Você está na página 1de 32

TH

AY
NA
RA
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
OS
08
48
67
91
48
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
OS
08
48
67
91
48
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
OS
08
48
67
91
48
0T
HA

Professor: Marcelo Sobral


YN
AR
A
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
O

Disciplina: Direito Processual Penal


S
08
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

48
67
91
48

1
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
INQUÉRITO POLICIAL

HA
0T
48
91
- Natureza jurídica do IP: procedimento administrativo preparatório.

67
48
Vício no IP contamina o processo penal? Não.

08
SO
NT
SA
- Valor probatório do IP: relativo. Isso porque os elementos de informação não são colhidos sob a égide do

S
DO
contraditório e da ampla defesa. Logo, a sentença não pode estar fundamentada apenas nos elementos de

ID
informação – 155 CPP. Entretanto, tais elementos podem ser utilizados de maneira subsidiária,

GR
complementar à prova produzida em juízo, tanto que o IP será encaminhado junto com a denúncia ou a

IN
A
queixa quando servir de base a uma ou à outra (12 CPP).

AR
YN
HA
0T
- Presidência do IP: exclusiva do Delegado de Polícia.

48
91
67
48
08
A atribuição da autoridade policial para apurar os fatos ocorridos dentro de sua circunscrição não impede a

OS
realização de diligências em outra circunscrição, desde que esteja na mesma comarca; caso contrário, será
NT
necessária a expedição de carta precatória (CPP, art. 22). E nada impede que a atribuição territorial para
SA
S

investigação seja subdividida a partir da natureza da infração penal (delegacias especializadas).


DO
ID
GR
IN

Ainda que uma investigação tenha sido presidida por autoridade policial que não detinha atribuições para
A
AR

fazê-lo, quer nos casos de um “crime federal” investigado pela Polícia Civil, quer nas hipóteses de
YN

investigação presidida por autoridade policial territorialmente sem atribuições, como o inquérito policial é
HA

considerado mera peça informativa de valor probatório relativo, trata-se de mera irregularidade, que não
0T
48

tem o condão de contaminar com nulidade o processo penal a que der origem.
91
67
48
08

- Características do IP.
OS
NT
SA
S
DO

1) Procedimento escrito: “Art. 9º Todas as peças do inquérito policial serão, num só processado,
ID

reduzidas a escrito ou datilografadas e, neste caso, rubricadas pela autoridade”. Mas é possível
GR

usar recursos audiovisuais no IP? – sim.


IN
A
AR
YN
HA

2) Procedimento dispensável: Art. 12. O inquérito policial acompanhará a denúncia ou queixa, sempre que
0T

servir de base a uma ou outra.


48
91

Ainda no CPP:
67
48
08

Art. 27. Qualquer pessoa do povo poderá provocar a iniciativa do Ministério Público, nos casos
OS

em que caiba a ação pública, fornecendo-lhe, por escrito, informações sobre o fato e a autoria e
NT

indicando o tempo, o lugar e os elementos de convicção.”


SA
S
DO

Art. 39.
ID

2
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
§ 5º O órgão do Ministério Público dispensará o inquérito, se com a representação forem

HA
oferecidos elementos que o habilitem a promover a ação penal, e, neste caso, oferecerá a

0T
denúncia no prazo de quinze dias.

48
91
67
Art. 46.

48
08
§ 1º Quando o Ministério Público dispensar o inquérito policial, o prazo para o oferecimento da

SO
denúncia contar-se-á da data em que tiver recebido as peças de informações ou a

NT
representação.

SA
S
DO
ID
GR
3) Procedimento sigiloso: Art. 20. A autoridade assegurará no inquérito o sigilo necessário à elucidação do

IN
fato ou exigido pelo interesse da sociedade.

A
AR
YN
- O sigilo atinge a autoridade judiciaria e o MP? Não.

HA
- E o acesso de advogado aos autos do IP?

0T
48
91
SV 14 STF: É direito do defensor, no interesse do representado, ter acesso amplo aos elementos

67
de prova que, já documentados em procedimento investigatório realizado por órgão com

48
08
competência de polícia judiciária, digam respeito ao exercício do direito de defesa.

OS
NT
SA
S

E o estatuto da OAB?
DO
ID

Art. 7º São direitos do advogado:


GR
IN

XIV - examinar, em qualquer instituição responsável por conduzir investigação, mesmo sem
A
AR

procuração, autos de flagrante e de investigações de qualquer natureza, findos ou em


YN

andamento, ainda que conclusos à autoridade, podendo copiar peças e tomar apontamentos,
HA

em meio físico ou digital; (Redação dada pela Lei nº 13.245, de 2016).


0T
48
91

§ 10. Nos autos sujeitos a sigilo, deve o advogado apresentar procuração para o exercício dos
67

direitos de que trata o inciso XIV. (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
48
08

§ 11. No caso previsto no inciso XIV, a autoridade competente poderá delimitar o acesso do
OS
NT

advogado aos elementos de prova relacionados a diligências em andamento e ainda não


SA

documentados nos autos, quando houver risco de comprometimento da eficiência, da eficácia


S
DO

ou da finalidade das diligências. (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)


ID
GR
IN

Jurisprudência do STF correlata:


A
AR
YN

(...) verifico que, in casu, a irresignação do reclamante não merece acolhida. Isso porque o
HA

entendimento adotado no ato reclamado não constitui ato que ofendam a tese firmada no
0T
48

enunciado 14 da Súmula Vinculante do Supremo Tribunal Federal (...). Deveras, o direito de


91

acesso aos dados de investigação não é absoluto, porquanto o legislador ordinário trouxe
67
48

temperamentos a prerrogativa, consoante se infere da exegese do artigo 7º, §§ 10 e 11, da lei


08

8.906/1994 – Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, com a redação
OS

conferida pela Lei 13.245/2016, (...). Nesse contexto, cabe referir que o espectro de incidência do
NT
SA

Enunciado 14 da Súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal não abrange diligências ainda
S

em andamento e elementos ainda não documentados, mormente se considerados os dispositivos


DO
ID

3
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
legais supramencionados, além de se fazer necessária a apresentação de procuração nas

HA
hipóteses de autos sujeitos a sigilo. (...) verifico que sequer se negou à defesa o direito de acesso

0T
a autos de investigação, razão pela qual não merece prosperar o presente intento reclamatório.

48
91
67
[Rcl 30.957, rel. min. Luiz Fux, dec. monocrática, j. 10-8-2018, DJE 164 de 14-8-2018.]

48
08
SO
NT
E se for IP que investiga organização criminosa? Vejamos a Lei 12.850/2013:

SA
S
Art. 23. O sigilo da investigação poderá ser decretado pela autoridade judicial competente, para

DO
garantia da celeridade e da eficácia das diligências investigatórias, assegurando-se ao defensor,

ID
GR
no interesse do representado, amplo acesso aos elementos de prova que digam respeito ao

IN
exercício do direito de defesa, devidamente precedido de autorização judicial, ressalvados os

A
AR
referentes às diligências em andamento.

YN
HA
0T
48
4) Procedimento inquisitorial: não há contraditório e ampla defesa no âmbito do IP.

91
67
E o Estatuto da OAB?

48
08
Art. 7º São direitos do advogado:
OS
NT
XXI - assistir a seus clientes investigados durante a apuração de infrações, sob pena de nulidade
SA
S

absoluta do respectivo interrogatório ou depoimento e, subsequentemente, de todos os


DO

elementos investigatórios e probatórios dele decorrentes ou derivados, direta ou indiretamente,


ID
GR

podendo, inclusive, no curso da respectiva apuração: (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)
IN
A

a) apresentar razões e quesitos; (Incluído pela Lei nº 13.245, de 2016)


AR
YN
HA
0T

Posição de RB: “É nesse sentido que deve ser feita a correta interpretação do inciso XXI do art.
48
91

7º da Lei n° 8.906/94: a investigação preliminar não perdeu a sua natureza inquisitiva. Ganhou,
67

na verdade, um viés garantista. Doravante, presente o advogado,39 se não lhe for assegurado o
48
08

direito de assistir a seu cliente investigado durante a realização de seu interrogatório policial,
OS

inclusive com a observância do direito à entrevista prévia e reservada, para que possa instrui-lo
NT

acerca de quais perguntas deve responder, ou se deve simplesmente permanecer em silêncio,


SA

ter-se-á manifesta ilegalidade, daí por que eventual confissão nessas circunstâncias deve ser
S
DO

considerada ilícita, assim como as demais provas dela derivadas (CPP, art. 157, caput e § Io).”.
ID
GR
IN
A
AR

5) Procedimento discricionário: autoridade policial, que deve determinar o rumo das diligências de acordo
YN

com as peculiaridades do caso concreto.


HA
0T
48
91

Art. 6º Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá:
67
48
08

I - dirigir-se ao local, providenciando para que não se alterem o estado e conservação das coisas,
OS

até a chegada dos peritos criminais; (Redação dada pela Lei nº 8.862, de 28.3.1994)
NT
SA

II - apreender os objetos que tiverem relação com o fato, após liberados pelos peritos criminais;
S

(Redação dada pela Lei nº 8.862, de 28.3.1994)


DO
ID

4
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
III - colher todas as provas que servirem para o esclarecimento do fato e suas circunstâncias;

HA
0T
IV - ouvir o ofendido;

48
91
V - ouvir o indiciado, com observância, no que for aplicável, do disposto no Capítulo III do Título

67
Vll, deste Livro, devendo o respectivo termo ser assinado por duas testemunhas que Ihe tenham

48
08
ouvido a leitura;

SO
NT
VI - proceder a reconhecimento de pessoas e coisas e a acareações;

SA
S
VII - determinar, se for caso, que se proceda a exame de corpo de delito e a quaisquer outras

DO
perícias;

ID
GR
VIII - ordenar a identificação do indiciado pelo processo datiloscópico, se possível, e fazer juntar

IN
A
aos autos sua folha de antecedentes;

AR
YN
IX - averiguar a vida pregressa do indiciado, sob o ponto de vista individual, familiar e social, sua

HA
condição econômica, sua atitude e estado de ânimo antes e depois do crime e durante ele, e

0T
48
quaisquer outros elementos que contribuírem para a apreciação do seu temperamento e caráter.

91
67
X - colher informações sobre a existência de filhos, respectivas idades e se possuem alguma

48
08
deficiência e o nome e o contato de eventual responsável pelos cuidados dos filhos, indicado pela

OS
pessoa presa. (Incluído pela Lei nº 13.257, de 2016) SA
NT
S
DO

Art. 7º Para verificar a possibilidade de haver a infração sido praticada de determinado modo, a
ID
GR

autoridade policial poderá proceder à reprodução simulada dos fatos, desde que esta não
IN

contrarie a moralidade ou a ordem pública.


