Você está na página 1de 51

FACULDADE DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS

CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA INFORMÁTICA


DISCIPLINA DE LABORATÓRIO DE HARDWARE - 2O ANO

INTRODUÇÃO AOS COMPUTADORES

DOCENTE
Dr. António Jone
INTRODUÇÃO

Em tempos actuais, imaginarmos o mundo funcionando sem a presença dos computadores.

As atividades de trabalho, comunicação e lazer, estão cada vez mais dependentes destes
equipamentos.

Como exemplo, relacionadas com a ciência, engenharia e finanças.

A comunicação que utilizamos hoje em dia baseia-se fortemente no emprego das redes de
computadores e dos sistemas distribuídos.
Até mesmo as atividades de lazer, jogos e aplicações multimídia, são construídas para serem
executadas nos computadores.

Este instrumento potencializa diversas atividades cotidianas para os seres humanos, e sem a
presença deles, os avanços mais importantes das últimas décadas demorariam muito para
acontecer ou até mesmo não aconteceriam.

Computadores são propensos a problemas de hardware e software.


HARDWARE

Todos os componentes físicos do computador, tais como o teclado e o mouse, ou seja, o


hardware consiste em tudo aquilo que você pode tocar.

SOFTWARE

Parte lógica do computador, não se apresentando de forma física, ou seja, não pode ser tocado.

Ex: Programas utilizados pelos usuários.


Dentre os tipos de problemas de software passíveis de acontecer: quando determinado
programa começa a operar de maneira inesperada, para de funcionar ou simplesmente o
computador se torna infectado por vírus.

Os componentes de hardware também podem parar de funcionar parcial ou totalmente.


Também podem existir situações em que o(s) usuário necessite(m) da instalação e configuração
de novos componentes de hardware ou software em seu computador.
Nos momentos em que existam sintomas de problemas de hardware e/ou software em um
computador, surgirá a necessidade de serem executados procedimentos relacionados com a
montagem e manutenção destes computadores.

O termo montagem e manutenção de computadores - conjunto de técnicas e


procedimentos para identificar e reparar possíveis problemas em um computador.

Podem ser divididas em dois grandes grupos, sendo eles os procedimentos no hardware ou
software.
Procedimentos no hardware - compreendem tarefas de testar, reparar ou substituir os
componentes físicos do computador.

Procedimentos de software - dizem respeito à instalação, reinstalação e utilização de diversos


tipos de software, como, por exemplo, os softwares antivírus.
Além da necessidade iminente de dominar os procedimentos da montagem e manutenção para
uso pessoal, também se percebe que a prestação de serviços deste tipo de procedimento tende
a crescer. As instituições organizacionais dos mais diversos nichos de negócio estão cada vez
mais dependentes de computadores para realizar atividades cotidianas de baixa e alta
complexidade.

Outra característica importante é que a maioria destas empresas ou pessoas consistem em


meros usuários de programas específicos do computador, não necessitando possuir
conhecimentos técnicos para reparar estas máquinas em caso de problemas.
Sendo assim, para contornar estas dificuldades supracitadas, a tendência de mercado consiste
em contratar profissionais especializados para identificar e reparar os problemas encontrados
em seus computadores particulares ou empresariais.

Para tanto, precisamos compreender que se especializar na área da montagem e manutenção de


computadores pode não ser uma tarefa fácil, mas esta cadeira é para ajudá-lo nesta tarefa.
Este cadeira foi organizado em cinco unidades, cada uma delas sendo responsável por abordar
um tema de fundamental importância para o aprendizado dos procedimentos de montagem e
manutenção de computadores.

Unidade 1 - proporciona uma visão geral de como funciona um computador, apresentando


uma visão geral dos principais componentes de hardware e software e como eles se relacionam
para colocar um computador em operação.

Também descreve de forma breve a evolução dos computadores, iniciando pelos primeiros
dispositivos criados pela humanidade para executar operações matemáticas, passando
rapidamente pelos computadores mecânicos, destacando o avanço tecnológico advindo com o
surgimento dos computadores digitais e pautando as principais contribuições tecnológicas dos
circuitos integrados.
Unidade 2 - aborda os principais componentes de hardware do computador, explicando o
propósito de cada componente, fornecendo detalhes sobre seu modo de operação e
descrevendo a função de cada componente em relação aos demais.

