Você está na página 1de 1

UNIVALI – UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

CAMPUS DE BANEÁRIO CAMBORIÚ


CURSO DE DIREITO
DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL
PROF: Andréia Regis Vaz

REVISÃO – M1

Aluno (a): __________________________________________________________________

Marque V para as assertivas verdadeiras e F para as falsas, justificando essas últimas:


1. ( ) Em sede se ações possessórias, o réu pode requerer proteção possessória na própria
contestação.
2. ( ) Em caso de esbulho, a ação possessória correta é a manutenção de posse.
3. ( ) Pelo princípio da fungibilidade, a propositura de uma ação possessória em vez de outra
obstará a que o juiz conheça do pedido e outorgue a proteção legal correspondente àquela
cujos pressupostos estejam provados.
4. ( ) Nas ações possessórias em que o esbulho ou a turbação tenham ocorrido há mais de
um ano e um dia, caberá ação possessória pelo rito comum com a possibilidade de liminar,
nos termos do art. 562 do CPC.
5. ( ) Contra as pessoas jurídicas de direito público poderá ou não ser deferida a manutenção
ou a reintegração liminar sem prévia audiência dos respectivos representantes judiciais.
6. ( ) O possuidor direto ou indireto que tenha justo receio de ser molestado na posse poderá
requerer ao juiz que o segure da turbação ou esbulho iminente, mediante mandado
proibitório em que se comine ao réu determinada pena pecuniária caso transgrida o
preceito.
7. ( ) na consignação em pagamento judicial, o valor será depositado em estabelecimento
bancário, oficial onde houver, situado no lugar do pagamento e, na sequência, será
cientificando o credor por carta com aviso de recebimento, para se manifestar sobre a
recusa em 10 (dez) dias.
8. ( ) Na contestação de uma ação de consignação em pagamento, entre outras razões, o réu
poderá alegar que o valor do depósito é insuficiente.
9. ( ) Numa ação de consignação em pagamento, a sentença que concluir pela insuficiência
do depósito determinará, sempre que possível, o montante devido e valerá como título extra
- executivo.
10. ( ) É possível se valer de uma ação de consignação em pagamento quando houver dúvida
sobre quem deve legitimamente requerer o pagamento, visando, o autor, a extinção da
obrigação.
11. ( ) A sentença de uma ação de exigir contas apurará o saldo e constituirá título executivo
judicial.
12. ( ) Na ação de exigir contas, a impugnação das contas apresentadas pelo réu poderá ser
fundamentada e específica, com referência expressa ao lançamento questionado, ou
genérica, com simples não aceitação das contas prestadas.
13. ( ) Em relação à ação de exigir contas, as contas do inventariante, do tutor, do curador, do
depositário e de qualquer outro administrador serão prestadas em apenso aos autos do
processo em que tiver sido nomeado.
14. ( ) Em uma ação de exigir contas não contestada, a decisão que julgar procedente o pedido
condenará o réu a prestar as contas no prazo de 15 (quinze) dias, sob pena de não lhe ser
lícito impugnar as que o autor apresentar.
15. ( ) A legitimidade de uma ação de exigir contas é de qualquer pessoa, não sendo
necessário ser que o autor seja titular do direito de fazê-lo.
16. ( ) Aos processos contenciosos de divórcio, separação, reconhecimento e extinção de união
estável, guarda, visitação, filiação e alimentos aplicam-se as regras do procedimento
previsto no art. 693 e seguintes do CPC.
17. ( )  O mandado de citação das ações de família de jurisdição contenciosa conterá apenas
os dados necessários à audiência e deverá estar desacompanhado de cópia da petição
inicial, assegurado ao réu o direito de examinar seu conteúdo a qualquer tempo.
18. ( ) Nas ações de família, todos os esforços devem ser empreendidos para a obtenção da
solução consensual da lide.
19. ( ) A citação de uma ação de família ocorrerá com antecedência mínima de 30 (trinta) dias
da data designada para a audiência.
20. ( ) Sempre haverá intervenção do Ministério Público nas Ações de Família contenciosas.