Você está na página 1de 118

PLANO DE ORIENTAÇÃO

PARA A OFERTA

CURSO TÉCNICO EM
ADMINISTRAÇÃO
PC nº 157

Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Área de Negócios: Administração e Negócios

Habilitação Técnica de Nível Médio em Administração


GD2 – Versão 3 – Julho 2012
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

EQUIPE RESPONSÁVEL

COORDENAÇÃO TÉCNICA
Gerência de Desenvolvimento 2
Elizabeth Ribeiro
Livia Marina Dias Castaldi

ELABORAÇÃO
Consultora Pedagógica GEDUC
Adriana Peres

Consultores Especialistas
Fabiano Giacomini - RIP
Lucelia Mendes de Sá - MAI
Rodrigo Uliana Ferreira - SJR
Rozina Aparecida Torchio Varani - MAI

ACOMPANHAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO
GEDUC Desenho Educacional
Ana Cleide Gois Bispo
Patricia Luissa Masmo

Habilitação Técnica de Nível Médio em Administração


GD2 – Versão 3 – Julho 2012
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

SUMÁRIO

Apresentação ............................................................................................. 4

Orientações para o Atendimento .................................................................. 6

Operacionalização do Curso ......................................................................... 9

Orientações para o Desenvolvimento do Curso ............................................. 15

Sugestões para o Plano Coletivo de Trabalho Docente ................................... 30

Módulo I – Ambientação Organizacional - 40 horas ................................... 31

Módulo II – Empreendedorismo - 40 horas............................................... 39

Módulo III – Marketing e Vendas - 160 horas ........................................... 47

Módulo IV – Logística Empresarial - 160 horas ......................................... 61

Módulo V – Recursos Humanos- 160 horas............................................... 79

Módulo VI – Finanças e Custos - 200 horas .............................................. 92

Módulo VII – Gestão Integrada - 40 horas ..............................................105

Anexo 1 – Termo de Ciência – Aulas Fora da Unidade ..................................110

Anexo 2 - Modelo sugerido para elaboração de Planos de Aula ......................111

Anexo 3 - Modelo de Carta de Apresentação ...............................................112

Anexo 4 – Plano de Atividades do Estagiário ...............................................113

Anexo 5 - Sugestões para o Projeto ...........................................................115

Anexo 6 - Termo de Ciência - Mudança de Plano de Curso ............................118

SUMÁRIO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

APRESENTAÇÃO

Caros integrantes da equipe do


Curso Técnico em Administração

Este Plano de Orientação para a Oferta é um documento norteador que


apresenta aos técnicos e docentes da rede uma coletânea de experiências e
práticas diretivas para o desenvolvimento do curso de maneira alinhada com a
Proposta Pedagógica da Instituição, o Plano de Curso e o Regimento das
Unidades Educacionais – Senac São Paulo.
A premissa deste Plano de Orientação é o respeito aos saberes e às
competências dos próprios docentes e, portanto, não determina atividades ou
fazeres estáticos. Sendo assim, é importante que cada docente imprima em suas
aulas seu estilo, sua experiência e seus conhecimentos a respeito do grupo de
alunos que está mediando.
Ao planejar as aulas, é essencial que o docente do Senac São Paulo desfrute da
mesma autonomia e flexibilidade que esperamos dos nossos alunos no seu
desenvolvimento.
Assim, sugerimos que cada unidade, considere sempre em suas reuniões
pedagógicas com supervisores educacionais, técnicos e docentes as
singularidades e individualidades de cada profissional, assim como as
valorizamos em nossos alunos.

Em caso de dúvida, entre em contato com:


Elizabeth Ribeiro – elizabethribeiro@sp.senac.br
Livia Marina Dias Castaldi – livia.mdcastaldi@sp.senac.br

Bom trabalho !

APRESENTAÇÃO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
4
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

O QUE VOCÊS ENCONTRAM NESTE


PLANO DE ORIENTAÇÃO PARA A OFERTA

Orientações para o Atendimento


Traduz as informações importantes do Plano de
Curso para uma linguagem que auxilia o atendente
a trabalhar a venda do curso.

Operacionalização do Curso

Oferece dicas sobre seleção de docentes,


materiais, equipamentos, parcerias, etc.

Indica pontos importantes a serem considerados


pela coordenação para a organização e
acompanhamento do trabalho pedagógico da
equipe envolvida no curso.

Orientações para o Desenvolvimento do Curso

Explicita os referenciais norteadores e descreve as


indicações metodológicas para o desenvolvimento do
curso.

Orienta o Plano Coletivo de Trabalho Docente, com


sugestões de atividades, indicação das bases
tecnológicas, temas, estimativa de tempo e descrição
dos indicadores de desempenho para a avaliação das
competências.

APRESENTAÇÃO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
5
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA O ATENDIMENTO

Que curso é este?


É um curso de educação profissional técnica de nível médio que capacita o
Técnico em Administração para atuar em organizações públicas, privadas e do
terceiro setor ou em seu próprio negócio, em qualquer ramo de atividade.

É profissão regulamentada?
Não há registro profissional para o Técnico em Administração. Somente os
tecnólogos e bacharéis em administração obtêm registro profissional nos
Conselhos Regionais de Administração de cada Estado e do Distrito Federal.

Quem pode fazer o curso?


Interessados que estejam cursando, no mínimo, a 2ª série do ensino médio.

Quem é o Técnico em Administração?


É o profissional que atua em diversos segmentos da organização. Contribui nos
processos de gestão, acompanhando e subsidiando o processo decisório nas
áreas de marketing, finanças, pessoas e logística, entre outras.

Por que fazer o Curso?


Porque oferece ampla visão da gestão de uma empresa em segmentos
diversificados, permitindo a atuação em suas diversas áreas, bem como o
gerenciamento de seu próprio negócio.

Qual o diferencial deste curso?


 Plano de curso atualizado por especialistas da área de Administração.
 Docentes que possuem formação e experiência profissional na área.
 Metodologia de trabalho por projetos, atual e inovadora (no decorrer do curso
o aluno desenvolve projetos voltados para diversos segmentos).
 Contato com empresas e órgãos públicos que tenham relações com as áreas.
 Biblioteca com acesso a acervo de Administração para consulta de docentes e
alunos.

O que o interessado vai encontrar no curso?


O curso prevê muitas atividades que contribuem para a aprendizagem, como
estudos de caso, proposição de problemas, pesquisas em diferentes fontes,
contato com empresas e especialistas da área, visitas técnicas, trabalho de
campo, simulações de contextos, palestras com especialistas.

ORIENTAÇÕES PARA O ATENDIMENTO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
6
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Como o curso está organizado?


O curso está organizado em 07 módulos, sendo que necessária a conclusão com
aprovação no módulo I, mais outro módulo correspondente, para a
certificação em cada qualificação técnica de nível médio prevista ,
conforme segue:
 (módulos I + III) Assistente em Marketing e Vendas
 (módulos I + IV) Assistente em Logística Empresarial
 (módulos I + V) Assistente em Recursos Humanos
 (módulos I + VI) Assistente em Finanças e Custos

Módulos Horas

I Ambientação Organizacional 40

II Empreendedorismo 40

III Marketing e Vendas 160

IV Logística Empresarial 160

V Recursos Humanos 160

VI Finanças e Custos 200

VII Gestão Integrada 40

Total 800

O curso tem estágio?


O curso não prevê estágio, ficando a critério da Direção da Unidade Senac
autorizar a sua realização como uma atividade opcional do aluno desde que
esteja matriculado e frequente regularmente o curso, ficando sob sua
responsabilidade, identificar empresas/instituições para concessão do campo

Quando o estágio opcional do aluno pode ser recusado?


O pedido de estágio opcional do aluno poderá ser indeferido pelo gerente da
unidade quando não forem atendidas as condições mínimas estabelecidas no
Plano de Realização de Estágio Profissional que consta do respectivo Plano de
Curso.

O estágio será sempre registrado no diploma?


Neste curso, o estágio será registrado somente quando o aluno realizar o mínimo
de, 80 horas (10 % da carga horária total do curso) das atividades previstas no
Plano de Atividades do Estagiário incorporado ao Termo de Compromisso.

ORIENTAÇÕES PARA O ATENDIMENTO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
7
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

O aluno perde as horas já realizadas de estágio quando a concedente


rescinde o Termo de Compromisso antes do tempo previsto?
Não. Neste caso, a concedente deve entregar ao estagiário, termo de realização
do estágio com a indicação resumida das atividades desenvolvidas e, essas horas
serão acumuladas para complementar o mínimo exigido, caso o aluno apresente
solicitação de estágio em outra empresa.

Qual é a forma de avaliação da aprendizagem?


A avaliação é contínua e cumulativa e se dá por meio de atividades diversas,
como por exemplo, estudos de casos, simulações, pesquisas individuais e em
grupos, relatórios, debates, exercícios, relatórios de visitas técnicas e pelos
trabalhos desenvolvidos para o projeto.

Que menções e frequência são necessárias para o aluno ser aprovado?


Menções: ÓTIMO ou BOM, atribuídas por Módulo e a frequência mínima de
75% do total de horas de efetivo trabalho educacional em cada Módulo.

O Senac fornece material didático para o aluno?


Sim, será fornecido ao aluno o Livro: MONTANA, Patrick J.; Charnov, Bruce H.
Administração - Série Essencial. 3. Ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

Que documento de conclusão é conferido ao aluno aprovado no curso?


Certificações intermediárias de Qualificação Técnica de Nível Médio em:
 Assistente em Marketing e Vendas
 Assistente em Logística Empresarial
 Assistente em Recursos Humanos
 Assistente em Finanças e Custos
Diploma de Técnico em Administração para os alunos que concluírem com
aprovação os sete módulos que compõem a organização curricular do Plano de
Curso e comprovar a conclusão do ensino médio.

Mais Informações
O candidato pode consultar o Plano de Curso no site do Senac São Paulo
(www.sp.senac.br) ou na biblioteca da Unidade e, caso ainda tenha dúvidas,
pode ser encaminhado para conversar com a coordenação de curso da Unidade.

ORIENTAÇÕES PARA O ATENDIMENTO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
8
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO

Autorização da Unidade para Oferta do Curso

Para inserir este curso em sua programação, a unidade interessada deve


consultar o técnico responsável da Gerência de Operações, que articulará com a
Gerência de Desenvolvimento a análise de espaços específicos para o curso.
Para desenvolver o curso, a unidade deve ter a respectiva Portaria de
Autorização de Funcionamento emitida pela Supervisão Educacional.

Infraestrutura mínima estabelecida em Plano de Curso

 Instalações
 Sala de aula adequadamente mobiliada, com cadeiras móveis para a
composição de diferentes arranjos que privilegiem a diversidade de
atividades.
 Equipamentos
A Unidade disponibilizará:
 Computadores com acesso à Internet
 Projetor de slides
 Retroprojetor/Data show
 Televisão
 Vídeo/DVD

Coordenação do Curso

Será indicado pelo técnico da área, um docente com formação em nível superior
e experiência na área que auxiliará na coordenação do curso.
Caberá a esse docente acompanhar toda a organização e desenvolvimento do
curso, desde a sua implantação até a sua conclusão, considerando o Plano de
Curso em todos os seus aspectos e as orientações contidas neste documento.
A promoção de reuniões periódicas mensais do corpo docente para análise do
andamento do curso e avaliação continuada do corpo discente é de
responsabilidade do técnico da área assessorado por este docente.

Parcerias

Com outras Instituições


A Unidade interessada em trabalhar com esse curso e não tiver disponível um
espaço adequado em suas dependências, conforme descrito no Plano de Curso
pode realizar parceria externa com outra instituição, salvo exceções.

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
9
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Para realização da parceria, a Unidade deve identificar o espaço adequado e


solicitar às respectivas Gerências de Desenvolvimento e Gerências de Operação
que façam uma visita técnica ao local para verificação. Confirmada a adequação
do mesmo, a unidade deve firmar a parceria através da assinatura de um
contrato especificando que esta durará enquanto o curso estiver em andamento.
Deve ser utilizado o modelo de contrato validado pela Assessoria Jurídica do
Senac São Paulo e disponibilizado pelo setor administrativo da Unidade.
As Unidades que utilizarem os espaços fora da Unidade necessitam de uma
autorização específica para essa oferta.
Nesses casos, os candidatos serão informados no momento da matrícula e
devem assinar um documento comprovando ter ciência desse fato (duas vias,
uma para o aluno e outra para ser arquivada no seu prontuário na Secretaria
Educacional). Modelo de Termo de Ciência/Aulas Fora da Unidade (anexo 1).
Com fornecedores
Quanto a parcerias com empresas fornecedoras para doação de material,
empréstimo de equipamento para demonstração, visitas, etc., a Unidade terá
autonomia para realizá-la, desde que siga as orientações do seu Setor
Administrativo articulado com a Assessoria Jurídica.
Para doações, a Unidade será responsável por localizar, agendar reunião com o
representante local da empresa e elaborar a proposta da Unidade para parceria.
Deve ser utilizado o modelo de contrato validado pela Assessoria Jurídica do
Senac e disponibilizado no Setor Administrativo da Unidade.

Docentes

Seleção
Para atuar neste curso os docentes devem ter formação específica relacionada a
cada competência a ser desenvolvida, habilidade para docência e atualização
com as questões relativas ao segmento profissional do curso. Para o
desenvolvimento de algumas competências do curso há indicação de formação
no quadro Sugestões para o Plano Coletivo de Trabalho Docente desse
documento.
A formação requerida dos docentes está especificada no quadro de atividades
que orienta o Plano Coletivo de Trabalho Docente, de acordo com os conceitos,
princípios, técnicas e tecnologias exigidas pelas competências de cada módulo
que compõe o curso.
Procedimentos para a Seleção
Análise de currículo e entrevista podem ser instrumentos suficientes para uma
primeira etapa da seleção, pois permitem levantar dados sobre a experiência
profissional e academia profissional. Na entrevista é interessante investigar a
experiência do candidato no segmento e a afinidade com a Proposta Pedagógica

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
10
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Institucional, buscando assegurar os conteúdos técnicos e a abordagem


metodológica.
Uma mini aula demonstrativa que requeira a abordagem de conteúdos que serão
ministrados pelo docente pode ser incluída no processo seletivo, para avaliar
seus conhecimentos técnicos e a disponibilidade para trabalhar com situações
ativas de aprendizagem.
Para esclarecimentos sobre procedimentos para contratação, consultar as
orientações contidas no SISNORMAS.
Formação
Para atuar neste curso estão habilitados para a docência, profissionais
licenciados (licenciatura plena ou programa especial de formação) na área
profissional.
Poderão ainda ser admitidos, em caráter excepcional, profissionais com a
seguinte ordem preferencial:
 na falta de licenciados, graduados na correspondente área profissional ou de
estudos;
 na falta de graduados nas áreas específicas, profissionais graduados em
outras áreas e que tenham experiência comprovada na área do curso;
 na falta de profissionais graduados, técnicos de nível médio na área do curso,
com comprovada experiência profissional na área;
 na falta de profissionais de nível técnico com comprovada experiência, outros
reconhecidos por sua notória competência.
 aos não licenciados será propiciada formação docente em serviço.
Obs.: As bases tecnológicas relacionadas com estatística podem ser
desenvolvidas pelos docentes de MKT ou por um bacharel em Matemática ou
Estatística que tenha familiaridade e experiência na área de pesquisa.

Orientações Iniciais
Todo docente da Instituição deve conhecer a Proposta Pedagógica do Senac
São Paulo, o Regimento das Unidades Educacionais Senac São Paulo, o
Plano de Curso no qual atuará e este documento com as orientações que o
acompanham.
Estes documentos devem ser fornecidos na íntegra para o docente envolvido no
processo, pois, na perspectiva do trabalho por competências, não basta que ele
conheça apenas os aspectos relativos às competências com as quais trabalhará
durante o curso. Ele precisa conhecer a proposta e se articular com os
demais docentes para garantir a integração curricular.
Quando um docente é contratado para um curso que já está em andamento, é
importante que se promova sua integração no processo. Neste caso, além de
receber os documentos, o docente deve ser orientado pelo técnico sobre o

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
11
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

planejamento do curso e discutir sua contribuição para o desenvolvimento das


competências em foco. É interessante que ele mantenha contato com docentes
mais experientes para troca de ideias que poderão auxiliá-lo no planejamento
das suas aulas.
Recomenda-se que os docentes participem do PDE (Programa de
Desenvolvimento Educacional), onde são contemplados temas ligados à
proposta pedagógica do Senac e seus desdobramentos na sala de aula.
Os cursos equilibram aspectos conceituais e práticos e vão desde o planejamento
das atividades até o uso de novas tecnologias e abordagens pedagógicas.

Alunos

De acordo com a disponibilidade da Unidade, poderão ser realizadas com os


candidatos inscritos atividades de informação como palestras informativas ou
oficinas de discussão para que o futuro aluno possa debater a proposta e decidir-
se pela matrícula com mais segurança.
As atividades devem fornecer informações relevantes sobre o Plano de Curso e
sobre a área profissional. É importante que se crie um clima de descontração
para que os candidatos se sintam à vontade para esclarecer suas dúvidas.
A Unidade poderá admitir processo seletivo, nele incluindo a avaliação de
conhecimentos e/ou habilidades requeridas, de acordo com as especificidades do
curso.
Recomenda-se que o teste seja realizado com aproximadamente 30 dias de
antecedência em relação à data de início do curso.

Matrícula
A matrícula é o ato formal que dá o direito de participação dos alunos no
processo educacional da Unidade. O documento que registra este ato é o
Requerimento de Matrícula.
Para efetuar sua matrícula no curso, o candidato deve atender aos requisitos de
entrada e apresentar os documentos estabelecidos em Plano de Curso, assinando
o requerimento de matrícula para sua efetivação.
O Manual do Aluno deve ser entregue no momento da sua matrícula, e tem por
objetivo apresentar o Senac São Paulo, oferecendo aos alunos, informações
sobre as normas e procedimentos dos cursos de Educação Profissional Técnica de
Nível Médio – Habilitação, Qualificação ou Especialização Profissional.
Atenção:
Caso a Unidade entregue ao aluno documento informativo complementar
específico do curso, nele deverá constar informações tais como:
 atividades realizadas durante os finais de semana ou feriados,
 materiais, insumos e/ou equipamentos que devem ser providenciados pelos
alunos.

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
12
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Kit Material
Há Kit Material publicado na página do curso na Intranet.

Planejamento do Curso na Unidade

Antes de iniciar o curso, é importante reunir a equipe docente para discutir os


documentos, pois não basta somente disponibilizá-los.
A partir da análise das orientações que constam deste documento, a equipe,
formada por docentes e acompanhada pelo técnico responsável pelo curso, deve
discutir e adequar o Plano Coletivo de Trabalho Docente.
O Plano Coletivo de Trabalho Docente é um plano geral que explicita e
sugere a sequência de atividades, dá subsídios para a elaboração do cronograma
e indicações para que cada docente possa elaborar seu Plano de Aula. Ele tem
por objetivo privilegiar o foco nas competências, situar o projeto como caminho
metodológico do curso e manter a articulação entre as atividades previstas pelos
diferentes docentes.
Os Planos de Aula elaborados pelos docentes devem ser requeridos pela
coordenação para acompanhamento do processo e compartilhados com a equipe
envolvida. Para efeito de alinhamento, sugere-se o modelo (anexo 2).
O cronograma de aula deve ser elaborado de forma integrada para garantir o
desenvolvimento das competências que compõem o Módulo.
Graficamente o fluxo de planejamento pode ser representado da seguinte
forma:

Plano de Plano de
Curso Orientação
para a Oferta

Proposta
Pedagógica Plano Coletivo de
Trabalho Docente
(discutido na Unidade pela
coordenação e equipe docente)

Avaliação Plano de aula


da Prática (elaborado na Unidade pelo
docente, com a orientação da
Prática coordenação)
Pedagógica

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
13
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Reuniões de Planejamento e Avaliação do Curso

Ao programar a oferta do curso devem ser previstas reuniões com os docentes


para o planejamento e a avaliação do processo, pois o Plano Coletivo de
Trabalho Docente e os Planos de Aula são propostas vivas a serem
compartilhadas entre os colegas e passíveis de modificação sempre que o
desenvolvimento do grupo de alunos assim indicar. Portanto, não podem ser
tratados como documentos burocráticos.
Para melhor aproveitamento e alinhamento da Proposta Pedagógica, desenvolver
o Plano Coletivo de Trabalho Docente e os Planos de Aula no cronograma
de trabalho.

OPERACIONALIZAÇÃO DO CURSO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
14
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA O
DESENVOLVIMENTO DO CURSO

As orientações para o desenvolvimento do curso atendem aos princípios das


Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional de Nível Técnico e
da Proposta Pedagógica do Senac São Paulo, que, por sua vez, pautam-se em
referenciais norteadores.

Referenciais Norteadores

Trabalho por Competência


"A mobilização exerce-se em situações complexas, que obrigam a pessoa a
estabelecer o problema antes de resolvê-lo, a determinar os conhecimentos
pertinentes, a reorganizá-los em função da situação, a extrapolar ou preencher
as lacunas. Entre conhecer a noção de juros e compreender a evolução da taxa
hipotecária há uma grande diferença. Os exercícios escolares clássicos permitem
a consolidação da noção e dos algoritmos de cálculo. Eles não trabalham a
transferência. Para ir nesse sentido, seria necessário colocar-se em situações
complexas como obrigações hipotecárias, empréstimos, leasing. Não adianta
colocar essas palavras nos dados de um problema de matemática para que essas
noções sejam compreendidas, ainda menos para que a mobilização dos
conhecimentos seja exercida. Entre saber o que é um vírus e proteger-se
conscientemente das doenças virais, a diferença não é menor. Do mesmo modo
que entre conhecer as leis da física e construir uma barca, fazer um modelo
reduzido voar, isolar uma casa ou instalar corretamente um interruptor."
"...Se as competências serão formadas pela prática, isso deve ocorrer,
necessariamente, em situações concretas, com conteúdos, contextos e riscos
identificados...." [Trabalhar regularmente por problemas] "... coloca o aprendiz
em situações que o obrigam a alcançar uma meta, a resolver problemas, a tomar
decisões [...] O exercício constante é indispensável; é preciso confrontar-se com
dificuldades específicas, bem dosadas, para aprender a superá-las. [...] O
aprendizado por problemas, desenvolvido em certas profissões, notadamente em
algumas faculdades de medicina, supõe "simplesmente" que os estudantes sejam
colocados em situações de identificação e resolução de problemas, construídos
pelos professores de maneira a encorajar uma progressão na assimilação dos
conhecimentos e na construção das competências. Os alunos devem procurar a
solução, construí-la – o que evidentemente supõe que a tarefa proposta esteja
em sua zona de desenvolvimento próxima e que possa apoiar-se em uma certa
familiaridade com o campo conceitual implicado." 1
"... para ser 'realista', um problema deve estar de alguma maneira 'incluído' em
uma situação que lhe dê sentido. Há várias gerações de alunos, a escola tem

1
PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999. (p.39, 57)

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012

15
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

proposto problemas artificiais e descontextualizados: as famosas histórias de


trens e banheiras. O problema escolar a 'resolver', no tradicional exercício do
ofício de aluno [...] é uma tarefa que cai do céu, uma forma de exercício. [...]
Uma situação-problema não é uma situação didática qualquer, pois deve colocar
o aprendiz diante de uma série de decisões a serem tomadas para alcançar um
objetivo que ele mesmo escolheu ou que lhe foi proposto ou até traçado."2
Destaque para duas características de uma situação-problema:
 Deve estar organizada em torno da superação de um obstáculo pela classe,
obstáculo este previamente identificado.
 Deve oferecer uma resistência suficiente, que leve o aluno a investir seus
conhecimentos anteriores disponíveis, bem como suas representações, de
maneira que leve ao seu questionamento e à elaboração de novas ideias.3

Pedagogia de Projetos
"O trabalho com Projetos traz uma nova perspectiva para entendermos o
processo de ensino-aprendizagem. Aprender deixa de ser um simples ato de
memorização e ensinar não significa mais repassar conteúdos prontos. Nesta
postura, todo conhecimento é construído em estreita relação com os contextos
em que são utilizados, sendo, por isso mesmo, impossível separar os aspectos
cognitivos, emocionais e sociais presentes nesse processo. A formação dos
alunos não pode ser pensada apenas como uma atividade intelectual. É um
processo global e complexo, onde o conhecer e intervir no real não se encontram
dissociados. Aprende-se participando, vivenciando sentimentos, tomando
atitudes diante dos fatos, escolhendo procedimentos para atingir determinados
objetivos. Ensina-se não só pelas respostas dadas, mas, principalmente, pelas
experiências proporcionadas, pelos problemas criados, pela ação desencadeada."
O desenvolvimento de projetos, com o objetivo de resolver questões relevantes
para o grupo, vai gerar necessidades de aprendizagem e, nesse processo, os
alunos irão se defrontar com os conteúdos das diversas disciplinas, entendidos
como "instrumentos culturais" valiosos para a compreensão da realidade e
intervenção em sua dinâmica. Há, assim, a possibilidade, com os Projetos de
Trabalho, de evitar que os alunos entrem em contato com os conteúdos
disciplinares a partir de conceitos abstratos e de modo teórico, como, muitas
vezes, tem acontecido nas práticas escolares. Nesta mudança de perspectiva, os
conteúdos deixam de ter um fim em si mesmo e passam a ser meios para
ampliar a formação dos alunos e sua interação na realidade, de forma crítica e
dinâmica. Há, também, o rompimento com a concepção de "neutralidade" dos
conteúdos disciplinares, que passam a ganhar significados diversos, a partir das
experiências sociais dos alunos, envolvidos nos Projetos.

