Você está na página 1de 12

Natália António Mazuane

Licenciatura em Educação de Infância

2º Ano Laboral

Educação de qualidade

Faculdade de Ciência da Educação e Psicologia

(FACEP)

Maputo, Julho de 2021


Natália António Mazuane

Licenciatura em Educação de Infância

2º Ano Laboral

Educação de qualidade

Do DocDocente:

Dr. Banze

Faculdade de Ciência da Educação e Psicologia

(FACEP)

Maputo, Julho de 2021


Índice

Lista de abreviaturas.................................................................................................................................... iv
1. Introdução............................................................................................................................................ 5
1.1. Objectivo Geral............................................................................................................................ 5
1.2. Objectivos Específicos................................................................................................................. 5
1.3. Metodologia................................................................................................................................. 5
2. Definição de conceitos-chave............................................................................................................... 6
2.1. Educação de infância (EI)............................................................................................................. 6
2.2. Natureza....................................................................................................................................... 6
2.3. Meio ambiente.............................................................................................................................. 6
2.4. Educação ambiental (EA)............................................................................................................. 7
3. Inclusão da natureza e cuidados do meio ambiente na educação infantil...............................................7
4. Importância de desenvolver a Educação Ambiental desde a educação infantil......................................8
1. Limitações da Educação Ambiental nas escolas...................................................................................9
5. O papel do professor........................................................................................................................... 10
6. Conclusão........................................................................................................................................... 11
7. Referências bibliográficas.................................................................................................................. 12
1. Introdução
O presente trabalho surge no âmbito da cadeira de Pedagogia e tem como finalidade abordar o
tema: Educação de qualidade.

Educação de qualidade de qualidade pressupõe a prior dois conceitos fundamentais (educação


e qualidade) separados porém, unidos com vista a construção e desenvolvimento de um
processo tão importante e imprescindível para toda e qualquer sociedade (a educação). Tendo
em conta que a educação é um dos principais, senão o principal fatcor, para o
desenvolvimento das pessoas e da sociedade.

1.1. Objectivo Geral


Realizar uma pesquisa bibliográfica sobre a educação de qualidade..

1.2. Objectivos Específicos


 Levantar os conceitos de Educação de qualidade;
 Identificar as dimensões da educação de qualidade;
 Caracterizar as dimensões de avaliação de qualidade da educação.

1.3. Metodologia
Neste trabalho, devido a sua natureza, optou-se pelo método de pesquisa qualitativo, através
da consulta bibliográfica de referencial teórico sobre o tema
2. Qualidade na educação
O termo “educar” vem da palavra latina “educare”, que significa alimentar, próxima da
palavra “educere”, que significa conduzir, tirar. Seu uso foi difundido por meio da publicação
de “Emílio, ou Da Educação”, uma obra filosófica sobre a natureza do homem, escrita por
Jean-Jacques Rousseau em 1762 (BARBOSA-LIMA, CASTRO, & ARAUJO, 2006).

Conforme afirma RICHERS (1971), o sentido etimológico de educar, associado ao cuidar tem
origem nas transformações políticas e culturais, na própria história da escola e do papel que
lhe foi sendo atribuído.

Para Durkheim citado por RICHERS (1971) “a educação é a acção exercida pelas gerações
adultas sobre as gerações que não se encontram ainda preparadas para a vida social, tem o
objectivo de suscitar e desenvolver, na criança, certo número de estados físicos, intelectuais
e morais, reclamados pela sociedade política no seu conjunto e pelo meio especial a que a
criança, particularmente, se destina." E acrescenta: "Conclui-se que a educação consiste
numa socialização metódica das novas gerações

A palavra qualidade vem do latim qualitas, e significa um atributo ou caracterísca


(MORWOOD, 1995) apud CASSOL at al. (2012). A palavra tem sido aplicada em diferentes
situações, na indústria ou na prestação de serviços, cada uma com definições particulares,
podendo significar: “fazer certo da primeira vez”, “ausência de defeitos”, “atender a
expectava do cliente”, e várias outras definições. O conceito pode ser diferente
dependendo do ponto de vista sob o qual é analisado, podendo ser o dequem oferece ou de
quem recebe um produto ou serviço.

