele contou. — Ela me dá um pequeno sorriso. —
Ameacei cortar os pneus de seu carro novo, se ele não o
fizesse.

As pontas dos seus dedos acariciam a lápide de mármore.


— Eu não sabia que Cole teve um irmão gêmeo.

Eu fecho meus olhos. Teve.

— Sim, bem... isso é por minha causa.

O rosto dela se contrai. — Isso não é...

— Pare.

Não quero que ela defenda o que fiz, e me diga um monte


de merda, para me fazer sentir melhor.

Eu não mereço compaixão.

Liam morreu, porque eu o machuquei. Nada nunca vai


mudar isso.

— Sua cor favorita era verde — eu a informo. — Ele


adorava filmes de zumbis e era tão inteligente, que
provavelmente se tornaria médico ou cientista.

Se ele tivesse a chance.

Lágrimas rolam pelas minhas bochechas, mas não faço


nenhum movimento para enxugá-las. — Ele era doce e gentil...
mesmo quando os outros não eram. — Eu olho para ela. —
Você sabe que depois que uma pessoa morre, sua família e
amigos alegam que ela iluminava uma sala, e era a melhor
pessoa que já conheceram?

Ela assente.

— É besteira. A maioria das pessoas não ilumina salas, e


definitivamente, não é inerentemente altruísta e compassiva...

Royal hearts academy #1


não como Liam. — Volto para a lápide. — Liam não apenas
iluminava uma sala - ele iluminava o mundo inteiro... até que
eu quebrei seu coração.

E agora tudo está cinza.

— Isso n...

— Pizza de abacaxi era sua comida favorita. Ele odiava


sorvete, porque detestava o frio. Ele adorava comer panquecas
no café da manhã... mas apenas as duas primeiras da pilha.
Jace costumava incomodá-lo, mas sempre fazia sentido para
mim. As outras panquecas simplesmente não são como as
prime-

— Dylan por que-

— Porque não é sobre mim!

É sobre Liam. E se ela quer que eu fale, é sobre quem


falaremos.

— Você não pode continuar fazendo isso sozinha. — A


cabeça dela encontra meu ombro. — Não é justo se punir,
porque você não retribuiu os sentimentos dele. Você não pode
escolher por quem se apaixona.

Um choque de agonia corta meu peito. — Eu nunca soube


que ele se sentia assim... éramos amigos. — Limpo minhas
lágrimas com as costas da manga. — Só fico pensando em
como ele deveria estar feliz, quando concordei em ir ao baile
com ele... e então...

Ele descobriu que eu estava apaixonada por seu irmão.

E se matou.

Porque pensou que eu estava usando ele.

Royal hearts academy #1


— De acordo com Cole, Liam fez Jace prometer não
contar, até que ele estivesse pronto, então não havia como
você saber.

— Se eu sabia ou não, não importa mais. O resultado final


ainda é o mesmo.

Ele se foi... e nunca mais voltará.

— Isso importa. — Sua voz suaviza. — Eu não conhecia


Liam, mas eu conheço você. E você não é o tipo de pessoa, que
machucaria ou usaria alguém intencionalmente. — Ela
segura minha mão. — O que aconteceu com Liam, foi uma
tragédia terrível. Mas aceite isso de alguém que foi intimidada
e rejeitada, por muitos caras por quem ela se apaixona, a
morte de Liam não é sua cruz para suportar.

Ela enfia uma mecha do meu cabelo atrás da orelha. —


Havia mais coisas acontecendo com ele. — Tristeza registra
seus traços. — Cole disse que Liam lutou contra a depressão,
e foi vítima de bullying na escola, por anos. Liam não queria ir
ao aconselhamento, e o pai deles não insistiu no assunto. Não
sou psiquiatra, mas tenho certeza de que isso desempenhou
um grande papel no que aconteceu. — Sua voz cai em um
sussurro. — Ele precisava de ajuda, mas não conseguiu.

Meu interior se torce. — Eu não sabia disso.

Eu sabia que ele era intimidado, mas Liam nunca agiu


como se o incomodasse tanto.

Não ao meu redor, pelo menos.

Não alivia a culpa que sinto, ou a minha culpa em sua


morte, mas coloca algumas coisas em perspectiva.

— Algumas pessoas escondem isso melhor do que outras.


— Ela me agarra pelos ombros. — Olha, se você não quer me
ouvir, então ouça o Liam.

Royal hearts academy #1


— Como? Ele está mor-

— Sim, mas ele ainda te amava. O que significa que ele


sabia que você era uma boa pessoa. — Seus olhos castanhos
suavizam. — Você é uma boa pessoa.

— Você realmente pensa assim?

Porque com certeza não me sinto mais como uma.

— Eu sei. — Sorrindo, ela me envolve em um abraço. —


Confie em mim, você não terá problemas para passar por
aqueles portões perolados. E quando fizer isso, Liam estará te
esperando com os braços bem abertos.

O peso no meu peito parece um pouco mais leve. Deus,


espero que sim.

Eu daria tudo para apagar o que aconteceu.

Um pensamento me ocorre quando nos separamos. —


Bianca mencionou algo sobre mim e Tommy... não fazia
sentido para mim na hora, e para ser sincera, ainda não faz.
— Esfrego as mãos na calça jeans. — Não tenho certeza se
Tommy intencionalmente mentiu para mim, sobre a morte de
Liam, ou se foi um boato que ele ouviu, mas desde então
houve um sentimento estranho em meu estômago. Existe
alguma maneira de você perguntar a Cole, o que Bianca quis
dizer? Gostaria, mas não quero incomodar-

— Ninguém te contou?

— Me contou o que?

Carrancuda, ela se levanta. — Juro que metade dos


problemas do mundo seriam resolvidos, se as pessoas
aprendessem a se comunicar...

Royal hearts academy #1


— Sawyer, — interrompo antes que ela saia pela tangente.
— Diga-me o que você sabe.

Ela assente. — Certo. Ok... hum... então... em poucas


palavras, Tommy armou pra você levar a culpa pelas merdas
que ele fez. Pelo menos essa é a minha interpretação. — Ela
começa a andar de um lado para o outro. — Pelo que entendi,
Tommy levou Liam para o armário no meio do baile... porque
queria que ele visse você com Jace. E então, quando Liam
correu de volta para o ginásio chorando... ele começou a rir
dele na frente de todos.

Me levanto. — O quê?

Isso não é apenas uma coisa de merda, é uma coisa má de


se fazer.

Ela estremece. — Fica pior.

Meu estômago se revira. — Quanto pior?

Ela para de andar. — Evidentemente, quando Jace


confrontou Tommy sobre isso, alguns dias após a morte de
Liam, Tommy disse a ele, que você planejou usar Liam para
machucar Jace, porque ele levou Britney ao baile.

A indignação me enraíza no local. — Aquele filho da puta


mentiroso. Fui com Liam ao baile porque ele era meu amigo,
não por causa de Jace. E eu certamente nunca armaria um
plano, para machucar nenhum deles.

