Você está na página 1de 9

Da teoria à prática em projetos estruturais

#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais


Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

1) CONCRETO NO ESTADO ENDURECIDO


a. fck -> resistência característica do concreto à compressão
i. C25 -> 25MPa / C20 -> 20MPa
ii. NBR 6118/2014 -> Utilização da classe de concreto devido a agressividade
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

i. Proteção e Cobrimento

a. Durabilidade -> qualidade e espessura do concreto de cobrimento das armaduras


b. Cobrimento -> finalidade protejer as barras tanto da corrosão como da ação do fogo
c. CA -> Cobrimento deve ser sempre maior que o diametro da barra;
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

Quando houver um controle rgoroso da qualidade da execução, pode ser adotado Δc = 5mm. Mas a
exigência desse controle rigoroso deve ser explicitada nos desenhos de projeto.

1) DIMENSÕES LIMITES (ELU)


a. PILARES
i. Menor lado da seção deve ser igual a 19cm
1. Você pode utilizar, de acordo com a NBR 6118/2014, um dos
lados da seção com até 14cm, desde que você utilize o
coeficiente yn nos cálculos
Item 13.2.3
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

ii. Área da seção transversal ≥ 360 cm²


iii. Armaduras longitudinais -> Item 14.4.
1. Não pode-se utilizar barras com diâmetro menor que 10mm
2. Não pode ser superior a 1/8 da menor dimensão da seção
transversal
3. CUIDADO -> Taxa geométrica máxima igual a 8,0%
iv. Distribuição transversal das armaduras longitudinais (página 151)
1. Seções poligonais -> uma barra em cada extremidade
2. Seções circulares -> Mínimo de 06 barras
3. Espaçamento entre as barras deve ser igual ou superior a
a. 20mm
b. Diâmetro da barra
c. 1,2 vezes o Dmax
4. Armaduras transversais (página 151)
a. Estribos deve ser igual ou superior a 5mm e a ¼ do
diâmetro da barra longitudinal
b. Espaçamento entre os estribos
i. 200mm
ii. Menor dimensão do pilar
iii. 24 Φ para CA-25 e 12Φ para CA-50

b. VIGAS -> Item 13.2.2


ARMADURAS LONGITUDINAIS MÁXIMAS E MÍNIMAS
a. Taxa geométrica da armadura
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais
𝑨𝒔
𝟎, 𝟏𝟓% ≤ 𝝆 ≤ 𝟒, 𝟎% ( )
𝑨𝒄
a. Deve ser colocado para evitar rupturas bruscas (frágeis) da seção, pois o aço faz com
que ela apresente deformação razoável antes de entrar em ruina;
b. Absorver pequenos esforços não considerados no cálculo
i. Seção transversal
1. Largura ≥ 12cm (VIGA)
2. Largura ≥ 15cm (viga-parede)

a. Armadura Mínima de Tração

“A armadura mínima de tração, em elementos estruturais armados ou protendidos deve ser


determinada pelo dimensionamento da seção a um momento fletor mínimo dado pela expressão a
seguir, respeitada a taxa mínima absoluta 0,15 %” (NBR 6118, 17.3.5.2.1):

Taxas mínimas de armadura de flexão para vigas.

b. Armadura Longitudinal Máxima


“A soma das armaduras de tração e de compressão (A s + A’s) não pode ter valor maior que 4 % Ac ,
calculada na região fora da zona de emendas, devendo ser garantidas as condições de ductilidade
requeridas em 14.6.4.3.” (NBR 6118, 17.3.5.2.4).

ii. Armadura de Pele


Segundo a NBR 6118 (17.3.5.2.3), nas vigas com h > 60 cm deve ser colocada uma armadura lateral,
chamada armadura de pele, composta por barras de CA-50 ou CA-60, com espaçamento não maior
que 20 cm (d/3) e devidamente ancorada nos apoios, com área mínima em cada face da alma da
viga igual a:
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

➔ Minimizar problemas decorrentes de;


o Fissuração;
o Retração;
o Variação de temperatura
➔ É conveniente que o espaçamento na zona tracionada da viga seja inferior a 15ΦfUN

Asp,face = 0,10 % . Ac,alma = 0,0010 bw . h


Não é necessário uma armadura superior a 5cm²/m por face
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

iii. Espaçamento Livre entre as Faces das Barras Longitudinais das vigas
a. Introdução de vibradores evitando que ocorram vazios e segregação dos agregados

Brita 0 -> 4,8 a 9,5mm


Brita 1 -> 9,5 a 19mm
Brita 2 -> 19 a 25mm
Brita 3 -> 25 a 38mm
Da teoria à prática em projetos estruturais
#04 – Aplicação da NBR 6118/2014 em projetos estruturais

Você também pode gostar