A
AR
YN
HA

Posição do RB: “Conquanto tais dispositivos enumerem várias diligências que podem ser determinadas pela
0T
48

autoridade policial, daí não se pode concluir que o Delegado de Polícia esteja obrigado a seguir uma marcha
91

procedimental preestabelecida. Tem-se, nos arts. 6º e T do CPP, apenas uma sugestão das principais medidas
67
48

a serem adotadas pela autoridade policial, o que não impede que outras diligências também sejam
08

realizadas”.
OS
NT
SA
S
DO

Art. 14. O ofendido, ou seu representante legal, e o indiciado poderão requerer qualquer
ID

diligência, que será realizada, ou não, a juízo da autoridade


GR
IN
A
AR

6) Procedimento oficial: o inquérito policial fica a cargo de órgão oficial do Estado – vide art. 144 CF/88.
YN
HA
0T
48

7) Procedimento oficioso: ao tomar conhecimento de notícia de crime de ação penal pública incondicionada,
91
67

a autoridade policial é obrigada a agir de ofício, independentemente de provocação da vítima e/ou qualquer
48
08

outra pessoa. Deve, pois, instaurar o inquérito policial de ofício, nos exatos termos do art. 5o, I, do CPP,
OS

procedendo, então, às diligências investigatórias no sentido de obter elementos de informação quanto à


NT

infração penal e sua autoria.


SA
S
DO
ID

5
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Art. 5º Nos crimes de ação pública o inquérito policial será iniciado:

HA
0T
I - de ofício;

48
91
67
48
Essa característica da oficiosidade do inquérito policial não é incompatível com a discricionariedade de que

08
S
tratamos acima. A oficiosidade está relacionada à obrigatoriedade de instauração de inquérito policial

O
NT
quando a autoridade policial toma conhecimento de infração penal de ação penal pública incondicionada; a

SA
discricionariedade guarda relação com a forma de condução das investigações, seja no tocante à natureza

S
DO
dos atos investigatórios (provas periciais, acareações, oitiva de testemunhas, etc.), seja em relação à ordem

ID
de sua realização.

GR
IN
A
AR
YN
8) Procedimento indisponível:

HA
Art. 17. A autoridade policial não poderá mandar arquivar autos de inquérito.

0T
48
91
67
48
Diante da notícia de uma infração penal, o Delegado de Polícia não está obrigado a instaurar o inquérito

08
policial, devendo antes verificar a procedência das informações, assim como aferir a própria tipicidade da
OS
NT
conduta noticiada. Com efeito, a jurisprudência tem reconhecido a validade de investigações preliminares
SA

realizadas antes da instauração do inquérito policial, por meio de procedimento alcunhado de verificação de
S
DO

procedência de informação (VPI). De todo modo, uma vez determinada a instauração do inquérito policial,
ID

o arquivamento dos autos somente será possível a partir de pedido formulado pelo titular da ação penal,
GR

com ulterior apreciação pela autoridade judiciária competente.


IN
A
AR
YN
HA

9) Procedimento temporário:
0T
48

Art. 10. O inquérito deverá terminar no prazo de 10 dias, se o indiciado tiver sido preso em flagrante, ou
91

estiver preso preventivamente, contado o prazo, nesta hipótese, a partir do dia em que se executar a ordem
67
48

de prisão, ou no prazo de 30 dias, quando estiver solto, mediante fiança ou sem ela.
08
OS

(...)
NT
SA

§ 3º Quando o fato for de difícil elucidação, e o indiciado estiver solto, a autoridade poderá
S
DO

requerer ao juiz a devolução dos autos, para ulteriores diligências, que serão realizadas no prazo
ID

marcado pelo juiz.


GR
IN
A
AR

- Formas de instauração do IP.


YN
HA
0T
48

1) Crimes de ação penal pública incondicionada.


91
67
48
08
OS

1.1 – de ofício: caso a autoridade policial tome conhecimento do fato delituoso a partir de suas
NT

atividades rotineiras (v.g., notícia veiculada na imprensa, registro de ocorrência, etc.), deve instaurar o
SA

inquérito policial de ofício, por força do princípio da obrigatoriedade que se estende à fase investigatória.
S
DO

Aqui a peça inaugural do IP será uma portaria.


ID

6
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
HA
0T
1.2 – requisição da autoridade judiciária ou do Ministério Público. Requisição do juiz: não recepção

48
pela CF/88, em virtude do sistema acusatório.

91
67
48
08
S
1.3 – requerimento do ofendido ou de seu representante legal – requisitos:

O
NT
SA
Art. 5º.

S
DO
§ 1º O requerimento a que se refere o no II conterá sempre que possível:

ID
GR
a) a narração do fato, com todas as circunstâncias;

IN
A
b) a individualização do indiciado ou seus sinais característicos e as razões de convicção ou de

AR
YN
presunção de ser ele o autor da infração, ou os motivos de impossibilidade de o fazer;

HA
0T
c) a nomeação das testemunhas, com indicação de sua profissão e residência.

48
91
67
48
Indeferido o requerimento cabe recurso para o Chefe de Polícia:

08
OS
Art. 5º. NT
SA

§ 2º Do despacho que indeferir o requerimento de abertura de inquérito caberá recurso para o


S
DO

chefe de Polícia.
ID
GR
IN
A

1.4 – notícia oferecida por qualquer do povo:


AR
YN

Art. 5º.
HA
0T

§ 3º Qualquer pessoa do povo que tiver conhecimento da existência de infração penal em que
48
91

caiba ação pública poderá, verbalmente ou por escrito, comunicá-la à autoridade policial, e esta,
67

verificada a procedência das informações, mandará instaurar inquérito.


48
08
OS

É a chamada delatio criminis simples.


NT
SA
S
DO

1.5 – APF: o próprio auto funcionara como peça de instauração.


ID
GR
IN
A

Princípio da obrigatoriedade, que impõe às autoridades o dever de agir diante da notícia da


AR
YN

prática de infração penal.


HA
0T
48
91

2) Crimes de ação penal pública condicionada e de ação penal de iniciativa privada.


67
48
08
OS

Art. 5º.
NT
SA

§ 4º O inquérito, nos crimes em que a ação pública depender de representação, não poderá
S
DO

sem ela ser iniciado.


ID

7
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
§ 5º Nos crimes de ação privada, a autoridade policial somente poderá proceder a inquérito a

HA
requerimento de quem tenha qualidade para intentá-la.

0T
48
Art. 31. No caso de morte do ofendido ou quando declarado ausente por decisão judicial, o

91
67
direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação passará ao cônjuge, ascendente, descendente

48
ou irmão.

08
SO
NT
SA
Representação do ofendido: delatio criminis postulatória.

S
DO
RB esclarece: “Em relação aos crimes de ação penal pública condicionada e de ação penal de iniciativa

ID
GR
privada, a instauração do inquérito policial também poderá se dar em virtude de auto de prisão em flagrante,

IN
o qual deverá ser precedido de requerimento da vítima ou de seu representante legal. No tocante a tais

A
AR
delitos, é plenamente possível a captura e a condução coercitiva daquele que for encontrado em situação de

YN
flagrância, fazendo-se cessar a agressão com o escopo de manter a paz e a tranqüilidade social. No entanto,

HA
a lavratura do auto de prisão em flagrante estará condicionada à manifestação do ofendido ou de seu

0T
48
representante legal. Se a vítima não puder imediatamente ir à delegacia para se manifestar, por ter sido

91
conduzida ao hospital ou por qualquer motivo relevante, poderá fazê-lo no prazo de entrega da nota de culpa,

67
48
que é de 24 (vinte e quatro) horas.”

08
OS
NT
SA

- Notitia criminis.
S
DO
ID
GR

É o conhecimento, espontâneo ou provocado, por parte da autoridade policial, acerca de um fato delituoso.
IN

Espécies:
A
AR
YN

U rotineira. Ex: por meio da imprensa, descoberta de um cadáver, etc.


HA
0T

2) de cognição mediata/provocada: autoridade policial toma ciência do fato delituoso por meio de um
48

expediente escrito/ato formal. Ex: requisição do MP, representação do ofendido, etc.


91
67
48

3) de cognição coercitiva: apresentação do indivíduo preso em flagrante.


08
OS
NT
SA

Já a delatio criminis, espécie de notitia criminis, é a comunicação de uma infração penal por qualquer do povo
S
DO

à autoridade policial, e não pela vítima ou seu representante legal.


ID
GR
IN

Notitia criminis inqualificada: é a denúncia anônima. Não basta, por si só, para instaurar o IP. Primeiro, VPI.
A
AR
YN
HA
0T

- Incomunicabilidade do preso.
48
91

Vedada, tendo em vista a não recepção do art. 21 CPP pela CF/88.


67
48
08
OS
NT

Art. 21. A incomunicabilidade do indiciado dependerá sempre de despacho nos autos e somente
SA

será permitida quando o interesse da sociedade ou a conveniência da investigação o exigir.


S
DO
ID

8
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
HA
0T
Parágrafo único. A incomunicabilidade, que não excederá de três dias, será decretada por

48
despacho fundamentado do Juiz, a requerimento da autoridade policial, ou do órgão do

91
67
Ministério Público, respeitado, em qualquer hipótese, o disposto no artigo 89, inciso III, do

48
Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (Lei n. 4.215, de 27 de abril de 1963)

08
SO
NT
SA
- Indiciamento.

S
DO
ID
GR
Conceito: apontar alguém como provável autor ou partícipe de um delito.

IN
A
AR
YN
HA
Indiciado (provável autor) x investigado (frágeis indícios) x acusado (após o recebimento da peça acusatória

0T
pelo magistrado).

48
91
67
48
08
Não há indiciamento no âmbito do JECrim.

OS
NT
SA
S

Momento: desde o APF até o relatório final. Entretanto, não cabe depois do recebimento da denúncia, pois
DO

não se justificaria mais tal procedimento.


ID
GR
IN
A
AR

Indiciamento direto: quando o indiciado está presente – é a regra. Indiciamento indireto: quando o indiciado
YN

não está presente (foragido).


HA
0T
48
91
67

Necessidade de fundamentação do ato de indiciamento – Lei 12.830/2013:


48
08

Art. 2º.
OS
NT

§ 6º O indiciamento, privativo do delegado de polícia, dar-se-á por ato fundamentado,


SA

mediante análise técnico-jurídica do fato, que deverá indicar a autoria, materialidade e suas
S
DO

circunstâncias.
ID
GR
IN
A

Desindiciamento: pode ser realizado pelo Delegado de Polícia, de maneira a se retratar em relação ao juízo
AR
YN

anteriormente realizado, mas também pode ocorrer por determinação judicial, em sede de HC, em virtude
HA

de que o ato de indiciamento sem o mínimo de materialidade configura constrangimento ilegal.