— Cole disse que Tommy foi muito convincente. Até ele


acreditou... até recentemente. — Sawyer torce as mãos. —
Imagino que foi um período difícil para todos eles. A dor pode
dificultar a visão da floresta através das árvores.

E eu não sei disso?!

— Acho que isso explica por que Jace me odeia tanto.

Royal hearts academy #1


Estar perto de mim, era o equivalente a rasgar pedaços de
seu coração, repetidas vezes.

Não é à toa que ele parecia tão infeliz depois de nós...

Dói respirar novamente. — Todos acham que eu... — O


desamparo se aperta na minha garganta. — Não machuquei
Liam de propósito.

— Eu sei.

— Você sim, mas eles não. E não tenho ideia de como


provar isso, quando todos acreditaram na história de Tommy,
e eu não estava aqui para me defender.

O rosto dela se anima. — Quem disse que você não pode


fazer isso agora?

— Não faço ideia de como isso é possível, depois de todo


esse tempo.

— Entendi o que você está dizendo, mas... — Eu posso


ver as rodas proverbiais em sua cabeça girando. — Espere...
Tommy não sabe que você sabe a verdade, certo?

Dado que ele obviamente mentiu para mim sobre a morte


de Liam, eu vou com não. — Não. Não que eu saiba.

Ela morde o lábio inferior. — E a última vez que se viram,


foi na marina, quando você terminou as coisas com ele?

Não sei do que ela está falando, mas confio nela, então
seguirei as bolas quicando. — Tecnicamente eu estava no jogo
de futebol, quando Jace chutou a bunda dele, mas acho que
ele não me viu...

— Perfeito.

Ela começa a andar de novo.

Royal hearts academy #1


— Uh... Sawyer. Você se importaria de me atualizar aqui?

Ela levanta um dedo. — Me dê um segundo.

Um momento depois, ela para de andar e suspira.

Não sei o que pensar da sua expressão quando ela olha


para mim.

— Eu não vou mentir para você. Minha ideia é totalmente


fodida, nojenta... e todo tipo de errada, mas isso lhe dará uma
prova tangível.

O suspense está me matando. — Sou toda ouvidos. Diga-


me o que tenho que fazer.

— Vá para o hospital e seduza Tommy.

Sim, é oficial. Ela perdeu a cabeça. — O quê?

— Tommy está obcecado por você. Aposto que se for lá e


trabalhar sua mágica... poderá fazê-lo confessar, e gravar no
seu telefone.

Não tenho ideia de que tipo de mágica ela está se


referindo, mas estou disposta a fazer qualquer coisa neste
momento, então vale a pena tentar.

Pego minha bolsa do chão. — Você realmente acha que


será assim tão fácil?

— Você está brincando? — Ela move um dedo para cima e


para baixo. — Vi o que você está escondendo por baixo disso.
Confie em mim, será molezinha. — Ela puxa meu braço. —
Devemos ir antes do horário de visita terminar.

— Espere.

Curvando-me, passo o polegar pelo nome de Liam.

Royal hearts academy #1


Me desculpe por te machucar.

Eu me viro para ir embora, mas uma borboleta azul cai no


meu nariz.

Sawyer sorri. — Minha avó costumava me dizer, que as


borboletas aparecem quando os anjos estão próximos.

A emoção entope minha garganta quando a borboleta bate


as asas, e sobrevoa a lápide de Liam.

Sua avó estava certa.

Royal hearts academy #1


DYLAN

— A julgar por quanto tempo você esteve lá, acho que


funcionou? — diz Sawyer enquanto eu saio pela porta.

Eu estremeço. — Sim.

Ela estava certa, foi realmente fácil fazer Tommy derramar


a história, uma vez que o convenci de que odiava Jace e liguei
o… charme.

Os analgésicos que ele está tomando, que o deixam


grogue, também podem ter ajudado.

Sem mencionar sua amplitude de movimento muito


limitada, uma vez que uma de suas pernas está em tração, e
há um gesso em seu braço.

Sawyer me olha com cautela. — Pronta para ir?

Eu reprimo outro estremecimento, enquanto deslizo meu


telefone no bolso da calça jeans. — Definitivamente.

Agora que tenho minha prova, a única coisa que resta a


fazer, é enviá-la para Jace.

Pensando melhor.

Meus passos param. — Você se importaria de me deixar


na padaria?

— Certo. Eu não sabia que você tinha que trabalhar hoje à


noite.

— Eu não tenho. Tenho que pedir um favor à Sra.


Dickinson.

Royal hearts academy #1


Graças à Sra. Dickinson insistindo em me ensinar a assar
nas últimas cinco horas, é quase meia-noite quando chego à
casa de Jace.

Com o coração saindo do peito, coloco o pen drive e a


pequena cesta de kachori na varanda.

Não há nada que eu possa dizer ou fazer, para apagar a


dor dele, e sei que nunca poderemos ficar juntos,
considerando tudo o que vem à tona.

Mas eu quero que Jace saiba, que a garota com quem ele
pisou em kachori no parquinho, quando tínhamos onze anos...

Sempre o amará.

Com cada pedaço quebrado e irregular de seu coração.

Royal hearts academy #1


JACE

— Você está olhando para aquela cesta de kachori e de


mau humor, há dois dias — Cole afirma enquanto entra pela
porta do meu quarto.

Eu olho para ele. — Já ouviu falar em bater?

— Wow, você viu isso? Ele está vivo! — Oakley grita.

Porra, inferno. Não estou com disposição para essa merda.

Girando na cadeira do computador, eu os encaro. —


Saiam. Vocês dois.

Dor brilha nos olhos de Oakley, antes que eles se


estreitem. — Foda-se, seu idiota. Você não atendeu nenhuma
das minhas ligações, e não foi para escola a semana toda. —
Ele balança um dedo para mim. — Exijo uma explicação.

Eu levanto uma sobrancelha. — Na última vez que


chequei, minha mãe estava morta. — Levantando meu dedo
do meio, viro minha cadeira de volta. — A menos que você
esteja me alimentando ou me fodendo, não lhe devo nada.

Atrás de mim, Cole bufa. — Acho que isso significa, que


deveríamos trazer Dylan aqui.

Os pêlos na parte de trás do meu pescoço, se arrepiam à


menção do nome dela.

— Foda-se vocês.

Focando na tela do meu computador, introduzo uma nova


linha de código.

Royal hearts academy #1


Mas então a tela fica preta... porque Oakley puxou o
plugue do meu monitor de mesa.

— Que diabos, idiota? Eu estava-

— Eu não dou uma merda. — Franzindo a testa, ele


gesticula para Cole. Estamos preocupados com você, cara.

— Estou bem.

— Não, você não está. — Passando a mão pelo rosto, ele


se senta na beira da minha cama. — Imaginei que você e
Dylan resolveriam suas coisas, mas isso não parece estar
acontecendo.

— Uau, boa observação, capitão Óbvio.

Dylan e eu não podemos trabalhar nossa merda.

Há muito disso lá.

