Você está na página 1de 12

Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Sumário

Introdução ........................................................................ 2
Técnica .............................................................................. 3
Fenômeno da Cavitação ................................................... 4
Mecanismo da Adipocitólise por Cavitação ...................... 6
Indicações: ........................................................................ 7
Contraindicação ................................................................ 7
Protocolo de Tratamento.................................................. 8
Intercorrências................................................................ 10
Associações ..................................................................... 11 Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

1
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Introdução

A Hidrolipoclasia Não Aspirativa (HLCNA), foi desenvolvida pelo


médico italiano Maurízio Ceccarelli, diretor do Centro
Internacional de Estudos em Medicina Estética e docente da
Universidade de Barcelona (Espanha), apresentou a HLC US pela
primeira vez em 1990, durante o Congresso Nacional da
Sociedade Internacional de Medicina Estética, ocorrido na Itália e
trouxe para o Brasil em 1991, durante o Congresso Mundial de
Medicina Estética que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro – RJ.

Tal técnica tem como objetivo central o combate da gordura


localizada, basicamente com soro fisiológico a 0,9% e ultrassom
(US). Com riscos reduzidos, baixo custo e poucas contra
indicações, sendo restrita somente a: grávidas, as pacientes que
se encontram em período de amamentação ou as pessoas com
lesões na área da pele que deverá ser tratada é que não podem
recorrer a este procedimento. Uma grande alternativa para
hipertensos ou clientes que tenham camadas de gorduras acima
de 3cm e apresenta algum tipo de hipersensibilidade a cafeína, L-
carnitina entre outras substâncias usadas como alternativas de
lipolíticos no cenário atual da estética invasiva não cirúrgica. Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

2
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Técnica

Técnica simples e
combinação de soro
fisiológico 0,9% NaCl injetável, obrigatoriamente, esse é um ponto
que não pode ser negligenciado associado a Ultrassom a 3mhz.

Ou seja, se faz necessário a avaliação da região onde se deseja


realizar o procedimento, é indispensável que se tenha uma prega
de gordura superior a 3cm, verificada através de adipômetro.
Geralmente, a técnica é aplicada a regiões abdominais e culotes.
Já flancos e demais regiões geralmente são beneficiada pela força
da gravida a partir da eliminação da gordura localizada e seu
respectivo deslocamento.

A aplicação de solução fisiológica no tecido subcutâneo, seguida


da exposição a ondas de ultrassom (US) à 3Mhz na região onde foi
administrada na proporção de 1 minuto de US para cada 1mL de
soro fisiológico 0,9% NaCl injetável. O tecido adiposo após o
processo se torna mais hidratado, o que favorecem a propagação Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais
da onde sonoras e assim produz o efeito de cavitação;

3
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Fenômeno da Cavitação

As microbolhas se expandem e retraem durante os ciclos de


compressão e descompressão gerados pelas ondas ultrassônicas.

Nos líquidos biológicos essa ação é capaz de formar as


microbolhas de vapor que se expandem e retraem até o ponto de
implosão liberando um jato potente de gás no meio e que
promove o rompimento do adipócito.

Nota-se durante esse processo que a capacidade de rompimento


de tais células são potencializados em até 1000 vezes,
proporcionando assim uma grande resposta no combate a
gordura localizada e com baixos índices de intercorrências.

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

4
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Acompanhe o fenômeno a seguir de forma ilustrativa:

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

5
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Mecanismo da Adipocitólise
por Cavitação

A implosão de milhões de microbolhas por cm3 danifica


mecanicamente o tecido adiposo adjacente. Assim rompe as
membranas dos adipócitos que promove seu esvaziamento.

A associados a atividades físicas imediatas consomem o


subprodutos do adipócitos na forma de AMP que promove a
resposta, praticamente instantâneas.

Sua drenagem também acontece durante o procedimento, mas


também se é recomendada a drenagem manual após 48 horas.

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

6
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Indicações:

Em região de gordura localizada com prega cutânea superior a


3cm, geralmente, é encontrada em região de abdômen, culotes e
internos de coxas.

Contraindicação:

 Gravida e/ou lactantes;


 Sobre a região do coração;
 Coagulopatias;
 Tromboflebites;
 Varizes.

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

7
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Protocolo de Tratamento

Número de sessões: 5 a 10
sessões

1. Antissepsia da região a ser tratada com álcool 70º;

2. Em seringa de 5, 10 ou 20mL aspirar soro fisiológico 0,9%


NaCl injetável/estéril;

3. Marcar a região, considerando um ponto a cada 2 ou 3cm;

4. Administrar via subcutânea, com agulha 0,30x13mm, o


volume de 0,5 a 2mL de soro fisiológico a 0,9% de NaCl
injetável/estéril;

5. Recomendação:

a. Quanto maior o volume de SF 0,9% aumentar o espaço


entre os pontos e reduzir a quantidade de pontos
aplicados;
Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais
6. Para cada 1mL de soro administrado 1 minuto de ultrassom
a 3Mhz;

7. Após a administração aplicar gel de contato na região e


iniciar o ultrassom;

8. Pode-se intercalar região de aplicação e ultrassom, ou fazer


a aplicação de todos os pontos e posteriormente fazer o
ultrassom, não influencia no resultado final.

8
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

9. Indispensável que após o procedimento que realize


atividades físicas aeróbicas de 30 a 60 minutos para
consumir o subprodutos da procedimento e eliminando a
energia na forma da AMP.

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

9
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Intercorrências

 Dor local;

 Hematomas;

 Aquecimento da região;

 Muito raramente reações neurovegetativas, tais como


vertigem ou desmaio.

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

10
Hidrolipoclasia Não Aspirativa – HLCNA

Associações

São recomendadas após 48 horas do procedimento associação de


radiofrequência visando combater a possível flacidez e também
algum resíduo de gordura, assim como a drenagem linfática para
ajudar no processo de eliminação de possível liquido residual do
processo inflamatório.

O uso também de capsulas de uso oral duas vezes por dia, 1 hora
antes das principais refeições, com a combinação de substancias
termogênicas, diuréticas, auxiliadoras no metabolismo de
carboidratos e também reguladoras de glicemia na corrente
sanguínea também são grandes aliados no processo de combate
e redução de gordura localizada.

Prof. Nilson Pita – NOGP Academia de Profissionais

11

Você também pode gostar