2
PERRENOUD, P. Op.cit., 1999. (p.57, 58)
3
PERRENOUD, P. Op.cit., 1999. (p.58)

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
16
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Ao pensar no desenvolvimento de um projeto, quatro momentos devem


ser configurados:
1) Problematização: é o ponto de partida, o momento detonador do projeto.
Nessa etapa inicial, os alunos irão expressar suas ideias, crenças, conhecimento
sobre o problema em questão. Este passo é fundamental, pois dele depende todo
o desenvolvimento do projeto. Os alunos não entram na escola como uma folha
em branco; já trazem, em sua bagagem, hipóteses explicativas, concepções
sobre o mundo que os cerca. E é dessas hipóteses que a intervenção pedagógica
precisa partir, pois, dependendo do nível de compreensão inicial dos alunos, é
evidente que o processo toma um ou outro caminho.
É na fase de problematização que o professor detecta o que os alunos já sabem
e o que ainda não sabem sobre o tema em questão. É também a partir das
questões levantadas nesta etapa que o projeto é organizado pelo grupo.
2) Desenvolvimento: é o momento onde se criam as estratégias para buscar
respostas às questões e hipóteses levantadas na problematização. Aqui,
também, a ação do sujeito é fundamental. Por isso, é preciso que os alunos se
defrontem com situações que os obriguem a confrontar pontos de vista, rever
suas hipóteses, colocar-se novas questões, confrontar-se com novos elementos
postos pela Ciência. Para isso, é preciso que se criem propostas de trabalho que
exijam a saída do espaço escolar, a organização em pequenos e grandes grupos,
o uso de biblioteca, a vinda de pessoas convidadas à escola, entre outras ações.
Nesse processo, [os alunos] têm que utilizar todo o conhecimento que têm sobre
o tema e se defrontar com conflitos, inquietações que levarão ao desequilíbrio de
suas hipóteses iniciais.
3) Síntese: em todo este processo, as convicções iniciais vão sendo superadas e
outras, mais complexas, vão sendo construídas. As novas aprendizagens passam
a fazer parte dos esquemas de conhecimento dos alunos e vão servir de
conhecimento prévio para outras situações de aprendizagem.
4) Avaliação: avalia-se todo o processo de desenvolvimento do projeto,
considerando-se a autoavaliação pelos alunos, a avaliação das equipes de
trabalho e avaliação das estratégias de ensino e aprendizagem utilizadas para
alcançar os fins propostos. Nesse sentido, a avaliação deve ser constante e ao
longo do processo, garantindo a oportunidade de ajustes que o melhorem.
Apesar de explicitar estes momentos dentro do desenvolvimento de um projeto,
é importante frisar que se trata de um processo e não de etapas estanques. A
compreensão da metodologia como técnica é comum em nossa cultura escolar e
dela vem a significação e redução da pedagogia de projetos enquanto uma
técnica de ensino. Entendemos que a pedagogia de projetos não pode ser uma
técnica sujeita a regras pré-determinadas. Os projetos são processos contínuos,
que não podem ser reduzidos a uma lista de objetivos e etapas. É uma postura
que reflete uma concepção do conhecimento como produção coletiva, onde a

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
17
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

experiência vivida e a produção cultural sistematizada se entrelaçam, dando


significado a aprendizagens construídas."4
Deve-se atentar para o fato de que as competências norteiam o planejamento e
não as disciplinas ou os conteúdos como, tradicionalmente, se tem como
referência. Nesta proposta, os conteúdos são considerados como insumos para a
resolução dos problemas ou projetos.
É importante que estes referenciais norteadores sejam discutidos com os
docentes e sirvam como base para avaliar o adequado alinhamento entre a
forma como o curso está sendo desenvolvido e estes princípios.

Material de apoio didático

Bibliografia
Os títulos indicados na bibliografia do Plano de Curso devem estar disponíveis
na Biblioteca da Unidade para consulta de alunos e docentes.
Outros títulos existentes no acervo do Sistema de Bibliotecas do Senac São Paulo
podem ser disponibilizados para a Biblioteca da Unidade mediante empréstimo
interbibliotecas. A Bibliotecária, em articulação com os docentes do curso, pode
selecionar os títulos e programar um período de incremento à pesquisa em
Administração ou temas correlatos, incentivando a ampliação do contato dos
alunos com essa literatura.
É interessante que a Unidade faça previsão orçamentária para atualização da
bibliografia. A respectiva Gerência de Desenvolvimento deve manter indicações
atualizadas para a bibliografia complementar do curso.
Para atender às necessidades de consulta e pesquisa dos docentes e alunos, a
unidade constituirá seu acervo com livros, revistas, publicações técnicas,
incluindo, necessariamente, os seguintes títulos:
AAKER, David A. Administração estratégica de mercado. 5 ed. Porto Alegre:
Bookman, 2001.
BERNARDES, Cyro; MARCONDES, Reynaldo Cavalheiro. Teoria geral da
administração. 3.ed. SÃO PAULO: Saraiva, 2004.
BRUNI, Adriano Leal; FAMÁ, Rubens. Matemática financeira. 4. ed. SÃO PAULO:
Atlas, 2010.
CRAINER, Stuart; CELESTE, Priscilla Martins. Grandes pensadores da
administração: as ideias que revolucionaram o mundo dos negócios. 2. ed.. São
Paulo: Futura, 2003.
DOLABELA, E. O Segredo de Luiza. 4ª ed. São Paulo, Editora Sextante, 2008.
edição?
DORNELAS, Jose Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em
negócios. 3. ed. rev. e atual.. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

4
LEITE, Lúcia Helena Álvares. A pedagogia de projeto em questão. Texto produzido a partir da palestra no Curso de Diretores
da Rede Municipal de Belo Horizonte, promovido pelo CAPE/SMED em dezembro de 1994. Mestre em Educação pela FAE-
UFMG. Assessora do Projeto Escola Rural. Coordenadora Pedagógica da Escola Balão Vermelho.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
18
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

MELHADO, Heloisa Meira Coelho; KRITZ, Sonia; GARCIA, Ana Maria Felippe.
Administração de material e patrimônio. 2. ed. rev. e atual.. Rio de Janeiro: Ed.
Senac Nacional, 2002.
INSTITUTO EMPREENDER ENDEAVOR. Como fazer uma empresa dar certo em
um país incerto: Conselhos e lições de 51 dos mais bem sucedidos
empreendedores do Brasil. 1ª ed. Campus, 2005.
IORIO, Cecilia Soares. Manual de administração de pessoal. 13. ed. rev. E atual..
São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2010.
KOTLER, Philip; KELLER, Kevin Lane. Administração de marketing. 12.ed. SÃO
PAULO: Pearson Prentice Hall, 2009.
KWASNICKA, Eunice Lacava. Introdução à administração. 6.ed. SÃO PAULO:
Atlas, 2010.
Langdon, Ken. Você sabe conduzir uma negociação? 1ª ed. SÃO PAULO: SENAC
SÃO PAULO, 2009.
Langdon, Ken; Bruce, Andy. Você sabe gerenciar projetos? 1ª ed. SÃO PAULO:
SENAC SÃO PAULO, 2009.
______________________. Você sabe usar o pensamento estratégico? 1ª ed.
SÃO PAULO: SENAC SÃO PAULO, 2009.
MONTANA, Patrick J.; Charnov, Bruce H. Administração - Série Essencial. 3. Ed.
São Paulo: Saraiva, 2010.
HAMEL, Gary; PRAHALAD, C. K. Competindo pelo futuro: estratégias inovadoras
para obter o controle do seu setor e criar os mercados de amanhã. 26. ed.. Rio
de Janeiro-RJ, 2005.
Shipside, Steve. Você sabe se comunicar? 1ª ed. SÃO PAULO: SENAC SÃO
PAULO, 2009.
SMAILES, Joanne; MCGRANE, Angela; Bazan Tecnologia e Linguistica; BRITO,
Christiane. Estatística aplicada à administração com Excel. São Paulo: Atlas,
2007.
ZUANETTI, Rose; LEE, Renato; HARGREAVES, Lourdes. Qualidade em prestação
de serviços. 2ª ed. Ed. Senac Nacional, 2010.

Bibliografia complementar
IUDÍCIBUS, Sérgio de; MARION, José Carlos; FARIA, Ana Cristina de. Introdução
à teoria da contabilidade. 5.ed. SÃO PAULO: Atlas, 2009.
NOVAES, Antonio Galvao. Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição:
estratégia, operação e avaliação. 3. ed. rev. atual. e ampl.. Rio de Janeiro:
Elsevier, 2007.
SA, Carlos Alexandre. Contabilidade para não-contadores: princípios básicos de
contabilidade para profissionais em mercados competitivos. 6ª. ed.. Rio de
Janeiro: SENAC, 2010. 164p.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
19
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

OBS. Os livros e apostilas são materiais de apoio didático para uso em sala de
aula. Docentes e alunos não devem se limitar ao material fornecido, pois a
consulta e a pesquisa em outros títulos são imprescindíveis para promover a
autonomia na aprendizagem.

Sites para consulta


 http://veja.abril.com.br
 http://portalexame.abril.com.br
 http://vocesa.abril.com.br
 www.hsmmanagement.com.br
 www.endeavor.org.br
 www.folha.com.br
 www.estadao.com.br

Material a ser entregue ao aluno


Está prevista a entrega do seguinte livro seguinte, a ser utilizado como material
didático:
MONTANA, Patrick J.; Charnov, Bruce H. Administração - Série Essencial. 3. Ed.
São Paulo: Saraiva, 2010.

Planejamento das Atividades

As sugestões que seguem visam subsidiar a elaboração do Plano Coletivo de


Trabalho Docente e dos Planos de Aula, a fim de possibilitar que os alunos
constituam as competências previstas no Plano de Curso. Assim cabe:
 Aos docentes trabalharem de forma integrada, prevendo atividades com
foco nas competências, articuladas por situações complexas de
aprendizagem;
 À coordenação acompanhar o processo com mais segurança; e
 À Instituição manter o alinhamento e a qualidade do curso, de acordo com
a Proposta Pedagógica.
Mais do que orientar, o roteiro sugerido tem como intuito desencadear um
processo de discussão entre o técnico responsável pelo curso na Unidade e os
docentes envolvidos para que possam elaborar um Plano Coletivo de Trabalho
Docente que atenda às expectativas e às necessidades do grupo de alunos e à
realidade local e que possibilite a construção de Planos de Aula (anexo 2)
alinhados com a proposta de trabalho por competências.
As competências previstas em cada Módulo orientam o caminho metodológico,
pautado nos princípios da pedagogia de projetos. Assim, toda a problematização
tem como contexto o projeto a ser desenvolvido ao longo do curso.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
20
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Ao iniciar o curso, é importante que os docentes envolvidos e a coordenação


criem um ambiente favorável para a integração do grupo e a apresentação da
proposta. Deve ser estabelecido um contrato de aprendizagem – um contrato
verbal acordado entre alunos e docentes, tendo em vista os princípios da
aprendizagem com autonomia. É nesse momento que as questões mais
relevantes relacionadas com a metodologia e o processo de avaliação devem ser
esclarecidas, visando envolver e responsabilizar os alunos como sujeitos ativos
no processo. Deve-se enfatizar a importância dos trabalhos em grupo, do
empenho individual, da necessidade da investigação constante, da participação
ativa, do compartilhamento das ideias e da autoavaliação.
A avaliação da aprendizagem deve ocorrer durante o processo, pautando-se,
fundamentalmente, na observação do desempenho do aluno ao realizar as
atividades propostas. Os indicadores de desempenho orientam a observação do
docente, de modo que sua intervenção se dê de forma imediata sempre que
identificar dificuldade. O feedback deve ser constante e os alunos devem
conhecer os indicadores para que possam se comprometer com seu
autodesenvolvimento.

Registros das Atividades


O registro das competências desenvolvidas é feito, sinteticamente, pelo docente
a cada dia de aula.
Tendo em vista o Plano Coletivo de Trabalho Docente e a sequência
metodológica proposta, as atividades realizadas e as bases tecnológicas de cada
Módulo devem ser registradas em um único Diário de Classe.
Para mais informações sobre preenchimento do Diário de Classe, consulte o
Manual de Orientações Educacionais:
http://www.intranet.sp.senac.br/jsp/default.jsp?newsID=a31257.htm&testeira=
1180&menu=10#

Atividades externas
As parcerias com empresas locais, públicas e privadas, são imprescindíveis para
a realização deste curso, pois permitem o contato dos alunos com situações reais
de trabalho.
As atividades externas como entrevistas, visitas técnicas e palestras em
empresas, desde que previstas no Plano Coletivo de Trabalho Docente e nos
Planos de Aula, devem ser registradas como horas de efetivo trabalho
educacional, sem exceder oito horas diárias. Para as atividades com duração de
oito horas deve haver, durante este período, uma hora de intervalo.
Por exemplo, se há previsão, no Plano de Aulas, de realização de entrevistas
pelos alunos com profissionais da área, o docente deve estimar as horas
necessárias para tal atividade e, mediante apresentação do relatório e do
produto da entrevista, atribuir presença ao aluno na data reservada para tal
atividade e no horário acordado. Caso o aluno não realize a atividade no horário

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
21
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

destinado para tal, deverá comunicar ao docente para um novo agendamento.


Caso não apresente os produtos requeridos, será atribuída falta.
É necessário que o aluno tenha ciência deste procedimento e que sejam tomadas
as providências necessárias para qualquer atividade externa (Seguro contra
Acidentes e Modelo de Carta de Apresentação - anexo 3).

Indicações Metodológicas

Um dos princípios das “diretrizes curriculares nacionais para a educação


profissional técnica de nível médio” é o desenvolvimento de competências para a
laboralidade.
Assim, o Senac São Paulo de acordo com sua Proposta Pedagógica, oferece para
os seus cursos uma metodologia voltada às práticas pedagógicas, onde o aluno é
estimulado a construir o conhecimento e a desenvolver competências5.
Neste contexto, os cursos técnicos do Senac São Paulo são desenvolvidos com
foco nas competências descritas nos respectivos Planos de Curso. São elas que
norteiam o planejamento das atividades e os conteúdos são considerados
insumos para a resolução dos desafios gerados pelo projeto, que traça o
caminho metodológico do curso.
O projeto é o fio condutor que integra todas as ações, materializando-se pouco
a pouco em cada etapa. É dele que emanam os desafios para os quais os alunos
deverão buscar e criar as soluções.
Toda a eficácia da proposta depende da apresentação desses desafios
desencadeados por uma atividade exploratória proposta pelo docente, com o
intuito de levantar os conhecimentos e as experiências prévias dos alunos.
Com as atividades propostas para responder ao desafio, o aluno vai
desenvolvendo sua capacidade para resolver problemas, incorporando novos
recursos e refletindo sobre todo o processo, na busca de melhorá-lo a cada nova
etapa.
O docente deve propor estratégias de aprendizagem levando em conta que a
competência é formada pela prática e que esta se dá em situações concretas que
contribuam para a construção de soluções pelos alunos para os problemas
diversificados e desafiadores desencadeados pelo projeto, orientando a busca de
informações, estimulando o raciocínio lógico e a criatividade e incentivando
respostas inovadoras.
Deve-se garantir a flexibilidade com o uso do tempo e do espaço educativo. O
tempo indicado para cada competência é apenas estimado e não deve “engessar”
a proposta e o espaço de aprendizagem não deve se restringir à sala de aula.

5
Proposta Pedagógica Senac São Paulo, Revitalização 2005.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
22
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Resumindo, para cada competência, observa-se no quadro de sugestões para o


plano coletivo de trabalho docente o seguinte movimento:

Desafio: O desafio, emanado do projeto, está intimamente ligado à competência em foco


e deve despertar a curiosidade dos alunos em saber mais sobre o assunto. É formulado
como questão que o aluno toma para si, devendo instigá-lo para as atividades que virão.
Atividade exploratória: É o ponto de partida para o desenvolvimento do projeto.
Nessa etapa, os alunos devem ser estimulados a expressar suas ideias, crenças,
experiências e conhecimentos relacionados com a competência em questão, uma vez que
a aprendizagem significativa se dá a partir do repertório doaluno, de suas hipóteses
explicativas e concepções sobre o mundo que o cerca. Estes conhecimentos prévios
servem de referência para as novas experiências, pois permitem aos alunos a construção
de significados.
A intervenção pedagógica parte dessas hipóteses iniciais dos alunos, sobre as quais o
docente levanta questões, estimulando-os a questionarem também os seus conhecimentos
prévios.
Como atividade exploratória o docente pode utilizar um jogo, uma imagem, um vídeo, uma
produção realizada anteriormente pelos alunos, entre outras. É importante que ele não
forneça explicações sobre o estímulo apresentado, mas instigue os alunos a explicitarem
suas ideias, desafiando-os para a realização do projeto e de suas etapas, para a busca de
novas experiências e conhecimentos.
Atividades sugeridas para responder ao desafio: É a etapa de desenvolvimento,
quando o docente planeja estratégias de aprendizagem que possibilitam aos alunos
construir repertório para responder aos desafios e desenvolver a competência.
As atividades previstas devem favorecer o confronto de pontos de vista, revisão das
hipóteses iniciais e formulação de novas questões.
Atividades que exijam a saída do espaço escolar, como participação em eventos, visitas
técnicas e trabalho de campo; a organização em pequenos e grandes grupos; o uso de
biblioteca; a vinda de pessoas convidadas, entre outras, contribuem para ampliar o olhar
do aluno.

Síntese: As novas aprendizagens passam a fazer parte dos esquemas de conhecimento


dos alunos e vão servir de conhecimento prévio para outras situações de aprendizagem.
A síntese indica o repertório de produções que subsidiam a elaboração do projeto. Essas
produções, construídas ao longo do Módulo, são reunidas no Portfólio Individual.
Sistematização do Módulo: É o momento final do Módulo, quando os alunos
sistematizam as produções reunidas no Portfólio Individual que subsidiam a elaboração do
Projeto para apresentação. Esta apresentação deve ser definida de acordo com a natureza
do projeto proposto. Pode ser escrita e/ou oral e/ou demonstrativa, porém não necessita
seguir a formalidade dos trabalhos acadêmicos.

É importante frisar que a construção do projeto é um processo e as etapas não


são estanques. Os projetos são processos contínuos, que não podem ser
reduzidos simplesmente a uma lista de etapas, pois reflete uma concepção do
conhecimento como produção coletiva, onde a experiência vivida e a produção
cultural sistematizada se entrelaçam, dando significado a aprendizagens
construídas6.

6
LEITE, Lúcia Helena Álvares. A pedagogia de projeto em questão. Texto produzido a partir da palestra no Curso de Diretores
da Rede Municipal de Belo Horizonte, promovido pelo CAPE/SMED em dezembro de 1994. Mestre em Educação pela FAE-
UFMG. Assessora do Projeto Escola Rural. Coordenadora Pedagógica da Escola Balão Vermelho.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
23
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Estas indicações atendem aos princípios das Diretrizes Curriculares Nacionais


para a Educação Profissional de Nível Técnico e da Proposta Pedagógica do Senac
São Paulo e se pautam em referenciais norteadores relacionados com os
pressupostos da aprendizagem significativa, do currículo integrado, do trabalho
por competências e do trabalho por projeto7.
Para que os docentes possam adotar a metodologia proposta, é importante que
estes referenciais norteadores sejam discutidos nas reuniões de planejamento e
sirvam de base para a coordenação avaliar se a forma como o curso está sendo
desenvolvido se alinha com estes princípios.
Recomenda-se que os docentes participem do Programa de Desenvolvimento
Educacional – PDE. No portfólio da Educação Corporativa constam diferentes
títulos com foco no processo de ensino-aprendizagem e em tecnologias
educacionais, que podem ampliar o repertório dos profissionais.

Estratégias de aprendizagem

Estratégias de aprendizagem, denominadas tradicionalmente como estratégias


de ensino, são instrumentos e atividades planejadas intencionalmente, com foco
no desenvolvimento do perfil profissional de conclusão.
Na literatura educacional há uma diversidade de títulos que abordam este tema.
Recomenda-se que a biblioteca da Unidade disponha os seguintes títulos para os
docentes:
BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de Ensino-aprendizagem.
Petrópolis: Vozes, 2007.
MASETTO, M. T. Competência Pedagógica do Professor Universitário. São Paulo:
Summus, 2003.
SANZ, L. A. Procedimentos Metodológicos: fazendo caminhos. Rio de Janeiro:
Senac Nacional, 2003. (Série Didática para a Educação Profissional)
VEIGA, I. P. A. Técnicas de ensino: por que não? Campinas: Papirus, 2007.
Descrição sintetizada de algumas estratégias de aprendizagem adotadas
neste curso:
Portfólio
O portfólio é um álbum, uma pasta, uma caixa, um local reservado (físico ou
digital) no qual são reunidas as experiências de aprendizagem e conquistas

7
Para obter mais esclarecimentos sobre os referenciais norteadores, recomenda-se a leitura dos seguintes títulos:
LEITE, Lúcia Helena Álvares. A pedagogia de projeto em questão. Texto produzido a partir da palestra no Curso de Diretores
da Rede Municipal de Belo Horizonte, promovido pelo CAPE/SMED em dezembro de 1994.
PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artmed, 1999. (p.39, 57)
SANTOMÉ, J. T. Globalização e Interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artmed, 1998.
SMOLE, Kátia Cristina Stocco. Aprendizagem Significativa: O lugar do conhecimento e da inteligência.
http://www.fe.unb.br/pie/zAPRENDIZAGEM%20SIGNIFICATIVA.htm (fev/2009)

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
24
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

profissionais.8 É um instrumento valioso para alunos e docentes acompanharem


o processo de aprendizagem no que diz respeito à avaliação formativa.
O portfólio armazena resultado de pesquisas, recortes de jornais ou revistas,
folhetos adquiridos em visitas, imagens pertinentes, rascunhos, anotações,
fotografias e documentos resultantes de exames e avaliações e cópias de
documentação. Tudo isto serve para consulta e também para organizar e
armazenar as produções realizadas nas aulas e que comporão o projeto.
Neste curso o portfólio reúne as produções, realizadas nas aulas, que compõem o
projeto. Pode ser organizado em uma pasta que contenha plásticos.
Diário de Bordo
Pode ser um fichário, bloco ou caderno de anotações onde são descritas
experiências e aprendizagens significativas do processo de aprendizagem
vivenciado pelo aluno.
Contém a análise das aprendizagens e dificuldades apresentadas pelos alunos na
realização das atividades propostas, na solução de problemas e desafios que se
coloquem no decorrer do curso. Enfim, é um espaço de registro do processo de
aprendizagem decorrente das atividades programáticas.
É um instrumento individual e intransferível, pois remete à compreensão pessoal
de cada um sobre o seu próprio processo de aprendizagem. Mais do que auxiliar
na avaliação, permite ao docente compreender como seu aluno pensa e aprende
e ao aluno realizar a metacognição9.
Obs.: Caso a Unidade opte pela utilização do Diário de Bordo durante o curso, os
docentes devem estimular os alunos a realizarem e comentarem estes registros,
lembrando que este instrumento colabora para a compreensão do processo de
aprendizagem de cada indivíduo, visando à regulação, mas não deve ser utilizado
como objeto de avaliação.
Atividades em Subgrupos com Apresentação em Plenária
Atividades em subgrupos colaboram para a construção coletiva do conhecimento
e ajudam a exercitar a capacidade de trabalhar em equipe.
Nessas atividades o docente deve realizar um acompanhamento próximo dos
subgrupos para fomentar a discussão, propor novas questões e estimular o
pensamento e a tomada de decisões.
As plenárias são as sessões abertas de discussão onde os subgrupos apresentam
suas produções, colocando-as à disposição para novas construções que podem
resultar em conhecimento gerado pelo grupo. Nas apresentações o docente deve
estimular a participação dos colegas dos outros subgrupos, visando estimular a
discussão e incentivar as contribuições para o aprimoramento das produções.
Palestras com especialistas ou fornecedores de equipamentos
8
Para maior aprofundamento sugere-se a leitura de: VILLAS BOAS, Benigma Maria de Freitas. Portfólio, Avaliação e Trabalho
Pedagógico. 3ª ed. Campinas - S.P: Papirus, 2006.
9 Disponível em < http://www.metacognicao.com.br/metacognicao.html> Acesso em 25 mai. 2011.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
25
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Os docentes podem programar mesas redondas ou palestras com profissionais


especialistas convidados para discutirem casos que tenham vivenciado.
Palestras e demonstrações com fornecedores de equipamentos e materiais
também enriquecem o curso.
Para estas ocasiões é importante que os alunos se preparem com antecedência a
fim de tornar as discussões enriquecidas, tirando o melhor proveito dos eventos.

