Você está na página 1de 10

FACULDADE DE MÚSICA DO ESPÍRITO SANTO

“MAURÍCIO DE OLIVEIRA”

MAGNO SANTOS DA SILVA

LEITURA À PRIMEIRA VISTA PARA VIOLONISTAS:


UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

VITÓRIA
2021
2

MAGNO SANTOS DA SILVA

LEITURA À PRIMEIRA VISTA PARA VIOLONISTAS:


UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Trabalho de Conclusão de Curso


apresentado em cumprimento às exigências
parciais para a conclusão do curso de
Bacharelado em Música com Habilitação
em Violão da Faculdade de Música do
Espírito Santo “Maurício de Oliveira” –
FAMES.
Orientador: Prof. Me. Willian da Silva
Lizardo

VITÓRIA
2021
3

SUMÁRIO

1.Introdução…………………………………………………………………………….4
2.Justificativa…………………………………………………………………………...8
3. Objetivos……………………………………………………………………………..8
3.1 Objetivo Geral………………………………………………………………………8
3.2 Objetivos específicos……………………………………………………………….9
4. Metodologia …………………………………………………………………………9
4.1 - Tipo de estudo …………………………………………………………………….9
5 Contextulização tema………………………………………………………………?
5.1 Revisão de literatura……..………………………………………………………?
5.2 Entrevistas e análises…………….………………………………………………?
6. Conclusão……………………………………….……………………………………?
Referências:………………………….………………………………………………...10
4

1. INTRODUÇÃO

Os cursos de bacharelado em música clássica com especialização em

instrumento têm como seu enfoque principal o desenvolvimento e aprimoramento

técnico instrumental, neste contexto a leitura à primeira vista pode desempenhar

importante papel de contribuição, se tornando até uma exigência por parte dos

professores. Ler à primeira, segundo Marques (2020), é uma ação que engloba vários

processos cognitivos, que ela os enumera da seguinte forma: cognitivo mental –

compreende a atenção, percepção memória, fluidez e capacidade analítica sobre o texto

musical; cognitivo visual – da capacidade de decodificação dos signos do texto (notas e

padrões rítmicos); cognitivo auditivo: escuta analítica e consciente do som realizado;

cognitivo motor: que se liga a coordenação física/muscular, dos movimentos necessários

para a realização do texto; cognitivo psicológico: correspondente à capacidade mental

de automotivação (MARQUES, 2020).

Pode-se imaginar que os elementos cognitivos que compõem a ação de ler a

primeira vista possam ser gerados naturalmente conforme o conhecimento de outras

disciplinas como teoria, percepção e técnica instrumental, sejam adquiridos, porém este

resultado não é observado na prática.

Podemos citar, por exemplo, o caso de estudantes de violão clássico que

mesmo tendo o domínio destes conteúdos teóricos e habilidade técnica, na sua maioria,

não lêem bem à primeira vista, mesmo com o estudo de muitas peças a boa leitura de

partitura não é conquistada, essa condição passa-nos a idéia de que talvez seu estudo,

especialmente no violão, necessite ser feito em separado. Há alguns estudantes de violão

que desentoam desta realidade e sabe-se que esta conquista é resultado de estratégias

criadas especificamente para o desenvolvimento da habilidade de ler à primeira vista.


5

Minha história como estudante de leitura à primeira vista se assemelha a este contexto e

é dela que surge o interesse pelo tema.

Ao longo da minha jornada como estudante de violão clássico, iniciada em

2011, aos 27 anos, no curso de Iniciação Musical da Faculdade de Música do Espírito

Santo, me vi tendo muitas dificuldades de estudo devido a falta de boa leitura (quando

iniciei estes estudos não detinha NENHUM conhecimento de leitura de partitura). Nos

primeiros semestres da graduação esta lacuna me fazia perder horas, até dias em uma

única página, causando prejuízos à minha performance final, ao acompanhamento de

outras disciplinas e até à minha motivação em estudar o repertório, o que me fez refletir

sobre a necessidade de melhorar minha leitura musical. Neste intuito tracei objetivos e

montei um plano de estudo autônomo focado no desenvolvimento da habilidade de ler à

primeira vista, neste plano busquei trabalhar em separado, reforçando, teoria (escalas;

ciclo das quintas; harmonia; CAGED); percepção (solfejo e ritmo) usando o movimento

do corpo para isso, além de imagens mentais sem uso de papel; a posição das notas na

partitura e suas possibilidades de execução no braço do violão, fazendo leituras lentas

sem preocupação com ritmo; e outras estratégias mais.  Conseguindo desenvolvê-la, o

que levou em média de um ano, percebi o quanto a leitura à primeira vista influenciou

na qualidade dos meus estudos e em outras áreas relacionadas à minha atuação como

violonista e docente. Posso enumerar os três mais importantes: a rapidez com que passei

a me apropriar das peças; o poder participar da roda de choro, que era uma das

atividades desenvolvidas na faculdade (onde grande parte do repertório se fazia à

primeira vista); a atuação como monitor, na disciplina de instrumento harmônico do

curso de Licenciatura em Música da FAMES, onde o professor procurava sempre

inserir novas obras, incentivando a primeira vista para auxílio aos alunos. Aqui temos

situações onde a leitura à primeira vista foi de suma importância: o estudo de peças, a

participação em conjunto de música e a realização de atividades de acadêmico-

profissionais.
6

Estas experiências me motivaram para o desejo de explorar, de maneira

profunda, por meio de pesquisa bibliográfica, os trabalhos que tratam do

desenvolvimento da leitura à primeira vista por estudantes de violão clássico, e

relacionam os meios e as estratégias através das quais violonistas conseguiram

desenvolver sua leitura.

