Você está na página 1de 9

Introdução

O presente Relatório ė relativo as Práticas Pedagógicas I, tem como objectivo raciocinar de forma
contemporânea e circunstancial as acções levadas durante a cadeira de PPI, tem como pedido
resumo dos seminários e portfolio, trabalho importante que é de certa forma indispensável na sua
execução, pós contribuirá para o desenvolvimento das nossas capacidades.
As actividades das PP1, são actividades que começam com as aulas teóricas através de
seminários em os vários grupos que compõem a turma apresentam os seus temas, em seguida
seguiu para segunda fase a que foi a de trabalho de campo que começou por uma apresentação
dos estudantes praticantes á direcção da Escola.
O Relatório encontra-se estruturado em capítulos, já no primeiro capítulo encontra-se arrolados os
seguintes temas: Referência Teóricas Metodologia de trabalho Específicos objectivos e conceito.
O segundo capítulo relata sobre os trabalhos do campo com uma caracterização da Escola
primária Sebastião Marcos Mabote, através da sua localização geográfica e breve historial e
aspectos físicos.
O terceiro capítulo relata Funções dos membros de Direcção da escola e funções dos delegados
de disciplina.
O quarto capitulo desenrola documentos do sector pedagógico documentos normativos da
Secretaria e meios auxiliares/Material didáctico /Instalações.
E o quinto aborda funções da secretaria área administrativa/Secretaria Organização preparação
do ano lectivo escolar actividades extracurriculares.
Este trabalho possui recomendações em relação as dificuldades que a autor foi encontrado a
partir da UP, até a fase do trabalho do campo da Escola Primária Sebastião Marcos Mabote, que
vão ajudar a melhoria do ensino, também aparece uma conclusão em que só tenta explicar duma
maneira sintética aquilo que a autor notou durante as PPG’s.
Para conferir maior grau de cientificidade do presente relatório foram usadas fontes bibliográficas
que se constam na última página do trabalho assim como nos anexos que vão ajudar na maioria
da interpretação dos factos evidenciados neste relatório.

Capitulo I
1.1 Conceito
Relatório as prática pedagógicas é um trabalho que resulta de um trabalho científico destinado a
pesquisa de determinadas questões pedagógicas relacionadas com práticas pedagógicas
escolares, sobre tudo com o ensino.
1.2 Objectivos das praticas pedagógicas
O relatório de PPG tem como propósitos
ü  Divulgar informações sobre um determinado assunto
ü  Servir de registo de um trabalho executado
1.3 Importância de relatório das praticas pedagógicas
a importância das práticas pedagógicas é conhecer quais os documentos que são usados nas
escolas, a estrutura máxima duma escola, ambiente escolar, a relação entre professores e alunos,
professores entre si e com os demais funcionários.
1.2.1 Conceito de PPG
Segundo a proposta do regulamento académico da UP (2012:4) pratica pedagógicas são
actividades curriculares articuladoras da prática e da teoria, que possibilitam o contacto
experimental em situações psico-pedagógicos e didácticas concretas, e que contribuem
para preparar de forma gradual o estudante para a vida profissional.
1.3 Objectivos
Objectivo é um fim que se quer atingir. http//: www.wikipedia.com (cessado 27.11.2012).

1.3.1        Geral das praticas pedagógicas


Segundo MARCONI e LAKATOS (2001: 102) os objectivos gerais estão ligados a uma visão
global e abrangente.
·         Conhecer os dados informativos de uma escola, avaliando sobre o seu
funcionamento no seio de toda actividade educacional.
1.3.2 Específicos
·         Relacionar as diferentes áreas de serviço dentro de uma escola;
·         Descrever dados informativos em regime do funcionamento escolar;
·         Identificar os documentos constantes numa escola e no sector Pedagógico;
·         Descrever a utilidade de tais documentos e o funcionamento dos mesmos.

