Você está na página 1de 4

DISCIPLINA: LITERATURA COMPARADA: HISTÓRIA, TEORIA, PRÁTICA

NÚMERO DE CRÉDITOS: 8
CARGA HORÁRIA: 120 h/a
DOCENTES RESPONSÁVEIS: DRA. MAIRA PANDOLFI, DRA. DANIELA
MANTARRO CALLIPO E PROFA. DRA. SÍLVIA MARIA AZEVEDO
DATA: 1ª. SEMESTRE DE 2015
DIA DA SEMANA: 4ª. FEIRA
HORÁRIO: 8:00 – 12:00

EMENTA
Discussão de questões básicas acerca da Literatura Comparada, noções e orientações
metodológicas, dimensão nacional e transnacional, principais conceitos teóricos, leitura
e análise de corpus literário em chave comparativa.

OBJETIVOS
O curso “Literatura Comparada: história, teoria, prática” tem por objetivo a
reconstituição e o estudo da Literatura Comparada, a partir de três vértices: 1) de âmbito
histórico, centralizado na história da disciplina, nas principais teorias da Literatura
Comparada e na produção comparatista no Brasil e na América hispânica; 2) de âmbito
teórico, voltado para a discussão de conceitos fundamentais da Literatura Comparada,
do objeto e métodos da disciplina, bem como das suas relações com a teoria e a histórias
literárias e os estudos culturais; 3) de âmbito prático, concentrado no estudo de textos
literários, tendo em vista os conceitos de intertextualidade, montagem e colagem.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Percursos históricos
2. Literatura Comparada no Brasil e na América hispânica
3. Conceitos fundamentais: fonte, influência, intertextualidade
4. Literatura Comparada: interrelações
5. A tradição donjuanesca e a tradição quixotesca
6. Elementos para uma aproximação entre Machado de Assis e escritores
hispano-americanos
7. A França e os escritores brasileiros oitocentistas: transformação e
criatividade
8. A presença francesa na ficção modernista e a antropofagia oswaldiana

BIBLIOGRAFIA BÁSICA
ANTELO, Raul. Na Ilha de Maracapá: Mário de Andrade lê os hispano-americanos.
São Paulo: Hucitec/minc/Pró-Memória/ Instituto Nacional do Livro, 1986.
BARRICO, A. La historia de Don Juan. Barcelona: Anagrama, 2012
CAMPOS, Haroldo de. Da razão antropofágica: diálogo e diferença na cultura
brasileira. In: Boletim Bibliográfico, São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura/
Biblioteca Mário de Andrade, v. 44, n. 1-4, p. 107-127, 1983.
CANDIDO, Antonio. Recortes. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
CARVALHAL, Tania Franco. Literatura Comparada. São Paulo: Ática, 1986 (Coleção
Princípios).
COMPAGNON, Antoine. O trabalho da citação (Cleonice P. B. Mourão). Belo
Horizonte : Editora UFMG, 1996.
COUTINHO, Eduardo & CARVALHAl, Tania (org.) Literatura Comparada : textos
fundadores. Rio de Janeiro : Rocco, 1994.
FERNÁNDEZ MORENO, C. América Latina em sua literatura. São Paulo:
Perspectiva, 1972.
GENETTE, Gérard. Palimpsestos: a literatura de segunda mão (trad. de Luciene
Guimarães e Maria Antonia Ramos Coutinho). Belo Horizonte : Faculdade de Letras,
2006.
HUTCHEON, Linda. Uma teoria da paródia. (trad. de Teresa Louro Pérez). Lisboa:
Edições 70, 1985.
___________. Teoria e política da ironia. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.
MACHADO, A M & PAGEAUX, D-H. Da Literatura Comparada à teoria literária. Lisboa:
Edições 70, 1988.
NITRINI, Sandra. Literatura Comparada: história, teoria e crítica. São Paulo, EDUSP,
1997.
PERRONE-MOISÉS, Leila. "Literatura comparada, intertexto e antropofagia" in Flores
da escrivaninha. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 91-99.
PIZARRO, Ana (Org.). América Latina: palavra, literatura e cultura. São Paulo:
Memorial da América Latina/Editora UNICAMP, 1994-1995, 3 v.
RIVAS, Pierre. Encontro entre literaturas: França-Portugal-Brasil. São Paulo: Hucitec,
1995.
SAMOYAULT, Tiphaine. A intertextualidade. Trad. Sandra Nitrini. São Paulo:
Aderaldo & Rothschild, 2008.
SANGSUE, Daniel. La Parodie. Paris: Hachette, 1994 (Col. Contours Littéraires).
SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos : ensaios sobre dependência
cultural. 2a. edição. Rio de Janeiro : Rocco, 2000.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
ANDRADE, Mário de. Táxi e Crônicas no Diário Nacional. Belo Horizonte: Itatiaia,
2005.
ANDRADE, Carlos Drummond de. Antologia Poética. Rio de Janeiro: José Olympio,
1975.
ASSIS, Machado de. Um capitão de voluntários. In: Relíquias de casa velha. Rio de
Janeiro: Jackson, 1953 a. v.1.
________. Crônicas de Lélio. Org. R. Magalhâes Jr., Rio de Janeiro: Ediouro, Coleção
Prestígio, s.d.
AZEVEDO. Álvares de. Lira dos Vinte Anos. São Paulo: Nobel, 2009.
_____. Obra Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.
AZEVEDO, Arthur. Um Dom Juan de Província. Disponível em:
http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bi000124.pdf

BORGES, Jorge Luis. Pierre Menard, autor de Quixote. Tradução de Carlos Nejar.
In: Ficções. Porto Alegre: Globo, 1972.
DIAS, Gonçalves. Obras poéticas de Antônio Gonçalves Dias. Rio de Janeiro:
Nacional, 1944.
DOURADO, A. Presente, mas invisível – uma entrevista exclusiva com o famoso
cavalo de Dom Quixote. Suplemento Literário de O Estado de São Paulo, 2005.
GUILLÉN, Claudio. Entre lo uno y lo diverso : introducción a la literatura comparada.
Barcelona : Editorial Crítica, 1985.
HUGO, Victor. Les Chants du Crépuscule. Paris : Gallimard, 1985.
LOBATO, M. Dom Quixote das crianças. São Paulo: Globo, 1994
MARQUES, Teresa Martins. A mulher que venceu Don Juan. Lisboa: Editora Âncora, 2013.
MORAES, Vinícius de. Antologia poética. Rio de Janeiro: José Olympio, 1981.
PASCAL, Blaise. Pensées. Paris: Gallimard, 1962.
ROCCA, PABLO. El cuento en Machado de Assis y Horacio Quiroga: ¿una estética
material? In: FANTINI, Marli. Crônicas da antiga corte – literatura e memória em
Machado de Assis. Belo Horizonte: UFMG, 2008.
SCHWARTZ, Jorge. Vanguardas latino-americanas. Polêmicas, manifestos e textos
críticos. São Paulo : EDUSP/Iluminuras/FAPESP, 1983.
SCHWARZ, Roberto. Que horas são ? São Paulo : Companhia das Letras, 1987.
VERÍSSIMO, L. F. Don Juan e a morte. O Estado de São Paulo. (Suplemento Cultural
Caderno2), 27 de março de 2011 (crônica)

AVALIAÇÃO
Seminário e monografia