0T
48
91
67

Quem pode ser indiciado? Em regra, qualquer pessoa. Exceções: membro MP e magistrados. Vejamos:
48
08
OS
NT
SA
S
DO
ID

9
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Lei 8.625/1993.

HA
0T
Art. 41. Constituem prerrogativas dos membros do Ministério Público, no exercício de sua função,

48
além de outras previstas na Lei Orgânica:

91
67
(...)

48
08
S
II - não ser indiciado em inquérito policial, observado o disposto no parágrafo único deste artigo;

O
NT
SA
(...)

S
DO
Parágrafo único. Quando no curso de investigação, houver indício da prática de infração penal

ID
por parte de membro do Ministério Público, a autoridade policial, civil ou militar remeterá,

GR
imediatamente, sob pena de responsabilidade, os respectivos autos ao Procurador-Geral de

IN
A
Justiça, a quem competirá dar prosseguimento à apuração.

AR
YN
HA
0T
LC 35/1979.

48
91
67
Art. 33 - São prerrogativas do magistrado:

48
08
(...)

OS
NT
Parágrafo único - Quando, no curso de investigação, houver indício da prática de crime por parte
SA

do magistrado, a autoridade policial, civil ou militar, remeterá os respectivos autos ao Tribunal


S
DO

ou órgão especial competente para o julgamento, a fim de que prossiga na investigação.


ID
GR
IN
A

Autoridade com foro por prerrogativa de função pode ser indiciada pelo Delegado de Polícia?
AR
YN

No caso dos parlamentares federais, se foi crime praticado antes da diplomação ou após a
HA
0T

diplomação mas o delito não tem relação com as funções desempenhadas – PC ou PF, conforme o caso, com
48

processo na primeira instância (não precisa de autorização judicial).


91
67

Entretanto, se for crime durante o exercício do cargo e relacionado com as atribuições a atuação será
48
08

da PF e PGR, com supervisão judicial do STF, sendo necessária a autorização do relator na Suprema Corte
OS

para o início das investigações.


NT
SA

Ainda, a autorização para investigação pode ocorrer por ato do relator no Tribunal. Já o recebimento
S
DO

ou rejeição da denúncia deve ocorrer por ato do colegiado.


ID
GR

Afastamento automático do servidor público indiciado por crime de lavagem de capitais – Lei
IN

9.613/98, art. 17-D.


A
AR

Art. 17-D. Em caso de indiciamento de servidor público, este será afastado, sem prejuízo de remuneração e
YN
HA

demais direitos previstos em lei, até que o juiz competente autorize, em decisão fundamentada, o seu retorno.
0T
48
91
67

- Conclusão do IP.
48
08
OS
NT

Prazo: 10 dias ou 30 dias, nos termos do artigo 10 CPP.


SA
S
DO
ID

10
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Cabe prorrogação do prazo? Vide o parágrafo 3º do art. 10 do CPP.

HA
0T
48
91
Natureza do prazo. Se investigado está solto: processual. Logo, exclui início e inclui vencimento, e

67
prorroga se terminar em domingo ou feriado. Se investigado está preso: divergência. Nucci entende que é

48
08
prazo material. Mirabete entende que é prazo de natureza processual.

SO
NT
SA
S
Prazos para conclusão do IP:

DO
ID
CPP (art. 10, caput) - investigado preso: 10 dias / investigado solto: 30 dias.

GR
IN
Inquérito policial federal - investigado preso: 15 dias + 15 dias / investigado solto: 30 dias.

A
AR
YN
Inquérito policial militar - investigado preso: 20 dias / investigado solto: 40 dias + 20 dias.

HA
0T
Lei de drogas - investigado preso: 30 dias+ 30 dias / investigado solto: 90 dias + 90 dias.

48
91
Crimes contra a economia popular - investigado preso: 10 dias / investigado solto: 10 dias.

67
48
08
OS
- Arquivamento do IP. NT
SA

Autoridade policial pode mandar arquivar autos de IP? Não.


S
DO
ID
GR
IN

Juiz pode determinar, de ofício, o arquivamento dos autos do IP?


A
AR
YN
HA

O arquivamento depende de manifestação do MP e posterior decisão da autoridade judiciária


0T

competente (art. 28 CPP).


48
91
67
48
08

Fundamentos para o arquivamento:


OS
NT

1) ausência de pressuposto processual ou de condição para o exercício da ação penal – por


SA

exemplo, vítima que representa pelo crime de ameaça e, posteriormente, se retrata.


S
DO

2) falta de justa causa para o exercício da ação penal – ausência de prova de indícios de autoria e
ID

da materialidade do crime.
GR

3) quando o fato investigado evidentemente não constituir crime (atipicidade) – por exemplo,
IN

quando for o caso de incidência do princípio da insignificância.


A
AR

4) existência manifesta de causa excludente da ilicitude – LD, EN, ERD ou ECDL.


YN

5) existência manifesta de causa excludente da culpabilidade, salvo a inimputabilidade – deve o MP


HA

oferecer a denúncia já que a medida de segurança só pode ser imposta ao final do devido
0T

processo legal.
48
91

6) causa extintiva da punibilidade;


67

7) cumprimento do acordo de não-persecução penal:


48
08
OS
NT

Diferença entre coisa julgada formal e coisa julgada material.


SA
S
DO
ID

11
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Arquivamentos que geram apenas coisa julgada formal:

HA
0T
1 – ausência de pressuposto processual ou de condição para o exercício da ação penal – vítima que

48
representa pelo crime de ameaça e, posteriormente, se retrata. Posteriormente, a vítima se retrata

91
67
da retratação.

48
08
2 – Ausência de justa causa para o exercício da ação penal – afinal, podem surgir novas provas.

SO
NT
SA
S
Arquivamentos que geram coisa julgada formal e material no arquivamento do IP.

DO
ID
1 – atipicidade da conduta.

GR
IN
2 – existência manifesta de causa excludente da ilicitude – para o STJ, sim (REsp 791.471/RJ,

A
AR
25/11/2014). Entretanto, para o STF, não (informativo 538 e HC 125.101/SP, 10/09/2015). Ver

YN
precedente do CESPE!

HA
0T
3 – existência manifesta de causa excludente da culpabilidade – por exemplo, coação moral

48
91
irresistível.

67
48
4 – existência de causa extintiva da punibilidade (art. 107 CP). Importante ressaltar que a extinção da

08
punibilidade declarada com base em certidão de óbito falsa não gera coisa julgada material.
OS
NT
SA
S
DO

Sem notícia de prova nova, o inquérito policial não pode ser desarquivado (artigo 18 CPP); sem
ID

produção de prova nova, não pode ser oferecida a denúncia (súmula 524 STF).
GR
IN
A
AR
YN

Arquivamento implícito: é uma construção doutrinária. Ele seria, inicialmente, decorrente da


HA

omissão do Ministério Público que deixa de narrar na denúncia um fato investigado no inquérito
0T

(arquivamento implícito objetivo) ou um indiciado (arquivamento implícito subjetivo). Entretanto, não se


48
91

aceita no Brasil.
67
48
08
OS

Arquivamento indireto: ocorre quando o juiz, em virtude do não oferecimento de denúncia pelo
NT

Ministério Público, fundamentado em razões de incompetência da autoridade jurisdicional, recebe tal


SA

manifestação como se tratasse de um pedido de arquivamento. Neste caso, deve o juiz receber a
S
DO

manifestação como se tratasse de um pedido indireto de arquivamento, aplicando, por analogia, o quanto
ID
GR

disposto no art. 28 do CPP:


IN
A
AR
YN

Arquivamento em crimes de ação penal privada: em regra, não tem sentido. Entretanto, Renato
HA

Brasileiro cita uma hipótese: “Subsiste, no entanto, a possibilidade de arquivamento em crimes de ação penal
0T
48

de iniciativa privada (exclusiva e personalíssima), quando, a despeito das inúmeras diligências realizadas no
91

curso da investigação policial, não se tenha logrado êxito na obtenção de elementos de informação quanto à
67
48

autoria do fato delituoso, como, por exemplo, na hipótese de crimes contra a honra praticados pela internet.
08

Nesse caso, enquanto não se souber quem é o autor do delito, o prazo decadencial não começará a fluir. Em
OS

uma tal situação, há de se admitir o pedido de arquivamento do inquérito policial feito pelo ofendido, hipótese
NT
SA

em que não haveria renúncia tácita, já que o autor da infração não teria sido identificado.”.
S
DO
ID

12
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Possibilidade de recurso de ofício no caso de arquivamento de inquérito policial.

HA
0T
Lei 1.521/1951

48
91
Art. 7º. Os juízes recorrerão de ofício sempre que absolverem os acusados em processo por crime

67
contra a economia popular ou contra a saúde pública, ou quando determinarem o arquivamento

48
08
dos autos do respectivo inquérito policial.

SO
NT
SA
S
- Trancamento do IP.

DO
ID
GR
IN
Não confundir com arquivamento. Neste temos um ato complexo (requerimento do MP +

A
AR
homologação do Poder Judiciário). Naquele temos uma medida compulsória que acarreta a extinção do

YN
procedimento investigatório, normalmente determinada em sede de HC, em virtude de estar configurado

HA
constrangimento ilegal.

0T
48
91
67
48
Três hipóteses: manifesta atipicidade formal ou material da conduta delituosa, presença de causa

08
extintiva da punibilidade e instauração de inquérito policial em crime de ação penal de iniciativa privada ou
OS
NT
de ação penal pública condicionada à representação, sem prévio requerimento do ofendido ou de seu
SA

representante legal.
S
DO
ID
GR

Código de Processo Penal


IN
A
AR
YN
HA

Art. 4º A polícia judiciária será exercida pelas autoridades policiais no território de suas respectivas
0T

circunscrições e terá por fim a apuração das infrações penais e da sua autoria. (Redação dada pela Lei nº
48
91

9.043, de 9.5.1995)
67
48

Parágrafo único. A competência definida neste artigo não excluirá a de autoridades administrativas, a quem
08

por lei seja cometida a mesma função.


OS
NT
SA
S
DO

Art. 5º Nos crimes de ação pública o inquérito policial será iniciado:


ID
GR

I - de ofício;
IN
A

II - mediante requisição da autoridade judiciária ou do Ministério Público, ou a requerimento do ofendido ou


AR

de quem tiver qualidade para representá-lo.