Jogos e Vivências
Os Jogos e vivências, quando usados para a promoção de aprendizagem, além
de imprimir caráter lúdico ao curso permitem ao participante explorar
alternativas mais adequadas para lidar com as situações, envolvendo-se
efetivamente em uma experiência vivencial.
Para que sejam explorados adequadamente, é importante que o docente garanta
o desenvolvimento das fases do Ciclo de Aprendizagem Vivencial – CAV:
 Vivência – é o jogo ou vivência propriamente dito, incluindo simulações ou
dramatizações.
 Relato – logo após a vivência, o docente solicita aos participantes que falem
brevemente sobre como se sentiram durante a vivência.
 Processamento – é a fase mais importante do ciclo, quando o grupo,
estimulado por questões do docente, passa a analisar o que aconteceu na
dinâmica do jogo ou vivência, identificando atitudes, relacionamentos,
reações etc.
 Generalização – é a fase na qual o (a) docente incentiva o grupo a estabelecer
relações entre o que foi processado e a vida real.
 Aplicação – nessa fase os participantes devem planejar ações mais eficazes
relacionadas com as situações reais.
Nesta abordagem o docente não usa o jogo ou vivência para ilustrar ou
confirmar suas palavras, mas para propiciar condições para que o grupo possa
construir sua aprendizagem. A matéria-prima da discussão é oferecida pelo
próprio grupo.10
Para o planejamento de jogos e vivências os docentes podem valer-se da vasta
bibliografia existente. No acervo do Sistema de Bibliotecas do Senac há vários
títulos que podem ser pesquisados. Também existem sites que disponibilizam
sugestões de jogos com esta finalidade. É importante que a Biblioteca da
Unidade apóie os docentes na disponibilização deste material. Como sugestão
podem ser pesquisadas as seguintes fontes:
ALVAREZ-BALLSTERO, Maria Esmeralda. Mutatis e Mutandis: Dinâmica de Grupo
para o Desenvolvimento Humano. Campinas-SP: Papirus, 2002

10
Fonte: GRAMIGNA, Maria Rita. Jogos de Empresa. São Paulo: Makron Books, 1993.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
26
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

GRAMIGNA, Maria Rita Miranda. Jogos de Empresa. São Paulo: Makron Books,
1993.
KIRBY, A. 150 Jogos de treinamento. São Paulo: T&D Editora.
MILITÃO, Albigenor & Rose. SOS Dinâmicas de Grupo. Rio de Janeiro:
Qualitymark, 1999.
MIRANDA, Simão. Oficina de Dinâmica de Grupos para Empresas, Escolas e
Grupos Comunitários. Campinas-SP: Papirus, 1996.
YOZO, Ronaldo Y. K. 100 Jogos para Grupos: uma abordagem psicodramática
para empresas, escolas e clínicas. São Paulo: Agora, 1996.

Estudo de Casos
Pode descrever situações reais ou simuladas que permitam ao aluno
compreender os múltiplos aspectos e dimensões dos problemas em situações
práticas e desenvolver análises, interpretações e formulação de estratégias e
táticas alternativas às comumente empregadas e que possam gerar melhores
resultados. 11
Esta estratégia possibilita aproximar os alunos das situações e/ou problemas
com os quais poderão se deparar nos contextos reais de trabalho, habituando-os
a analisar as situações sob os aspectos positivos e negativos antes de tomar uma
decisão.
Em casos reais os alunos podem comparar suas soluções e conclusões com as
que foram efetivamente praticadas. Uma fonte interessante para os casos reais
são os jornais e revistas de negócios.
Na apreciação de um caso é preciso prevenir os alunos de que nem sempre se
chega a uma solução convincente ou mesmo a uma solução única, aceita por
todos os participantes. É necessário que o grupo reconheça que existem outras
soluções possíveis e que a sua trará determinadas consequências. É preciso
esclarecer que o estudo de caso, mais do que encontrar soluções válidas, ajuda o
aluno a amadurecer no campo de atividades em que terá de atuar como
profissional.

Apresentação e Discussão de Vídeo


Trechos de filmes comerciais, curtas e filmes produzidos especialmente para
treinamentos podem se tornar excelentes recursos didáticos, desde que
adequadamente utilizados. Podem ser usados para provocar, estimular ou
sistematizar uma discussão. Em qualquer caso, antes da apresentação é
importante que se faça a contextualização do filme, fornecendo dados sobre sua
produção. Se for longa metragem, deve-se usar somente um trecho cujo recorte
esteja em consonância com a intenção da exibição, ou seja, deve remeter ao que
se pretende discutir.

11
Fonte: SANZ, Luiz Alberto. Procedimentos Metodológicos: fazendo caminhos. Rio de Janeiro: Ed Senac Nacional, 2003.

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
27
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Quando usado para provocar ou estimular uma discussão, é interessante que se


chame a atenção dos participantes para os aspectos mais gerais a serem
observados, de modo a garantir o foco sem induzir interpretações. Finda a
exibição, o docente deve incentivar os comentários dos participantes e elaborar
questões que fomentem a reflexão.
Durante a sistematização de discussões o docente deve ajudar nas conclusões
do(s) grupo(s).
Em qualquer caso, a generalização e aplicação do Ciclo de Aprendizagem
Vivencial12 são bem-vindas.

Exposição Dialogada com uso de slides/transparências


Para que uma exposição seja efetivamente dialogada ela deve contar com a
participação ativa do grupo e estabelecer um processo de discussão em que os
alunos sejam convidados a pensar e opinar. Implica, portanto, numa relação
docente-aluno na qual, ambos são expositores e receptores. É importante
lembrar que dialogar pressupõe ouvir o outro.
Os slides e transparências são bem-vindos nessas exposições, desde que não
sejam em grande número e contenham somente algumas palavras-chave,
desenhos, fotos ou outras mensagens que permitam desencadear ou estimular o
diálogo. Podem ser utilizados para abrir, estimular, ilustrar ou sistematizar uma
discussão.
Textos devem ser evitados, pois os slides/transparências não são guias de leitura
do docente nem roteiros de aula, mas material de apoio didático.

Entrevistas
Para ampliar o contato com o mundo do trabalho, é indicado que sejam
programadas entrevistas com profissionais especialistas que atuem em empresas
de diferentes ramos, em órgãos ou instituições relacionadas com a área.
Estas entrevistas devem ser precedidas de roteiros construídos pelo grupo de
alunos com a mediação do docente, tendo em vista os objetivos propostos.

Visitas Técnicas
São visitas previamente programadas e monitoradas pelo docente.
As visitas mais relevantes para a formação dos alunos devem ser programadas
como atividade obrigatória, desde que previstas no Plano Coletivo de Trabalho
Docente e, consequentemente, no cronograma do curso, sendo computadas
como hora de efetivo trabalho educacional.
Na impossibilidade de realizá-las em horário de aulas, para turmas do período
noturno as visitas podem ser programadas para os sábados. Portanto, no ato da
matrícula o aluno deve ser comunicado por escrito sobre esta possibilidade.

12
Ver orientações para Jogos e Vivências

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
28
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

A programação da visita deve ser oficializada junto à Empresa pela Unidade.


Os alunos devem ser estimulados e preparados pelos docentes para a realização
das visitas nas empresas, de modo que possam ter o melhor aproveitamento.
Quando as visitas forem programadas em empresas dentro do perímetro urbano,
os alunos podem ser orientados a se dirigirem diretamente para o local. Caso
sejam previstas fora deste perímetro, a Unidade deve responsabilizar-se pelo
transporte.
Além das visitas obrigatórias, outras podem ser programadas para a livre
participação dos alunos.
Em qualquer caso é necessário que se providencie o Seguro contra Acidentes
para os alunos e o docente acompanhante.

Estágio Profissional Supervisionado

Para realização do estágio opcional, o aluno deve atender às condições descritas


no respectivo Plano de Realização de Estágio (vide Plano de Curso de Técnico em
Administração).

O Plano de Atividades do Estagiário deve ser elaborado na própria Unidade pela


coordenação do curso juntamente com seus docentes especialistas (anexo 4).

ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
29
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

SUGESTÕES PARA O PLANO COLETIVO DE TRABALHO DOCENTE


Durante o planejamento do trabalho docente é necessário observar que determinadas competências, de acordo com as
bases tecnológicas necessárias ao seu desenvolvimento, poderão exigir a contratação de mais de um docente no decorrer
do curso.

Projeto do curso
O projeto deste curso, designado por Projeto de Administração, consiste na sistematização dos produtos gerados ao longo
de cada módulo em forma de projetos parciais e deve ser desenvolvido individualmente pelo aluno, uma vez que parte de
uma ideia de negócio (um sonho/um desejo) na perspectiva de estímulo ao empreendedorismo.
Os projetos modulares são apresentados em forma de relatórios e serão integrados no Módulo VII – Gestão Integrada,
sendo adaptados de forma a garantir coerência e consistência ao Projeto de Administração.
Ao final do curso, este projeto integrado poderá ser apresentado para parceiros, sócios, investidores, em situação
simulada ou real, visando à viabilização de sua execução.

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
30
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo I – Ambientação Organizacional - 40 horas

Este módulo possibilita ao aluno o contato com o ambiente empresarial e ferramentas, propondo ações e metas alinhadas
com as prioridades corporativas, compreendendo as diretrizes estratégicas da empresa e percebendo como o processo de
planejamento é realizado nas organizações. Além de visualizar o ciclo de vida da organização, entendendo as alterações
que estas sofrem ao longo do tempo em sua estratégia de negócio. Deve ser oferecido preferencialmente no início
do curso, podendo ser desenvolvido isoladamente ou em concomitância com os Módulos II e/ou III e/ou IV
e/ou VI.

Orientações para o Projeto no Módulo


No decorrer deste Módulo as seguintes produções devem compor o portfólio dos alunos:
 Descrição dos modelos de gestão, baseando-se na evolução das teorias administrativas objetivando a visão sistêmica
da organização.
 Descrição do organograma funcional do projeto-empresa e de um fluxograma que defina como a informação será
gerenciada.
 Relatório constando a missão empresarial, a visão estratégica e o código de ética que a futura empresa irá seguir,
bem como os princípios de responsabilidade socioempresarial que se propõe a adotar.
Nas situações de aprendizagem (quadro abaixo – coluna2) estão explicados o desafio relacionado com o projeto em cada
etapa; as possíveis atividades para responder ao desafio que podem contribuir para o desenvolvimento das
competências; e a síntese que representa o produto a ser integrado ao portfólio do aluno (projeto). O desafio deve ser
o elemento desencadeador das atividades que são realizadas, devendo estar intimamente ligado à competência em foco,
despertar a curiosidade dos alunos em saber mais sobre o assunto e instigá-los para as atividades que virão.
A atividade exploratória, etapa inicial em que os alunos são estimulados a expressar suas ideias, experiências e
conhecimentos relacionados à competência em questão, ocorre no desenvolvimento de todos os módulos de acordo com

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
31
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

a concepção metodológica do projeto.


Ao final dos respectivos módulos, os projetos deverão ser apresentados, primordialmente, ao docente com ênfase no
desenvolvimento do trabalho, tendo em vista o acompanhamento do aluno em seu processo de aprendizagem. É
importante que o docente oriente os alunos para realizarem a apresentação conforme a etapa do projeto. Para
apresentação, recomenda-se a participação de alguns docentes envolvidos em cada módulo.

Apresentação do Curso

Tempo estimado: 4 horas

Docente(s): Com formação em Administração de Empresas e perfil empreendedor, com experiência em organizações.
Ao iniciar o curso é interessante que se promova um clima de descontração e integração entre os alunos. Pode-se propor uma atividade
lúdica para a apresentação dos participantes.
Neste momento o docente deve propiciar condições para o levantamento das expectativas dos alunos com relação ao curso e à profissão
do Técnico.

É importante que esta atividade possibilite explorar as imagens que os alunos trazem sobre a profissão para começarem a vislumbrar seu
desenvolvimento profissional. Na medida em que avançam no curso e constroem novas aprendizagens acerca da profissão, vão
reconstruindo estas ideias iniciais, tornando-as mais consistentes.

Esta atividade deve também contribuir para a apresentação da proposta do curso, com ênfase nas competências profissionais, no
desenvolvimento do projeto ao longo dos Módulos, na necessária participação e compromisso dos alunos e no sistema de avaliação
contínua. É importante que, ao se discutir estas questões, se estabeleça o contrato de aprendizagem, a entrega do manual do aluno
e do livro Administração.

Para orientar o processo de avaliação, torná-lo transparente e capaz de contribuir para a promoção e a regulação das aprendizagens é
necessário que os indicadores de desempenho sejam definidos, explicitados e negociados com os alunos desde o início do curso,
visando direcionar todos os esforços para que ele alcance o desempenho desejado. A avaliação da aprendizagem deve ser contínua,
priorizando aspectos qualitativos relacionados com o processo de aprendizagem e o desenvolvimento do aluno, observados durante a
realização das atividades. A auto-avaliação deve ser estimulada e desenvolvida, permitindo o acompanhamento pelo aluno do seu
progresso, assim como a identificação de pontos a serem aprimorados.

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
32
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Identificar os modelos de gestão, baseando-se na evolução das teorias administrativas objetivando a visão sistêmica da
organização.

Tema (s): Modelos de Gestão

Tempo estimado: 12 horas

Formação Docente: Profissional, preferencialmente, com formação em Administração de Empresas e perfil empreendedor, com
experiência em organizações.
13 14 Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem 15
Desempenho
Abordagens da Desafio: Qual o impacto das minhas ações como gestor? Durante a realização das
administração: escolas da atividades o docente
Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, os
administração, evolução deve observar se o aluno
alunos em subgrupos, descrevam o que entendem por gerenciamento de uma
dos modelos apresenta os seguintes
empresa e quais as principais diferenças entre o gerenciamento de uma
administrativos e aspectos indicadores de
empresa familiar e uma empresa de médio/grande porte.
sociopolíticos e desempenho:
econômicos. Atividades sugeridas para responder ao desafio:
 Discute a ideia de
Tendências Palestra: podem ser convidados, ex-alunos ou executivos para ministrar modelos empresariais.
contemporâneas em assuntos pertinentes a evolução da empresa.
 Contextualiza a
gestão empresarial. É recomendável que, antes das palestras, os alunos sejam preparados para importância do
Princípios da Gestão aproveitá-las melhor. Para isto o docente pode promover discussões em conhecimento de Gestão
Empresarial grupo, elaboração de perguntas a serem feitas aos palestrantes, pesquisas em qualquer tipo de
Empreendedora. prévias sobre o(s) tema(s) a ser (em) abordado(s) entre outras atividades. organização.
Evolução da estrutura Pesquisa: alunos pesquisam, em subgrupos, a evolução de uma determinada  Compreende e identifica

13
Bases Tecnológicas são conjuntos sistematizados de conceitos, princípios e processos (métodos, técnicas, termos, normas e padrões) resultantes, em geral, da aplicação de conhecimentos
científicos a essa área produtiva. (Referenciais Curriculares Nacionais para a Educação profissional de Nível Técnico – MEC)
14
As situações de aprendizagem propostas devem garantir a efetiva realização da ação prevista no enunciado da competência.
15
Os indicadores de desempenho devem traduzir dimensões que permitam ao docente e aos próprios alunos avaliarem, no desenvolvimento das atividades, se a competência está sendo
constituída, visando à regulação das aprendizagens no processo de avaliação contínua.

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
33
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

organizacional e principais empresa e suas implicações. E o funcionamento dos principais tipos de a diferença entre os
funções e cargos. empresas. Esta pesquisa pode ser realizada em sites, revistas e/ou livros diversos tipos de gestão.
especializados. Os resultados devem ser compartilhados em sala de aula com
Principais tipos de  Analisa o potencial das
mediação do docente.
empresas: manufatura, estratégias para a
comércio, serviços, Estudo de caso: em subgrupos devem pesquisar e apresentar uma evolução e o sucesso da
terceiro setor, entidades determinada empresa, explorando sua origem e trajetória no mercado. empresa.
governamentais.
Como sugestão, os alunos podem apresentar casos de:  Identifica as principais
funções e cargos da
 Supermercados: mercado de pequeno porte da cidade e/ou rede de
empresa.
supermercados como Pão de Açúcar e Wal Mart.
 Contribui nas atividades
 Lanchonete: lanchonetes da cidade e/ou rede de lanchonetes como
em subgrupos, com
Giraffa´s e Mc Donald´s.
pesquisas e novas
 Perfumaria: perfumaria da cidade e/ou perfumaria de maior porte como O informações. (*)
Boticário, Natura e Avon.
 Ouve os colegas e
Apresentação e discussão de vídeo: docente apresenta vídeos e estimula respeita as opiniões
uma discussão. diferentes das suas. (*)
Fabricação do Fusca:  Participa das discussões
http://www.youtube.com/watch?v=PaLebBhm7yY --> Vídeo I com interesse,
http://www.youtube.com/watch?v=StBJlQndjQI&feature=related --> Vídeo II expressando as ideias
http://www.youtube.com/watch?v=YlYHnZ253xE&feature=related --> Vídeo com clareza, opinando,
III argumentando,
ou Fabricação Audi: questionando e
http://www.youtube.com/watch?v=JlIz0847jMM buscando respostas às
ou Linha do Tempo da Produção do Fusca: questões que surgem.
http://www.youtube.com/watch?v=hU6BKwdGzOA (*)
Após a exibição dos vídeos, os alunos em subgrupos discutem as  Sugere alternativa para
características (diferenças e semelhanças) de administração de uma empresa, ampliar as possibilidades
apontando suas diferenças de acordo com a linha do tempo. de pesquisa sobre a

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
34
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

atuação do Técnico. (*)


Os alunos devem estabelecer a relação do passado com os dias atuais.
 Realiza pesquisas e
Durante as discussões, o docente deve destacar a origem das empresas e
compartilha os
outras informações relevantes, situando-as historicamente.
resultados obtidos. (*)
Pesquisa: em subgrupos, alunos pesquisam em livros, sites ou revistas
 Compromete-se com a
especializadas sobre as escolas de administração. Após a pesquisa, os
construção e
subgrupos apresentam e discutem os resultados.
organização do portfólio
Leitura e discussão de textos que abordem diferentes escolas de individual (projeto). (*)
administração. Os livros e revistas da área de Administração e Negócios
 Realiza auto-avaliação e
disponíveis na biblioteca da unidade podem subsidiar a realização desta
projeta metas de
atividade.
desenvolvimento
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório comparativo pessoal. (*)
entre uma escola de administração e as formas de gestão dos dias atuais a ser
(*) estes indicadores devem
adotada em sua empresa.
ser considerados no
As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para desenvolvimento de todas
subsidiar o desenvolvimento do projeto. as competências do curso.

Competência: Definir a arquitetura organizacional, com base nos conceitos e princípios de gestão para subsidiar os processos
administrativos e de tomada de decisão.

Tema (s): Arquitetura Organizacional

Tempo estimado: 16 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas e perfil empreendedor, com experiência em organizações.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Tipos de organização. Desafio: Qual a melhor estrutura organizacional para a minha empresa? Durante a realização das
atividades o docente

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
35
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

deve observar se o aluno


Departamentalização. Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, o
apresenta os seguintes
docente solicita aos alunos que esbocem a forma como o seu projeto empresa
Organogramas. indicadores de
funcionará no que diz respeito ao planejamento, organização, direção e
Sistema de desempenho:
avaliação. Em seguida, para instigar os alunos acerca desta questão, o
Informação Gerencial docente pode propor um debate, de forma que os alunos apontem suas  Identifica diferentes
considerações. arquiteturas
– SIG. organizacionais.
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
Princípios de autoridade e  Destaca os aspectos
responsabilidade. Pesquisa para subsidiar a definição da arquitetura organizacional da empresa
positivos dos modelos,
(projeto).
comparando os pontos
Exposição dialogada com finalidade de definir e delimitar as funções base da mais significativos.
organização.
 Indica a forma como o
Estudo de casos ou pesquisa de campo envolvendo diferentes arquiteturas planejamento
organizacionais. O docente deve destacar os aspectos positivos de cada um organizacional deve ser
dos modelos, analisando e comparando os pontos mais significativos. Pode ser executado.
empresas da região de diferente natureza e porte.
 Elabora o organograma
Atividade em subgrupos e discussão em plenária para esquematizar as funcional do projeto-
formas de planejamento das organizações. Os alunos devem apresentar em empresa.
plenária, um esquema que a caracterizem, além de propor estrutura
 Descreve as funções
organizacional executando um organograma funcional, identificando e
necessárias à
descrevendo cada função.
operacionalização do
Também, elaboram um fluxograma que caracterize a forma como as projeto-empresa.
informações são capturadas e trabalhadas pela empresa e seu impacto no
 Identifica o sistema de
processo decisório.
informação da empresa.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam organograma, descrição
das funções e fluxograma que defina como a informação deve ser gerenciada.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
36
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Reconhecer-se como profissional, tendo como base o conceito de missão, visão e valores, objetivando o desenvolvimento
de uma postura ética comprometida com a sustentabilidade.

Tema (s): Conceito de Missão, Visão e Valores

Tempo estimado: 08 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas e perfil empreendedor e com experiência em
organizações.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Análise macro ambiental. Desafio: Como devo elaborar a minha ideia para aumentar a chance de Durante a realização das
sucesso de meu empreendimento? Quais estratégias devo utilizar? atividades o docente
Gestão estratégica –
deve observar se o aluno
missão, visão e valores Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, os
apresenta os seguintes
empresariais. alunos, individualmente, descrevem uma ideia que um dia gostariam de
indicadores de
transformar em um empreendimento. O docente e alunos exploram ideias de
Código de ética e desempenho:
negócio e suas principais características.
sustentabilidade
 Apresenta a ideia-base do
corporativa (ambiental, Caso tenham dificuldade em identificar alguma ideia, os alunos podem
seu negócio.
econômico e social). descrever as atividades das empresas no qual trabalham ou que tenham
conhecimento.  Define a estratégia de
negócio.
Os alunos expõem suas ideias de negócio em plenária.
 Especifica missão, visão e
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
valores da empresa.
Debate em subgrupos, os alunos devem desenvolver ideias sobre estratégias
 Apresenta relatório sobre
organizacionais de sucesso e/ou inovadoras. Em seguida, apresentam suas
a ideia base do seu
produções e debatem com os demais defendendo suas ideias e questionando
negócio, identificando
também as ideias dos demais colegas de classe.
quais os fatores internos e
O docente sintetiza as opiniões no quadro e compartilha com os alunos. externos.

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
37
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Estudo de caso: docente propõe estudo de caso, por exemplo: China in Box,  Elabora código de ética
Habbib´s, Natura , Cacau Show (estes estudos de casos podem ser para seu negócio,
encontrados do Google, ESPM, PEGN). considerando os aspectos
definidos na RSE.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório individual
sobre a ideia base do seu negócio, identificando quais os fatores internos e  Descreve com clareza a
externos que garantem maior diferenciação e sustentabilidade. forma como pretende
aplicar os princípios de
As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para
sustentabilidade.
subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final do Módulo, os alunos devem sistematizar todos os itens previstos para o projeto nesta etapa. Para
acompanhamento do processo e melhoria contínua devem fazer apresentações relativas a esta etapa do projeto.

MÓDULO I – AMBIENTAÇÃO ORGANIZACIONAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
38
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo II – Empreendedorismo - 40 horas

Este Módulo possibilita o contato do aluno com o ambiente de negócios, para que possa visualizar oportunidades para a
inovação de estruturas internas da organização ou para a criação de seu próprio empreendimento. Pode ser desenvolvido
isoladamente ou em concomitância com o módulo I e/ou III e/ou IV e/ou V e/ou VI.

Orientações para o Projeto no Módulo


Neste módulo, o aluno deve criar uma empresa “fictícia”, podendo ser do ramo comercial, de prestação de serviços ou
industrial. Cada empresa criada neste módulo deve ser objeto de estudo nos demais Módulos, conforme a Habilitação
Técnica.
O docente deve garantir que haja empresas dos diferentes ramos.
No decorrer do Módulo as seguintes produções devem compor o portfólio dos alunos:
 Indicação das características relacionadas com o perfil empreendedor que se propõe a cultivar e as que se propõe a
desenvolver;
 Definição da missão empresarial, visão estratégica e o código de ética que a futura empresa irá seguir, bem como os
princípios de sustentabilidade;
 Etapas para a abertura da empresa, ideia de negócio, seu benefício para o cliente, seu mercado-alvo e os elementos de
inovação ou diferenciação do negócio;
 Análise do mercado consumidor;
 Análise da concorrência.

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
39
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Identificar características e a importância do comportamento empreendedor, mobilizando conceitos e técnicas específicas
para desenvolvimento profissional.

Tema (s): Comportamento Empreendedor

Tempo estimado: 16 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas e perfil empreendedor, com experiência em
organizações.
Avaliação/Indicadores
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
de Desempenho
Conceito de Desafio: Qual é a importância do perfil empreendedor para a minha carreira? Durante a realização
empreendedorismo. das atividades o
Como posso reconhecer e investir no meu potencial empreendedor, visando ao
docente deve
Características do perfil do autodesenvolvimento?
observar se o aluno
empreendedor.
Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa e apresenta os
Perspectivas de negócios e também contextualizar empreendedorismo como carreira, o docente pode seguintes indicadores
possibilidades de sucesso apresentar vídeos, casos ou reportagens sobre intraempreendedores, gerando de desempenho:
no cenário atual. uma discussão sobre o que diferencia estes profissionais dos demais.
 Explora as informações
A partir de uma discussão conjunta com o docente, a classe pode preparar uma dos estudos realizados:
lista de atributos comuns aos empreendedores, sejam funcionários de
 Identifica a aplicação e
empresas ou donos de seus próprios negócios. Esta lista de atributos pode
execução do
incluir postura pessoal (iniciativa, pró-atividade, comprometimento,
empreendedorismo
perseverança, caráter, ética, orientação para resultados), atributos a partir da
expansão do conhecimento (conhecimentos gerais, cultura) e atributos  Resolve problemas
desenvolvidos por técnicas (criatividade, gestão de riscos, liderança, durante a realização
sustentabilidade, raciocínio lógico, resolução de problemas, gestão, trabalho em das atividades
equipe, auto-avaliação). propostas.
O docente deve levantar questionamentos sobre a importância das informações  Evidencia preocupação
no desenvolvimento de sua carreira profissional, remetendo ao desafio. com as questões de

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
40
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

sustentabilidade.
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
 Mantém pró-atividade
Pesquisa sobre empreendedores: docente solicita ao aluno que,
na realização das
individualmente, pesquise: artigos, entrevistas, documentários e estudo de
tarefas.
casos de pessoas que considere “de sucesso”.
 Realiza as tarefas
Podem, por exemplo, ser investigadas as seguintes personalidades:
propostas com
GRAZZIOTIN, Gilson. A arte do varejo – O pulo do gato está na compra. Ed.
interesse.
Senac., DURO, Jorge & BONAVITA, Junior. Desperte o empreendedor em
você! Dê asas ao seu sonho!. Ed. Senac RJ e Kit "Estudo de Casos
Empreendedorismo" produzido pelo Núcleo de Empreendedorismo e disponível
em todas a bibliotecas da rede Senac e na intranet, na página do curso.
É comum encontrar em anuários como Maiores e Melhores, da Revista Exame,
Empreendedores do Novo Brasil, da Revista Você S.A., Empreendedor do Ano,
Pequenas Empresas e Grandes Negócios, Ernest Young, Lista de
Empreendedores da ONG Endeavor ou em edições de final de ano, uma lista de
pessoas e empreendedores bem sucedidos. Na última edição do ano da revista
Exame, por exemplo, há uma lista de pessoas vencedoras.

