Você está na página 1de 5

c 

     


 
Nos últimos anos a linguística teve uma evolução muito grande, porém essa evolução
não foi acompanhada pela maioria dos professores que insistem em viver á sombra dos
mestres do passado. Essa evolução assustou os professores porque viram cair por terra o
que era ensinado nas últimas décadas além de verem seus mestres serem criticados.
Alguns professores acompanharam essas mudanças e tentaram adequá-las ás novas
técnicas, outros, porém ignoraram esse processo. Outros se agarraramás primeiras
técnicas e radicalizaram suas aulas procurando esquecer tudo que os mestres antigos
ensinaram. Resumindo, com as mudanças alguns foram muito prudentes e freou o
desenvolvimento da língua, outras foram muito radicais e desprezaram o que foi
importante no passado, cobrindo os linguistas de criticas.

A reforma do Portuguêsprivilegiou a comunicaçãoem si, para isso basta um emissor e o


receptor, porém com o fim de ³apenas comunicar´, passaram a utilizar textossem
qualidade em sala de aula e deixaram delado nossos renomados escritores e suas
excelentes obras literárias, isso tem sido um grande prejuízo á língua.

Muitos professoresatribuíram o fracassode nossas escolas á linguista, porém não é isso


que acontece, o problemaestá nas técnicas utilizadas em sala de aula para aplicar as
mudanças da língua. Para isso o uso da Linguística no ensino do Português deve ser
aplicado com a união de linguistas, professores e pedagogos. Oprofessor de Português
tem que ser um profissional competente, que conheça a língua profundamente, pois não
se pode ensinar o que não se sabe.

 
 
A Fonética estuda os sons 
      , para efetivar a comunicação.
Diferentemente da escrita, que conta com vogais e consoantes, a Fonética se ocupa dos
  (= sons); são eles as vogais, as consoantes e as semivogais.

  

É a parte da Gramática que estuda o comportamento dos fonemas de uma língua,


tomando-os como unidades sonoras capazes de criar diferença de significados. Outros
nomes: fonêmica, fonemática

  
Em linguística, Morfologia é o estudo da estrutura, da formação e da classificação das
palavras. A peculiaridade da morfologia é estudar as palavras olhando para elas
isoladamente e não dentro da sua participação na frase ou período. A morfologia está
agrupada em dez classes, denominadas classes de palavras ou classes gramaticais. São
elas: Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição,
Conjunção e Interjeição.
: 
 
Sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e a das
frases no discurso, bem como a relação lógica das frases entre si. Ao emitir uma
mensagem verbal, o emissor procura transmitir um significado completo e
compreensível. Para isso, as palavras são relacionadas e combinadas entre si. A sintaxe
é um instrumento essencial para o manuseio satisfatório das múltiplas possibilidades
que existem para combinar palavras.

  
 
Refere-se ao estudo do significado, em todos os sentidos do termo. A semântica opõe-se
com frequência à sintaxe, caso em que a primeira se ocupa do que algo m   ,
enquanto a segunda se debruça sobre as estruturas ou padrões formais do modo como
esse algo é expresso(por exemplo, escritos ou falados). Dependendo da concepção de
significado que se tenha, têm-se diferentes semânticas. A semântica formal, a semântica
da enunciação ou argumentativa e a semântica cognitiva, por exemplo, estudam o
mesmo fenômeno, mas com conceitos e enfoques diferentes.

A   !
 
É o ramo da linguística que estuda a linguagem no contexto de seu uso na comunicação.
As palavras, em sua significação comum, assumem muitas vezes outros significados
distintos no uso da língua e, mais recentemente, o campo de estudo da Ô  
passou a englobar o estudo da linguagem comum e o uso concreto da linguagem,
enquanto a semântica e a sintaxe constituem a construção teórica. [1] A pragmática,
portanto, estuda os significados linguísticos determinados não exclusivamente pela
semântica proposicional ou frásica, mas aqueles que se deduzem a partir de um
contextoextra-linguístico: discursivo, situacional, etc.

