Você está na página 1de 65

Hortas Urbanas

BENEFÍCIOS DAS HORTAS URBANAS


BENEFÍCIOS COMUNITÁRIOS

Melhoria da qualidade do Ar
Redução da temperatura na “ilha urbana”
Aumento de biodiversidade
Redução do desperdício
Redução das emissões de carbono do transporte de alimentos

Heather, Knizhnik L., "The Environmental Benefits of Urban Agriculture on Unused,


Impermeable and Semi-Permeable Spaces in Major Cities With a Focus on Philadelphia, PA" (2012).
Master of Environmental Studies Capstone Projects. 46.

Pullman, Madeleine E., Robin Fenske, and Wayne Wakeland. Food Delivery Footprint: Addressing Transportation,
Packaging, and Waste in the Food Supply Chain. OTREC-RR-10-06. Portland, OR:
Transportation Research and Education Center (TREC), 2010. http://dx.doi.org/10.15760/trec.129

Barreiro, L. (2012). Rooftop Gardening in an Urban Setting: Impacts and Implications


(Master's thesis, Duquesne University). Retrieved from https://dsc.duq.edu/etd/278

https://www.epa.gov/heat-islands

https://drawdown.org/solutions/green-and-cool-roofs
BENEFÍCIOS INDIVIDUAIS

Aumenta a seratonina e a dopamina (hormonas associadas à felicidade, que ajudam a combater o stress)
Ensina-nos o ciclo de vida da natureza e faz-nos ficar alerta para a importância desta
Aumenta-nos o sentido de responsabilidade
Torna-nos cuidadores – especialmente importante para a inclusão social
Ajuda a combater a ansiedade e a depressão
Promove uma alimentação saudável
É economicamente interessante para as famílias
Ajuda a diminuir os resíduos gerados

Soga M, Cox DT, Yamaura Y, Gaston KJ, Kurisu K, Hanaki K. Health Benefits of Urban Allotment Gardening:
Improved Physical and Psychological Well-Being and Social Integration.
Int J Environ Res Public Health. 2017;14(1):71. Published 2017 Jan 12. doi:10.3390/ijerph14010071

Bellows, Anne & Brown, Katherine & Smit, Jac. (2008). Health Benefits of Urban Agriculture.

Audate, Pierre Paul & Fernandez, Melissa & Cloutier, Geneviève & Lebel, Alexandre. (2018).
Impacts of Urban Agriculture on the Determinants of Health: Scoping Review Protocol.
JMIR Research Protocols. 7. 10.2196/resprot.9427.

Clatworthy, Jane & Hinds, Joe & Camic, Paul. (2013). Gardening as a mental health intervention:
A review. Mental Health Review Journal. 18. 10.1108/MHRJ-02-2013-0007.

Berman, Marc & Jonides, John & Kaplan, Stephen. (2009). The Cognitive Benefits of Interacting With Nature.
Psychological science. 19. 1207-12. 10.1111/j.1467-9280.2008.02225.x.
ESPAÇO: MONTAR A HORTA
LOCALIZAÇÃO, TIPOS DE VASOS, DRENAGEM,
SUBSTRATO
ONDE COLOCAR A HORTA

Local onde apanhe o máximo de horas de sol diárias possível, para poder
diversificar mais facilmente a horta (em Portugal é possível plantar em quase todos os locais, devido à nossa
latitude)
Local abrigado, caso a zona seja muito ventosa
Local com ponto de água – caso exista necessidade / possibilidade de rega automática

AO AR LIVRE: Terraço de prédios / casas; Varandas


NO INTERIOR: Junto a uma janela – evitar vidro fosco, que reduz a incidência de luz em cerca de 45%
(cozinha, marquise…)
QUE VASOS ESCOLHER

