Você está na página 1de 34

Tópicos de Atuação Profissional

Unidade II
5 Empregabilidade

É impossível a existência de uma sociedade formada por pessoas que não


sonham. Elas estariam mortas em duas semanas (William Burroughs).

De acordo com Lena (apud BARDUCHI, 2010, p. 36) “empregabilidade é a capacidade do indivíduo
de conseguir novas oportunidades de emprego, manter‑se empregado e também conseguir promoções,
por meio de seus conhecimentos, habilidades e atitudes”.

A questão da empregabilidade é tão importante que nos Critérios de Excelência do Prêmio Nacional
da Qualidade (PNQ), que tem como finalidade premiar as organizações brasileiras com práticas de
gestão de classe mundial, as organizações candidatas são obrigadas a comprovar no critério 6, Pessoas,
item Capacitação e Desenvolvimento, que atendem ao requisito de como promover o desenvolvimento
integral das pessoas como indivíduos, cidadãos e profissionais, destacando os métodos utilizados para
orientação e aconselhamento profissional, empregabilidade e desenvolvimento de carreira.

Ainda de acordo com Lena (apud BARDUCHI, 2010, p. 35-6), algumas perguntas devem servir de
reflexão.

• Como está o mercado de trabalho onde atua?

• Há necessidade de formação no seu ramo de atividade?

• Tem experiência no ramo?

• Seu ramo de atividade está em evidência?

• Como estão as suas competências gerais e específicas?

• Como é sua rede de relacionamento, sua network?

• Quais são as suas características de personalidade?

• Como estão sua aparência e sua postura?

• Como está a sua automotivação?

• Adapta‑se facilmente a novas situações?


89
Unidade II

5.1 Currículo

Sonhos se tornam realidade. Sem essa possibilidade, a natureza não nos


incentivaria a tê‑los (John Updike).

Quando o profissional define o que quer na vida e o que quer na carreira, é o momento de elaborar o
seu currículo ou revisar aquele já utilizado em ocasiões anteriores. A elaboração do currículo é vital para
o sucesso profissional, pois é o primeiro contato do candidato com a organização almejada. Existem
vários modelos de currículo, e o profissional deve elaborá‑lo levando em conta o perfil da vaga.

A organização, por meio dos seus prepostos das áreas de recrutamento, recebe diariamente dezenas
e até centenas de currículos; quanto mais objetivo o currículo, maiores as possibilidades de passar para
a etapa de entrevista.

Assim, é importante personalizar o máximo possível o currículo para a vaga pretendida, dando
destaque para os aspectos favoráveis e para as competências. Daí a importância de um projeto de
carreira compatível com o projeto de vida, sabendo para onde está indo.

É necessário prospectar o mercado, a área em que atua, as organizações pretendidas, as necessidades


e expectativas dessas organizações, focando nas oportunidades pertinentes, de forma que envie o
currículo personalizado e adequado à vaga.

Destaque os resultados favoráveis que conseguiu nas organizações onde atuou. Evidencie as
melhorias implantadas, sejam elas de processos, redução de custos, crescimento do faturamento,
redução de prazos de recebimento. Demonstre os valores agregados para as organizações anteriores
e/ou atual e nos trabalhos feitos.

Atualmente, as organizações procuram profissionais que conheçam seu próprio potencial e saibam
o que querem, deixando claros os seus objetivos profissionais. Cuidado para não ser prolixo, dispersando
ao focar os objetivos, demonstrando uma falta de objetividade.

Saiba o que quer, selecione as oportunidades e leve em conta o seu projeto de carreira, seja sucinto
e objetivo, porque o currículo é uma espécie de vitrine. Assim como não se coloca todos os itens da loja
na vitrine, não se deve detalhar toda a vida profissional. Escreva apenas o essencial.

Caso tenha uma experiência significativa, limite‑se aos últimos quatro ou cinco empregos. O
currículo é a vitrine do profissional e precisa chamar a atenção do recrutador para que fiquem claros
a competência do profissional e o valor que o candidato poderá agregar para a organização. Logo, o
profissional só deve descrever as informações que agregarem algum valor profissional.

Ao concluir o currículo peça que, pelo menos, duas pessoas revisem o texto, para eliminar os erros de
português. Erros de grafia dão uma imagem de desleixo e falta de interesse em estudar e se desenvolver,
o que pode impactar de forma negativa a imagem do candidato.

90
Tópicos de Atuação Profissional

Segundo Osaki (apud BARDUCHI, 2010), os seguintes erros devem ser evitados ao escrever o currículo:

• não use de modelos de currículos-padrão comprados no comércio;

• não é necessário escrever no início do currículo Curriculum Vitae, pois a forma do documento já
dá esse entendimento;

• não escreva vários objetivos;

• não é conveniente colocar os dados dos documentos, nem anexar cópias de documentos, diplomas,
certificados e assemelhados; caso sejam solicitados, apresente‑os na entrevista;

• não é de bom alvitre colocar o salário pretendido, a não ser que seja exigência obrigatória;

• não descreva todo o histórico escolar, cite apenas o último nível concluído (fundamental ou
médio ou superior);

• não envie foto, apenas se for obrigatório;

• não é necessário mencionar os motivos de desligamento das organizações anteriores, só responda


se for indagado nas fases seguintes do processo seletivo;

• não utilize desenhos, molduras e outras representações gráficas;

• não escreva no currículo informações que não podem ser comprovadas;

• não tente vender uma imagem pessoal ou profissional que não tem nada a ver com a realidade;

• não abrevie palavras e jargões específicos de certas empresas.

Portanto, um currículo deve ter as seguintes informações:

Dados pessoais

• Coloque o seu nome completo no início do currículo, de preferência em caixa-alta.

• Endereço completo.

• Telefone (colocar o horário que pode atender, inclusive celular; no caso de telefone para recados,
colocar o nome da pessoa que deverá atender e que deve ser avisada, previamente, pelo candidato).

• E‑mail, se não tiver computador, coloque algum provedor gratuito e não deixe a caixa de entrada
superar os limites informados pelo provedor.

• Nacionalidade, só colocar o adjetivo, não precisa escrever a palavra nacionalidade (no caso do
Brasil, só escreva brasileiro).

91
Unidade II

• Estado civil.

• Idade.

Objetivo

• Área pretendida ou cargos para os quais está qualificado.

• Especialidade, por exemplo, administrador especializado em Finanças.

Qualificações ou resumo profissional

• Resuma sua experiência e conhecimentos importantes.

• Resuma principais qualificações.

• Conhecimento de idiomas (básico, intermediário, avançado, leitura técnica, redação, conversação).

• Número de tópicos: não superar sete.

Experiência profissional

• Nome da empresa em ordem cronológica inversa das datas de admissão/demissão.

• Cargos exercidos.

• Principais atribuições.

• Valor agregado em cada atribuição, de forma sucinta.

Formação

• Maior graduação, nome da instituição e ano de formação.

• Cursos técnicos podem representar um diferencial.

Formação complementar

• Só coloque cursos e eventos que contribuíram para o desenvolvimento das suas competências.

• Cursos que não podem estar ligados ao cargo, mas foram importantes para o profissional em
termos de cidadania.

92
Tópicos de Atuação Profissional

Outras informações importantes

• Participações em atividades associativas e/ou voluntárias no Terceiro Setor.

