Você está na página 1de 6

Professor Antonio Bartolini

1] A figura abaixo é o gráfico de um trinômio do segundo grau.


Determine o trinômio:
y

0
0
-1 2 x

(i) Sabemos que a abscissa e a ordenada do vértice são dadas


respectivamente por:

b ∆ b2 − 4ac
xv = − (eq.1) e yv = − =− (eq.2)
2a 4a 4a
(ii) e sendo -1 uma raiz, teremos que:

f(−1) = a(−1)2 + b(−1) + c = 0 ⇒ a − b + c = 0 (eq. 3)


(iii) A segunda raiz pode ser calculada da seguinte forma

xv =
x1 + x 2
⇒2=
(− 1) + x2 ⇒ 4 = (− 1) + x ⇒ x = 5
2 2
2 2
(iv) Pela fórmula do produto das raízes determinamos a relação existente
entre a e c:
c
= −1.(5) ⇒ c = −5a (eq. 4)
a
b
Da eq.1, podemos dizer que − 2a = , multiplicando toda expressão por 2,
xv
2b
teremos: − 4a = (eq. 5)
xv

b2 − 4ac
Da eq. 2, podemos dizer que: − 4a = (eq. 6)
yv
Igualando as equações (eq. 5) = (eq. 6), teremos

Gabarito comentado de questões/exercícios/provas anteriores


Envie para:
gabaritocerto@hotmail.com ; gabaritocerto2@yahoo.com.br ; manpat@terra.com.br
Professor Antonio Bartolini

2b b2 − 4ac
= (eq. 7), substituindo nessa equação o valor encontrado na
xv yv
2b
b2 + c
2b xv
(eq. 5), teremos: = (eq. 8). Desenvolvendo a eq. 8, teremos:
xv yv
2b
b2 + c
2b xv 2y vb 2b 2y vb x vb2 + 2bc
= ⇒ = b2 + c⇒ = , simplificando
xv yv xv xv xv xv
e dividindo toda expressão por b, teremos:

yv =
(x vb + 2c ) (eq. 9)
2
Da (eq. 4) e (eq. 5) podemos escrever:
2b 5b
c = −5a = −5 = (eq. 10)
(− 4x v ) (2x v )
Substituindo (eq. 10) em (eq. 9), teremos:
 5b 
x vb + 2 
 ⇒ 2y =  x b + 5b  ⇒ y =  x v b + 5b  ,
2
yv =  2x v colocando
2
v  v x v 
v  2x v 
  
b em evidência e isolando a expressão para b, teremos.

(
2 ⋅ y v ⋅ x v = b x v2 + 5 ⇒ b = ) 2.y v ⋅ x v
(
x v2 + 5 ) (eq. 11)

Assim podemos pelos dados do problema, determinar o valor de b.


2.y v ⋅ x v 2⋅3⋅2 12 4
b= = = ⇒b=
(x v
2
+5 ) (2 2
+5 ) 9 3
Substituindo o valor de b encontrado na eq. 10, teremos:
4  20 
5   
5b  3  ⇒c=5
⇒c=   =
3
c=
(2xv ) (2 ⋅ 2) 4 3
Pela (eq. 4) e o valor de c, encontramos a
5 1
c = −5a ⇒ = −5a ⇒ a = −
3 3
Assim o trinômio procurado é:

1 2 4 5 − x2 + 4x + 5
y=− x + x+ ou y=
3 3 3 3
Gabarito comentado de questões/exercícios/provas anteriores
Envie para:
gabaritocerto@hotmail.com ; gabaritocerto2@yahoo.com.br ; manpat@terra.com.br
Professor Antonio Bartolini

2] O gráfico representa uma função f, definida em [-4,2]. Sendo S a


soma dos valores de x para os quais f(f(x)) = -2, o valor de f(f(S))
é:

Solução:
Ora, para que F(f(x))=-2, temos que considerar que f(0) = -2. Assim,
teremos que f(x) = 0. Ora, pela análise do gráfico, os valores são as raízes
da função, quais sejam, {-3, -2, 1}, assim a soma desses valores será igual
a: -4. Sendo assim para determinarmos f(f(-4)), teremos que primeiramente
verificar o valor de f(-4). Ora, pela análise gráfica, vemos que f(-4) = 2.
Sendo assim, f(f(-4)) = f(2) e pela análise no gráfico identificamos que é
igual a 4.

Gabarito comentado de questões/exercícios/provas anteriores


Envie para:
gabaritocerto@hotmail.com ; gabaritocerto2@yahoo.com.br ; manpat@terra.com.br
Professor Antonio Bartolini

3] A figura representa a função f(x) = x2 + bx + c em que b e c são


constantes, a distância d, entre P e Q, éigual a 4 e o ponto V é o
vértice da parábola. Uma equação da circunferência de centro O e
que passa por V é:
y

0
1
0
P Q x

Solução: Façamos por parte.