— Bem, pelo que vale, ela também está infeliz. — ele me


informa. — Ontem foi seu primeiro dia de volta à escola, e isso
só porque meu pai virou a merda, e Crystal a forçou a ir. —
Seus olhos estão sombrios. — Ela não fala comigo... não como
ela costumava fazer. Tudo o que faz é trabalhar, e visitar o
túmulo de Liam.

Estou prestes a lembrá-lo, que sua falta de habilidades de


conversação, provavelmente tem mais a ver com ele transando
com sua tia, mas sua última declaração reverbera através do
meu crânio.

Eu engulo o tijolo na minha garganta. — Ela visita Liam?

Nem consigo ir lá mais de duas vezes por ano.

Cole senta-se ao lado de Oakley. — De acordo com


Sawyer, ela esteve lá todos os dias desta semana... se
desculpando. — Seu rosto se enruga. — Desde a noite da sua

Royal hearts academy #1


festa de aniversário, eu senti que algo não estava certo, mas
quando Bianca soltou o inferno em cima dela... Eu tive
certeza. — Ele segura meu olhar. — Aquilo não era culpa,
Jace... era pesar. Eu não dou a mínima para o que Tommy diz,
essa garota não fez nada com Liam.

Suas palavras são o equivalente a balas, atravessando


meu coração.

Eu sei que ela não fez.

A angústia em seus olhos... era como ver Liam naquele


armário novamente.

Eu expiro bruscamente. — Eu sei.

É por isso que não estive na escola esta semana.

Vê-la vai me rasgar em pedaços. Ou melhor, vê-la tão


chateada e não ser capaz de consertar.

Mas eu não posso. Não sem trair Liam.

Por mais que odeie admitir, fazer Dylan pagar pelo que eu
erroneamente assumi que ela fez, foi mais fácil.

Pelo menos, eu tive pequenos pedaços dela, enquanto


tentava me convencer de que estava tudo bem, porque estava
defendendo a honra do meu irmãozinho.

Agora voltei a me sentir vazio e culpado novamente.

Assim como eu mereço.

Levanto-me e conecto meu monitor de volta. — Tenho que


fazer algum trabalho.

Cole e Oakley trocam um olhar.

— Cara, sério?

Royal hearts academy #1


— Sério o quê? Tenho trabalho a fazer.

A empresa que comprou o Z.I., perguntou se eu poderia


desenvolver uma sequência. O tipo de dinheiro que eles estão
oferecendo, me manterá por um tempo depois de me formar,
por isso seria burrice estragar tudo.

— Você está brincando? — As narinas de Cole se alargam.


— Dylan ser inocente não significa nada para você?

— Isso significa que ela é uma boa pessoa, que não


merecia a merda pela qual eu a submeti, mas... — me freio no
final da minha declaração, antes que possa terminá-la.

— Mas o quê? — Ele enruga a testa. — Você está


esperando que outro cara acerte aquela bunda e estabeleça
raízes, antes de voltar a si?

Meus lábios se torcem em uma careta. — O quê?

Ele abre bem os braços. — Eu não sei, cara. Estou apenas


tentando descobrir, por que você ainda está deprimido,
quando sabe que Dylan não fez nada de errado.

— Porque não muda nada. — eu falo.

Eu não posso tê-la.

Ele me olha como se eu tivesse brotado outra cabeça. —


Como o inferno que não muda.

Bufando, Oakley caminha até a minha janela e a abre. —


Estou com Cole. Agora que a porra da verdade foi revelada, tá
na hora de virar homem e pegar a sua garota.

O que esses idiotas não entendem? — Ela não é minha


garota.

Royal hearts academy #1


Oakley tira o baseado de trás da orelha, e o acende. —
Ainda não. — Tossindo, ele me entrega. — Ligue para ela e
conserte essa merda.

— Certo. Quer que eu ressuscite Liam também, enquanto


estou nisso? Porque essa seria a única maneira de consertar
essa merda.

Confusão enruga seu rosto. — Pensei que já tivéssemos


resolvido isso, meu caro. Dylan não enganou seu irmão.

Trazendo o baseado aos meus lábios, inspiro


profundamente. — Eu sei que ela não enganou.

Ele arranca o baseado de mim. — Então não há mais


maconha para você, porque obviamente, você se fumou até a
estupidez.

Eu olho para ele. — Não sou estúpido, idiota. Eu estou-

— Ainda deixando sua culpa pela morte de Liam, comê-lo


vivo. — Cole diz com um suspiro pesado. — Imaginei.

— Você diz como se eu não tivesse todos os motivos.

— Você não tem.

— Bem, a menos que tenha feito uma sessão espírita, e


perguntado a ele você mesmo, não sei por que pensaria isso.

Cole estava lá naquela noite. Ele sabe o que eu fiz.

Liam ainda estaria vivo se eu não fosse tão malditamente


egoísta.

Ele olha para o teto. — Eu sei que Liam tinha sentimentos


por Dylan, mas isso não significa que você deve a ele, a chave
e o cadeado para sua felicidade eterna.

— Eu o traí.

Royal hearts academy #1


Portanto, eu mereço sofrer como ele sofreu. É justo.

— Não, você não o traiu. — Cole argumenta. — Você se


apaixonou por sua melhor amiga. A última vez que verifiquei,
isso não era crime.

Cole não entende. Por outro lado, seu senso de lealdade


sempre foi distorcido.

— Eu quebrei as regras. Me apaixonei por uma garota que


não era minha.

E eu sempre pagarei o preço.

Murmurando uma maldição, ele se levanta. — Não havia


regras, Jace. Dylan nunca foi dele.

Abro a boca para discutir, mas isso o deixa mais furioso.


— Essa garota te olha como se você estivesse segurando a
porra da lua, desde o primeiro dia em que a trouxe para casa,
seu idiota. — Ele cutuca meu peito com o dedo. — Liam
nunca teve chance, porque o coração de Dylan já estava
tomado.

— Eu sei.

A antipatia surge no meu estomago. Eu a amei primeiro.

Inferno, eu a amava antes mesmo de saber o nome dela.

Quando ela costumava se sentar sozinha no playground,


com os fones de ouvido... desligando o mundo.

Eu queria me juntar ao mundo que ela construiu.

Então um dia ela se aproximou de mim... e eu tive minha


chance.

Mas Liam declarou que ela era dele, e tudo se transformou


em fumaça.

Royal hearts academy #1


Agora ele está morto, Dylan está com o coração partido... e
eu ainda estou sentado aqui, sufocando nas malditas cinzas
da bagunça que fiz.

Tudo porque eu não sabia que o sentimento no meu peito,


quando a vi pela primeira vez, era amor.

Mas Liam sabia... Por consequência, ele se garantiu na


verbalização disso, e pegou a garota.

Só que ele não pegou.

Vergonha sobe pela minha espinha. — Não posso ficar


com Dylan, e padecer por Liam ao mesmo tempo. — Meu
queixo está tão apertado que mal consigo falar. — Não posso
reparar verdadeiramente o que fiz se-

— Escute-me e ouça bem... — Cole resmunga com os


dentes cerrados enquanto aponta para o rosto. — Você não é
responsável pela morte de Liam.

