Você está na página 1de 9

REGULAMENTO GERAL DO

CAMPEONATO AMADOR DE FUTEBOL

SÉRIE A I - EDIÇÃO 2011

Art. 1º - O Campeonato Amador de Futebol da Série A I - 2011, promovido, organizado e


dirigido pela ACAF – Associação dos Clubes Amadores de Futebol de São José dos Campos,
com apoio técnico da Liga Joseense de Futebol Amador e da Secretaria de Esportes e Lazer
do Município, através do FADENP – Fundo de Apoio ao Desporto Não Profissional, atenderá
ao disposto neste Regulamento e pelo Código Brasileiro de Justiça Desportiva, conforme
aprovado em Congresso Técnico realizado no dia 13 de janeiro de 2011, será disputado no
período de março a setembro de 2011.

Art. 2º - O Campeonato será disputado em 04 (quatro) fases, a saber: 1ª Fase - Classificatória;


2ª Fase - Quartas de Final - Dupla Eliminatória; 3ª Fase – Semifinal - Dupla Eliminatória e 4ª Fase
– Final - Partida Única.

Art. 3º - Serão premiados, conforme relação abaixo, os seguintes participantes do


Campeonato:
A- Associação campeã;
B- Associação vice – campeã;
C- Associação mais disciplinada (Troféu “Fair Play” );
D- Melhor atleta;
E- Atleta revelação;
F- Artilheiro;
G- Goleiro menos vazado;
H- Melhor treinador;
I- Melhor dirigente;
J- Melhor árbitro;
K- Melhor árbitro assistente; e
L- Melhor Delegado (a) da Presidência.
§ 1º – Além de troféus aos participantes acima elencados, serão premiadas, com 30 (trinta)
medalhas cada uma, as Associações Campeã (tipo ouro) e Vice – Campeã (tipo prata),
além de Troféu Especial, de posse transitória, à equipe Campeã, troféu esse na guarda do
Real Vale do Sol F.C., Campeão na Edição 2010 e que se compromete a devolvê-lo em bom
estado, quando solicitado pela direção da ACAF.
§ 2º - A Associação Campeã será premiada, também, com um uniforme completo (camisa;
calção e meias) para vinte atletas.
§ 3º - As Associações Campeã e Vice- Campeã ficarão isentas de pagamento das taxas
administrativas referente a anuidade, inscrições e mensalidades, bem como de qualquer
outra que venha a ser cobrada pela ACAF no ano de 2012, excetuando as taxas recursais.

1
Art. 4º - Participarão do Campeonato, se regulares perante a ACAF, 18 (dezoito) associações,
em ordem seqüencial com base no índice técnico obtido no Campeonato Amador da Série
A I de 2010, que assim se constituem, conforme definido no Congresso Técnico :

1– REAL VALE DO SOL F. C. 10 – SOCIAL ECONÔMICO A. C.


2– JARDIM ISMÊNIA F. C. 11 – G.E. JARDIM JUSSARA
3– SPORT ATLÉTICO MINEIRO 12 – E. C. SAJOA
4– E.C. PRIMEIRO DE MAIO 13 – A. E. SANTA CRUZ
5– A. A. VILA SÃO BENTO 14 – INTERVALE F. C.
6– E. C. PARAÍSO DO SOL 15 – F. C. PORTO
7– CORINTHIANS F. C. 16 – A. E. UNIBAI
8– E.C. UNIDOS DA VILA 17 – E. C. ATLÉTICO VILA GUARANI
9– A. A. SANTANA DO PARAÍBA 18 – PRIMAVERA F. C.

Art. 5º - Na 1ª fase - Classificatória, as associações jogarão entre si, em turno único,


classificando-se para a fase seguinte as 8 (oito) melhores colocadas.
Parágrafo único – Serão rebaixadas à Série A II para o ano de 2012, as 04 (quatro) últimas
associações colocadas ao término da 1ª Fase - Classificatória da competição, conhecidas
através de critério técnico, considerando, incluídas, as equipes desistentes ou eliminadas por
se envolverem no descumprimento ou transgressão às normas e regras pertinentes à
disciplina, admitidas estas em primeiro plano, com acesso à Série A I das 04 (quatro) primeiras
colocadas na Série A II de 2011.

