Você está na página 1de 4

Taylor e Ford

O seguinte capitulo, traz uma abordagem sobre o grande inicio do avanço da


administração científica, na qual sucedeu próximo o fim do século 19, onde esse
desenvolvimento da mesma, veio impulsionado com o impacto da revolução industrial,
do qual a mão-de-obra cresceu significativamente nesse período.
Diante disso houve a necessidade de métodos apoiassem esse desenvolvimento,
pode se dizer que houve uma evolução na administração como um todo, tendo
elementos como Frederick Winslow Taylor, Henry Ford sendo os personagens mais
importantes desse período e diversos seguidores.
Nascido na Pensilvânia em 1856 Frederick Winslow Taylor, foi considerado a
figura mais importante do movimento da administração cientifica. Foi em 1878 quando
começou a trabalha na Empresa Midvale Stell, uma usina siderúrgica, onde começou
como trabalhador e terminou como engenheiro chefe, sendo uma pessoa da qual
patenteou muitas invenções Taylor também se diferenciou observando os problemas das
operações fabris, tais observações e experiências, ele desenvolveu o sistema de
administração de tarefas, conhecido posteriormente com o taylorismo ou administração
cientifica. Em um trabalho desenvolvido em 1893 na empresa Bethehem Steel, a
implantação de suas idéias trouxe um aprimoramento 200 a 300% de na capacidade do
corte. Em 1910, já na Filadélfia criou a sociedade para a Promoção da Administração
Cientifica, em 1915 foi chamada de Sociedade Taylor.
O movimento em taylorista desenvolveu-se em três momentos: em sua primeira
fase contemplou; o ataque ao problema dos salários, estudo do sistemático do tempo,
definição de tempos-padrão e sistema de administração de tarefas. Já a segunda fase
abordou a questão da importância da tarefa para a administração e procurou definir
princípios de administração de trabalho. Em sua terceira fase houve a consolidação dos
princípios, com a proposta da divisão de autoridade e responsabilidades dentro da
empresa, nessa fase procurou se então fazer a distinção entre o que era tarefa do que era
princípios.
Não se pode deixar de lembrar que a em torno das idéias da administração
existiram vários seguidores e colaboradores, embora um numero muito pequeno
viessem a ficar conhecido, a saber:
Nascido me 1868, Frank Bunker Gilbreth, abandonou seus estudos e começou a
trabalha de pedreiro, com 27 anos já era superintendente. Em 1895 criou sua empresa
produtora de concreto, sendo um inventor que trouxe muitos dispositivos que
melhoraram o sistema da construção civil, tamanho o seu sucesso, que atingiu o Canadá
e a Europa. Em 1909 publicou seu livro Sistema de Construção, no qual inclui as
primeiras observações sobre o estudo dos movimentos, em 1912 tornou-se consultor,
desenvolveu suas atividades semelhante as de Taylor porém Gilbreth enfatizava
movimento, enquanto Taylor o tempo. Assim procurou desenvolver um estudo
sistemático na racionalização dos movimentos para a execução das tarefas, quando
dedicou-se a estudar a fadiga, teve ajuda de sua esposa Lillian Moller Gilbreth, nascida
em 1878, superou os preconceitos e obteve títulos de bacharel e mestre, em 1914
publicou o livro “Psicologia da administração” tendo o tema como sua tese de
doutorado. No ano de 1912, o casal publicou a Introdução da administração cientifica e
em 1916 o Estudo da fadiga. Ressaltando que os mesmos propuseram a redução da
jornada de trabalho como o aumento dos dias de descanso remunerado.
Henry Grant, nasceu em 1861, formou-se em engenharia mecânica. Trabalho
com Taylor na Midvale Steel, junto com o mesmo registrou 6 patentes, o mesmo em
1903 apresentou o Controle gráfico diário da produção, conhecido como Gráfico de
Grant. Em 1917 trabalhou para o governo durante a Primeira Guerra Mundial,
desenvolvendo totalmente o gráfico que leva seu nome. Morreu em 1919, em 1922 foi
publicado um livro seu chamado “O gráfico de Grant: uma ferramenta da