Mesas de cultivo
INDISPENSÁVEL: RECIPIENTES COM FUROS PARA DRENAGEM
QUE VASOS ESCOLHER

Canteiros / vasos na horizontal


INDISPENSÁVEL: RECIPIENTES COM FUROS PARA DRENAGEM

Cultivos da Caseiro
QUE VASOS ESCOLHER

Canteiros / vasos na vertical


ATENÇÃO: perigo de propagação de pragas
QUE VASOS ESCOLHER

Sacos de plantação

A Cientista Agrícola
QUE VASOS ESCOLHER

UPCYCLED
INDISPENSÁVEL: RECIPIENTES COM FUROS PARA DRENAGEM
QUE VASOS ESCOLHER

SISTEMAS COM AUTO IRRIGAÇÃO


QUE VASOS ESCOLHER

PROFUNDIDADE DOS VASOS


Depende do comprimento máximo das raízes do cultivo (idealmente queremos raízes o mais profundas possível para a
absorção de água e nutrientes ser maximizada)

Volume = Área da Base x Altura


Se houver base inferior diferente de base superior, então faz-se a média de ambas
(1 cm3 = 1ml)

Medidas “standard” para vasos:


1 litro (10 cm de altura)
5 litros (15 cm de altura)
15 litros (25 cm de altura)
30 litros (30 cm de altura)
DRENAGEM

DRENAGEM
ESSENCIAL. A falta de drenagem faz com que as raízes apodreçam (sem raízes os nutrientes não são levados até à folha e
não se realiza a fotossíntese, o que faz com que a planta deixe de “respirar” e morra)

MATERIAIS DE DRENAGEM
- Pedras
- Cacos de louça / cerâmica (o mais porosa possível)
- Tijolos partidos
- Argila expandida (leca)

QUANTIDADE DE ”DRENANTE”
Cerca de 10% da altura do vaso

Atenção: se forem cultivar dentro de casa, coloquem um manto de impermeabilização por baixo do vaso e / ou um prato, para
a água não ir ter ao chão.
QUE SUBSTRATO ESCOLHER

DEPENDE DAS CULTURAS


Cada cultivo tem as suas necessidades nutricionais.
Umas precisam de mais cálcio, outras fósforo, potássio.
O PH óptimo para diferentes hortícolas varia.
Umas raízes preferem solos mais arejados, umas precisam de drenagem óptima da água…

No geral
Para horta, um bom substrato de horta é solto, tem nutrientes adicionados e, idealmente, vermicomposto ou estrume de
cavalo (dois bons adubantes naturais para horta)
PREPARAR O CULTIVO
Que culturas escolher, Espécies vivazes, Cultivo indoor,
Consociação, Rotação de culturas
O QUE PODE SER PLANTADO EM HORTAS URBANAS

Plantas hortícolas
Abóbora, Acelga, Alface, Alho, Batata, Bróculos, Ceboula, Cenoura, Couve-galega, Couve Portuguesa, Couve-
flor, Curgete, Cogumelos, Ervilha, Ervilha de quebrar, Espinafre, Fava, Feijão Verde, Feijão
Branco/Preto/Manteiga/Frade/Catarino, Morango, Nabo, Nabiça, Pepino, Pimento, Rabanete, Repolho,
Rúcula, Tomate

Plantas aromáticas e medicinais


Alecrim, Alfazema, Cebolinho, Coentros, Equinácia, Erva-cidreira, Erva-príncipe, Estragão, Hortelã, Limonete,
Lúcia-lima, Manjericão, Orégãos, Rosmaninho, Salsa, Sálvia, Stevia, Tomilho

Flores comestíveis
Acácia Branca, Alegria do lar, Amor-perfeito, Calêndula, Camomila, Capuchinhas, Centáurea, Cravo da Índia,
Dente de Leão, Flor de Mel, Petúnia, Prímula, Verbena, Violeta
ESPÉCIES VIVAZES OU PERENES

Amora
Beringela (em climas quentes. Geralmente são anuais)
Bróculo perene
Chuchu
Cebolas perenes
Cebolinho
Dente de leão
Espargos
Figueira e árvores de fruto
Framboeseira – espécies remontantes
Kiwi
Lavanda
Maracujá
Medronheiro
Mirtilos
Morangos
Physalis
Tamarilho (tomateiro brasileiro)
PLANTAR EM POUCO ESPAÇO - ESPÉCIES QUE PRODUZEM MUITO