• Viagens ou experiências internacionais que podem ter contribuído para seu desenvolvimento
profissional, resumindo locais e propósitos profissionais.

Colocar o endereço completo da organização apenas no envelope de remessa.

Observação

O currículo pode ser acompanhado de uma carta de intenção escrita


de próprio punho, desde que tenha uma caligrafia legível e contenha
informações importantes não colocadas no currículo.

Uma dúvida que surge quando o profissional desenvolve um projeto de carreira é para onde enviar
o currículo:

• banco de currículos de organizações com tal condição nos seus sites;

• consultorias especializadas;

• pesquise organizações nas quais gostaria de trabalhar;

• pesquise em jornais e revistas;

• use a sua rede de relacionamentos.

Saiba mais

O profissional pode enriquecer os seus conhecimentos sobre o tema


consultando revistas especializadas e sites, por exemplo:

<http://carreiras.empregos.com.br>.

<http://lattes.cnpq.br>.

<http://www.rh.com.br>.

<http://www.curriculum.com.br>.

93
Unidade II

Lembrete

É importante ressaltar que o currículo tem como finalidade atrair a


atenção do recrutador, a fim de que o candidato seja chamado para as
etapas seguintes do processo seletivo.

Existem algumas formas alternativas de apresentação de currículos:

• Portfólio

Espécie de apresentação documental de informações sobre a sua trajetória profissional, organogramas


com o seu posicionamento funcional, gráficos de desempenho profissional, projetos realizados,
prêmios recebidos, cartas de recomendação, fotos de eventos importantes da sua vida profissional,
certificados, diplomas, notícias suas em jornais internos e/ou jornais comerciais, artigos publicados.
Se chamado para entrevista, procure uma forma de mostrar o portfólio para o responsável pelo
processo seletivo.

• Currículo em vídeo

Modalidade que vem sendo utilizada na qual o candidato apresenta um resumo de seu currículo;
pode ser hospedado em sites de consultorias específicas.

• Currículo Lattes

Base de dados de currículos e instituições da área científica e tecnológica disponibilizada pelo


Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Outra opção é responder a anúncios em cadernos de emprego. Nessa situação, é importante analisar
detalhadamente:

• se o anúncio for fechado, mas detalhado, a organização quer manter‑se em sigilo, evitando
profissionais não qualificados atraídos pelo nome da organização;

• se o anúncio for fechado e muito genérico, pode ser algo em vendas, e as vantagens oferecidas
podem não representar a realidade;

• se for fechado, tome cuidado, pois pode ser da sua organização;

• se aberto, busque outras informações sobre a organização;

• se aparecer a palavra de requisito preferencial e o candidato atender a outros requisitos, não custa
arriscar;

94
Tópicos de Atuação Profissional

• se tiver restrição de idade, também não custa tentar;

• se exigir domínio de idioma, candidate‑se apenas se atender ao requisito.

5.2 Ética

O homem é responsável pelos seus atos e tem consciência de seu dever


(Immanuel Kant).

A questão ética é muito importante na vida pessoal e profissional, pois faz parte dos relacionamentos
de qualquer natureza, com as organizações agregando o tema aos seus valores e sua cultura.

As organizações, com gestão em classe mundial, normalmente adotam práticas específicas sobre o
tema Ética.

A Fundação Nacional de Qualidade – FNQ (2010, p. 32), nos Critérios de Excelência, tem como
requisito do critério Liderança, item Governança Corporativa, a seguinte questão: como a organização
determina e trata para os integrantes da sua liderança e força de trabalho as questões éticas, procurando
garantir um relacionamento interno com concorrentes e outras partes interessadas?

A organização precisa evidenciar:

• códigos de conduta em vigor;

• canais de comunicação disponibilizados para a força de trabalho, a sociedade e demais partes


interessadas para receber reclamações, denúncias e sugestões;

• formas de prevenção de desvio de condutas da organização;

• formas de tratamento dadas às ocorrências pertinentes para questões éticas.

A ética corporativa representa a forma de ser de uma organização e sua cultura. Ética significa
responsabilidade e comprometimento, e incomoda aqueles que querem obsessivamente ganhar, mesmo
quando todos são perdedores. Esse tema é de natureza polêmica; há a necessidade de ser, querer ser e
saber ser ético.

O ser humano sem perspectiva ética tem baixa imunidade ao vírus da corrupção. Um modelo de
gestão ética começa por uma profunda revisão da cultura corporativa. É necessária a identificação com
os valores comuns: as pessoas integram‑se por filosofia, não por tecnologias.

O administrador tem várias oportunidades de atuação em diversos setores; as áreas de atuação


englobam análises, estudos de campo, pesquisas, administração, planejamento, projetos, organização e
outros com salários adequados. Ao final de sua formação acadêmica, o administrador faz um juramento,
que indica sua adesão e seu comprometimento com a categoria profissional. A ética está ligada à
atitude e à postura respeitosa e correta do profissional.
95
Unidade II

Todo administrador deve respeitar o próximo, os competidores, os clientes externos e internos,


valorizando as pessoas e atendendo às suas necessidades. Os administradores que deixam a ética e
seus valores de lado, muitas vezes, acabam se envolvendo em esquemas de corrupção, sonegação de
impostos e outras irregularidades.

Ser ético é uma questão de reflexo, ou seja, é como dirigir um automóvel, em que o motorista
executa uma série de procedimentos de forma automática. Se alguém receber uma proposta antiética e
solicitar um tempo para pensar, já feriu a ética, pois, provavelmente, esteja analisando quanto ganhará
aceitando a proposta.

O Código de Ética dos Profissionais de Administração (Cepa) é o guia orientador e estimulador de novos
comportamentos e está fundamentado em um conceito de ética direcionado para o desenvolvimento.
Ele serve simultaneamente de estímulo e parâmetro para que o administrador amplie sua capacidade de
pensar, visualize seu papel e torne sua ação mais eficaz diante da sociedade, exercendo a profissão com
zelo, diligência e honestidade.

O administrador precisa tomar conhecimento do Código de Ética dos profissionais de Administração


(aprovado pela Resolução Normativa CFA nº 393, de 6 de dezembro de 2010) e refletir sobre os assuntos
tratados, como deveres, proibições, direitos, honorários profissionais, deveres especiais à classe e infrações
disciplinares.

Saiba mais

Para conhecer o Código de Ética dos Profissionais de Administração,


acesse os sites:

<http://www2.cfa.org.br>.

<http://www.crasp.org.br>.

Não se pode deixar de tomar conhecimento, nos mesmos sites em que se encontra o Código,
do Regulamento do processo ético do sistema CFA/Cras (aprovado pela Resolução Normativa CFA
nº 393, de 6 de dezembro de 2010). Os dois documentos são importantes para o profissional de
Administração.

6 Tetos Profissionais e Mercado de Trabalho

Viver é envelhecer, o que significa que todos nós podemos olhar para trás
com satisfação ou pesar e para frente com esperanças ou receio (David
Myers).