Quando se trata da qualidade na educação, o termo também apresenta diferentes


defnições. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNITED NATIONS CHILDREN’S FUND,
2000 apud CASSOL at al. (2012) considera que a qualidade na educação está baseada em
cinco pontos fundamentais, que são:

a) Docentes saudáveis, bem nutridos e aptos a ensinar e aprender, apoiados por suas
famílias e comunidades;
b) Ambiente de ensino saudável, protector, com fontes de informação e instalações que
contemplem a igualdade de ensino e de acesso para os gêneros;
c) Conteúdo adequado para o currículo e para a aquisição de competências
básicas, especialmente em leitura, matemáca e competências para a vida, com
conhecimentos que contemplem gênero, saúde, nutrição, prevenção do HIV/SIDA e
paz;
d) Processos de ensino voltados para a criança, em salas de aula, escolas e
conteúdos que facilitem o aprendizado e reduzam as diferenças;
e) Resultados que privilegiem o conhecimento, habilidades e aatitudes relacionados
às metas de educação e participação positiva na sociedade.

3. Termos de qualidade da educação


A educação como prática social que ocorre em diferentes espaços e momentos da produção
da vida social, deve ter como objectivo a formação integral dos sujeitos. No que tange aos
termos de Qualidade da Educação, é importante pensarmos na medida das dimensões
extrínsecas (extra-escolares) e intrínsecas (intraescolares) como fundamentais para a
definição e compreensão teórico-conceitual e para análise da situação escolar que devem
ser entendidas de maneira articulada, pois, essas dizem respeito às múltiplas determinações
e às possibilidades de superação das condições de vida das camadas sociais menos
favorecidas e assistidas e, ainda, as condições relativas aos processos de organização e
gestão, bem como, aos processos ensino-aprendizagem, tendo em vista a garantia do
sucesso dos estudante (DOURADO; OLIVEIRA; SANTOS, 2007).

3.1. Dimensões extra-escolares


De acordo com DOURADO; OLIVEIRA; SANTOS (2007), nas dimensões extra-escolares
destacam-se dois níveis: o do espaço social e o dos direitos, das obrigações e das garantias,
cada um com aspectos relevantes na conceituação e definição da Qualidade da Educação.

3.1.1 Nível do espaço social: a dimensão sócio-econômica e cultural dos entes


envolvidos
 A influência do acúmulo de capital econômico, social e cultural das famílias e dos
estudantes no processo ensino-aprendizagem;
A necessidade do estabelecimento de políticas públicas e projectos pl escolares para
o enfrentamento de questões como: fome, drogas, violência, sexualidade, famílias,
raça e etnia, acesso à cultura, saúde etc;
 A gestão e organização adequada visando lidar com a situação de heterogeneidade
sociocultural dos sujeitos-estudantes das escolas;
 A consideração efectiva da trajetória e identidade individual e social dos estudantes,
tendo em vista o seu desenvolvimento integral e, portanto, uma aprendizagem
significativa;
 O estabelecimento de acções e programas voltados à dimensão econômica e
cultural, bem como aos aspectos motivacionais que contribuem para a escolha e
permanência dos estudantes no espaço escolar, assim como para o engajamento
num processo ensino-aprendizagem exitoso.

3.1.2. Nível do Estado: a dimensão dos direitos, das obrigações e das garantias
 A necessária ampliação da educação obrigatória como um direito do indivíduo e
dever do Estado;
 A definição e a garantia de padrões mínimos de qualidade, incluindo a igualdade de
condições para o acesso e permanência na escola;
 A definição e efetivação de diretrizes nacionais para os níveis, ciclos e modalidades
de educação ou ensino;
 A implementação de sistema de avaliação voltado para subsidiar o processo de
gestão educativa e para garantir a melhoria da aprendizagem;
 A existência efetiva de programas suplementares e de apoio pedagógico, de acordo
com as especificidades de cada país, tais como: livro didático, merenda escolar,
transporte escolar, etc.