Acelgas – Outono / Inverno Espinafres – Outono / Inverno


Alface – todo o ano Feijão - Verão
Alho Francês Funcho – Outono / Inverno
Batata – Outono / Inverno Framboesa
Beringela - Verão Morango – todo o ano
Beterraba Nabo – todo o ano
Bróculos – Outono / Inverno Pimento - Verão
Cebola Physalis
Cenoura – todo o ano Rabanete – Outono / Inverno
Couve – Outono / Inverno Rúcula – todo o ano
Courgete - Verão Tomate - Verão
Ervilha – Outono / Inverno
MELHORES ESPÉCIES PARA CULTIVO INDOOR

Alface
Alecrim
Cebolinho
Cenoura
Coentros
Hortelã
Manjericão
Orégãos
Pimento
Rabanetes
Salsa
Tomate (sobretudo Cherry)
Tomilho
CONSOCIAÇÃO DE ESPÉCIES

VANTAGENS
Facilita o controlo de pragas
Evita competição entre culturas
Garante qualidade nutricional do solo
Facilita o controlo de rega
CONSOCIAÇÃO DE ESPÉCIES
CONSOCIAÇÃO DE ESPÉCIES

Agrobio, Manual de Agricultura Biológica, Lisboa 2002


CONSOCIAÇÃO DE ESPÉCIES

Agrobio, Manual de Agricultura Biológica, Lisboa 2002


ROTAÇÃO DE CULTURAS

(Técnica utilizada em permacultura que permite preservar a qualidade do solo e evitar a propagação
ou a susceptibilidade a pragas)

Plantar uma série de culturas (com características diferentes) sucessivamente (sem tempo de pousio) ao
longo de 4-5 anos no mesmo pedaço de terra

Importante: Não plantar cultivos da mesma família em anos sucessivos (são susceptíveis às mesmas pragas
e absorvem nutrientes semelhantes)

4 FAMÍLIAS
Raízes (Umbelíferas): Aipo, Alho, Cebola, Cenoura, Coentros, Cominhos, Cebolinho, Funcho, Salsa
Legumes: Acelgas, Ervilhas, Espinafres, Feijão (todos)
Brassicas: Couve bruxelas, Couve, Couve-flor, Kale, Nabo, Rabanetes
Solanaceae: Batata, Beringela, Pepino, Pimenta, Tomate
ROTAÇÃO DE CULTURAS
INICIAR O CULTIVO
Fazer sementeiras, regrow, transplantar mudas...
Quando semear e plantar cada cultivo
SEMENTEIRAS

SEMENTEIRA DIRETA vs EM VIVEIRO


A maior parte dos cultivos pode ser plantado em sementeira direta
(no local definitivo) ou em viveiro.

No Inverno, por estar mais frio, poderá fazer mais sentido utilizar sementeira em “viveiro” (pode ser feito em
casa).

Há espécies (como o grão) que não gostam da transplantação, pelo que poderá fazer sentido sementeira
direta nestes casos.
SEMENTEIRAS

MATERIAIS PARA FAZER A SEMENTEIRA


Caixas de ovos / rolos de papel higiénio ou vasos de turfa biodegradáveis (especialmente para espécies que
não gostam de ser transplantadas)
Alvéolos (couvetes) ou pequenas caixas (geralmente plásticas, como as de iogurte
SEMENTEIRAS

SUBSTRATO PARA A SEMENTEIRA


Substrato específico de compra
Substrato aproveitando terra que exista, adicionando fertilizante (vamos ver mais à frente que hipóteses de
fertilizante caseiro existem)

PROFUNDIDADE DA SEMENTEIRA
Para hortículas: colocar as sementes a 1cm
Ervilha e feijão: colocar as sementes a 3cm
Sementes de aromáticas e flores: colocar as sementes a 0,5cm
SEMENTEIRAS

QUANTIDADE DE SEMENTES
Colocar sempre mais sementes do que o número de pés que pretendemos, para escolher as mais viáveis (que
dão folha maior, mais consistente…).
Depois de as sementes brotarem, repicar (retirar) as que estiverem a mais.