96
Tópicos de Atuação Profissional

6.1 Tetos profissionais

O teto profissional é uma característica que em um dado momento impede a progressão na carreira
e possui como características:

• detalhe, algo sempre visto como sem importância;

• negligência, o tal de “apenas um detalhe” nunca recebeu a atenção nos projetos de vida e de
carreira, ou seja, foi negligenciado;

• ausência de impacto inicial, por muito tempo esse detalhe nunca influenciou a carreira;

• importância súbita, de repente a pessoa percebe que aquele detalhe passou a ser importante;

• parada de progressão, acontece quando a pessoa percebe que a sua vida profissional estagnou‑se;

• recuperação lenta, “quase sempre” é possível recuperar a importância, “quase nunca” na velocidade
necessária;

Surge, então, uma pergunta: por quê?

Porque os tetos aparecem de forma repentina, aparentando ter surgido do nada. Então se tem uma
palavra mágica: exigência, que é a situação que revela o teto.

Evidência é outra palavra que denuncia o teto profissional. Os tetos podem ser:

• objetivos, de natureza técnica, exigem formação, treinamento conhecimentos ou atitudes sociais;

• subjetivos, limitações comportamentais que têm a ver com a maneira de ser da pessoa.

Tetos objetivos

• Capacitação técnica

Fácil para compreender; quando aumenta a exigência, a limitação técnica predomina; quando
aumenta a evidência, todos percebem a limitação.

• Domínio de recursos digitais

A ausência de conhecimentos e habilidades nesse campo faz aparecer outra limitação. É a era
dos notebooks, tablets, smartphones, netbooks, logo a exigência aumenta pela própria evolução
tecnológica, e começam as dificuldades. Quanto mais aumenta a evidência, mais as outras pessoas
passam a visualizar essa lacuna.

97
Unidade II

• Base de idiomas

Quanto mais se verifica a necessidade de se comunicar em outro idioma, mais aumenta a exigência
e, em decorrência, mais evidenciada fica a limitação.

• Apresentação pessoal

Um tanto complicado, pois envolve o conjunto de roupas, acessórios e outros pertinentes ao


âmbito externo e à saúde corporal, compreendendo o que é a pessoa, seu caráter, sua essência e a
boa figura (o visual). Boa imagem (como estou), a não afetação, a adequação profissional e o que
vai acontecer hoje são preocupações a serem consideradas.

• Etiqueta e boas maneiras

A etiqueta refere‑se ao conjunto de regras sociais básicas e boas maneiras (saber se alimentar
usando os talheres adequadamente e ao ser convidado para um evento saber se vestir de acordo
são alguns exemplos); os modos que tornam a convivência leve e agradável (o bom-dia e a
saudação com um sorriso são alguns dos exemplos pertinentes).

• Cultura geral e informação

A cultura geral contempla conhecimentos, informações históricas, dados geográficos e


geopolíticos, fatos políticos, tipos de culinária, tipos de bebidas, artistas de sucesso, esportes,
órgãos governamentais etc. Já a informação é a atualização da cultura geral, saber filtrar os
acontecimentos, mas sem exageros com o excesso de informações.

• Comunicação e contatos

Meios de comunicação são essenciais para um bom profissional; também é importante uma
agenda de contatos: muitas vezes, mais vale uma boa amizade do que recursos monetários.

• Administração do tempo

Pode ser um limitante, e normalmente as pessoas reclamam que o dia deveria ter mais horas para
poder dar conta do seu trabalho. O que falta provavelmente seja planejamento, saber separar o
que é urgente, importante ou circunstancial.

• Capacidade de trabalhar em equipe

Cada vez mais, para alcançar o sucesso, é necessário saber trabalhar em equipe, saber escolher
a equipe e desenvolver a satisfação de trabalhar nela, o que é vital para um administrador. No
trabalho em equipe prevalecem vantagens e desvantagens. O trabalho com outros faz que as
opiniões possam ser diferentes, o que pode ser salutar em determinados trabalhos, pois dá chance
para a crítica construtiva. As abordagens não podem ser padronizadas, pois dificultam o trabalho
98
Tópicos de Atuação Profissional

em equipe, não deixando de avaliar óticas individuais, que às vezes podem agregar valores. Não
se pode esquecer a necessidade de empatia entre os membros da equipe. A forma de pensar deve
privilegiar o bem de todos, e não apenas de um. Ao escolher uma equipe, leve em consideração
a união entre bons profissionais capacitados e de condição técnica e emocional assemelhadas.

• Percepção da hierarquia

Quando se aborda o trabalho em equipe é importante definir uma hierarquia entre os membros
e escolher um líder. É bom lembrar que a liderança deve conduzir pela persuasão, e não intimidar
pelo comando.

• Organização financeira

Há um ditado que destaca: “Lar onde falta pão, todos gritam e ninguém tem razão”. A desorganização
financeira pode prejudicar a vida profissional de três maneiras: roubo de energia que contas em
vermelho podem suscitar; falta de liberdade que os problemas financeiros podem determinar, já que,
de acordo com Cardoso (2012), quem tem muitas dívidas não tem carreira; e nome sujo na praça.

• Saúde física

A saúde mental é importante, mas a corporal é visível e pode levar a julgamentos não verdadeiros.

Tetos subjetivos

• Imagem pessoal

Pode ser muitas vezes entendida apenas como vestir-se bem. A imagem vai além; pessoa e imagem
são indissociáveis, por exemplo: fulano é competente, mas mal-humorado; sicrano é mais rápido
e demonstra empatia, além de outros adjetivos que podem valorizar ou denegrir o profissional.

• Eloquência e oratória

Muitas vezes, a oratória não é levada em conta, mas ela é a arte capaz de dar ao nosso discurso
uma qualidade de clareza, o que é atrativo para terceiros. O medo de falar em público é algo que
assusta muito o administrador desde o tempo da graduação. Eloquência e oratória relacionam‑se
com uma boa voz, uma boa dicção, discurso articulado, com ideias alinhadas, gestos adequados,
elegantes, sem afetação, com repertório didático e recursos para reduzir a ansiedade (respiração
controlada, não ofegante).

• Relação com novos instrumentos e informações

É preciso evitar dois comportamentos: neofobia e neofilia. Neófobo é o profissional contrário às


novidades. Neófilo é aquele que sempre valoriza o que há de mais novo, sepultando o antigo. A
relação com as novidades deve ser equilibrada.
99
Unidade II

• Capacidade de readaptação

Este teto refere‑se a adequar o seu comportamento às mudanças, aos novos tempos e não virar
um “dinossauro” na organização.

• Estrutura de lar

Valoriza um ambiente familiar satisfatório, a qualidade de vida fora do trabalho. O teto não se
restringe à estrutura familiar, engloba a convivência, a sensação agradável de estar em casa.

• Ambição

Ter ambição é uma questão de equilíbrio, existem profissionais que nunca estão satisfeitos e
outros que desejam nada; tais extremos devem ser evitados.

• Satisfação com valores espirituais

Não importa qual a religião da pessoa, ou qual a sua assiduidade a eventos religiosos, o que é
válido é a satisfação dela com seus valores espirituais.

• Inteligência emocional

É necessário que as pessoas reconheçam suas próprias emoções, saibam lidar com elas, consigam
ser automotivadas, reconheçam as emoções de terceiros e saibam lidar com relacionamentos
interpessoais.

• Domínio da assertividade

Significa a capacidade e o atributo de expor suas opiniões e sentimentos habilmente, ficar sempre
calado (passivo) e sem agredir ninguém (sem agressividade).