Art. 6º - A 2ª Fase – Quartas de Final - será disputada no sistema de dupla eliminatória, com
mando de jogo da ACAF e com vantagem de empate para a equipe melhor colocada na
fase classificatória, da seguinte forma:
Jogos de ida
J1 8ª Classificado X 1ª Classificado
J2 7ª Classificado X 2ª Classificado
J3 6ª Classificado X 3ª Classificado
J4 5ª Classificado X 4ª Classificado
Jogos de volta
J5 1ª Classificado X 8ª Classificado
J6 2ª Classificado X 7ª Classificado
J7 3ª Classificado X 6ª Classificado
J8 4ª Classificado X 5ª Classificado

Art. 7º - A 3ª fase - Semifinal - será disputada no sistema de dupla eliminatória, com mando de
jogo da ACAF e com vantagem de empate para a equipe melhor classificada na somatória
das fases anteriores do Campeonato, da seguinte forma:
Jogos de ida
J09 Vencedora do Jogo 4/8 X Vencedora do Jogo 1/5
J10 Vencedora do Jogo 3/7 X Vencedora do Jogo 2/6
Jogos de volta
J11 Vencedora do Jogo 1/5 X Vencedora do Jogo 4/8
J12 Vencedora do Jogo 2/6 X Vencedora do Jogo 3/7

Art. 8º - A 4ª fase – Final – será disputada em partida única, com mando de jogo da ACAF ,
sem vantagem de empate à equipe melhor classificada, da seguinte forma:
J13 Vencedor do Jogo 9/11 X Vencedor do Jogo 10/12.

2
Parágrafo Único – Terminando empatada a partida no tempo normal a decisão será através
da execução de tiros desde o ponto penal, conforme procedimento estabelecido nas Regras
de Jogo da Internacional Football Association Board, publicada pela FIFA.

Art. 9º - O Campeonato será regido pelo sistema de pontos ganhos, observando-se o seguinte
critério:
A – Por vitória, 03 (três) pontos ganhos;
B – Por empate, 01 (um) ponto ganho.

Art. 10º - Em caso de igualdade de pontos ganhos entre duas ou mais associações, ao final
de cada uma das fases, para efeito de desempate, aplicar-se-ão, sucessivamente, os
seguintes critérios:
A- maior número de vitórias;
B- confronto direto, somente no caso de igualdade entre duas equipes;
C- melhor saldo de gols;
D- maior número de gols a favor;
E- menor número de gols contra;
F- menor número de atletas expulsos (cartão vermelho);
G- menor número de atletas advertidos (cartão amarelo);
H- sorteio público em local a ser definido pela organização, com convocação expressa dos
representantes das associações nele envolvidas.

Art. 11º - Cada associação poderá inscrever até 30 (trinta) atletas e as inscrições poderão ser
feitas até a sexta-feira que antecede a 9ª (nona) rodada da competição, em fichas próprias,
sem o direito de fazer substituição pela não utilização do atleta no Campeonato, nem
autorizar a liberação de atletas após a entrega da documentação no Setor de Registro da
Entidade.
§ 1º – A taxa de registro por atleta será de R$ 5,00 (cinco reais).
§ 2º – Para a inscrição dos atletas são necessários os seguintes documentos:
a)Ficha de atleta e a respectiva declaração, devidamente preenchida e assinada;
b)Cópia do RG;
c)Cópia do CPF;
d)Comprovante de Residência, recente e, ou, declaração de diretor da associação,
sob pena de responsabilidade e com firma reconhecida.
e)01 (uma) foto 3 X 4 recente.
§ 3º – O prazo para a apresentação da Ficha de Registro de Atleta, com a respectiva
Declaração, para a primeira rodada da competição expira em 10/março/2011 e para as
demais rodadas até às 19:00 horas das sextas-feiras, consignando-se a condição de jogo
somente na semana subseqüente da data de inscrição.

Art. 12º - Poderão participar do Campeonato atletas amadores e/ou profissionais


regularmente inscritos junto a ACAF e que constem da relação de atletas registrados que
acompanha a súmula da partida, sem o que a participação do atleta será considerada
irregular e acarretará punição à equipe infratora.
Parágrafo único – Em nenhuma hipótese será permitida a participação de atleta que não
esteja relacionado na relação de atletas registrados de cada Agremiação.

Art. 13º - A participação dos atletas será de inteira responsabilidade das equipes que os
inscreverem, subentendendo-se, para tanto, que estão todos aptos para a prática desportiva
e foram submetidos a avaliações médicas, responsabilidade de cada um, renunciando
todos, clubes e atletas, qualquer responsabilidade da Entidade Organizadora da competição
sobre os mesmos.