Unidade 3 - detalha as técnicas de montagem de computadores. Também ensina como usar


simuladores, ou seja, softwares capazes de criar um ambiente virtual para colocar em prática as
técnicas de montagem e manutenção de computadores, dispensando a necessidade da aquisição
dos componentes físicos reais do computador apenas para obter um contato inicial com estas
técnicas.
Unidade 4 - compreende as técnicas de montagem e manutenção associadas com o software,
abrangendo desde a instalação de diferentes tipos de sistemas.

Unidade 5 - abordaremos o surgimento das redes de computadores. Começaremos com à


Internet, talvez a rede mais conhecida, e estudaremos sua história, sua evolução e sua
tecnologia. Também abordar modelos de referência OSI e modelo da Internet.
UMA BREVE HISTÓRIA DA EVOLUÇÃO DO COMPUTADOR
Desde a época primitiva, o homem tenta de algum modo comunicar-se ou transmitir
informações sobre a sua existência para gerações futuras. Portanto, o homem conhece o valor
de ferramentas auxiliares para facilitar o seu trabalho físico e mental.

Conforme a evolução, o homem continua a procura de novos meios para facilitar a sua vida, e
dessa maneira, dominar as forças da natureza, trocando o animal pelo motor e outros avanços
muito mais sofisticados.

Após muitas pesquisas chegou ao computador electrónico.


A primeira tentativa de se criar uma máquina de contar foi o Ábaco. A palavra vem do Árabe
e significa pó. O qual possibilita efetuar operações de soma e subtração, sendo ilustrado na
Figura abaixo. Estima-se que este dispositivo tenha surgido cerca de dois mil anos antes de
Cristo, sendo utilizado por vários povos, tais como os Sumérios, Russos, Gregos e Chineses.
E em 1614 John Napier, matemático escocês, inventou um dispositivo feito de marfim para
demonstrar a divisão por meio de subtrações e a multiplicação por meio de somas. A
semelhança entre marfim e ossos, fez com que o dispositivo fosse conhecido como os ossos
de Napier.
O primeiro instrumento moderno de calcular, do tipo mecânico, foi construído pelo filósofo,
matemático e físico francês Blaise Pascal, em 1642 aos 19 anos de idade, na cidade de
Rouen. Pascal desenvolveu uma máquina de calcular, para auxiliar seu trabalho de
contabilidade. Era baseada em 2 conjuntos de discos interligados por engrenagens: um para a
introdução dos dados e outro para armazenar os resultados.
O primeiro computador de uso específico começou a ser projectado em 1819 e terminou em
1822, ou seja, há mais de 180 anos atrás, pelo britânico Charles Babbage. A motivação de
Babbage era resolver polinômios pelo método das diferenças.
Em 1823, ele iniciou o projecto de construir uma outra máquina mais avançada e capaz de
calcular polinômios de até sexta ordem. Ele esperava terminar esta máquina em três anos, mas a
construção se arrastou até 1834. Este projecto não foi completo, usou dinheiro do governo
Inglês e possivelmente a maior parte da fortuna pessoal. A máquina, inteiramente mecânica,
teria as seguintes características:

❖ Arredondamento automático;

❖ Alarmes para avisar fim de cálculo;

❖ Impressão automática de resultados.


Em 1834 ele tinha completado os primeiros desenhos da máquina que denominou
Analytical Engine que tinha as seguintes características:

❖ 50 dígitos decimais de precisão;


❖ Memória com capacidade de 165.000 bits;
❖ Controle por meio de cartões perfurados das operações e endereços dos dados;
❖ Tempo de soma e subtração igual a 1 segundo;
❖ Tempo de multiplicação e divisão igual a 1 minuto;
❖ Arredondamento automático.
Em 1944 a IBM e Universidade de harvard, com Haiken, concluiram a construção de um verdadeiro computador: o Harvard Mark I, que operava em base 10. O Mark I efectuava as quatro operações fundamentais, mais o cálculo de funçõestrigonométricas, exponenciais e logarítmicas. As instruções eram fornecidas por meio de fitas de papel e os dados lidos de cartões perfurados. Os resultados eram fornecidos em forma de cartões perfurados ou impressos por meio de máquinas de escrever.

Com base nas suas investigações, traga a vida e obra do cientista que invetou a màquina que
operava na base 10, efectuando as 4 operações fundamentais (adição, subtração, multiplicação
e divisão) e mais, cálculo de funções trigonométricas, exponenciais e logarítmicas.
Em 1943 na Universidade da Pensilvânia, Eckert e Mauchly iniciaram a construção de um
verdadeiro computador a válvulas, ou seja electrônico. O projecto foi concluído em 1946 e
usado na segunda guerra mundial - O ENIAC (Electronic Numerical Integrator And
Computer).
Ele gerava tanto calor que teve de ser instalado em um dos poucos espaços da Universidade que
possuia sistemas de refrigeração forçada. Mais de 19.000 válvulas, eram os elementos principais
dos circuitos do computador. Ele também tinha 15.000 relés e centenas de milhares de
transistores, capacitores e indutores.