3.2. Dimensões intra-escolares


Nas dimensões intra-escolares destacaram-se quatro níveis: condições de oferta do ensino;
gestão e organização do trabalho escolar; formação, profissionalização e acção pedagógica;
e, ainda, acesso, permanência e desempenho escolar, cada um com aspectos relevantes na
conceituação e definição da qualidade de educação (DOURADO; OLIVEIRA; SANTOS, 2007).
3.2.1. Nível de sistema: condições de oferta do ensino

 Ambiente escolar adequado à realização de actividades de ensino, lazer e recreação,


práticas desportivas e culturais, reuniões com a comunidade etc;
 Equipamentos em quantidade, qualidade e condições de uso adequadas às
actividades escolares;
 Biblioteca com espaço físico apropriado para leitura, consulta ao acervo, estudo
individual e/ou em grupo, pesquisa on line, dentre outros;
 Acervo com quantidade e qualidade para atender ao trabalho pedagógico e ao
número de alunos existentes na escola;

 Laboratórios de ensino, informática, brinquedoteca, entre outros, em condições


adequadas de uso;
 Serviços de apoio e orientação aos estudantes;
 Condições de acessibilidade e atendimento para portadores de necessidades
especiais;
 Ambiente escolar dotado de condições de segurança para o aluno, professores,
funcionários, pais e comunidade em geral;
 Programas que contribuam para uma cultura de paz na escola.

3.2.2. Nível de escola: gestão e organização do trabalho escolar

 Estrutura organizacional compatível com a finalidade do trabalho pedagógico;


 Planejamento, monitoramento e avaliação dos programas e projetos;
 Organização do trabalho escolar compatível com os objetivos educativos
estabelecidos pela instituição tendo em vista a garantia da aprendizagem dos alunos;
 Mecanismos adequados de informação e de comunicação entre todos os segmentos
da escola;
 Gestão democrática e participativa incluindo condições administrativas, financeiras e
pedagógicas;
 Mecanismos de integração e de participação dos diferentes grupos e pessoas nas
actividades e espaços escolares;
Perfil adequado do gestor da escola incluindo formação em nível superior, forma de
provimento ao cargo e experiência;
 Projecto Político Pedagógico coletivo da escola que contemple os fins sociais e
pedagógicos, a atuação e autonomia escolar, as atividades pedagógicas e
curriculares, bem como os tempos e espaços de formação;
 Disponibilidade de docentes na escola para todas as atividades curriculares;
 Definição de programas curriculares relevantes à diferentes modalidades do
processo de aprendizagem;
 Métodos pedagógicos apropriados ao desenvolvimento dos conteúdos;
 Processos avaliativos voltados para a identificação, monitoramento e solução dos
problemas de aprendizagem;
 Tecnologias educacionais e recursos pedagógicos apropriados ao processo de
aprendizagem;
 Planejamento e gestão coletiva do Trabalho Pedagógico;
 Jornada escolar ampliada ou integrada visando a garantia de espaços e tempos
apropriados as atividades educativas;
 Mecanismos de participação do aluno na escola;

3.2.3. Nível do professor: formação, profissionalização e acção pedagógica

 Perfil docente: titulação/qualificação adequada ao exercício profissional; vínculo


efetivo de trabalho;
 Valorização da experiência docente;
 Progressão na carreira por meio da qualificação permanente e outros requisitos;
 Políticas de formação e valorização do pessoal docente: plano de carreira, incentivos,
benefícios;
 Definição da relação alunos/docente adequada a modalidade;
 Garantia de carga horária para a realização de actividades de planejamento, estudo,
reuniões pedagógicas;
 Atendimento a pais;
 Ambiente profícuo ao estabelecimento de relações inter-pessoais, que valorizem
atitudes e práticas educativas, contribuindo para a motivação e solidariedade no
trabalho;
 Atenção/atendimento aos alunos no ambiente escolar.

