Você está na página 1de 7

4

1- CONHECENDO CIRCUITOS INTEGRADOS

O desenvolvimento da tecnologia dos circuitos integrados, possibilitando a


Colocação num único invólucro de diversos componentes já interligados, veio
permitir um desenvolvimento muito rápido da eletrônica digital e consequentemente
do projeto de sistemas digitais. Foi criada uma série de circuitos integrados que
continham numa única pastilha as funções lógicas digitais mais usadas e de tal
maneira projetadas que todas eram compatíveis entre si a partir das quais os
projetistas tiveram facilidade em encontrar todos os blocos para montar seus
sistemas digitais. Estas séries de circuitos integrados formaram então as famílias
lógicas ou Famílias digitais que consistem em um grupo de dispositivos compatíveis
com os mesmos níveis lógicos e tensões de alimentação, por isso pode-se conectar
diretamente a saída de um dispositivo na entrada de outro se ambos forem da
mesma família digital. Em virtude da massificação do uso de CIS, torna-se
necessário conhecer as características gerais desses circuitos e de algumas das
famílias lógicas mais populares. Uma vez entendidas tais características, a
preparação dos projetos de circuitos digitais é melhorada. Para se conectar
dispositivos de famílias diferentes, geralmente há a necessidade de uma interface
entre ambas.

2 - CONSTITUIÇÃO DAS PORTAS LÓGICAS

Os componentes principais que constituem as Portas lógicas são os


transístores bipolares (família lógica TTL) ou os transístores de efeito de campo –
Fet – (família lógica CMOS).

Estes transístores comportam-se como interruptores electrónicos que ou


estão em condução (1) ou estão ao corte (0).

3 - FAMILIAS LÓGICAS

Os circuitos integrados digitais estão agrupados em familias, onde as familias


logicas mais comuns são classificadas como:

3.1 Famílias lógicas bipolares ( Transistores Bipolares):


5

RTL – Resistor Transistor Logic – Lógica de transístor e resistência.

DTL – Díode Transistor Logic – Lógica de transístor e díodo.

TTL – Transistor Transistor Logic – Lógica transístor-transístor.

HTL – High Threshold Logic – Lógica de transístor com alto limiar.

ECL – Emitter Coupled Logic – Lógica de emissores ligados.

I2L – Integrated-Injection Logic – Lógica de injecção integrada.

A figura apresentada é um exemplo de um circuito eletrico, implementando


um Porta logica.

3.1.1 Familia TTL


6

A família TTL é principalmente reconhecida pelo fato de ter duas séries que
começam pelos números 54 para os componentes de uso militar e 74 para os
componentes de uso comercial.

TTL 74L de Baixa Potência

TTL 74H de Alta Velocidade

TTL 74S Schottky

TTL 74LS Schottky de Baixa Potência (LS-TTL)

TTL 74AS Schottky Avançada (AS-TTL)

TTL 74ALS- TTL Schottky Avançada de Baixa Potência

- Faixas de tensão correspondentes aos níveis lógicos de entrada:

Entre 2 e 5 Volt, nível lógico 1

Entre 0,8V e 2V o componente não reconhece os níveis lógicos 0 e 1, devendo


portanto, ser evitada em projectos de circuitos digitais.

Entre 0 e 0,8 Volt, nível lógico 0

- Faixas de tensão correspondentes aos níveis lógicos de saída:

Entre 2,4 e 5 Volt, nível lógico 1

Entre 0,3 e 0,5 Volt, nível lógico 0

3.2 Famílias lógicas MOS (Metal – Óxido – Semicondutor)

CMOS – Complemantary MOS – MOS de pares complementares


NMOS/PMOS

NMOS – Utiliza só transístores MOS-FET canal N.

PMOS – Utiliza só transístores MOS-FET canal P.


7

3.2.1 Séries CMOS:

4000/14000 (foram as primeiras séries da família CMOS)

74C (compatível, pino a pino e função por função, com os dispositivos TTL)

74HC (CMOS de Alta Velocidade)

74HCT (os dispositivos 74HCT - CMOS de Alta Velocidade - podem ser


alimentados directamente por saídas de dispositivos TTL)

Faixa de alimentação que se estende de 3V a 15V ou 18V, dependendo do


modelo.

A família CMOS possui também, uma determinada faixa de tensão para


representar os níveis lógicos de entrada e de saída, porém estes valores dependem
da tensão de alimentação e da temperatura ambiente.

Atualmente as familias TTL e CMOS são as mais utilizadas na Eletronica Digital.

4 – PORTAS LÓGICAS

A facilidade do processamento de números binários decorre da existência de


apenas dois dígitos, 0 e 1 (bit), que podem ser representados por 2 níveis de tensão
(por exemplo 0 = 0 volt e 1 = 5 volts). Os símbolos representam um bloco lógico com
uma ou mais entradas lógicas a, b, etc. E uma saída lógica s. As entradas e saídas
lógicas só assumem valores correspondentes aos níveis lógicos 0 e 1. Um bloco
lógico executa uma determinada função lógica para a qual foi projectado. Essa
função determina os valores que as saídas assumem para cada combinação de
valores das entradas. Tais relações são muitas vezes exibidas soba a forma de
tabelas de verdade. A simbologia se dá de acordo com a figura abaixo:
8

CONCLUSÕES

A linguagem lógica está presente em toda e qualquer tomada de


decisão.Estes dispositivos práticos executam funções booleanas básicas, isto é, as
operações fundamentais como OU, E, NAO e algumas delas derivadas. Na
atualidade, a sua implementação é praticamente em circuitos eletrônicos integrados,
mas podem ser componentes discretos, circuitos elétricos com relés, dispositivos
óticos, circuitos hidráulicos ou mesmo mecanismos.
9

REFERÊNCIAS

TORRES, Gabriel; LIMA, Cássio – Introdução às Portas Lógicas


http://www.clubedohardware.com.br/artigos/1139

BOYLESTAD, Robert; NASHELSKY, Louis – Dispositivos eletrônicos e teoria de


circuitos, pg. 641-670
10