  !   


O estudo da lingua não é feito somente do significado de palavras, e como essas
palavras combinamentre si formando frases. Para Maingueneau, o discurso é ³uma
dispersão de textos cujo modo de inscrição histórica permite definir como um espaço de
regularidades enunciativas´ (2005, p. 15). Já Foucault diz ³Chamaremos discurso um
conjunto de enunciados na medida em que se apoia na mesma formação
discursiva´...ele é constituído de um número limitado de enunciados para os quais
podemos definir um conjunto de condições de existência.

"#   
 
A psicolingüística analisa qualquer processo que diz respeito à comunicação humana,
mediante o uso da linguagem (seja ela de forma oral, escrita, gestual etc.). Essa ciência
também estuda os fatores que afetam a decodificação, ou seja, as estruturas psicológicas
que nos capacitam a entender expressões, palavras, orações, textos.
""  
 
A sociolinguística ou sociologia da linguagem é uma disciplina da linguística que
estuda os aspectos resultantes da relação entre a língua e a sociedade, concentrando-se
em especial na variabilidade social da língua.Ela mostra problemas de variação entre a
linguística e a norma culta.A forma como a pessoa fala pode ser usada para rotular uma
pessoa como caipira ou culto. Isso pode acontecer como um simples r épronunciado.A
linguagem acaba sendo motivo de preconceito por isso ser professor de Português acaba
sendo um tipo de promoção social.

A escola não pode aceitar que o Português seja ensinado apenas com o intuito de fazer
com que o indivíduo se comunique. O ensino do Português deve além de comunicar,
deve fazer com que o aluno compreenda melhor a sociedade em que vive. Sendo assim
podemos concluir que a presença do Linguista no ensino do Português fará com que a
qualidade da educação brasileira esteja em seu mais alto patamar.

"c $   %&   


O ensino da língua deve ser aplicado com a junção dos professores de Língua
Portuguesa e de Linguística, para que o ensino também possa acompanhar a evolução da
linguagem sem desprezar a sabedoria dos grandes autores do passado, trocando seus
preciosos textos por linhas repletas de vulgaridade e insignificância que nada
acrescentam ao aprendizado.

" '    ((! 


COSERIU, Eugênio. ³Do sentido da língua e a literatura´, 
  . Revista
do Instituto da Língua Portuguesa do Liceu Literário Português, n.º 5, Rio de
Janeiro, Ed. Lucerna Ltda/ 1º semestre/1993.p.29-47.

LOPES, Edward. Fundamentos da Lingüística Contemporânea. São Paulo:


Cultrix, 1975.
BORBA, Francisco da Silva. Introdução aos Estudos Lingüísticos. São
Paulo: Companhia Editora Nacional, 1967. V.3.

Páginas da WEB




!

" )
%*

c +
     
 

 
 
  
  
: 
 
  
 
A   !
 
     
"#   
 
""  
 
"c $   %&   
" '     ,(! 






















" #)
%*
A falta de habilidade com a língua portuguesa em todos os seus aspectos, manifestados
em alunos pertencentes aos diversos níveis, continua provocando preocupações e
discussões entre professores e estudiosos da língua materna.

O dever de combater a atitude prescritiva fica sob a responsabilidade do linguista,


conhecedor que é dos desvios e das variações, refletindo sobre os fatos, que ocorrem.
A gramática como disciplina escolar e a linguística, não pode ser avaliada como
estranhas, certa e errada. São áreas que não devem fazer parte do pensamento de que
uma poderia substituir a outra, são campos que se nutrem de modo recíproco. Sabemos
que a linguística é inovação no ensino da gramática e a ausência de reflexão na sala de
aula sobre a linguagem e seu uso, pode atrapalhar o progresso da ciência linguística, e a
eficiência da escola no bom desempenho linguístico dos estudantes.

Você também pode gostar