Você está na página 1de 4

Aquaporinas e rejuvenescimento da pele

Que mulher - ou homem - não gostaria de manter para sempre uma aparência jovem? Os produtores
de cosméticos desenvolveram diversas formas de melhorar o aspecto da pele envelhecida, mas os
resultados ainda não atingiram o nível esperado.
Só que isso pode mudar em breve.
Uma descoberta que rendeu ao médico e químico Peter Agre o Prêmio Nobel de Química, em 2003,
serviu de base para pesquisas que prometem revolucionar os tratamentos para rejuvenescimento da
pele. Peter descobriu a existência de canais com proteínas que transportam e permitem a entrada e
saída da água na membrana celular, as chamadas "aquaporinas".
"As aquaporinas, encontradas na epiderme (camada mais superficial da pele), são muito importantes
para o equilíbrio hídrico das células", explica Flávia Addor, membro e vice-presidente da Sociedade
Brasileira de Dermatologia (SBD-SP).
Ela conta que o corpo vai perdendo a capacidade de formar "aquaporinas" na medida em que o tempo
passa. Este é um dos motivos do ressecamento da pele. A ideia dos novos estudos realizados por
algumas indústrias de cosméticos é estimular a produção das "aquaporinas" e, consequentemente,
manter a pele hidratada, com aparência mais jovem.
Produtos com substâncias que aumentam a síntese e estimulam a formação de "aquaporinas" já estão
em fase experimental. "Se os testes forem bem-sucedidos, esses ativos vão trazer uma inovação na
maneira de tratar a pele seca", afirma Flávia.

De acordo com a médica, um tratamento que aumente o número de "aquaporinas" hidrata a célula - e
a pele - de dentro para fora. Essa é a diferença em relação aos cremes e produtos que já estão no
mercado, cuja ação ocorre de fora para dentro, através de uma manutenção superficial dos níveis de
água da célula.
Outra vantagem é o auxílio no tratamento de inflamações cutâneas como a dermatite de contato e de
queimaduras solares. "Doenças como essas passariam a ter um tratamento mais específico e
eficiente, já que há evidências da disfunção ou redução das ‘aquaporinas’ nestas doenças" diz a
dermatologista.
http://vilamulher.terra.com.br/aquaporinas-e-rejuvenescimento-da-pele-2-1-14-311.html

1. Justifique a existência de aquaporinas tendo em conta a ultraestrutura membranar. ( 3 tópicos – 20


pontos)

2. Justifique a afirmação:"Apesar de existirem diferenças significativas, é possível estabelecer uma


relação morfofisiológica entre a tiflosole da minhoca e as vilosidades intestinais do homem." (3 tópicos
– 20 pontos)

3. O vírus que infecta a beterraba é transmitido de planta para planta através de afídios (insectos
parasitas que se alimentam dos seus fluidos). Explique por que razão a doença se espalha
rapidamente através da beterraba. (2 tópicos – 10 pontos)

4.Os gráficos da figura 1 representam, em volume, as


trocas gasosas que ocorrem através das superfícies
respiratórias das rãs de determinadas regiões, durante
um ano.
Figura 1

4.1. Interprete a diferença, registada no gráfico, entre a


actividade respiratória destas rãs verificada nos meses de
Abril/Maio e a actividade respiratória verificada nos meses
de Dezembro/Janeiro. (10 pontos)

4.2. Sendo os actuais Anfíbios animais pulmonados, como explica a necessidade de estes animais
realizarem uma intensa hematose através da pele? (2 tópicos – 10 pontos)
4.3. Justifique por que é falsa a seguinte afirmação:
Na rã, o sangue venoso que entra e o sangue venoso que sai do coração contem a mesma
concentração de dióxido de carbono. (2 tópicos - 10 pontos)

5. Num ser vivo, a manutenção das


características do meio interno
resulta da cooperação interactiva
dos diferentes sistemas de órgãos.

Os esquemas I e II da figura 2
representam duas estruturas renais
responsáveis pela regulação
homeostática realizada em peixes
ósseos de meios diferentes.

Figura 2

5.1. Relacione as características glomerulares da estrutura representada no esquema I com a


concentração do meio interno dos peixes que as possuem e com a sua regulação hídrica. (2 tópicos –
10 pontos)
Aquaporinas e rejuvenescimento da pele

Que mulher - ou homem - não gostaria de manter para sempre uma aparência jovem? Os produtores de
cosméticos desenvolveram diversas formas de melhorar o aspecto da pele envelhecida, mas os resultados
ainda não atingiram o nível esperado.
Só que isso pode mudar em breve.
Uma descoberta que rendeu ao médico e químico Peter Agre o Prêmio Nobel de Química, em 2003, serviu
de base para pesquisas que prometem revolucionar os tratamentos para rejuvenescimento da pele. Peter
descobriu a existência de canais com proteínas que transportam e permitem a entrada e saída da água na
membrana celular, as chamadas "aquaporinas".
"As aquaporinas, encontradas na epiderme (camada mais superficial da pele), são muito importantes para o
equilíbrio hídrico das células", explica Flávia Addor, membro e vice-presidente da Sociedade Brasileira de
Dermatologia (SBD-SP).
Ela conta que o corpo vai perdendo a capacidade de formar "aquaporinas" na medida em que o tempo
passa. Este é um dos motivos do ressecamento da pele. A ideia dos novos estudos realizados por algumas
indústrias de cosméticos é estimular a produção das "aquaporinas" e, consequentemente, manter a pele
hidratada, com aparência mais jovem.
Produtos com substâncias que aumentam a síntese e estimulam a formação de "aquaporinas" já estão em
fase experimental. "Se os testes forem bem-sucedidos, esses ativos vão trazer uma inovação na maneira de
tratar a pele seca", afirma Flávia.