3
Art. 14º - Os atletas só poderão participar do Campeonato se devidamente uniformizados e
munidos da Identidade de Atleta Amador emitida pela Organizadora, antes do início da
partida, ou antes do término do primeiro tempo para completar o banco de reservas, ou
ainda, a qualquer tempo, se para completar sua equipe em campo. A caneleira faz parte do
uniforme e seu uso é obrigatório.
Parágrafo único – No caso de extravio de credenciais de atletas de uma associação, os
atletas só poderão atuar mediante autorização escrita do presidente da ACAF, que deverá
ser apresentada juntamente com a Cédula de Identidade (RG) física ou profissional ou
Carteira Nacional de Habilitação (CNH) original de cada atleta, ao Delegado da
Presidência e ao Árbitro da partida. A concessão será válida por uma única partida, após a
qual deverá ser providenciada a 2ª via da credencial, sem o que não será permitida nova
participação na competição.

Art. 15º - O atleta que simplesmente assinar a Ficha de Atleta, autorizando sua inscrição, por
duas ou mais equipes, será eliminado de todas as competições organizadas pela ACAF no
corrente ano.

Art. 16º - Caberá a ACAF as seguintes atribuições:


A – Elaborar as tabela de jogos;
B – Adotar todas as providências de ordens técnicas necessárias para a realização das
partidas;
C – Designar e alterar dia, hora e local das partidas;
D – Escalar, direta ou indiretamente, árbitros e delegados da presidência para todas as
partidas, bem como os assistentes, se for o caso;
E – Aprovar ou não os resultados das partidas, após tomar conhecimento de relatórios e
súmulas, em até 72 (setenta e duas) horas do término da partida;
F – Determinar a pena administrativa de perda de mando de campo;
G – Aplicar as medidas administrativas cabíveis, obedecidos os preceitos legais e estatutários.
Art. 17º - O mando de jogo será fixado pela tabela, sendo mandantes as associações que
figurarem à esquerda da tabela.
§ 1º – A associação mandante jogará com o seu uniforme número um, cabendo à
adversária, no caso de coincidência de cores, providenciar a troca em até 30 (trinta) minutos
da hora aprazada para a partida.
§ 2º - Caberá à associação mandante apresentar o campo devidamente demarcado, de
acordo com as regras oficiais, com redes em boas condições e mesa e cadeira para o
Delegado da Presidência.
§ 3º - A associação mandante é obrigada a apresentar 3 (três) bolas em perfeitas condições
de uso para o início da partida, sem o que a partida não deverá ser iniciada, bem como
providenciar a reposição imediata no caso de extravio ou se furar qualquer delas, com a
fiscalização a cargo do Delegado da Presidência.
§ 4º - Os jogos só serão realizados em campos com dimensões mínimas de 90 x 57 mts,
gramados, fechados e com vestiários seguros (vistoriados e aprovados pela ACAF) e cada
associação disputante deverá indicar, até 15 dias antes do início do Campeonato Amador
da Série A I, por escrito, o campo, devidamente aprovado pela ACAF, onde mandará seus
jogos. Qualquer alteração do local de mando importará em custas para a associação
requerente.
§ 5º - Só poderão compor o banco de reservas de cada associação até 09 (nove) atletas e
mais treinador, assistente técnico e massagista, devidamente credenciados pela ACAF,
vedado à presença de qualquer outra pessoa, sendo a fiscalização de responsabilidade do
Delegado da Presidência.

4
§ 6º - Caberá ao Delegado da Presidência e ao Árbitro da partida, antes do início da mesma,
providenciar a retirada de campo de qualquer pessoa estranha às permitidas e trancar os
portões, sem o que não deverá haver a realização do jogo e deverão ser identificados os
causadores para punição com perda de pontos, administrativamente, à associação
causadora, independente de demais sanções que possam ser tomadas pela Justiça
Desportiva.
.
Art. 18º - Todas as partidas terão obrigatoriamente a duração mínima de 90 (noventa)
minutos, divididos em dois tempos de 45 (quarenta e cinco) minutos, com intervalo de 15
(quinze) minutos para descanso.
§ 1º - O prazo de tolerância para início da partida será de 20 (vinte) minutos do horário
marcado, após o que deverá ser consignado WO à equipe ausente do campo de disputa.
§ 2º - Quando de rodada dupla, o prazo de tolerância só valerá para a primeira partida,
devendo o jogo de fundo iniciar-se no horário aprazado ou imediatamente após o término
da partida preliminar.

Art. 19º - Cada associação poderá efetuar até 07 (sete) substituições por partida,
independente de posição.

Art. 20º - Conforme faculta o Art.16º, letra G, deste Regulamento, a ACAF,


administrativamente, punirá com perda de 03 (três) pontos, por partida, qualquer associação
que fizer uso de atleta em situação irregular, independentemente das demais sanções
disciplinares que, privativamente, a Justiça Desportiva vier determinar.