• Administração do estresse

O estresse nem sempre é negativo, muitas vezes é um mecanismo de defesa; o perigo é quando
esse mecanismo vira doença. Para evitar o lado negativo do estresse podem ocorrer duas situações:
intervenções comportamentais e intervenções sobre os hábitos de vida. Para a intervenção
comportamental, o homem pode fazer uso da psicoterapia, de trabalhar o binômio ócio e lazer,
além de técnicas comportamentais (respiração, relaxamento e meditação). Quanto aos hábitos de
vida, tem‑se a gestão do sono, da alimentação, da atividade física e da vida em sua totalidade.

• Gosto pela atividade escolhida

Para entender esse teto é necessário diferenciar aptidão de vocação. Aptidão é ter as competências
necessárias para realizar um trabalho. Vocação é a vontade de trabalhar naquilo em que se é hábil.
100
Tópicos de Atuação Profissional

Para tal, é necessário afinidade (emprego + convicções + características de personalidade), ganho


(que permite saldar as contas), ambiente (sensação de comunidade, respeito mútuo, justiça,
coerência e senso de equipe), status (aquilo que se pode e se gosta de contar para terceiros) e
perspectiva (esperança, entusiasmo e fé no futuro).

• Alma mater (deusa‑mãe) da profissão escolhida

Este teto relaciona‑se com equilibrar vocação, emprego e oportunidade. É não perder a essência
que deu origem à profissão.

• Marketing pessoal

É preciso entender o que evitar, o que entender e o que fazer. Primeiro, evitar deslizes elementares na
imagem pessoal (ser conhecido como falar demais, falar de menos, não saber se vestir, ser rabugento,
ser mal-humorado e outros deslizes condenáveis). Segundo, não adianta ser um bom produto se
ninguém sabe: é necessário visibilidade; tudo o que for divulgado precisa ser verdadeiro. Terceiro,
é preciso ser simpático, ter um bom relacionamento, alguém que ajuda os outros no ambiente
profissional, com qualidade e boa vontade. A pessoa precisa vibrar com o que faz.

• Liderança

Em determinados momentos da vida profissional pode chegar a hora de liderar. Liderar não
significa ser mandão, mas ser firme. Liderança não significa ser guru, crítico de plantão ou
super‑homem. Ser líder tem a ver com aplicar vários Cs: Condutor natural, Cúmplice fiel,
Carismático, Confiável, Comunicativo e Convincente. Não pode se isolar, ser individualista,
descompromissado, incoerente, desequilibrado emocionalmente, mau caráter, antipático,
invejoso, perseverante no erro.

O que fazer para inibir ou reduzir a ocorrência dos tetos profissionais:

• Prospectar para o futuro;

• Prever os tetos profissionais;

• Reagir e resolver as deficiências.

Saiba mais

Em caso de necessidade de oportunidades para melhoria em um dos


tetos profissionais, consulte o site <www.ciee.org> para pesquisar sobre
cursos a distância e oficinas presenciais.

101
Unidade II

6.2 Mercado de trabalho

O que quer que você possa fazer ou sonhe que o possa, faça‑o (Goethe).

O carro‑chefe da economia brasileira tem sido o setor de serviços, representando 69% da riqueza
produzida no país, segundo dados publicados na seção Grandes Números da revista Exame, em 17 de
abril de 2013, o que demonstra que o setor continua gerando empregos.

Essa participação já aproxima o Brasil de patamares de países desenvolvidos.

1. Estados Unidos 80%

2. França 80%

3. Alemanha 71%

4. Japão 71%

5. Índia 65% (BRIC)

6. México 62%

Uma análise das tendências relativas ao trabalho demonstra que, a médio prazo, as
organizações, por uma questão de redução de custos e aumento da velocidade operacional,
optarão pelo processo de terceirização; partindo para um modelo mais flexível e eficaz, muitas
organizações se tornarão especialistas em determinadas áreas de conhecimentos, prestando
serviços entre si.

Outros estudos demonstram que com a maior facilidade do acesso ao curso superior e o consequente
aumento no número de profissionais disponíveis com formação nesse nível, houve uma redução de
salários. Tal tendência fortalece a máxima do ser humano de ser um eterno aprendiz, implicando
especialização em cursos de pós‑graduação.

Outra tendência no mercado de trabalho é a conquista de uma melhor posição no mercado de


trabalho pelas mulheres, exercendo atividades antes privativas dos homens.

De acordo com Cintra (apud BARDUCHI, 2010), existe um caminho a ser percorrido entre os objetivos
de seu projeto de carreira e a conquista da vaga almejada. Para isso, o profissional precisa passar por um
processo seletivo, que compreende as etapas de recrutamento e seleção.

Recrutamento é quando a organização divulga uma oportunidade de emprego no mercado,


e seleção é quando, de posse dos currículos, a empresa seleciona os candidatos para as etapas
posteriores.

102
Tópicos de Atuação Profissional

Lembrete

Para identificar oportunidades, consulte sites de organizações e de


consultorias especializadas, além de cadernos especializados dos principais
jornais.

As organizações utilizam várias formas de divulgação das suas vagas:

• anúncios em jornais e revistas;

• internet, tanto para captação de currículos como para divulgação de vagas;

• pedidos de indicações por funcionários, clientes, fornecedores e outras empresas do segmento;

• agências de empregos e consultorias especializadas;

• divulgações em instituições de ensino;

• placas ou cartazes em locais de movimentação pública.

Assim, o candidato deve:

• ler jornais e revistas especializadas, com cadernos ou páginas de emprego;

• fazer pesquisas periódicas em sites de recursos humanos, agências de emprego e consultorias


especializadas;

• planejar e implantar uma rede de contatos, mantendo‑a atualizada para utilização no que se
refere a indicação;

• prospectar informações e levantar informações sobre organizações nas quais gostaria de trabalhar,
localizando endereços reais e virtuais;

• consultar os anúncios de emprego em cartazes colocados nos murais do curso de Administração.

Para identificar as oportunidades coerentes com seu projeto de vida e de carreira no mercado de
trabalho, o candidato deve focar a atividade que lhe interessa, para que possa concentrar toda a sua
energia e atenção.

O mundo passa por uma mudança no politicamente correto, e isso exige que, num processo seletivo,
o candidato tenha de concorrer com empregados da própria organização ávidos por mudanças verticais
ou horizontais.

103
Unidade II

Como técnicas de recrutamento e seleção merecem destaque:

• análise de currículos;

• entrevista de seleção tradicional;

• testes de conhecimentos específicos relativos à área de atuação;

• dinâmica de grupo;

• entrevista de triagem;

• entrevista de seleção por competências;

• testes práticos;

• simulação;

• avaliação psicológica;

• testes de conhecimentos gerais (português, matemática e atualidades);

• entrevistas via vídeo ou teleconferência;

• consulta a sites de relacionamento;

• grafologia;

• inventários (testes que prospectam estilos de personalidade, atitudes e habilidades específicas e


que não são considerados testes psicológicos.

Lembrete

Se for chamado para uma entrevista, revise e atualize o seu projeto de vida e
de carreira; releia o currículo enviado e faça uma pesquisa sobre a organização.