REGAR A SEMENTEIRA
Fazer rega gota-a-gota ou com um borrifador, sempre que o solo estiver seco (temos de colocar o dedo e vir
alguma terra no dedo).

ONDE COLOCAR
Em local com temperaturas não muito frias (acima de 17ºC). Em algumas alturas do ano, pode ser necessário
tapar as sementeiras (tipo estufa)
SEMENTEIRAS

ONDE COLOCAR
Em local com temperaturas não muito frias (acima de 17ºC). Em algumas alturas do ano, pode ser necessário
tapar as sementeiras (tipo estufa).

Depois de germinarem, passar a sementeira para um local bem iluminado (ainda que dentro de casa)

TEMPO DE SEMENTEIRA
Depenndendo das espécies, as plantas podem estar prontas para transplantar em cerca de 1-2 meses (menos
no Verão e mais para alguns hortícolas, como a cebola – mas há uma maneira mais fácil de plantar cebola,
que veremos à frente)
TRANSPLANTAR

QUANDO TRANSPLANTAR
Quando as sementes tiverem germinado e dado algumas (3-4) folhas definitivas (diferentes das primeiras que
surgem por vezes na germinação, mais pequenas, que acabam por cair), temos a nossa “muda” da planta.

Regra geral, a muda deverá ter alguns centímetros antes de ser transplantada, de modo a conseguir agarrar a
planta, retirar da sementeira e colocar no local definitivo.
TRANSPLANTAR

COMO TRANSPLANTAR
Fazer (preferencialmente) uma mudança progressiva do interior para o exterior, colocando a sementeira,
durante os primeiros dias, apenas umas horas no exterior (sem ser em horas de grande calor)

Pegar na planta o mais perto da terra possível, puxando com cuidado para não partir a raiz. Queremos que a
raiz permaneça o mais comprida possível.

Não sacudir a terra da sementeira. Esta terra vai com a planta para o local definitio!!

Enterrar a totalidade das raízes, envolver bem a planta em terra (sem calcar) e regar cuidadosamente com
gotas ou borrifador.

Ir verificando a humidade (rega) especialmente na primeira semanas, para garantir a adaptação correta ao
local definitivo.
PROPAGAÇÃO

QUE TIPOS DE PROPAGAÇÃO?


Por semente (coentros, mangericão, salsa)
Quando a planta florir e der semente, deixar secar e podar.
Cultivar em sementeira.

Por estacas (alecrim, alfazema, hortelã, orégãos, sálvia, tomilho)


Antes de a planta começar a dar flor, cortar um tronco (estaca) da planta que esteja diretamente ligado ao
caule central)
Retirar as folhas inferiores, deixando 2-3 folhas na parte superior
Colocar em substrato humedecido no local definitivo ou em sementeira (funda) enterrando a planta até pelo
menos um nó onde estava uma das folhas que retirámos.
Regar com gota ou borrifador e ir verificando a humidade do solo
Colocar o vaso num local com boa iluminação indireta e a uma temperatura amena/alta (pelo menos 20ºC)

Por divisão (erva príncipe, hortelã)


Em plantas adultas, desenterrar a planta e dividir as raizes.
Plantar em vasos separaados
FAZER CRESCER DE NOVO, COM O QUE IRIA SER DESCARTADO

REGRAS BÁSICAS
Tem sementes? Retirar para semear.
Se a semente estiver envolta em polpa (tomate, abóbora, cereja), deixar
primeiro em água para sair tudo e depois secar. Se não estiver (pimento,
manjericão, salsa), secar e guardar.
As sementes estão secas quando as dobrarmos com a mão e partirem