3.2.4. Nível do aluno: acesso, permanência e desempenho escolar

 Acesso e condições de permanência adequadas à diversidade sócio-econômica e


cultural e à garantia de desempenho satisfatório dos estudantes;
 Consideração efetiva da visão de qualidade que os pais e estudantes têm sobre a escola
e que levam os estudantes a ter uma visão positiva da escola, os colegas e os
professores, bem como a aprendizagem e o modo como aprendem, engajando-se no
processo educativo;
 Processos avaliativos centrados na melhoria das condições de aprendizagem que
permitam a definição de padrões adequados de qualidade educativa e, portanto,
focados no desenvolvimento dos estudantes;
 Percepção positiva dos alunos quanto ao processo ensino-aprendizagem, as condições
educativas e a projeção de sucesso no tocante a trajetória acadêmico-profissional.
4. Conclusão
A educação é o meio pelo qual a criança inicia o processo de socialização de formalmente.
Constitui um direito de cada cidadão moçambicano devido a sua importância no
desenvolvimento do indivíduo e da sociedade. Porém, para que os objectivos da
aprendizagem seja alcançados seja em que nível e necessário que esta seja obedeça os
critérios de qualidade, que podem ser extrínsecos (extra-escolares) e intrínsecos
(intraescolares).

A educação e o ensino de qualidade são fundamentais para captar e valorizar todo o


potencial humano das comunidades, em particular para fomentar a inclusão social através
do aumento de oportunidades no mercado de trabalho.

O investimento na educação assegura ainda que os cidadãos, independentemente da idade,


estão capacitados para reduzir as desigualdades, em particular dos mais vulneráveis ou com
necessidades especiais.

As políticas de valorização da educação obedecem aos princípios da qualidade do ensino,


variedade de oferta e oportunidades, bem como da otimização das infraestruturas e corpo
letivo. A motivação da comunidade deve ser assegurada com um ambiente lectivo variado,
saudável e inclusivo.
5. Referências bibliográficas

BARBOSA-LIMA, Maria da Conceição, CASTRO, Giselle Faur & ARAUJO, Roberto


Moreira Xavier. Ensinar, Formular, Educar e Instruir: A Linguagem da Crise Escolar. 2006.
Disponível em https://www.scielo.br/pdf/ciedu/v12n2/08.pdf. Acesso em 9 de Jul. de 2021.

CASSOL, A.P. et al. Gestão da Qualidade na Educação. 2012. Disponível em


https://www.researchgate.net/publication/236002340_GESTAO_DA_QUALIDADE_NA_E
DUCACAO. Acesso aos 10 de Jul. 2021

DOURADO, Luiz Fernandes; OLIVEIRA, João Ferreira de; SANTOS, Catarina de Almeida. A
qualidade da educação: conceitos e definições. Série Documental: Textos para Discussão,
Brasília (DF), v. 24, n. 22, p.5-34, 2007. Disponível em https://www.google.com/url?
sa=t&source=web&rct=j&url=http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/sem
_pedagogica/fev_2016/anexo1_2dia_sp2016.pdf&ved=2ahUKEwi5wMz09tvxAhXmUBUIHQ
NbCBgQ6sMDMAp6BAgiEAI&usg=AOvVaw3tQ6ZPaMDVPoMI86C0Wywv. Acesso aos 10 de
Jul. 2021

RICHERS, Raimar. Educar para quê? 1971. Disponível em


https://www.scielo.br/j/rae/a/NQmjv5gGzTCfFXq9hz74t5z/?lang=pt. Acesso em 10 de Jul.
de 2021.

Você também pode gostar