Apresentação e discussão de vídeos: Há alguns filmes que podem ser


utilizados para gerar discussão sobre o tema empreendedorismo e
intraempreendedorismo, tais como:

Empreenda:
(http://www.youtube.com/watch?v=b17-P6OCvSg), acesso em 13/10/2010
Empreendedorismo SENAC – SP

(http://www.youtube.com/watch?v=fPCZon5Y8OM&feature=related), acesso
em 13/10/2010

Dicas SEBRAE - Ser Empreendedor:

(http://www.youtube.com/watch?v=2tu62dUMQEo), acesso em 13/10/2010

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
41
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Mudança de Hábito:

(http://www.youtube.com/watch?v=At3UPNcVvt4), acesso em 13/10/2010

Outros filmes como os disponíveis na videoteca do Senac e da Endeavor, que


trazem depoimentos de empreendedores e intra-empreendedores.

Palestras de empreendedores da região: docente pode convidar


empreendedores ou intra-empreendedores da região para palestras e relatos de
experiências.

Atividades em subgrupos: para que os alunos apresentem suas descobertas


e as lições consideradas “mais relevantes” sobre “Aprendizados ou lições”. A
partir desta lista, o docente promove uma reflexão e busca associar os
aprendizados com o tema empreendedorismo.

Pode complementar com as lições que não foram incluídas entre as mais
importantes.

Seria muito conveniente apresentar histórias de empreendedores conhecidos da


área (que montaram negócios próprios ou que empreendem dentro de
corporações do setor) para enriquecer e validar a discussão da lista. É
importante reforçar que empreendedores de sucesso, muitas vezes, não
possuem todos os atributos comuns ao perfil empreendedor. Por outro lado,
estes empreendedores se juntam a outras pessoas que têm perfil
complementar. A partir deste contexto, os alunos podem desenvolver uma
autoavaliação para indicar quais de seus atributos poderiam ser mais
desenvolvidos para fortalecer seu perfil empreendedor.

Atividade Individual: docente pode elaborar questionário onde são listados os


atributos associados ao empreendedorismo e pedir para que o aluno avalie a
importância daquele dos atributos identificados para a sua carreira, avalie seu
estágio em cada um dos atributos destes relacionados e apresente uma
proposta de como pode fortalecê-los. este atributo.
Jogos de raciocínio lógico: docente promove uma série de jogos ou desafios

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
42
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

de raciocínio lógico. Após cada exercício, desencadeia uma rápida discussão de


como o jogo/desafio foi resolvido para que todos compreendam a lógica e as
estratégias utilizadas.

Resolução de problemas: docente promove rodada para resolução de


problemas organizacionais, em que o aluno assume o papel de um consultor de
negócios e precisa entender uma situação, identificar um problema ou
oportunidade e propor uma solução. A revista EXAME PME sempre traz uma
reportagem sobre o desafio de um empreendedor e a solução proposta por três
consultores. O docente pode apresentar o desafio para os alunos, aguardar as
sugestões e apresentar as soluções dos consultores da Exame para análise e
discussão. Nas edições mais recentes, a EXAME PME também traz uma sessão:
“O que aconteceu”, com a decisão tomada em edições passadas. Para
desenvolver a capacidade de resolução de problemas, há diversos livros que
abordam o assunto. Em “O jeito McKinsey de Ser”, de Ethan M. Rasiel (Makron
Books), há um capítulo sobre este assunto. É interessante que o docente
contextualize os problemas na área.

Leitura complementar: docente sugere a leitura complementar dos seguintes


textos, do Programa Babson para Educadores de Empreendedorismo, Afro
Reggae: O Futuro, Worcester Beef Company A e Worcester Beef Company B,
disponíveis na intranet na página do curso.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam as características do perfil
empreendedor, apontando quais características já possuem e quais devem
desenvolver.
As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para
subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
43
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Identificar oportunidades e estratégias de negócio, com base no processo criativo e inovador de geração de ideias,
analisando a viabilidade mercadológica, econômica, financeira para criação de projetos, produtos ou serviços.

Tema (s): Identificação de Oportunidades

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas e perfil empreendedor, com experiência em organizações.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
SCAMCEA – (substituir, Desafio: Que novos produtos e/ou serviços ao longo do tempo, devo propor Durante a realização
combinar, adaptar/ para os meus clientes? das atividades o
arrumar/aumentar, docente deve observar
Atividade exploratória: O docente propõe uma simulação que faça o aluno
modificar, colocar outros se o aluno apresenta os
refletir que ele, como profissional, fará parte de uma rede de interações que
usos, eliminar e arranjar. seguintes indicadores
começa dentro da empresa (pela hierarquia, estrutura organizacional, relações
de desempenho:
Análise SWOT de poder, amizades) e se expande para fora da empresa (relações com o
mercado consumidor, mercado fornecedor, concorrência, governo). Uma  Analisa os ambientes
Perspectiva de mercado
sugestão de simulação simples é que os alunos sejam divididos em subgrupos internos e externos da
(produtos / serviços)
e cada grupo ilustre estas interações em uma folha de papel grande. Uma empresa;
Estrutura de Negócios simulação mais complexa é o uso de quebra-cabeças, onde a classe é dividida
 Analisa, identifica e
(proposta de sumário em 5 subgrupos, por exemplo, que recebem lotes de peças de 4 quebra-
mapeia, as interações
executivo) cabeças diferentes. O objetivo é que cada grupo conecte o maior número de
com os clientes internos,
Processos e trâmites de peças de quebra-cabeças e para isto terá algum dinheiro para efetuar compras
mercado, fornecedor,
abertura de uma empresa de peças do docente e de outros grupos. Também é permitido trocar peças. O
mercado, comprador e
docente atua como mercado consumidor, fornecedor, banco, governo e
Modelos mentais concorrência
regulador. Os grupos precisam ser estruturados por funções e o docente pode
relacionados à iniciativa, solicitar que o presidente do grupo demita um elemento do grupo, que precisa  Recorre às diferentes
comprometimento, buscar emprego em outro grupo. O demitido pode levar algumas peças. técnicas de análise e
persistência/perseverança, Situação semelhante pode ser utilizada para um membro do grupo pedir coleta de dados.
liderança, ética, orientação demissão. Após algum tempo pré-determinado, cabe ao docente promover a  Elabora código de ética
para resultados, discussão sobre as interações ocorridas e levantar questões sobre o ambiente

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
44
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

gerenciamento de riscos, interno do grupo, atendimento do mercado consumidor, análise da para o seu
trabalho em equipe, concorrência. empreendimento,
sustentabilidade e a considerando os aspectos
Esta atividade pode contextualizar a importância do entendimento e utilização
criatividade. definidos na RSE
de técnicas de análise do ambiente interno e externo, da identificação de
(Responsabilidade Social
tendências de mercado para vislumbrar oportunidades ou problemas futuros e
Empresarial).
da gestão do conhecimento.
 Define com clareza e
Atividades sugeridas para responder o desafio:
objetividade a missão
Análise de casos: Como as análises de ambientes envolvem uma série de empresarial, a visão
elementos, os estudos de casos podem facilitar a descrição de um contexto estratégica e os valores.
para que o aluno reflita sobre as alternativas de solução ou encaminhamento.
 Descreve com clareza a
Pesquisa: Podem ser úteis para que o aluno vivencie a atividade de, por forma como pretende
exemplo, mapear a concorrência de um determinado setor ou as interações de aplicar os princípios de
uma empresa com seus clientes ou fornecedores. sustentabilidade em seu
Pesquisa e análise de mercado ou de empresas fazendo uso de técnicas empreendimento, com
de análise como 5 Forças de Porter e SWOT. base nos valores e
políticas desejadas.
Pesquisa e análise de dados ou informações: A análise de ambientes
pressupõe a obtenção de informações para o desenvolvimento das análises.  Indica procedimentos
Para isto, o docente pode criar grupos de discussão para que os alunos necessários à abertura da
identifiquem fontes de informações e as utilize para o desenvolvimento do empresa, com base na
trabalho. legislação.

Pesquisa para coleta de informações: Em alguns casos, os alunos não  Indica os aspectos
encontrarão as informações prontas, e desta forma, precisarão proceder a técnicos necessários para
coleta de dados o professor pode contribuir ao apresentar as técnicas mais o funcionamento da
comuns de coleta de dados e técnicas de análise de dados para a obtenção de atividade (órgãos de
informações. classe, CETESB, Vigilância
Sanitária, Corpo de
Jogo: "A Ilha do Empreendedor" é um jogo virtual onde vence o Bombeiros e outras).
“melhor” empreendedor. O ambiente é uma ilha ficcional, cenário da
competição entre os jogadores. Todos começam em condições iguais e devem

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
45
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

abrir e administrar negócios, com o objetivo de se tornar o empresário mais


bem sucedido. Para isso os participantes aprendem a selecionar ideias
rentáveis, montar a sua equipe, equipamento e infraestrutura e administrar
suas empresas, lidando com fatores externos que afetam o seu faturamento e
disputando os recursos com

os outros competidores da ilha. O conceito e a mecânica do jogo são baseados


nos livros do Prof. Dr. José Dornelas. Todas as fases do processo
empreendedor (da identificação da oportunidade e captação de recursos até o
investimento necessário para a abertura) estão presentes no jogo, simulando
o processo real. O conteúdo do jogo é todo baseado em dados reais, incluindo
os negócios apresentados e todos os números financeiros.

Obs.: Deve ser programado o uso do laboratório de informática para o


desenvolvimento do jogo, solicitando que o Interlocutor de Empreendedorismo
da unidade libere o software para uso.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam definição da missão
empresarial, visão estratégica, o código de ética, os princípios de
sustentabilidade e as etapas para a abertura da empresa, contendo as análises
do mercado consumidor e concorrência.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final do Módulo, os alunos devem sistematizar todos os itens previstos para o projeto nesta etapa. Para
acompanhamento do processo e melhoria contínua devem fazer apresentações relativas a esta etapa do projeto.

MÓDULO II - EMPREENDEDORISMO
VERSÃO 3 – JULHO 2012
46
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo III – Marketing e Vendas - 160 horas

Neste Módulo o aluno desenvolve competências de marketing e vendas a partir de vivências relacionadas ao ambiente
empresarial, utilizando o conceito de segmentação de mercado, análise do ambiente mercadológico e ferramentas do mix de
marketing. Pode ser desenvolvido isoladamente ou em concomitância com o módulo I e/ou II e/ou IV e/ou V
e/ou VI.

Orientações para o Projeto no Módulo


O Plano de Marketing e Vendas deve conter o conceito de segmentação de mercado, análise do ambiente mercadológico e
utilização das ferramentas do mix de marketing.
Aos alunos que estão cursando a habilitação completa, o projeto de Assistente em Marketing e Vendas integra o Projeto de
Administração.
Este Plano de Marketing e Vendas deve conter as seguintes produções e devem compor o portfólio dos alunos:
 Relatório constando as ações internas que fomentarão a cultura voltada para o consumidor e o papel que o marketing
ocupará no projeto-empresa.
 Descrição da pesquisa de mercado e das conclusões referentes à interpretação dos dados obtidos e, ainda, a análise dos
ambientes interno e externo do projeto-empresa.
 Descrição sobre a forma como os elementos do mix de marketing, incluindo qual o posicionamento pretendido, será
utilizada pelo projeto-empresa.
 Roteiro de vendas constando a descrição de todo o processo, desde a preparação da venda até o fechamento, para o
projeto-empresa.
 Plano com os objetivos das vendas, ações a serem executadas pela prospecção, vendas e pós-venda e dimensão da
equipe.
 Indicação dos resultados pretendidos com o planejamento de marketing e vendas do projeto-empresa.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
47
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Desenvolver ações de cultura empresarial voltadas para a valorização do consumidor no processo de produção e venda de
produtos e de serviços e no processo de gerenciamento empresarial, com base na compreensão da importância do marketing para a
sustentabilidade do empreendimento.

Tema (s): Conceitos de Marketing / Comportamento do Consumidor

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas com ênfase em Marketing ou graduado com
especialização.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Conceito e princípios de Desafio: Será a minha ideia de negócio a melhor do mercado? Durante a realização
marketing. das atividades o
Atividade exploratória: Para desencadear esta etapa, docente pede aos
docente deve observar
Cultura empresarial alunos que valorizem um produto de uso comum como, por exemplo, jeans de
se o aluno apresenta os
analisada no aspecto de marca, questionando o valor do jeans com ou sem etiqueta de marca,
seguintes indicadores
valorização do consumidor comercializado na loja da marca ou no mercado informal. Na discussão deverá
de desempenho:
– valor agregado ao ser explorada a importância do foco no mercado (orientação ao mercado)
mercado. como meio de sobrevivência empresarial e o marketing como função vital de  Sugere processos de
relacionamento da empresa com o mercado. fortalecimento da cultura
Estratégias de marketing
empresarial, destacando
para o posicionamento da Atividades sugeridas para responder ao desafio:
a importância do
marca.
Apresentação de vídeo: podem ser apresentados vídeos corporativos ou marketing no
Identidade corporativa – efetuadas pesquisas em sites de grandes corporações (Petrobrás, WEG, desenvolvimento de sua
criação e desenvolvimento EMBRAER, entre outras) que destaquem aspectos de cultura empresarial com empresa.
da marca e imagem discussão sobre as ações que as empresas estão utilizando para consolidá-la e
 Propõe ações que visam
corporativa. contribuir para a formação de uma identidade corporativa. Pode também ser
fortalecer a cultura do
utilizado trecho de filme comercial que contribua para esta discussão, como
seu projeto-empresa.
por exemplo, "O Diabo veste Prada"(Direção de David Frankel – 2006), com
Meryl Streep; ou, ainda, trechos de comerciais de TV ou anúncios de revista.  Dimensiona o papel que o
marketing ocupa no

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
48
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

projeto-empresa.
Exposição dialogada sobre cultura empresarial e a sua influência no
desenvolvimento sustentável das empresas utilizando exemplos apresentados
pelo docente e outros explorados com os alunos.
Atividade em subgrupos: Com base no conceito de missão e ética, os
subgrupos devem sugerir processos de fortalecimento da cultura empresarial,
destacando a importância do marketing no processo de desenvolvimento de
sua empresa.

Pesquisa na internet e leitura de textos para consolidação da noção de


cultura empresarial, com discussão em plenária sobre ações que visem
fortalecer a cultura do seu projeto-empresa. Deve-se enfatizar a necessidade
do fortalecimento da cultura corporativa e da orientação ao mercado pelas
empresas como fatores críticos do seu desenvolvimento sustentável.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório em que constem


as ações internas que fomentarão a cultura voltada para o consumidor e qual
o papel que o marketing ocupará no projeto-empresa.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
49
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Analisar as situações de mercado e de seu inter-relacionamento com as demais áreas organizacionais a partir da coleta de
dados e gestão das informações do ambiente externo e interno para agregar valor à empresa e ao consumidor.

Tema (s): Pesquisa de Mercado

Tempo estimado: 28 horas

Formação Docente: As bases tecnológicas relacionadas com estatística podem ser desenvolvidas pelos docentes de M arketing, pois
não exigem aprofundamento. Podem também ser trabalhadas por um bacharel em Matemática ou Estatística que tenha familiaridade e
experiência na área de pesquisa
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Pesquisa de mercado: Desafio: Para que servem os dados de uma pesquisa mercadológica e como Durante a realização
tipos de pesquisa, coleta e podem auxiliar na identificação da preferência dos meus produtos em relação das atividades o
tratamento de dados. aos meus concorrentes? docente deve observar
se o aluno apresenta os
Tratamento estatístico de Atividade exploratória: alunos podem simular uma pesquisa leiga com
seguintes indicadores
dados e processo participantes de outros cursos do Senac. Na discussão sobre a atividade, o
de desempenho:
decisório. docente pode levantar questões que levem os alunos a avaliarem se as
perguntas foram bem formuladas ou não e por quê. Os questionamentos  Seleciona metodologia
Análise de público-alvo e
deverão também remeter à necessidade de pesquisa. adequada para pesquisa,
da concorrência para
tendo em vista seu
agregar valor à empresa e Atividades sugeridas para responder ao desafio:
projeto-empresa.
ao consumidor.
Estudo de caso alguns sites fornecem subsídios para esta discussão
 Elabora adequadamente
envolvendo empresas que tenham se baseado em pesquisas para posicionar
a pesquisa de campo
seus produtos. Revistas de negócios também trazem casos interessantes sobre
voltada para o público-
pesquisas de mercado realizadas.
alvo do seu projeto-
Exposição dialogada em que o docente esclarece a utilidade e as bases para empresa.
execução de um questionário, assim como os formatos das questões a serem
 Realiza coleta os dados
inseridas. Deve-se considerar as fases do processo estatístico: planejamento,
para análise do público-
coleta e apresentação de dados, apuração e análise crítica de resultados.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
50
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

alvo.
Atividade em subgrupos onde os alunos identificam possíveis metodologias
de pesquisa que podem utilizar no seu projeto-empresa, tendo em vista  Aplica tratamento de
prováveis consumidores dos seus produtos ou serviços e em seguida dados estatísticos.
apresentam em plenária as conclusões.
 Analisa e discute os
Atividade individual para elaboração da pesquisa de campo voltada para o resultados obtidos na
público-alvo do seu projeto-empresa. Esta pesquisa deve ser preparada com a pesquisa.
mediação do docente.
 Identifica qual a
Atividade em subgrupos: docente pede aos grupos (de preferência que concorrência atual e o
tenham atividades afins) que efetuem uma análise do ambiente externo em potencial do seu projeto-
geral e da concorrência em particular, identificando qual a concorrência atual e empresa.
o potencial do seu projeto-empresa.
 Indica possíveis
Atividade individual: Em seguida cada aluno, com base na análise necessidades de
anteriormente realizada e nos elementos relacionados com o ambiente interno desenvolvimento do
do projeto-empresa, relata a forma como a comercialização dos seus produtos ambiente interno.
agregará valor à sua empresa e ao consumidor e qual a razão da preferência
 Indica qual a forma de
pelos seus produtos em detrimento dos da concorrência.
comercialização dos seus
Trabalho de campo a ser executado pelos alunos para pesquisa com coleta produtos que poderá
de dados referentes à empresa e produtos/serviços a serem comercializados. agregar valor à sua
empresa e ao
Exposição dialogada em que o docente esclarece as noções referentes à
consumidor.
distribuição de frequência e de medidas de tendência central e de dispersão.
 Identifica qual a razão
Tabulação dos dados levantados e análise dos dados em laboratório de
da preferência pelos
informática para determinação dos indicadores estatísticos mais relevantes
seus produtos em
que explicam os questionários.
detrimento dos da
Elaboração de relatório individual baseado na pesquisa do público-alvo, na concorrência.
suposição do ambiente interno e na análise do ambiente externo, indicando a
forma como os seus produtos/serviços agregam valor aos consumidores e à
empresa, incluindo recomendações para as diferentes áreas funcionais do seu

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
51
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

projeto-empresa, com posterior apresentação e discussão em plenária.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório que conste a


pesquisa de mercado, as conclusões referentes à interpretação dos dados
obtidos e ainda uma análise dos ambientes interno e externo da empresa do
seu projeto.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Identificar e utilizar as ferramentas de marketing no relacionamento da empresa com os mercados, mobilizando
conhecimentos e habilidades mercadológicas que envolvem o marketing mix, posicionamento, proposta de valor e pesquisa de mercado,
para colaborar nas decisões empresariais.

Tema (s): Mix de Marketing / Processo Decisório

Tempo estimado: 32 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas com ênfase em Marketing ou graduado com
especialização
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Marketing mix: produto Desafio: Como devo me relacionar com o mercado para ser mais competitivo, Durante a realização
(definição de mantendo a sustentabilidade do empreendimento? das atividades o
características/ benefícios, docente deve observar
Atividade exploratória: docente sugere aos alunos que pesquisem um
ciclo de vida, análise e se o aluno apresenta os
mesmo produto em diferentes pontos de venda, envolvendo diferentes
desenvolvimento); preço seguintes indicadores
segmentos de mercado, para que levante preços, condições de pagamento,
(análise do preço da de desempenho:
apresentação do produto e política de preço e formas de divulgação. Em
concorrência e do
discussão sobre o levantamento realizado pelos alunos, o docente deve  Identifica diferentes
esperado pelo mercado x
remeter à necessidade de definição do posicionamento desejado para o seu segmentos de mercado.
financeiro e definição do
produto no mercado.
tipo de preço a ser  Reconhece e inclui no seu

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
52
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

praticado - estrutura e planejamento elementos


Atividades sugeridas para responder ao desafio:
formação); praça (canais do marketing mix.
de distribuição: as Atividade em subgrupos para suposição do ambiente interno da organização
 Indica a forma como o
diversas formas de e análise do ambiente externo para verificar oportunidades e forças que
relacionamento das
distribuição do produto e poderão ser utilizadas no processo de agregação de valor aos consumidores,
empresas com o mercado
comércio eletrônico); sobretudo no que se refere à análise da concorrência.
pode ser planejado.
promoção (referir a Estudo de caso referindo o processo de segmentação de mercados e que
propaganda: produto  Define o posicionamento
permita discutir as ferramentas de marketing utilizadas para construir o
novo, propaganda dentro pretendido para o
relacionamento entre a empresa e o mercado consumidor.
de cada estágio do ciclo de produto/serviço do seu
vida do produto; Apresentação e discussão de vídeo que permita discutir posicionamento de projeto-empresa.
campanhas publicitárias e mercado. Podem ser utilizados trechos de filmes comerciais, como por
 Identifica, por meio de
promoção); embalagem exemplo, "Chocolate" (direção de Lasse Hallström, 2000) com Juliette Binoche
pesquisa, o
(enquanto criação da e "Do que as Mulheres Gostam" (direção de Nancy Meyers, 2000), com Mel
posicionamento de
demanda). Gibson.
produtos similares ao
Posicionamento – imagem Exposição dialogada sobre o processo de segmentação de mercados, as produto oferecido pelo
da empresa no mercado. noções de posicionamento (referindo a noção e a importância da marca) e de projeto-empresa e qual a
proposta de valor (valor percebido pelos consumidores pela aquisição de proposta.
Qualidade – Proposta de produtos ou de serviços), com base nos elementos do marketing mix –
valor. produto, preço, praça, promoção e embalagem.

Atividade individual: Na sequência, os alunos devem esboçar qual o


posicionamento desejável para os seus produtos.

Atividade em subgrupo para discutir os elementos do marketing mix e a


forma como o relacionamento das empresas com o mercado pode ser
planejado.

Pesquisa na internet (ou de campo) seguida de discussão em plenária


para conhecer o posicionamento de produtos similares ao produto oferecido
pelo projeto-empresa e qual proposta de valor as empresas concorrentes
apresentam ao mercado.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
53
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Atividade individual: Partindo dos esboços elaborados, os alunos devem


descrever com mais exatidão o modo como irão conjugar os elementos do
marketing mix com o segmento de mercado que pretendem atingir com os
seus produtos.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório sobre a forma


como os elementos do mix de marketing, incluindo qual o posicionamento
pretendido será adotado pela empresa do seu projeto.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Desenvolver e aplicar, no ambiente interno e no externo, técnicas de vendas com base nos padrões de relacionamento
interpessoal, na correta utilização da comunicação e na relação entre comprador e vendedor.

Tema (s): Negociação e Vendas

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Letras, Psicologia e/ou Administração de Empresas com ênfase em Marketing e
Vendas.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Técnicas de negociação e Desafio: Como devo vender o meu produto ou as minhas ideias? Durante a realização
padrões de das atividades o
Atividade exploratória: docente pode sugerir que os alunos investiguem
relacionamento. docente deve observar
processos de venda colocando-se, por exemplo, como comprador em três lojas
se o aluno apresenta os
Técnicas de vendas – fases para comparar o tipo de atendimento recebido.
seguintes indicadores
da venda.
Com base nas impressões trazidas pelo aluno, o docente deve levantar de desempenho:
Comunicação verbal e não questões que remetam aos motivos que os levariam a comprar ou não os
 Elabora roteiro de
verbal. produtos.
negociação.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
54
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Atividades sugeridas para responder ao desafio:  Comunica-se


adequadamente, com
Atividade em subgrupo: docente divide a classe em quatro grupos: dois
clareza e objetividade.
vendedores e dois compradores. Os grupos deverão elaborar o roteiro da
negociação.  Aplica técnicas de
negociação ao
Dramatizações/Simulações Seguindo o roteiro elaborado na atividade
comunicar-se com o
anterior, um dos grupos vendedores venderá a um grupo comprador
cliente.
determinado produto/serviço (de acordo com a sua empresa). A classe deve
observar a negociação e identificar se o roteiro está sendo seguido e os pontos  Expressa-se
positivos e negativos da negociação. Esta atividade deve ser repetida várias corporalmente de modo a
vezes de forma que todos os alunos participem das simulações. tornar seu discurso mais
convincente.
Preferencialmente, a sessão deve ser filmada e reproduzida pelo docente para
posterior análise dos participantes.  Expressa ideias com
clareza nos exercícios e
Atividade em subgrupo: Os roteiros são comparados e discutidos pelos
relatórios escritos.
grupos intermediados pelo docente, que deve preocupar-se em percorrer todas
as etapas da negociação.  Aplica corretamente as
fases da venda.
Exposição dialogada: O grupo assiste ao filme produzido anteriormente e
analisa os padrões de comunicação utilizados (verbal e não verbal) e a relação  Indica roteiro de vendas
de poder entre intervenientes, assim como as técnicas de apresentação em considerando todas as
público. etapas do processo

Jogos e vivências que explorem aspectos de comunicação verbal e não


verbal.