1.4 Importância das práticas pedagógicas


Possibilitam-nos a vivência do meio escolar em contacto com os alunos. Desenvolvem actividades
do PEA, pesquisa o desenvolvimento de competências de saber ensinar, aprender, conviver
profissionalmente assim como desenvolver capacidades de análise e contribuição crítica e
criadora par um melhor ensino de qualidade.
1.5 Interveniente das práticas Pedagógicas.
·         Praticantes ou estudantes
·         Professores da escola:
·         Supervisor, Comissão de coordenação das práticas pedagógicas

1.6  Objectivos do trabalho.
As aulas de observação directa (naturalista) iniciaram Na primeira quinzena de Outubro de 2012,
tendo como objectivo principais:
·         Observar o aspecto físico da escola.
·         Recolher informação sobre o seu funcionamento.

1.7 Descrição da etapa


A primeira etapa das PP corresponde a PPG1 que tiveram lugar no lectivo de 2012, no segundo
semestre nas instalações da UP Campus universitários de N’coripo no período diurno, sob a
orientação do dr Zacarias Millisse Chambe.
O objecto principal da observação do funcionamento da Escola primaria de Sebastião Marcos
Mabote como do estudo e análise de documento fornecidos pela instituição.
1.8 Metodologia de trabalho
Para a recolha de informações da escola primária Sebastião Marcos Mabote o grupo utilizou os
seguintes métodos:
·         Entrevista direccionada aos membros da direcção da escola com vista para melhor se
informar sobre o funcionamento da escola, situação relativa a material escolar e documentação
relativamente existente.
·         Recolha de informações através de inquérito, contacto directo com membro da direcção e
diálogo.
·         Observação direita que permitiu a discrição de todo meio ambiente circunscrito a escola os
materiais existente nos diversos gabinetes e estudo documental foi feita em conjunto, sendo a
elaboração do relatório grupo.
·         Consulta e investigação nas várias obras relacionadas com o tema.

1.9 Referencia Teóricas


Segundo DIAS et all (2008:123) O relatório de práticas pedagógicas,” resulta de
um trabalho científico destinado a pesquisa de determinadas questões
pedagógicas relacionadas com prática pedagógica escolar. Através dele o
estudante articula os saberes científicos com os psicopedagogos e didácticos.”
De acordo com MARCONI e LAKATOS (2004:275) “ observação é uma técnica de colecta de
dados para conseguir informações utilizando os sentidos na obtenção de determinados aspectos
da realidade. Não consiste apenas em ver e ouvir, mas também em examinar factos ou
fenómenos que se deseja estuda.  ”
Neste espaço, os conceitos mais usados neste relatório:
Colectivo da direcção – é o órgão consecutivo, composto pelo director, director adjunto
pedagógico, na escola onde funcionam MINED (2008:18)
Conselho de escola é órgão máximo do estabelecimento e tem como objectivo:
a)      Ajustar as directrizes e metais - estabelecidas a nível central, a realidade da
escola’. MINED (2008:14)
b)      Garantir a gestão democrática, solidário e co-responsável.
Escola “ e grupo social em que o professor realizam um trabalho de superação das diversidade”
MARTINS (1999: 49)
Capitulo II
2.1 Breve historial da Escola Primaria Sebastião Marcos Mabote
O surgimento da Escola primária Sebastião Marcos Mabote teve como factores principais:
a)      1999 no bairro de Matuto nesta cidade de Montepuez nasceu um novo aglomerado
populacional que designou de Matuto 4 e mais conhecido por Mocimboa da montanha.
b)      As crianças em idade escolar necessitavam de estudar e a única escola que deviam
frequentar era a Escola completa sede Montepuez cuja distância dificultaria e dificultou a sua
pontualidade e assiduidade, em especial aos da 1ª classe.
c)      O elevado efectivo dos alunos da EPC Montepuez, devido aos alunos que vinham dos bairros
circunvizinhos ocasionou assim a insuficiência das salas de aula.
d)     Crescimento cada vez mais das crianças em Momciboa da montanha.
Devido a estes factores houve a necessidade de se fundar uma Escola primária da Momciboa da
montanha. Já naquela altura a Escola chamava-se Escola anexa Montepuez sede.
Em 2002 os pais e encarregados de educação a toda comunidade mobilizaram-se e contribuíram
ideias e construíram com material local dois edifícios com duas salas de aula a cada.
Neste mesmo ano a escola deixa ser anexa e passou a ser uma escola independente em 2002 a
direcção distrital da educação criou uma direcção composta por uma directora que respondia o
nome de Jiria Eduardo, ela foi considerada como a primeira dessa escola.
Félix Adelino Cavava foi o director distrital da educação desta cidade, como fundador da EP1
Sebastião Marcos Mabote.
Sebastião Marcos Mabote foi combatente da luta de libertação nacional da primeira hora, chefe
das operações no departamento da defesa. Após a independência em 1975 foi chefe do estado-
maior general das forças armadas de Moçambique e vice ministro da defesa nacional.

