Você está na página 1de 13

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

CURSO

NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA

O CASO DA EMPRESA VITAL CARE

Rubinéia-SP
2021
NOME DO(S) AUTOR(ES) EM ORDEM ALFABÉTICA

O CASO DA EMPRESA VITAL CARE

Produção Textual para o Curso NOME DO CURSO à


Universidade Pitágoras Unopar, como requisito parcial
para a obtenção de média bimestral nas disciplinas de
Direito Empresarial, a Gestão de Projetos, a Análise de
Custos, a Microeconomia e a Análise de investimentos e
Fontes de financiamento

Orientadores:

Profa. Janaína Carla Silva Vargas Testa


Profa. Natália Martinêz Ambrogi Woitas
Prof. Valdeci Silva Araújo
Profa. Clévia Israel Faria França
Prof. Renato José da Silva

Tutor(a) à Distância: Nome do(a) Tutor(a)

Rubinéia-SP
2021
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO.......................................................................................................3
2 DESENVOLVIMENTO...........................................................................................4
2.1 DIREITO EMPRESARIAL..................................................................................4
2.2 GESTÃO DE PROJETOS..................................................................................5
2.3 ANÁLISE DE CUSTOS......................................................................................6
2.4 MICROECONOMIA............................................................................................7
2.5 ANÁLISE DE INVESTIMENTOS E FONTES DE FINANCIAMENTO...............8
3 CONCLUSÃO......................................................................................................11
REFERÊNCIAS...........................................................................................................12
3

1 INTRODUÇÃO

O caso de estudo deste semestre é voltado a temática da Indústria


Vital Care; uma indústria localizada no Sudeste do Brasil; que é fabricante de
cosméticos e produtos de higiene, sendo uma reconhecida pela qualidade de seus
produtos.
Com a chegada da pandemia Covid-19 no Brasil, a empresa
precisou se reinventar com o objetivo de manutenção de sua demanda de produtos
e clientes, ingressando com campanhas digitais.
A empresa sentiu a necessidade de inovar seu portfólio, quando
percebeu que produtos à base de álcool etílico, passaram a ser amplamente
consumidos neste momento pandêmico.
Neste contexto, a empresa decidiu em criar o álcool gel com sua
marca própria, que a empresa denominou como Álcool Care.
A empresa tem consciência que a inserção de um novo produto no
mercado não é uma tarefa simples, partindo do seu conceito; regulação;
desenvolvimento de fornecedores, além do próprio investimento a ser realizado.
Caberá agora, auxiliar os gestores da empresa no desenvolvimento
deste projeto, de forma que a implementação do produto seja bem sucedida.
4

2 DESENVOLVIMENTO

2.1 DIREITO EMPRESARIAL

No momento em que uma empresa se propõe a lançar um produto


no mercado, este processo envolve um processo de muita responsabilidade, ainda
mais quando o produto tem estreita relação com o que se refere a saúde das
pessoas.
Com o advento da pandemia, desencadeou-se uma demanda
excessiva por produtos higienizadores para as mãos, a exemplo do álcool gel.
A Vital Care como uma empresa responsável com o que tange, a
valorização de seus colaboradores, sua marca e seus clientes; atua de maneira
responsável junto ao seu mercado, oferecendo apenas produtos que atendam
rigorosamente a todas as especificações técnicas e a legislação vigente; não
oferecendo de maneira alguma aos seus clientes produtos com componentes fora
da quantidade ou qualidade necessária; ou veiculando propaganda enganosa ou
apelativa.
Os direitos do consumidor são fundamentados em garantias e
proteções, para que as relações de consumo ocorram de uma maneira justa e acima
de tudo correta. À medida que as empresas têm mais poder e recursos disponíveis,
os consumidores são protegidos em todos os aspectos do processo de compra,
incluindo publicidade.
No caso de nossa SGA, se a empresa Vital Care comercializar o
produto com quantidade ou concentração diversa daquela indicada na embalagem;
caracteriza-se uma situação de propaganda enganosa.
Está previsto no Código de defesa do Consumidor - Lei nº 8.078/90,
em seu Artigo 37 § 1 onde prevê; “é enganosa qualquer modalidade de informação
ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por
qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a
respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem,
preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços.”
Por outro lado, se a empresa veicula uma campanha veiculando
medo, de uma maneira sensacionalista, inclusive explorando imagens em detrimento
as pessoas que foram contaminadas, caracterizam-se como propaganda abusiva.
5