Justificamos então o interesse por essa pesquisa pela busca do autor em


compreender, através da literatura disponível, a necessidade, por parte de violonistas
clássicos, em adquirirem uma boa leitura à primeira vista, e em observar como essa
aptidão poderá ajudá-los na melhora do desempenho, no aprendizado das obras, além de
maneiras objetivas de desenvolvê-la. Também se justifica pela contribuição que um
trabalho de revisão bibliográfica pode fornecer de referências no meio acadêmico para
novas pesquisas.
Em pesquisa prévia de literatura disponível em periódicos e trabalhos
acadêmicos, dentro desta temática, pudemos observar que ainda não existe um trabalho
de revisão desta literatura, o que poderia ser um facilitador para que pesquisadores
interessados no assunto possam ter acesso rápido a esses trabalhos, bem como despertar
o interesse em estudantes de violão, através dos trabalhos encontrados, em ampliar sua
capacidade de leitura à primeira. Nesta pesquisa prévia pudemos encontrar os seguintes
trabalhos que abrangem os conceitos gerais e teóricos sobre o tema: A abordagem da
leitura musical à primeira vista na perspectiva da experiência ótima/ flow (MARQUES,
2020); Considerações sobre leitura à primeira vista, memorização e a disciplina de
percepção musical (OTUTUMI, 2011); O ensino da leitura musical à primeira vista:
sugestões da literatura de pesquisa (FIREMAN, 2007); Com esta revisão de literatura
buscaremos responder as questões que nortearão nossa pesquisa e são elas: quais meios
e estratégias existem para o desenvolvimento da leitura à primeira vista por violonistas?
Quais benefícios o desenvolvimento desta habilidade geram para sua vida acadêmica e
profissional? Em quais áreas o uso da leitura à primeira vista se torna importante para o
músico violonista?
Entendemos que a pesquisa, a revisão bibliográfica, são atividades técnicas
que precisam ser norteadas teoricamente, com este objetivo tomaremos Pizzani (2012) e
Garcia (2016) como referência.
Para Boccato (apud PIZZANI, 2012) a pesquisa bibliográfica deve ser feita

com um cuidadoso planejamento sistemático do seu processo devido ao importante


7

papel que este tipo de pesquisa tem de fornecer de forma minuciosamente, descritiva e

explicativa subsídios para resolução e resposta a problemas propostos (hipóteses) e de

ser fonte de referências. E Garcia (2016) reforça esta importância alertando sobre a

necessidade de cuidados no momento da fundamentação teórica para que o trabalho não

se resuma a somente uma pesquisa bibliográfica, mas resulte em uma revisão

bibliográfica onde ocorrerá o diálogo entre os autores pesquisados.

Esta pesquisa objetiva-se em reconhecer na literatura disponível as


estratégias para estudo de leitura à primeira vista utilizado por violonistas clássicos, em
reunir trabalhos relevantes sobre o assunto supracitado para a área e compartilhá-los
com a comunidade acadêmica.
Para tal nosso processo metodológico será dividido em quatro etapas: 1º -
pesquisa bibliográfica qualitativa; 2º - coleta de dados; 3º análise e interpretação dos
dados; 4º discussões, resultados e dissertação do texto final.

Nosso texto final será estruturado com a seguinte estrutura: o primeiro

capítulo abordará a contextualização do tema, bem como a discussão de pressupostos

teóricos proveniente de autores que se debruçaram na compreensão do aparato cognitivo

e prático para a aquisição da leitura a primeira vista.

No segundo capítulo nos concentraremos em apresentar a revisão de

literatura dos trabalhos, que conterá um pequeno resumo e comentários nossos. Estes

trabalhos serão elencados por 1) teses de doutorado; 2) dissertações de mestrado; 3)

artigos publicados em periódicos; 4) artigos e resumos de trabalhos apresentados em

congressos e publicados em anais; 5) livros. Partiremos de uma amostragem mais

abrangente, que foque em trabalhos teóricos gerais e em segundo momento nos

trabalhos sobre leitura à primeira vista específicos para violonistas.

O último capítulo conterá uma coleta de dados por meio de entrevistas que

serão realizadas a professores e profissionais violonistas, e por meio de análise destes

dados, buscaremos encontrar elementos que se liguem às propostas dos trabalhos

elencados em nossa revisão de literatura.