Exposição dialogada das diversas fases da venda de um produto, serviço ou


ideia, considerando a importância de serem trabalhados todos os tópicos que
permeiam uma venda, partindo do conhecimento do produto até o processo de
pós venda.

Elaboração de relatórios de vendas, explorando aspectos técnicos da venda


e adequação da escrita.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
55
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam roteiro de vendas em que


conste a descrição de todo o processo, desde a preparação da venda até o
fechamento para empresa do seu projeto.
As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para
subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Preparar plano de ações para o processo de vendas, promovendo a atitude comprometida e motivada da equipe, definindo
seus objetivos de acordo com as estratégias organizacionais e considerando as etapas de prospecção, venda e pós-venda.

Tema (s): Liderança / Vendas

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas com ênfase em Marketing e com experiência em vendas e
profissional, preferencialmente, formado, em Psicologia com experiência em Recursos Humanos e em treinamento em vendas.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Perfil do vendedor. Desafio: Como conseguirei vender e atingir os objetivos propostos pela Durante a realização
empresa com a equipe motivada? das atividades o
Práticas de incentivo
docente deve observar
Atividade exploratória: docente pede aos alunos que estimem o montante
Plano de ações de vendas. se o aluno apresenta os
de vendas que pensam poder atingir com a venda dos seus produtos ao longo
Condução de reuniões e seguintes indicadores
de um ano. Esta atividade objetiva conscientizar os alunos de que os
elaboração de atas. de desempenho:
montantes de vendas estimados devem ser fundamentados na realidade de
Modelos de liderança para mercado e na estratégia empresarial, e não projetados por expressa vontade  Estabelece as formas de
vendas, liderança de do empreendedor. O docente deve explorar também os aspectos de liderança recrutamento,
equipes, team building. e motivação. treinamento da equipe de
vendas e as etapas do
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
processo para o projeto-
Estudo de caso que permita discutir a importância de se dimensionar o empresa.
mercado.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
56
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Exposição Dialogada: docente refere quais as metodologias mais usuais  Elabora plano de vendas
para determinar o tamanho de mercados (vendas anuais) e pede aos alunos contendo os itens
que estimem o tamanho do mercado para os seus produtos ou serviços e qual necessários.
o market share que pretendem alcançar.
 Identifica aspectos da
Discussão em subgrupos com realização de plenária sobre as formas de motivação humana que
recrutamento, treinamento da equipe de vendas e as etapas do processo para interferem no trabalho.
o projeto-empresa.
 Exerce liderança positiva
Pesquisa na internet e / ou de campo para determinação de tamanho de nas situações de
mercado para os produtos/serviços do projeto-empresa. trabalho em grupo e nas
simulações.
Elaboração de relatório que estabeleça o plano de vendas, indicando como a
empresa fará o recrutamento, formação e treinamento da equipe de vendas,  Estabelece um
bem como as etapas de prospecção (quem fará e como será feita); de vendas planejamento adequado
(número de vendedores e estrutura da equipe de vendas) e pós venda. de reunião incluindo a
administração do tempo.
Jogos e vivências que abordem a questão da motivação humana: motivos
internos (o efeito sobre o desempenho no trabalho, a frustração e as
habilidades e interesses) e motivos externos, explorando aplicações técnicas
de enriquecimento do trabalho, programas de incentivos e de reconhecimento,
incentivos monetários de outro tipo.

Atividade em subgrupos para discutir quais os traços do perfil mais


importantes que um vendedor e um supervisor de vendas deve, ter. É
interessante que se faça uma leitura complementar sobre o tema.

Dramatização/Simulação que envolva situações de condução de reuniões


seguidas de discussão sobre tipos, preparação, condução e elaboração de atas
e de avaliação e formas de administrar o tempo (desperdiçadores de tempo;
foco na organização; reconhecendo os desperdiçadores de tempo).

Elaboração de atas das reuniões simuladas, com tratamento do uso da


língua portuguesa.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
57
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Exposição dialogada para sistematização de conteúdos sobre quais os traços


de perfil mais importantes que devem estar presentes em vendedores e
desenvolvimento da noção de motivação e nos principais processos que
despertam motivação nos funcionário em geral e nos vendedores em
particular. Nesta etapa deverão ser referidos os estímulos resultantes de
salários de montante fixo ou baseados em comissão.

Atividade individual: como possível estratégia de aprendizagem o docente


pode pedir que os alunos identifiquem no seu perfil quais os seus traços mais
marcantes da liderança em vendas.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam plano de vendas com os


objetivos de vendas, ações a serem executadas pela prospecção, vendas e
pós-venda e dimensão da equipe.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Estabelecer critérios e indicadores de qualidade e de avaliação de desempenho da organização a partir da aplicação de
técnicas de benchmarking e da analise dos resultados do planejamento de Marketing e Vendas.

Tema (s): Planejamento de Marketing e Vendas

Tempo estimado: 28 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas com ênfase em Marketing.
Avaliação/Indicadores
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
de Desempenho
Conceitos e princípios de Desafio: Que resultados pretendo obter com o planejamento de marketing e Durante a realização
planejamento. vendas do meu projeto-empresa? das atividades o
docente deve
Planejamento de Atividade exploratória: Para desencadear esta etapa, alunos desenvolvem
observar se o aluno

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
58
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

marketing. lançamento de um produto fictício considerando e observando todas as etapas apresenta os


do planejamento de marketing. seguintes indicadores
Benchmarking.
de desempenho:
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
Sistema de qualidade e
 Propõe adaptações para
avaliação de desempenho. Atividade individual: os alunos devem reunir o material desenvolvido em
o produto/serviço com
atividades anteriores relacionadas com mix de marketing e, através de
Conceito de custo e ponto base na análise de
comparação com empresas congêneres, efetuar as necessárias correções e
de equilíbrio. mercado realizada.
adaptações à sua empresa. Ao longo desta atividade o docente deve
Margem de contribuição. desenvolver o conceito de benchmarking.  Indica a forma como os
consumidores agregam
Em seguida, o docente questiona os alunos sobre o que é um produto de
valor e estabelecem a
qualidade e quem determina essa qualificação e relacionar esta noção com a
diferenciação ao
proposta de valor anteriormente discutida.
adquirirem os produtos /
Exposição dialogada e exercícios sobre custos fixo e variável, ponto crítico serviços que conseguem
de vendas e margem de contribuição. detectar em relação aos
Atividade individual / grupo: alunos devem desenvolver e apresentar em similares dos
plenária os valores estimados de custos fixos e custos variáveis do seu projeto concorrentes.
empresa.  Estabelece critérios
Pesquisa de campo e atividade individual para determinação de custos de (padrões) que permitem
propaganda de acordo com as diferentes mídias e estabelecimento de aferir a qualidade dos
cronograma de suporte ao plano de marketing para o projeto-empresa. produtos/serviços.

Pesquisa na internet ou de campo sobre benchmarking, com visitas a  Determina custos de


pontos de venda, para determinação dos atributos mais significativos dos propaganda
produtos/serviços da concorrência. É importante verificar como a concorrência considerando as
atua e a possibilidade de adaptação de alguns dos atributos observados nos diferentes mídias.
seus produtos.  Estabelece cronograma
Atividade em subgrupos para que os alunos comparem criticamente os de suporte ao plano de
atributos mais valorizados pelos consumidores e os atributos constantes nos marketing para o
seus produtos/serviços. Também devem determinar os itens que representam projeto-empresa.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
59
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

custos fixos e variáveis em uma empresa. Na sequência, trabalho individual


 Indica os resultados que
para determinação do ponto crítico de vendas do projeto empresa. Neste
pretende obter com o
trabalho o docente deve fornecer uma projeção de custos que os alunos irão
planejamento de
utilizar no seu plano de marketing e vendas como referência.
marketing e vendas do
Atividade individual: alunos devem produzir um relatório em que esteja clara seu projeto-empresa.
a forma como os consumidores, ao adquirirem os produtos/serviços do projeto
empresa, agregam valor e a diferenciação que conseguem detectar em relação
a produtos/serviços similares dos concorrentes.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos indicam os resultados que pretendem


obter com o planejamento de marketing e vendas para empresa do seu projeto.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final do Módulo, os alunos devem sistematizar todos os itens previstos para o projeto nesta etapa. Para
acompanhamento do processo e melhoria contínua devem fazer apresentações relativas a esta etapa do projeto.

MÓDULO III – MARKETING E VENDAS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
60
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo IV – Logística Empresarial - 160 horas

Neste Módulo o aluno desenvolve competências referentes às atividades de logística integrada e seus componentes, na
busca de otimização de resultados, mediante a integração dos fluxos de informações e materiais. Pode ser desenvolvido
isoladamente ou em concomitância com o módulo I e/ou II e/ou III e/ou V e/ou VI.
O docente deve considerar para o desenvolvimento deste módulo tanto a logística industrial como comercial e a de serviços.
Como sugestão para visualização dos processos logísticos, indicamos que os vídeos abaixo sejam utilizados ao longo do
módulo. Os vídeos estão disponíveis na intranet, na página do curso livre Tecnologia Aplicada a Logística.
mms://midiasenac.sp.senac.br/Pickto-RF.wmv
mms://midiasenac.sp.senac.br/Picktolight-NEU01.wmv
mms://midiasenac.sp.senac.br/RFID-Metr01.wmv
mms://midiasenac.sp.senac.br/RFID-R-7.wmv
mms://midiasenac.sp.senac.br/RFID_Sequenz04.wmv

Orientações para o Projeto no Módulo


Nota ao docente responsável pelo curso: As atividades de logística empresarial devem ser executadas por todos os
alunos, adaptando-se sempre ao projeto-empresa. Quando o projeto-empresa, pela natureza da atividade, não permitir
alguma atividade sugerida, o aluno deve se unir a um colega cuja característica da empresa comporte essa atividade. Por
exemplo, no caso de definição de uma política de gerenciamento de estoque para uma empresa industrial ou comercial, o
aluno que tenha um projeto-empresa de serviços poderá se integrar a uma daquelas empresas. Se não for possível esta
integração o docente pode criar uma empresa fictícia.
Neste Módulo o aluno constrói um plano de otimização de recursos para o projeto-empresa.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
61
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

O projeto de Logística Empresarial deve conter layout e fluxograma, com descrição de procedimentos, equipamentos e
custos, desde a aquisição de insumos, passando pela produção ou prestação do serviço e finalizando com a entrega do
serviço ao cliente.
Aos alunos que estão cursando a habilitação completa, o projeto de Logística Empresarial integra o Projeto de Administração.
No decorrer do Módulo as seguintes produções devem compor o portfólio dos alunos:
 Esquema da cadeia logística da empresa, constando os fornecedores (matérias-primas e subsidiárias, serviços) produção,
armazenagem de produtos acabados, distribuição.
 Layout da empresa e do armazém de insumos.
 Descrição das rotinas de armazém de matérias-primas, envolvendo as operações de recepção de mercadorias,
armazenagem e entrega à produção.
 Cotações de mobiliário e equipamentos de armazém, meios de transporte e material de informática para tratamento da
informação (software e hardware).
 Cadastro de fornecedores e indicação dos parâmetros de compra que serão utilizados pelos compradores da empresa.
 Descrição de rotinas de acompanhamento dos processos de compra e dos indicadores de avaliação de desempenho dos
fornecedores.
 Planilha com previsão de compras de insumos e serviços necessários à operacionalização da empresa (incluindo empresas
a serem terceirizadas) com indicações de preços de compra.
 Layout da planta de produção e outro do armazém de produtos acabados.
 Indicação dos equipamentos necessários e cotações.
 Fluxograma de produção.
 Descritivo das rotinas do armazém de produtos acabados.
 Plano de manutenção.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
62
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Indicações dos equipamentos e investimentos necessários a um plano de segurança patrimonial.


 Levantamento de apólices de seguros.
 Planilhas demonstrativas dos custos logísticos resultantes das aquisições, manutenção de estoques de insumos, produção,
estoque de produtos acabados e distribuição.
 Indicação de alterações nos processos logísticos para adaptá-los aos conceitos referenciados nas normas ISO 9000 e
14000.
 Relatório sobre os procedimentos a serem utilizados em operações de importação ou exportação, quando couber.

Competência: Organizar e controlar os componentes da cadeia logística e as formas de otimizá-los, mobilizando conhecimentos e
habilidades com eles relacionados.

Tema (s): Cadeia Logística

Tempo estimado: 36 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou Engenheiro de Produção com experiência em Logística.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Logística integrada: fluxo Desafio: Como devo visualizar a organização dos componentes da cadeia Durante a realização
de informações e logística no meu projeto-empresa, visando sua sobrevivência e das atividades o
materiais. desenvolvimento, ao considerar os fornecedores e compradores dos meus docente deve observar
produtos / serviços? se o aluno apresenta os
Elementos da cadeia
seguintes indicadores
logística. Atividade exploratória: Para desencadear essa etapa o docente pode propor
de desempenho:
um brainstorming para levantamento do que os alunos julguem envolver
Layout da empresa.
logística.  Visualiza aspectos de
Compras: levantamento de logística em diferentes
O docente deve instigar o grupo a levantar o máximo possível de atividades,
preços (cotação). situações.
inclusive as que fazem parte do cotidiano, e também as mais inusitadas, como
Planejamento de por exemplo, a organização de uma festa, de um desfile de escola de samba,  Apresenta a cadeia

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
63
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

produção. de uma corrida de fórmula 1, de uma viagem de trabalho etc. logística do seu projeto-
empresa.
Rotinas de armazém: Extrair da lista as atividades mais inusitadas para que, em subgrupos, os
matéria-prima. alunos esbocem a logística necessária para a sua realização.  Descreve a função de
cada elemento dessa
Plano de suprimentos, Com base na discussão desses esboços, podem ser feitos questionamentos
cadeia considerando a
incluindo transporte e que remetam à questão do desafio.
união de esforços dos
recebimento de
Atividades sugeridas para responder ao desafio: seus elementos para
mercadorias.
Exposição dialogada para discutir aspectos sobre a logística integrada e agregar valor ao cliente
Legislação sanitária e final.
esclarecer a função dos componentes da cadeia logística, do relacionamento
ambiental.
desta com as outras áreas empresariais, com a estratégia empresarial e a  Identifica a posição da
Tecnologia da Informação importância da logística para agregar valor aos clientes finais. empresa-base do projeto
e processos logísticos. nessa cadeia.
Atividade em subgrupo para aprimoramento dos esboços elaborados na
atividade inicial, com base nos conceitos de logística integrada.  Esboça o layout de sua
Atividade individual e apresentação em plenária para descrição da função empresa, incluindo todos
de cada elemento e apresentação da cadeia logística integrada com referência os setores existentes.
à posição do projeto-empresa nessa cadeia. Nas exposições o docente deve  Detalha o layout do
intervir com questionamentos que permitam complementar todo o ciclo armazém de insumos.
logístico, enfatizando a função de cada elemento da cadeia. Pretende-se com
 Lista o mobiliário e os
esta atividade que os alunos compreendam que o processo logístico visa
equipamentos
colaborar para a satisfação do consumidor na aquisição de produtos pela união
necessários à
de esforços dos elementos da cadeia.
movimentação e
Atividade individual para esboço do layout do projeto-empresa, contendo armazenagem dos
todos os setores. Este layout será aprimorado ao longo das atividades produtos.
subsequentes.
 Descreve as rotinas do
Proposição de problema: dentre os projetos existentes, o docente pode armazém de matérias
selecionar um que trabalhe com produto cíclico/sazonal, levantando questões primas envolvendo as
que remetam à necessidade de planejamento de produção. Com base nas operações de recepção
possibilidades levantadas pelos alunos, pode ser realizada uma exposição de mercadorias,

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
64
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

dialogada para discutir os conceitos de planejamento da produção quanto às armazenagem e entrega


necessidades de insumos, bem como para desenvolvimento das características à produção.
e tipos de estoques de matérias-primas e subsidiárias.
 Realiza a cotação do
Atividade individual ou em subgrupo (ver nota ao docente responsável mobiliário e dos
pelo curso no início do módulo) para detalhamento do layout do armazém de equipamentos do
insumos e listagem de mobiliário e equipamentos necessários à movimentação armazém necessários ao
e armazenagem e descrição das rotinas de armazém de matérias-primas funcionamento da
envolvendo as operações de recepção de mercadorias, armazenagem e empresa.
entrega à produção.
 Decide sobre utilização
Pesquisa na internet e/ou de campo para cotação de mobiliário e de meios próprios ou
equipamentos de armazém necessários ao funcionamento da empresa. terceirizados mediante
verificação e
Visitas técnicas para observação e análise dos sistemas de armazenagem e
comparação dos custos
equipamentos utilizados no processo. Podem ser organizadas visitas a
de transporte dos
empresas industriais e / ou comerciais.
produtos do projeto-
Pesquisa na internet ou de campo para verificação e comparação dos empresa.
custos de transporte dos produtos do projeto-empresa, para decisão sobre
 Descreve quais
utilização de meios próprios ou terceirizados.
equipamentos e recursos
Atividade individual e apresentação em plenária para desenvolvimento de informática serão
de plano de suprimentos, incluindo transporte e recebimento de mercadorias. necessários para o
O docente deve enfatizar a relação entre os custos de transporte próprio processamento da
versus terceirizado. informação, indicando
Pesquisa na Internet para levantamento de informações que permitam como a tecnologia da
discutir a forma como as novas tecnologias da informação podem colaborar informação poderá
para melhorar o desempenho do processo logístico. Os alunos podem contribuir para a eficácia
pesquisar, em sites de rastreamento de cargas, métodos e tecnologias que são do processo no seu
disponibilizadas às empresas para rastreamento de mercadorias; ou seja, as projeto-empresa.
tecnologias utilizadas pelas empresas.  Realiza cotações do
Atividade individual e apresentação em plenária para descrever quais material de informática

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
65
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

equipamentos e recursos de informática, serão necessários para o necessário ao


processamento da informação e como a tecnologia da informação poderá tratamento da
contribuir para a eficácia do processo no seu projeto-empresa. O docente deve informação na empresa.
interferir levantando questões que possibilitem aos alunos relacionar as fases
 Adapta o layout com
do ciclo logístico com possíveis sistemas de informação.
base na legislação
Pesquisa na internet e/ou de campo para cotação de material de sanitária e ambiental
informática necessário ao tratamento da informação na empresa. Pode ser aplicável à estocagem e
organizada uma demonstração na Unidade ou visita técnica a empresa ao manuseio de
fornecedora dessa tecnologia. produtos.

Estudo de caso que envolva legislação sanitária e ambiental aplicável à


estocagem e ao manuseio de produtos para reavaliação do planejamento do
layout.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam:


 Esquema da cadeia logística da empresa, constando os fornecedores
(matérias-primas e subsidiárias, serviços), produção, armazenagem de
produtos acabados, distribuição;

 Layout da empresa e do armazém de insumos;

 Descrição das rotinas de armazém de matérias-primas, envolvendo as


operações de recepção de mercadorias, armazenagem e entrega à produção;

 Cotações de mobiliário e equipamentos de armazém, meios de transporte e


material de informática para tratamento da informação (software e
hardware).
As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para
subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
66
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Estabelecer as estratégias de suprimentos e de distribuição mais adequadas com base na orientação estratégica da
empresa, na relação custo/benefício e na garantia de qualidade do recebimento e do fornecimento de bens e serviços.

Tema (s): Estratégias de Suprimentos e Distribuição

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou Engenharia de Produ ção com experiência em
Logística.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Indicadores de Desafio: De quem, como e a que preço irei comprar os insumos e serviços Durante a realização
desempenho de necessários ao funcionamento da empresa? das atividades o
fornecedores. docente deve observar
Atividade exploratória: Como atividade desencadeadora nesta etapa,
se o aluno apresenta os
Plano de suprimentos: docente pode dividir a turma em subgrupos e solicitar que simulem a
seguintes indicadores
estratégias, cadastro e organização de um churrasco para o próximo fim de semana. Deverão planejar
de desempenho:
parâmetros de compra. todas as etapas e levantar os custos.
 Elabora o cadastro de
Princípios que influenciam Com base nas propostas dos subgrupos o docente deve levantar questões que
fornecedores para o
os processos de compras: permitam aos alunos identificar a importância de se estabelecer estratégias de
projeto-empresa.
lote econômico de suprimento.
encomenda e estoque de  Estabelece os parâmetros
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
segurança. de compra que serão
Sugestão de leitura do capítulo 20 do livro Administração. utilizados – tipo de
Conceito de Just in Time.
Exposição dialogada para discutir custos, com base nas propostas empresa fornecedora,
elaboradas pelos subgrupos para o churrasco, particularmente custos localização, forma de
associados a compra, movimentação e manutenção de estoques. Nas turmas entrega, descontos ou
que não tiveram noções sobre custos, o docente deve esclarecer os alunos prazo no pagamento.
sobre custos fixos e variáveis, bem como sobre a sua incidência.  Elabora um plano de
Pesquisa na internet para localização de possíveis fornecedores de insumos compras de materiais e
serviços para o projeto-

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
67
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

e serviços para o projeto-empresa. Os alunos devem formar o cadastro de empresa com base no
fornecedores e estabelecer os parâmetros de compra que serão utilizados - planejamento de
tipo de empresa fornecedora, localização, forma de entrega, descontos ou materiais, na definição
prazo no pagamento. dos parâmetros
estruturais, na montagem
Atividade individual ou em subgrupo para formalização de um plano de
do sistema de previsão
compras de materiais e serviços para o projeto-empresa, com base no
das necessidades de
planejamento de materiais, na definição dos parâmetros estruturais, na
materiais e serviços e dos
montagem do sistema de previsão das necessidades de materiais e serviços e
critérios para compras no
dos critérios para compras no mercado interno ou externo.
mercado interno ou
Pesquisa na internet e/ou de campo para determinação dos preços e externo.
condições de compra para os insumos e produtos necessários à empresa.
 Determina preços e
Atividade em subgrupo e apresentação em plenária para elaboração e condições de compra para
um relatório de rotinas de acompanhamento do processo de compra e de os insumos e produtos
avaliação de desempenho dos fornecedores para o projeto-empresa. O necessários ao projeto-
docente deve complementar e apresentar os sistemas de rastreamento empresa.
baseados nas novas tecnologias. Nesta atividade os alunos devem efetuar uma
 Programa as rotinas de
descrição dos padrões de avaliação de fornecedores que pretendem
acompanhamento do
implementar, podendo utilizar indicadores de desempenho (% de entregas
processo de compra e de
dentro de prazo, % de produtos em conformidade, etc).
avaliação de desempenho
Atividade individual e apresentação em plenária para elaboração de dos fornecedores para o
planilhas com a programação das quantidades a serem compradas para o projeto-empresa.
projeto-empresa, utilizando o conceito de lote econômico, material estratégico
 Descreve os padrões de
ou estoque técnico. O docente deve acompanhar esta atividade favorecendo a
avaliação de fornecedores
construção dos conceitos referidos.
que pretendem
Dramatização / Simulação para consolidar habilidades de aprovisionamento implementar.
e de serviço ao cliente. Sugere-se a divisão da sala em dois grupos em que um
 Elabora planilhas com a
é o vendedor e o outro o comprador em uma operação Just in Time (JIT). O
programação das
docente deverá intervir esclarecendo os pontos críticos das operações JIT,
quantidades de insumos a
enfatizando a questão da qualidade de entrega (serviço ao cliente) e

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
68
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

relacionando-a com os custos para a empresa (logísticos e financeiros). serem comprados para o
projeto-empresa.
Nota ao docente: Com esta atividade pretende-se que os alunos entendam
que os custos de suprimentos para uma empresa (incluindo custos de
oportunidade) vão além do custo dos insumos, dependendo de fatores
financeiros e de aspectos estratégicos como, por exemplo, a garantia de
fornecimento ou de padrão de qualidade.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam:

 Cadastro de fornecedores e indicação dos parâmetros de compra que serão


utilizados pelos compradores da empresa;

 Descrição de rotinas de acompanhamento dos processos de compra e dos


indicadores de avaliação de desempenho dos fornecedores;

 Planilha com previsão de compras de insumos e serviços necessários à


operacionalização da empresa (incluindo empresas a serem terceirizadas)
com indicações de preços de compra.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
69
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Planejar, controlar e avaliar a produção ou a operação mobilizando conhecimentos de layout de produção, de materiais e
equipe de trabalho, especificações de bens e equipamentos, técnicas de ocupação racional e harmônica de máquinas/equipamentos e de
manutenção.

Tema (s): Gestão da Produção

Tempo estimado: 36 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou Engenharia de Produção com experiência em Logística.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Planejamento e Controle Desafio: Como devo produzir ou operacionalizar produtos ou serviços com a Durante a realização
da Produção – PCP. máxima rentabilidade? das atividades o
docente deve observar
Racionalização de Atividade exploratória: docente pode simular uma pequena fabrica de
se o aluno apresenta os
trabalho. bijuterias, distribuindo aos subgrupos contas (peças para bijuterias) e fio de
seguintes indicadores
nylon. Cada subgrupo deve prever a quantidade de material, tempo,
Padrões de qualidade. de desempenho:
distribuição de tarefas e quantidade de peças a serem produzidas. Após o
Layout da produção. planejamento os alunos devem executar o trabalho.  Elabora layout da planta
Fluxograma de produção. de produção.
Ao término da atividade o docente deve realizar o Ciclo de Aprendizagem
Rotinas de armazém: Vivencial (CAV) e, nas fases de generalização e aplicação, explorar aspectos  Lista os equipamentos
produtos acabados. do sistema de produção. necessários à produção
dos produtos do projeto-
Políticas de manutenção. Atividades sugeridas para responder ao desafio:
empresa.
Exposição dialogada para complementar a discussão sobre planejamento e
 Elabora o fluxograma de
controle de produção (quantidades e períodos, execução da produção,
produção.
definição e cálculo da ocupação racional e harmônica de máquinas, materiais e
das equipes de trabalho).  Elabora layout do
armazém de produtos
Atividade individual ou em subgrupo para aprimoramento do layout da
acabados.
planta de produção, listagem de equipamentos necessários à produção dos

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
70
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

produtos do projeto-empresa e fluxograma de produção.