O próprio CDC também descreve no Artigo 37 sua definição no § 2º,


onde faz constar; “é abusiva, dentre outras a publicidade discriminatória de qualquer
natureza, a que incite à violência, explore o medo ou a superstição, se aproveite da
deficiência de julgamento e experiência da criança, desrespeita valores ambientais,
ou que seja capaz de induzir o consumidor a se comportar de forma prejudicial ou
perigosa à sua saúde ou segurança.”
A prática das referidas condutas, também está prevista no CDC,
onde consta; “Art. 67. Fazer ou promover publicidade que sabe ou deveria saber ser
enganosa ou abusiva:
Pena: Detenção de três meses a um ano e multa.”

2.2 GESTÃO DE PROJETOS

De acordo com o PMBOK (2004) o projeto “é um esforço temporário


empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo”
Um projeto conta com uma meta clara com recursos limitados, sejam
eles de cunho financeiro, material ou humano; e com um determinado tempo, e que
deve ser otimizado para atingir a meta estabelecida sem destruir as expectativas
originais de seus patrocinadores. Jamais um projeto poderá ser ilimitado no que se
refere ao tempo e recursos.
No caso de estudo da empresa Vital Care, o projeto consiste no
desenvolvimento de novos produtos, que inclui atividades da empresa, desde a
concepção do produto, suas especificações e processo de fabricação e venda; para
o Álcool Care.
De maneira resumida o objetivo do projeto, refere-se as entregas
que o projeto oferecerá na conclusão de suas etapas. Sua descrição não deve ser
feita com apenas uma palavra; mas sim com um descritivo com as metas a serem
atingidas; que possa ser mensurável, e definindo os critérios de sucesso.
Portanto; dentre as premissas do projeto da empresa Vital Care,
pode-se citar como a entrega:
 Objetivo: Álcool Care, a base de álcool etílico em concentração
de 70%; respeitando as restrições do projeto de recursos, prazo e escopo.
Partido do princípio que o objetivo do projeto deve ser mensurável,
existem vários aspectos que podem ser avaliados e que permitem o sucesso obtido.
6

Um projeto pode por exemplo ter cumprido todas as suas metas de


concepção, desenvolvimento, prazos e recursos; porém ao final o produto pode não
ser bem aceito pelo consumidor; traduzindo-se em um projeto sem sucesso.
Neste contexto, uma das formas de avaliação do sucesso do projeto
está diretamente vinculado ao impacto que traz ao cliente, em diversos diferentes
aspectos; tais como: cumprir rigorosamente as especificações e requisitos do
produto de acordo com a finalidade; ou seja, a empresa pode realizar um controle de
qualidade por amostragem em sua linha de produção, realizando testes de
densidade, garantindo que o produto entregue seja condizente com a rotulagem, e
suas funções bactericida.

2.3 ANÁLISE DE CUSTOS

Em uma análise os gestores, chegaram aos seguintes dados.


Despesas administrativas: 7%; Despesas comerciais: 6%; Comissões: 5% e Tributos
(ICMS, PIS, Cofins): 27,25%. A margem de lucro esperada pela empresa é de 15%.
O custo de produção é de R$ 9,54 por unidade.
O preço de venda comparado ao mercado é de R$ 26,00.
A empresa Vital Care, antes de colocar o produto Álcool Care em
sua linha de produção, precisa definir seu preço de venda corretamente, a fim de
tornar o produto competitivo e trazer rentabilidade estimada para a empresa.
Um dos métodos mais utilizados pelo mercado quando da
necessidade de precificação em vendas é o Marku-up multiplicador, que é um índice
multiplicador que se aplica ao custo do produto e / ou serviço para formar o preço de
venda. Em outras palavras, é o valor cobrado no custo total da entrega do produto
ou serviço para obter o lucro exigido. O valor índice é obtido por:

Portanto, através dos dados fornecidos pela Vital Care, calcula-se:

1
Markup-up multiplicador =
1−( 0,07+00,6+ 0,05+ 0,2725+0,15)
7

1
Markup-up multiplicador =
1−( 0,6025)
1
Markup-up multiplicador = = 2,5157
0,3975

Determina-se o preço de venda unitário do Álcool Care utilizando o


mark-up multiplicador, através da fórmula:

Preço de venda = Preço de Custo X Markup Multiplicador


Preço de venda = 9,54 x 2,5157
Preço de venda = 24,00

De acordo com a técnica do markup-up multiplicador a empresa


oferecera um produto a preço competitivo no mercado, pois o valor de venda
calculado R$ 24,00 é inferior ao valor de mercado de R$ 26,00.