A Equação da circunferência com centro em (0,0) é dada por:

x2 + y2 = R 2 em que R é o raio da circunferência.


Sendo assim, nossa proposta inicial é encontrar o raio que no nosso gráfico é
a distância que vai do ponto (0,0) ao ponto V. Essa distância que
chamaremos de OV, está representada na figura abaixo:
y

O0 1
0

P Q x

(yv) T V

Observe que OV é a hipotenusa do triângulo OTV. Ora, pelo teorema de


Pitágoras sabemos que:

(TV)2 + (OT )2 = (OV )2


Do gráfico sabemos que TV = 1 . ( )
( )
Calculemos então OT que na verdade é o módulo de yv

Gabarito comentado de questões/exercícios/provas anteriores


Envie para:
gabaritocerto@hotmail.com ; gabaritocerto2@yahoo.com.br ; manpat@terra.com.br
Professor Antonio Bartolini

(i) Como foi dito que PQ = 4, e 1 é o ponto médio do segmento, então


podemos considerar que P está a 2 unidades à esquerda de 1, logo P=-1 e Q
está a duas unidades a direita de 1, logo Q = 3. Assim, temos as RAÍZES da
função. Raízes = {1 e 3}
(ii) Sabemos que a abscissa e a ordenada do vértice são dadas
respectivamente por:

b ∆ b2 − 4ac
xv = − e yv = − =−
2a 4a 4a
Pela análise da função dada no problema verificamos que o valor do
coeficiente de x2 é igual a 1, logo a = 1. Ora, podemos então substituir esse
valor na equação de xv e obter b.
b b
xv = − ⇒1= − ⇒ 2 = −b ⇒ b = 2
2a 2.1
Para calcularmos o coeficiente c, utilizaremos a noção de que o valor da
função na raiz é igual a zero. Assim, tomamos uma das raízes e substituímos
na função igualando a zero.

f(x) = ax 2 + bx + c

1 ⋅ (3)2 + (− 2) ⋅ 3 + c = 0 ⇒ 9 − 6 + c = 0 ⇒ c = −3
Assim temos todos os coeficientes para o cálculo de yv

yv = −

=−
b2 − 4ac
=−
(− 2)2 − 4.1.(− 3) = − 16 = −4
4a 4a 4.1 4
( )
Sendo assim, OT = 4

Façamos agora o cálculo de OV( )2 que será o valor de R 2


(TV )2 + (OT )2 = (OV )2 ⇒ 12 + 44 = (OV )2 ⇒ (OV )2 = 17 ⇒ R 2 = 17
Logo a equação da circunferência procurada é igual a

x2 + y 2 = 17

Gabarito comentado de questões/exercícios/provas anteriores


Envie para:
gabaritocerto@hotmail.com ; gabaritocerto2@yahoo.com.br ; manpat@terra.com.br
Professor Antonio Bartolini

4] Os amigos J e P combinaram de se encontrarem em um restaurante


situado em um ponto R da cidade. Analisando o gráfico, no qual os
segmentos JR e PR representam os trajetos feitos por J e P,
respectivamente, de suas casas até o ponto de encontro. Pode-se
concluir que a razão entre as distâncias percorridas por P e J é
y

8
J

R
-2
P

-1 1 4 x

2

Solução:
Pelo gráfico podemos estabelecer as equações das retas de J e de P.
Bem, sabemos que a reta na qual J desenvolve possui os pontos (0,8) e
(4,0), sendo assim a equação da reta de J é dada por
x y 1
0 8 1 = 0 ⇒ 8 x + 4 y − 32 = 0 ⇒ y = − 2 x + 8 , que é a equação reduzida
4 0 1
da reta na qual J desenvolve.
De modo análogo, determinaremos a equação na qual P desenvolve. Os
pontos na reta de P são: (-2, -1/2) e (-1,0)
x y 1
1 1 1 1
− 2 − 1 1 = 0 ⇒ − x − y − + 2y = 0 ⇒ y = x +
2 2 2 2 2
−1 0 1

Igualando as duas equações encontraremos as coordenadas de R.


1 1 1 1
− 2x + 8 = x + ⇒ −2x − x = + − 8 ⇒ −4x − x = +1 − 16 ⇒ x = 3
2 2 2 2
Substituindo o valor de x em qualquer equação, teremos:
y = −2x + 8 ⇒ y = −2.3 + 8 ⇒ y = 2 , Logo a coordenada de R é dada por
(3,2) e A distância de P será igual a:
dPR = (3 − (− 1))2 + (2 − 0)2 = 42 + 22 = 20 = 2 5
A distância percorrida por J será:

dJR = (3 − 0)2 + (8 − 2)2 = 32 + 62 = 45 = 3 5

dPR 2 5 2
Sendo assim a razão entre as distâncias P e J é dada por = =
dJR 3 5 3
Gabarito comentado de questões/exercícios/provas anteriores
Envie para:
gabaritocerto@hotmail.com ; gabaritocerto2@yahoo.com.br ; manpat@terra.com.br