Você está na página 1de 1

Grupo III

Num texto de opinião bem estruturado, de duzentas a trezentas e cinquenta palavras, defenda um
ponto de vista pessoal sobre a perspetiva apresentada por Miguel Esteves Cardoso:
“O medo faz mal. O medo não resolve nada. O medo intromete-se. O medo estraga tudo.”
Fundamente o seu ponto de vista recorrendo, no mínimo, a dois argumentos e ilustre cada um deles
com, pelo menos, um exemplo significativo.

A perspetiva da citação remete para aspetos negativos do “medo”, enquanto


sentimento limitador da ação humana, com os quais facilmente poderemos afirmar Introdução
uma concordância parcial.
Por um lado, trata-se de uma emoção que, em circunstâncias determinadas, Argumento
pode condicionar de forma definitiva o nosso comportamento, levando-nos a não
agir, a não assumir uma perspetiva ou a não tomar uma decisão que, arriscando,
poderia demonstrar-se a mais acertada. Analisemos, a título de exemplo, o “medo” Exemplo
de andar de avião. Este meio de transporte é, estatisticamente, muito seguro. Apesar
disso, condicionados pelo “medo” de utilizar este meio de transporte, dificilmente

Desenvolvimento
poderemos vivenciar emoções apenas possíveis em lugares longínquos, dificilmente
poderemos emocionar-nos num qualquer local, mais ou menos remoto, se
unicamente o vemos através de imagens diferidas.
Por outro lado, numa orientação oposta, o “medo” pode também, enquanto Argumento
reflexo defensivo da nossa mente, constituir-se como um fator fundamental de bem-
estar ou, no limite, d sobrevivência. Ao caminharmos, por exemplo, perto dum Exemplo
penhasco, vislumbramos que, dois metros mais à frente, teríamos a perspetiva
perfeita para uma fotografia de sonho, aquela que teríamos provavelmente como a
nossa melhor fotografia das férias. Todavia, é o “medo” prudente que faz com que
não avancemos esses dois metros. Trocamos a fotografia pela nossa segurança.
Em suma, tomando como válidas ambas as perspetivas apresentadas, não
vemos no “medo” exclusivamente a negatividade apresentada pelo autor da citação.
Concordando com a sua visão deste sentimento, não deixamos também de atribuir Conclusão
ao “medo” um carácter positivo. O equilíbrio estará na difícil gestão dos níveis de
medo, porque esse sentimento não depende exclusivamente da vontade e é
predominantemente condicionado por fatores psíquicos inconscientes.

Mod. AEVPA - Diverso Página 1 de 1

Você também pode gostar