Você está na página 1de 4

ASSISTI A UMA REUNIÃO TEMÁTICA COMEMORATIVA AOS 34 ANOS DO

GRUPO DE A.A. SOMBRA DOS IPÊS– JOÃO PESSOA - PB – EM 15.04.2019


*Paulo C.
01º) O QUE É UM GRUPO DE A.A.?
1. É a reunião de dois ou mais alcoólicos com o objetivo de alcançar a sobriedade.
2. A unidade básica de A.A. localizada no bairro ou na cidade.
3. Entidade espiritual com o propósito primordial de transmitir a mensagem ao alcoólico
que ainda sofre.
No ponto de vista de Alcoólicos Anônimos, o ALCOOLISMO é uma doença progressiva –
espiritual e emocional (ou mental) tanto quanto física. Os alcoólicos que conhecemos
parecem ter perdido o poder de controlar suas doses de bebidas alcoólicas. “Em A.A. o
que importa não é o alcoolismo e sim o indivíduo”.

02º) COMO SE TORNAR MEMBRO DE UM GRUPO DE A.A.? “Para ser membro de A.A. o
único requisito é o desejo de parar de beber”. (3ª Tradição)
03º) QUAL A DIFERENÇA ENTRE GRUPO DE ORIGEM E GRUPO BASE? Grupo de
origem é aquele aonde o membro veio a conhecer a mensagem de A.A. e ingresso, mas de
repente, por motivo alheio a sua vontade, teve de deixá-lo, passando a freqüentar outro
grupo. Grupo base é aquele com o qual o membro mantém um vínculo forte com a
Irmandade. Pertencer a um Grupo base é ter o direito de votar em questões que possam
afetar o Grupo e possam também afetar A.A. como um todo – num processo que forma a
verdadeira pedra angular da estrutura de serviços de A.A.. Tal como ocorre com todos os
assuntos decididos pela consciência de Grupo, cada membro de A.A. tem direito a um voto,
e este voto idealmente deveria ser expresso em seu Grupo base.
04º) O QUE UM GRUPO DE A.A. FAZ?
1. Os membros de um Grupo de A.A. ajudam qualquer alcoólico que demonstre interesse
em ficar sóbrio;
2. Os membros de um Grupo de A.A. podem visitar o alcoólico que deseja ser ajudado,
embora eles possam sentir que seja melhor para o alcoólico solicitar tal ajuda antes;
3. Os membros de um Grupo de A.A. podem auxiliar a providenciar uma internação
hospitalar. Os Escritórios de Serviços Locais de A.A. (ESLAA) geralmente possuem
endereços de hospitais para tratamento de alcoolismo, embora A.A. não seja filiado a
qualquer estabelecimento hospitalar;
4. Os membros do Grupo de A.A. têm a satisfação em compartilhar suas experiências
com qualquer pessoa interessada, seja em conversações ou em reuniões formais.
05º) O QUE UM GRUPO DE A.A. NÃO FAZ?
1. Não recruta membros ou fornece a motivação inicial para que os alcoólicos se
recuperem;
2. Não mantém registros ou históricos de casos dos seus membros;
3. Não acompanha ou tenta controlar seus membros;
4. Não faz diagnósticos ou prognósticos clínicos ou psicológicos;
5. Não providencia hospitalização, medicamentos ou tratamento psiquiátricos;
6. Não fornece alojamento, alimentação, roupas, emprego, dinheiro ou outros serviços
semelhantes;
7. Não fornece aconselhamento familiar ou profissional;
8. Não participa de pesquisas e não patrocina pesquisas;
9. Não se filia a entidades sociais (embora muitos membros e servidores cooperem com
elas);
10. Não oferece serviços religiosos;
2
11. Não participa de qualquer controvérsia sobre álcool ou outros assuntos;
12. Não aceita dinheiro pelos serviços ou contribuição de fontes não-A.A.;
13. Não fornece cartas de recomendação para juntas de livramento condicional,
advogados, oficiais de justiça, escolas, empresas, entidades sociais ou quaisquer
outras organizações ou instituições.
Um membro de A.A., individualmente, pode fazer algumas dessas coisas, de forma
privada e pessoal, mas não como membro de A.A..
06º) QUAIS OS PONTOS QUE DEFINEM UM GRUPO DE A.A. EM NÍVEL MUNDIAL?
1. Todos os membros de um grupo são alcoólicos e todos os alcoólicos são
qualificados para serem membros;
2. É totalmente autossuficiente;
3. Seu propósito primordial é o de ajudar alcoólicos a se recuperarem através dos
Doze Passos;
4. Não possui nenhuma afiliação;
5. Não emite opinião sobre quaisquer assuntos alheios;
6. Sua norma de procedimento para com o público é baseada na atração ao invés da
promoção – seus membros mantêm o anonimato pessoal nos meios de
comunicação.