YN
HA

§ 1º O requerimento a que se refere o no II conterá sempre que possível:


0T
48
91

a) a narração do fato, com todas as circunstâncias;


67
48

b) a individualização do indiciado ou seus sinais característicos e as razões de convicção ou de presunção de


08

ser ele o autor da infração, ou os motivos de impossibilidade de o fazer;


OS
NT

c) a nomeação das testemunhas, com indicação de sua profissão e residência.


SA
S
DO
ID

13
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
§ 2º Do despacho que indeferir o requerimento de abertura de inquérito caberá recurso para o chefe de

HA
Polícia.

0T
48
§ 3º Qualquer pessoa do povo que tiver conhecimento da existência de infração penal em que caiba ação

91
67
pública poderá, verbalmente ou por escrito, comunicá-la à autoridade policial, e esta, verificada a

48
procedência das informações, mandará instaurar inquérito.

08
SO
§ 4º O inquérito, nos crimes em que a ação pública depender de representação, não poderá sem ela ser

NT
iniciado.

SA
S
DO
§ 5º Nos crimes de ação privada, a autoridade policial somente poderá proceder a inquérito a requerimento

ID
de quem tenha qualidade para intentá-la.

GR
IN
A
AR
YN
Art. 6º Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá:

HA
I - dirigir-se ao local, providenciando para que não se alterem o estado e conservação das coisas, até a

0T
48
chegada dos peritos criminais; (Redação dada pela Lei nº 8.862, de 28.3.1994)

91
67
II - apreender os objetos que tiverem relação com o fato, após liberados pelos peritos criminais; (Redação

48
08
dada pela Lei nº 8.862, de 28.3.1994)

OS
NT
III - colher todas as provas que servirem para o esclarecimento do fato e suas circunstâncias;
SA
S

IV - ouvir o ofendido;
DO
ID

V - ouvir o indiciado, com observância, no que for aplicável, do disposto no Capítulo III do Título Vll, deste
GR

Livro, devendo o respectivo termo ser assinado por duas testemunhas que Ihe tenham ouvido a leitura;
IN
A
AR

VI - proceder a reconhecimento de pessoas e coisas e a acareações;


YN
HA

VII - determinar, se for caso, que se proceda a exame de corpo de delito e a quaisquer outras perícias;
0T
48

VIII - ordenar a identificação do indiciado pelo processo datiloscópico, se possível, e fazer juntar aos autos
91

sua folha de antecedentes;


67
48
08

IX - averiguar a vida pregressa do indiciado, sob o ponto de vista individual, familiar e social, sua condição
OS

econômica, sua atitude e estado de ânimo antes e depois do crime e durante ele, e quaisquer outros
NT

elementos que contribuírem para a apreciação do seu temperamento e caráter.


SA
S
DO

X - colher informações sobre a existência de filhos, respectivas idades e se possuem alguma deficiência e o
ID

nome e o contato de eventual responsável pelos cuidados dos filhos, indicado pela pessoa presa.
GR

(Incluído pela Lei nº 13.257, de 2016)


IN
A
AR
YN
HA

Art. 7º Para verificar a possibilidade de haver a infração sido praticada de determinado modo, a autoridade
0T

policial poderá proceder à reprodução simulada dos fatos, desde que esta não contrarie a moralidade ou a
48

ordem pública.
91
67
48
08
OS

Art. 8º Havendo prisão em flagrante, será observado o disposto no Capítulo II do Título IX deste Livro.
NT
SA
S
DO
ID

14
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Art. 9º Todas as peças do inquérito policial serão, num só processado, reduzidas a escrito ou datilografadas

HA
e, neste caso, rubricadas pela autoridade.

0T
48
91
67
Art. 10. O inquérito deverá terminar no prazo de 10 dias, se o indiciado tiver sido preso em flagrante, ou

48
08
estiver preso preventivamente, contado o prazo, nesta hipótese, a partir do dia em que se executar a ordem

SO
de prisão, ou no prazo de 30 dias, quando estiver solto, mediante fiança ou sem ela.

NT
SA
§ 1º A autoridade fará minucioso relatório do que tiver sido apurado e enviará autos ao juiz competente.

S
DO
§ 2º No relatório poderá a autoridade indicar testemunhas que não tiverem sido inquiridas, mencionando o

ID
GR
lugar onde possam ser encontradas.

IN
A
§ 3º Quando o fato for de difícil elucidação, e o indiciado estiver solto, a autoridade poderá requerer ao juiz

AR
YN
a devolução dos autos, para ulteriores diligências, que serão realizadas no prazo marcado pelo juiz.

HA
0T
48
91
Art. 11. Os instrumentos do crime, bem como os objetos que interessarem à prova, acompanharão os autos

67
do inquérito.

48
08
OS
NT
Art. 12. O inquérito policial acompanhará a denúncia ou queixa, sempre que servir de base a uma ou outra.
SA
S
DO
ID
GR

Art. 13. Incumbirá ainda à autoridade policial:


IN
A

I - fornecer às autoridades judiciárias as informações necessárias à instrução e julgamento dos processos;


AR
YN

II - realizar as diligências requisitadas pelo juiz ou pelo Ministério Público;


HA
0T

III - cumprir os mandados de prisão expedidos pelas autoridades judiciárias;


48
91
67

IV - representar acerca da prisão preventiva.


48
08
OS
NT

Art. 13-A. Nos crimes previstos nos arts. 148, 149 e 149-A, no § 3º do art. 158 e no art. 159 do Decreto-Lei
SA

no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), e no art. 239 da Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990
S
DO

(Estatuto da Criança e do Adolescente), o membro do Ministério Público ou o delegado de polícia poderá


ID

requisitar, de quaisquer órgãos do poder público ou de empresas da iniciativa privada, dados e informações
GR

cadastrais da vítima ou de suspeitos. (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)


IN
A
AR

Parágrafo único. A requisição, que será atendida no prazo de 24 (vinte e quatro) horas, conterá: (Incluído
YN

pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)


HA
0T

I - o nome da autoridade requisitante; (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)


48
91

II - o número do inquérito policial; e (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)


67
48
08

III - a identificação da unidade de polícia judiciária responsável pela investigação. (Incluído pela Lei nº 13.344,
OS

de 2016) (Vigência)
NT
SA
S
DO
ID

15
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
Art. 13-B. Se necessário à prevenção e à repressão dos crimes relacionados ao tráfico de pessoas, o membro

HA
do Ministério Público ou o delegado de polícia poderão requisitar, mediante autorização judicial, às empresas

0T
prestadoras de serviço de telecomunicações e/ou telemática que disponibilizem imediatamente os meios

48
91
técnicos adequados – como sinais, informações e outros – que permitam a localização da vítima ou dos

67
suspeitos do delito em curso. (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)

48
08
§ 1º Para os efeitos deste artigo, sinal significa posicionamento da estação de cobertura, setorização e

SO
NT
intensidade de radiofrequência. (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)

SA
S
§ 2º Na hipótese de que trata o caput, o sinal: (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)

DO
ID
I - não permitirá acesso ao conteúdo da comunicação de qualquer natureza, que dependerá de autorização

GR
judicial, conforme disposto em lei; (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)

IN
A
AR
II - deverá ser fornecido pela prestadora de telefonia móvel celular por período não superior a 30 (trinta)

YN
dias, renovável por uma única vez, por igual período; (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)

HA
0T
III - para períodos superiores àquele de que trata o inciso II, será necessária a apresentação de ordem judicial.

48
(Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016) (Vigência)

91
67
48
§ 3º Na hipótese prevista neste artigo, o inquérito policial deverá ser instaurado no prazo máximo de 72

08
(setenta e duas) horas, contado do registro da respectiva ocorrência policial. (Incluído pela Lei nº 13.344, de
OS
2016) (Vigência) NT
SA

§ 4º Não havendo manifestação judicial no prazo de 12 (doze) horas, a autoridade competente requisitará às
S
DO

empresas prestadoras de serviço de telecomunicações e/ou telemática que disponibilizem imediatamente


ID

os meios técnicos adequados – como sinais, informações e outros – que permitam a localização da vítima ou
GR
IN

dos suspeitos do delito em curso, com imediata comunicação ao juiz. (Incluído pela Lei nº 13.344, de 2016)
A
AR

(Vigência)
YN
HA
0T

Art. 14. O ofendido, ou seu representante legal, e o indiciado poderão requerer qualquer diligência, que será
48
91

realizada, ou não, a juízo da autoridade.


67
48
08
OS

Art. 14-A. Nos casos em que servidores vinculados às instituições dispostas no art. 144 da Constituição
NT
SA

Federal figurarem como investigados em inquéritos policiais, inquéritos policiais militares e demais
S

procedimentos extrajudiciais, cujo objeto for a investigação de fatos relacionados ao uso da força letal
DO

praticados no exercício profissional, de forma consumada ou tentada, incluindo as situações dispostas no art.
ID
GR

23 do Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), o indiciado poderá constituir defensor.
IN

(Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)


A
AR
YN

§ 1º Para os casos previstos no caput deste artigo, o investigado deverá ser citado da instauração do
HA

procedimento investigatório, podendo constituir defensor no prazo de até 48 (quarenta e oito) horas a contar
0T

do recebimento da citação. (Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)


48
91
67

§ 2º Esgotado o prazo disposto no § 1º deste artigo com ausência de nomeação de defensor pelo investigado,
48

a autoridade responsável pela investigação deverá intimar a instituição a que estava vinculado o investigado
08
OS

à época da ocorrência dos fatos, para que essa, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas, indique defensor para
NT

a representação do investigado. (Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)


SA
S

§ 3º (VETADO). (Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)


DO
ID

16
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
§ 4º (VETADO). (Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)

HA
0T
§ 5º (VETADO). (Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)

48
91
§ 6º As disposições constantes deste artigo se aplicam aos servidores militares vinculados às instituições

67
dispostas no art. 142 da Constituição Federal, desde que os fatos investigados digam respeito a missões para

48
08
a Garantia da Lei e da Ordem. (Incluído pela Lei nº 13.964, de 2019)

SO
NT
SA
S
Art. 15. Se o indiciado for menor, ser-lhe-á nomeado curador pela autoridade policial.

DO
ID
GR
IN
Art. 16. O Ministério Público não poderá requerer a devolução do inquérito à autoridade policial, senão para

A
AR
novas diligências, imprescindíveis ao oferecimento da denúncia.

YN
HA
0T
48
Art. 17. A autoridade policial não poderá mandar arquivar autos de inquérito.

91
67
48
08
OS
Art. 18. Depois de ordenado o arquivamento do inquérito pela autoridade judiciária, por falta de base para
NT
a denúncia, a autoridade policial poderá proceder a novas pesquisas, se de outras provas tiver notícia.
SA
S
DO
ID

Art. 19. Nos crimes em que não couber ação pública, os autos do inquérito serão remetidos ao juízo
GR

competente, onde aguardarão a iniciativa do ofendido ou de seu representante legal, ou serão entregues ao
IN
A

requerente, se o pedir, mediante traslado.