2.4 MICROECONOMIA

Devido a fatores como alta concorrência e globalização, as


empresas precisam cada vez mais aumentar seu “Market-share”. Trata-se de um
conceito definido relacionado ao total de compras de um cliente de um produto ou
serviço, qual porcentagem vai para uma empresa, definindo assim sua participação
no mercado. Ou seja, se os consumidores como um todo comprarem 100 produtos,
sendo 50 deles de uma empresa, essa empresa terá 50% do mercado.
Existem vários tipos de participação de mercado, que podem ser
valor ou volume. A participação de mercado em valor é baseada na participação
total de uma empresa nas vendas totais do segmento. Os volumes referem-se ao
número real de unidades que uma empresa vende do total de unidades vendidas no
mercado. A equação de participação de mercado valor-volume geralmente não é
linear: uma unidade pode ter valor alto e números baixos, o que significa que a
participação de mercado de valor pode ser alta, mas a participação de volumes pode
ser baixa.
Um mercado é um conjunto de compradores e vendedores,
comumente chamados de agentes, que por meio de sua interação, tanto real quanto
8

potencial, determinam o preço de um bem ou conjunto de mercadorias. O conceito


de estrutura de mercado é, portanto, entendido como aquelas características de um
mercado que influenciam o comportamento e os resultados das empresas que
atuam nesse mercado.
Os principais aspectos que determinam as estruturas do mercado
são: o número de agentes no mercado, tanto vendedores quanto compradores; sua
relativa força de negociação, em termos de capacidade de fixação de preços; o grau
de concentração entre eles; o grau de diferenciação e exclusividade dos produtos; e
a facilidade, ou não, de entrar e sair do mercado.
Neste caso de estudo, ficou abordado que a Vital Care está
localizada no Sudeste do Brasil, onde a empresa tem participação expressiva no seu
Estado, onde ainda existem mais 5 empresas que atuam no mesmo nicho de
mercado
Este cenário caracteriza-se pela estrutura de mercado de
oligopólio, que é fundamentada por um pequeno número de empresas que
controlam a maior parte do mercado.
Foi abordado, que nas demais regiões o mercado é pulverizado
possuindo uma vasta quantidade de empresas que vendem produtos similares; onde
fica evidenciado uma estrutura de mercado de concorrência monopolística.

2.5 ANÁLISE DE INVESTIMENTOS E FONTES DE FINANCIAMENTO

Para que o desenvolvimento do produto Álcool Care possa


realmente ser implementado; produzido e comercializado, a Vital Care necessitará
realizar investimentos de expansão de sua atual infraestrutura; máquinas e
equipamentos; mão de obra; matérias primas e linhas de envase.
Todo investimento vem acompanhado de riscos e incertezas, e as
empresas as empresas necessitam de indicadores que realmente permitam auxiliar
na decisão entre investir ou não.
No caso da empresa Vital Care isso não é diferente, e será
necessário realizarem um estudo sobre a viabilidade do projeto uma vez que o
mesmo requer um investimento da ordem de R$ 500.000,00.
O valor presente líquido (VPL) conhecido em inglês como Net
9

Present Value (NPV), é o método mais apropriado na análise de investimentos.


Segundo Penedo (2005), o VPL é o método que apresenta menores restrições de
uso e maiores vantagens relativas em sua avaliação. Nesse sentido, Penedo (2005)
destaca que:

O método do VPL não tem exigências ou pré-condicionantes para sua


aplicação. Pode ser aplicado em qualquer fluxo de caixa, não
importando a sua forma (quanto a valores), a sua periodicidade
(quanto a frequência de ocorrência), ou o número de variações de
sinais verificadas nestes mesmos fluxos. O VPL, é o melhor
instrumento de análise de investimento.