2.2 Localização geográfica da Escola


A escola é uma instituição onde se concretiza o direito á educação, que se exprime pela
garantia de uma permanente acção formativa orientada para favorecer o
desenvolvimento global da personalidade, o progresso social e democratização da
sociedade. http//: www.wikipedia.com (cessado 27.11.2012)

A Escola primária Sebastião Marcos Mabote fica no centro do bairro da Momciboa da montanha e
esta situada na extremidade leste do bairro do Matuto – 3, á 3km do centro da cidade de
Montepuez.
2.2.1 Limites
Ao Norte fica o rio Niurya separando do bairro N’coripo.
Ao Sul esta a montanha Girimba que separa do bairro Nacate.
A Leste fica a montanha Nipuwa e Mato Maato que separa do bairro Nicuapa.
A Oeste fica a ponte apintissina que separa do bairro Matuto 3.

Capitulo III
 3.1.Funções dos Membros de Direcção da Escola
3.1.1 Director da escola
É o órgão que corresponde com a organização e a gerência de todas as actividades da Escola
coadjuvado por outros componentes da direcção. O director é responsável pró todas as
actividades curriculares e extra curriculares, assim como os documentos referentes aos mapas
estatísticos, regulamento, selecção dos conteúdos referentes ao currículo local.

3.1.2 Director Adjunto Pedagógico (DAP)


É o órgão que coordena, supervisão, acompanha, apoia e avalia as actividades pedagógicas
curriculares, compete a este organizar o processo docente, metodologia de ensino e de avaliação
da aprendizagem em coordenação com os demais membros do conselho pedagógico.
Nos últimos anos, a aquisição e distribuição gratuita e racional escolares, dada a importância do
livro no processo de ensino e aprendizagem, assim funcionando como um empréstimo devendo
ser devolvido no final de cada ano lectivo. Para o uso dos alunos que vão ingressados pela 1ª ou
os que passaram de classe.
3.2 Funcionamento da Escola
A Escola Primária Sebastião Marcos Mabote tem dois turnos. A Direcção organizou o
funcionamento do horário em dois turnos, sendo:

Quadro 1: Horário de turnos


Horas Turno Classe
7:00h – 11:00h Manhã 1ª a 3ª classe
13:00h – 17:00h Atarde 4ª e 5ª classes
Fonte: Adaptado pelo autor 2012

Quadro 2: Efectivo escolar


Na EP1 - tem um total de 996 alunos.
Ciclo Classe Número de Alunos Total
turmas H M

1º 1ª 6 285
2ª 5 232
2º 3ª 4 167
4ª 4 148
5ª 5 164
Total 24 485 511 996
Fonte: Adaptado pelo autor 2012

3.3 Formação profissional dos professores


Segundo a Direcção da EP1 – Sebastião Marcos Mabote, à Escola possui vinte e três (23)
professores. De salientar que, cinco (5) professores são do sexo masculino e os restantes trinta e
dezoito (18) são do sexo feminino. E dois não tem formação uma mulher e um homem.
Número total dos professores
Professores Numero
Mulheres 18
Homens 5
Total 23
Fonte: Adaptado pelo autor 2012

3.4 Funções dos delegados de disciplina


Os delegados de disciplinas, coordenam as actividades de classe ou do ciclo, obedecendo os
critérios estabelecidos como normas de funcionamento, como utilização dos livros de sumários,
garantindo a realização dos encontros com Direcção e conselho da Escola das planificações
semanais. A escola possui pastas de arquivo onde são
Conservados os documentos como planos quinquenais e semanais de cada disciplina, actas
elaboradas nos encontros quinquenais.
3.5 Função do director da turma
O director da turma e escolhido pelo director da escola, que tenha competência do sector
pedagógico, devendo ser um professor que de aula nessa turma. Com as seguintes
competências.
·         Estruturar a turma de acordo com o presente regulamento da escola
·         Reunir a turma semanalmente de acordo com o horário estabelecido
·         Resolver os problemas da turma
·         Tem que conhecer todos alunos e ter muita atenção peloso alunos