Cria raiz? Colocar essa parte em água e transplantar quando a raiz


estiver maior.
Batata, Batata doce, Cebola, Gengibre, curcuma

As folhas crescem em elipse do centro? Colocar em água e


transplantar, se necessário / desejado
Couve, Alho Francês, Aipo
REGROW

Food Revolution
REGROW

Food Revolution
REGROW

Food Revolution
CALENDÁRIO DE PLANTAÇÔES

AGRILOJA
CALENDÁRIO DE PLANTAÇÔES

AGRILOJA
CALENDÁRIO DE PLANTAÇÔES

AGRILOJA
CUIDAR DA HORTA
Rega, poda, fertilização
MANUTENÇÃO

Cada cultivo tem as suas necessidades. O ideal é verificar, no momento do desenho da horta, como
manter cada cultivo, para confirmar se é possível manter em condições óptimas no local escolhido.

FONTE
REGA

• Nunca encharcar o solo (as raízes têm de respirar) – as plantas morrem mais depressa de água em
excesso do que falta de água
• Plantas em fase de desenvolvimento inicial, de florificação e frutificação necessitam de mais água
• Excesso de água pode atrasar a maturação, provocar apodrecimento depois da colheita e dar origem a
frutos menos doces
• Início de vida – raízes mais curtas – menos água, rega mais frequente
• Atenção à evaporação de água no Verão – regar for a das horas de maior calor (de manhã) e fazer
mulching (cobrir o solo com palha/cascalho)
• A rega deve ser aplicada no solo e não nas folhas, já que podem surgir mais facilmente fungos se as
folhas estiverem húmidas

TIPOS DE REGA:
Automática: com sistema gota a gota ou de aspersão
Manual: com mangueira /regador
PODA / MONDA / DESFOLHA

QUE ESPÉCIES?
Tomateiro – Podar (remover) os rebentos que se formam na zona de junção das folhas ao caule, uma vez que
estes rebentos vão retirar nutrientes essenciais à frutificação; Despontar (cortar o topo) quando atingir a altura
ideal (1,5m)
Cenoura - Mondar(retirar as plantas em excesso após a germinação)
Coentros – Mondar
Feijoeiro - Despontar
Nabo – Mondar
Salsa – Mondar

Desfolhar todas as culturas: remover folhas velhas para facilitar entrada de luz e evitar pragas
CONDUÇÃO DE PLANTAS TREPADORAS

QUE ESPÉCIES?
Hortícolas: Tomateiro, feijoeiro, ervilheira, algumas courgetes
(grão, lentilhas, pimenteiros e beringelas precisam de estacas, mas não são trepadeiras)
Fruta: videira, maracujeiro, framboeseira
Flores: Buganvílea, Jasmim

COMO CONDUZIR?
Utilizar um tutor (fio, cana, rede, treliça) para ajudar a suportar a planta. Cuidadosamente enrolar a planta no
tutor ou prender o caule central ao tutor com um grampo (sem fazer pressão).

COMO PARAR CRESCIMENTO?


Cortar o local de crescimento na extremidade do corpo central da planta
FERTILIZANTES

QUANDO FERTILIZAR?
Antes de cada ciclo de cultivo (1-2 semanas antes), misturar fertlizante na terra
Na sementeira
Pode repetir-se a fertilização do solo a cada 3-4 meses (máximo=

QUE FERTILIZANTE USAR?


Aplicar Calcário, para corrigir o pH do solo (se fizerem análise química – é ideal pH entre 6 e 7,5)
Plantar Fabáceas (leguminosas) para fixar azoto nos meses mais frios, fertilizando-o
Composto orgânico de minhoca (na sementeira)
Casca de ovo (lavada e moída) – adicionar cálcio
Casca de banana fervida – Adicionar Potássio e Fósforo
Borras de Café – Adicionar Azoto
Cinza - Adicionar Potássio e Fósforo
FERTILIZANTES

COMO FERTILIZAR?

