Você está na página 1de 27

Professora Telma Castro Silva – ISERJ 2011

Temos abaixo um esquema de uma sala de cinema, com o piso horizontal.

É possível medir a distância do observador até a tela (no exemplo 15


metros) e a altura do observador (no exemplo 1,2 metros). Podemos,
então, calcular a medida de AT se conhecemos o ângulo de visada de
30° da horizontal.
Vamos organizar melhor o esquema:

T•

x
h
30°
T’• •O

1,2 m
A•

15 m
T•

30°
T’• •O

15 m
x
tg 30 
15
3 x
  x  5 3  8,7 m
3 15
1 5
T•

x
h
30°
T’• •O

1,2 m
15 m

h  x  1,2  h  8,7  1,2  h  9,9 m


Para fazermos isso, na prática, precisaremos de objetos para medir,
não só as distâncias, mas também os ângulos.

Distâncias, em linha reta, podem ser medidas com trenas, fitas


métricas, metros, etc.
Para medir os ângulos – na falta de um teodolito* – teremos que
construir nosso próprio medidor: o inclinômetro.
* O teodolito é um instrumento ótico utilizado na Topografia e na
Agrimensura para realizar medidas de ângulos verticais e
horizontais, usando cálculos de triangulação.

Basicamente é um telescópio com


movimentos graduados na vertical e na
horizontal, e montado sobre um tripé,
podendo possuir ou não uma bússola
incorporada.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Teodolito
Voltando à construção do nosso inclinômetro (ou clinômetro),
precisaremos de algum material:

• Papel cartão;
• Régua;
• Transferidor (de meia volta);
• Tesoura;
• Calculadora;
• Canudo;
• Fita adesiva;
• Barbante;
• Trena;
• Um peso.
• Recorte um pedaço (20cm X 10cm) do papel cartão;
•Trace uma reta perpendicular ao maior lado, no centro do papel;
•Fixe o transferidor neste pedaço de papel usando a fita transparente
e com a reta desenhada coincidindo com o ângulo de 90º, como na
abaixo;
• Amarre na ponta da linha (20cm) o peso e prenda a outra
extremidade no centro do transferidor usando a fita na parte de trás
do papel;
•Prenda o canudo também com a fita adesiva na linha de fé do
transferidor.
Para calcularmos a altura de objetos precisamos medir o ângulo de
elevação do objeto com o inclinômetro, assim como medir a nossa
altura e a distância horizontal até o objeto com a trena.
Com a utilização das relações trigonométricas já conhecidas é
possível calcular a altura de objetos inacessíveis!
Vamos então fazer um experimento?
Podemos ir até o ginásio de esportes da escola para medir a altura da
tabela da cesta da basquete.

Procedimento:
Primeiro deve-se marcar no chão a
linha perpendicular que contém a
tabela.
Deste ponto em diante, usar a
trena para marcar as distâncias de
5m, 10m, 20m, 30m para serem
referência de marcação.
Os dados obtidos serão registrados em uma tabela:

Distância da Medida do
Altura do Altura da cesta
cesta ao ângulo de
observador de basquete
observador visada

5 metros

10 metros

20 metros

30 metros

Se trabalharmos direitinho, não importará a distância do


observador à tabela: a altura da cesta é invariável!
Podemos também tentar construir um “teodolito caseiro”, que é um
pouco mais sofisticado.
Material

Transferidor ou
fotocópia de um
Indicará o
Copo Descartável
ângulo a ser
com tampa
Suporte calculado
principal do
objeto

Palito de Churrasco
Canudo ou tubo
Indicará o de antena
ângulo medido Isopor grosso
no transferidor Servirá para
visualizar o topo 20× 20 cm
das formas Base do objeto
Montando o seu Teodolito:

• Recorte o transferidor e cole no isopor.


• Cole a tampa do pote no meio do transferidor
O toque de precisão
A tampa do copo servirá de base para a rotação do teodolito e deverá
ser colada, de cabeça para baixo, de modo que seu centro coincida com
o centro do transferidor, o que dará mais precisão ao teodolito.

Para encontrar o centro da tampa, trace nela dois diâmetros. E faça um


furo onde eles se cruzarem. Tampas desse tipo geralmente trazem
ranhuras na borda que podem ajudá-lo a encontrar o ponto certo. Use o
palito de churrasco como guia para alinhar o centro da tampa com o
centro do transferidor.
O ponteiro

O palito de churrasco será o ponteiro do teodolito que permitirá fazer a


leitura em graus no transferidor. Para instalá-lo, faça dois furos
diametralmente opostos na lateral do copo, próximo de sua boca (use o
diâmetro marcado na tampa como guia para fazer esses furos), e passe
o palito pelos furos deixando-o atravessado no copo.
A mira

O canudo, ou tubo de antena, será a mira por onde você avistará os


pontos a serem medidos. Cole-o na base do copo, de forma que ele
fique paralelo ao ponteiro (palito de churrasco).
Para refinar essa mira, cole na extremidade do tubo dois pedaços de
linha formando uma cruz. (veja na ilustração)
Finalize encaixando o copo na tampa.

A versão caseira funciona como o aparelho verdadeiro. Com ele, você


mede, a partir da sua posição, o ângulo formado entre dois outros
pontos. Na horizontal ou na vertical, basta alinhar a indicação 0° do
transferidor com um dos pontos e girar a mira até avistar o outro ponto.
O ponteiro indicará de quantos graus é a variação.
Vamos fazer um “aquecimento”?

α = 40°

1,60 m
Altura dos
olhos do
observador
10 m
Distância do observador à árvore
x
tg 40 
x 10

α = 40°
x
0,84 
1,60 m
10
Altura dos
olhos do
observador

10 m x  10  0,84  8,4
Distância do observador à árvore

A altura da árvore será o valor de x somado à altura dos olhos


do observador:

x  1,6  8,4  1,6  10 m


Agora é pra valer

MÃOS À OBRA!!!
FONTES:

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/

Trabalho dos professores Thais de Oliveira e Pedro Luiz Aparecido


Malagutti da Universidade Federal de São Carlos, SAO CARLOS – SP

http://www.slideshare.net/mathfms/o-teodolito-e-a-trigonometria-2541599

Trabalho do professor Flávio Santos

http://www.slideshare.net/nelcely/tarefa6-marcospaulo09

Trabalho do aluno Marcos Paulo, UAB – Vila Velha


Para imprimir:

Interesses relacionados