— Se não sou, quem é? — se não fosse tão trágico, a


declaração de Cole seria cômica. — Eu não só o traí, como
disse uma merda realmente horrível para ele naquela noite.
Como seu irmão mais velho e melhor amigo, eu deveria estar
lá por ele... mas não estava. Não fui nenhuma das coisas que
Liam precisava que eu fosse, quando ele realmente precisou.

Não há volta disso.

Seu olhar corta para o meu. — Ainda não foi sua culpa. —
Ele se senta novamente na cama. — Liam, e somente Liam,
escolheu uma solução permanente, para um problema
temporário.

— Um problema que criei para ele.

— Como amar Dylan era um problema? — Oak se


intromete com um encolher de ombros. — Eu sei que Liam

Royal hearts academy #1


tinha uma queda por Dylan e tudo, mas... não sendo um
idiota, Liam e Dylan nunca namoraram. Inferno, eles nunca
chegaram nem perto disso. Dado o que Cole disse, parece
óbvio que ela estava apaixonada por você desde o início, e vice-
versa. Portanto, não vejo como a morte dele foi sua culpa. Ou
de qualquer pessoa, na verdade... exceto daqueles idiotas que
o provocaram na escola. — Ele olha ao redor do quarto. — Ou
vamos continuar ignorando isso?

— O bullying não foi o que fez Liam se matar.

— E você sabe disso como? — Cole morde. — Estava com


ele no armário naquela noite?

— Claro que não, mas Liam se matou horas depois de


brigarmos porque eu o traí.

— E horas depois de Tommy e aqueles outros idiotas,


zombarem dele no baile da escola. — Ele se levanta. — Você
sabe que ele tinha problemas, Jace. Você e o papai podem
enterrar a cabeça na areia, tanto o quanto quiserem sobre
essa merda, mas Liam era bipolar... assim como mamãe. Os
sinais estavam todos lá. Um segundo, ele estava feliz... e duas
semanas depois estava deitado na cama o fim de semana
inteiro, agindo como um idiota irritadiço e miserável.

Um pico de raiva corre através de mim. — Só porque


alguém é bipolar, não faz dele um idiota.

— Não, não faz... mas os torna humanos. Eu sei que aos


seus olhos, Liam era um santo, mas se ele estivesse aqui
agora, diria que não era. Ele também dizia que sentia falta da
mamãe, e o quanto machucava o papai não estar por perto. O
quanto odiava ser intimidado na escola, e que isso o feria
seriamente. — Vergonha preenche seus traços. — Ele diria
que o que aconteceu com ele, não foi culpa sua. Porque você
foi o melhor irmão que ele poderia ter pedido. O protegeu e o

Royal hearts academy #1


amou… o que é muito mais do que qualquer um pode dizer
que de mim.

Merda. — Cole não-

Ele bate no peito. — Eu era seu irmão gêmeo, Jace! Então


o conhecia melhor do que ninguém. Por que você acha que era
tão fácil para mim, machucá-lo o tempo todo? Se alguém é
responsável pelo que aconteceu, sou eu. — Ele ri, mas é um
som sombrio e sem humor. — Fodam-se as crianças na escola,
seu maior bully estava bem aqui em casa.

Porra. Não tenho ideia do que dizer sobre isso. Cole e Liam
tiveram um relacionamento de merda. Mas não quero que Cole
coloque esse fardo em seus ombros.

Eu não quero perder o único irmão que me resta.

Eu arrasto a mão sobre o meu couro cabeludo. — Você


não pode se culpar.

— Bem, então você também não pode. — Cruzando os


braços, ele me olha. — Se quer que eu e Bianca sejamos
felizes... você tem que liderar o caminho. Mostre-nos que boas
coisas ainda podem acontecer, porque agora parece que toda
essa família fodida, está destinada a tragédia após tragédia. —
Ele pega o baseado de Oakley e o leva aos lábios. — Eu não sei
você irmão, mas estou ficando muito cansado disso.

Não é que é verdade. — Eu também.

— Então prove. — Soprando uma nuvem de fumaça, ele


aponta o queixo em direção à janela. — Dylan te faz feliz, cara.
E se você ama a mim e a Bianca....

— E a mim! — Oak entra.

Ele encolhe os ombros quando o olhamos. — O quê? Eu


estava começando a me sentir deixado de fora.

Royal hearts academy #1


Cole sorri. — E a Oakley, você vai virar homem como ele
disse, e pegar sua garota.

Ou Cole acabou de me manipular, ou me conhece melhor


do que eu pensava.

De qualquer maneira, funcionou.

É impossível para mim ser verdadeiramente feliz sem


Dylan.

Ela é a única por quem essa coisa fodida no meu peito,


bate e sangra.

Estou cansado de viver sem a outra metade da minha


alma.

Estou cansado de sentir falta da minha melhor amiga.

Estou cansado de acordar todos os dias sem nada, quando


meu tudo está bem ali.

A determinação flui pelas minhas veias. — Onde ela está?

Oakley acende outro baseado. — Casa. — Ele pisca. —


Espere... não. Ela se foi.

Eu pulo da minha cadeira. — Como assim, ela se foi?

— Crystal sentiu-se mal por Wayne descarregar em cima


dela, e ameaçar expulsá-la ontem de manhã, então conseguiu
ingressos para um show de rock hoje à noite. — Ele dá uma
tragada rápida e solta uma nuvem de fumaça. — Sawyer
deveria ir com ela, mas seu chefe não lhe deu a noite de folga.
— Ele encolhe os ombros. — Ela me perguntou se eu queria
ir, mas eu disse que preferia enfiar um garfo nos olhos, do que
ouvir essa porcaria.

É tudo o que posso fazer para não torcer o pescoço dele. —


Você a deixou ir sozinha a um show de rock?

Royal hearts academy #1


Ele olha para Cole. — Eu não deveria?

Cole estremece. — A julgar pelo olhar assassino nos olhos


de Jace, provavelmente não.

Seu olhar volta para mim. — Foi mal. Eu pensei-

— Qual show?

— Merda, eu não sei. Acho que era Jimmy comendo...


alguma coisa. Espere, talvez tenha sido o Lenny. Não,
definitivamente era Ben-

Não ouço o resto da sentença de Oakley, porque estou


saindo pela porta para pegar minha garota.

Royal hearts academy #1


JACE

— Preciso ver seu ingresso.

Bato uma pilha de notas de cem dólares na mão dele. —


Isso deve cobrir.

— Posso colocá-lo na segunda fila, ou na pista. Qual deles


você quer?

— Na pista está bom.

É onde Dylan estará.

Ele me entrega um crachá com as palavras VIP. — Precisa


de um segurança?

— Não.

Eu só preciso de Dylan.

Ele levanta a corda. — Divirta-se.

Depois de andar por um túnel, que se estendeu por um


fodido longo tempo, entro no anfiteatro ao ar livre.

Apesar da chuva escorrer e do trovão ao longe, ainda está


lotado.