Vermicomposto Líquido:
1/10 (Composto / Água) para regar a terra
1/15 (Composto / Água) para pulverizar as plantas

Vermicomposto Sólido:
- Em vasos, misturar 1 parte de composto para 5 partes de terra
- 5 a 10 litros por m2 de solo / horta
(regra geral, para 1 parte de adubo, colocar 3 partes de terra)
- Fazer uma pequena vala à volta da planta e colocar o composto
- Para utilizar em vasos: colocar por cima uma camada fina e regar para os
nutrientes descerem até às raízes
TAREFAS POR MÊS

JANEIRO
- Cobrir as plantas de noite, devido às geadas
- Semear fava, ervilha, alface, rabanetes, couve-flor, bróculos, repolho, cebola, cenoura
- Criar as hortaliças em viveiro

FEVEREIRO
- Fazer sementeira de melões, pimentos e tomateiros (em local quente)
- Semear diretamente abóboras, acelgas, alface, alho-francês, beterraba, cebolas, cenouras, coentros,
couve-flor, espargos, ervilhas, espinafres, favas, feijão, malagueta, melancia, nabiças, nabos, pimentos,
repolho, salsa, tomate
- Plantar batata
TAREFAS POR MÊS

MARÇO
- Realizar adubações, correções de solo e preparar terrenos para sementeiras
- Semear diretamente milho, abóbora, alface, beterraba, cenoura, ervilha, espinafres, feijão, melancia, melão,
nabiças, rabanete, salsa, tomate, pepino
- Plantar / transplantar batata, cebola, couve, espargos

ABRIL
- Ficar alerta para ataques de insetos e lesmas
- Semear abóbora, alface, chicória, couve-galega, espinafre, ervilha, feijão, melancia, melão, nabiças, pepino
e rabanete.
- Plantar ou transplantar: alface, batata, cebola, couves, pimentos e tomates.

MAIO
- Continuar a fazer sementeiras de feijão e ervilhas
- Mondar
- Regar ao fim do dia para a terra conservar mais tempo a água absorvida
TAREFAS POR MÊS

JUNHO
- Semear alface, feijão, nabiças e rabanete
- Plantar ou transplantar para a horta: alface, couve galega.
- Colheita de: alface, batata, chicória, couves, espinafres, nabiças e rabanetes

JULHO
- Regar ao fim do dia
- Semear: acelgas, agriões, alface de Outono e Inverno, beldroegas, bróculos tardios, cenouras, couve-de-
bruxelas, couve-nabo, couve-flor tardia, ervilhas, feijão (de trepar e anão), nabo, rabanetes, repolho de
Inverno, salsa.

AGOSTO
- Preparar o terreno da horta para as sementeiras e plantações de Outono.
- Limpar os morangueiros, cortando-lhes os estolhos ou deixando só os necessários para a multiplicação.
- Semear: acelgas, agriões, alface, beldroegas, cebolas, cenouras, couve-nabo, espinafres, favas, feijão,
nabo, rabanetes, ervilhas, repolho de Inverno, salsa.
TAREFAS POR MÊS

SETEMBRO
- Preparar e adubar o substrato
- Cuidar das hortaliças (bróculo, couve-flor, penca e repolho), que deverão ser estrumadas ou tapadas a meio
do mês, se o não tiverem sido antes.
- Semear: agriões, alfaces, azedas, beldroegas, cebolas, cenouras, chicórias, coentros, couves-flor, repolho,
ervilhas, espinafres, favas, nabos, rabanetes, salsa, segurelha, etc.

OUTUBRO
- Defender as hortaliças contra a possível aparição de geadas, por meio de folhas secas, caruma, palha,
feno, etc.
- Semear ervilhas, favas, lentilhas, nabos, rabanetes, cenouras, espinafres (que se colhem pelo Natal),
coentros e agriões.
- Plantar espargos, couves, beterrabas, morangueiros e alhos.
- Os alhos devem plantar-se cedo e gostam de uma boa adubação potássica (Banana, cinza)
TAREFAS POR MÊS

NOVEMBRO
- Preparar os vasos e canteiros destinados às sementeiras e plantações de Primavera. Fertilizar!
- Semear alface, beterraba, cebola, tomates, couve galega, nabiças de grelo, nabo redondo, rabanetes,
ervilhas, favas e salsa.
- Proteger contra as geadas as plantas mais susceptíveis, com abrigos plásticos, esteiras, etc.