8

2. JUSTIFICATIVA

Esta pesquisa justifica-se pela busca do autor em compreender, através da


literatura disponível, a necessidade, por parte de violonistas clássicos, em adquirirem
uma boa leitura à primeira vista, em como essa aptidão poderá ajuda-los na melhora do
desempenho, no aprendizado das obras, e maneiras objetivas de desenvolvê-la.
A leitura do texto musical é uma das bases do aprendizado de estudantes de
música clássica, sem ela estes podem encontrar dificuldades no desenvolvimento dos
seus estudos práticos.
É necessário que este tipo de leitura não seja feita apenas por decifração dos
códigos musicais, mas de forma corrente com todos os seus signos assimilados, algo
próximo ou equivalente ao que ocorre com a leitura de palavras.
Dentro do mundo musical a leitura de partitura, em certa fase da vida do
músico, deixa de ser somente um meio de absorção e apropriação de peças, passando a
ser ferramenta importante no desenvolvimento para suas atividades, e é nesta fase que
podem ser encontradas dificuldades pelos músicos que não possuem uma boa leitura. A
leitura a primeira vista também poderá ser critério para entrada em grupos musicais, de
câmara ou junto à orquestras, inclusive para concorrer à postos de trabalho, como
concursos.
Neste contexto observamos na convivência com estudantes de violão, certas
lacunas relacionadas ao assunto. Por esse motivo, buscaremos através de literatura
disponível e entrevistas com professores e violonistas, compreender a importância, os
meios para o desenvolvimento e estratégias para aquisição desta habilidade.
Além de divulgarmos nossos dados dentro do ambiente de pesquisa da
FAMES, procuraremos, encerrado a redação do nosso texto final, divulgar nossos
resultados em congressos e periódicos voltados para as interfaces da performance
musical.

3. Objetivos

3.1 Objetivo Geral:

Reconhecer as estratégias de leitura à primeira vista abordadas na literatura disponível


9

3.2 Objetivos específicos:

- Realizar levantamento de referenciais;


- Entrevistar professores, violonistas e pesquisadores;
- Analisar dados coletados;
- Contextualizar teoria musical e prática instrumental com leitura à primeira vista;
- Descrever na literatura utilizada o que contribui e o que não contribui para um
estudante de violão clássico adquirir boa leitura à primeira vista;
- Divulgar os dados junto à comunidade acadêmica;

4. Metodologia:

4.1 - Tipo de estudo

O trabalho seguirá os preceitos do estudo exploratório, por meio de uma pesquisa


de revisão de literatura, que segundo Pizzani (2012, p. 54), “é desenvolvida a partir de
material já elaborado, constituído de livros e artigos científicos”. Nesta perspectiva, a
proposta de Pizzani (2012) foi utilizada nas seguintes etapas:

1º Etapa – Fontes

O processo metodológico para a realização deste trabalho empregará, em


primeiro momento, uma pesquisa bibliográfica qualitativa sobre leitura à primeira vista
para violonistas, sua importância e aplicabilidade. Esta revisão explorará trabalhos
disponíveis em formato digital como: teses, dissertações, artigos, livros, resumos e
trabalhos apresentados (anais e encontros). Este primeiro passo se fará pela busca por
palavras-chave como: leitura musical; estratégia de leitura musical; violão; leitura
musical à primeira vista.

2º Etapa – Coleta de dados

A coleta de dados seguirá as seguintes premissas:


10

a) Leitura exploratória de todo o material selecionado: leitura rápida que


objetiva verificar se a obra consultada é de interesse para o trabalho;
b) Leitura seletiva: leitura mais aprofundada das partes que realmente
poderão ser aproveitadas nesta pesquisa;
c) Registro das informações extraídas das fontes em instrumento específico
(autores, método, resultados e conclusões).
d) Entrevistas com violonistas conceituados e pesquisadores, sobre a
necessidade e importância da leitura à primeira na prática musical de
violonistas e estudantes de violão.

3º Etapa – Análise e interpretação dos resultados

Nesta etapa será realizada uma leitura analítica com finalidade de ordenar e
sumariar as informações contidas nas fontes, de forma que estas possibilitassem a
obtenção de respostas aos problemas de pesquisa.

4º Etapa – Discussões e resultados

Categorias que emergirem da etapa anterior serão analisadas e discutidas a


partir do referencial teórico relativo à temática do estudo e a redação do texto final.

REFERÊNCIAS

MARQUES, Cláudia de Araújo. A abordagem da leitura musical à primeira vista na


perspectiva da experiência ótima - FLOW 2020. 302 paginas. Tese de Doutorado – o
Centro de Letras e Artes da UNIRIO, Rio de Janeiro.

PIZZANI, Luciana. A arte da pesquisa bibliográfica na busca do conhecimento.


Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 10, nº 1,
pag. 53-66, dez/2012.

GARCIA, Elias. Pesquisa bibliográfica versus revisão bibliográfica - uma discussão


necessária. Revista Línguas e Letras, Cascavel, v. 17, nº 35, pag. 291-294, maio/2016.

Você também pode gostar