Tudo isso foi montada em quarenta e dois painéis com mais 2,70 metros de altura, 60 cm de
largura , 30 de comprimento e pesava mais de 27.000 Kg. Eles foram montados na forma da
letra U.
Tempo de Execução do ENIAC

Operação Tempo
Soma 200 microsegundos
Multiplicação 2,8 microsegundos
Divisão 6,0 microsegundos
John Von Neuman, emigrante Húngaro que vivia nos EUA, sugeriu que a memória do
computador deveria ser usada para armazenar as instruções do computador de maneira
codificada, o conceito de programa armazenado. Esta idéia foi fundamental para o progresso
da computação.
Entretanto, Bill Gates (um dos fundadores da Microsoft) aparece com sua visão de um
computador em cima da secretária e mais tarde em casa de toda a gente e isso, juntamente
com o aparecimento dos microprocessadores num só circuito integrado durante a década 70.

No entanto, em 1981 referindo-se a limitação do DOS ( Sistema Operativo anterior do


Windows).
Hoje em dia, vende-se anualmente mais de 100 milhões de Computadores no mundo inteiro
cada um mais poderoso que o outro. Até chegaram o ponto de deixarem o terreno do
escritório e invadirem os nossos lares e escolas. É já comum haver mais de um computador
numa casa.
GERAÇÕES
Primeira Geração (1946-1954): Os computadores construídos com relés e válvulas.
Consumiam muita energia e espaço;
Segunda Geração (1955-1964): Construídos com transistores que tinham a vantagem de
serem mais compactos e consumirem muito menos energia. Por gerarem menos calor eram
máquinas mais confiáveis.
Terceira Geração (1964-1977): Com circuitos integrados que são componentes em que
vários transistores são construídos em uma mesma base de silício. O tamanho dos
computadores e seu consumo diminuiu ainda mais e aumentou a capacidade de processamento.
Quarta Geração (1977-1991): O surgimento dos processadores - unidade central de
processamento. Os sistemas operacionais como MS-DOS, UNIX, Apple’s Macintosh foram
construídos. Linguagens de programação orientadas a objeto como C++ e Smalltalk foram
desenvolvidas. Discos rígidos eram utilizados como memória secundária.
Quinta Geração (1991 - dias atuais): Usam processadores com milhões de transistores. Nesta
geração surgiram as arquiteturas de 64 bits, os processadores que utilizam tecnologias RISC e
CISC, discos rígidos com capacidade superior a 600GB, pen-drives com mais de 1GB de
memória e utilização de disco ótico com mais de 50GB de armazenamento.
Didaticamente os circuitos integrados são categorizados de acordo com a quantidade de
integração que eles possuem:

LSI (Large Scale Integration - 100 transistores): computadores da terceira geração.

VLSI (Very Large Scale Integration - 1.000 transistores): computadores da quarta geração.

ULSI (Ultra-Large Scale Integration - milhões de transistores): computadores da quinta


geração.
A quinta geração está sendo marcada pela inteligência artificial e por sua
conectividade. A inteligência artificial pode ser verificada em jogos e robores ao
conseguir desafiar a inteligência humana. A conectividade é cada vez mais um
requisito das indústrias de computadores. Hoje em dia, queremos que nossos
computadores se conectem ao celular, a televisão e a muitos outros dispositivos
como geladeira e câmeras de segurança.
COMO FUNCIONA O COMPUTADOR
Para desempenhar atividades de laboratório relacionadas com a montagem e a
manutenção de computadores de maneira eficiente, torna-se extremamente
necessário conhecer quais são os componentes básicos que compõem um
computador e como eles se relacionam para produzir um funcionamento
correto.

Eles estão organizados em dois grandes grupos, os componentes de software e


os componentes de hardware.
Os componentes de hardware mais importante de um computador consistem no processador,
nas memórias e nos dispositivos de entrada e saída (e/s).

Memórias - dispositivos que permitem um computador guardar dados de forma temporária ou


permanente.

Dispositivos de e/s - aqueles que possibilitam a interação com o usuário, tal como a
impressora, o teclado, o mouse e o monitor. Estes componentes são alocados em uma placa-
mãe, conforme ilustra a Figura asseguir.