Levantando o capuz, eu ando pelo caminho que leva à


entrada da pista... mas paro quando a vejo.

Olhos fechados e uma mão empurrada no ar, Dylan está


cantando cada palavra de "The Middle" de Jimmy Eat World
para o pôr do sol, enquanto balança seu corpo com a música.

Royal hearts academy #1


Ela parece tão linda e despreocupada, que deixa minha
respiração presa.

As pessoas na pista estão ficando frustradas, devido à


tempestade iminente, mas Dylan não dá a mínima.

É uma das coisas que mais amo nela.

O céu se abre e a chuva começa a cair em baldes,


encharcando seus cabelos e roupas... mas minha garota
continua cantando e dançando, sem perder o ritmo.

A determinação alimenta meus passos, mas é rapidamente


substituída pela raiva, quando um cara aparece atrás dela e
coloca as mãos nos seus quadris.

Uma névoa vermelha embaça minha visão e cerro os


punhos, enquanto empurro a multidão.

Ele é um homem morto. Vou esmagar todos os ossos do


corpo desse filho da puta e…

Dylan dá um soco na mandíbula dele, dois segundos antes


de eu alcançá-la.

O idiota cambaleia de volta, antes de fugir como uma


putinha.

Bem, merda.

— Você acabou de arruinar meu grande gesto romântico.

Seus olhos se arregalam de choque, quando ela olha para


mim. — O que você está fazendo aqui?

Pelo menos eu acho que é o que ela diz. É difícil ouvi-la


acima da música.

— Eu sou um idiota.

Royal hearts academy #1


Não é a melhor frase de abertura, mas inferno, se não é a
verdade.

Coçando o rosto bonito, ela aponta para a orelha. — O


quê?

Evidentemente, ela também não pode me ouvir.

Fechando a distância entre nós, coloco a sua mão no meu


peito, logo acima do órgão que pertence a ela.

Então repito as mesmas palavras que disse a ela no


armário naquele dia, pegando exatamente onde deixei a bola
cair.

— A Fossa das Marianas não é profunda o suficiente para


o que eu sinto por você.

E eu vou alegremente sangrar meu coração, para provar


essa merda para ela, se isso for o que é preciso.

Ela aponta para o ouvido com a mão livre, sinalizando que


ainda não consegue me ouvir.

Oh, inferno.

Conheço uma maneira melhor de nos comunicarmos.

Colocando seu rosto em minhas mãos, eu bato minha


boca contra a dela.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Jace está me beijando, como se eu fosse o oxigênio que ele


precisa para sobreviver, no meio de um show de rock... na
chuva.

Quero me beliscar para ter certeza de que é real, porque


tenho certeza de que é exatamente disso, que os bons sonhos
são feitos.

Minha cabeça gira e meu coração bate contra minhas


costelas, enquanto ele me provoca com pequenos movimentos
de sua língua, persuadindo-me a me entregar.

No momento em que o faço, qualquer que seja a corda que


tivemos entre nós se parte, o beijo se torna desesperado e que
tudo consome. Seus dedos cravam nos meus quadris e ele
solta um grunhido baixo e áspero, que me faz pulsar com a
necessidade.

Eu nunca quero descer desta onda.

Infelizmente, este momento mágico é agridoce, e tem um


preço alto.

Porque sei que no segundo que Jace se afastar, sua culpa


o consumirá, e ele me olhará como se fosse um erro.
Novamente.

Eu não quero isso para ele... ou para mim.

Estar tão perto de mim o despedaça, e o amo demais para


deixá-lo continuar se machucando.

Royal hearts academy #1


Eu me amo demais para continuar girando em seu
carrossel.

Não é saudável para nenhum de nós.

Pressionando minha mão em seu peito, eu o empurro.

Eu faria qualquer coisa no mundo por Jace Covington.

Incluindo desistir da minha felicidade, para poupá-lo de


sua tristeza e culpa.

— Não posso fazer isso.

Ele parece tão confuso que corta através do meu coração.

Ele tenta me alcançar de novo, mas me afasto de seu


toque.

Não podemos ficar juntos... então é melhor ficarmos


separados.

Antes que ele possa me parar, empurro entre a multidão e


começo a correr, colocando a maior distância possível entre
nós.

Quando chego ao estacionamento, vou direto para a


pequena fila de táxis e Ubers.

— Para onde você está indo, senhorita? — o motorista


pergunta depois que eu entro.

Rapidamente passo o endereço do trabalho de Sawyer, e


ele pisa no acelerador.

Se alguém pode me tranquilizar de que estou fazendo a


coisa certa, me afastando de Jace, é ela.

Royal hearts academy #1


Pego meu telefone para poder mandar uma mensagem de
texto para ela, mas o motorista dispara — Pare de andar na
minha bunda.

Eu olho para cima. — Tudo certo?

— Desculpe, querida. — ele diz. — Esse maldito carro


está no meu para-choque, desde que saí do estacionamento.

Bem, merda.

Olho pelo para-brisa atrás de mim, e com certeza, um


Lexus azul royal está nos seguindo.

O motorista bate na buzina. — Que porra é essa?

Meu coração pula para a garganta, quando o carro de Jace


desvia para a próxima faixa, esquivando-se por pouco de um
veículo que dirige no sentido oposto, antes de nos ultrapassar.

Um momento depois, seu Lexus não passa de uma


mancha azul no pôr do sol.

O motorista bufa. — Você acredita nesse idiota? Algumas


pessoas são tão... que diabos? Ele está bloqueando a estrada!

Minha boca se abre quando paramos.

Ele está maluco.

A irritação corre sobre minha pele quando abro a porta e


saio do carro. — Que diabos você está fazendo?

Meu coração para e depois acelera, enquanto Jace


caminha em minha direção.

Seu lábio está curvado, sua mandíbula está apertada e


seus olhos escuros estão brilhando com tanta veemência, que
ele parece um predador.

Royal hearts academy #1


— Você me deixou, porra! — ele ferve.

Ele só pode estar brincando. Considerando todas as vezes


que ele me deixou, não tem o direito de ser tão hostil.

— Não somos bons um para o outro.

Seus olhos brilham. — Besteira.

Estou tentando fazer a coisa certa. — Jac-

— Diga-me o que será necessário para chegar até você. —


ele ruge. — Dê um nome e eu farei isso.

Não. Ele não precisa lutar tão duro por mim... agora não.

Não quando ele só vai me afastar de novo.

— Você não pode. — A frustração aumenta no meu peito


quando ele abre a boca para discutir. — Jesus, você não
entendeu? Toda vez que nos tocamos, você me olha como se
eu fosse um erro. Estou machucando você, e você está me
machucando.

Ele hesita. — Eu sinto muito.

Nunca, em um milhão de anos, eu nunca ouvi Jace


Covington se desculpar.

Mas pela primeira vez, isso não é culpa dele. — Pelo quê?
Você não pode ajudar... — Faço uma pausa porque não quero
dizer a coisa errada. — Nenhum de nós pode mudar o que
aconteceu.

Sua respiração o deixa com pressa. — Não... não podemos.