AR
YN
HA
0T

Art. 20. A autoridade assegurará no inquérito o sigilo necessário à elucidação do fato ou exigido pelo
48
91

interesse da sociedade.
67
48

Parágrafo único. Nos atestados de antecedentes que lhe forem solicitados, a autoridade policial não poderá
08

mencionar quaisquer anotações referentes a instauração de inquérito contra os requerentes. (Redação dada
OS
NT

pela Lei nº 12.681, de 2012)


SA
S
DO
ID

Art. 21. A incomunicabilidade do indiciado dependerá sempre de despacho nos autos e somente será
GR

permitida quando o interesse da sociedade ou a conveniência da investigação o exigir.


IN
A
AR

Parágrafo único. A incomunicabilidade, que não excederá de três dias, será decretada por despacho
YN

fundamentado do Juiz, a requerimento da autoridade policial, ou do órgão do Ministério Público, respeitado,


HA

em qualquer hipótese, o disposto no artigo 89, inciso III, do Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (Lei
0T
48

n. 4.215, de 27 de abril de 1963) (Redação dada pela Lei nº 5.010, de 30.5.1966)


91
67
48
08

Art. 22. No Distrito Federal e nas comarcas em que houver mais de uma circunscrição policial, a autoridade
OS
NT

com exercício em uma delas poderá, nos inquéritos a que esteja procedendo, ordenar diligências em
SA

circunscrição de outra, independentemente de precatórias ou requisições, e bem assim providenciará, até


S
DO
ID

17
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
que compareça a autoridade competente, sobre qualquer fato que ocorra em sua presença, noutra

HA
circunscrição.

0T
48
91
67
Art. 23. Ao fazer a remessa dos autos do inquérito ao juiz competente, a autoridade policial oficiará ao

48
08
Instituto de Identificação e Estatística, ou repartição congênere, mencionando o juízo a que tiverem sido

SO
distribuídos, e os dados relativos à infração penal e à pessoa do indiciado.

NT
SA
S
DO
(...)

ID
GR
IN
A
AR
Art. 28. Se o órgão do Ministério Público, ao invés de apresentar a denúncia, requerer o arquivamento do

YN
inquérito policial ou de quaisquer peças de informação, o juiz, no caso de considerar improcedentes as razões

HA
invocadas, fará remessa do inquérito ou peças de informação ao procurador-geral, e este oferecerá a

0T
48
denúncia, designará outro órgão do Ministério Público para oferecê-la, ou insistirá no pedido de

91
arquivamento, ao qual só então estará o juiz obrigado a atender. REDAÇÃO VIGENTE EM RAZÃO DA MEDIDA

67
48
CAUTELAR DEFERIDA NA ADI 6298/STF

08
OS
NT
SA

Súmula Vinculante 14 – É direito do defensor, no interesse do representado, ter acesso amplo


S
DO

aos elementos de prova que, já documentados em procedimento investigatório realizado por


ID

órgão com competência de polícia judiciária, digam respeito ao exercício do direito de defesa.
GR
IN
A
AR

Súmula 397 STF – O poder de polícia da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, em caso de
YN
HA

crime cometido nas suas dependências, compreende, consoante o regimento, a prisão em


0T

flagrante do acusado e a realização do inquérito.


48
91
67
48
08

01 – (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: TJ-PA Prova: CESPE - 2019 - TJ-PA - Juiz de Direito Substituto) Foi
OS

encaminhado ao Ministério Público inquérito policial que apurou apropriação de R$ 1 milhão por funcionário
NT

público em razão de seu cargo. O parquet, então, solicitou ao juiz o arquivamento do inquérito, por ter
SA

constatado vício no procedimento investigatório. Apesar de entender que as provas constantes no inquérito
S
DO

policial eram boas, o juiz atendeu ao pleito do Ministério Público e homologou o arquivamento do inquérito.
ID
GR

O Estado ficou inconformado com essa decisão.


IN

Considerando essa situação hipotética, assinale a opção correta.


A
AR
YN

A) O juiz poderá rever seu ato, desde que o Estado, na condição de vítima, requeira o desarquivamento do
HA

inquérito no prazo de 120 dias.


0T
48

B) Cabe ao Estado apresentar ação penal privada subsidiária da pública em razão da teratologia do
91
67

requerimento ministerial homologado.


48
08

C) Por se tratar de inquérito policial, o Estado, na condição de vítima, tem direito líquido e certo ao
OS

desarquivamento.
NT
SA

D) Cabe ao magistrado fundamentar discordância do arquivamento e remeter a peça ao procurador-geral de


S
DO

justiça, que poderá oferecer a denúncia.


ID

18
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
E) O Estado pode impetrar mandado de segurança para impugnar a decisão judicial que acolheu o pedido do

HA
parquet de arquivamento do inquérito.

0T
48
91
67
02 – (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: TJ-AM Prova: CESPE - 2019 - TJ-AM - Assistente Judiciário) A respeito

48
08
de ação penal e do disposto na Lei de Juizados Especiais Cíveis e Criminais (Lei n.º 9.099/1995), julgue o item

SO
seguinte.

NT
SA
O inquérito policial é dispensável para a promoção da ação penal desde que a denúncia esteja minimamente

S
DO
consubstanciada nos elementos exigidos em lei.

ID
GR
IN
A
03 – (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: TJ-AM Prova: CESPE - 2019 - TJ-AM - Assistente Judiciário) Jaime foi

AR
YN
preso em flagrante por ter furtado uma bicicleta havia dois meses. Conduzido à delegacia, Jaime, em

HA
depoimento ao delegado, no auto de prisão em flagrante, confessou que era o autor do furto. Na audiência

0T
de custódia, o Ministério Público requereu a conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva, sob o

48
argumento da gravidade abstrata do delito praticado. No entanto, após ouvir a defesa, o juiz relaxou a prisão

91
67
em flagrante, com fundamento de que não estava presente o requisito legal da atualidade do flagrante, em

48
08
razão do lapso temporal de dois meses entre a consumação do crime e a prisão do autor. Dias depois, em

OS
nova diligência no inquérito policial instaurado pelo delegado para apurar o caso, Jaime, já em liberdade,
NT
retratou-se da confissão, alegando que havia pegado a bicicleta de Abel como forma de pagamento de uma
SA

dívida. Ao ser ouvido, Abel confirmou a narrativa de Jaime e afirmou, ainda, que registrou boletim de
S
DO

ocorrência do furto da bicicleta em retaliação à conduta de Jaime, seu credor. Por fim, o juiz competente
ID

arquivou o inquérito policial a requerimento de membro do Ministério Público, por atipicidade material da
GR
IN

conduta, sob o fundamento de ter havido entendimento mútuo e pacífico entre Jaime e Abel acerca da
A

questão, nos termos do relatório final produzido pelo delegado.


AR
YN

A respeito da situação hipotética precedente, julgue o item a seguir.


HA
0T

- O delegado de polícia não poderia deixar de lavrar o auto de prisão em flagrante de Jaime, mesmo que
48
91

tivesse observado a ausência da atualidade do flagrante, nem caberia a ele sugerir o arquivamento do
67

inquérito em relatório final, uma vez que a ação do delegado em sede de investigações policiais é regida pelo
48
08

princípio do in dubio pro societate e deve fazer prevalecer o interesse público sobre o individual.
OS
NT

- A decisão de arquivamento do inquérito por atipicidade impede que Jaime seja denunciado posteriormente
SA

pela mesma conduta, ainda que sobrevenham novos elementos de informação.


S
DO
ID
GR

04 – (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: TJ-SC Prova: CESPE - 2019 - TJ-SC - Juiz Substituto) Com relação às
IN
A

características do inquérito policial (IP), assinale a opção correta.


AR
YN

A) O IP, por consistir em procedimento indispensável à formação da opinio delicti, deverá acompanhar a
HA
0T

denúncia ou a queixa criminal.


48
91

B) Não poderá haver restrição de acesso, com base em sigilo, ao defensor do investigado, que deve ter amplo
67

acesso aos elementos de prova já documentados no IP, no que diga respeito ao exercício do direito de defesa.
48
08
OS

C) É viável a oposição de exceção de suspeição à autoridade policial responsável pelas investigações, embora
NT

o IP seja um procedimento de natureza inquisitorial.


SA
S
DO
ID

19
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
D) Não se admite a utilização de elementos colhidos no IP, salvo quando se tratar de provas irrepetíveis,

HA
como fundamento para a decisão condenatória.

0T
48
E) A autoridade policial não poderá determinar o arquivamento dos autos de IP, salvo na hipótese de

91
67
manifesta atipicidade da conduta investigada.

48
08
SO
NT
05 – (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: TJ-PR Prova: CESPE - 2019 - TJ-PR - Juiz Substituto - ADAPTADA) Para

SA
o STF, a autoridade policial pode indiciar autoridade pública com prerrogativa de foro independentemente

S
DO
de prévia autorização do órgão judicante competente no qual tramita o inquérito policial.

ID
GR
IN
A
06 – (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: TJ-DFT Prova: CESPE - 2019 - TJ-DFT - Titular de Serviços de Notas e

AR
YN
de Registros – Provimento) O Código de Processo Penal, em diversos dispositivos, utiliza a expressão

HA
indiciado para indicar a pessoa em relação à qual existe inquérito policial em curso. Assinale a opção correta,

0T
acerca do indiciamento no âmbito do procedimento policial.

48
91
A) Quando ausente ou deficiente, vicia o inquérito policial e, consequentemente, contamina também o

67
48
processo criminal a que se destina.

08
OS
B) Poderá ser viabilizado após o recebimento da denúncia. SA
NT

C) Vincula o ofendido ao oferecimento da queixa na hipótese de ação penal privada.


S
DO

D) Deverá ser formulado pela autoridade policial quando requisitado pelo Ministério Público.
ID
GR

E) Poderá ser formalizado de forma indireta ante a não localização do investigado.


IN
A
AR
YN
HA

07 - (Ano: 2019 Banca: CESPE Órgão: MPE-PI Prova: CESPE - 2019 - MPE-PI - Promotor de Justiça Substituto)
0T

Considerando-se o entendimento dos tribunais superiores a respeito de inquérito policial, é correto afirmar
48
91

que
67
48

A) o fato de a autoridade policial encontrar provas que justifiquem o flagrante delito convalida a irregular
08

entrada em residência sem autorização judicial e sem permissão do morador.


OS
NT

B) é possível constatar constrangimento ilegal em razão da excessiva e desarrazoada duração da investigação,


SA

ainda que o prazo de conclusão do inquérito policial seja impróprio.


