Você está na página 1de 2

TERMO ADITIVO AO CONTRATO DE TRABALHO SOBRE O REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO

Pelo presente REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO, de um lado (DADOS DA EMPRESA), doravante denominado EMPREGADOR, e do outro
lado (DADOS DO EMPREGADO), doravante denominado(a) EMPREGADO, têm entre si, justo e contratado as cláusulas e condições a seguir
articuladas.

CAPÍTULO 1 – DA INTEGRAÇÃO NO CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO


Art. 1º - O presente Regulamento faz parte integrante do contrato individual de trabalho. As normas e preceitos nele contidos complementam os
princípios gerais de direitos e deveres contidos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).
Parágrafo único - Sua obrigatoriedade perdura o tempo de duração do Contrato de Trabalho, sendo assim, o EMPREGADO que assinar o seu termo
de ciência, não poderá alegar seu desconhecimento.

CAPÍTULO 2 – DA ADMISSÃO


Art. 2º - A admissão só se efetivará após período experimental de 45 dias que será prorrogado automaticamente por mais 45 dias conforme a
legislação permite.

CAPÍTULO 3 – DOS DEVERES, OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADES DO EMPREGADO


Art. 3º - É dever do EMPREGADO:
a) Cumprir os compromissos expressamente assumidos no contrato individual de trabalho, com zelo, atenção e competência profissional;
b) Obedecer às ordens e instruções emanadas de seus superiores hierárquicos;
c) Enviar o relatório diário de visitas com todas as suas informações preenchidas (data, quilometragem inicial e final, clientes visitados, entre outras)
todos os dias após o fim do dia de trabalho e até as 18:30 horas (dezoito horas e trinta minutos) bem como todos os demais relatórios solicitados pelo
EMPREGADOR no tempo estipulado;
d) Cumprir fielmente as metas de clientes visitados e qualquer outra estipulada pelo EMPREGADOR, repassando fielmente as informações nos
relatórios solicitados;
e) Zelar pela boa conservação das instalações, equipamentos, máquinas, móveis, utensílios, ferramentas, materiais de trabalho, tais como veículos,
celulares, catálogos, produtos, entre outros, devendo comunicar as anormalidades notadas e reparar quaisquer danos ocorridos sobre sua
responsabilidade, consertando, repondo ou indenizando o EMPREGADOR se for o caso, assim que o fato acontecer e sem demora, devendo também
avisar o EMPREGADOR o ocorrido, e no caso da solução ser mais demorada o EMPREGADO deverá verificar o melhor horário para resolver o
problema a fim de que não prejudique seu horário de trabalho;
f) Sendo o veículo utilizado para trabalho ou uso particular, sendo do EMPREGADOR ou locado, o EMPREGADO deve sempre conduzir de forma
responsável, com segurança e obedecendo as leis de trânsito vigentes, pois todo e qualquer problema ocorrido com o veículo sob sua
responsabilidade, tais como, infrações de transito, multas, acidentes, franquias de seguro se acionadas, qualquer responsabilidade civil ou criminal
ocorrida por seus atos, entre outras, serão de única e exclusiva responsabilidade do EMPREGADO;
g) Todo problema gerado por mau uso do celular, tais como, defeitos e quebras por queda, o reparo deve ser feito o mais rápido possível devido ao
fato do celular ser um material de trabalho necessário ao dia-a-dia de trabalho, bem como quaisquer outros defeitos onde seja constatado pelo técnico
como sendo de mau uso;
h) Colaborar, de forma eficaz, na realização dos objetivos do EMPREGADOR;
i) Comprometimento, harmonia, cordialidade, criatividade, bom humor, alegria, cooperação, respeito e espírito de compreensão devem predominar nos
contatos estabelecidos independentemente de posição hierárquica;
j) Respeitar a honra, boa fama e integridade física de todas as pessoas com quem mantiverem contato por motivo de emprego;
k) Manter disciplina, ordem e limpeza no local de trabalho e deixar sua estação de trabalho organizada e limpa com o cesto de lixo recolhido, todos os
dias ao término da jornada de trabalho;
l) Usar equipamentos de segurança, conforme fornecido pelo EMPREGADOR (óculos, capacetes, botas, etc.) e atender as normas de segurança
estipuladas;
m) Exibir volumes, pacotes e sacolas quando portados e for solicitado;
n) Indenizar os prejuízos causados ao EMPREGADOR por dolo ou culpa, negligência, imprudência ou imperícia, em razão de danos e avarias de
materiais, sob sua guarda e uso, ou erros efetuados no desempenho de suas funções, abrangendo, inclusive, a danos causados a terceiros, a s
indenizações e reposições por prejuízo causado será descontado do salário do EMPREGADO;
o) Não fornecer favores a clientes sem autorização expressa do EMPREGADOR;
p) O EMPREGADO deve sempre cuidar do patrimônio que está sob sua responsabilidade.