Pelo menos algo em que podemos concordar.

Eu acaricio sua bochecha. — Você foi a melhor coisa que


já me aconteceu, Jace Covington. — Lágrimas formigam no

Royal hearts academy #1


fundo da minha garganta quando eu abaixo a mão. — Sinto
muito que eu acabei sendo a pior para você.

Eu posso sentir fisicamente meu coração se partir quando


me viro.

Uma tragédia reuniu Jace e eu... e no final, foi também o


que nos separou.

— Isso não é verdade. — Ele agarra meu pulso e me gira.


— Eu amo você, Dylan. — As veias no seu antebraço incham
quando ele bate no peito. — Não posso mudar o passado, mas
posso mudar o futuro... e o meu inclui você.

O choque me enraíza no local. — Eu-

— Não. Maldição. — Meu coração bate violentamente


quando sua mão desliza para a minha nuca. — Você pode
tentar lutar contra essa coisa entre nós o máximo que puder...
mas eu prometo que não vai ganhar. — Suas narinas
queimam em uma inspiração profunda. — Eu te perdi uma
vez... e vou queimar a porra do mundo inteiro, antes de
cometer esse erro novamente.

Lágrimas embaçam minha visão e meus pulmões se


fecham. Cada palavra que ele diz, me abre completamente. —
Jace...

Seus dentes roçam a concha da minha orelha. — Vá em


frente, tente fugir de mim novamente baby. Porra, eu te
desafio!

Não desejo mais. Não depois que ele me expôs seu coração
desse jeito.

Emoção entope minha garganta. — Não posso. Eu te amo


muito.

Royal hearts academy #1


— Bom. — De uma só vez, ele me puxa para seus braços.
— Porquê sem uma chance no inferno, de que eu iria sair sem
você.

Eu tranco minhas pernas em volta de sua cintura, e ele


me puxa para um beijo tão escaldante, que esqueço como
respirar.

Formigamentos dançam para cima e para baixo na minha


espinha quando eu caio mais fundo em seu abismo,
precisando de mais, mais, mais…

— Mova seu veículo ou eu vou chamar a polícia — o


motorista late enquanto buzina. — Você está causando um
congestionamento.

Oh, merda. Quando inclino a cabeça, vejo carros para-


choque com para-choque.

Jace vira o dedo do meio para ele. — Foda-se, velho.

— Deus, você tão idiota. — eu murmuro, enquanto ele nos


leva em direção ao seu carro.

Seus lábios se curvam em um sorriso arrogante. — Sim,


mas eu sou o seu idiota.

Sim, ele é.

Royal hearts academy #1


DYLAN

Seis Meses Depois…

Um choque de excitação flui através de mim, enquanto


olho para o capelo e o vestido, pendurados na porta do meu
armário.

Em apenas mais duas horas, estarei oficialmente


graduada no ensino médio.

Meu coração afunda. Infelizmente, o mesmo não pode ser


dito do Oakley.

Dois dias atrás, a escola informou que ele não era elegível
para se formar, e teria que repetir seu último ano.

Dizer que meu tio está chateado, seria o mínimo.

No entanto, por mais que eu sinta por ele... não posso


dizer que estou surpresa.

Oakley esteve em uma espiral descendente nos últimos


meses... uma que resultou nele matando mais aulas, do que
assistindo.

Eu queria confrontar minha tia, por ferrar com sua cabeça


e foder sua vida, mas Oakley me implorou que não, e jurou
que estava tudo acabado entre eles para sempre.

Dado que minha tia anunciou que estava grávida de três


meses, durante o meu jantar de formatura na noite passada...
Espero que ele esteja dizendo a verdade.

Royal hearts academy #1


Meu peito está pesado quando saio do meu quarto e bato
em sua porta.

Ele não responde, mas posso ouvi-lo andando por lá.

— Sou eu. Podemos conversar um pouco?

— Sim. Entre.

Ele está jogando algumas roupas em uma mala quando


abro a porta.

— Planejando ir a algum lugar? — Tento manter minha


voz leve, mas falho miseravelmente.

— Cole perguntou ao pai, se eu poderia ficar na casa de


hóspedes deles durante o verão, e ele concordou.

Oh. Isso é novidade para mim. — Você está indo embora?

Ele sorri. — Não aja como se ainda não fosse me ver todos
os dias, enquanto visita seu namorado.

Ele faz um argumento válido.

Jace e eu estamos ligados pelo quadril hoje em dia. E eu


estaria mentindo se dissesse, que não estou amando cada
minuto disso.

Especialmente todos aqueles minutos que ele passa com a


cabeça entre as minhas-

Droga. Foco, Dylan.

— Eu sei... mas vai ser péssimo morar aqui sem você.

Especialmente com minha tia grávida.

Quero ficar feliz por ela, mas ainda acho difícil separar a
tia incrível que amo, da prostituta traidora que detesto.

Royal hearts academy #1


É um ato de malabarismo na maioria dos dias.

Mas pelo menos ela está indo a minha graduação... o que


é mais do que posso dizer do meu pai, que foi libertado da
prisão há uma semana, e ainda não fez nenhum contato.

Estou começando a perceber que a família nem sempre é


sangue... são as pessoas que estão lá para você, quando
ninguém mais está.

E para mim, essas pessoas são Jace, Sawyer e Oakley.

Ele abre a mala na cama, e começa a enchê-la com mais


roupas. — Eu não posso ficar aqui, Dylan.

Não posso dizer que não entendo. Meu tio pode ser... difícil
às vezes.

Na sua opinião, ele está certo sobre tudo, e todos que


discordam dele ou pensam de uma maneira diferente, estão
completamente errados.

Você nem consegue conversar com o homem por mais de


cinco minutos, sem a pressão arterial subir.

É por isso que no outono, optei pelos dormitórios da


Duke's Heart University, - que fica a apenas quinze minutos
de carro - em vez de ficar aqui.

Eu mexo meus dedos, tentando descobrir como fazer a


pergunta que está queimando na minha língua, desde a noite
passada.

E decido apenas sair com isso. — Existe uma chance do


bebê ser seu?

Por favor, diga que não.

Ele solta um suspiro. — Não.

Royal hearts academy #1


— Você tem certeza?

— Positivo. A última vez que fodemos, foi na noite em que


você descobriu. — Não há como confundir a dor nos olhos
dele. — Ela não me ama... ela o ama.

— Eu sinto muito.

Ele bufa. — Não, você não sente.

Ele está certo, não sinto. Minha tia não tinha nada que se
meter com o enteado.

Dito isto, lamento que ele esteja sofrendo. — Você está


melhor sem ela.

Ele esfrega o peito. — Não sinto desse jeito. — E puxa um


baseado atrás da orelha e o acende. — Eu esperava que ela
voltasse a si mesma, e me escolhesse em vez dele, mas é
seguro dizer que isso nunca vai acontecer agora.

Eu sempre sou péssima com esse tipo de coisa, mas digo a


ele o que sei ser verdade.

