Você está na página 1de 29

UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO

FACULDADE DE CIÊNCIAS
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA

METODOLOGIA DA
INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

AULA 4

Professor: Dr. José Baiona.


OBJECTIVO AULA
No. 4
OBJECTIVO AULA No. 4

Analisar os elementos a serem


considerados para a formulação de
hipóteses de investigação.
Recordação dos conteúdos
da aula anterior...
A determinação do objecto e dos
objectivos de investigação científica

Relação essencial entre o problema, o


objecto e os objectivos de investigação.
Conceito de problema científico.

O problema se concebe como uma situação


própria do objecto da pesquisa que provoca no
sujeito a necessidade de desenvolver uma
actividade dirigida à explicar, corrigir ou
transformar a situação.

Aparece como resultado de um diagnóstico


crítico do objecto.

Em sua acepção mais simples responde a


interrogante: POR QUÊ SE PESQUISA?
RELAÇÃO ESSENCIAL
Precisão do objecto
de investigação:
O campo de acção
OBJECTO
Situação
Transforma
própria do
objecto
o objecto
(campo de acção)

solução
PROBLEMA OBJECTIVO

Estes elementos caracterizam a investigação...


A relação entre o porquê, o quê e o para quê
da Investigação Científica.

A estrutura fundamental de um problema


científico (o porquê) consiste no objecto do
problema (o quê), as condições do problema e
os objectivos do problema (para quê).

Estes componentes essenciais da estrutura são


em si mesmos as partes relativamente
autónomas do problema.
A relação entre o porquê, o quê e o para quê
da Investigação Científica.

A tríade formada pelo problema, o objecto e o


objectivo constituem um conjunto inseparável,
pois não é possível referir-se a um deles sem
fazer alusão aos outros.

O problema se manifesta no objecto, pois que o


objectivo pretende resolver o problema, ou seja,
transformar o objecto. Daqui que existe entre
estes três elementos uma relação com carácter
de lei.
CONCEITO DE HIPÓTESE

Hipóteses são suposições colocadas como


respostas plausíveis e provisórias para o
problema de pesquisa. As hipóteses são
provisórias porque poderão ser confirmadas ou
refutadas com o desenvolvimento da pesquisa.

Um mesmo problema pode ter varias hipóteses,


que são soluções possíveis para a sua
resolução. As hipóteses irão orientar o
planeamento dos procedimentos metodológicos
necessários à execução da sua pesquisa.
DETERMINAÇÃO DA HIPÓTESE
O processo de pesquisa estará voltado para a procura
de evidências que comprovem, sustentem ou refutem a
afirmativa feita na hipótese. A hipótese define até onde
você quer chegar e, por isso, será a directriz de todo um
processo de investigação. A hipótese é sempre uma
resposta possível ao problema proposto.

As hipóteses podem estar explícitas ou implícitas


na pesquisa. Quando analisamos os
instrumentos adoptados para a colecta de dados,
é possível reconhecer as hipóteses subjacentes
(implícitas) que conduziram a pesquisa.
Características das Hipóteses
 Consistência lógica: o enunciado das hipóteses não
pode ter contradições e deve ter compatibilidade com
o corpo de conhecimentos científicos;
 Verificabilidade: devem ser possíveis de verificação;
 Simplicidade: deve-se evitar enunciados complexos;

 Relevância: devem ter poder preditivo e/ou


explicativo;
 Apoio teórico: devem ser baseadas em teoria para
ter maior probabilidade de apresentar genuína
contribuição ao conhecimento científico.
Características das Hipóteses
 Especificidade: devem indicar as operações e
previsões a que elas devem ser expostas;

 Plausibilidade e clareza: devem propor algo


admissível e que o enunciado possibilite o seu
entendimento;

 Profundidade, fertilidade e originalidade: devem


especificar os mecanismos aos quais obedecem para
alcançar níveis mais profundos da realidade,
favorecer o maior número de deduções e expressar
uma solução nova para o problema.
Classificação das Hipóteses

O problema, sendo uma dificuldade sentida,


compreendida e definida, necessita de uma
resposta “provável, suposta e provisória”, que é a
hipótese.

Para Lakatos e Marconi (1991, p.104), a principal


resposta é denominada pela hipótese básica e,
esta pode ser complementada por outras,
denominadas de hipóteses secundárias.
Hipótese Básica
É a afirmação escolhida por você como a principal
resposta ao problema proposto. A hipótese básica pode
adquirir diferentes formas, tais como:
 “Afirma”, em dada situação a presença ou
ausência de certos fenómenos;
 Se refere à natureza ou características de dados
fenómenos, em uma situação específica;
 Aponta a existência ou não de determinadas
relações entre fenómenos;