 Descreve os insumos e os
Atividade individual ou em subgrupo para aprimoramento do layout do equipamentos necessários
armazém de produtos acabados e descrição dos insumos e equipamentos à armazenagem,
necessários à armazenagem, embalagem e expedição dos produtos acabados embalagem e expedição
e descrição das rotinas de recepção e expedição. dos produtos acabados.

Pesquisa na internet e/ou de campo para cotações de equipamentos  Descreve as rotinas de


necessários à produção e ao armazém de produtos acabados. recepção e expedição.

Entrevista ou palestra com profissionais de departamentos ou  Realiza cotações dos


empresas de manutenção para relato sobre as políticas existentes na equipamentos necessários
empresa e planejamento da manutenção corretiva, preventiva e preditiva, com à produção e ao armazém
abordagem sobre TPM – Manutenção Produção Total. de produtos acabados.

Atividade individual para elaboração de um plano de manutenção para a  Elabora um plano de


empresa do seu projeto, incluindo seleção e análise das empresas de manutenção para o
manutenção técnica, bem como análise e avaliação de custo dos serviços. projeto-empresa,
incluindo seleção e análise
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam:
das empresas de
 Layout da planta de produção e outro do armazém de produtos acabados; manutenção técnica, bem
 Indicação dos equipamentos necessários e cotações; como análise e avaliação
de custo dos serviços.
 Fluxograma de produção;

 Descritivo das rotinas do armazém de produtos acabados;

 Plano de manutenção.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
71
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Controlar as atividades de segurança patrimonial e empresarial, desenvolvendo o mapa de risco, com base na legislação.

Tema (s): Segurança Patrimonial e Empresarial

Tempo estimado: 12 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia com experiência em corretoras de seguros ou
Segurança do Trabalho.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Segurança patrimonial: Desafio: Como devo planejar a segurança patrimonial da minha empresa? Durante a realização
mapeamento dos riscos, das atividades o
Atividade exploratória: Em subgrupos, os alunos podem levantar possíveis
contratação de seguro, docente deve observar
questões relacionadas com a segurança patrimonial de diferentes espaços, por
sistema de se o aluno apresenta os
exemplo, residência de um deles, cinema, supermercado, bar noturno, etc.
monitoramento. seguintes indicadores
Com base nesse levantamento, o docente pode levantar questões que de desempenho:
Norma Regulamentadora –
remetam à necessidade de planejar a segurança patrimonial da empresa.
NR 23  Indica elementos que
Atividades sugeridas para responder ao desafio: devem constar de um
Exposição dialogada sobre aspectos que envolvem a área de patrimônio e plano de segurança
seguros: objetivos, normas regulamentadoras – NRs – existentes e política da patrimonial para o seu
área. projeto-empresa.

Mesa redonda com profissionais de seguradoras para discussão sobre  Levanta e faz cotação dos
políticas de segurança patrimonial. equipamentos de
segurança necessários ao
Atividade individual e apresentação em plenária sobre levantamento e seu projeto empresa, com
indicações do que deve constar de um plano de segurança patrimonial para o base nas NRs pertinentes.
seu projeto-empresa.
 Calcula os investimentos
Pesquisa na Internet e/ou de campo para levantamento e cotação dos necessários para
equipamentos de segurança patrimonial. Como apoio para esta atividade os implementação do plano

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
72
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

alunos devem consultar as NRs pertinentes. de segurança patrimonial


para o seu projeto-
Atividade individual para aprimoramento do layout da empresa, de modo a
empresa.
garantir a conformidade das instalações com relação às NRs pertinentes.
 Elabora layout da
Atividade de campo para pesquisa de mercado e comparação de preços e
empresa de modo a
condições na contratação de seguros.
garantir a conformidade
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam: das instalações com as
 Layout e indicações dos equipamentos e investimentos necessários a um NRs pertinentes.
plano de segurança patrimonial para a empresa do seu projeto;  Realiza pesquisa de
 Levantamento de apólices de seguros para o projeto-empresa. mercado para contratação
de seguros.
As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para
subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Determinar os custos e as despesas relacionadas à compra, à produção/operação, à estocagem e à distribuição de


produtos e à manutenção para contribuir com a melhoria da rentabilidade da empresa.

Tema (s): Custos Logísticos

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou Engenharia de Produção com experiência em
Logística/custos.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
A logística e os princípios Desafio: Como melhorar o desempenho logístico e contribuir para o aumento Durante a realização
de rentabilidade da rentabilidade do meu projeto-empresa? das atividades o
empresarial. docente deve observar
Atividade exploratória: Dividir os participantes em dois subgrupos para
se o aluno apresenta os
Custos logísticos. que defendam pontos de vista diferentes: um defende a produção de bijuterias
seguintes indicadores
para venda em lojas populares e outro para venda em loja de alto padrão. As

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
73
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

posições podem ser trocadas. O docente deve mediar o debate com questões de desempenho:
que remetam aos custos logísticos.
 Descreve a relação dos
Atividades sugeridas para responder ao desafio: custos logísticos
resultantes das
Exposição dialogada baseada no debate realizado para complementação
aquisições, manutenção
sobre custos logísticos e desenvolvimento de indicadores de rentabilidade
de estoques de insumos,
relacionados com os custos das operações logísticas.
produção, estoque de
Atividade individual para execução de planilhas e discussão em plenária produtos acabados e
para descrição dos custos logísticos, resultantes das aquisições, manutenção distribuição.
de estoques de insumos, produção, estoque de produtos acabados e
 Elabora planilhas
distribuição. Na discussão o docente deve intervir para explicar formas
demonstrativas dos
possíveis de redução de custos, incluindo a noção de custos de oportunidade.
custos logísticos.
Atividade individual para aprimoramento das planilhas, introduzindo ações
 Aplica soluções criativas,
que permitam reduzir custos logísticos. O docente deve instigar os alunos a
mas realistas para
aplicar soluções criativas, mas realistas, de acordo com o seu projeto
redução de custos
empresa.
logísticos do seu projeto-
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam planilhas demonstrativas empresa.
dos custos logísticos resultantes das aquisições, manutenção de estoques de
insumos, produção, estoque de produtos acabados e distribuição.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
74
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Executar procedimentos de qualidade baseado nos padrões das normas ISO, inclusive os relativos ao meio ambiente.

Tema (s): Procedimentos de Qualidade

Tempo estimado: 12 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou Engenheiro de Produção.


Avaliação/Indicadores
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
de Desempenho
Gestão da qualidade Desafio: Será que os meus produtos têm qualidade? Será que são "amigos do meio Durante a realização
total. ambiente" ou "ecologicamente corretos"? das atividades o
docente deve
Noções sobre Atividade exploratória: O docente solicita aos alunos que mencionem um produto /
observar se o aluno
certificação de serviço que acreditem ter qualidade e justifiquem, levantando questionamentos que
apresenta os
qualidade: Normas ISO remetam à ideia de que a qualidade é determinada pelo mercado.
seguintes
9000.
Sugestões de atividades para responder ao desafio: indicadores de
Noções sobre desempenho:
Exposição dialogada com discussão de exemplos para discutir o que é qualidade,
certificação ambiental:
incluindo aspectos como a localização de desvios indesejáveis em relação ao que é  Define, em cada etapa
Normas ISO 14000.
esperado pelos clientes / consumidores, atrasos nas entregas, procedimentos do ciclo logístico, os
complexos, eficiência de máquinas abaixo do esperado. Deve-se, ainda, enfatizar a procedimentos que
necessidade de busca constante da satisfação do cliente – pois nem sempre um podem ser
produto fabricado sem defeitos atende um consumidor, se as características e padronizados e que
especificações dos produtos estão de acordo com as expectativas do cliente ou se as devem ser
superam e, posteriormente, concluir com a necessidade de se estabelecerem padrões monitorados para
nos processos para concretizar tais objetivos. As condições que devem ser cumpridas garantir satisfação dos
pelo fornecedor em uma entrega JIT (Just in Time) podem ser usadas como exemplo, clientes.
pois orientam sobre a padronização dos produtos e serviços e a necessidade de não
 Indica melhorias a
se verificar defeitos, evitando a parada da linha de montagem e o retrabalho.
serem implementadas
Atividade individual para determinação, em cada etapa do ciclo logístico, dos na empresa.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
75
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

procedimentos que podem ser padronizados e que deverão ser monitorados de forma
 Propõe alterações
a garantir satisfação nos clientes. Nesta etapa o aluno deverá consultar artigos e
pertinentes para o
pesquisar na internet sobre as normas ISO 9000.
projeto-empresa com
Estudo de caso para discutir questões de gestão ambientalmente correta. Pode base nos conceitos
focar a necessidade de armazenagem especial para produtos especiais ou de referenciados nas
correção de processos produtivos para evitar poluição e desperdícios. As discussões normas ISO 9000 e
devem permitir que o aluno conclua que, evitando desperdícios, as empresas 14000.
também ganham, pois podem fazer mais produtos com a mesma quantidade de
matéria-prima.

Apresentação e discussão de trechos do filme: como alternativa para a


atividade acima, podem ser apresentados, por exemplo, trechos do documentário
"Uma Verdade Incoveniente" com Al Gore (direção de Davis Guggenheim, 2006).

Atividade em subgrupo para pesquisa e descrição de possíveis aspectos / impactos


ambientais decorrentes das atividades logísticas, incluindo a produção do projeto-
empresa e a proposição de medidas de controle. O docente pode sugerir a consulta
na Internet às normas ISO 14000.

Os alunos que trabalham com empresas já existentes poderão estabelecer um plano


de melhorias a ser implementado.

Nota ao docente: não se pretende que os alunos aprendam a executar processos


de certificação de qualidade ou de certificação ambiental, mas tão somente que
tenham as noções da utilidade da padronização numa possível certificação de
processos, da utilidade no cumprimento das normas ambientais e de como esse fato
agrega valor ao consumidor e se reflete no desempenho empresarial.

Síntese: Ao final desta etapa, alunos revisam relatórios descritivos do ciclo logístico
da empresa do seu projeto, apontando alterações pertinentes de forma a adaptá-los
aos conceitos referenciados nas normas ISO 9000 e 14000.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
76
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Planejar operações de importação e exportação, identificando as particularidades das operações de compra e venda.

Tema (s): Operações do Comércio Internacional

Tempo estimado: 16 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou Economia com experiência em Comércio Exterior.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Negociação Desafio: Quais procedimentos que devo adotar se quiser comprar ou vender Durante a realização
intercultural. produtos /serviços do meu projeto-empresa do/para o exterior? das atividades o
docente deve observar
INCOTERMS. Atividade exploratória: O docente pode propor uma simulação, dividindo o
se o aluno apresenta o
grupo em quatro subgrupos, fornecendo as informações necessárias (taxa de
Logística Internacional. seguinte indicador de
importação e exportação de cada país). Um primeiro exportará produtos do Brasil
Pagamentos desempenho:
para o segundo que será o importador nos Estados Unidos; o terceiro será o
Internacionais. importador no Brasil e o quarto o exportador da China. Os subgrupos simularão a  Define os procedimentos
Tributos em Comércio compra e venda de produtos desde a negociação até a entrega dois a dois e os de importação e
exterior. que não participarem serão os observadores e comentarão. No final de cada exportação necessários
simulação, os observadores leem os relatórios sobre a forma como o processo foi para que o projeto-
conduzido. empresa atue em
comércio exterior.
Sugestões de atividades para responder ao desafio:

Sugestão de leitura do capítulo 24 do livro Administração.

Exposição dialogada: O docente formula questionamentos que remetam às


fragilidades possíveis de ocorrer durante o processo de negociação internacional
(diferenças culturais e procedimentos de comercialização) observando os
seguintes aspectos: negociação (diferentes culturas, diferentes horários,
diferentes moedas);  local de entrega de mercadorias e quem paga seguro e
transporte – INCOTERMS;  logística de todo o processo (transporte, seguro,

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
77
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

aduana, verificação de mercadoria);  pagamento de tributos na importação e na


exportação.

Como estratégia alternativa o docente poderá incentivar os alunos a trabalharem


com exportação no seu projeto-empresa (os alunos que trabalhem em empresas
de serviços poderão formar grupo centrado em empresas de produto), alargando
assim o seu mercado e devendo pesquisar (internet) preços para produtos
similares e preços de transporte. Sugerir a utilização, sempre que pertinente, do
exportafácil e o Sedex Mundi dos correios.

Notas ao docente:

1. Estas atividades deverão ser executadas com base nos projetos-empresa,


devendo as de exportação ter como base empresas produtoras; já as de
importação podem ter como base empresas comerciais ou produtoras.

2. Os aspectos de importação e exportação deverão ser tratados nesta etapa de


forma não muito profunda; assim sugere-se que se dê ênfase à etapa 
efetuando comparações com situações do mercado interno; na etapa  o
docente deverá salientar a necessidade dos INCOTERMS, referindo somente
os termos EXW, FOB, CIF e C+F; na etapa deverá aprofundar os tipos de
transporte normalmente utilizados – capacidade, vantagens e inconvenientes
de cada modal - referir o transporte em contêineres e os seguros de
transportes; na etapa os tributos devem ser referidos de forma genérica e
ser enfatizado a não incidência ou isenção de certos tributos nas operações
de exportação.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório com procedimentos


a serem utilizados em operações de importação ou exportação.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final do Módulo, os alunos devem sistematizar todos os itens previstos para o projeto nesta etapa. Para
acompanhamento do processo e melhoria contínua devem fazer apresentações relativas a esta etapa do projeto.

MÓDULO IV- LOGÍSTICA EMPRESARIAL


VERSÃO 3 – JULHO 2012
78
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo V – Recursos Humanos- 160 horas

Neste módulo o aluno desenvolve competências relativas à administração e desenvolvimento de pessoal mediante
conhecimentos da legislação trabalhista, previdenciária, sindical e conceitos de técnicas de liderança e motivação que
permitam consolidar a cultura empresarial e melhorar o clima organizacional. Pode ser desenvolvido isoladamente ou em
concomitância com o módulo I e/ou II e/ou III e/ou IV e/ou VI.

Orientações para o Projeto no Módulo


O Projeto de Recursos Humanos, construído ao longo deste Módulo, envolve a caracterização da política de pessoal a ser
adotada e a definição do quadro de pessoal necessário à implantação da empresa com descrição de cargos e orçamento da
área.
Aos alunos que estão cursando a habilitação completa, o projeto de Recursos Humanos integra o Projeto de Administração.
No decorrer do Módulo as seguintes produções devem compor o portfólio dos alunos:
 Anúncio para preenchimento de um cargo da empresa.
 Fluxo de contratação de empregados para o seu projeto-empresa.
 Quadro de pessoal do projeto-empresa.
 Folha de pagamento para a empresa.
 Planilha de encargos com pessoal (remuneração + encargos sociais).
 Relatório indicando as NRs pertinentes a sua atividade e medidas que a empresa deve tomar para se adaptar à legislação
de segurança e saúde do trabalho.
 Indicação de ações para promoção de um bom clima organizacional.
 Indicação de ações que objetivem aumentar a motivação nos empregados e fortalecer a cultura empresarial.
 Descrição de um cargo.

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
79
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Modelo de processo seletivo.


 Plano de treinamento para os funcionários do seu projeto-empresa com planejamento de cronograma, logística e seus
custos.
Competência: Promover ações que contribuam para a melhoria do clima organizacional, considerando modelos de gestão e aplicando
técnicas específicas de negociação e de administração do tempo.

Tema (s): Clima Organizacional

Tempo estimado: 20 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Psicologia com experiência em Recursos Humanos – psicologia organizacional.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Modelos de gestão Desafio: O que posso propor no meu projeto-empresa para promover um Durante a realização
bom clima organizacional? das atividades o
Clima organizacional.
docente deve observar
Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, o
Comunicação se o aluno apresenta os
docente pode apresentar trechos de filme que trate de relações no trabalho,
(organizacional e seguintes indicadores
por exemplo, "O segredo dos animais" (direção de Steve Oedekerk, 2006) ou
assertiva). de desempenho:
Fábrica de loucuras (direção de Ron Howard, 1986), remetendo a questões
Técnicas de negociação de sobre clima organizacional, envolvendo aspectos psicossociais, culturais e de  Indica ações que possam
conflitos. cidadania, bem como conceito de saúde integral. fomentar a melhoria do
Administração do tempo. clima organizacional no
Sugestões de atividades para responder ao desafio:
projeto-empresa.
Gerenciamento de Sugestão de leitura prévia dos capítulos 12, 17 e 18 do livro Administração.
estresse.  Dimensiona os custos de
Estudo de caso de empresas avaliadas como as melhores para se trabalhar, melhoria de clima para
como por exemplo, as publicadas pela Revista Exame, para discutir a relação cada ação proposta.
entre clima organizacional e produtividade, satisfação dos clientes e maior
 Aplica técnicas de
rentabilidade para a empresa. O docente deve explorar aspectos que podem
negociação em situações
tornar o clima mais "saudável" e contribuir para o bem-estar dos empregados,
de estresse laboral.

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
80
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

tais como programas de ginástica laboral, programas sociais e culturais, apoio


 Indica formas para
à formação continuada, etc.
administrar o tempo,
Atividade em grupo com exposição dialogada envolvendo modelos de visando a melhoria de
gestão e melhoria do clima na empresa. Os grupos devem descrever as clima na empresa.
dificuldades encontradas referindo, principalmente, os possíveis conflitos, o
 Adota técnicas para
estresse e os tempos não produtivos que vivenciaram nas empresas. Os
promover comunicação
grupos devem propor possíveis soluções para as dificuldades relatadas. Como
eficaz.
alternativa podem ser utilizados jogos de empresa.

Atividade individual e discussão em plenária para indicação de ações que


fomentem a melhoria do clima organizacional no projeto-empresa. É
importante que os alunos levantem os custos de cada ação proposta.

Dramatização/simulação para trabalhar técnicas de negociação, em


situações de estresse laboral e formas de administrar o tempo, relacionando
estes aspectos com a melhoria de clima na empresa. Podem, também, ser
introduzidos jogos de empresa.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem apresentar relatório indicando
ações para promover um bom clima organizacional da empresa do seu projeto.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
81
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Conduzir reuniões com os trabalhadores para negociar e dirimir conflitos, com base nos princípios de liderança e
motivação, tendo em vista o fortalecimento da cultura empresarial.

Tema (s): Resolução de Conflitos

Tempo estimado: 16 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas ou em Psicologia com experiência em Recursos Humanos.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Tipos e Técnicas de Desafio: O que posso propor no meu projeto-empresa para aumentar a Durante a realização
reunião. motivação dos empregados e fortalecer a cultura empresarial? das atividades o
docente deve observar
Liderança: estilos de Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, pode
se o aluno apresenta os
liderança. ser proposta dramatização/simulação, dividindo a turma em dois grupos, um
seguintes indicadores
para dramatizar uma reunião para decisão de um problema hipotético
Motivação: aspectos de desempenho:
(sugerido pelo docente) e o outro para anotar os diversos aspectos da reunião
motivacionais que
– falta de pauta, assuntos discutidos várias vezes, falta de direção, conflitos  Destaca aspectos a serem
interferem no trabalho.
entre participantes. Após a vivência deve-se proceder ao Ciclo de considerados no
Cultura empresarial. Aprendizagem Vivencial – CAV. planejamento de
reuniões, indicando os
Sugestões de atividades para responder ao desafio:
papéis e as
Atividade em subgrupo com discussão em plenária sobre aspectos a responsabilidades que
serem considerados no planejamento de reuniões, quais os papéis e as devem ser atribuídos e o
responsabilidades que devem ser atribuídos e o processo de comunicação processo de comunicação
desejável. Devem ser explorados aspectos sobre a diferença entre tomada de desejável.
decisões com base em informação individualizada e em informação trabalhada
 Aplica técnicas de
em grupo. Esta atividade pode ser complementada com a leitura e discussão
reuniões em situações
de artigos publicados em revistas especializadas ou sites da internet.
simuladas.
Dramatização/Simulação: o grupo pode refazer a reunião, dessa vez
 Indica as características
introduzindo planejamento, distribuição de tarefas e responsabilidades e

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
82
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

adoção de técnicas para a comunicação eficaz. que compõem o perfil de


um líder.
Jogos e Vivências que permitam trabalhar a liderança na realidade da gestão
moderna e a diferença entre poder hierárquico e liderança. Com base na  Indica ações para o seu
vivência, os alunos podem desenhar o perfil do líder, ressaltando os traços projeto-empresa que
mais marcantes. Na sequência o docente pode sugerir uma pesquisa sobre possam estimular a
estilos de liderança e a forma como decorre o processo decisório em cada um, motivação nos
de modo que os alunos relacionem liderança / motivação / percepção: atitudes empregados.
e comportamentos.

Sugestão de leitura prévia capítulo 14 do livro Administração.

Atividade individual e apresentação em plenária de relatório indicativo de


ações para o seu projeto-empresa que possam estimular a motivação nos
empregados.

Dramatização/Simulação: envolvendo diálogo entre um empregador ou


executivo e um empregado, em que este levará um problema pessoal ao
empregador e procurará obter soluções. Os colegas anotam o desenvolvimento
do diálogo e, em plenária, expõem as suas conclusões que serão mediadas
pelo docente com foco nos conceitos de liderança, motivação e comunicação.

Exposição dialogada para discutir motivação, identidade corporativa e


sustentabilidade no desenvolvimento da empresa.

Sugestão de leitura prévia do capítulo 13 do livro Administração.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório indicando ações


que objetivem aumentar a motivação nos empregados e fortalecer a cultura
empresarial.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
83
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Executar os procedimentos de administração de pessoal, mobilizando conhecimentos, habilidades e atitudes relacionados
às atividades da área, tais como admissão de empregados, jornada de trabalho, folha de pagamento, encargos sociais, férias e rescisão de
contrato de trabalho, orientação aos funcionários e relação com órgãos oficiais e de classe, respeitando a legislação trabalhista,
previdenciária e sindical.

Tema (s): Administração de Pessoal

Tempo estimado: 40 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia, Direito, Ciências Contábeis com experiência
em Recursos Humanos – administração de pessoal.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Administração de pessoal. Obs.: Para as atividades que envolvam elaboração de planilhas deve-se prever Durante a realização
uso de Laboratório de Tecnologia. Para os exercícios previstos também serão das atividades o
Tipos de contratação:
necessárias calculadoras. docente deve observar
Autônomo, pessoa jurídica,
se o aluno apresenta os
terceirizada, cooperativa, Desafio: Como devo compor o quadro de pessoal do meu projeto-empresa?
seguintes indicadores
CLT, estagiário, aprendiz e Como admitirei os meus empregados? Quais procedimentos de administração
de desempenho:
trainee. de pessoal deverei aplicar?
 Identifica vantagens e
Procedimentos e Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, o
desvantagens sobre as
documentos de admissão docente pode solicitar aos alunos que estejam empregados que descrevam
formas de contratação de
de pessoal. como foi o seu primeiro contato com a empresa, o registro em carteira, como
pessoal.
era seu contrato de trabalho, como foi a sua integração, o primeiro recibo de
Jornada de trabalho e
pagamento, as primeiras férias e relatos sobre rescisão do contrato de  Escolhe as melhores
procedimentos de controle
trabalho. formas de contratação
da assiduidade.
para o seu projeto-
Atividades sugeridas para responder ao desafio:
Folha de pagamentos, empresa.
composição, encargos Atividade individual para esboçar o quadro de pessoal da empresa, tendo
 Preenche corretamente os
sociais e cálculos de como base as produções já realizadas neste módulo, incluindo análise de
documentos relativos à
salário-base, horas extras, necessidades de terceirização. Os alunos devem estruturar um quadro de
admissão de pessoal e

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
84
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

descanso semanal pessoal, sempre que possível baseado em convenções coletivas referentes à reconhece suas
remunerado, comissões, área de atuação do projeto-empresa. finalidades.
adicional de insalubridade,
Exercícios para preenchimento de documentos relativos à admissão de  Desenha o quadro de
adicional de
pessoal, tais como carteira de trabalho, contrato de trabalho, ficha de registro, horário de trabalho dos
periculosidade, adicional
termo de responsabilidade para concessão de salário-família, declaração de funcionários para o seu
noturno, salário-família,
encargos de família para fins de imposto de renda, acordo para compensação projeto-empresa,
INSS, imposto de renda,
de horas, cadastramento no PIS e declaração de opção por vale-transporte. considerando as leis
vale-transporte,
Estes documentos estão disponíveis em papelarias. trabalhistas e convenções
contribuição sindical,
coletivas.
adiantamento salarial, Exposição dialogada para apresentação dos instrumentos mais utilizados no
faltas, atrasos e outros. apontamento da presença dos empregados e da importância e implicações  Realiza os cálculos
para a realização de um registro que atenda as necessidades do empregado e pertinentes à folha de
 13º salário e Férias.
do empregador. Incluir discussão sobre os aspectos legais: leis trabalhistas e pagamento da empresa.
 Rescisão de contrato convenções coletivas de trabalho. É interessante que o docente se refira às
 Preenche os documentos
de trabalho. conquistas que definem jornada de trabalho (máxima) e os acordos realizados
utilizados para o
por certas categorias que preveem jornada mais reduzida.
 Legislação trabalhista, recolhimento dos
previdenciária e Exposição dialogada para apresentação de softwares pertinentes a área de encargos sociais
sindical. Administração de pessoal e de folhas de pagamento de empresas. incidentes sobre a Folha
de Pagamento.
Atividade individual para elaboração de folha de pagamento, incluindo
cálculo dos vencimentos e descontos e a sua compreensão para o atendimento  Calcula os encargos que a
aos empregados quanto às dúvidas relativas aos seus recibos de pagamento O empresa terá com 13º
docente pode apresentar situações hipotéticas para a realização dos cálculos salário dos empregados.
necessários.
 Calcula encargos que a
Como atividade alternativa o docente apresenta um holerite (ou utilizar empresa terá com as
holerites trazidos pelos alunos) onde constem as diferentes rubricas de que é férias dos empregados.
composto o salário de um empregado e pedir aos alunos que analisem cada
 Realiza as etapas e os
rubrica.
procedimentos de
Como resultado desta atividade o aluno deve executar uma planilha onde rescisão de contrato de
demonstre a folha de pagamentos introduzindo situações de horas extras, trabalho.

