Você está na página 1de 10

Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado.

Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL

CENTRO DE REFERÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL – CRAS – CIDADE


NOVA

MACAPÁ-AP

2017
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

ELAINE APARECIDA MALVÃO BECKMAN

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Relatório II de Estágio Supervisionado em


Serviço Social, apresentado à Universidade
Paulista, turma 103 noite I, Unidade Madeira
como requisito obrigatório para cumprimento da
Disciplina Estágio Supervisionado, sob a
Supervisão da Professora e Assistente Social
Inailza Rosário Barata Silva.

MACAPÁ-AP

2017
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

SUMÁRIO

1. INTROD UÇ ÃO ............. ............. ............. ............. ............. ............. ............. ............ 04


2. APRESENTAÇÃO E BREVE HISTÓRIO DO CAMPO DE ESTÁGIO:

CENTRO DE REFERÊNCIA DA A. S. – CRAS – CIDADE NOVA ............................. 05

3. ÁREA NA QUAL FORAM DESENVOLVIDAS AS ATIVIDADES NO

CAMPO........................ ............. ............. ............. ............. ............. ............. ............. ........ 05

4. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES REALIZADAS .... ............. ............. ............. .......... 06

4.1. ATIVIDADES RELEVANTES DETALHADAS.. ............. ............. ............. ............. .. 07

5. CONTEXTUALIZAÇÃO PRÁTICA X TEORIA............ ............. ............. ............. ....... 07

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS................. ............. ............. ............. ............. ............. .... 11

7. REFERENCIA BILBIOGRAFICA.. ............. ............. ............. ............. ............. .......... 12

ANEXOS................... ............. ............. ............. ............. ............. ............. ............. . .......... 13


Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

1. INTRODUÇÃO

O Estagio Supervisionado foi feito pela acadêmica em Serviço Social Elaine


Aparecida Malvão Beckman, cursando o 6ª semestre na Unidade madeira. O
estágio teve duração de 150 horas, início no dia 14 de Novembro de 2017 à 15 de
Janeiro de 2018 das 08:00 ás 12:00 horas, de segunda à sexta – feira, local do
estágio na Instituição Centro de Referência da Assistência Social – Cras – Cidade
Nova , situado a Rua: Rio Japurá, 458 – Perpétuo Socorro, com a supervisão da
Assistente Social Maria do Socorro Ribeiro Melo, tem como objetivo apresentar as
atividades desenvolvidas durante o estágio, junto com o assistente social,
correlacionar a teoria com a pratica.
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

2. APRESENTAÇÃO E BREVE HISTÓRIO DO CAMPO DE ESTÁGIO:


CENTRO DE REFERÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL – CRAS – CIDADE
NOVA

O Centro de Referência da Assistência Social – CRAS do Cidade Nova, já existe a


mais de três anos na Rua: Rio Japurá, 458 – Perpétuo Socorro, e abrange alguns
Bairros da Zona Norte de Macapá como:
 Pacoval;
 Laguinho;
 Canal do Jandiá;
 Perpetuo Socorro;
 Cidade Nova I e II;
 Pantanal;
 Renascer I e II;
 São Lazaro;
 Jesus de Nazaré;
 Vitoria do Renascer;

O CRAS funciona das 08:00 ás 18:00 horas, de segunda a sexta – feira.

É um sistema governamental responsável pela organi zação e oferta de serviços


da Proteção Social Básica nas áreas de vulnerabilidade e risco social. Por meio
dele, as famílias em situação de extrema pobreza passam a ter acesso a serviços
como cadastramento e acompanhamento em programas de transferência de
renda. O país conta, atualmente, com mais de sete mil unidades distribuídas pelo
território nacional.

3. ÁREA NA QUAL FORAM DESENVOLVIDAS AS ATIVIDADES NO CAMPO

As atividades desenvolvidas no Centro de Referência da Assistência Social – Cras


– Cidade Nova, Vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social e do
Trabalho, presta atendimento às famílias e aos indivíduos em situação de
vulnerabilidade social, com o objetivo de fortalecer os vínculos familiares e
comunitários. Além disso, oferece atendimento e acompanhamento às famílias
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

residentes em seu território de abrangência. Realiza, também, atividades


individuais
6

ou em grupo e encaminha para serviços de atendimento a crianças, adolescentes


e idosos, entre outras atividades.
Se desenvolve com o trabalho de Serviço de convi vência e fortalecimento de
vinculo e o PA IF juntos a famílias vulneráveis, o atendimento da instituição e de
todos os dias, das 08:00 ás 18:00 horas, o CRAS faz atendimento do CAD
(Cadastro Único do Governo Federal).

