Você está na página 1de 3

MATRIZ DE ATIVIDADE INDIVIDUAL

Disciplina: Gestão de Pessoas Módulo: 0221-1

Aluno: Joyce Santos Farias Turma: 7

Introdução

É cada vez mais importante para as organizações corporativas entender o


fenômeno liderança, uma vez que, as mesmas estão determinadas a conquistar
o futuro de forma progressiva e transformadora, devido à competitividade e
globalização dos mercados. (GONÇALVES, 2008.)
Segundo Clemmer & McNeil (1989), a liderança consiste em gerir pessoas e
alcançar metas organizacionais por meio da direção do trabalho humano. Desse
modo, o líder efetivo é aquele que está apto a motivar e aplicar os recursos
humanos disponíveis na organização para atingir as metas propostas, que
precisam ser consistentemente alinhadas com as necessidades dos clientes.
Bennis & Nanus (1985) afirmam que a liderança está relacionada a ter visão sobre o
que deve ser feito, prestar atenção a eventos, estabelecer uma nova direção e,
principalmente, concentrar a atenção de todos na organização. Ainda sugerem que
um líder precisa ser bom em planejar, organizar, comandar e controlar para fazer
com que os colaboradores alcancem o que a maioria das pessoas considera
impossível.
Liderança também pode ser vista como maleabilidade, motivar e inspirar outras
pessoas. É entendida também como um processo de influência e poder sobre uma
pessoa ou equipes conduzindo o comportamento das mesmas com intuito de atingir
um propósito, concluir objetivos, etc.
O enfoque sobre os perfis de liderança iniciou-se na década de 50. Onde os cientistas
passaram a preocupar-se especificamente em como o bom líder deveria agir. Os
pesquisadores dirigiram a sua atenção aos aspectos que caracterizam a dinâmica do
comportamento do líder (Bergamini, 1994).
A presente atividade visa mostrar uma pesquisa sobre os principais tipos de liderança
no ambiente organizacional.

1
Desenvolvimento – análise de diferentes perfis de liderança

É sabido que, atualmente, existem diversas abordagens a sobre Teorias de liderança,


como a teoria do grande homem em 1936 e até mesmo teoria de liderança espiritual.
No entanto, focar-se-á nas mais pertinentes quanto a cultura organizacional.
Iniciando com a Teoria dos Traços onde o líder é dotado de traços e
características que o diferenciam dos seguidores. As pesquisas dessa linha
tentam responder duas perguntas: O que distingue o líder das outras pessoas? Qual
a extensão dessas diferenças? (COSTA, 2015).
Costa (2015) também realaciona a Teoria Situacional onde a liderança é
resultado de demandas situacionais: os fatores situacionais, mais do que os
fatores hereditários, determinam quem emergirá como líder. O surgimento de um
grande líder é consequência da época, do local e das circunstâncias.
Já a Teoria Comportamental iniciada por Rensis Linikert em 1971 pressupõe que o
fator decisivo na liderança é o estilo da pessoa. Definindo que o estilo participativo
era o ideal para ter um caminho de sucesso organizacional.
Já Kurt Lewin em 1973, sugeriu a existência de outros três perfis de liderança, são
eles:
- Estilo autocrático: liderança por comando e tomada de decisões inidividual;
- Estilo participativo: também conhecido como democrático, visa a participação da
equipe na resolução de uma tarefa;
- Estilo laissez-faire (ou liberal): onde a equipe faz o que bem entender sobre as
tarefas a serem desenvolvidas.
Costa (2015) discorre ainda sobre a Teoria Situacional em que a liderança é resultado
de demandas situacionais: os fatores situacionais, mais do que os fatores
hereditários, determinam quem emergirá como líder. Os quatro estilos básicos
propostos por essa teoria são:
- Determinar: definir o que as pessoas devem fazer, como e quando.
- Persuadir, por adotar um comportamento diretivo pela falta de
capacidade da equipe;
- Comparilhar: abrir canais de comunicação com o liderado escutando-o ativamente,
na direção de ajudar a usar a sua própria capacidade.
- Delegar: que oferece pouca direção e pouco apoio tendo confiança na equipe.

2
Considerações finais

Através desta pesquisa verificou-se a grande variedade de estilos de liderança,


percebe-se assim que é uma tarefa árdua elencar tantas capacidades para atingir
um ideal de liderança posto que, a equipe do ambiente organizacional também
influenciará no modo de liderança de um gestor.
Levando-se em conta ainda os fatores sócio-político, econômico, tecnológico e
cultural devido a grande demografia do Brasil, faz-se necessário a compatibilização
de muitos conceitos de forma a encontrar a melhor abordagem que se adapte e
possa ser exercida dentro de um ambiente de trabalho visando o atingimento de
objetivos e a realização de tudo com qualidade.

Referências bibliográficas

BENNIS, W. & NANUS, B. Leaders: the strategies for taking charge. New York:
Harper & Row, 1985.
BERGAMINI, C. W. Liderança: a administração do sentido. Revista de
Administração de Empresas. São Paulo, v.34, n-3, p.102-114. Mai/Jun, 1994.
CLEMMER, J., & McNeil, A. Leadership skills for every manager. London:
Piaticus, 1989.
COSTA, E. W. B. A Liderança-Coach como Intervenção para o
Desenvolvimento Humano na Universidade Federal de Santa Catarina. 157
p. Dissertação do curso de Administração Universitária da Universidade Federal De
Santa Catarina. Florianópolis, 2015
GONÇALVES, M. N. da C. ESTILOS DE LIDERANÇA: Um estudo de Auto-
Percepção de Enfermeiros Gestores. 141 p. Dissertação do curso de Ciências
Empresariais da Universidade Fernando Pessoa. Porto, 2008.

Você também pode gostar