O candidato, ao comparecer para a entrevista, precisa:

• usar roupas limpas e bem-passadas;

• mulheres devem evitar roupas justas, curtas e decotadas;

• mostrar cuidado com a imagem;

104
Tópicos de Atuação Profissional

• no caso de usar perfumes, adotar fragrâncias suaves e sem exagero;

• ser discreto;

• dormir bem na noite anterior;

• evitar ingerir bebidas alcoólicas;

• evitar usar de forma aparente piercings e/ou tatuagens;

• chegar com cabelos limpos, penteados, bem-cortados;

• manter unhas limpas e bem-aparadas;

• para as mulheres, usar maquiagem discreta;

• chegar ao local da entrevista com antecedência de quinze minutos;

• aproveitar o tempo para verificar o ambiente da organização;

• procurar fazer contatos com possíveis concorrentes para obter informações sobre eles;

• cumprimentar as pessoas com aperto de mão firme;

• manter um tom de voz adequado, nem alto, nem baixo;

• olhar para as pessoas quando tiver de conversar com elas;

• ouvir com atenção o que as pessoas falam;

• evitar tiques nervosos, vícios de linguagem (“hã hã, né, legal”);

• não fumar, comer ou mascar chicletes.

No caso de participar de dinâmicas de grupo, procure:

• mostrar espontaneidade e objetividade;

• aproveitar a ocasião como uma oportunidade de aprendizado;

• contribuir para que soluções sejam identificadas;

• escutar e trocar ideias com os participantes;

• expor suas opiniões, sem ser o dono da verdade;

• manter‑se calmo;

105
Unidade II

• prestar atenção nas instruções dadas;

• respeitar os outros.

Exemplo de aplicação

Releia a unidade e responda às seguintes questões:

1. O que vem a ser empregabilidade?

2. Por que o currículo é comparado a uma vitrine?

3. Cite cinco erros que não podem ser cometidos na elaboração de um currículo.

4. Quando uma viagem ao exterior deve ser destacada no seu currículo?

5. Qual a importância da ética corporativa nas organizações?

6. Por que um administrador deve ter uma postura ética?

7. Como se vestir ao comparecer a uma entrevista de um processo seletivo?

8. O que vem a ser um teto profissional?

9. Releia os tetos profissionais objetivos e reflita, numa autoanálise, se é uma Fortaleza (FT) ou uma
Debilidade (DB).

Quadro 11

Tetos FT DB Comentários
Capacitação técnica
Domínio de equipamentos digitais
Base de idiomas
Apresentação pessoal
Etiqueta e boas maneiras
Informação e cultura
Comunicação e contatos
Administração do tempo
Capacidade de trabalhar em equipe
Percepção da hierarquia
Organização financeira
Saúde física

106
Tópicos de Atuação Profissional

10. Quando terminar a sua análise, aprofunde a sua reflexão e pense como superar as debilidades,
considerando‑as como oportunidades de melhoria.

11. Agora releia os tetos profissionais subjetivos e proceda da mesma forma que fez na questão anterior.

Quadro 12

Tetos FR DB Comentários
Imagem como pessoa
Eloquência e oratória
Relação com novos instrumentos e
informações
Capacidade de readaptação
Estrutura de lar
Ambição
Satisfação com valores espirituais
Inteligência emocional
Domínio da assertividade
Administração do estresse
Gosto pela atividade escolhida
Alma mater da profissão
Marketing pessoal
Liderança

7 A Alavancagem da Carreira e a Transição Profissional

A coisa mais difícil no sucesso é que você tem de continuar sendo um


sucesso (Irving Berlin).

A própria finalidade da ferramenta alavanca é ajudar a mover algo; muitas vezes, para poder alavancar
a carreira, há a necessidade de orientação especializada, e cada problema é um caso específico.

7.1 Counseling, mentoring e coaching

Counseling refere‑se a um aconselhamento de carreira, é mais técnico e o profissional orientador


precisa conhecer a área de atuação do orientando. O mentoring, normalmente, é um profissional
da própria organização que adota uma postura de padrinho, e o coaching é aquele que desenvolve
habilidades comportamentais.

O counseling aconselha tecnicamente, esclarecendo dúvidas e necessidades pontuais. Essa


metodologia de desenvolvimento humano parte da premissa de que nenhum profissional detém todas
as respostas técnicas para os problemas e oportunidades que surgem no trabalho. Buscar a alavancagem
de um especialista e ouvir conselhos e diretrizes denota uma atitude madura e prudente.
107
Unidade II

Mentoring é realizado por um mentor, normalmente um executivo sênior da própria organização,


que tem a incumbência de compartilhar sua experiência e vivências acumuladas em vários anos de
trabalho no ambiente corporativo. O mentor acaba servindo como um padrinho que passa sua sabedoria
aos jovens talentos; estes o consultam a respeito de questões e dúvidas sobre a gestão da carreira e da
própria vida. O mentor é utilizado por profissionais que ainda estão indecisos sobre o que querem.

Coaching é uma atividade executada geralmente por um profissional externo, que estabelece uma relação
entre um técnico (coach, em inglês) e seu orientando. Numa comparação, é muito semelhante à atuação
de um personal trainer, voltado para o fortalecimento de competências para profissionais que apresentam
potencial, mas que ainda não chegaram ao nível de consistência gerencial esperado pela organização.

Preparar os profissionais do futuro tem sido o lema de diversas organizações. Elas estão preocupadas
em manter em seus quadros colaboradores que tenham as competências necessárias para assumir
posições de liderança. Por esse motivo, os programas de mentoring são focados nos jovens que
demonstram grande potencial de desenvolvimento.

As sessões de aconselhamento podem reunir desde um indivíduo até um grupo de pessoas, liderado
por um mentor, cuja missão é ajudar a desenvolver habilidades que serão decisivas na vida profissional;
a entender os valores da empresa; e até a aprimorar seus relacionamentos com as pessoas‑chave da
cúpula da organização.

Os programas de coaching são desenvolvidos para profissionais mais experientes, geralmente


para executivos e gestores que possuem “desafios” no relacionamento com seus pares, superiores,
subalternos, clientes e/ou fornecedores, ou aqueles que precisam aprimorar o desempenho no trabalho.
Daí a semelhança com a definição de coach: uma pessoa que “treina” executivos para uma determinada
tarefa, missão ou necessidade. Ou seja, um personal trainer de carreiras profissionais.

Os programas de coaching começaram a despertar a atenção dos gestores quando a retenção de


talentos passou a fazer parte do desafio das empresas. Os benefícios proporcionados pelo coaching
aos executivos, como o gerenciamento de conflitos, o desenvolvimento de relacionamentos
interpessoais e o aumento de performance e produtividade garantiram o sucesso da sua
implementação em várias empresas.

Observação

Apesar de diferentes, os programas de coaching servem a um objetivo


corporativo comum: o de manter profissionais mais produtivos, com
objetivos de carreira definidos e alinhados à cultura organizacional.

Para os profissionais, sejam eles mais ou menos experientes, os programas permitem o desenvolvimento
de competências fundamentais para o sucesso em qualquer organização, mas como saber se há
necessidade desse suporte?