Processador - espécie de microchip, cuja função consiste basicamente em executar operações


lógicas e aritméticas.
Figura: Principais componentes de hardware de um computador.
Memórias de um computador podem ser classificadas como principal e secundária.

Memória principal - aquela que o processador pode acessar diretamente, sem passar por
barramentos. Sem elas um computador não consegue funcionar. Como exemplos temos os
registradores, memórias cache e memória ram e memória rom.

Memória secundária - não pode ser acessada diretamente e a informação a ser tratada pelo
processador precisa ser primeiramente carregada em memória, por exemplo, O HD,
CDS/DVDS, pendrives, os antigos disquetes e os Blu-Rays.
Um software consiste em uma sequência de instruções lógicas que descrevem tarefas a serem
realizadas por um computador, por exemplo, a manipulação, redirecionamento ou a
modificação de dados.

São escritos em uma linguagem de programação e podem ser instalados, atualizados ou


desinstalados para melhor atender as demandas dos usuários.

Os componentes de software podem ser classificados em três principais tipos de acordo com o
nível de interação com o hardware, compreendendo os firmwares, software de sistema e
aplicativos de usuários.
Firmware consiste em um software de baixo nível armazenado permanentemente em um chip
no momento de sua fabricação. Os firmwares podem estar presentes em leitores de cds/dvds e
na Basic Input/Output System (bios), um mecanismo responsável por detectar e identificar
componentes de hardware conectados com um computador.

Softwares de sistema gerenciam a operação do computador em si, como, por exemplo, os


compiladores e interpretadores de comandos.
Programas aplicativos consistem em softwares de alto nível desenvolvidos para serem
utilizados pelos usuários, como um editor de texto, um navegador Web ou reprodutores de
áudio/vídeo.

Figura asseguir ilustra esta classificação, mostrando como os diferentes tipos de software
interagem com o hardware
Figura: Relação entre o hardware e os tipos de software.
Os componentes de hardware de um computador são controlados através dos softwares. Sem
software, um computador é basicamente um amontoado de peças de metal sem utilidade. Neste
contexto, o sistema operacional desempenha um papel fundamental ao controlar todos os
recursos do computador, e ao fornecer a base sobre a qual os programas aplicativos podem ser
escritos.

O sistema operacional é responsável por conhecer os detalhes de funcionamento de diversos


componentes físicos e disponibilizar chamadas para os programas de sistema e para programas
aplicativos. Dentre os principais exemplos de sistema operacional, encontram-se as diferentes
versões do Windows, Linux e MacOS.
O que acontece quando eu ligo meu computador?

Nove passos que descrevem a ordem e a forma como os componentes de hardware e software
devem ser iniciados. Este processo é comumente referenciado como processo de inicialização do
computador ou ainda como processo de Boot, conforme ilustrado na Figura asseguir.
Figura: Ilustração do Processo de Inicialização do Computador.
Ao executar os nove passos descritos posteriormente, duas coisas podem ocorrer: todos os
procedimentos são efetuados de forma satisfatória ou algum imprevisto pode surgir. Quando
tudo ocorre adequadamente, o usuário poderá usar o computador para diversas tarefas, tais
como atividades de lazer ou trabalho. Como exemplo de atividade de lazer, o usuário pode
escutar música, assistir um filme ou até mesmo realizar pesquisas na Web usando seu
computador. Dentre as atividades de trabalho, o usuário pode acessar sistemas de banco on-line,
participar de reuniões por meio de ambientes virtuais ou utilizar planilhas eletrônicas para
gerenciar despesas.
No entanto, quando surge algum imprevisto, durante a execução dos nove passos, o
computador não inicializará e, consequentemente, o usuário estará parcialmente ou totalmente
privado de usar o computador, tornando-se incapaz de usufruir dos benefícios proporcionados
pelo seu uso. Além de imprevistos, podem ocorrer erros, falhas ou faltas de componentes de
hardware ou software depois da inicialização do computador que também poderão causar
empecilhos quanto à sua utilização.
Dentre os exemplos de problemas de software, podemos citar programas operando de maneira
inesperada ou parando de funcionar e quando o computador se torna infectado por um vírus.
Da mesma forma, os componentes de hardware também podem parar de funcionar parcial ou
totalmente. Também podem existir situações que um usuário necessite da instalação e
configuração de novos componentes de hardware ou software em seu computador.

O objetivo desta cadeira consiste em capacitar os estudantes sobre como proceder nestas
situações, proporcionando um embasamento teórico e prático sobre as questões envolvidas com
as atividades de montagem e manutenção de computadores, assim como um adequado e maior
entendimento sobre como operam os principais componentes de hardware e software.