Você está na página 1de 9

Peter Ducker: vida e obra do “Papa da Administração”

1.0 Quem foi Peter Drucker

Peter Ferdinand Drucker, nasceu em 10 de Novembro de 1909, em


Viena, Áustria e faleceu aos 95 anos, em Novembro de 2005, em Claremont,
Califórnia, EUA. Peter era um homem que tinha muitas profissões, dentro elas
a de economista, analista financeiro, jornalista, conferencista, consultor, autor e
professor. Em todas estas profissões, viveu sempre de modo simples, sem
secretária, batendo as próprias cartas numa máquina de escrever. Peter nunca
gostou de ostentação e luxo, sempre preferiu uma vida mais simples e humilde.
Ele também foi um homem muito marcado pela influência de várias
culturas. Nasceu na Áustria (onde permaneceu até à adolescência), fez os
estudos na Alemanha (até ao regime nazista ter chegado ao poder) e trabalhou
na City londrina (até casar com a sua companheira de uma vida toda, Doris
Drucker). O casal emigrou para os Estados Unidos, quando Drucker tinha
apenas 26 anos de idade. Nos EUA, sempre foi considerado o grande
embaixador da tradição intelectual européia. Enquanto a saúde o permitiu,
tentava viajar todos os anos para a Ásia, em particular para o Japão – país cuja
cultura sempre o fascinou e onde ainda hoje tem a maior legião de fãs.
Apesar de sempre ter odiado o rótulo de “guru” (que associava a
charlatanismo), existe uma grande unanimidade entre o meio acadêmico e
empresarial sobre o fato de não existir outra pessoa no mundo que mereça
ostentar tal título. Afinal foi ele quem inventou a Gestão como disciplina e
definiu as funções do gestor moderno. Foi um dos raros pensadores que se
pode gabar de ter mudado o mundo com as suas idéias ao inventar conceitos
como as (re)privatizações, a gestão por objetivos ou a descentralização nas
empresas.
O maior legado de Drucker está, porém, na sua capacidade de
interpretar o presente e de perceber as suas implicações para o futuro. Drucker
tinha a capacidade de vislumbrar as tendências que irão produzir mudanças na
sociedade, na economia e nas empresas. A ele se deve o diagnóstico de
"descontinuidades" como a ascensão dos fundos de pensões no capital das
empresas cotadas ou a emergência dos trabalhadores do conhecimento. Foi o
primeiro a alertar que os trabalhadores são os donos do ativo (o conhecimento)
mais precioso da sociedade atual que ele apelidou de “pós-capitalista”.
Acima de tudo, tornou a Gestão uma disciplina séria e respeitada, e acessível a
milhões de pessoas.
No seu entender, a gestão é fundamentalmente uma ciência social que
lida com pessoas e cujo âmbito não se confina ao mundo empresarial (por isso,
o autor dedicou vários livros ao mundo das organizações sem fins lucrativos).
Apesar de todas estas contribuições, Peter Drucker, com a sua proverbial
modéstia, recusava o título de ‘pai’ do Management.