108
Tópicos de Atuação Profissional

Quando optar por esse recurso? Frustração profissional, insucesso em tentativas de mudar de emprego,
necessidade de auxílio na elaboração de um currículo, de diferenciar‑se no mercado de trabalho, de
transformar expectativas profissionais em metas objetivas, insucesso para superar alguns tetos profissionais,
necessidade de adquirir novos conhecimentos e de alcançar o sucesso profissional são alguns dos motivos
que merecem reflexão e poderão resultar na necessidade de um orientador de carreira.

Saiba mais

Para mais informações sobre coaching, consulte o site:

<www.ibccoaching.com.br>.

7.2 Pós‑graduação

O planejamento da carreira começa cedo: o momento crucial é no vestibular e na opção pela graduação.
Concluída a graduação, sua carreira está concretizada? Num espaço competitivo, o aprendizado deve
continuar, mas como? Especialização, extensão, pós-graduação stricto sensu ou lato sensu?
Nas condições atuais, os programas lato sensu são mais apropriados para preparar o aluno para os
desafios do mundo empresarial; os programas stricto sensu são indicados para aqueles que querem
seguir carreira acadêmica, como pesquisador científico ou docente em instituição de Ensino Superior.

O stricto sensu está relacionado com programas de mestrado e doutorado, com destinação acadêmica
ou científica, com duração de dois anos e meio para o mestrado e quatro anos para o doutorado. O
enfoque está na formação de pesquisadores e docentes destinada à pesquisa científica e tecnológica.
Os cursos são oferecidos tanto em instituições públicas como privadas e podem ser realizados após a
conclusão da graduação. O processo seletivo leva em consideração projeto de pesquisa, prova, entrevista
com banca examinadora e proficiência em idiomas estrangeiros (mestrado uma, doutorado duas). O
mestrado profissional também é considerado stricto sensu, com carga horária entre 400 e 750 horas, e
é indicado para profissionais que atuam em áreas que exigem pesquisas. As diferenças em relação ao
mestrado acadêmico estão no direcionamento da dissertação, na carga horária menor e no fato de ser
pago, mesmo em instituições públicas. O trabalho final, da mesma forma que no mestrado acadêmico,
é uma dissertação que necessita ser defendida para uma banca examinadora.

O lato sensu está direcionado a programas de especialização e extensão, incluídos os cursos de MBA.
Tem como destinação a profissionalização e carga horária mínima de 360 horas. O enfoque está no
desenvolvimento de habilidades específicas voltadas para o mercado de trabalho. Pode ser cursado em
instituições públicas e privadas; é comum serem pagos, mesmo nas instituições públicas. Podem cursar
profissionais já graduados e em qualquer momento da vida profissional, desde que atuantes no mercado
de trabalho e sempre que sentirem necessidade. O processo seletivo é baseado em histórico escolar da
graduação e, eventualmente, os candidatos são submetidos a prova e entrevista. Ao término do curso, o
pós‑graduado recebe certificado de especialização ou extensão.

109
Unidade II

8 Autoavaliação Profissional

Bons profissionais cumprem ordens, enquanto excelentes profissionais


pensam pela empresa (A. Cury).

Chegou o momento de concluir o seu projeto de carreira integrado ao projeto de vida. Reflita
sobre os seus valores e cada item do seu projeto, complete, veja suas oportunidades de melhoria,
analise os testes feitos e conclua seu plano de ação, com base nas informações a seguir, vistas
anteriormente:

Projeto de vida

Passo um

Quem é você?

Quais são os seus valores?

Quais são os seus pontos fortes?

Quais são as suas oportunidades de melhoria?

Quais são as ameaças ao seu projeto?

Quanto do seu tempo você vive preso ao passado?

Quanto do seu tempo você dedica a pensar no futuro?

Quanto do seu tempo você dedica ao presente, materializando seus sonhos em projetos?

Passo dois

Qual a sua razão de ser?

Qual a finalidade de sua vida, qual o significado dela?

Quais as suas metas (o que pretende ser e alcançar na sua vida)?

Passo três

Autoavaliação profissional (como fez para a sua vida pessoal, faça o mesmo para sua vida
profissional, levantando as suas qualidades, interesses e potencial para ocupar os vários espaços
organizacionais).

110
Tópicos de Atuação Profissional

Passo quatro

Estabeleça seus objetivos de vida e seus objetivos de carreira, devidamente conciliados, detalhados em
metas exequíveis, definindo o que pretende alcançar em quanto tempo e como fazer em casa uma delas.

Passo cinco

Faça uma análise de quanto vai precisar de recursos monetários para realizar seus objetivos e como
poderá obtê‑los.

Passo seis

Implemente o seu projeto de vida e de carreira, obtendo capacitação e convivência com experiências
necessárias para poder aproveitar as oportunidades e alcançar as metas de vida e de carreira.

Passo sete

Analise tudo o que pode atrapalhar o seu projeto de vida e de carreira e coloque em prática ações
preventivas.

Passo oito

Verifique, periodicamente, em que fase do projeto está, estabelecendo um cronograma, e se há


necessidade de revisão.

Vários conceitos e instrumentos foram expostos. Releia os itens do projeto de vida integrado ao
projeto de carreira, reflita sobre tudo e comece a planejar o que fazer após a conclusão da graduação.

Você já identificou em quais âncoras de carreira se enquadra, em que área gostaria de trabalhar, quais os
tetos profissionais que você precisa superar e que função gostaria de exercer. Caso já tenha uma profissão,
descubra se está feliz com ela e qual o grau de satisfação; ainda, como você está em relação a você mesmo,
com sua família, com sua carreira, com os amigos e com a continuidade dos estudos?

Lembrete

Reflita sobre tudo e monte a sua matriz FOFA, aquela que você já ouviu
com o nome de SWOT.

Pegue algumas folhas em branco, com base no que você leu e no que refletiu, descreva
numa das folhas quais os seus pontos fortes (Fortalezas) como pessoa e como profissional; em
outra folha identifique seus pontos fracos (Fraquezas, ou melhor, oportunidades para melhoria);
em uma as oportunidades e na outra as ameaças, sempre levando em consideração o seu lado
pessoal e o seu lado profissional.
111
Unidade II

Não deixe para depois, liste seus objetivos para o próximo ano, desdobre‑se em metas. Não esqueça
que as metas precisam ser exequíveis. Escreva suas metas, coloque prazos, faça um cronograma de
eventos e deixe esse material sempre acessível. Não esqueça dentro de uma gaveta nem em algum lugar
que nunca mais verá.

Lembrete

Reflita se o seu rol de metas está claro, se é possível de ser concretizado


e separe as de caráter profissional das de caráter pessoal.

Procure na realização o equilíbrio entre o profissional e o pessoal: metas pessoais são igualmente
importantes, pois permitirão atingir a completeza como ser humano.

No desdobramento, separe as ações que só dependem de você das que dependem de terceiros.

Monitore cada ação de sua meta, pois, muitas vezes, para que um terceiro faça a parte dele, precisará
“receber o bastão”, como numa corrida de revezamento, e o inverso também poderá ocorrer.

Quando alcançar uma meta, complete o objetivo e comemore, porque as vitórias devem ser
eternizadas, e as derrotas, consideradas como aprendizado e esquecidas. Revise suas metas a cada
trimestre, fazendo uma análise crítica do desempenho do “eu & eu”.