— Tem alguém lá fora para você, Oak. E quando a


encontrar, garanto que você não será sua segunda escolha.
Será a sua primeira e única escolha.

— Nah. Foda-se isso. Eu me queimei uma vez, e foi o


suficiente para aprender minha lição. — Ele solta uma nuvem
de fumaça. — Mas chega da minha merda, esse é o seu grande
dia.

Eu estremeço. Não sei como devo ficar feliz em me formar,


quando ele não vai. — Sawyer me disse para te dizer, que ela
seria sua tutora esse ano.

Ele me dá um breve aceno de cabeça. — Eu provavelmente


deveria aceitar isso.

Royal hearts academy #1


— Eu também posso te ajudar, você sabe. Apenas diga a
palavra.

Outro breve aceno de cabeça. — Sim.

Eu posso sentir a tensão ao seu redor começar a estalar.

— Oakley?

— Sim?

Eu ando e passo meus braços em volta dele. — Vai ficar


tudo bem.

Sua respiração fica apática e ele enterra o rosto no meu


pescoço. — Eu fodi tudo, Dylan.

— Mas você pode consertar.

— Não tenho certeza disso, — ele engasga. — Fiz isso


para atingi-lo e agora... Está tudo tão fodido.

Oh, ele está se referindo a esse fodido.

— São precisos dois para dançar o tango, se lembra? —


Enquadro o seu rosto com as mãos. — Ela era a adulta.
Portanto, ela é a errada.

— Confie em mim, sou um homem crescido. Posso ser


muito convincente quando quero. — Ele esfrega a mão no
rosto. — Eu não sei... só preciso me afastar dele... dela... de
tudo.

Eu o cutuco nas costelas. — Bem, você não pode se


afastar de mim. Vou parar na casa de hóspedes todos os dias
neste verão, para incomodá-lo.

Ele ri. — Isso é uma promessa ou uma ameaça?

Royal hearts academy #1


Erguendo-me na ponta dos pés, beijo sua bochecha. —
Uma promessa.

Ele me olha de cima a baixo. — Você provavelmente


deveria se arrumar.

Merda, ele está certo. Eu ainda estou de pijama. — Me


manda mensagem mais tarde?

— Claro, mas vejo você na cerimônia.

Eu pisco. — Você vai?

Ele olha para mim como se eu fosse louca. — Última vez


que verifiquei, você e Jace ainda estavam se formando. Então
foda-se, sim, eu vou.

Envolvo meus braços em torno dele pela segunda vez. —


Você é o melhor primo do mundo, sabia?

Ele bufa. — Pelo menos eu sou bom em alguma coisa.

— Você é bom em muitas coisas, Oak. Tenha fé em si


mesmo.

Jace: Eu já te disse o quão sexy você está nesse capelo e


vestido?

Não consigo vê-lo, pois ele está sentado a um bilhão de


fileiras acima, e já recebeu seu diploma, mas balanço a cabeça
e rio.

Dylan: Você sabe que está usando um também, certo?

Jace: Fica melhor em você.

Um segundo texto segue imediatamente.

Royal hearts academy #1


Jace: Aposto que parecerá ainda melhor fora. ;)

Dylan: Pervertido.

Jace: Você ama isso.

Eu amo. Realmente, realmente amo.

Dylan: Então... como se sente tendo se formado no ensino


médio?

Jace: Você me diz. Eles estão chamando seu nome, baby.

O pânico dispara pela minha espinha quando percebo que


minha fileira já se levantou, e eu não fui om eles. Porcaria.

É isso que ganho por curtir com o Jace, durante o ensaio


de formatura, em vez de prestar atenção.

O locutor limpa a garganta e examina a platéia. — Dylan


Taylor.

— Estou aqui!

O riso começa quando eu corro para o pódio, o mais


rápido que minhas pernas podem me levar.

— Uhulllll. Aewww, essa é a minha prima! — Ouço Oakley


gritar quando aceito meu diploma.

Mas apesar de todas as palmas - e os gritos de Oakley -


ainda há uma pessoa que eu ouço torcendo mais alto por mim.

Jace.

Ele está de pé em sua cadeira, batendo palmas e gritando


meu nome tão alto, que provavelmente não terá voz quando
terminar.

Não há nada além de puro orgulho nos seus olhos, quando


nossos olhares se chocam, e ele murmura 'eu te amo'.

Royal hearts academy #1


Minha garganta trava. Eu nunca soube que poderia me
sentir tão feliz... tão completa.

Mas isso é o que se apaixonar pelo seu melhor amigo faz.

Isso torna tudo muito melhor.

O mundo poderia acabar agora, e eu sei que ficaria bem...


desde que Jace estivesse ao meu lado quando isso
acontecesse.

Sorrio tanto que minhas bochechas doem. — Eu te amo.

Quebrando todas as regras, corro do palco e o beijo.

Porque ele é meu e eu sou dele.

E quero passar o resto da minha vida fazendo memórias


inesquecíveis com ele.

Royal hearts academy #1


Dois Meses Depois…

Eu pego meu telefone e ligo para Sawyer. Se alguém pode


me acalmar, quando Jace não está por perto, é ela.

— Algo está errado. — eu falo no momento em que ela


atende.

— O que está acontecendo?

Estico uma tira de fita adesiva sobre a caixa na minha


frente. — Jace tem agido de forma estranha nos últimos dois
dias.

— Estranho como? Estranho doente ou mal-humorado?

— Eu não sei... estranho, estranho. — Coloco uma pilha


de roupas dobradas em uma caixa diferente. — Acho que ele
está pirando porque vou para a universidade Duke.

— Por quê?

— Porque ele não vai. Porque ficarei no dormitório lá. Eu


não sei. Algo parece errado.

— Bem, você tentou perguntar o que há de errado?

— Não preciso. — murmuro. — Hoje de manhã ele me


mandou uma mensagem.

— E?

Eu engulo em seco. — Disse que precisávamos conversar.

Royal hearts academy #1


— Ah. — Ela fica em silêncio por alguns segundos antes
de gritar — Ei, isso nem sempre é uma coisa ruim. A
comunicação é importante em um relacionamento.

— Sawyer, quantos casais ainda estão juntos ao final de


uma conversa, que começa com as palavras, ‘precisamos
conversar’?

Ela respira fundo. — Okay, entendo o seu ponto. Mas isso


não importa. Você e Jace são almas gêmeas.

Nós somos... e é por isso que eu não entendo nada disso.

Dois dias atrás, tudo estava perfeito.

Então eu mencionei que estaria ocupada, porque


precisava começar a arrumar as malas para a faculdade... e de
repente vem o precisamos conversar.

Resmungando, eu me levanto. — Eu deveria encontrá-lo


em quinze minutos.

— Sua casa ou a dele?

— Nenhuma das duas opções. — Caminhando até o


espelho, dou uma olhada rápida. — Ele quer se encontrar na
nossa antiga escola primária.

— Realmente? Por quê?

— Eu não sei. A única coisa em que consigo pensar, é que


ele quer terminar as coisas no mesmo lugar em que começou.