CAPÍTULO 4 – DAS FÉRIAS


Art. 4º - Cabe ao EMPREGADOR fixar anualmente o período que o EMPREGADO poderá gozar suas férias, ressalvadas as exceções previstas em
Lei.
Art. 5º - As férias serão fixadas segundo a conveniência do EMPREGADOR, ressalvadas as exceções legais.
 
CAPÍTULO 5 – DAS AUSÊNCIAS, ATRASOS E SAÍDAS
Art. 6º - Em caso de ausências, atrasos ou saídas antecipadas, comunicar o motivo ao seu superior verbalmente ou por escrito quando solicitado.
Art. 7º - As faltas decorrentes de doença deverão ser abonadas através de Atestado Médico fornecido por Médico do INSS, Médico do Convênio ou
Médico Particular.
Art. 8º - As faltas e atrasos injustificados, serão descontados do salário do EMPREGADO.
Art. 9º - O EMPREGADO que não cumprir integralmente a jornada semanal, sem motivo justificado, não fará jus ao descanso semanal remunerado.
Art. 10º - Para cada falta, justificada ou não o EMPREGADOR se coloca no direito de descontar o ticket refeição e vale-transporte referente ao dia.
Art. 11º - As solicitações de abono de faltas, somente serão aceitas, se as justificativas, com os correspondentes documentos de comprovação, forem
apresentadas até 2 (dois) dias úteis após a data do início da ausência.
Art. 12º - São tolerados os atrasos ao início da jornada de 5 minutos diários.
Art. 13º - As faltas ilegais, não justificadas perante o EMPREGADOR, acarretam a aplicação das penalidades previstas no Capítulo 10.

CAPÍTULO 6 - DO HORÁRIO DE TRABALHO


Art. 14º - Fica estabelecido o horário de trabalho das 8:00 às 18:00 horas de segunda-feira a quinta-feira e das 8:00 às 17:00 horas na sexta-feira, ou
seja, 44 horas semanais, considerando 1 hora para descanso e alimentação, de segunda-feira a sexta-feira.
Art. 15º - O horário de trabalho estabelecido deve ser cumprido rigorosamente pelo EMPREGADO, podendo, entretanto, ser alterado conforme
necessidade do EMPREGADOR.
Art. 16º - O EMPREGADO deve estar no respectivo lugar de trabalho à hora inicial do trabalho, não sendo permitidos atrasos, exceto se as
justificativas apresentadas estiverem em consonância com as normas internas do EMPREGADOR.
Art. 17º - Cabe ao EMPREGADO pessoalmente marcar o ponto no início e término da jornada, bem como os intervalos para as refeições.
Art. 18º - A anotação do ponto deve ser feita pelo próprio EMPREGADO, sendo expressamente proibida a mesma por outra pessoa.

CAPÍTULO 7 - DO PAGAMENTO


Art. 19º - O salário será pago com cheque ou via deposito em conta corrente aberta no Banco indicado pelo EMPREGADOR para esta finalidade.