S
DO
ID

C) nulidade ocorrida em inquérito policial, em regra, contamina todo o processo penal decorrente.
GR
IN

D) o arquivamento fundamentado em excludente de ilicitude resulta em coisa julgada material, não podendo
A
AR

mais ocorrer posterior desarquivamento do feito.


YN
HA

E) o Ministério Público, em razão de seu poder investigatório, pode instaurar procedimento investigatório,
0T

realizar diligências e, ainda, presidir inquérito policial.


48
91
67
48
08

08 – (Ano: 2015 Banca: CESPE Órgão: TJ-DFT Prova: CESPE - 2015 - TJ-DFT - Analista Judiciário – Judiciária)
OS

Com relação ao inquérito policial e à ação penal, julgue o item que se segue.
NT
SA
S
DO
ID

20
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
A doutrina e a jurisprudência majoritárias admitem o denominado arquivamento implícito, que consiste no

HA
fato de o oferecimento de denúncia pelo Ministério Público por apenas alguns dos crimes imputados ao

0T
indiciado impedir que os demais sejam objeto de futura ação penal.

48
91
67
48
08
09 – (Ano: 2019 Banca: FCC Órgão: TRF - 4ª REGIÃO Prova: FCC - 2019 - TRF - 4ª REGIÃO - Analista Judiciário

SO
- Oficial de Justiça Avaliador Federal) Marcelo e Márcio praticaram um roubo contra uma pizzaria situada na

NT
cidade de Florianópolis no início da madrugada, subtraindo todo o dinheiro arrecadado pelo estabelecimento

SA
S
naquele dia. A polícia é acionada e o inquérito policial para apuração dos fatos é instaurado pela autoridade

DO
policial. Pelas imagens das câmeras de segurança do estabelecimento foi possível a plena identificação dos

ID
GR
roubadores. Após representação da autoridade policial o Magistrado competente decretou a prisão

IN
preventiva de Marcelo e Márcio. Os mandados de prisão foram cumpridos três dias depois do crime. Neste

A
AR
caso, o inquérito policial deverá terminar no prazo de

YN
HA
A) 30 dias, contados da data do crime.

0T
48
B) 5 dias, contados a partir do dia da execução da ordem de prisão preventiva.

91
67
C) 10 dias, contados da data do crime.

48
08
D) 10 dias, contados a partir do dia da execução da ordem de prisão preventiva.
OS
NT
E) 30 dias, contados a partir do dia da execução da ordem de prisão preventiva
SA
S
DO
ID
GR

10 – (Ano: 2019 Banca: Instituto Acesso Órgão: PC-ES Prova: Instituto Acesso - 2019 - PC-ES - Delegado de
IN

Polícia) Gerson está respondendo a procedimento investigatório, conduzido por delegado de Polícia Civil. Em
A
AR

meio a investigação foi decretado sigilo do Inquérito policial para assegurar as investigações. Nessa situação
YN

hipotética, marque a alternativa CORRETA.


HA
0T

A) O advogado somente terá acesso aos autos do inquérito policial se não for decretado o seu sigilo, caso em
48

que terá que aguardar a instauração do processo judicial.


91
67
48

B) O advogado poderá examinar aos autos do inquérito policial e ainda ter informações sobre os atos de
08

investigação que ainda serão realizados.


OS
NT

C) Nos crimes hediondos o advogado do indiciado não terá acesso aos autos para assegurar a proteção das
SA

investigações.
S
DO
ID

D) O advogado poderá examinar aos autos do inquérito policial ainda que tenha sido decretado o seu sigilo.
GR
IN

E) O sigilo decretado no inquérito policial não impede que os meios de comunicações televisivas tenham
A
AR

acesso, tendo em vista a necessidade de se preservar a ordem pública.


YN
HA
0T
48

11 – (Ano: 2019 Banca: Instituto Acesso Órgão: PC-ES Prova: Instituto Acesso - 2019 - PC-ES - Delegado de
91

Polícia) “O inquérito policial é um procedimento administrativo, não judicial, e por isso mesmo pode ter
67
48

caráter explicitamente inquisitorial, isto é, registrar por escrito, com fé pública, emprestada pelo cartório que
08

a delegacia possui, informações obtidas dos envolvidos sem que estes tenham conhecimento das suspeitas
OS

contra eles.” (LIMA, Roberto Kant de; MOUZINHO, Glaucia. DILEMAS – Vol.9 – no 3 – SET-DEZ 2016 – pp. 505-
NT
SA

529). Assinale, a seguir, a característica INCORRETA quanto ao inquérito policial brasileiro.


S
DO

A) não possui contraditório e ampla defesa.


ID

21
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
B) é escrito.

HA
0T
C) é público.

48
91
D) é dispensável.

67
48
E) é sigiloso.

08
SO
NT
SA
12 – (Ano: 2019 Banca: MPE-SC Órgão: MPE-SC Prova: MPE-SC - 2019 - MPE-SC - Promotor de Justiça –

S
DO
Matutina) A notitia criminis de cognição imediata ocorre quando a autoridade policial toma conhecimento

ID
do fato delituoso através da apresentação do indivíduo preso em flagrante-delito, enquanto a denúncia

GR
anônima é considerada notitia criminis inqualificada.

IN
A
AR
YN
HA
13 – (Ano: 2019 Banca: IESES Órgão: TJ-SC Prova: IESES - 2019 - TJ-SC - Titular de Serviços de Notas e de

0T
Registros – Remoção) É INCORRETO afirmar que o inquérito policial poderá ser iniciado:

48
91
67
A) Por requisição da autoridade judicial ou do Ministério Público, ou por requerimento do ofendido ou seu

48
representante, nos crimes de ação pública incondicionada.

08
OS
B) Por requerimento do ofendido, nos crimes de ação pública condicionada à representação, ainda que não
NT
a ofereça de pronto, devendo fazê-lo, contudo, no prazo decadencial de seis meses, sob pena de
SA
S

arquivamento do inquérito instaurado.


DO
ID

C) Apenas por requerimento do ofendido ou seu representante, nos crimes de ação penal privada.
GR
IN

D) De ofício, pela autoridade policial, nos crimes de ação pública incondicionada.


A
AR
YN
HA
0T

14 – (Ano: 2019 Banca: FUNDEP (Gestão de Concursos) Órgão: DPE-MG Prova: FUNDEP (Gestão de
48

Concursos) - 2019 - DPE-MG - Defensor Público) No curso de inquérito policial, a autoridade policial que o
91

presidia constatou que teria ocorrido extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva. Diante
67
48

disso, assinale a alternativa correta.


08
OS

A) A Autoridade Policial deverá declarar a extinção da punibilidade pela prescrição, em razão do princípio da
NT

legalidade do inquérito policial.


SA
S
DO

B) A Autoridade Policial deverá prosseguir na apuração, em razão do princípio do impulso oficial do inquérito
ID

policial.
GR
IN

C) A Autoridade Policial deverá remeter de imediato os autos do inquérito ao Poder Judiciário, em razão do
A
AR

princípio da indisponibilidade do inquérito policial.


YN
HA

D) A Autoridade Policial deverá arquivar o inquérito policial, em razão do princípio da eficiência do inquérito
0T

policial.
48
91
67
48
08

15 – (Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: TJ-RS Prova: VUNESP - 2019 - TJ-RS - Titular de Serviços de Notas e
OS

de Registros – Remoção) Nos estritos termos do art. 18 do CPP, é correto afirmar que depois de ordenado o
NT

arquivamento do inquérito pela autoridade judiciária, por falta de a base para a denúncia,
SA
S
DO

A) não existe mais possibilidade de a autoridade policial investigar o fato.


ID

22
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
B) fica a autoridade policial impedida de investigar o mesmo indiciado com relação ao mesmo fato, podendo,

HA
contudo, continuar com a investigação de novos suspeitos.

0T
48
C) apenas mediante nova requisição ministerial ou judicial específica a autoridade policial pode proceder a

91
67
novas investigações.

48
08
D) a autoridade policial tem autonomia para seguir nas investigações, complementando-as, mas não pode

SO
repetir a produção das provas que já constam dos autos.

NT
SA
E) a autoridade policial poderá proceder a novas pesquisas, se de outras provas tiver notícia.

S
DO
ID
GR
16 – (Ano: 2014 Banca: VUNESP Órgão: TJ-PA Prova: VUNESP - 2014 - TJ-PA - Oficial de Justiça Avaliador)

IN
A
Depois de ordenado o arquivamento do inquérito pela autoridade judiciária, por falta de base para a

AR
YN
denúncia, a autoridade policial

HA
A) dependerá de anuência do membro do Ministério Público responsável pelo caso para proceder a novas

0T
48
investigações.

91
67
B) não poderá proceder a novas investigações sem expressa autorização judicial.

48
08
C) poderá proceder a novas pesquisas, se de outras provas tiver notícia.
OS
NT
D) dependerá de autorização judicial para proceder a novas investigações.
SA
S
DO

E) deverá proceder a novas investigações, independentemente do surgimento de novas provas.


ID
GR
IN
A

17 – (Ano: 2018 Banca: FGV Órgão: MPE-RJ Prova: FGV - 2018 - MPE-RJ - Estágio Forense) Caio, Delegado
AR
YN

de Polícia, instaurou, de ofício, inquérito policial para apurar a prática de crime de estelionato. Realizados
HA

diversos atos de investigação, não foi identificada a autoria do delito, concluindo Caio pela ausência de justa
0T

causa.
48
91

Considerando as informações narradas, diante da conclusão da autoridade policial, é correto afirmar que:
67
48
08

A) o Promotor de Justiça, ao receber o procedimento, poderá promover pelo arquivamento, mas submeterá
OS

a manifestação ao controle do juiz, que, discordando, remeterá a decisão final à Câmara Criminal do Tribunal
NT

de Justiça;
SA
S
DO

B) o arquivamento regular por falta de justa causa impede o Promotor de Justiça de oferecer diretamente
ID

denúncia caso surjam provas novas, tendo em vista a indispensabilidade do inquérito para inicial acusatória;
GR
IN

C) o arquivamento regular do inquérito por falta de justa causa não faz coisa julgada material, podendo haver
A
AR

desarquivamento diante do surgimento de prova materialmente nova.


YN
HA

D) o Promotor de Justiça, ao receber o procedimento, poderá arquivar diretamente o mesmo,


0T

independentemente de qualquer controle judicial;


48
91

E) o Delegado poderá arquivar diretamente o inquérito policial, tendo em vista que o procedimento foi
67
48

instaurado de ofício;
08
OS
NT
SA
S
DO
ID

23
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
18 – (Ano: 2019 Banca: MPE-PR Órgão: MPE-PR Prova: MPE-PR - 2019 - MPE-PR - Promotor Substituto)

HA
Sobre o inquérito policial, controle externo da atividade policial e poder investigatório do Ministério Público,

0T
analise as assertivas abaixo e assinale a alternativa incorreta:

48
91
67
A) O inquérito policial pode ser instaurado de ofício, por requisição do Ministério Público e a requerimento

48
do ofendido em casos de crime de ação penal pública incondicionada.

