Você está na página 1de 6

1.Os filósofos pré-socráticos na teoria de conhecimento.

Dentre os filósofos pré-socráticos, na teoria de conhecimento, nos interessa realçar o


Heraclito de Éfeso e Parménides de Eleia, porem, não deixando de mencionar os de
mais filósofos pré-socráticos e seus pensamentos.

1.1. Heraclito de Éfeso tudo muda

R/-Para Heráclito o ser é o múltiplo. Não no sentido apenas de que existe a


multiplicidade das coisas, mas de que o ser é múltiplo por estar constituído de oposições
internas. O que mantém o fluxo do movimento não é o simples aparecer de novos seres,
mas a luta dos contrários, pois, “a guerra é pai de todos, rei de todos”. E é da luta que
nasce a harmonia como sínteses dos contrários. O que faz de Heráclito um pensador
original é o facto de não ter uma visão estática do mundo. Considera, portanto, que há
um dinamismo inerente às coisas, o que explica que tudo esteja em constante mudança.
É, por isso, considerado o pai da filosofia do devir.

1.2. Parmênides de Eléia: o ser é imutável


R/-Para Parmênides é absurdo e impensável considerar que uma coisa pode ser e não ser
ao mesmo tempo. À contradição opõe o princípio segundo o qual o ser é e o não-ser não
é. Mais tarde os lógicos chamarão a isto princípio de identidade, base de toda
Construção metafísica posterior. Parmênides conclui que, o ser é único, imutável,
infinito e imóvel. Não há, entretanto, como negar a existência do movimento no mundo
que percebemos, onde as coisas nascem e morrem, mudam de lugar e se expõem em
infinita multiplicidade.

1.3.Os níveis de conhecimento são:


 Censo comum ou popular;
 Cientifico;
 Filosófico; e
 Teológico.
A teologia procura integrar os conhecimentos da razão com os dados da fé. O seu
método e, pois, caraterizado por esta integração, enquanto quem o seu objecto de
investigação e constituído pelos dados da fé. A fé e a razão são as duas azas através das
quais o espirito voa, rumo a verdade. Por isso, a fé e a razão podem se enriquecer
reciprocamente.

2.Augusto comté (1798-1857), espirado pela realidade do seculo XVII, fez um estudo
geral da evolução da história e formulou a lei dos três estádios.

2.1.A lei de três estádios e fundamentado num estudo geral da evolução da historia feito
pelo Augusto comté (1798-1857), espirado pela a realidade do seculo XVII.

2.2.Os três estádios formulado por Augusto comté são:


 Estádio teológico;
 Estádio metafisico; e
 Estádio positivo;
2.2.1.O estádio teológico corresponde a infância.
2.2.2.O estádio metafisico corresponde a juventude.
2.2.3.O estádio positivo corresponde a sua maturidade.

3.As perpectvas da análise de conhecimento são:


 Perpectiva fenomelogico- conhecimento como um fenómeno;
 Perpectiva filogenética- historia evolucionista; e
 Perpectiva ontogenética- formação das estruturas cognitivas.

A perpectiva ontogénica é imperiosa para a teoria do conhecimento, visto que no


nascimento o sujeito e objecto são elementos do conhecimento.

4.Definir quer dizer demarcar limites isto é, indicar entre as propriedades de uma coisa
as que bastam para dizer o que a coisa e a distingui do que não é, definir e dizer o que
um conceito e, e distingui-la do que não é.
Os tipos de definição:
 Definição essencial; e
 Definição descritiva.
E os seus subtipos são: definição nominal e definição real as regras que devem obedecer
uma definição são:
 A definição deve ser mais clara do que o termo a definir, isto é, e distintos e
deve ser breve e feita em termos precisos e não pode ser dada pela negativa;
 A definição deve convir a todo o definido; e
 A definição deve ser recíproca;

5.Os enunciados dos princípios da razão são:


 Identidade;
 Não contradição;
 Terceiro excluído; e
 Razão suficiente.

6.Os direitos humanos são inalienáveis, universais, individuais e anterior ao estado.

6.1 As declarações dos direitos humanos estão divididos em duas partes qui são:
 Direitos políticos ou direito de cidadania; e
 Direitos fundamentais propriamente ditos.

6.2. Os direitos humanos classificam-se em:


Direitos políticos ou direitos de cidadania: referem-se à definição da qualidade de
cidadão nacional e suas prerrogativas, aquisição e perda de nacionalidade, formação do
corpo eleitoral, capacidade eleitoral activa e passiva, acesso aos cargos públicos, etc.
Estes direitos, variam no espaço e no tempo, segundo a ordem política e jurídica de cada
Estado; e

Direitos fundamentais propriamente ditos: referem-se aos atributos naturais da pessoa


humana, invariáveis no espaço e no tempo, segundo a ordem natural estabelecida pelo
Criador do mundo e, partindo-se do princípio de que todos os homens nascem livres e
iguais em direitos. Entendem-se à todos os homens, sem distinção de nacionalidade,
raça,
Sexo, ideologia, crenças, condições econômicas ou quaisquer outras discriminações.