administração”, considerado uma das técnicas mais importante de planejamento e
controle.
Hugo Munsterberg, nasceu em 1863, conhecido como o visionário que previu o
futuro da psicologia, era doutor em medicina e psicologia pela Universidade de
Leipzig. Embora tenha tido muitos trabalhos significativos, foi em 1910 que começou a
realizar pesquisas a fim de aplicar a psicologia a industria, publicando em 1913 o livro
Psicologia da Industria Eficiente, no qual abordou assuntos de como os psicólogos
devem ser nas industrias.
A administração cientificas teve seus admiradores como também recebeu muitas
criticas, a tal ponto de Taylor ter de dar um depoimento diante do congresso americano.
O receio e maior parte era pelos trabalhadores que entendiam que o aumento da
eficiência provocaria o desemprego, e que a administração nada mais era que uma
técnica onde fazia o operário trabalhar mais e ganhar menos. Porem a administração
cientifica não limitava ao simples redesenho dos postos de trabalho, o movimento
ganhou popularidade nos EUA e o mundo, juntamente com o crescimento metódico,
vale lembrar que nos anos 50 nos japoneses retomaram as idéias tayloristas e criaram o
conceito Kaizen ( aprimoramento continuo).
A administração cientifica e as fabricação por meio de linha de montagem são
dois princípios da produção em massa. Henry Ford juntou esses dois princípios e os
elevou ao seu mais alto grau. No qual levou se em conta duas variáveis a de peças
padronizadas na qual envolvia; maquinas especializadas, sistema universal de
fabricação e calibragem, controle de qualidade, simplificação de peças, simplificação do
processo produtivo. Como outra variável exigia um trabalhado especializado que era
atribuído ao mesmo; uma única tarefa ou um pequeno numero de tarefas, posição fixa
dentro de uma seqüência fixa de tarefas, o trabalho no caso chegaria ao trabalhador e as
peças e maquinas que precisaria deviam estar no posto de trabalho.
Em 1912 o conceito de linha de montagem mecanizada foi implantada por Ford,
um exemplo do chassi que antes consumia 12 hrs e 28 minutos caiu para 1 hora e 33
minutos, essa velocidade de produção reduzia os custos dos estoque e à espera de
montagem. Ford procurou fazer com que seu produto também fosse comprado pelos
seus próprios funcionários, estabeleceu a jornada de trabalho de 8 horas, melhorou o
salário, facilitou para os clientes o entendimento da utilização e até mesmo o concertos
mais simples dos carros que disponibilizava, demonstrando sua mentalidade de uma
homem que procurava entender as necessidades do mercado.
A aplicação da administração cientifica por Ford proporcionou uma grande
vantagem competitiva, o que pode ser vista em 1926 a Ford montava carros em 19
paises alem dos EUA, até o final de sua vida foram produzidos 17 milhões de unidades
do modelo T.
Embora os princípios da administração cientifica tenha tido sucesso significativo
no ramo automobilístico, teve uma grande aceitação e expansão da atividade industrial
do mundo todo. A tecnologia desenvolveu potencialmente dos autores para os dias de
hoje, os princípios são praticamente os mesmo, isso relembra o que Taylor disse; as
técnicas são apenas auxiliares dos princípios.
2. Considerações críticas

A administração cientifica teve um origem interessante, da análise do chão de


fabrica, observando que houve a participação de muitos autores, enquanto um estudava
a divisão do trabalho, outro focava o tempo, e assim surgiu a administração cientifica,
passo a passo, vindo de encontro com as necessidades do crescimento industrial, e
sendo a mesma o palco do desenvolvimento dessa idéia. As formas de estudos dos
diferentes autores demonstra que os princípios não se diferem dos de hoje, porem as
técnicas houve um significativo avanço.
Outra situação interessante, foi o questionamento da administração por parte até
mesmo do congresso americano, o que demonstra tamanha repercussão no contexto da
economia da época.

Interesses relacionados