 Prevê a variação concomitante, directa ou


inversa, entre fenómenos, etc.”.
Hipóteses Secundárias
São afirmações complementares e significam outras
possibilidades de resposta para o problema e
podem:
• “Abarcar” em detalhes o que a hipótese básica
afirma em geral;
• Englobar aspectos não especificados na hipótese
básica;
• Indicar relações deduzidas da primeira; decompor
em pormenores a afirmação geral;
• Apontar outras relações possíveis de serem
encontradas, etc.”
Classificação de hipóteses
As hipóteses podem ser submetidas a um intento de
classificação a fim de facilitar sua descrição e estudo:
1. Em função do momento do Processo de Investigação Científica
(PIC) em que se formula:
• Hipótese de investigação ou de trabalho (na fase
exploratória da investigação).
• Hipótese real (na fase final).
2. Com respeito a seu fim:
• Hipótese geral (Eles se relacionam com o propósito ou a
finalidade principal da investigação científica)
• Hipóteses específicas (Eles estão ligados a cada variante
causal. Em geral são monovariáveis).
3. Pelo seu vínculo com a relação causa-efeito:
• Hipótese descritiva.
• Hipótese explicativa ou causal.
Tipos Hipótese de Investigação
(Hipóteses de Trabalho)
a) Hipóteses descriptivas:
Exemplo: A receita esperada de uma empresa para o ano
2017, está entre 800 e 1200 milhões de USD.
b) Hipóteses correlacionais:
Exemplo: Quanto maior a humidade, maior é a intensidade
da corrosão.
c) Hipóteses de diferença entre grupos
Exemplo: Os projetos desenvolvidos na empresa “A” são
mais bem sucedidos do que aqueles desenvolvidos em
Empresa “B”.
d) Hipóteses de causalidade
Exemplo: O tempo que a rocha fica exposta e às condições
tropicais – húmidos molhados, são os factores que determinam
a intensidade do intemperismo físico - químico.
Classificação de hipóteses

Outra classificação de hipóteses:

 Hipóteses de investigação

 Hipóteses nulas.

 Hipóteses alternativas.

 Hipótesis estadísticas.
Como formular Hipóteses
A hipótese é uma possível resposta ao
problema da pesquisa e orienta a busca de
outras informações.

A hipótese pode ser definida como uma


suposição que antecede a constatação dos
factos.

Sua função é proporcionar explicações para


certos factos e, ao mesmo tempo, orientar a
busca de outras informações em relação à
área temática estudada.
Como formular Hipóteses

Além de fornecer explicações provisórias, as


hipóteses elaboradas funcionam como
indicadoras de um caminho a seguir, isto é, como
guias para os procedimentos em busca da
“verdadeira” solução.

Assim, a elaboração das hipóteses servirá como


um guia na investigação e auxiliará na
compreensão e elaboração dos resultados e das
conclusões da pesquisa, atingindo altos níveis de
interpretação.
Como formular Hipóteses

A pesquisa pode confirmar ou refutar a(s)


hipótese(s) levantada(s).

HIPÓTESES NÃO são perguntas, mas, SIM,


AFIRMAÇÕES.

Alguns autores utilizam a expressão “questões


norteadoras” em vez de hipóteses.
Como formular Hipóteses

A hipótese pode também ser entendida como as


relações entre duas ou mais variáveis e é preciso
que pelo menos uma delas já tenha sido fruto de
conhecimento científico.

Na formulação de hipóteses, não buscamos estabelecer


unicamente uma conexão causal (se A, então B), mas
também a probabilidade de haver uma relação entre as
variáveis estabelecidas (A e B), relação que pode ser de
dependência, de associação e também de causalidade.
Como formular Hipóteses

Forma Condicional:
 se X, então Y (X e Y são variáveis)

 se X, então Y, sob as condições “n” e “s”


(com mais de duas variáveis)

 se X 1, X 2 e X 3, então Y.

Forma Categórica
Exemplo: O elevado índice de migração de grupos
familiares carentes gera um elevado grau de
desorganização familiar.
Como formular Hipóteses

As hipóteses devem facilitar o ensaio


experimental. Portanto, não devem conter
erros de formulação, devem estar
definidas com clareza, e fazer referência à
condições realizáveis.
COMPONENTES DE DESENHO
OBJECTIVOS
OBJECTO
PARA QUÊ SE FARÁ
SOBRE QUÊ OU QUÊM SE A INVESTIGAÇÃO?
FARÁ A INVESTIGAÇÃO?
TAREFAS

QUÊ SE FARÁ PARA


ATINGIR O OBJECTIVO?
CAMPO
PROBLEMA
QUÊ PARTE DO
OBJECTO INVESTIGO?

MÉTODOS E
POR QUÊ SE FAZ
A INVESTIGAÇÃO? PROCEDIMENTOS
HIPÓTESES
COMO SE VAI REALIZAR?
PERGUNTAS
QUÊ PODE ORIGINAR CIENTÍFICAS TEMA
O PROBLEMA?
COMO É O PROBLEMA? COMO SE ORIENTA A
INVESTIGAÇÃO QUÊ PARTE DO PROBLEMA SE
QUÊ SE PODE ESPERAR VAI RESOLVER?
DO PROBLEMA? QUÊ PROBLEMAS
PARCIAIS PODEM DAR (DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA)
SOLUÇÃO DO
CONFLITO GLOBAL?
Trabalho Individual
Tema de Investigação:

 Problema Científico:

 Objecto / Campo de Acção:

 Objectivo Geral:

 Objectivos Específicos:
FIM DA AULA
4