08
SO
B) O membro do “Parquet”, com atuação na área de investigação criminal, pode avocar a presidência do

NT
inquérito policial, em sede de controle difuso da atividade policial.

SA
S
DO
C) No exercício do controle externo da atividade policial, o membro do “Parquet”, pode requisitar

ID
informações, a serem prestadas pela autoridade, acerca de inquérito policial não concluído no prazo legal,

GR
bem assim requisitar sua imediata remessa ao Ministério Público ou Poder Judiciário, no estado em que se

IN
A
encontre.

AR
YN
D) O membro do Ministério Público pode encaminhar peças de informação em seu poder diretamente ao

HA
Juizado Especial Criminal, caso a infração seja de menor potencial ofensivo.

0T
48
E) No inquérito policial, a autoridade policial assegurará o sigilo necessário à elucidação do fato ou exigido

91
67
pelo interesse da sociedade e, no procedimento investigatório criminal, os atos e peças, em regra, são

48
08
públicos.

OS
NT
SA

19 – (Ano: 2018 Banca: FCC Órgão: Prefeitura de Caruaru - PE Prova: FCC - 2018 - Prefeitura de Caruaru - PE
S
DO

- Procurador do Município) Segundo o Código de Processo Penal, nos crimes de ação penal pública, o
ID

inquérito policial será iniciado de ofício, mediante requisição ou a requerimento do ofendido. O


GR
IN

requerimento do ofendido conterá sempre que possível:


A
AR

I. a narração do fato, com todas as circunstâncias;


YN
HA

II. a individualização do indiciado ou seus sinais característicos e as razões de convicção ou de presunção de


0T

ser ele o autor da infração, ou os motivos de impossibilidade de o fazer;


48
91
67

III. a nomeação das testemunhas, com indicação de sua profissão e residência;


48
08

IV. o exame de corpo de delito, nas infrações que deixam vestígio.


OS
NT

Sobre o tema, está correto o que se afirma APENAS em


SA
S
DO

A) I, II e IV.
ID
GR

B) I, II e III.
IN

C) II, III e IV.


A
AR
YN

D) I, III e IV.
HA
0T

E) I e III.
48
91
67
48
08

20 – (Ano: 2013 Banca: FUNCAB Órgão: PC-ES Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Perito Criminal Especial) Nos
OS

crimes de ação penal pública condicionada à representação, o inquérito policial:


NT
SA

A) Pode ser instaurado pela autoridade policial, independentemente da representação, mas o oferecimento
S
DO

de eventual denúncia dela dependerá.


ID

24
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
B) Pode ser instaurado, independentemente de representação, pois o contraditório e a ampla defesa

HA
somente serão exercidos em juízo.

0T
48
C) Pode ser instaurado, independentemente de representação, desde que haja requisição do Ministério

91
67
Público.

48
08
D) Pode ser instaurado pela autoridade policial, independentemente de representação, desde que

SO
requisitado pela autoridade judicial.

NT
SA
E) Não pode ser instaurado sem a representação.

S
DO
ID
GR
21 – (Ano: 2018 Banca: COPS-UEL Órgão: PC-PR Prova: COPS-UEL - 2018 - PC-PR - Escrivão de Polícia) Quanto

IN
A
ao inquérito policial, assinale a alternativa correta.

AR
YN
A) Em virtude do sistema inquisitivo que orienta o inquérito policial e do poder discricionário da autoridade

HA
policial, do despacho que indeferir o requerimento de abertura de inquérito policial não caberá recurso.

0T
48
91
B) Nos casos de crime de ação penal de iniciativa privada, para instaurar o inquérito policial, a autoridade

67
policial dependerá de requerimento de quem tenha qualidade para intentá-la, o qual consistirá na chamada

48
08
queixa- -crime, que deverá ser apresentada por advogado munido de procuração com poderes especiais.

OS
NT
C) Notitia criminis de cognição indireta ou mediata ocorre quando a autoridade policial toma conhecimento
SA

de um fato aparentemente delituoso por meio de suas atividades habituais, como, por exemplo, pela
S
DO

imprensa ou em uma determinada investigação.


ID
GR

D) Uma das formas de se iniciar o inquérito policial é pela requisição do ofendido ou de quem tiver qualidade
IN

para representá-lo, constituindo uma hipótese do que se denomina notitia criminis de cognição indireta ou
A
AR

mediata.
YN
HA

E) Conforme determina o Código de Processo Penal, logo que tiver conhecimento da prática da infração
0T

penal, a autoridade policial deverá dirigir-se ao local, providenciando para que não se alterem o estado e a
48

conservação das coisas, até a chegada dos peritos criminais.


91
67
48
08
OS

22 – (Ano: 2019 Banca: FGV Órgão: TJ-CE Prova: FGV - 2019 - TJ-CE - Técnico Judiciário - Área Judiciária)
NT

Lauro figura como indiciado em inquérito policial em que se investiga a prática do crime de concussão.
SA

Intimado a comparecer na Delegacia para prestar declarações, fica preocupado com as medidas que
S
DO

poderiam ser determinadas pela autoridade policial, razão pela qual procura seu advogado.
ID
GR

Com base nas informações expostas, a defesa técnica de Lauro deverá esclarecer que:
IN
A
AR

A) a reprodução simulada dos fatos poderá ser determinada pela autoridade policial, não podendo, contudo,
YN

ser Lauro obrigado a participar contra sua vontade;


HA
0T

B) a defesa técnica do indiciado não poderá ter acesso às peças de informação constantes do inquérito, ainda
48

que já documentadas, em razão do caráter sigiloso do procedimento;


91
67
48

C) o indiciado e o eventual ofendido, diante do caráter inquisitivo do inquérito policial, não poderão requerer
08

a realização de diligências durante a fase de investigações;


OS
NT

D) o procedimento investigatório, caso venha a ser arquivado com base na falta de justa causa, não poderá
SA

vir a ser desarquivado, ainda que surjam novas provas;


S
DO
ID

25
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
E) a autoridade policial, em sendo de interesse das investigações, poderá determinar a incomunicabilidade

HA
do indiciado pelo prazo de 10 (dez) dias.

0T
48
91
67
23 – (Ano: 2018 Banca: FCC Órgão: IAPEN-AP Prova: FCC - 2018 - IAPEN-AP - Agente Penitenciário) De

48
08
acordo com o Código de Processo Penal, o inquérito policial em caso de indiciado solto, deverá terminar no

SO
prazo de

NT
SA
A) 90 dias.

S
DO
B) 120 dias.

ID
GR
C) 30 dias.

IN
A
AR
D) 45 dias.

YN
HA
E) 81 dias.

0T
48
91
67
24 – (Ano: 2018 Banca: FCC Órgão: IAPEN-AP Prova: FCC - 2018 - IAPEN-AP - Agente Penitenciário) Segundo

48
08
determina o Código de Processo Penal, logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a

OS
autoridade policial deverá NT
SA

A) dirigir-se ao local dos fatos, providenciando para que não se alterem o estado e conservação das coisas,
S
DO

até a chegada da imprensa.


ID
GR

B) realizar exame criminológico no indiciado, no caso de indícios de crime contra a dignidade sexual.
IN
A

C) presidir a audiência de suspensão condicional do processo, apresentando o preso em até 24 horas à


AR
YN

autoridade judicial responsável.


HA
0T

D) apreender os objetos que tiverem relação com o fato, após liberados pelos peritos criminais.
48
91

E) propor ao indiciado acordo de delação premiada e, caso aceite, determinar o arquivamento do inquérito
67

policial.
48
08
OS
NT

25 – (Ano: 2019 Banca: IDIB Órgão: Prefeitura de Petrolina - PE Prova: IDIB - 2019 - Prefeitura de Petrolina
SA
S

- PE - Guarda Civil) De acordo com o Código de Processo Penal, assinale a alternativa correta acerca do
DO

inquérito policial:
ID
GR

A) A autoridade policial somente poderá proceder o reconhecimento de pessoas e coisas mediante


IN
A

autorização do Ministério Público, que é o real titular da ação penal pública.


AR
YN

B) A autoridade policial poderá mandar arquivar autos de inquérito.


HA
0T

C) Para verificar a possibilidade de haver a infração sido praticada de determinado modo, a autoridade
48
91

policial poderá proceder à reprodução simulada dos fatos, desde que esta não contrarie a moralidade ou a
67

ordem pública.
48
08

D) A autoridade policial, após a competente autorização judicial, poderá determinar que se proceda a exame
OS
NT

de corpo de delito e a quaisquer outras perícias.


SA
S
DO
ID

26
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
E) Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá ouvir

HA
imediatamente o ofendido, antes mesmo de se dirigir ao local do crime.

0T
48
91
67
26 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Prova: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Perito Oficial

48
08
Criminal - Área 8) Nos crimes de ação penal pública,

SO
NT
A) o inquérito policial será iniciado a requerimento do ofendido ou de seu procurador, excluídos os seus

SA
descendentes.

S
DO
B) o requerimento do ofendido deverá conter imprescindivelmente a narração do fato, com todas as

ID
GR
circunstâncias.

IN
A
C) o inquérito policial será iniciado mediante requisição da autoridade judiciária ou do Ministério Público.

AR
YN
D) o inquérito policial poderá ser iniciado ainda que a ação pública dependa de representação, estando ela

HA
inicialmente ausente.

0T
48
91
E) o inquérito policial não poderá extrapolar o prazo de 30 dias corridos quando se tratar de indiciados soltos,

67
ainda que a autoridade policial requeira dilação.

48
08
OS
NT
27 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Prova: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Perito Oficial
SA
S

Criminal - Área 8) Sobre os prazos e demais disposições comuns sobre o inquérito policial brasileiro, é correto
DO

afirmar que
ID
GR

A) o inquérito deverá terminar no prazo de 10 dias, se o indiciado tiver sido preso em flagrante, ou estiver
IN
A

preso preventivamente, contado o prazo, nesta hipótese, a partir do dia em que se executar a ordem de
AR

prisão.
YN
HA

B) os prazos de término do inquérito policial são disciplinados unicamente pelo Código de Processo Penal.
0T
48
91

C) os prazos comuns do inquérito policial devem findar rigorosamente em 15 dias úteis.