CAPÍTULO 8 – DAS PROIBIÇÕES


Art. 20º - É expressamente proibido ao EMPREGADO:
a) Uso de celular particular durante o horário de trabalho, devendo deixá-lo guardado durante este tempo;
b) Usar celular ou telefone fixo do EMPREGADOR para conversas pessoais (desnecessárias) no horário de trabalho;
c) Utilização de máquinas, computadores, ferramentas, entre outros disponíveis no ambiente de trabalho, para uso pessoal;
d) Armazenar arquivos pessoais, arquivos com acesso restrito (senhas) que não sejam de interesse do EMPREGADOR;
e) Fazer cópias ou backup de arquivos e divulgá-los por qualquer meio, bem como, assuntos ou fatos de natureza privada do EMPREGADOR;
f) Utilizar o veículo do EMPREGADOR para uso particular, sem prévia autorização;
g) Retirar do local de trabalho, sem previa autorização, qualquer equipamento, objeto ou documento tanto do EMPREGADOR quanto de clientes;
h) Ocupar-se de qualquer atividade que possa prejudicar os interesses do serviço, como negociações, jogos ou outras atividades;
i) Prestar serviços para outras empresas que concorram com quaisquer atividades do EMPREGADOR;
j) Promover algazarra, brincadeiras e discussões durante a jornada de trabalho;
k) Usar palavras ou gestos impróprios à moralidade e respeito, nas dependências da Empresa do EMPREGADOR;
l) Fumar nas instalações do EMPREGADOR;
m) Receber visitas de pessoas estranhas, alheias ao serviço, sem prévia autorização;
n) Propagar ou incitar a insubordinação ao trabalho;
o) Ingressar ou permanecer em setores estranhos aos serviços, salvo por ordem expressa.

CAPITULO 9 - DOS PEDIDOS DE VENDAS


Art. 21º - A aceitação dos pedidos feitos pelo EMPREGADO obedecerá aos critérios do EMPREGADOR, porém, não serão rejeitados a menos que
haja fundamento para a recusa.
Art. 22º - O EMPREGADO não terá direito a qualquer tipo de remuneração em relação aos negócios concluídos diretamente pelo EMPREGADOR e/ou
terceiros, dentro de sua zona de atuação, ocorridos sem sua interferência.
Art. 23º - No caso de pedidos fechados abaixo do valor mínimo de venda estabelecido pelo EMPREGADOR, mesmo que com sua autorização, o
EMPREGADO não terá direito a comissão ou outros valores.
Art. 24º - O EMPREGADO deve atender às políticas de vendas e aos princípios do EMPREGADOR, os quais serão periodicamente informados ao
EMPREGADO, conduzindo seus negócios de modo compatível com o bom nome e boa reputação do EMPREGADOR.

CAPÍTULO 10 - PENALIDADES
Art. 25º - Ao EMPREGADO transgressor das normas deste Regulamento, aplicam-se as penalidades seguintes:
a) Advertência verbal;
b) Advertência escrita;
c) Suspensão; e
d) Demissão, por justa causa.
Art. 26º - O departamento de Recursos Humanos é que aplicará as penalidades, segundo a gravidade da transgressão, não precisando
necessariamente seguir a ordem em que estão discriminadas.

CAPÍTULO 11 – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS


Art. 27º - O presente regulamento pode ser substituído por outro, sempre que o EMPREGADOR julgar conveniente.
Art. 28º - O EMPREGADO deve observar o presente Regulamento, circulares, ordens de serviço, avisos, comunicados e outras instruções expedidas
pelo EMPREGADOR e devem obedecer a ordem do nível hierárquico.
Art. 29º - Os casos omissos ou não previstos são resolvidos pelo EMPREGADOR, a luz da CLT e legislação complementar pertinente.
Art. 30º - E por estarem de pleno acordo com todas as cláusulas e condições ora pactuadas, assinam o presente REGULAMENTO INTERNO DE
TRABALHO em 2 (duas) vias da igual teor, sendo uma delas entregue ao EMPREGADO.

APARECIDA DE GOIÂNIA, 03 DE FEVEREIRO DE 2020

________________________________________________ ________________________________________________