Você está na página 1de 2

SERTA - Turma A

Educador: Moura
Educando: Everton

AT1: Escrever sua reação, interação, sentimento, ou compor uma poesia, uma música, um
desenho ou usar outra forma livre e criativa para exprimir como você interagiu com o texto O
PAPEL DA ARTE NA EDUCAÇÃO ESCOLAR E NO DESENVOLVIMENTO.
Eu gostei bastante do texto! Eu penso e sinto que a arte é uma ferramenta poderosa de expressar as
potencialidades que estão latentes no ser humano, aguardando uma oportunidade de realização. Nessa
perspectiva, isso me autoriza dizer que todos nós somos artistas em potencial. Essa potência
frequentemente é ignorada por nós e por aqueles com os quais nos relacionamos, seja no seio da família,
na escola, no trabalho ou em qualquer relação.
Como reconhecer esse artista em potencial em nós? De que maneira essa potência pode se realizar?
Quais são as possibilidades dessa realização? Esses questionamentos me levam a considerar,
primeiramente, a necessidade de nos conhecermos, de olharmos para nós, de realizarmos uma auto
investigação afim de nos entendermos e compreendermos. Paralelamente a esse mergulho interior,
penso seja necessário observarmos mais atentamente a nossa volta e escutamos com mais atenção, pois
a observação e a escuta atentas podem traduzir os significados e os sentidos do nosso entorno,
viabilizando, por conseguinte, a percepção e o (re)conhecimento da nossa realidade imediata. Como
fruto desse empreendimento podemos realizar, dentre o conjunto das possibilidades existentes, nossas
potencialidades.
Essa realização é sempre mais expressiva na medida em que aprofundamentos nesse processo. Se
admitimos que nossas potencialidades ao mesmo tempo são latentes e, portanto, desconhecidas,
podemos reconhecer e compreender que são infinitas. Essa infinitude de potências nos leva ao
entendimento que são diversas as possibilidades de realização e expressão da dimensão artística do nosso
ser. Quanta beleza podemos criar e revelar no e para o mundo? É possível mensurar a nossa criatividade?
É possível reduzi-la a uma avaliação ou pontuação? Estou convencido que não. Nossa capacidade de
embelezar o mundo é misteriosa e irredutível!

AT2: Leitura individual ou grupal do texto CONCEPÇÃO DE HISTÓRIA E CONCEPÇÃO DE


MUNDO E DAS RELAÇÕES ENTRE PESSOA E NATUREZA, observando alguns destes
pontos, ou outros do seu interesse particular: 1. Me encontrei em algum ponto deste texto? 2. O
que mais me chamou a atenção? 3. Que ideias deste texto se assemelham as que eu tenho sobre o
assunto? 4. De que me lembro lendo e estudando este texto? Este texto me traz alguma novidade?
5.Para qual pessoa amiga eu indicaria a leitura deste texto? II. Depois da leitura, da interação em
classe ou com colegas, registrar por escrito, ou vídeo, ou desenho, ou música, poesia, depoimento,
testemunho, relato de vida e postar no edukante..

Eu achei muito interessante ambos os textos e me encontrei em diversos pontos. Primeiramente, penso,
com base na minha concepção de história, que não apenas podemos, mas necessitamos construir
possibilidades de futuros, a partir do presente, que sejam generosos e abundantes para toda a
humanidade. Futuros que possam ser plenos de realização dos potenciais humanos, assentados na
solidariedade entre os povos, entre os homens e mulheres, entre a sociedade e natureza. Nesse sentido,
fica evidente que a noção de história que orienta o meu devir é àquela na qual eu posso ser protagonista
de projetos e suas realizações.
Aliás, a própria ideia de projeto sugere uma concepção de história a ser construída, um futuro como
possibilidade, dentre as possibilidades existentes no presente momento histórico (SANTOS, 2020).
Nessa perspectiva, posso examinar o passado e reconhecer que a história é feita não apenas por aqueles
que se consideram vencedores, mas sobretudo valorizando a luta e a resistência dos que foram vencidos
(BENJAMIN, 1987).
Contudo, essa concepção de projeto que pressupõe a realização de futuros possíveis que inclua o
conjunto das sociedades humanas e dos territórios precisa se apoiar nos princípios de respeito e
convivência com a natureza e suas leias, como também de cooperação e solidariedade entre os povos.
Somente a partir desses pressupostos podemos vislumbrar futuros generosos, plenos de realização dos
potenciais humanos, fundamentado na preservação da natureza e dos bens comuns.

Referências:

BENJAMIN, Walter. Magia e Técnica, Arte e Política - Ensaios Sobre Literatura e História Da
Cultura. 3. ed. São Paulo: Editora Brasiliense. 1987. 257p.
SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal.
30. ed. Rio de Janeiro: Record, 2020. 174 p.

Você também pode gostar