3.6. Estudo de documentos de aproveitamento pedagógico


3.6.1 Registo de notas
O registo de notas dos alunos e feito em cadernetas por parte dos professores, que são livros que
os professores recebem para fazer o cadastro do aproveitamento de todo ano lectivo. Na parte do
sector pedagógico e feito em pautas e depois guardado e conservados correctamente.

Capitulo IV
4.1 Documentos do sector pedagógico
·         Instrução ministerial;
·         Regulamento interno da Escola;
·         Regulamento de Escola;
·         Regulamento de Avaliações;
·         Estatuto do professor;
·         BR;
·         O regulamento do MEC;

A instituição faz o estudo dos documentos normativos, que foram recolhidos por nós. Nesta
perspectiva a Escola divulga o regulamento interno nas reuniões de turmas e nos encontros entre
professores. O registo académico por parte dos professores é feito nas cadernetas e no sector
pedagógico é feito em pautas.
4.2. Documentos normativos da Secretaria
·         Livro de ponto;
·         Livro de registo de expediente;
·         Uma lista de docentes e trabalhadores;
·         Regulamento das Escolas do ensino básico;
·         Processos individuais dos alunos;
·         Minutas para diversos tipos de regulamentos;
·         Modelos para o processamento de salários.

4.3  Meios auxiliar/Material didáctico /Instalações


A instituição possui algum material didáctico feito pelos alunos em colaboração com os
professores que é armazenado numa e que na sala para o uso dos mesmos, como:
ü  Mapas, cartazes, globo terrestres, livros de consulta, manuais e outros.