67
48

D) o inquérito deverá terminar no prazo de 90 dias, quando o indiciado estiver solto, mediante fiança ou sem
08

ela.
OS
NT

E) os prazos do inquérito policial contar-se-ão em dias úteis, contado o prazo do dia inicial e descontado o
SA

prazo do dia derradeiro.


S
DO
ID
GR
IN

28 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Prova: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Perito Oficial
A
AR

Criminal - Área 8) Acerca do inquérito policial brasileiro, assinale a alternativa correta.


YN
HA

A) A presidência da investigação de natureza criminal é privativa da polícia judiciária.


0T
48

B) É permitido ao Ministério Público conduzir o inquérito policial como autoridade máxima.


91
67

C) A autoridade policial pode contrariar a moralidade ou a ordem pública na reprodução simulada de fatos
48
08

concernentes a crimes contra a dignidade sexual.


OS
NT

D) A competência de apuração das infrações penais e da sua autoria não excluirá a de outras autoridades
SA

administrativas que não a polícia judiciária, a quem, por lei, seja cometida a mesma função.
S
DO
ID

27
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
E) Do despacho que indeferir o requerimento de abertura de inquérito, caberá recurso para o Tribunal

HA
Regional Federal.

0T
48
91
67
29 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Provas: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Assistente

48
08
Social) Sobre a disciplina do inquérito policial brasileiro, assinale a alternativa correta.

SO
NT
A) Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá intimar o indiciado

SA
para que o mesmo seja interrogado em Juízo sob pena de incorrer em crime de desobediência.

S
DO
B) A autoridade policial fará minucioso relatório do que tiver sido apurado no curso do inquérito policial e

ID
GR
enviará autos ao membro do Ministério Público para que dê sua opinião sobre o eventual delito.

IN
A
C) Para verificar a possibilidade de haver a infração sido praticada de determinado modo, a autoridade

AR
YN
policial poderá proceder à reprodução simulada dos fatos, desde que esta não contrarie a moralidade ou a

HA
ordem pública.

0T
48
D) A autoridade policial poderá mandar arquivar autos de inquérito se o Ministério Público ou o ofendido

91
não mais requisitarem ou requererem novas diligências.

67
48
08
E) Logo que tiver conhecimento da prática da infração penal, a autoridade policial deverá enviar os peritos

OS
criminais ao local imediatamente enquanto ouve o ofendido na sede do distrito policial. SA
NT
S
DO

30 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Provas: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Assistente
ID
GR

Social) Nos crimes de ação penal privada, o inquérito policial será iniciado
IN
A

A) de ofício pela autoridade policial.


AR
YN

B) a requerimento do ofendido ou, se ausente, ao cônjuge, ascendente, descendente ou seu irmão.


HA
0T

C) por requisição do Poder Judiciário.


48
91

D) com a lavratura de boletim de ocorrência de terceiro interessado ao fato e alheio ao ofendido.


67
48
08

E) por requisição do Ministério Público ou a requerimento do ofendido.


OS
NT
SA
S

31 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Provas: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Assistente
DO

Social) Qual é o caráter do inquérito policial no direito brasileiro?


ID
GR

A) Negocial jurídico de direito público.


IN
A
AR

B) Meio processual constitucional de impugnação de delito.


YN
HA

C) Procedimento de cunho militar quando iniciado por lavratura de boletim de ocorrência pela Polícia Militar.
0T
48

D) Parametrização de direito privado até o recebimento da denúncia ou queixa.


91
67

E) Procedimento administrativo preparatório.


48
08
OS
NT
SA
S
DO
ID

28
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
32 – (Ano: 2019 Banca: INSTITUTO AOCP Órgão: PC-ES Prova: INSTITUTO AOCP - 2019 - PC-ES - Escrivão de

HA
Polícia) De acordo com o Código de Processo Penal, assinale a alternativa correta em relação ao inquérito

0T
policial.

48
91
67
A) O inquérito policial não poderá ser iniciado de ofício.

48
08
B) A incomunicabilidade do indiciado é vedada.

SO
NT
C) As diligências requeridas pelo ofendido, seu representante legal e o indiciado serão realizadas sob o crivo

SA
do contraditório e da ampla defesa.

S
DO
D) Nos crimes em que a ação penal pública depender de representação, sem ela não poderá o inquérito ser

ID
GR
iniciado

IN
A
E) Após a apuração dos fatos, a autoridade policial fará minucioso relatório da apuração e o enviará ao

AR
YN
Ministério Público, para que este ofereça ou não a denúncia.

HA
0T
48
91
33 – (Ano: 2013 Banca: FUNCAB Órgão: PC-ES Provas: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Perito Criminal) De acordo

67
com o Código de Processo Penal, cabe à autoridade policial:

48
08
A) representar acerca da prisão preventiva.
OS
NT
B) decidir sobre o arquivamento do inquérito policial.
SA
S
DO

C) oferecera denúncia ao juiz.


ID
GR

D) requisitar ao juiz ou ao Ministério Público a realização de diligências probatórias.


IN
A

E) apresentar ao juiz a queixa-crime.


AR
YN
HA
0T

34 – (Ano: 2013 Banca: FUNCAB Órgão: PC-ES Provas: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Perito Criminal) Nos termos
48
91

do Código de Processo Penal, o inquérito policial será iniciado:


67
48

A) de ofício, independentemente de se tratar de crimes de ação penal pública ou privada.


08
OS

B) exclusivamente por meio de requisição do Ministério Público à autoridade policial.


NT
SA

C) exclusivamente por representação do ofendido, quando se tratar de crimes de ação penal pública
S
DO

incondicionada.
ID
GR

D) somente a requerimento do ofendido, quando se tratar de crimes de ação penal privada.


IN
A

E) mediante representação do ofendido, independentemente de se tratar de ação penal pública ou privada.


AR
YN
HA
0T

35 – (Ano: 2018 Banca: FCC Órgão: DPE-MA Prova: FCC - 2018 - DPE-MA - Defensor Público) Roberto foi
48
91

preso em flagrante pela suposta participação no delito de furto de uma bicicleta. Na lavratura do respectivo
67

auto foram ouvidos os policiais responsáveis pela prisão e o indiciado. A prisão em flagrante foi convertida
48
08

em prisão preventiva em sede de audiência de custódia. Concluídas as investigações e relatado o inquérito


OS

policial, os autos foram encaminhados ao Ministério Público. Ao analisar o caso, no entanto, o Promotor de
NT

Justiça entendeu haver diligência imprescindível para o oferecimento da denúncia, consistente na oitiva da
SA
S
DO
ID

29
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
vítima proprietária da bicicleta, eis que Roberto disse ter com ela negociado a compra do referido objeto.

HA
Nesse caso, deverá o Promotor de Justiça

0T
48
A) determinar o arquivamento do inquérito policial.

91
67
B) denunciar Roberto e solicitar o prazo de 30 dias para eventual aditamento da denúncia.

48
08
S
C) intimar a vítima para que compareça ao Ministério Público no prazo de 60 dias, sob pena de crime de

O
NT
desobediência, requerendo a manutenção da custódia cautelar de Roberto.

SA
S
D) oferecer transação penal, nos termos do art. 89 da Lei n° 9.099/95.

DO
ID
E) requerer o retorno dos autos à Delegacia de origem para que seja realizada a oitiva da vítima e a imediata

GR
soltura do indiciado.

IN
A
AR
YN
HA
36 – (Ano: 2018 Banca: MPE-BA Órgão: MPE-BA Prova: MPE-BA - 2018 - MPE-BA - Promotor de Justiça

0T
Substituto) Em relação ao inquérito policial e considerando a legislação pertinente, a doutrina e a

48
91
jurisprudência, é correto afirmar que

67
48
A) os vícios existentes no inquérito policial acarretam nulidade na ação penal subsequente.

08
OS
B) se trata de procedimento escrito, inquisitivo informativo e indispensável. NT
SA

C) o Promotor de Justiça que atua na fase de investigação está impedido ou suspeito para oferecimento da
S
DO

denúncia.
ID
GR

D) nas hipóteses de ação penal pública condicionada ou incondicionada, a autoridade policial deverá
IN

instaurar, de ofício, o inquérito, sem que seja necessária a provocação.


A
AR
YN

E) o poder de polícia da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, em caso de crime cometido nas suas
HA

dependências, compreende a prisão em flagrante do agente e a instauração do inquérito policial.


0T
48
91
67

37 – (Ano: 2018 Banca: CESPE Órgão: PC-MA Prova: CESPE - 2018 - PC-MA - Investigador de Polícia)
48
08

A respeito do inquérito policial, assinale a opção correta.


OS
NT

A) No Brasil, a jurisprudência é pacífica quanto a acolher o arquivamento do inquérito policial de forma


SA
S

implícita.
DO
ID

B) No ordenamento nacional, não há previsão de recurso de ofício contra ato de arquivamento de inquérito
GR

policial.
IN
A
AR

C) Em caso de atipicidade da conduta, é possível o trancamento do inquérito policial via habeas corpus.
YN
HA

D) O inquérito policial é parte necessária da ação penal.


0T
48

E) O indiciamento pode ser realizado por membro do Ministério Público, mesmo sem a participação de
91

autoridade policial.
67
48
08
OS
NT
SA
S
DO
ID

30
GR
IN
RA
NA
AY
TH
ID
GR
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

IN
A
AR
YN
GABARITO

HA
0T
01 – D

48
91
02 – CERTO

67
48
03 – ERRADO 03 – CERTO

08
SO
04 – B

NT
SA
05 – ERRADO

S
DO
06 – E

ID
GR
IN
07 – B

A
AR
08 – ERRADO

YN
HA
09 – D

0T
48
10 – D

91
67
48
11 – C

08
OS
12 – ERRADO
NT
SA

13 – B
S
DO

14 – C
ID
GR

15 – E
IN
A
AR

16 – C
YN
HA

17 – C
0T

18 – B
48
91
67

19 – B
48
08

20 – E
OS
NT

21 – E
SA
S

22 – A
DO
ID

23 – C
GR
IN

24 – D
A
AR
YN

25 – C
HA
0T

26 – C
48
91

27 – A
67
48
08

28 – D
OS
NT

29 – C
SA

30 – B
S
DO
ID

31
GR
IN
RA
NA
AY
TH
TH
AY
NA
RA
IN
GR
ID
DO

36 – E
35 – E
31 – E

37 – C
33 – A

34 – D
32 – D
S
SA
NT
OS
08
48
67
91
48
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
OS
08
48
67
91
48
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
OS
08
48
67
91
48
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID
DO
S
SA
NT
O S
08
PAPA CONCURSOS | DIREITO PROCESSUAL PENAL: INQUÉRITO POLICIAL | PROF. MARCELO SOBRAL

48
67
91
48

32
0T
HA
YN
AR
A
IN
GR
ID