07º) COMO SE DÁ A ESTRUTURAÇÃO DO GRUPO? Através de Princípios e Legados,


que constituem também o Programa de Recuperação de A.A.:
1. Princípio: Doze passos. 1º Legado: Recuperação
2. Princípio: Doze tradições: 2º Legado: Unidade
3. Princípio: Doze conceitos. 3º Legado: Serviço
Passos (Viver) Tradições (Conviver) Conceitos (Servir): “Quem não vive para servir, não
serve para viver”.

08º) QUEM DECIDE E É RESPONSÁVEL POR TUDO NO GRUPO? De acordo com a


segunda Tradição de Alcoólicos Anônimos é a Consciência Coletiva. Ela é constituída
pelos seus membros e somente se manifesta quando todos do Grupo, de acordo com os
princípios da Irmandade, tomam conhecimento, discutem profundamente e chegam à
conclusão sobre um determinado assunto, aprovando-o por substancial unanimidade. Não
há vencidos e vencedores. Todos se tornam responsáveis pelo futuro do Grupo. Essa é
uma Consciência Coletiva de Grupo esclarecida e/ou bem informada.
09º) QUEM É RESPONSÁVEL POR TUDO NA IRMANDADE? O Grupo. “A
responsabilidade final e a autoridade suprema pelo serviço mundial de A.A. deveriam
sempre recair na consciência coletiva de toda a nossa Irmandade”. (1º Conceito para
Serviços Mundiais)
10º) QUAIS SÃO ESSES SERVIÇOS?
1. Divulgação e informação ao público da irmandade;
2. Criação e manutenção de escritório de serviços e escritórios (ESLs/ESGs/GSO) para
realização do 12º Passo e Quinta tradição;
3. Formação e manutenção de comitês de serviços, comitês especiais, conferências,
convenções, etc.;
4. Tradução e edição de literaturas, revistas e jornais;
5. Abertura e manutenção de novos grupos nas comunidades e grupos de apoio em
instituições, entidades, empresas e indústrias;
6. Orientação e formação de grupos com reuniões virtuais, e-mail (correio
eletrônico), home pages e sites;
3
7. Escolha de servidores alcoólicos e não alcoólicos;
8. Atividades que permitem a.a. funcionar em nível mundial.

11º) O QUE POSSIBILITA O FUNCIONAMENTO DO GRUPO? O Serviço – ações,


atividades e tarefas contínuas desenvolvidas através do esforço, trabalho conjunto e
voluntário de seus membros (servidores).
12º) O QUE SÃO SERVIÇOS LOCAIS E SERVIÇOS GERAIS?
Os serviços locais (informativos) são atividades de A.A. voltadas para fora de A.A. e
praticados por membros formados (preparados) pelas áreas, Distritos e pelos Servidores dos
serviços gerais. São órgãos de Serviços Locais os Escritórios de Serviços (ESLs) e os seus
comitês de serviços especiais, como o Comitê Trabalhando com os Outros (CTOs) e a
Coordenação da Revista Vivência (CRV).
Os serviços gerais (formativos) são atividades voltadas para dentro de A.A.. Serviços
locais não podem existir sem serviços gerais e estes sem aqueles nada podem fazer. Eles
formam assim uma só estrutura. São órgãos de Serviços Gerais o Comitê de Distrito, Comitê
de Área e a Assembléia de Área.
13º) QUAIS OS SERVIÇOS REALIZADOS PELOS MEMBROS DO GRUPO PARA QUE O
GRUPO FUNCIONE CONTINUAMENTE?
1. Providenciar e manter um local para as reuniões;
2. Programar reuniões;
3. Coletar contribuições, destinando-as e gastando-as de forma adequada. (7ª Tradição –
contribuição voluntária, plano -85-15; plano anual da conferência; plano de aniversário;
sacola da gratidão do ESG, sacola do distrito, contribuição voluntária de membro (até
o limite de U$ 3.000 por ano);
4. Dispor sempre de literatura e periódicos aprovados pela CSG;
5. Dispor sempre de água e café;
6. Divulgar que na região existe e onde encontrar o grupo; responder os pedidos de
ajuda;
7. Ventilar e resolver os problemas do grupo;
8. Manter contato contínuo com o restante – ESL, Comitê de Distrito, Comitê de Área,
escritório nacional e internacional;
Essas atividades só funcionam se o Grupo eleger servidores de confiança para os
encargos que podem ter títulos, mas os títulos em A.A. não significam autoridade e
honrarias, apenas descrevem serviços e responsabilidades. O Grupo só funcionará se todos
os seus membros estiverem conscientes da necessidade de realizar os serviços acima
mencionados num clima de esforço combinado e contínuo.