4.3.1        Sala de aulas
A escola primária Sebastião Marcos Mabote, possui 12 quadros, 12 cadeiras do professor, não
tem carteiras suficientes para os alunos, ela não possui armários, ventoinhas e nem ar
condicionado, não tem cesto para o depósito de lixo. Ela não possui o número total de material
didáctico, não possui gravadores, expositores, e nem televisão.
4.3.2 Observações de material didáctico
A instituição não possui cantina escolar, sala de professores, oficina pedagógica, laboratório,
papelaria, posto de saúde, residência de professores, cestos de lixo, gravadora, expositora,
fotocopiadora, duplicador.
4.3.3 Organização do livro de turma
Livro de turma e um instrumento que consta informações de
·         Nomes completos dos alunos
·         Dados bibliográficos
·         Notas dos alunos
·         Actividades extras curriculares que os alunos realizam na escola
·         Horário da turma
·         Espaço onde os professores marcam faltas e preenchem a meteria dada
4.3.4 Importância do livro de turma
Permite conhecer e controlar todas actividades dos professores e dos alunos. Actividades
pedagógicas, presenças dos alunos assim como dos professores. Em suma controlar todas
actividades de ensino e aprendizagem e conservar as informações de todos processos da escola.
4.3.5 Plano de Estudo
É um documento que orienta as actividades lectivas de um ano e junta-se ao calendário escolar
de todos os níveis de ensino, o plano de estudo resume-se em mapas de cumprimentos do
programa e ensino, onde cada disciplina esta planificada, as aulas que devem ser dadas ate ao
final do ano.
4.3.6 Regulamento da Avaliação
Segundo LIBÂNEO (2006:196) Avaliação é uma apreciação qualitativa relevantes do
processo de ensino e aprendizagem que auxilia o professor a tomar decisões sobre seu
trabalho.
Permite conhecer e controlar todas actividades dos professores e dos alunos. Actividades
pedagógicas, presenças dos alunos assim como dos professores. Em suma controlar todas
actividades de ensino e aprendizagem e conservar as informações de todos processos da escola.
No regulamento geral das escolas do ensino básico do diploma ministerial número 79/96 de 28 de
Agosto está disposto nos seguintes:
Artigo 46 Definição de avaliação
Este artigo define avaliação como uma componente de prática educativa que permite uma recolha
sistemática de informação.
Artigo 47 Local de realização da avaliação
Incide sobre aprendizagem competências definidas nos programas de ensino para diferentes
áreas de disciplina de ensino de cada ciclo e grau, esta é feita no recinto de aula podendo ser em
salas de aulas, e em outros locais propícios para a realização desta actividade.
Artigo 48 Objectivos de avaliação
Permite ao professor tirar conclusão de resultados alcançados para o comportamento
pedagógico, apoia o processo educativo de modo a sustentar o PEA.
Artigo 49 Princípios de avaliação
Consistência entre os processos de avaliação e aprendizagem.
Avaliação formativa tem a valorização dos processos de autoavaliação.
A valorização do aluno ao longo do ciclo de aprendizagem, transparência no processo de
avaliação e a diversificação dos intervenientes da avaliação   
Artigo 50 Intervenientes da avaliação
Os principais intervenientes da avaliação são: os professores e alunos
Artigo 5 Modalidades da avaliação
Abrange os seguintes tipos de avaliação:
·         Avaliação diagnostica - que se faz no inicio do ano lectivo com vista avaliar o nível de
aproveitamento pedagógico que os alunos têm.
·         Avaliação formativa – é contínua e sistemática com a finalidade de ver o grau assimilação
da matéria por parte dos alunos.
·         Avaliação somática – ocorre no fim de cada ano lectivo e de cada ciclo, tem a função de
avaliar o aproveitamento pedagógico final dos alunos e o seu registo é obrigatório.
·         Avaliação aferida - destina-se a recolher dados sobre o currículo.
Artigo 56 formas da avaliação
Existem 3 formas de avaliação:
·        Avaliação contínua e sistemática (ACS) 
·        Avaliação continua parcial (ACP)
·        Avaliação final (AF)
Existem também avaliação qualitativa e quantitativa:
De 0 aos 6 valores – não satisfatória
De 7 aos 9 valores – aceitável
De 10 aos 13 valores – satisfatório
De 14 aos 17 valores – bom
De 18 aos 20 valores – muito bom
Artigo 64 Duração dos testes
A realização dos testes pode ser de curta ou longa duração.
De longa duração – realizam-se dentro de um tempo lectivo duma determinada disciplina fazendo
parte deste os de um tempo lectivo 45 minutos, 60 minutos ou 90 minutos.
Os de curta duração – faz-se antes do início da aula, ao decorrer ou no final da aula podendo
durar de 10, 15 ou 20 minutos.

