Você está na página 1de 2

PARECER Nº 216/2013/CETRAN/SC

Interessado: Marco Antonio Kucker – Diretor de Trânsito de Ibirama/SC


Assunto: Infração de transitar pela contramão de direção em via com duplo sentido de
circulação flagrada por equipamento eletrônico não metrológico de fiscalização.
Relator: André Gomes Braga

I - CONSULTA:

O Diretor de Trânsito do Município de Ibirama questiona este Conselho quanto a


possibilidade da infração capitulada no art. 186 do Código de Trânsito Brasileiro – Transitar
pela contramão de direção em via com duplo sentido de circulação, ser flagrada por
equipamento automático não metrológico de fiscalização.
Indaga o Consulente que os equipamentos eletrônicos instalados no Município de Ibirama
possuem o certificado do Inmetro para a referida autuação, e que a infração em tela virou
prática corriqueira para burlarem a fiscalização da velocidade pelos referidos equipamentos.

II - FUNDAMENTAÇÃO TÉCNICA:

Este Conselho já manifestou-se acerca do assunto através do Parecer 086/2009, que respondeu
à consulta formulada pelo órgão executivo municipal de Criciúma (CRICIÚMATRANS).
A Resolução nº 165 de 10 de setembro de 2004 do Conselho Nacional de Trânsito, a qual
regulamenta a utilização de sistemas automáticos não metrológicos de fiscalização nos termos
do parágrafo 2º do artigo 280 do Código de Trânsito Brasileiro, prevê em seu art. 2º, inciso II
que o sistema automático não metrológico de fiscalização deve atender aos requisitos
específicos mínimos para cada infração a ser detectada, estabelecidos pelo órgão máximo
executivo de trânsito da União.
Até a presente data, o Órgão máximo Executivo de Trânsito da União estabeleceu os
requisitos específicos mínimos dos sistemas automáticos não metrológicos para as seguintes
infrações:

1. Portaria nº 16, de 21 de setembro de 2004:

. Avanço de sinal vermelho (Art. 208 do CTB);


. Parada de veículo sobre a faixa de pedestre na mudança de sinal luminoso (Art. 183 do
CTB);
. Trânsito de veículo em faixa ou pista regulamentada como de circulação exclusiva para
determinado tipo de veículo (Art. 184, Incisos I e II);
. Não conservação do veículo na faixa a ele destinada pela sinalização de regulamentação
(Art. 185, Inciso I);

2. Portaria nº 27 de 30 de junho de 2005:

. Transitar em locais e horários não permitidos pela regulamentação estabelecida pela


autoridade competente para todos os tipos de veículos (Art. 187, Inciso I).

3. Portaria nº 263, de 28 de novembro de 2007:


1
. Executar operação de retorno em locais proibidos pela sinalização (Art. 206, inciso I do
CTB);
. Executar operação de conversão à direita ou à esquerda em locais proibidos pela sinalização
(Art. 207 do CTB).

4. Portaria nº 870, de 26 de outubro de 2010:

. Deixar de adentrar às áreas destinadas à pesagem de veículos (Art. 209, I do CTB);

. Transpor, sem autorização, bloqueio viário localizado na saída das áreas destinadas à
pesagem de veículos (Art. 209, II do CTB).

III - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Conforme exposto, até a presente data, a infração capitulada no art. 186 do Código de
Trânsito Brasileiro não encontra-se na listas das infrações possíveis de serem detectadas por
equipamentos eletrônicos não metrológicos de fiscalização de trânsito.

É o parecer.

Florianópolis, 16 de setembro de 2013.

André Gomes Braga


Relator

Aprovado por unanimidade na Sessão Ordinária n.º 037, realizada em de 16 de setembro de


2013.

Luiz Antonio de Souza


Presidente