Há uma respiração aguda. — Uau. Você realmente acha


que Jace seria tão cruel? Na verdade... não responda isso.
Tenha pensamentos felizes — ela diz antes de desligar.

Royal hearts academy #1


O sentimento ameaçador em meu estomago piora a cada
passo que dou, em direção à sequoia gigante.

Ele olha quando eu me aproximo. — Hey.

Nenhum beijo. Nenhum abraço. Só um hey.

— Hey.

O olhar em seus olhos agora, é como nada que eu já vi


antes.

Ele aponta para o local no chão ao seu lado dele. — Sente-


se.

De má vontade, eu faço.

O sorriso que ele me dá é desconfortável... como se ele não


quisesse ter essa conversa mais do que eu.

— Como você está?

Como eu estou? Se ele se desse ao trabalho de falar


comigo, por mais de dois segundos nas últimas quarenta e oito
horas, saberia que estou enlouquecendo.

— Bem.

Seus olhos escuros percorrem meu rosto, me estudando.

Eu moo meus molares. Deve ser um crime parecer tão


gostoso, quando você está prestes a partir o coração de
alguém.

Ele pega minha mão. — Você sabe que eu te amo, certo?

Meu coração se agarra. Meu Deus. É isso.

— Sim. — eu resmungo.

Ele faz uma careta. — Você está bem?

Royal hearts academy #1


— Só estou ótima. — eu rosno entre dentes.

— Realmente? Porque você não-

— Bom Deus, cara. Apenas continue com isso.

Termine logo comigo, para que eu possa quebrar sua


mandíbula e bater algum senso de volta em você.

— Não sabia que você estava com pressa. — Sinto o olhar


dele em mim. — Você estava usando um vestido azul com
listras brancas. Seu cabelo estava para cima, e você tinha
fones de ouvido vermelhos nos ouvidos. — Ele traça o
comprimento do meu antebraço com o dedo. — Seus olhos
estavam fechados e você estava cantando sua música favorita.
— Rindo, ele balança a cabeça. — Você era terrível... mas
parecia tão feliz em seu próprio mundinho, que eu não
conseguia parar de te olhar.

Eu não tenho ideia do que ele está falando. — Quando?

Suas mãos emolduram meu rosto. — A primeira vez que te


vi.

Realmente? Ele vai dizer algo assim antes de esmagar meu


coração em pedacinhos, e nem se dá ao trabalho de acertar.

— No dia em que nos conhecemos, eu usava macacão, não


um vestido azul. Meu cabelo estava solto... e eu estava com
outro fone de ouvido. O gato da babá destruiu os fones de
ouvido vermelhos, na semana anterior.

Ele sorri. — Eu disse que foi a primeira vez que te vi... não
a primeira vez que conversamos.

Oh. Sempre pensei que eu o tinha notado primeiro.

Esse olhar desconfortável em seus olhos está de volta. —


Ultimamente tenho pensado muito.

Royal hearts academy #1


Eu me preparo para o impacto. — Sobre?

— Nós. — Ele passa o polegar sobre a minha boca. — O


futuro.

— Okay.

— Você se lembra de quando costumávamos trocar


bilhetinhos com desafios?

Claro que eu lembro.

— Sim, eles deveriam ser concluídos até o final da próxima


semana, ou você perderia. — Dou um sorriso presunçoso. —
A propósito, nunca perdi.

— Eu sei. — Ele puxa um pedaço de papel do bolso e o


entrega para mim. — Espero que você continue sua série de
vitórias.

Confusa, desdobro o papel.

Meu coração se contrai quando vejo o que está escrito


nele.

Eu te desafio a morar comigo.

— Você está falando sério? Tipo na sua casa?

Ele sorri. — Não. Em um apartamento... nosso


apartamento. Encontrei três que acho que você vai gostar, e
eles estão a menos de cinco minutos da Duke. Eu falei com o
senhorio-

— Espere o quê? Você foi caçar um apartamento?

Ele concorda. — É o que tenho feito nos últimos dois dias.


— Ele solta um suspiro pesado. — Eu sei que você estava
planejando dormir no campus, e não queria tirar essa
experiência de você, mas sou um canalha egoísta. — Ele

Royal hearts academy #1


cruza os braços. — Quero ser o primeiro a vê-la quando
acordar. Não uma colega de quarto estúpi- wow, o que está
acontecendo? Porque você está chorando?

— Eu pensei que você ia terminar comigo. — engasgo,


limpando minhas lágrimas com a manga.

Ele faz uma careta. — Terminar com você? Que diabos?


Baby, por que eu sequer terminaria com você?

— Eu não sei, idiota. Você disse que precisávamos


conversar, e depois desapareceu por dois dias.

— Eu não desapareci. Você disse que estava ocupada.

— Nunca estou muito ocupada para você. — Enrosco


uma folha de grama em volta do meu dedo. — Eu só tinha que
me arrumar para o meu primeiro semestre da faculdade. É um
grande negócio, sabe?

— Sim, eu sei. — Ele pega outro pedaço de papel. — Verei


você por aí... no campus.

Minha boca se abre. — Pensei que tivesse dito que não


queria ir para a faculdade.

Ele encolhe os ombros. — Não queria, mas achei que


conseguir um bacharelado em ciência da computação, pode
não ser uma má ideia. É apenas meio período, por isso ainda
tenho tempo de sobra para trabalhar em videogames, — Ele
levanta meu queixo. — E para você.

Aquele sentimento feliz e confuso está de volta no meu


peito. — Eu te amo.

Abaixando a cabeça, ele beija a cavidade da minha


garganta. — Isso é um sim?

Royal hearts academy #1


— Você está de brincadeira? Isso é um inferno de um sim.
Claro que eu vou morar com você.

O alívio em seu rosto é aparente. — Bom. Porque marquei


reuniões com os proprietários esta tarde.

Meu estômago afunda como areia movediça. — Não posso


morar com você.

Ele empalidece. — A porra que você não pode! Por quê?

É quase risível que eu esqueci como estou sem dinheiro.


— Eu não tenho dinheiro. Só recebi uma bolsa parcial da
Duke. O resto são todos os empréstimos estudant-

— Você não tem que pagar por nada. — Ele me beija


devagar e doce, e meu coração desce até os dedos dos pés. —
Eu tenho você. Sempre.

— Mas eu não sou uma aproveitadora.

— Não, você não é. Você é minha. — Seu polegar acaricia


a borda do meu queixo. — E eu cuido do que é meu- que
diabos?

Meus olhos se arregalam em choque, quando uma


borboleta azul pousa no nariz de Jace.

Jace no entanto, não parece compartilhar meus


sentimentos. Eu o paro quando ele tenta espantá-la para
longe.

— Dylan, tem uma borboleta... na porra da minha cara.

Minha garganta pinica quando me lembro do que Sawyer


me disse naquele dia no cemitério.

Royal hearts academy #1


— Jace. — Espero que ele me olhe antes de sussurrar, —
Borboletas aparecem quando os anjos estão por perto.

Royal hearts academy #1

Você também pode gostar