Artigo 65 utilidade do TPC


 O TPC serve para consolidar os conteúdos tratados numa ou mais aulas.
Serve para avaliar o aluno sempre possível deve ser de forma oral.
Na avaliação d TPC deve se ter em a apresentação, caligrafia, organização e a limpeza.
A classificação do TPC deve ser registada no grupo de ACS.
4.3.7 Circulares
Passam por esta escola vários documentos normativos provenientes do MEC e outros ministérios
velando pelo bom funcionamento, dentre estes destacam-se as circulares que são documentos
oficiais provenientes de órgãos hierarquicamente superiores reportando assuntos que o seu
conhecimento e cumprimento e de carácter obrigatório. Estas são enumeradas, datadas,
assinadas e carimbadas.    
4.3.8 Mapas Estatísticos 
Nestes documentos são afixados os resultados ou aproveitamento trimestral, semestral e anual,
são colocadas em percentagens individuais e colectivas obtidas durante o ano lectivo. Ver
anexos.
4.3.9 Supervisão e Controle da Escola
Segundo a DAP a escola e visitada semestralmente pelos técnicos dos serviços do MEC, e dos
SDEJT, semanalmente pelos técnicos provinciais e responsáveis das ZIP, a escola e visitada
anualmente por outro tipo de gente.
4.3.10 Estatuto dos funcionários do aparelho do estado
A escola primária Sebastião M. Mabote existe documentos legais de carácter normativo, onde
vem escritas as leis aprovadas pela assembleia da república e pelo governo, as quais devem ser
cumpridas pelos funcionários do estado. Aparecem igualmente os direitos e deveres dos
funcionários em artigos formulados e ordenados duma maneira simplificada e compreensível.
4.3.11 Questões de segurança da escola
A escola não possui nenhuma vedação assim sendo a entrada de pessoas estranhas no recinto
de mesma interrompendo assim o ambiente normal, não possui um guarda-nocturno que vigia e
as salas não possuem portas e janelas.
4.3.12 Questões de saúde da escola
A escola não possui um centro de saúde para atender as crianças em questões de problemas, e
as salas não possuem portas e janelas e nem dispõe um kit de material primeiro socorros que
usado em questões de emergência, não possui dispositivo contra incêndio no caso de extintor.
Segundo a direcção da escola tem ávido doenças frequente no bairro de Momciboa da montanha
em geral e em particular na escola com o mesmo nome nomeadamente cólera, bilharziose,
malária tenha e ferimentos ligeiros.
Mas como um mecanismo de sensibilização da população tem havido palestras e campanhas de
sensibilização de modo a combater essas doenças visto que a maior parte delas é devido o uso
de agua imprópria.
4.3.13 Actividades da área administrativa
Controle de material escolar, parte financeira, das presenças do pessoal docente da Escola e não
docentes.
Capitulo V
5.1 Funções da Secretaria
·         Os funcionários afectos na secretaria controlam as entradas e saídas dos
alunos nas salas de aulas através do toque do sino.
·         Preenchem e controlam o livro de ponto para professores e do pessoal não
docente.
·         Organizam os processos dos alunos
·         Garantem o atendimento do público.
5.2. Organização preparação do ano lectivo escolar
Para iniciar as actividades do ano lectivo de 2012, segundo o Director Adjunto Pedagógico a
escola programou algumas actividades conformes:
·         Ornamentação e limpeza do pátio escolar;
·         Reabilitação de algumas salas de aulas;
·         O processo de inscrição e matrícula de alunos;
·         Formação de turmas – elaboração do horário escolar afectação dos professores nas classes.

5.3. Actividades Extra-Curriculares


Em quase todos os finais da semana a Escola realiza jornadas de limpeza, Escolar, desporto e
cultura, e recreação, plantios de arvores de sombra e cultivo da machamba escolar.
Em cada fim de trimestre realizam-se reuniões, a Direcção da Escola com os encarregados de
educação, de modo a manter informados sobre o aproveitamento pedagógico dos seus
educandos.
5.4 Processo do funcionário
O processo individual é como um dossier que compulsa toda situação que o funcionário manifesta
e é de grande importância na vida funcionário. Para o progresso e promoção do próprio
funcionário. É no processo individual onde se pode constar o currículo vitae do funcionário, em
caso da morte deste, é onde pode constar o testamento.

5.4.1 Os principais documentos no processo do funcionário


·         Certificado de habilidades literárias
·         Cópia do bilhete de identidade
·         Cartão de nascimento
·         Termo de inicio de função
·         Termo de tomada de posse
·         Ficha de avaliação anual do desempenho do funcionário.

5.4.2 Processo de aluno


Contem todos dados do aluno que são organizados em classes e turmas em ordem cronológica, a
sua existência é de carácter obrigatório e sua respectiva conservação com a maior segurança.
5.4.3 Classificação dos bens móveis e imóveis
Bens moveis são todo quanto conjunto de materiais patrimoniais de uso corrente numa instituição,
capazes de se transferir de uso determinado lugar para outro. Exemplo de bens móveis existente
na escola Secretarias, carteiras, cadeiras, alguns mapas e manuais.
Bens imóveis são todos o materiais que não pode ser removido tais como os edifícios que
compõe.

5.4.4 Relação da escola com a comunidade


É pertinente a conversa com os pais e encarregados da educação para o melhoramento da
educação da criança que estuda nesta escola. Portanto dizer que de estrema importância a
relação entre a escola e a comunidades porque não existe a educação sem a sociedade ou
sociedade sem educação e vice-versa, por isso há de haver necessidade de melhorar o nível de
relações entre as instituições públicas de ensino nacionais e os utentes de serviço.
5.4.5 Aspectos Positivos
ü  Aproximação da escola com a sua comunidade evita que as crianças percorram longas
distâncias o que criaria desistência em massa, atraso sistemáticos que influenciariam no fraco
aproveitamento pedagógico das mesmas.
ü  Não há perigo de ocorrência de acidentes de viação por se localizar longe da estrada;
ü  Não se verifica poluição sonora constante provocada pelos automóveis e rádio;
ü  A escola em estudo realiza as suas actividades sob orientação de normas pré-graduadas nos
regulamentos, despachos ministeriais, circulares e outros documentos do ministério da tutela.
ü  Louvamos a boa recepção e boa colaboração da adjunta pedagógica da EP1.

