Você está na página 1de 2

Objetivos

O problema a ser resolvido nesta experiência é o da determinação da concentração exata


de soluções aquosas diluídas de ácidos e bases fortes, utilizando-se a titulação.

Objetivos de ensino: tomar volumes pré determinados de líquidos usando uma pipeta
volumétrica Medir volumes de porções de líquidos usando uma bureta. Aferir o volume
nominal de pipetas volumétricas. Utilizar reações químicas para determinar a
concentração de soluções de ácidos e bases fortes. Utilizar indicadores acido base para
identificar o ponto de equivalência numa titulação. Redigir um relatório.

Titulação:

Uma titulação é um processo em que se determina a quantidade de uma substância em


solução, medindo-se a quantidade necessária de um reagente para reagir completamente
com toda a substância. Normalmente, isso é feito adicionando-se , controladamente, um
reagente de concentração conhecida à solução da substância, ou vice-versa, até que se
julgue que ela reagiu por completo. Então, através do volume de reagente adicionando e
da sua concentração, determina-se a quantidade de matéria de reagente consumido, em
seguida, através da estequiometria da reação, determina-se a quantidade de matéria da
substância e, se conhecido o volume de solução que continha, a concentração da
solução.
O reagente cuja quantidade de materi é exatamente conhecida chama-se de solução
padrão. A precisão com que se conhece sua concentração limita necessariamente a
precisão da titulação. Daí que se deve tomar muito cuidado ao se preparar tais soluções,
comumente, a concentração de uma solução padrão é obtida por um de dois modos:

A) Preparando-se uma solução de volume exatamente conhecido, utilizando-se uma


porção cuidadosamente pesada de um reagente puro_ padrão primário (método
direto).
B) Determinando-se qual o seu volume necessário para neutralizar uma quantidade
de matéria exatamente conhecida de um padrão primário (método indireto)
No primeiro caso obtém-se uma solução conhecida como solução padrão primária,
no segundo caso, uma solução padrão secundaria.

Nos dois casos, uma substância química altamente purificada _ conhecida como
padrão primário_ faz-se necessária. A utilização de um padrão primário para
determinar a concentração de uma solução padrão secundária é denominada de
padronização.

Toda titulação envolve a reação de uma solução padrão em quantidade tal que seja
exatamente, e tão somente, a necessária para reagir com toda a substancia que esta
sendo titulada. Essa condição é atingindo no ponto de equivalência, que é
encontrado utilizando-se indicadores de ácido-base.

Padrão Primário

Os requisistos mais importantes que uma substância deve cumprir para poder ser
utilizada como padrão primário são os seguintes:
A) deve ter sua pureza perfeitamente conhecida (eventuais impurezas devem ser
inertes em relação à reação desejada)
B) deve ser estável nas temperaturas necessárias para seca-las numa estufa.
C) Deve permanecer inalterada em contato com o ar durante a pesagem, isto é, não
deve ser higroscópica, nem reagir com oxigênio ou com dióxido de carbono à
temperatura ambiente.
D) Deve reagir quantitativamente com a substância a ser padronizada, isto é, a
reação deve ser sensível, rápida, completa e estequiométrica.
E) Deve, preferencialmente, ter uma massa molar elevada, o que permitira que
eventuais erros de pesagem sejam sempre inferidos aos erros de leitura de
escalas de buretas.

O atendimento a esses requisitos garantirá que se possa realizar padronizações de


soluções com boa exatidão.

Substâncias usadas como padrões primários

Existem, para o caso de padronizações de soluções de ácidos e bases padrões


primários ácidos e padrões primários alcalinos(básicos). Os padrões primários
alcalinos servem para se padronizar soluções de ácidos e os padrões primários
ácidos, para padronizar soluções de bases.

Os padrões primários alcalinos mais comuns são o carbonato de sódio e o


tetraborato de sódio decahidratado, conhecido como bórax.
Os padrões primários ácidos mais comuns são o ácido oxálico dihidratado e o ftalato
ácido de potássio.