DEZEMBRO
- Semear: cebola, couves, nabiças, rabanetes, espinafres, agriões, alfaces, favas, ervilhas e cenouras.
- Plantam-se na horta: chicórias, couves diversas (nomeadamente repolho e couve-flor), estolhos de
morangueiros, alhos e cebolas.
CONTROLO DE PRAGAS:
PREVENÇÃO E CORREÇÃO
CONTROLO DE PRAGAS

MÍLDIOS
Provocam uma mancha oleosa na parte superior das folhas e, depois de secar, pode matar a planta.
Aparecem sobretudo em alho, alface, batata, cebola, tomate e morango
Para combater, utilizam-se produtos à base de cobre

OÍDIOS
Aparecem sobretudo em ervilheira e tomateiro
Para combater, utiliza-se enxofre

PIOLHOS
Aparecem em faveiras
Para combater, usa-se sabão de potássio ou um produto caseiro (veremos à frente)

LAGARTAS
Aparecem em couves
Para combater, basta utilizar soluções caseiras (veremos à frente)
CONTROLO DE PRAGAS

PIOLHO

Medidas preventivas
Plantar plantas repelentes tais como: alho, salsa, cavalinha, cidreira, entre outras.

Medidas corretivas / de tratamento


1. Ferver 5 a 6 dentes de alho e adicionar meia cebola em 1 litro de água. Deixar ferver em torno de 15
minutos e quando esta solução esfriar, pulverizar sobre as plantas atacadas
2. Solução de urtigas: colocar num recipiente com 10 litros de água cerca de 200/250 gramas de urtigas.
Deixar esta solução a “marinar” durante 4/5 dias. Após esse período, coar a solução e pulverizar as
plantas atacadas.
3. Solução de sabão: 10l de água, 250 gramas de sabão azul e 100ml de azeite. Ferver o sabão em água
para derreter e juntar o azeite e a água, mexendo bem. Depois de ter arrefecido, aplicar com um
pulverizador sobre as plantas afectadas pelo piolho. Aplicar de 15 em 15 dias.
CONTROLO DE PRAGAS

MEDIDAS CORRETIVAS

Lesmas
Colocar uma armadilha de cerveja na zona afetada: um copo de cerveja meio cheio enterrado na horta
apenas cm 1cm acima do solo. As lesmas vão cair no copo. Substituir a cerveja a cada 2/3 dias
Pulverizar vinagre sobre lesmas – com atenção para não ir para as plantas

Caracóis
Colocar cinzas em torno das plantas (os caracóis não passam a barreira de cinza)
Pulverizar vinagre sobre caracóis – com atenção para não ir para as plantas

Mosca da fruta
Fazer uma solução com uma chávena de água, meia chávena de vinagre de maçã e meia chávena de açúcar.
Uma vez que a mistura é doce, as moscas vão ficar atraídas pela mesma e afastam-se dos frutos.
CONTROLO DE PRAGAS

IDENTIFICAR PRAGAS

EARTHBOX
CONTROLO DE PRAGAS

IDENTIFICAR DOENÇAS

EARTHBOX
CONTROLO DE PRAGAS

Medidas preventivas
Plantar espécies aromáticas e medicinais com ação repelente de insetos e flores que ajudem a a atrair insetos
polinizadores e predadores, como:

ABSINTO ALHO CAMPÂNULA

AÇAFRÃO ALISSO CENOURA

ALFAZEMA BORRAGEM COENTROS

ALECRIM CALÊNDULA DENTE DE LEÃO


CONTROLO DE PRAGAS

Medidas preventivas
Plantar espécies aromáticas e medicinais com ação repelente de insetos e flores que ajudem a a atrair insetos
polinizadores e predadores, como:

ERVA GATEIRA HORTELÃ SÁLVIA

FUNCHO LAVANDA TAGETES

GERÂNIO MANJERICÃO TOMILHO

GIRASSOL SALSA PAPOILA


REFERÊNCIAS
REFERÊNCIAS
DÚVIDAS?