5.4.6 Aspecto Negativo


ü  Falta de muro que sirva de vedação para a escola, faz com que a comunidade use o espaço
escolar como uma via de transição alternativa (corta-mato), criando perturbações no processo de
ensino e aprendizagem.

5.5  Algumas considerações, criticas e perspectivas


Depois de se realizar o trabalho de observação directa do aspecto físico da Escola, verificamos o
seguinte:
ü  Há fraca participação nas actividades recreativas, como actividades desportivas e
Culturais.
ü  A escola depois de um feriado Nacional, a instituição não funciona conforme, porque os alunos
estão mentalizados de não funcionamento depois de um feriado;
ü  A instituição não possui mastro;
ü  Há falta de material do professor, apenas trabalham com o programa de ensino e a situação é
complicada quando recebem estagiários;
As Práticas Pedagógicas têm muita valia, porque leva o estudante a se integrar na vida da escola,
porque não mesmo no próprio ensino e aprendizagem, para aqueles jovens que nunca abraçaram
a carreira de docênc

Conclusão
O relatório que se acaba de apresentar reúne um conjunto de conhecimentos que vão permitir a
compreensão e as actividades resultantes das práticas pedagógicas I, realizada na Escola
primária Sebastião Marcos Mabote.
Varias foram as actividade realizadas no campo que importou muitas experiências por parte do
próprio estudante, onde se observou de que a aula constitui como uma célula base da escola, que
é um projecto pedagógico do planeamento da disciplina e que a sala de aula constitui como o
lugar de encontro entre o professor e o aluno com a possibilidade de haver uma interacção no
processo de ensino e aprendizagem, para a construção do conhecimento cientifico, onde o plano
de aula é a chave do processo de ensino e aprendizagem.
Durante este período de assistência de aula, permitiu concluir que diante adversidades ou
situações inesperadas, devemos ser capazes de adequar o nosso plano a uma nova realidade
mas sem quebrar o alcance dos objectivos.
Concluiu – se também, que na sala de aula desenvolvem se varias actividade dentro do processo
pedagógico entre os intervenientes da educação. Visto que o ensino deve ser dinâmico, variado,
em que um dia, a aula pode iniciar com as conversas que faz parte da motivação dos próprios
alunos, o professor pode variar a sua linguagem quando vem que seus alunos não estão a
perceber o que estou a ensinar. Por isso é muito importante que o professor não use único
método durante o processo de ensino e aprendizagem.   
Propostas e opiniões das PPI
Durante as PPI foi se verificar vários aspectos no ensino, onde “E muito importante que o
professor domine profundamente o conteúdo da matéria, não só, mas, também, “e muito
importante o professor planificar a sua aula porque consegue se orientar. É conveniente ter outros
conhecimentos do meio social porque ajuda na percepção dos alunos, razão pela qual, não é
aconselhável que o professor ensinar o que os alunos não conhecem, ou o que nunca viram.
Estou de opinião nas próxima vezes, antes do inicio das praticas os membros da UP, tenha que
entrar em contacto com os membros das escola para dar conhecimento acerca dessas
actividades, das praticas pedagógicas, porque chega o tempo de se apresentar nas escolas,
então os próprios membros da começam a dificultar o processo. Finalmente estou de opinião nas
próximas vezes, cada grupo das práticas ter um supervisor, que pode ajudar a ultrapassar
algumas dificuldades que os estudantes encaram no campo.
Recomendações
Com a implementação da cadeira de Praticas Pedagógicas na Universidade
Pedagógica é de grande importância uma vez irá permitir aos estudantes o conhecimento directo
da vida da escola.
Assim para um maior êxito desta cadeira seria recomendável um maior acompanhamento directo
dos estudantes pelos docentes, durante o decurso das actividades de campo.

Você também pode gostar