O projeto carreira tem como principal finalidade colocar você no caminho certo para o sucesso
profissional e pessoal, planejando a evolução nas duas áreas de maneira eficaz. Ele possibilita que se
programem os prazos para atingir objetivos e metas pertinentes. Avalie se os seus conhecimentos são
suficientes ou não para realizar os projetos previstos.

O projeto auxilia no controle sobre sua própria vida, evitando que perca tempo, conhecimentos,
dinheiro e energias com o que não vai trazer os resultados esperados. Auxilia também as organizações,
porque pode reduzir rotatividade, assiduidade, desmotivação e incrementar a produtividade, a qualidade
e outros ganhos.

O projeto de carreira é indispensável em diversas situações: quando o profissional está indeciso


em relação à carreira profissional, passou por uma decepção no trabalho e busca uma nova carreira
profissional, ou até ter seu próprio negócio; quando o profissional trabalhou muito tempo na
mesma área e no mesmo lugar, e foi demitido por motivo de idade ou por ser um funcionário
analógico; quando o profissional muda de cargo na organização, seja na condição vertical ou
horizontal, e seus objetivos ficam difusos, ou mesmo quando resolve exercer uma atividade de
negócio paralela ao cargo atual.

Conforme o nível de problema, o projeto de carreira pode precisar passar por sessões de
coaching.

112
Tópicos de Atuação Profissional

Apresentamos, a seguir, uma ferramenta útil.

Como resolver problemas em seis etapas (OFPISA):

• primeira: observe tudo relacionado com o que o preocupa;

• segunda: releia e reflita sobre suas observações e separe o que são realmente fatos, despreze as
observações que não caracterizam verdade;

• terceira: com base nos fatos, defina qual é o problema;

• quarta: definido o problema, dê asas a sua imaginação e gere ideias para resolver o problema;

• quinta: tendo como referência as ideias, busque soluções;

• sexta: analise as soluções e escolha aquela que passa pela etapa de aceitação.

Observação

É conveniente lembrar que, muitas vezes, as pessoas não identificam


adequadamente os problemas, mas já apresentam soluções. Contudo, a
melhor solução é aquela que não apresenta restrições para sua aceitação.

Caso opte por fazer um curso de pós, procure aquele com o qual você tem afinidade. Qual o melhor
curso de pós‑graduação? Pesquise, busque informações e, se necessário, agende uma entrevista com o
coordenador do curso.

Se optar por outros cursos de menor duração, a distância ou presenciais, gratuitos ou pagos, acesse:

• sites de instituições de Ensino Superior, por exemplo: <www.unip.br>. Clique em ensino e em


extensão comunitária e verifique se algum curso interessa (Administração de Projetos Sociais,
Alimentação Natural e Consciente, Emoção e Saúde, Ginástica Laboral, Liderança e Motivação,
Marketing Esportivo, Matemática Financeira, Merchandising, Prevenção Lesão no Esporte, Técnicas
de Ilustração, Técnicas de Vendas, entre outros).

• site do CIEE, <www.ciee.org.br>, com cursos a distância e oficinas presenciais, com objetivos
latitudinais (atenção concentrada, atitude empreendedora, introdução a projetos, lógica e
criatividade, relacionamento interpessoal, resolução de problemas, administração do tempo, entre
outros), técnicos (Word, Excel, Power Point, Access, Fundamentos de Rede) e conceituais (currículo
sem segredo, entrevista: como encará‑la, atendimento ao cliente, matemática básica, matemática
financeira, dinâmicas e testes na seleção, como administrar suas finanças, entre outros).

113
Unidade II

• site da BMF & Bovespa, com cursos presenciais e on‑line, inclusive aos sábados, consulte <www.
bmfbovespa.com.br/pt‑educacional/cursos>, cursos de nível básico (finanças pessoais, mercado
de ações, como investir em ações, conceitos básicos do mercado de ações, entre outros), nível
intermediário (fundamentos macroeconômicos, análise fundamentalista, tributação para o
mercado de ações, mercado de opções, entre outros) e cursos para profissionais do mercado. O
Instituto Educacional BMF & Bovespa tem uma série de atividades de capacitação para profissionais
do mercado financeiro que buscam formação e especialização por meio de cursos, treinamentos e
programas de certificação. Os cursos são voltados para profissionais que trabalham em corretoras,
bancos, fundos de investimento e empresas.

• sites dos Conselhos Regionais de Administração, no caso de São Paulo, <www.crasp.org.br>, com
cursos e participação em grupos de excelência.

Exemplo de aplicação

Releia a unidade e responda às questões formuladas:

1. Diferencie mentoring de coaching.

2. Quando o coaching deve ser aplicado?

3. O que diferencia os cursos de pós‑graduação stricto sensu dos cursos lato sensu?

4. A quem se destinam, prioritariamente, os cursos de pós‑graduação stricto sensu?

5. A quem se destinam, prioritariamente, os cursos de pós‑graduação lato sensu?

6. Diferencie o mestrado profissional do mestrado acadêmico.

Resumo

Esta unidade tratou, inicialmente, do assunto empregabilidade, que é uma


condição tão importante que as organizações de classe mundial incorporam, nas
práticas de gestão de capacitação e desenvolvimento dos seus recursos humanos,
a melhoria e a manutenção da empregabilidade dos seus colaboradores.

Definidas as várias etapas do projeto de carreira como parte integrante de


um projeto de vida, há a necessidade de exteriorizar, de forma prática, para o
mercado de trabalho. Nada mais objetivo do que a elaboração do currículo.
Este funciona como uma espécie de vitrine, que não mostra tudo o que uma
loja tem, mas sim o que atrai a atenção; da mesma forma, o currículo tem de
chamar a atenção para o que é essencial em um profissional.

114
Tópicos de Atuação Profissional

Como enriquecer um currículo, quais erros devem ser evitados e quais


os itens a serem ressaltados foram alguns dos aspectos discutidos, bem
como novas formas de currículo e para onde direcioná-las.

Uma condição importante na empregabilidade é o comportamento do


profissional, o que se relaciona diretamente com a questão ética. A ética foi
analisada também sob a ótica da organização. As principais abordagens do
Código de Ética do Administrador foram alvo de observações.

Na vida profissional, muitas vezes, a pessoa encontra limitações que


não foram adequadamente tratadas, denominadas de tetos profissionais
objetivos e subjetivos.

Entre os tetos profissionais objetivos, o texto destaca 12, entre eles:


capacitação técnica, administração do tempo, conhecimento de idiomas,
boas maneiras e necessidade de organização financeira.

Entre os tetos profissionais subjetivos mais importantes, destacam‑se


oratória, importância da estrutura familiar, marketing pessoal, gestão do
estresse, entre outros.

Refletir sobre empregabilidade implica discutir também sobre o mercado


de trabalho, o que levou a identificarmos oportunidades de trabalho,
principais técnicas de recrutamento e seleção e como se preparar para um
processo seletivo.

Também abordamos a alavancagem da carreira e a autoavaliação


profissional, fazendo uma analogia entre a ferramenta alavanca e o projeto
de carreira. Trabalhamos os conceitos de counseling, mentoring e, com
mais destaque, coaching, que pode ser contratado tanto pelas organizações
como pelo próprio profissional, por meio do coaching executivo.