 Atendimento a demandas (Kit bebê, cesta básica) benefícios eventuais;

 Atendimento a Famílias do Programa Bolsa Família;

 Atendimento a pessoas que fazem o (Cadúnico) e uma ferramenta de coleta


de dados e informações usada para identificar as famílias de baixa renda no
país por conta dos benefícios de prestação continuada (BPC);

 Atende idoso de serviço de convivência por falecimento de vinculo

 Atendimento de crianças que fazem parte de convivência por falecimento


de vinculo;

4. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES REALIZADAS


Atividades realizadas dentro da instituição Centro de Referência da Assistência
Social – Cras – Cidade Nova, a equipe do CRAS e Multidisciplinar que trabalha no
atendimento:
 Um Psicóloga;
 Três Assistente Sociais, Visitas domiciliares e são fitas semanalmente , onde
elas vão até a residência, pra ver as condicionalidade da Bolsa Família;
 Uma educadora;
 Duas pessoas que entrevistadoras;
 Uma Socióloga;
O maior demanda do CRAS e o Cadastramento Único, a procura pelo usuário e
muito grande, por causa da inclusão do bolsa família, por causa dos benefícios das
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

novas resoluções que todo beneficiário que recebe (BPC) tem que estar
Cadastramento Único.
7

A Assistente Social ficava na recepção atendendo, dando encaminhamento.

4.1 ATIVIDADES RELEVANTES DETALHADAS

Um relato de uma Senhora, que os homens que trabalham pra CEA foram até a
sua residência e cortarão a sua energia, a mesma precisava da energia, porque
em sua residência estava o seu pai em coma, o mesmo precisava que o aparelho
permanecesse ligados, então ela recorreu ao CRAS, a Senhora vive em estrema
pobreza, o talão da energia estava vindo muito caro ela não tinha como pagar, ela
já estava devendo três talões, a mesma tentou conversar com os Senhores,
falando: “ vem ver, entra aqui pra verem as condições do meu pai”, que eles não
poderiam cortar a energia, mais mesmo assim os fizeram, a Assistente Social
aconselhou a Senhora a procurar a Defensoria Pública e denunciar o caso.

5. CONTEXTUALIZAÇÃO PRÁTICA X TEORIA

O CRAS é uma unidade de proteção social básica do Sistema Único de


Assistência Social, que tem por objetivo prevenir a ocorrência de situações de
vulnerabilidade e riscos sociais nos territórios, por meio do desenvolvimento de
potencialidades e aquisições, do fortalecimento de vínculos familiares e
comunitários, e da ampliação do acesso aos direitos de cidadania. O CRAS tem
como público prioritário em suas ações os beneficiários de algum benefício da
assistência social, como por exemplo, o Bolsa Família, Benefício de Prestação
Continuada (BPC) ou outros benefícios da Assistência Social, ou ainda famílias
em situação de vulnerabilidade social devido a fragilização dos vínculos familiares
ou com a comunidade.

O principal serviço do CRAS é o Serviço de Proteção e Atendimento Integral


à Família (PAIF), desenvolvido principalmente em grupos busca a participação da
família para promover orientações e prevenir situações de vulnerabilidade ou
violência;
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos busca reunir as


pessoas, nas suas respectivas faixas etárias, crianças e adolescentes ou idosos,
para o desenvolvimento de ações em grupos visando a prevenção a situações de

vulnerabilidade e violência, constituem-se em espaços de convivência e


fortalecimento de vínculos com a comunidade;
Serviço no domicilio para pessoas com deficiência ou idosos que não tenham
condições de buscar pelos serviços no CRAS ou na sua comunidade;
Garante acesso aos Direitos através de encaminhamentos e orientações durante
os atendimentos;

No caso de famílias em acompanhamento, realiza plano de acompanhamento


familiar: planejamento conjunto entre a(s) família(s) e profissionais (psicólogo e
assistente social) do CRAS para que a família supere suas dificuldades e alcance
seus objetivos.
Através das ações particularizadas ou em grupos com famílias usuárias dos
benefícios da Assistência Social discute temas que contribuam à vida família e ao
fortalecimento de vínculos;

Realiza ações na comunidade que estimulem à convivência comunitária,


divulgação do acesso aos direitos, a participação da comunidade na construção da
vida pública do seu território etc.