7.Estado de direito é uma situação jurídica, ou um sistema institucional, na qual cada e


submetido ao respeito do direito, do simples individuo até a potência pública. O estado
de direito e assim ligado ao respeito hierarquia das normas da separação dos e dos
direitos fundamentais.

8.Desde da antiguidade o homem foi pela capacidade de administrar o local em que se


encontra: casa, aldeia, cidade, instituições e nação. Pois o homem e por natureza
político. Aristoles.

8.1.Explique o conceito politica


R/- politica- é o conjunto das ações feitas por um grupo de indivíduos com vista a
resolver os problemas com que se deparam numa coletividade humana. Estas são
orientadas por imperativos como: o bem comum, a ordem pública a justiça a harmonia e
o equilíbrio social.

8.2. Apresente a relação entre a política e a filosofia.


R/- A relação entre a Filosofia e a política está no facto de que, a filosofia procura deter-
se e abarcar nas condições de emergência da coisa pública no homem como animal
político e na tipologia dos regimes. A filosofia examina o nascimento das instituições
políticas e a sua maturidade; a Filosofia vem iluminar os conceitos inerentes à Política,
tais como: justiça, bem comum, estado, tolerância, bem como a própria definição de
política; questiona o grau de liberdade consentâneo com a coesão social e o equilíbrio
na divisão do poder. É a filosofia que deve denunciar a absolutização da política e a
redução à sua natureza precária; deve criticar a política e todas as formas de dominação
do
Homem pelo homem.
8.3. O que é Estado segundo Sahid Maluf?
R/- Para Sahid Maluf, Estado é a organização destinada a Manter, pela aplicação do
Direito, as condições universais da Ordem social.

8.4. Quais são os elementos do Estado?


R/- Os elementos do Estado são população, território,
Governo e soberania

9.
10.Define o estado democrático de direito
R/- O estado democrático de direito e um conceito que designa qualquer estado que se
aplica a garantir o respeito das liberdades civis, ou seja, o respeito pelos humanos e
pelas liberdades fundamentais através do estabelecimento de uma proteção jurídica.

11.As modalidades na experiencia estética


11.1. Segundo J Neves vicente, a experiencia estética pode desdobrar-se em três
dimensões distintas, que são:
 Experiência estética da natureza: experiência estética do ser humano quando, na
admiração da natureza, e sujeito de determinados sentimentos ou vivências, tais
como o prazer, o deleite, a maravilha, o espanto que o conduzem a
contemplação.

 Experiência estética da criação artística: experiência do artista da fase da


criação; uma experiência tantas vezes marcada pela reflexão, pelo silêncio, pelo
isolamento.

 Experiência estética da obra da arte: experiência do espectador na contemplação


da obra da arte, também designada por experiência estética da recepção.

11.2. Sempre que houver uma obra feia, não haverá uma obra de arte. Argumente.
R/- O mesmo justifica-se pelo facto do belo e feio ter sido deslocado do assunto para o
modo de representação, e só haverá obras feias na medida em que forem mal feitas, isto
e, que corresponderem plenamente a sua proposta.
11.3 A questão do gosto tem haver com a capacidade de julgamento sem pré-conceito.
Justifica a sua resposta.
R/- Justificando este argumento conclui se que gostar alguma coisa e, pois ter essa
capacidade de avaliar e julgar a tal coisa ou objecto sem pré-conceito. O gosto e,
finalmente com a obra para além de todo o saber e toda a técnica.

12. – O que se entende de Belo na actualidade?


R/: Na actualidade considera-se o belo como uma qualidade de certos objectos
singulares que nos são dados a percepção. Beleza é uma imanência total de um sentido
ao sensível. O objecto é belo porque realiza o seu destino, é autêntico, e
verdadeiramente segundo o seu modo de ser, isto é, um objecto singular, sensível, que
carrega um significado que só
Pode ser percebido na experiência estética. Não existe mais a ideia de um único valor
estético a partir do qual julgamos todas as obras. Cada objecto singular estabelece seu
próprio tipo de beleza.

13. Quais os modos de encarar a religião?


R/-Os modos de encarar a religião são:
 A religião – temor: aquela que surgiu para compensar a
 Fragilidade humana;
 A religião-moral: existe para compensar os mecanismos de controle social;

 A religiosidade – cósmica: expressão sentimento de Maravilha perante à


natureza

Você também pode gostar