Destacamos a continuidade dos estudos após o término da graduação,


dando informações sobre cursos stricto sensu e lato sensu. Foram
apresentados os objetivos de cada tipo, prazos, formas de seleção, além de
citar cursos de menor duração.

Por fim, foi apresentado o diagnóstico do projeto de carreira, a aplicação


da Matriz FOFA e a formulação de objetivos e metas, dando dicas de consulta
a sites pertinentes e úteis para desenvolvimento de oportunidades e para
aperfeiçoamento profissional.

115
REFERÊNCIAS

Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores


(ANPROTEC). Estudo, análise e proposições sobre as incubadoras de empresas no Brasil. Brasília:
Anprotec, 2012. Relatório técnico.

BALFOUR, A.; HINGSTON, P. Como trabalhar em casa no seu próprio negócio. São Paulo: Publifolha, 2001.

BARDUCHI, A. L. J. et al. Empregabilidade: competências pessoais e profissionais. São Paulo: Pearson/Prentice


Hall, 2010.

BERTELLI, L. G. Profissões 2010: guia para ajudar os jovens estudantes na escolha da carreira. São
Paulo: CIEE, 2010.

BOM ÂNGELO, E. Empreendedor corporativo: a nova postura de quem faz a diferença. Rio de Janeiro:
Campus, 2003.

CAMPOS, R. Tetos profissionais: como evitar as armadilhas no desenvolvimento de sua carreira. São
Paulo: Paulinas, 2012.

CARVALHO, J.; RANGEL, C. Disputado, bem-pago e à prova de crise. Veja, São Paulo, n. 2270, 23 maio
2012, p. 78‑85.

CATANANTE, B. Espiritualidade no trabalho. In: BOOG, G.; BOOG, M. (Coord.). Manual de gestão de
pessoas e equipes: estratégias e tendências. São Paulo: Gente, 2002. v. 1.

CHAMINE, S. Inteligência positiva. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013.

DEGEN, R. J. O empreendedor: empreender como opção de carreira. São Paulo: Pearson Virtual, 2009.

DOMENEGHETTI, A. M. Voluntariado: gestão do trabalho voluntário em organizações sem fins


lucrativos. São Paulo: Esfera, 2003.

DUTRA, J. S. Administração de carreiras: uma proposta para repensar a gestão de pessoas. São Paulo:
Atlas, 2012.

ELTZ, F.; VEIT, M. Consultoria interna: use a rede de inteligência que existe na sua empresa, o que é,
como funciona, orientações e reflexões. Salvador: Casa da Qualidade, 1999.

FARIA, V. M. Manual de carreira: identifique e destaque o talento que existe em você. São Paulo: Saraiva, 2009.

FILION, L. J. Spin‑off de empresas: em direção a novas formas de práticas empresariais. Recife, 2002.
Disponível em: < http://www.inf.furb.br/~dalfovo/EdmilsonLima/FILION‑e‑colaboradores‑Spin‑off.
pdf>. Acesso em: 23 jul. 2013.
116
FIORELLI, M. R. Como se preparar para concursos públicos. São Paulo: Atlas, 2012.

FUNDAÇÃO Nacional da Qualidade. Critérios de Excelência 2010. São Paulo: FNQ, 2010.

GOULART, N. 2013, o ano dos concursos públicos. Veja, São Paulo, 16 jan. 2013. Disponível em: <http://
veja.abril.com.br/noticia/educacao/2013‑o‑ano‑dos‑concursos‑publicos>. Acesso em: 30 jul. 2013.

GRAMIGNA, M. R. Modelo de competências e gestão de talentos. São Paulo: Pearson Virtual, 2007.

GRANDES números. Exame, São Paulo, n.1039, 17 abr. 2013.

HEATH, H. Ensinando valores: criando um adulto admirável. São Paulo: Madras, 2001.

IBCO. Código de Ética do IBCO – Instituto Brasileiro dos Consultores de Organização. São Paulo, 2012.

IKEDA, P. Como construir (ou destruir) sua imagem. Exame, São Paulo, 6 jun. 2013.
Disponível em: <http://exame.abril.com.br/revista‑exame/edicoes/1043/noticias/
como‑construir‑ou‑destruir‑sua‑imagem>. Acesso em: 30 jul. 2013.

LEITE, L. A. M. C. et al. Consultoria em gestão de pessoas. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

LENZI, F. C. et al. Talentos inovadores na empresa: como identificar e desenvolver empreendedores


corporativos. São Paulo: Pearson Virtual, 2011.

MELLO, S. L. et al. Guia de orientação profissional do tecnólogo em determinada área da


administração. Brasília: CFA/CRAS, 2012.

______. Perfil, atuação e oportunidades de trabalho do administrador: pesquisa nacional. Brasília:


CFA/Cras, 2011.

NAVARRO, L. Como manter a carreira em ascensão: sua carreira, seu sucesso. São Paulo: Saraiva, 2006.

OLIVEIRA, D. P. R. Manual de consultoria empresarial: conceitos, metodologia, práticas. São Paulo:


Atlas, 2001.

OLIVO, S. et al. Como entender o mundo dos negócios: o empreendedor, a empresa, o mercado.
Brasília: Sebrae, 2003a. (Série Empreendedor, v. 1).

______. Como planejar a sua empresa: riscos do negócio, roteiro para o plano de negócio. Brasília:
Sebrae, 2003b. (Série Empreendedor, v. 2).

______. Como abrir e administrar a sua empresa: registro da empresa, registro da marca, organização
e gestão do negócio. Brasília: Sebrae, 2003c. (Série Empreendedor, v. 3).

117
ORLICKAS, E. Consultoria interna de recursos humanos: pesquisa e benchmarking em empresas de
ponta. São Paulo: Futura, 2001.

PATI, C. O que levar em conta ao escolher um programa de trainee. Exame, São Paulo, 25 abr. 2013.
Disponível em: <http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/o‑que‑levar‑em‑conta‑ao‑escolher‑um‑pr
ograma‑de‑trainee>. Acesso em: 30 jul. 2013.

______. 6 erros que minam as chances de aprovação em concursos. Exame, São Paulo, 6
fev. 2013. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/carreira/guia‑do‑concurso‑publico/
noticias/6‑erros‑que‑minam‑as‑chances‑de‑aprovacao‑em‑concursos>. Acesso em: 30 jul. 2013.

______. 7 comportamentos que prejudicam (e muito) os concurseiros. Exame, São Paulo,


27 jun. 2013. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/carreira/guia‑do‑concurso‑publico/
noticias/7‑comportamentos‑que‑prejudicam‑e‑muito‑os‑concurseiros>. Acesso em: 30 jul. 2013.

PINCHOT III, G. Intrapreneuring: por que você não precisa deixar a empresa para ser um empreendedor.
São Paulo: Harbra, 1989.

SCHEIN, E. H. Identidade profissional: como ajustar suas inclinações e suas opções de trabalho. São
Paulo: Nobel, 1996.

SOMOGGI, L. Quebre as regras. Você S.A., São Paulo, fev. 2000, p. 62‑9.

VÉRAS, G. Como ser empresário. Jovem Empreendedor, Florianópolis, 1999. p. 12‑6.

118
119
120
Informações:
www.sepi.unip.br ou 0800 010 9000

Você também pode gostar