1.1 Principais conceitos de Peter Drucker

Na sua visão, a Gestão é uma disciplina prática e humanista. É uma


"arte" que se alimenta de ciências como a Economia, Psicologia, História,
Matemática, Teoria Política e Filosofia, e ao mesmo tempo é também uma
prática – como a Medicina – no sentido em que não interessa se o tratamento
é, ou não, científico, mas sim se cura o doente.
Peter Drucker afirmava que a empresa que conseguisse vender o
produto/serviço certo, para o cliente certo, com a distribuição adequada, por um
preço adequado e no momento oportuno, veria seus esforços de venda
reduzirem-se a quase zero, ou seja, a venda tornaria-se automática em função
de a demanda ter sido corretamente equacionada e trabalhada.
Nos EUA, Drucker começou suas atividades como um consultor de
negócios, em 1942, em seu livro “The Future of Industrial Man”, Drucker analisa
o desenvolvimento da sociedade no século vinte e concluindo que a sociedade
industrializada tinha se transformada em uma “sociedade das organizações.”
Drucker, estava desse modo interessado no aspecto político e social
das organizações, porque os responsáveis pelas decisões nestas organizações
exercitaram o poder social. Esta definição ainda não existia de fato, os
responsáveis pela gerência deveriam apenas supervisionar e cobrar resultados
dos seus subordinados, seguindo a divisão de trabalho e hierarquia definida
por Taylor. Drucker também se interessou pelas grandes corporações que
existiam na época, em consequência disto e de seu primeiro livro, foi convidado
pela General Motors, naquele tempo a maior empresa do mundo, para realizar
uma análise social e política da empresa. Durante dois anos, Drucker participou
de reuniões do corpo diretivo, analisando as tomadas de decisão e os
processos de produção. Realizou inúmeras entrevistas com membros da alta
direção, gerentes e trabalhos de chão de fábrica.
Em 1946, os resultados desta pesquisa foram publicados no livro
Concept of the Corporation, no qual popularizou-se a estrutura multidivisional
da GM, levando Drucker a produzir inúmeros artigos e livros sobre o assunto e
também realizar diversas consultorias. Drucker se interessou no crescente
efeito na época dos trabalhadores do conhecimento, ou seja pessoas que
trabalhavam mais com a mente do que com as mãos. Sua experiência na GM,
fez com que Drucker criasse uma teoria de como uma empresa deveria ser
organizada e administrada.
Por quase meio século, Peter Drucker tem inspirado e educado gerentes
de todo o mundo. Um de nossos maiores pensadores sobre a prática e o
estudo de administração, Drucker buscou, identificou e examinou as questões
mais importantes que confrontam os gerentes, desde estratégia corporativa até
estilo gerencial e mudanças sociais. Um dos conceitos que pregava era que o
maior patrimônio da empresa era composto por seus funcionários.
Foram muitos os feitos de Peter Drucker e sua herança deixada para o
processo de administração moderno atual, entretanto, pode-se resumir a estes:
- Explicou como gerir a grande empresa (corporation no dizer
americano);
- Garantiu que a gestão se podia aprender, que não era exclusiva de
pessoas que poderiam ser chamadas de “gênios” ou “iluminados”;
- Projetou de novo o papel do “empreendedor”, o personagem mais
importante na inovação da área econômica.
- Revelou a sociedade emergente do nosso século, baseada no
conhecimento;
- Deu nobreza à gestão em todo o gênero de organizações sem fins
lucrativos.
Peter Drucker em um de seus livros, intitulado “Prática da Administração
de Empresa”, fez uma referência e uma espécie de prognóstico para o Brasil
há mais de 20 anos, mas que continua sendo válida nos dias atuais:

“ Nos últimos vinte e cinco anos, isto é, no decorrer da vida


profissional dos homens que hoje dirigem as empresas
brasileiras – grande e pequenas; privadas, mistas ou públicas- ,
o País transformou-se mais do que qualquer outro do planeta.”
...

“ Na próxima década, o administrador brasileiro irá se ver


diante de exigências e oportunidades sem precedentes. E de
toda uma nova geração de jovens irá ingressar em suas
carreiras administrativas.”

(DRUCKER, Prática da Administração de Empresas; prefácio especial, pág. IX e X)

1.2 As 10 Lições de Peter Drucker

Depois de anos e mais anos, livros e mais livros, Drucker deixa 10


lições essenciais que devem ser aprendidas para poder ter um negócio de
sucesso e ser um gestor com qualidade e excelência:

1. Na administração estratégica, a eficiência é importante, mas a eficácia é


vital.

2. Defender o ontem, isto é, não inovar, é mais arriscado do que fazer o


amanhã.

3. Deve-se aprender a ver as mudanças sociais, tecnológicas, econômicas e


demográficas como oportunidades e não como ameaças.

4. Os empreendedores mais bem sucedidos que conheci sempre foram


homens e mulheres humildes, que tinham consciência de que o sucesso de
hoje pode ser o fracasso de amanhã e vice-versa

5. Inovação é trabalho. Ações sistemáticas, deliberadas e disciplinadas são o


que realmente conduzem uma empresa ao progresso.
6. Nunca misture unidades administrativas a unidades empreendedoras.

7. A pesquisa de marketing é um instrumento que pode ser utilizado para


descobrir o que os clientes compram, como compram e assim por diante.

8. A simplicidade tende ao desenvolvimento, a complexidade à desintegração.

9. O judô empreendedor sempre se concentra no mercado e é dirigido pelo


mercado.

10. Aqueles que sobrevivem, tendem a evoluir.

1.3 Principais Obras Literárias de Peter Drucker

Drucker era professor de ciências sociais da Claremont Graduate


University, Califórnia, EUA e presidente honorário da Drucker Foundation,
escreveu muitos artigos e mais de 30 livros. Abaixo, a lista dos mais
importantes:

• The End of Economic Man: The Origins of Totalitarianism (1939)