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
85
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

adicional de insalubridade, faltas, adicional noturno, comissões, contribuição


sindical, salário família etc em seu projeto-empresa.

Pesquisa e exposição dialogada: Utilizando folha de pagamento para que


os alunos destaquem os encargos sociais, remetendo à pesquisa Internet e
exposição dialogada para identificar quais os encargos do trabalhador e da
empresa e a razão de ser de cada desconto. Atividade individual para o
preenchimento dos documentos utilizados para o recolhimento dos encargos
sociais incidentes sobre a Folha de Pagamento: Guia da Previdência Social
(GPS), Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), Guia de
Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana (GRCSU), Guia de Recolhimento
do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP).

Para subsidiar os participantes, é importante que o docente oriente pesquisas


na Internet ou em material para consulta mantido em sala de aula:
documentos legais, tabelas de IRRF e INSS, artigos de jornais, entre outros.

Atividade em subgrupo para cálculo dos vencimentos e descontos que


integram o 13º Salário dos empregados. O docente pode apresentar várias
situações hipotéticas para que os participantes realizem cálculos de 13º
salário, considerando salário-base, média de horas extras, média de
comissões, integração de adicionais de insalubridade, periculosidade e
noturno, INSS, IRRF e outros, além de esclarecimentos sobre banco de horas.
Esta atividade deve incluir consulta a CLT.

Atividade em grupo para cálculo dos vencimentos e descontos que integram


a remuneração das férias. O docente pode fazer uso de exemplos diversos,
apresentando problemas para que os participantes façam os cálculos de
salário-base, média de horas extras, média de comissões, integração de
adicionais de insalubridade, periculosidade e noturno, terço constitucional de
férias, INSS, IRRF e outros, e o lançamento dos respectivos valores em Folha
de Pagamento. Esta atividade deve incluir consulta a CLT.
Atividade individual para acrescentar à folha de pagamento, anteriormente

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
86
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

executada, os encargos que a empresa terá com 13º salário e férias dos seus
empregados. Para esta atividade os alunos devem consultar a CLT no que se
refere aos períodos aquisitivo, concessivo e de gozo, prazos para pagamento
aos empregados e cálculos.

Atividade individual para efetuar uma planilha onde constem os encargos


totais com pessoal – remuneratórios, sociais e sindicais – da empresa do seu
projeto.

Simulação/ Dramatização de situação que envolva rescisão de contrato de


trabalho incluindo as etapas e os procedimentos do processo em uma
empresa. O docente deve orientar a realização do seguinte esquema:
comunicação do desligamento com indicação do motivo da demissão,
documentos recolhidos e pagamento das verbas rescisórias.

Atividade em subgrupo e apresentação em plenária sobre os direitos e


respectivos cálculos a serem lançados no TRCT (Termo de Rescisão do
Contrato de Trabalho), com base no exemplo anterior e na legislação
trabalhista. O docente pode introduzir situações hipotéticas pedindo aos
subgrupos que calculem as verbas rescisórias para apresentação em plenária
de um dos subgrupos. Esta atividade deve incluir consulta a CLT.

Na sequência, os subgrupos devem preencher o TRCT. É importante que o


docente oriente os participantes durante os exercícios, orientando sobre os
cálculos, salientando quais os direitos dos empregados e estimulando-os a
recorrer aos documentos legais: CLT e normas e convenções coletivas de
trabalho.

Obs: No decorrer dos exercícios que envolvem cálculos, o docente deve


propiciar momentos em que os participantes façam as demonstrações do que
calcularam para discutir, reforçar um ponto, corrigir ou complementar as
informações, quando necessário.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem apresentar:

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
87
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Fluxo de contratação de empregados para a empresa do seu projeto;


 Quadro de pessoal da empresa do seu projeto;

 Folha de pagamento da empresa do seu projeto;


 Planilha de encargos com pessoal (remuneração + encargos sociais).

Obs. Cabe ao docente definir o período de elaboração das planilhas de folha


de pagamento e recolhimento dos encargos sociais.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Participar e propor ações no planejamento de treinamento e desenvolvimento de pessoas a partir da identificação das
necessidades, da leitura e interpretação de indicadores de desempenho, da análise das melhores práticas do mercado e dos processos de
avaliação de desempenho operacional.

Tema (s): Treinamento / Desenvolvimento

Tempo estimado: 64 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Psicologia com experiência em Recursos Humanos.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Remuneração (cargos, Desafio: Que ações de treinamento posso propor no meu projeto-empresa, Durante a realização das
salários e benefícios). visando à melhoria de desempenho? atividades o docente deve
observar se o aluno
Procedimentos de Atividade exploratória: Para desencadear as atividades nesta etapa, o
apresenta os seguintes
recrutamento, seleção e docente pode pedir aos alunos que coletem folhetos ou material de divulgação
indicadores de
admissão de pessoal. em sites de empresas de treinamentos e que selecionem aqueles que
desempenho:
contratariam e porquê, para problematizar os critérios adotados.
Diagnóstico de
 Prepara adequadamente
necessidades de T&D. Sugestões de atividades para responder ao desafio:
anúncio de jornal para

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
88
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

preenchimento de vaga
Avaliação de desempenho. Sugestão de leitura prévia do capítulo 25 do livro Administração.
existente na empresa.
Atividade individual: Baseado nas atividades anteriores do módulo, o aluno
 Propõe veiculação do
deve montar uma lista de cargos baseada no organograma e na Classificação
anúncio em mídia
Brasileira de Ocupações (CBO - www.mte.gov.br) para a empresa do seu
compatível com o
projeto.
público-alvo.
Pesquisa na internet, em jornais e convenções coletivas sobre as práticas de
 Indica procedimentos de
mercado para cargos, salários e benefícios.
seleção adequados.
Atividade individual com exposição dialogada: O docente pode solicitar
 Identifica planos de
aos alunos que montem anúncios para recrutar funcionários para a empresa
treinamento que poderão
do seu projeto baseados na legislação.
ser programados para
Pesquisa em jornais, revistas e internet para análise de anúncios que desenvolver os
atendam a diferentes perfis e média salarial. empregados a atingirem
Apresentação e discussão de filme. Podem ser apresentados trechos de os indicadores desejados.
filmes (sugestão dos filmes "O Diabo Veste Prada" (direção de David Frankel,  Quantifica custos
2006), "À Procura da Felicidade" (Direção de Gabriele Muccino, 2006). com referentes às ações de
Will Smith e "Homens de Honra" (direção de George Tillman Jr., 2000) para treinamento.
explorar processos de seleção de empregados.
 Elabora cronograma de
Dramatização/Simulação de uma entrevista de emprego. treinamento.
Apresentação e exposição dialogada: docente solicita aos alunos que
trabalham em empresas que utilizam avaliação de desempenho para relatar
como o processo é realizado. O docente deve apresentar um modelo de
avaliação, o critério de aplicação e feedback.
Atividade individual: docente apresenta um resultado de uma avaliação e
solicita aos alunos que estruturem um plano de ação corretiva utilizando
treinamento, apresentando o planejamento de cronograma, logística e seus
custos.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam:

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
89
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Descrição de um cargo;
 Anúncio para preenchimento de um cargo da empresa, com indicação da
mídia mais adequada para veiculação;
 Formular modelo de processo seletivo;

 Plano de treinamento para os funcionários do seu projeto-empresa, com


planejamento de cronograma, logística e seus custos.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Acompanhar as ações de saúde e segurança do trabalho, interpretando e orientando a empresa na aplicação das
disposições legais afeitas à administração de pessoal, tendo em vista as normas regulamentadoras e o tipo de atividade.

Tema (s): Saúde e Segurança do Trabalho

Tempo estimado: 20 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Técnico em Segurança do Trabalho, Engenharia de Seg. do Trabalho com experiência
em Recursos Humanos – administração de pessoal.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Segurança e Saúde do Desafio: Quais recomendações que a empresa do meu projeto deve conter Durante a realização
Trabalho, aplicados nas para que se cumpram as normas de saúde e segurança do trabalho? das atividades o
rotinas de administração docente deve observar
Atividade exploratória: docente pode apresentar uma notícia de jornal
de pessoal. se o aluno apresenta os
envolvendo um acidente de trabalho para que os alunos discutam as possíveis
seguintes indicadores
Normas regulamentadoras causas e medidas de prevenção. Pode, também, pedir aos alunos que
de desempenho:
– NRs e medidas de descrevam um ou vários acidentes de trabalho que sejam do seu
prevenção. conhecimento e provocar questionamentos sobre o papel da administração de  Identifica as NRs
pessoal na saúde e segurança do trabalho. pertinentes ao ramo de

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
90
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

atividade do seu projeto-


Sugestões de atividades para responder ao desafio:
empresa.
Pesquisa com discussão em plenária para levantamento da importância
 Propõe medidas a serem
das normas regulamentadoras para o exercício das atividades econômicas,
adotadas na empresa
com exploração das NRs existentes. Os alunos podem pesquisar no site
para sua adaptação à
www.mte.gov.br/legislacao/normas regulamentadoras ou na biblioteca da
legislação de segurança e
Unidade.
saúde do trabalho.
Atividade individual para levantamento das NRs que se aplicam ao seu
projeto-empresa e justificativa de sua indicação, incluindo especificamente a
NR 5 (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA), NR 6
(Equipamento de Proteção Individual – EPI), NR 17 (Ergonomia), NR 26
(Sinalização de Segurança), NR 7 (Programa de Controle Médico de Saúde
Ocupacional – PCMSO) ou outras relevantes ao seu projeto-empresa. Os
alunos devem elaborar um relatório com estas indicações, incluindo as
medidas que devem ser tomadas para que a empresa atue em conformidade
com a lei.
Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam relatório contendo as NRs
pertinentes a sua atividade e medidas que a empresa deve tomar para se
adequar à legislação de segurança e saúde do trabalho.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final do Módulo, os alunos devem sistematizar todos os itens previstos para o projeto nesta etapa. Para
acompanhamento do processo e melhoria contínua devem fazer apresentações relativas a esta etapa do projeto.

MÓDULO V - RECURSOS HUMANOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
91
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo VI – Finanças e Custos - 200 horas

Neste módulo o aluno desenvolve competências de administração financeira utilizando instrumentos de controle de
atividade da empresa, desenvolvendo relatórios e demonstrações contábeis, interpretando indicadores financeiros e
calculando os tributos incidentes. Pode ser desenvolvido isoladamente ou em concomitância com o módulo I
e/ou II e/ou III e/ou IV e/ou V.

Orientações para o Projeto no Módulo


O Projeto de Gestão Financeira, construído ao longo deste módulo, compreende as peças contábeis e financeiras
referentes às necessidades iniciais da empresa e à sua viabilidade econômico-financeira.
Aos alunos que estão cursando a habilitação completa o projeto de Gestão Financeira integra o Projeto de Administração.
No decorrer do Módulo as seguintes produções devem compor o portfólio dos alunos:
 Planilha com o cálculo do preço de venda dos produtos ou serviços do projeto-empresa.
 Mapa de investimentos fixos – ativos tangíveis – necessários ao lançamento do seu empreendimento.
 Quadro de depreciações.
 Planilha de despesas fixas e variáveis.
 Planilha de custos fixos e variáveis.
 Planilha de faturamento.
 Quadro de necessidades iniciais de financiamento.
 Planilha de fluxo de caixa da empresa.
 Balanço Patrimonial.
 DRE.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
92
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Cálculo do prazo médio de recebimento.


 Cálculo do prazo médio de pagamento.
 Cálculo de rotatividade de estoques.
 Determinação dos quocientes de liquidez e endividamento.
 Ciclo operacional e de caixa.
 Análise de retorno do investimento.
 Ponto de equilíbrio de vendas para o projeto-empresa.
 Taxa interna de retorno e do valor presente líquido.

Obs: As atividades realizadas neste Módulo devem ter como base o exercício contábil equivalente a um ano.

Competência: Precificar produtos e serviços, considerando os custos, tributos, juros e outras despesas, tendo em vista estudos
mercadológicos e econômicos, a política de marketing e a estratégia empresarial.

Tema (s): Precificação e Cálculo de Custos

Tempo estimado: 64 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia, Ciências Contábeis com experiência em
Finanças.
Avaliação/Indicadores
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
de Desempenho
Tributação federal, Desafio: Qual preço de venda devo fixar para os meus produtos ou serviços de Durante a realização
estadual e municipal e forma a obter a maior rentabilidade? das atividades o
impacto nos preços dos docente deve
Atividade exploratória: Para propor a questão do desafio, o docente pode
produtos/serviços. observar se o aluno
estimular uma discussão a partir dos seguintes questionamentos: Qual a razão
apresenta os
Conceito de Patrimônio. para uma calça de marca ser vendida a R$ 180,00 e sem a etiqueta o preço de
seguintes

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
93
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

venda não passar de R$ 50,00? Será que a marca vale R$ 130,00? e Será melhor indicadores de
Princípios contábeis:
vender por R$ 50,00 para um supermercado um produto que custe R$ 10,00 e que desempenho:
custos fixos, variáveis e
seja comprado pelos consumidores uma vez por mês ou um produto que custe R$
despesas.  Elabora quadro de
10,00 e seja vendido por R$ 12,00, mas que seja comprado 30 vezes por mês?
depreciações do seu
Cálculo de depreciação Deve ser explorada a noção de preço de custo e preço de venda de acordo com o
projeto-empresa.
do investimento fixo. posicionamento do produto e ainda a noção de rotatividade de produtos,
referenciando estes conceitos com a estratégia da empresa.  Elabora planilha de
Formação de preço de
custos e de formação
venda considerando Sugestões de atividades para responder ao desafio:
do preço de venda para
estudos de mercado.
Exposição dialogada a partir de problemas do cotidiano dos alunos que os produtos / serviços
permitam discutir o conceito de depreciação no ponto de vista contábil, a do seu projeto-
metodologia utilizada com relação ao prazo de vida útil e às taxas de depreciação. empresa.

Atividade individual e pesquisa na internet para produção do quadro de  Indica todos os custos
depreciações do seu projeto-empresa. O docente pode instigar os alunos a e despesas, incluindo
pesquisarem tabelas de depreciação na internet. as financeiras e
tributos, na planilha de
Pesquisa na internet e discussão em plenária sobre os diferentes regimes de
custos.
tributação.
 Elabora planilha de
Atividade Individual onde os alunos devem discriminar seus gastos
preço de venda dos
(investimentos/despesas) mensais e escrever quais são seus objetivos com cada
produtos do projeto-
um dos gastos descritos. O docente deve questionar qual foi o resultado no final do
empresa.
mês e argumentar o que de fato é importante e contribui para seu objetivo com
cada gasto.  Elabora mapa de
investimentos fixos –
Sugestão de leitura prévia do capítulo 20 e do livro Administração e solução do
ativos tangíveis –
problema proposto no final do capítulo, página 391.
necessários ao
Sugestão de leitura prévia das páginas 277 até 281 do capítulo 15 do livro lançamento do seu
Administração. empreendimento.
Exposição dialogada: docente desenvolve os conceitos de custos, despesas,  Elabora planilha de
investimentos e perdas trazendo um exemplo de uma empresa onde o docente faturamento.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
94
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

aborda os conceitos de margem de contribuição e ponto de equilíbrio.

Atividade em grupo para execução de uma planilha de custos e de formação do


preço de venda para os produtos / serviços, com indicação de todos os custos e
despesas, incluindo as financeiras e os tributos.

Atividade individual para produção de planilha de preço de venda dos produtos


da empresa do seu projeto. Esta planilha deve ser apresentada em plenária para
análise e discussão. Os alunos devem considerar (sempre que oportuno) os dados
sobre posicionamento, tamanho de mercado e outros aspectos relevantes.

Nota ao docente: No caso de alunos que não cursaram o módulo de Marketing e


Vendas, o docente deve informar, por hipótese, os elementos referentes ao
posicionamento da empresa, tamanho de mercado e todos os que sejam
necessários à determinação do preço de venda.

Atividade em grupo reunindo alunos que tenham produtos que possam ser
exportados ou importados para estabelecer planilhas de preço de venda para
produtos do seu projeto empresa. Nesta atividade o docente deve informar os
custos específicos, reafirmar a não incidência ou isenção de tributos e desenvolver
a imputação de custos fixos em processos de exportação e importação.

Atividade individual para montagem da planilha de do seu projeto empresa onde


consegue definir suas metas de faturamento.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam:

 Planilha com o cálculo do preço de venda dos produtos ou serviços do seu


projeto-empresa;
 Mapa de investimentos fixos – ativos tangíveis – necessários ao lançamento do
seu empreendimento;
 Quadro de depreciações;

 Planilha de despesas fixas e variáveis;

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
95
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Planilha de custos fixos e variáveis;


 Planilha de faturamento.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Executar fluxo de caixa e calcular taxas de juros, mobilizando conhecimentos e habilidades de cálculo financeiro e projeção
das receitas e dos pagamentos da empresa, utilizando ferramentas básicas de informática para auxiliar no processo de gerenciamento das
disponibilidades financeiras da empresa.

Tema (s): Gestão de Fluxo de Caixa

Tempo estimado: 40 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia, Ciências Contábeis com experiência em
Finanças.
Avaliação/Indicadores
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
de Desempenho
Matemática financeira: Desafio: Como poderei gerenciar o meu negócio controlando os recebimentos sem Durante a realização
capitalização simples e atrasar os pagamentos, de forma a ter a maior rentabilidade possível? das atividades o
composta; sistemas de docente deve
Atividade exploratória: Para desencadear as atividades o docente pode montar
amortização, desconto, observar se o aluno
uma situação na qual os alunos tenham de gerenciar uma quantia de dinheiro,
taxas, VPL. apresenta os
deparando-se com diferentes contextos nos quais devam tomar decisões, inclusive
seguintes
Metodologias para de realização de empréstimos ou financiamentos. Esta atividade deve gerar
indicadores de
elaboração de Fluxo de questões que remetam à necessidade de controlar o fluxo de caixa da empresa.
desempenho:
caixa.
Sugestões de atividades para responder ao desafio:
 Realiza cálculos
Exposição dialogada para discutir fluxo de caixa financeiro de uma empresa e financeiros necessários
realçar a sua utilização no processo de gestão empresarial. para a elaboração do
Atividade em grupo para desenvolver e apresentar em plenária um modelo de fluxo de caixa.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
96
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

fluxo de caixa, indicando as origens e as aplicações de recursos da empresa. Os


 Desenvolve modelo de
alunos podem comparar o seu modelo com outros existentes, visando ao
fluxo de caixa.
aprimoramento de sua proposta.
 Levanta os
Exercício em Laboratório de Informática, utilizando Excel, para elaboração de
financiamentos
uma planilha de fluxo de caixa, com base nos elementos anteriormente
necessários para o seu
identificados. O docente deve acompanhar o processo de execução e, em cada
projeto-empresa.
caso, colocar hipóteses e pedir soluções para situações de atrasos nos
recebimentos, necessidades de fundos para compras ocasionais e outras situações.  Elabora planilha de
fluxo de caixa.
Exercícios utilizando cálculos de matemática financeira. Para esta atividade
devem ser utilizadas calculadoras com função exponencial ou planilhas de EXCEL.
Sugere-se que o docente proponha exercícios que explorem exemplos do dia a dia,
como a compra de um móvel à vista ou em parcelas ou a aplicação na poupança
de determinado montante.
Exposição dialogada e exercícios para desenvolvimento de funções e cálculos
financeiros – série de pagamentos uniformes e não uniformes, sistemas de
amortização e valor presente líquido.

Atividade individual utilizando a planilha de fluxo de caixa do seu projeto-


empresa para consolidação da aprendizagem sobre funções e cálculos financeiros.
O docente deve propor simulações de situações para que os alunos indiquem
soluções baseadas na aplicação de cálculos financeiros.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos apresentam:

 Quadro de necessidades iniciais de financiamento;


 Planilha de fluxo de caixa da empresa do seu projeto.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
97
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Administrar aplicações, fontes de financiamento, contas a pagar e contas a receber com base na análise do fluxo de caixa.

Tema (s): Gestão de Fluxo de Caixa

Tempo estimado: 24 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia, Ciências Contábeis com experiência em
Finanças.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Contas a pagar, a receber Desafio: O que será mais interessante para a minha empresa: comprar Durante a realização
e tesouraria. insumos a vista com desconto ou a prazo? das atividades o
docente deve observar
Cadastro de clientes e Atividade exploratória: Com base no fluxo de caixa realizado, o docente
se o aluno apresenta os
análise de crédito. pode levantar questões que remetam à necessidade de administrar os
seguintes indicadores
relatórios financeiros.
Cobrança. de desempenho:
Sugestões de atividades para responder ao desafio:
 Determina o capital de
Atividade individual: docente deve propor atividade onde os alunos giro necessário ao
identifiquem e analisem os documentos cadastrais necessários para o processo funcionamento do seu
de crédito e cobrança. negócio.
Atividade individual para determinação do capital de giro necessário ao  Revê o fluxo de caixa e
funcionamento do seu negócio. O docente deve estabelecer diferentes padrões propõe alterações, se
de compra e de venda das mercadorias e serviços da empresa e os alunos necessário.
devem concluir sobre o capital de giro necessário e a flutuação dos custos de
capital relativos aos padrões de compra e de venda. Na sequência, os alunos
podem, se necessário, rever o fluxo de caixa, alterando os recursos
inicialmente necessários e / ou condições de compra e de venda. Uma planilha
final de fluxo de caixa deve ser produzida.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem apresentar a planilha final de

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
98
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

fluxo de caixa.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Identificar e analisar documentos contábeis e financeiros para subsidiar o processo decisório, com base na compreensão da
importância da função contábil-financeira e o seu relacionamento com as outras áreas de uma organização.

Tema (s): Índices e Ciclos Operacionais

Tempo estimado: 56 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia, Ciências Contábeis com experiência em
Finanças.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Tipos de empresas Desafio: Qual a influência que o controle das minhas receitas e dos meus Durante a realização
existentes conforme a gastos tem sobre as decisões para o meu projeto-empresa? das atividades o
constituição jurídica. docente deve observar
Atividade exploratória: Para desencadear as atividades o docente deve criar
se o aluno apresenta os
Relatórios contábeis e uma situação com dados fictícios de empresas (Balanço e DRE) de diferentes
seguintes indicadores
financeiros: Balanço, DRE ramos de atividade e propor aos alunos que analisem e cheguem a uma
de desempenho:
e fluxo de caixa. conclusão sobre a situação financeira da empresa. O docente deve levantar
questões que remetam à importância da gestão contábil-financeira.  Define o que é mais
Ativos, passivos, situação
rentável, analisando
liquida e depreciação. Sugestões de atividades para responder ao desafio:
diferentes situações.
Custos, despesas e Exposição dialogada e exercícios para desenvolver os conceitos e princípios
 Produz planilha, com os
tributação federal. contábeis da entidade e continuidade.
valores do seu projeto-
Capital de giro. Exercício individual para explorar situações cotidianas de economia empresa e os títulos de
doméstica, com montagem de planilha, para discutir conceitos de receitas, cada conta, que
Liquidez e endividamento.
custos (fixos e variáveis), despesas (fixas e variáveis), lucro bruto e represente a
Ciclo operacional e de operacional. Demonstração de

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
99
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

caixa. Resultados do Exercício –


Exposição dialogada estabelecendo analogia com processos empresariais,
DRE.
Análise da atividade: incluindo cálculo de custo de vendas e de despesas, para introduzir o conceito
prazos médios de de Demonstração de Resultados do Exercício – DRE e as contas que o  Apura o resultado de seu
recebimento, pagamento e compõem. projeto-empresa.
estoque.
Atividade em grupo para produzir uma planilha simulando o impacto da  Determina pagamento do
Análise de Retorno. entrada das seguintes variáveis: terceirização, alteração na quantidade da imposto de renda de
produção, redução de gastos e custos, entre outras. Ao longo desta etapa o pessoa jurídica em casos
docente, poderá propor exercícios em que os alunos analisem diferentes de empresas de pequeno
situações sob a perspectiva do que é mais rentável. porte ou micro-empresas.

Atividade Individual para produção de uma planilha com os valores do seu  Classifica os ativos que
projeto-empresa, com os títulos de cada conta, que represente a irão constar na fase inicial
Demonstração de Resultados do Exercício – DRE. Os alunos devem comparar do seu projeto-empresa e
suas planilhas com modelos publicados em jornais ou no site da BOVESPA, os tipos de contas do
visando aprimorar o seu modelo inicial. ativo, do passivo e o
patrimônio líquido.
Exposição dialogada e exercícios para desenvolvimento da noção de
Imposto de Renda e Contribuição Social e simulação na determinação do LAIR  Determina o prazo médio
(lucro contábil) e cálculo de lucro real e lucro líquido. Os exercícios devem de recebimento e de
possibilitar a comparação entre lucro real e presumido. Devem, ainda, serem pagamento, de
realizados os procedimentos para determinação e pagamento do imposto de rotatividade de estoques
renda de pessoa jurídica, em casos de empresas de pequeno porte ou micro- e de quocientes de
empresas. liquidez e endividamento,
ciclo operacional e de
Atividade Individual para apuração do resultado da empresa do seu projeto.
caixa e análise de retorno
Exposição dialogada para discutir a importância da função contábil- do investimento.
financeira e a sua relação com as outras áreas de uma empresa ou de
prestadores de serviços, relacionando os relatos dos alunos com a atividade
empresarial. O docente deve abordar relatório contábil e as situações de
obrigatoriedade legal na produção das demonstrações financeiras (ou
contábeis). Nesta etapa devem ser referidos os principais tipos de empresas

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
100
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

existentes no Brasil conforme a constituição jurídica.