O cálculo do VPL é feito atualizando todo o fluxo de caixa de um


investimento em razão do tempo, utilizando uma taxa de desconto no cálculo
conhecida como Taxa Mínima de Atratividade.
A fórmula para o cálculo da VPL é a seguinte:

Baseado nos custos e aquisições para a projeto que envolve o novo


produto, a diretoria da empresa elaborou a projeção de fluxo de caixa para o período
de 5 anos, bem como das receitas esperadas do produto Álcool Care.

Tabela 1 - Projeção Fluxo de Caixa Álcool Care


Projeções (R$) Ano 01 Ano 02 Ano 03 Ano 04 Ano 05
Receitas das
725.000,00 650.000,00 580.000,00 420.000,00 390.000,00
Vendas
( - ) Custo da
matéria 290.000,00 292.500,00 261.000,00 189.000,00 175.500,00
prima
( = ) Lucro Bruto 435.000,00 357.500,00 319.000,00 231.000,00 214.500,00
( - ) Despesas
31.000,00 33.170,00 35.491,90 37.976,33 40.634,68
Operacionais
( = ) LAJIR 404.000,00 324.330,00 283.508,10 193.023,67 173.865,32
( - ) Despesas
4.500,00 4.950,00 5.445,00 5.989,50 6.588,45
Financeiras
( - ) Amortizações
de 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00 100.000,00
dívidas
( = ) LAIR 299.500,00 219.380,00 178.063,10 87.034,17 67.276,87
10

( - ) IR (15%) 44.925,00 32.907,00 26.709,47 13.055,13 10.091,53


( = ) Fluxo de
Caixa 254.575,00 186.473,00 151.353,64 73.979,04 57.185,34
Líquido
Fonte: o autor
Considerando uma Taxa Mínima de Atratividade (TMA) de 10%, e
baseados nos fluxos de caixa previstos, calcula-se o VPL para o investimento da
Vital Care.

Tabela 2 – Cálculo VPL Investimento Álcool Care

Fluxos Fluxos descontados = Investimento


Fluxo / (1+TMA)^n
R$ 254.575,00 R$ 231.431,82
R$ 186.473,00 R$ 154.109,92
R$ 151.353,64 R$ 113.714,23
R$ 500.000,00
R$ 73.979,04 R$ 50.528,68
R$ 57.185,34 R$ 35.507,60
Total R$ 585.292,24
VPL = Fluxos descontados - Investimento R$ 85.292,24
Fonte: o autor

O Valor Presente Líquido (VPL) do projeto é R$ 85.292,94. Todo


projeto deve ser aceito quando apresenta um VPL positivo.
11

3 CONCLUSÃO

A proposta da temática da empresa Vital Care, trouxe a


oportunidade de realização de um relatório baseado nos conceitos teóricos
estudados nas disciplinas norteadoras deste semestre.
Realizou-se uma análise fomentada no Código de Defesa do
Consumidor, sobre os aspectos legais da publicidade.
Foi possível absorver o conceito de Market-Share e a dinâmica de
como os vendedores, produtos e consumidores estão inseridos em cada estrutura
de mercado.
Elabora-se cálculos utilizando o Mark-up multiplicador que permite
realizar a precificação do produto, além de compará-lo com o valor praticado pelo
mercado.
Finaliza-se abordando uma análise de investimento através do
indicador VPL, que é um dos indicadores mais convencionais utilizados para esta
finalidade.
12

REFERÊNCIAS

BRASIL. Lei nº. 8.078, de 11 de setembro de 1990. Código de Defesa do


Consumidor. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências.
Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8078.htm>Acesso em10
fevereiro de 2021.

HELFERT, Erich A. Técnicas de Análise de Financeira: Um Guia Prático para


Medir o Desempenho dos Negócios. Porto Alegre, Artmed 1997.

PAES, E. S; VILGA, V. F. Gestão de projetos. Londrina: Editora e Distribuidora


Educacional S.A., 2016.

PMI - PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE, Inc. Guia PMBOK: Um guia do


conjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos. 3.ed. Pennsylvania:
Four Campus Boulevard, 2004.

PENEDO, Roberto da Cunha. A taxa interna de retorno: na análise de


investimentos. Lettera Editora Ltda.: Brasília, 2005

RETAMIRO, Wilian. Microeconomia. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional


S.A; 2016.

Você também pode gostar