14º) QUAIS OS TIPOS DE REUNIÕES REALIZADAS PELOS GRUPOS? De acordo com a


Quarta Tradição (Autonomia Grupal) são abertas, fechadas, debates, públicas, novos,
literária, temática, serviços, inventário de grupo, vivência.
15º) COMO SE ESTRUTURA UM GRUPO? Através de um Comitê de Serviços, que é
constituído pelos seguintes encargos:
1. Coordenador do Grupo – supervisão/experiência/liderança/1ª Tradição;
2. Secretário – versátil/comunicação/divulgação/literatura/correspondência;
3. Tesoureiro – planejamento financeiro/7ª Tradição/conhecimento dos Planos de
Contribuição;
4. Representante de serviços gerais (RSG) – guardião das Tradições/serviço;
5. Representante do Comitê Trabalho com os Outros (RCTO) – Quinta
Tradição/divulgação;
4
6. Representante da Revista Vivência (RV) – divulgar a Revista brasileira de A.A.;
7. Suplentes - encorajados a participar e acompanhar os titulares;
Os servidores de A.A. são eleitos ou homologados pelos métodos: 01-da maioria
simples/maioria absoluta/por unanimidade(aclamação) do quórum presente; 02-3º
Legado. (2/3 do quórum presente) para Representantes de Serviços Gerais (RSG),
Membro Coordenador do Distrito (MCD), Membros Coordenador de Setor (MCS), Membro
Coordenador de Área (MCA), Delegado de Área, Membros da Diretoria Executiva do ESL,
Membros do Conselho Fiscal e seus Suplentes.
.

16º) PORQUE NECESSITAMOS DOS ÓRGÃOS E ORGANISMOS DE SERVIÇOS? – Para


realizar os serviços que os grupos não podem executar por si próprios: Produzir a literatura,
Uniformizar a informação ao público a respeito de A.A.; Ajudar na formação de novos
grupos; Tratar dos pedidos de ajuda; Publicação de periódicos; e Transmitir a mensagem de
A.A. em outros idiomas a países apadrinhados. Esses órgãos e organismos de Serviços são
Comitês de Distritos, Comitê de Área, Escritório de Serviços Locais de A.A. (ESLAA), Comitê
Trabalhando com os Outros, Escritório de Serviços Gerais (ESG), Junta de Serviços Gerais
de Alcoólicos Anônimos do Brasil (JUNAAB), Conferência de Serviços Gerais (CSG).
17º) PODEMOS SIMPLIFICAR O A.A. ABOLINDO TAIS SERVIÇOS?
Esses serviços, que sejam executados por indivíduos, Grupos, Áreas ou A.A. como um
todo são absolutamente vitais para nossa existência e crescimento. Não podemos simplificar
A.A. abolindo-os. Somente estaríamos procurando complicações e confusões. Com respeito
a qualquer serviço determinado, fazemos, portanto, uma única pergunta: “é realmente
necessário esse serviço?” Se a resposta for positiva, precisamos mantê-lo ou então
fracassaremos a nossa missão junto àqueles que necessitam e procuram A.A..”

*MEMBRO COORDENADOR DO SETOR (MCS) E COORDENADOR DA


COMISSÃO PARA REFORMA DO REGIMENTO INTERNO E ESTATUTO DO ESL-
JP DA ÁREA 03-PB

LITERATURAS CONSULTADAS:
1. O Grupo de A.A..
2. Folheto Autossuficiência: Onde o dinheiro e a espiritualidade se misturam
3. Manual de Serviços Gerais de A.A.
4. Os Doze Passos e as Doze Tradições.
5. Os Doze Conceitos para Serviços Mundiais.
6. Manual do Comitê Trabalhando com os Outros (CTO).

“Conheça a literatura de A.A. para transmitir a mensagem certa”


“Um dia alguém contribuiu com os órgãos de serviços e hoje estamos aqui”

COMITÊ DE ÁREA 03-PB/SETOR LITORAL/ESLAA-JP-PB


Endereço: Rua da Areia, 743 – Varadouro – João Pessoa – PB
Telefone: (83) 3222-4557/98658-4556 E-mail: slitoralarea03pb@gmail.com