Você está na página 1de 3

Como montar uma ONG

Por Marcela Tavares

Felizmente, muitos brasileiros põe a mão na massa para ajudar os


necessitados em vez de esperar as iniciativas do governo. Para que
esses grupos comunitários se tornem mais visíveis e mais efetivos, uma
boa alternativa é a fundação de uma ONG, sigla que significa
Organização Não Governamental.

O termo ONG nasceu no final da segunda guerra mundial para tratar de


organismos que podem atuar em várias partes do planeta e cuja criação
não não está ligada a um Estado. No Brasil, elas surgiram na década de
60, para defender direitos e realizar atividades assistencialistas.

Antes de se criar uma ONG, o grupo deve ter em mente as metas que
querem alcançar e como isso será feito. A criação de uma ONG só faz
sentido se ela é conseqüência de uma mobilização social que já existe.
"Atualmente, virou 'moda' fundar uma ONG e isso é ruim porque dá
margem para a criação de entidades que estão preocupadas em
conseguir dinheiro e não em fazer o bem", alerta Alexandre Ciconello,
advogado e coordenador do escritório de Brasília da Associação
Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong).

"Essas pessoas que decidem criar uma ONG são na verdade INGs,
indivíduos não governamentais. Isso não é correto porque a ONG deve
ser uma reunião de pessoas com um objetivo em comum e que já
desenvolvem um trabalho para alcançar as suas metas, sejam projetos
assistenciais ou a sugestão de mudanças de políticas públicas", declarou
Alexandre. "Se você quer ajudar um bairro, uma causa, é melhor que
procurar uma associação que já lida com esses problemas do que criar
sozinho uma ONG", sugeriu o advogado. Clique aqui para ver as ONGs
que já atuam em seu Estado.

Se você quer institucionalizar o seu projeto social, esclareça a seguir as


principais dúvidas sobre a criação de uma ONG.

Como legalizar uma ONG?


De acordo com a lei brasileira, a ONG é uma organização da sociedade
civil, sem fins lucrativos. É preciso transformar a sua associação em uma
pessoa jurídica para que ela possa abrir uma conta no banco, contratar
pessoal e promover ações civis públicas. As organizações sem fins
lucrativos podem ser uma fundação privada ou uma associação civil.

Uma fundação é criada em torno de um patrimônio ou conjunto de bens


(clique aqui para saber mais sobre fundações). Uma associação civil
nasce da reunião de um grupo de pessoas em busca de um objetivo
social ou com uma causa social em comum (clique aqui para saber mais
sobre associações civis).

A grande maioria das ONGs brasileiras são formadas como associações


civis, já que nem todas têm a sorte de começar com um patrimônio. Para
fundar uma associação civil, é necessário fazer uma assembléia de
constituição, que é uma reunião com os interessados em participar da
ONG. Os participantes da reunião serão considerados membros
fundadores da associação.

Três passos devem ser dados nessa primeira reunião:

 Aprovar as características da ONG, ou seja, o nome, a missão, os


objetivos, onde será a sede e como será feita a administração;
 Aprovar o Estatuto Social, que é o papel em que todas as
características acima ficam documentadas. Clique aqui para ver
quais as informações que devem constar de um Estatuto. Se
quiser ver um modelo de um Estatuto, clique aqui;
 Eleição dos primeiros dirigentes, que podem ou não continuar em
seus cargos depois que a ONG estiver em funcionamento.

Feita a primeira assembléia, é necessário fazer uma Assembléia Geral


de Constituição com os fundadores da ONG, que vão assinar uma lista
de presença. Depois de assinada a lista, é escolhido um presidente da
assembléia, que vai organizar a reunião. O presidente escolhe um
secretário, que vai fazer a ata da reunião, necessária para o registro da
ONG em cartório. Clique aqui para saber, passo a passo, o que deve ser
discutido nessa reunião.

O próximo passo é registrar no cartório de Registros Civis de Pessoas


Jurídicas a associação. Leve até o cartório duas vias do estatuto social,
com o visto de um advogado que represente a ONG, duas vias da ata da
assembléia geral de constituição (com a eleição de presidentes e termos
de posse), também com o visto de um advogado. Finalmente, leve um
requerimento de registro assinado pelo representante legal da
associação. Para evitar dores de cabeça, consulte antes o cartório mais
próximo para saber a quantidade de vias necessárias, já que isso pode
variar de cidade a cidade.

Outros registros devem ser feitos para que a ONG possa começar a
funcionar. Para facilitar esse trabalho, recomenda-se ter um contador,
que ficará responsável por fazer os registros de ordem fiscal, trabalhista
e local, além de todos os serviços contábeis. A associação deve ser
registrada na Secretaria da Receita Federal para conseguir o CNPJ,
podendo assim abrir uma conta bancária.
Mesmo que não tenha funcionários, ela deve apresentar anualmente o
RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) e o GFIP (Guia do Fundo
de Garantia e Informações à Previdência). Se quiser ter funcionários, a
ONG deve estar registrada no INSS (Instituto Nacional da Seguridade
Social).

A sede da ONG deve ter autorização da Prefeitura para funcionar. Outros


registros podem ser feitos, como no CNAS (Conselho Nacional de
Assistência Social). A ONG pode ter também uma declaração de
Utilidade Pública (municipal, estadual ou federal), um CEBAS (Certificado
de Entidade Beneficente de Assistência Social) e o título de OSCIP
(Organização da Sociedade Civil de Interesse Público).

Como captar recursos para a minha ONG?


A quantidade de dinheiro necessária para se manter uma ONG varia de
caso a caso. "Tudo depende da área de atuação da ONG. Algumas
sobrevivem apenas da mensalidade de seus associados, outras fazem
venda de produtos. A sobrevivência financeira da ONG deve ser uma das
primeiras coisas a serem discutidas na hora de pensar em se
institucionalizar porque existem taxas, impostos a serem pagos e outros
custos", aconselha Ciconello. "Infelizmente, são poucos os incentivos
fiscais na área social, então não dá para contar muito com ajuda de
grandes empresas", disse o advogado.

Uma ONG pode ter lucros?


Se por acaso a ONG tiver lucros no final do ano, o dinheiro deve ser
reinvestido em projetos ou na aquisição de patrimônio. Os lucros nunca
podem ser divididos entre os associados. Se a ONG fechar, todo o
dinheiro deve ser doado a uma associação sem fins lucrativos.

Os funcionários de uma ONG devem receber salário?


Uma ONG contrata funcionários como qualquer outra empresa. "Ela pode
até ter voluntários, mas essas pessoas devem assinar uma declaração
de que estão trabalhando e abriram mão de seu salário", disse o
advogado.

Como posso divulgar a minha ONG?


Uma boa forma de divulgar o trabalho de uma ONG é participar de fóruns
e redes de ONG que têm causas em comum. "Redes são muito
importantes na hora de trocar experiências e de tornar mais visível o
trabalho das ONGs", declarou Ciconello.