• The Future of Industrial Man (1942)
• Concept of the Corporation (1945) (A study of General Motors)
• The New Society (1950)
• The Practice of Management (1954)
• America's Next 20 Years (1957)
• Landmarks of Tomorrow: A Report on the New 'Post-Modern' World
(1959)
• Power and Democracy in America (1961)
• Managing for Results: Economic Tasks and Risk-Taking Decisions
(1964)
• The Effective Executive (1966)
• The Age of Discontinuity (1968)
• Technology, Management and Society (1970)
• Men, Ideas and Politics (1971)
• Management: Tasks, Responsibilities and Practices (1973)
• The Unseen Revolution: How the Pension Fund Came to America (1976)
• An Introductory View of Management (1977)
• Adventures of a Bystander (1979) (Autobiography)
• Song of the Brush: Japanese Painting from the Sanso Collection (1979)
• Managing in Turbulent Times (1980)
• Toward the Next Economics and Other Essays (1981)
• The Changing World of the Executive (1982)
• The Temptation to Do Good (1984)
• Innovation and Entrepreneurship: Practice and Principles (1985)
• The Frontiers of Management (1986)
• The New Realities (1989)
• Managing the Non-Profit Organization: Practices and Principles (1990)
• Managing for the Future: The 1990s and Beyond (1992)
• The Post-Capitalist Society (1993)
• The Ecological Vision: Reflections on the American Condition (1993)
• The Theory of the Business (1994)
• Managing in a Time of Great Change (1995)
• Drucker on Asia: A Dialogue Between Peter Drucker and Isao Nakauchi
(1997)
• Peter Drucker on the Profession of Management (1998)
• Management Challenges for the 21st Century (1999)
• Managing Oneself (1999)
• The Essential Drucker: The Best of Sixty Years of Peter Drucker's
Essential Writings on Management (2001)
• Leading in a Time of Change: What it Will Take to Lead Tomorrow (2001;
with Peter Senge)
• The Effective Executive Revised (2002)
• Managing in the Next Society (2002)
• A Functioning Society (2003)
• The Daily Drucker: 366 Days of Insight and Motivation for Getting the
Right Things Done (2004)
• The Effective Executive in Action (2005)
1.4 Peter Drucker, segundo visão de terceiros.

Dada a importância desta pessoa ilustre para a gestão empresarial e


também para o conhecer humano, especialistas e pessoas influentes na área
de administração e empreendedorismo, dão sua opinião e comentam sobre
Peter Drucker:

- “A sua atitude intelectual é menos a do profeta que a do timoneiro, isto é,


procura entender e antecipar uma mudança que não pode controlar, para
melhor a conduzir em correntes agitadas.”

Mário Murteira, professor catedrático de Economia jubilado, diretor da


revista Economia Global & Gestão, foi ministro de três Governos e autor de
vários livros sobre Economia.

- “Conhecia bem demais as surpresas, os disfarces e as reviravoltas do meio


empresarial. Tinha uma noção clara do verdadeiro papel do gestor. Para ele, o
gestor é o elemento dinâmico e vital de toda e qualquer empresa”.

Rubens Fava, professor na UniFAE Centro Universitário, Curitiba, Brasil,


formado em Ciências Econômicas e Administração.

- “A gestão por objectivos é atribuída a Peter Drucker e à sua obra The


Practice of Management. Na administração pública portuguesa o seu efeito não
foi tão repentino e ainda hoje se está a sentir.”

João Bilhim, professor catedrático de gestão de recursos humanos, presidente


do Conselho Directivo do ISCSP da Universidade Técnica de Lisboa

- “Drucker dizia que não há países subdesenvolvidos, mas subgeridos. É outro


modo de dizer que não há países competitivos sem empresas competitivas,
trinta anos antes desta frase se ter tornado popular.”

Jorge Vasconcellos e Sá, mestrado pela Peter Drucker Graduate School of


Management e doutoramento em Gestão pela Universidade de Columbia, autor
de 13 livros sobre gestão
A importância de Drucker é tamanha, que inclusive piadinhas já fizeram
com o mesmo:

Oração do Marketing

Peter Druker que estás nos céus


Louvado seja Philip Kotler
Venha a nós a matriz de Porter
Seja feita a análise SWOT e os 4P´s
Assim como a ANSOFF, o ROI e o Pay-back
O aumento de market-share de cada dia nos dai hoje
Perdoai aqueles que não conhecem o MKT e nos tem ofendido
E não nos deixes cair em participação dos clientes
Mas livrai-nos da falta de criatividade, ética e inovação
Amém!

2.0 Bibliografia

DRUCKER, Peter F. Administração de organizações sem fins lucrativos.


Princípios e práticas. São Paulo, Thomson, 1994.

DRUCKER, Peter F. Administração. São Paulo, Pioneira, 1975.

DRUCKER, Peter F. Administração lucrativa. Rio de Janeiro, Zahar Editores,


1977.

DRUCKER, Peter F. Prática da administração de empresas. São Paulo,


Thomson, 2002.
3.0 Webgrafia

www.andreilima.adm.br/index.php/2007/08/peter-drucker-o-maior-guru-da-
administracao/, acessado em Junho de 2008.

www.unicap.br/marina/profadm.html, acessado em Junho de 2008

www.centroatlantico.pt/drucker/testemunhos.html, acessado em Junho de


2008.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Peter_Drucker, acessado em Junho de 2008.

www.webboom.pt/ficha.asp?ID=116577, acessado em Junho de 2008.

http://brazilbusiness.biz/2006/06/26/peter-drucker-em-10-licoes/, acessado em
Junho de 2008.

www.janelaweb.com/manageme/druck1.html, acessado em Junho de 2008