Os profissionais do Serviço Social na execução de suas funções no CRAS,


objetivando a identificação dos desafios e avanços encontrados pelos assistentes
sociais na execução da política de assistência social no CRAS de Macapá - AP.
Além disso, o atendimento ao usuário, os conflitos éticos presentes na atuação
dos profissionais e os instrumentos teórico-metodológicos e técnico-operativos
presentes na intervenção do assistente social, cumprimentos de seu Código de
ética e avaliação do atendimento que é ofertado aos usuários, bem como o
atendimento às suas demandas.

O exercício profissional contemporâneo no que diz respeito à execução das


políticas de assistência social nos Centros de Referência. Pretende-se contribuir
com uma análise crítica da realidade vivida hoje nos CRAS, a formação e
intervenção do assistente social nesse espaço.
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

As atribuições e competências do assistente social, independentemente de


seu campo sócio ocupacional são orientadas e norteadas por direitos e deveres
constantes em seu Código de Ética e na Lei de regulamentação da profissão, n°

8.662/1993 e devem ser respeitados tanto pelos profissionais como pelas


entidades empregadoras.
Os conhecimentos adquiridos, tanto na formação profissional do(a) Assistente
Social, como aqueles adquiridos no cotidiano do seu trabalho nos CRAS, é parte
do acervo de seus meios de trabalho. A forma com que são conduzidos os meios
de trabalho reflete-se no processo educativo dos sujeitos envolvidos, contribuindo,
tanto para mudar, como para conservar valores, crenças, mentalidades, costumes
e práticas que envolvem a socialização política e a efetivação de certos valores
sociais.

Dessa forma, o incentivo à participação do(a) usuário(a) no exercício do


controle social, através da informação, luta pela garantia dos direitos sociais e o
processo conjunto de reflexão com os(as) usuários(as) e outros sujeitos
envolvidos nas políticas sociais, contribui para a rearticulação e mediações de
poderes e mudanças de relações de interesse, já que a informação, a reflexão
conjunta e a luta pela garantia dos direitos sociais mobilizam para o controle social
em favor das classes menos favorecidas. Conforme Faleiros, a “[...] busca de
estratégias superpostas visa a abrir a possibilidade de uma articulação de níveis
de ação” (2002, pg. 79).
Os profissionais da assistência social do C RAS se mostram preocupados com o
atendimento ao usuário e o cumprimento das demandas apresentadas. O que nos
mostra uma aproximação dos técnicos ao Código de Ética profissional, que têm
em seus princípios fundamentais determinado:

 “Reconhecimento da liberdade como valor ético central e das demandas


políticas a ela i nerentes – autonomia, emancipação e plena expansão dos
indivíduos sociais;
 Defesa intransigente dos direitos humanos e recusa do arbítrio e do
autoritarismo;
Impresso por Kátia, CPF 710.326.906-82 para uso pessoal e privado. Este material pode ser protegido por direitos autorais e não pode
ser reproduzido ou repassado para terceiros. 27/11/2019 15:21:15

 Ampliação e consolidação da cidadania, considerada tarefa primordial de


toda sociedade, com vistas à garantia dos direitos civis sociais e políticos
das classes trabalhadoras;
 Defesa do aprofundamento da democracia, enquanto socialização da
participação política e da riqueza socialmente produzida;
10

 Posicionamento em favor da equidade e justiça social, que assegure


universalidade de acesso aos bens e serviços relativos aos programas e
políticas sociais, bem como sua gestão democrática;
 Empenho na eliminação de todas as formas de preconceito, incentivando o
respeito à diversidade, à participação de grupos socialmente discriminados
e à discussão das diferenças;
 Compromisso com a qualidade dos serviços prestados à população e com o
aprimoramento i ntelectual, na perspectiva da competência profissional;

Você também pode gostar