Na sequência o docente explora aspectos básicos de imobilizado tangível e


intangível e de capital de giro para desenvolver os conceitos de patrimônio,
bens, direitos e obrigações e introduz o conceito de Balanço Patrimonial,
especificando o que é Ativo (tipos e contas), Passivo (tipos e contas) e
Patrimônio Líquido (contas).

Atividade individual para classificar os ativos que irão constar na fase inicial
do seu projeto-empresa e os tipos de contas do ativo, do passivo e o
patrimônio líquido. Os alunos podem consultar os capítulos 2 e 3 do livro Curso
de Contabilidade – para não contadores, indicado na bibliografia complementar
e encontrado em nossas bibliotecas.

Os alunos devem produzir uma planilha que represente o Balanço Patrimonial


da sua empresa, referindo os títulos, a descrição de cada conta e os dados já
disponíveis de acordo com os quadros anteriormente executados. O docente
deve analisar, em conjunto com os alunos, os "balanços patrimoniais"
atendendo à ordem de apresentação das contas.

Atividade em grupo com discussão em plenária para discutir processos


contábeis. O docente deve destacar a importância dos relatórios contábeis
não somente para os administradores e gerentes da empresa, mas também
para os investidores, fornecedores de bens e serviços, bancos, governo e
outros interessados, devendo introduzir nesta ocasião quais as atribuições e
funções do contador na coleta e produção de informações que servirão de
suporte ao processo de tomada de decisão.

Atividade em grupo para resolução do seguinte problema: o docente divide a


sala em dois grupos. Um grupo representa uma empresa que vende R$ 15.000
por mês em produtos que comprou por R$ 10.000 à vista e recebe o produto
das vendas dos seus clientes em cheque para 30 dias de prazo. O outro grupo
representa outra empresa, que vende R$ 15.000 por mês de produtos que
compra por R$ 10.000 com cheque há 30 dias e recebe à vista dos seus

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
101
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

clientes. Ambas têm despesas de funcionamento de R$ 5.000 por mês. O


docente questiona qual o capital que cada uma deve ter para gerenciar o seu
negócio. O docente deve mediar a discussão, introduzindo as noções de prazo
e de liquidez. Baseando-se nos balanços patrimoniais, deve desenvolver as
noções de capital e passivo circulante, de realizável e exigível em longo prazo
e de ativo permanente e patrimônio líquido e de capital circulante líquido.

Atividade em subgrupo com discussão em plenária com base em


balanços de empresas publicados em jornais, o docente pede aos subgrupos
que respondam a questões sobre formas e possibilidades que a empresa tem
de honrar os seus compromissos financeiros, proporções de capital próprio, de
volume de investimentos e outras correlatas, aprofundando, sempre que
oportuno, alguns conceitos como, por exemplo, endividamento, ações, etc.

Exposição dialogada para introduzir a noção de prazo médio de recebimento


e de pagamento, de rotatividade de estoques e de quocientes de liquidez e
endividamento, ciclo operacional e de caixa e análise de retorno do
investimento.

Atividade individual para determinação do prazo médio de recebimento e de


pagamento, de rotatividade de estoques e de quocientes de liquidez e
endividamento, ciclo operacional e de caixa e análise de retorno do
investimento.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem apresentar:

 Balanço Patrimonial.
 DRE.

 Cálculo do prazo médio de recebimento.


 Cálculo do prazo médio de pagamento.

 Cálculo de rotatividade de estoques.


 Determinação dos quocientes de liquidez e endividamento.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
102
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Ciclo operacional e de caixa.


 Análise de retorno do investimento.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Competência: Coletar e organizar informações quantitativas e financeiras sobre o desempenho do mercado, visando apoiar o processo de
estudos mercadológicos e econômicos.

Tema (s): Coleta e Organização de Dados

Tempo estimado: 16 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas, Economia, Ciências Contábeis com experiência em
Finanças.
Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Ponto de Equilíbrio. Desafio: Como poderei calcular e controlar os custos de forma a cumprir com Durante a realização
os objetivos estratégicos da empresa do meu projeto? das atividades o
Taxa Interna de Retorno.
docente deve observar
Atividade exploratória: Para lançar este desafio o docente pode propor uma
Valor Presente Líquido. se o aluno apresenta os
pesquisa de campo voltada para o setor referente ao projeto-empresa, com o
Tipos de Custeio. seguintes indicadores
objetivo de comparar as análises realizadas com o desempenho do respectivo
de desempenho:
setor.
 Calcula o ponto de
Sugestões de atividades para responder ao desafio:
equilíbrio da sua
Exposição dialogada sobre as possibilidades das empresas alocarem os empresa.
custos fixos aos seus produtos. O docente deve apresentar vários exemplos
 Determina a taxa interna
que permitam aos alunos entender os diferentes processos de alocação de
de retorno e do valor
custos fixos a produtos. Introduzir a noção de ponto de equilíbrio, referindo o
presente líquido da
caso particular do valor da mão de obra direta.
empresa.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
103
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Atividade individual para calcular o ponto de equilíbrio da sua empresa.


Nesta etapa o docente pode indicar aos alunos a leitura do capítulo 7 do livro
Curso de Contabilidade para não contadores. Na sequência, os alunos devem
comparar o ponto de equilíbrio de vendas com o fluxo de caixa anteriormente
produzido, devendo o docente instigá-los a pensar o que acontece na empresa
até ser atingido o ponto de equilíbrio e depois de ultrapassá-lo.

Exposição dialogada e exercícios envolvendo taxa interna de retorno e de


valor presente líquido.

Atividade individual para determinação da taxa interna de retorno e do valor


presente líquido, devendo o docente informar dados sobre taxas de desconto
desejáveis e acompanhar os procedimentos realizados pelos alunos no Excel
ou na HP 12c.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem apresentar:


 Cálculo do ponto de equilíbrio de vendas para o projeto-empresa;

 Determinação da taxa interna de retorno e do valor presente líquido.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final do Módulo, os alunos devem sistematizar todos os itens previstos para o projeto nesta etapa. Para
acompanhamento do processo e melhoria contínua devem fazer apresentações relativas a esta etapa do projeto.

MÓDULO VI - FINANÇAS E CUSTOS


VERSÃO 3 – JULHO 2012
104
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Módulo VII – Gestão Integrada - 40 horas

Este módulo prioriza a autonomia do futuro profissional por meio do estímulo à criatividade do aluno, buscando o
desenvolvimento da capacidade de inferência diante das áreas de atuação. O aluno constitui competências que favorecem
a criação de seu empreendimento, a participação no gerenciamento de empresas ou, ainda, a atuação estratégica na
prestação de serviços. Deve ser desenvolvido isoladamente, após a realização dos demais Módulos, como etapa
final do curso.

Orientações para o Projeto no Módulo


O Projeto de Gestão Integrada, construído ao longo deste módulo deverá reunir todos módulos anteriores para o
fechamento do projeto empresa.

MÓDULO VII – GESTÃO INTEGRADA


VERSÃO 3 – JULHO 2012
105
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Consolidar plano de negócios como ferramenta de gestão e organização, mobilizando conceitos e princípios de
empreendedorismo e habilidades na definição de estratégias administrativas para aumentar as chances de sucesso do empreendimento.

Tema (s): Plano de Negócio

Tempo estimado: 08 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas.


Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Plano de negócios - Desafio: Como deve ser o plano de negócios para aumentar a chance de Durante a realização
sucesso do meu empreendimento? das atividades o
Conceitos de
docente deve observar
Empreendedorismos Atividade exploratória: Depois de consolidado o esboço da empresa nos
se o aluno apresenta os
módulos anteriores, tanto do ponto de vista estratégico como do ponto de
seguintes indicadores
vista burocrático, legal e fiscal, parte-se para o desenvolvimento do plano de
de desempenho:
negócios.
 Identificar se o aluno
O desafio é preparar e posteriormente apresentar um documento com pelo
desenvolve o plano de
menos os 10 tópicos abaixo, que comporão o plano de negócio de cada aluno.
negócios utilizando-se de
1. Sumário Executivo estratégias para aumentar
2. Descrição da Oportunidade as chances de sucesso do
empreendimento.
3. Descrição da Empresa

4. Descrição dos Produtos e Serviços

5. Análise do Mercado Consumidor

6. Análise da Concorrência

7. Equipe
8. Plano de Marketing e Vendas

MÓDULO VII – GESTÃO INTEGRADA


VERSÃO 3 – JULHO 2012
106
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

9. Processo Produtivo ou de Prestação de Serviços


10. Planejamento Financeiro

Existem várias possibilidades de estruturação do plano de negócio, mas para


efeito de alinhamento sugere-se esta.

Com base no que já foi desenvolvido nos módulos anteriores, os alunos devem
preparar os seguintes tópicos:

1. Descrição da Oportunidade

2. Descrição da Empresa

3. Descrição dos Produtos e Serviços

4. Análise do Mercado Consumidor

5. Análise da Concorrência

Cabe ao docente a orientação com relação ao

 formato;

 qualidade visual;

 forma de apresentação das ideias e conceitos;

 abordagem persuasiva do texto do plano de negócios;


 assertividade do plano de negócio.

Exposição dialogada sobre Plano de Negócio - o que é e qual a sua


aplicação/importância para empreendedores - apresentação dos principais
tópicos, suas mensagens principais e como se relacionam.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem apresentar o plano de negócio


desenvolvido até esta etapa. As produções desta etapa devem ser arquivadas
no portfólio individual para subsidiar o desenvolvimento do projeto.

MÓDULO VII – GESTÃO INTEGRADA


VERSÃO 3 – JULHO 2012
107
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Competência: Analisar as diversas áreas da empresa com base na visão sistêmica da organização, na coerência intersetorial e na
estratégia empresarial para a concretização da ideia de negócio e sua sustentabilidade.

Tema (s): Visão Sistêmica

Tempo estimado: 32 horas

Formação Docente: Profissional com formação em Administração de Empresas.


Avaliação/Indicadores de
Bases Tecnológicas Situações de Aprendizagem
Desempenho
Visão sistêmica: inter- Desafio: Como posso integrar os projetos construídos ao longo do curso pra Durante a realização
relação entre as diversas compor o meu Projeto de Administração de modo que a empresa funcione com das atividades o
áreas, na perspectiva da eficácia? docente deve observar
efetivação da estratégia da se o aluno apresenta os
Atividade exploratória: Utilização do Jogo Ludo Park
empresa. seguintes indicadores
Descritivo Ludo Park: É um game de empreendedorismo que transforma a de desempenho:
Técnicas de apresentação:
sala de aula em um mercado dinâmico e competitivo. É uma solução inovadora
elaboração de slides  Integra todas as áreas da
para o ensino de gestão, estimulando o aluno através de uma intensa
(fundo do slide, cores, empresa, conformando
experiência prática de conteúdo multidisciplinar.
figuras texto, sons e um projeto de gestão
efeitos) e aspectos a Obs: Devem ser reservados 2 dias para a utilização do laboratório de empresarial.
serem considerados na tecnologia.
 Utiliza comunicação
exposição oral (verbais e Sugestões de atividades para responder ao desafio: adequada na
não verbais).
Exposição dialogada sobre os aspectos desenvolvidos durante o jogo, apresentação escrita do
evidenciando a importância da utilização de um plano de negócios como seu projeto (linguagem
ferramenta empresarial. empresarial, objetividade,
coerência, clareza e
Para desencadear a atividade o docente propõe a elaboração de uma planilha correção da língua
que estabeleça a interface entre as competências anteriormente trabalhadas e portuguesa).
as áreas funcionais, devendo o aluno assinalar os principais pontos de
integração, classificando o seu grau de importância de acordo a atividade do

MÓDULO VII – GESTÃO INTEGRADA


VERSÃO 3 – JULHO 2012
108
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

seu projeto-empresa.

Nota ao docente: sugere-se que se classifique os pontos de integração mais


relevantes com peso 3; relevância intermediária com peso 2 e pouco
relevantes com peso 1.

Atividade individual: Analisar a integração das informações e áreas do


projeto-empresa, com a mediação do docente para seu eficaz funcionamento.

Atividade individual com exposição Dialogada: docente propõe um tema


e o tempo de uma pequena apresentação para os alunos. Durante a
apresentação o docente comenta com os alunos os pontos positivos e
negativos.

Atividade individual: docente solicita aos alunos que simulem apresentações


do seu projeto, subsidiando-os com técnicas de apresentação.

Os alunos elaboram apresentações para apresentação em plenária com no


máximo 3 slides e dois minutos de duração.

Síntese: Ao final desta etapa, os alunos devem entregar relatório com sua
percepção do Jogo Ludo Park demonstrando a integração entre as diversas
áreas da empresa.

As produções desta etapa devem ser arquivadas no portfólio individual para


subsidiar o desenvolvimento do projeto.

Sistematização do Módulo: Ao final de todos os Módulos, os alunos devem ter organizado e integrado as produções arquivadas em
portfólio individual, sistematizando o Projeto. Projeto que foi construído e avaliado ao longo do processo, no decorrer dos módulos.

Cabe ao docente responsável pela orientação explicitar, aos alunos, as diretrizes da apresentação do projeto, quais recursos e ambiente
disponíveis. Recomenda-se que a Unidade convide para assistir a apresentação dos projetos, representantes de instituições relacionadas ao
tema/segmento, colegas e familiares dos alunos. Alunos de turmas em andamento também podem ser convidados.

A Unidade deve determinar o prazo para entrega do projeto, não ultrapassando a data do término do curso.

MÓDULO VII – GESTÃO INTEGRADA


VERSÃO 3 – JULHO 2012
109
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Anexo 1 – Termo de Ciência – Aulas Fora da Unidade

(MODELO)
(papel comum)

TERMO DE CIÊNCIA

Eu, ______________________________________________, RG nº.


____________, aluno (a) regularmente matriculado (a) neste Senac
xxxxxxxxxxxxxxx, no curso de Habilitação Técnica de Nível Médio em
Administração, na turma dd/mm/aaaa, declaro estar ciente que as atividades
do curso desenvolvidas em xxxxxxxxxxxxxxx serão realizadas nas
dependências do (nome do parceiro), conhecido como (nome fantasia do
parceiro), situado na rua (endereço do parceiro).

xxxxx, _____ de ___________________ de 20____.

___________________________________
Assinatura do aluno (a) ou responsável

Visto da Secretaria Educacional: ________________

ANEXO 1 – TERMO DE CIÊNCIA – AULAS FORA DA UNIDADE 110


VERSÃO 3 – JULHO 2012
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Anexo 2 - Modelo sugerido para elaboração de Planos de Aula

Unidade:

Curso Técnico:

Módulo:

1ª Aula

Docente:

Competência e Atividades Bases Tecnológicas Recursos Didáticos Indicadores de Desempenho

2ª Aula

Docente:

Competência e Atividades Bases Tecnológicas Recursos Didáticos Indicadores de Desempenho

3ª Aula

Docente:

Competência e Atividades Bases Tecnológicas Recursos Didáticos Indicadores de Desempenho

4ª Aula

Docente:

Competência e Atividades Bases Tecnológicas Recursos Didáticos Indicadores de Desempenho

ANEXO 2 - MODELO SUGERIDO PARA ELABORAÇÃO DE PLANOS DE AULA


VERSÃO 3 – JULHO 2012 111
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Anexo 3 - Modelo de Carta de Apresentação


(Papel timbrado da Unidade)

UO – ____ /XX XXX, ____/_____/2XXX


Prezado (a) Senhor (a):

O Senac São Paulo atua com uma programação para Educação Profissional e
Tecnológica que compreende cursos de Formação Inicial e Continuada, cursos
Técnicos, Especializações Técnicas de Nível Médio, Graduação e Pós-Graduação,
Programas de Extensão, Seminários, Assessoria e Consultoria.

Um dos programas oferecidos na unidade Senac XXXXXXXXXXX é o curso “Técnico


em Administração” que visa preparar e desenvolver profissionais para o mercado de
trabalho.
Desse modo, para que o nosso educando possa desfrutar de situações do real
mundo do trabalho, solicitamos autorização para a visita às dependências dessa
conceituada empresa, visando o desenvolvimento de um projeto previsto no curso
que consiste em ______________________________________, do (a) aluno (a)
XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX, RG. nº
XXXXXXXXXXXXXX regularmente matriculado (a) no curso TÉCNICO EM
ADMINISTRAÇÃO, com início em ___/___/____ e término previsto para
___/___/___,

Essas atividades deverão ser acompanhadas por profissional da área na empresa e


relatadas pelo próprio aluno, para que sejam consideradas horas de efetivo
trabalho escolar.

Na expectativa de boa acolhida ao aluno e na certeza de que essa possibilidade


contribuirá em muito para a formação dos futuros profissionais que participam do
curso, agradecemos a atenção e colocamo-nos à sua inteira disposição.

(Caso necessite de mais esclarecimentos, entrar em contato com XXXXXX pelo


telefone XXXX-XXXX ou pelo e-mail: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX).

Atenciosamente,
_________________

Diretor (a)

RG.nºXXXXXXXXXXXXXXX

ANEXO 3 – MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO


VERSÃO 3 – JULHO 2012 112
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Anexo 4 – Plano de Atividades do Estagiário


(Papel timbrado da Unidade)

PLANO DE ATIVIDADES DO ESTAGIÁRIO


Senac (nome da Unidade)
Docente Responsável pelo Estágio__________________________

Nome do aluno:________________________________________
Curso: Habilitação Técnica de Nível Médio em_____ turma: _____

Empresa: (nome da concedente)


Período do Estágio:___/___/_____ à ___/___/______
Horário do Estágio:____________ h às ___________ h

Supervisor do Estágio: __________________________________


Cargo:_______________________________________________

DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

ANEXO 4 - PLANO DE ATIVIDADES DO ESTAGIÁRIO


VERSÃO 3 – JULHO 2012 113
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

(elaborado em acordo das três partes e incorporado ao termo de Compromisso)

___________________, ___ de_____________ de 20___.

_______________ ______________
Empresa Concedente Estagiário
(assinatura e carimbo do Signatário) (assinatura)

__________________
Docente Orientador
(assinatura e carimbo)

ANEXO 4 - PLANO DE ATIVIDADES DO ESTAGIÁRIO


VERSÃO 3 – JULHO 2012 114
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

Anexo 5 - Sugestões para o Projeto


O projeto empresa será composto pelos materiais desenvolvidos ao longo dos
módulos.

PROJETO EMPRESA (nome)


Desenvolvimento do projeto

O EMPREENDIMENTO
 Descrição da ideia base do empreendimento, identificando os fatores internos e
externos que garantem maior diferenciação e sustentabilidade no seu
desenvolvimento.
 Indicação das características relacionadas com o perfil empreendedor que se
propõe a cultivar e as que se propõe a desenvolver.
 Relatório constando a missão empresarial, a visão estratégica e o código de
ética que a futura empresa irá seguir, bem como os princípios de
responsabilidade socioempresarial que se propõe a adotar.
 Descrição do organograma funcional do projeto-empresa e de um fluxograma
que defina como a informação será gerenciada.
 Relatório contendo as etapas para a abertura da empresa base do projeto-
empresa.

O MERCADO
 Relatório constando as ações internas que fomentarão a cultura voltada para o
consumidor e o papel que o marketing ocupará no projeto-empresa.
 Descrição da pesquisa de mercado e das conclusões referentes à interpretação
dos dados obtidos e, ainda, a análise dos ambientes interno e externo do
projeto-empresa.
 Descrição sobre a forma como os elementos do mix de marketing, incluindo
qual o posicionamento pretendido, será utilizada pelo projeto-empresa.
 Roteiro de vendas constando a descrição de todo o processo, desde a
preparação da venda até o fechamento, para o projeto-empresa.
 Plano de vendas com os objetivos de vendas, ações a serem executadas pela
prospecção, vendas e pós-venda e dimensão da equipe.
 Indicação dos resultados pretendidos com o planejamento de marketing e
vendas do projeto-empresa.

ANEXO 5 – SUGESTÕES PARA O PROJETO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
115
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

A LOGÍSTICA
 Esquema da cadeia logística da empresa, constando os fornecedores (matérias-
primas e subsidiárias, serviços) produção, armazenagem de produtos acabados,
distribuição.
 Layout da empresa e do armazém de insumos.
 Descrição das rotinas de armazém de matérias-primas, envolvendo as
operações de recepção de mercadorias, armazenagem e entrega à produção.
 Cotações de mobiliário e equipamentos de armazém, meios de transporte e
material de informática para tratamento da informação (software e hardware).
 Cadastro de fornecedores e indicação dos parâmetros de compra que serão
utilizados pelos compradores da empresa.
 Descrição de rotinas de acompanhamento dos processos de compra e dos
indicadores de avaliação de desempenho dos fornecedores.
 Planilha com previsão de compras de insumos e serviços necessários à
operacionalização da empresa (incluindo empresas a serem terceirizadas) com
indicações de preços de compra.
 Layout da planta de produção e do armazém de produtos acabados.
 Indicação dos equipamentos necessários e cotações.
 Fluxograma de produção.
 Descritivo das rotinas do armazém de produtos acabados.
 Plano de manutenção.
 Indicações dos equipamentos e investimentos necessários a um plano de
segurança patrimonial.
 Levantamento de apólices de seguros.
 Planilhas demonstrativas dos custos logísticos resultantes das aquisições,
manutenção de estoques de insumos, produção, estoque de produtos acabados
e distribuição.
 Indicação de alterações nos processos logísticos para adaptá-los aos conceitos
referenciados nas normas ISO 9000 e 14000.
 Relatório sobre os procedimentos a serem utilizados em operações de
importação ou exportação, quando couber.
AS PESSOAS (material complementar em apêndices e anexos)
 Anúncio para preenchimento de um cargo da empresa.
 Fluxo de contratação de empregados para o seu projeto-empresa.
 Quadro de pessoal do projeto-empresa.
 Folha de pagamento para a empresa.

ANEXO 5 – SUGESTÕES PARA O PROJETO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
116
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

 Planilha de encargos com pessoal (remuneração + encargos sociais).


 Relatório indicando as NRs pertinentes à sua atividade e medidas que a
empresa deve tomar para se adaptar à legislação de segurança e saúde do
trabalho.
 Indicação de ações para promoção de um bom clima organizacional.
 Indicação de ações que objetivem aumentar a motivação nos empregados e
fortalecer a cultura empresarial.
 Descrição de um cargo.
 Modelo de processo seletivo.
 Plano de treinamento para os funcionários do seu projeto-empresa com
planejamento de cronograma, logística e seus custos.

AS FINANÇAS
 Planilha com o cálculo do preço de venda dos produtos ou serviços do projeto-
empresa.
 Mapa de investimentos fixos – ativos tangíveis – necessários ao lançamento do
seu empreendimento.
 Quadro de depreciações.
 Planilha de despesas fixas e variáveis.
 Planilha de custos fixos e variáveis.
 Planilha de faturamento.
 Quadro de necessidades iniciais de financiamento.
 Planilha de fluxo de caixa da empresa.
 Balanço Patrimonial.
 DRE.
 Cálculo do prazo médio de recebimento.
 Cálculo do prazo médio de pagamento.
 Cálculo de rotatividade de estoques.
 Determinação dos quocientes de liquidez e endividamento.
 Ciclo operacional e de caixa.
 Análise de retorno do investimento.
 Ponto de equilíbrio de vendas para o projeto-empresa.
 Taxa interna de retorno e do valor presente líquido.

Obs: As atividades realizadas neste Módulo devem ter como base o período de um
ano.

ANEXO 5 – SUGESTÕES PARA O PROJETO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
117
HABILITAÇÃO TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO EM ADMINISTRAÇÃO

(Atenção: Documento utilizado somente para os alunos que fizeram matrícula antes da
aprovação do Plano de Curso nº 157 em 29/07/2011 e iniciarão o curso após esta
aprovação).

Anexo 6
Termo de Ciência - Mudança de Plano De Curso
(papel timbrado)

Com o objetivo de acompanhar as transformações do mundo do trabalho,


decorrentes das inovações científicas, tecnológicas ou sócio-culturais, o Senac
São Paulo se propôs a atualizar o curso Técnico em Administração para que
os alunos possam estar em sintonia com essas mudanças.

Diante disso, o Senac XXXXX informa ao Senhor (a) XXXXXXXXXXXXXX, inscrito


(a) no referido curso que, o Plano de Curso da Habilitação Técnica de Nível
Médio em Administração, aprovado pela Portaria Senac/NSE nº 32/2009,
publicado no DOE pela Portaria CEE/GP nº 284/2009, em 16/09/2009, com
início previsto para XX/XX/XXXX, foi substituído pelo Plano de Curso de
Técnico em Administração aprovado pela Portaria Senac/GEDUC - SE nº 29
de 29/07/2011.

Diante destas informações eu, ___________________________________ RG.


nº. _______________, estou ciente das mudanças ocorridas e das condições
estabelecidas para a efetivação da minha matrícula no curso, assinando este
termo proposto pelo Senac XXXXXXXXX.

De acordo: _________________________________
Assinatura do Candidato

São Paulo, ___/____/_____.

ANEXO 6 – TERMO DE CIÊNCIA – MUDANÇA DE PLANO DE CURSO


VERSÃO 3 – JULHO 2012
118