De acordo com a médica, um tratamento que aumente o número de "aquaporinas" hidrata a célula - e a pele
- de dentro para fora. Essa é a diferença em relação aos cremes e produtos que já estão no mercado, cuja
ação ocorre de fora para dentro, através de uma manutenção superficial dos níveis de água da célula.
Outra vantagem é o auxílio no tratamento de inflamações cutâneas como a dermatite de contato e de
queimaduras solares. "Doenças como essas passariam a ter um tratamento mais específico e eficiente, já
que há evidências da disfunção ou redução das ‘aquaporinas’ nestas doenças" diz a dermatologista.
http://vilamulher.terra.com.br/aquaporinas-e-rejuvenescimento-da-pele-2-1-14-311.html

1. Justifique a existência de aquaporinas tendo em conta a ultraestrutura membranar. ( 3 tópicos – 20


pontos)

A porção hidrofoba dos fosfolipidos membranares impede a passagem de moléculas polares como a
água.
As proteinas integradas na membrana medeiam a passagem de moléculas insoluveis nos fosfolípidos.
As proteinas designadas aquaporinas permitem assim a passagem de água através da membrana
celular.

2. Justifique a afirmação:"Apesar de existirem diferenças significativas, é possível estabelecer uma relação


morfofisiológica entre a tiflosole da minhoca e as vilosidades intestinais do homem." (3 tópicos – 20
pontos)

No ser humano as vilosidades intestinais cobrem uma grande parte da superfície (área) de absorção
intestinal.
O tiflosole das minhocas é uma prega presente no intestino que faz com que a área de absorção do
intestino seja maior.
Vilosidades e tifosole, embora morfologicamente distintas são estruras com importância fisiológica
semelhante.

3. O vírus que infecta a beterraba é transmitido de planta para planta através de afídios (insectos
parasitas que se alimentam dos seus fluidos). Explique por que razão a doença se espalha
rapidamente através da beterraba. (2 tópicos – 10 pontos)

• o afídio injecta o vírus directamente nos tubos floémicos quando suga a seiva elaborada;
• os tubos floémicos distribuem a seiva elaborada (contaminada) pelos órgãos da planta, infectando-os
rapidamente.
4.Os gráficos da figura 1 representam, em volume, as
trocas gasosas que ocorrem através das superfícies
respiratórias das rãs de determinadas regiões, durante
um ano.
Figura 1

4.1. Interprete a diferença, registada no gráfico, entre a


actividade respiratória destas rãs verificada nos meses de
Abril/Maio e a actividade respiratória verificada nos meses
de Dezembro/Janeiro. (10 pontos)

Nos meses de Abril e Maio a actividade respiratória é mais intensa, devendo corresponder a uma
maior actividade metabólica;
nos meses de Dezembro e Janeiro a actividade respiratória é mais baixa porque são os meses em que
a actividade metabólica diminui.

4.2. Sendo os actuais Anfíbios animais pulmonados, como explica a necessidade de estes animais
realizarem uma intensa hematose através da pele? (2 tópicos – 10 pontos)

Os anfíbios possuírem pulmões pouco desenvolvidos e pouco divididos, com uma área relativamente
pequena,
A complementaridade entre a hematose pulmonar e a hematose cutânea permite à rã fazer face às
suas necessidade metabólicas.

4.3. Justifique por que é falsa a seguinte afirmação:


Na rã, o sangue venoso que entra e o sangue venoso que sai do coração contem a mesma concentração
de dióxido de carbono. (2 tópicos - 10 pontos)

• a existência de um único ventrículo no coração da rã faz com que haja mistura de sangue arterial e
sangue venoso;
• do ventrículo sai para a circulação pulmonar sangue com menos dióxido de carbono do que o que
entra na aurícula direita, vindo da circulação sistémica.

5. Num ser vivo, a manutenção das


características do meio interno
resulta da cooperação interactiva
dos diferentes sistemas de órgãos.

Os esquemas I e II da figura 2
representam duas estruturas renais
responsáveis pela regulação
homeostática realizada em peixes
ósseos de meios diferentes.

Figura 2
5.1. Relacione as características glomerulares da estrutura representada no esquema I com a
concentração do meio interno dos peixes que as possuem e com a sua regulação hídrica. (2 tópicos –
10 pontos)

Como o meio interno deste animais é hipertónico em relação ao meio externo, a água entra por
osmose para o interior do corpo.
A existência de glomérulos desenvolvidos permite a elaboração e expulsão de urina bastante diluida«