Art. 21º - CLÁUSULA COMPROMISSÓRIA - As associações participantes desistem e renunciam,


expressamente assim, de valer-se da Justiça Comum para resolver questões que surjam entre
elas ou entre elas e a ACAF, indicando e reconhecendo a Justiça Desportiva como única e
definitiva instância para resolução dos problemas.
Parágrafo único – As associações participantes, recorrendo à Justiça Comum, serão
eliminadas automaticamente do Campeonato por ato da Presidência da ACAF.

Art. 22º - Nenhuma partida deixará de ser realizada pela ausência do Árbitro ou do Delegado
da Presidência.
§ 1º – Caso o Árbitro não compareça, após tolerância de 30 (trinta) minutos (somente para o
árbitro), as associações, de comum acordo, deverão indicar alguém dentre os presentes
para dirigir a partida. Inexistindo o acordo, o Delegado da Presidência, caso não apite,
indicará alguém para fazê-lo.
§2º - Na ausência dos árbitros auxiliares, deverão ser indicados, pelo Árbitro, outros para
auxiliá-lo ou deverá o mesmo conduzir a partida sem os mesmos.

Art. 23º - As infrações disciplinares serão processadas e julgadas pela Justiça Desportiva da
ACAF, inicialmente pela Comissão Disciplinar (CD) e, em grau de recurso, pelo Tribunal Pleno,
de âmbito municipal, cujas decisões exaurem o processo, como última instância, aplicando-
se, ainda, os dispositivos estatutários e o presente Regulamento.

Art. 24º - A agressão física consumada praticada por qualquer membro das associações, seja
ele dirigente, atleta, treinador, assistente técnico, massagista ou torcedor, aos árbitros e/ ou
seus assistentes e Delegado (a) da Presidência, implicará na inversão de mando de campo
até o término da competição, devendo a associação infratora jogar no campo de suas
adversárias, sendo os agressores, se atletas, eliminados da competição e suspensos para a
temporada seguinte e, se dirigentes, banidos das competições organizadas pela ACAF,
administrativamente.

5
Parágrafo único – Sempre que a agressão física for considerada extremada, a Presidência da
ACAF convocará o Conselho de Presidentes das Associações disputantes, cujo ‘quorum’ é de
metade mais uma das Associações, excetuando, sempre, a representação das Associações
envolvidas, Conselho de Presidentes este que poderá autorizar a decisão de eliminação da
Associação envolvida do Campeonato, por maioria simples dos presentes, medida esta
irrecorrível, independente das demais sanções que vierem a ser aplicadas pela Justiça
Desportiva.

Art. 25º - A ofensa moral, a atitude inconveniente e demais infrações de menor intensidade
gravosa, praticada por atletas aos árbitros e/ou seus assistentes, delegados da presidência,
dirigentes, treinadores, massagistas e aos demais atletas poderão ter suas penas
transformadas ou convertidas em “multa sócio-educacional-desportiva”, punindo os
infratores com a chamada “ medida de interesse social”, exigindo gastos e ônus financeiros
com a aquisição e entrega de cestas básicas, em proveito da comunidade, se a Justiça
Desportiva assim entender.

Art. 26º - A associação que deixar de comparecer ao local e horário determinado para a
realização de partida, será eliminada do Campeonato e punida de conformidade com o
Código Brasileiro de Justiça Desportiva, se não forem aceitas as justificativas apresentadas.
Parágrafo único – Se, no entanto, a associação comparecer ao local da partida, apenas não
adentrando ao campo para a disputa dentro do horário regulamentar acrescido da
tolerância de 20 (vinte) minutos, esta apenas perderá os pontos da partida. Porém, se a
partida for realizada, o seu resultado será considerado válido.

Art. 27º - Partida suspensa por conflitos generalizados, cujos causadores não sejam
claramente identificados através dos relatórios oficiais, terá apreciação pela Justiça
Desportiva para responsabilização legal, incluindo-se, neste procedimento, os Árbitros e
Observadores da Presidência, se omissos.

Art. 28º - Partida suspensa ou interrompida em razão de agressões contra árbitros, assistentes
e/ ou delegados da presidência, praticadas por dirigentes, atletas e/ ou torcedores, mesmo
que no campo do adversário, a associação causadora perderá os pontos em favor da sua
adversária e os agressores serão eliminados do Campeonato, administrativamente,
independente de demais sanções que vierem a ser impostas pela Justiça Desportiva, além
da inversão de mando de campo até o término da competição.
Parágrafo único – Se a agressão for um fato isolado e o Árbitro entender reunir condições
para realizar ou continuar a partida, o seu resultado será validado, porém a inversão de
mandos de campo será aplicada, administrativamente, à associação dos infratores.

Art. 29º - De todas as decisões administrativas aplicadas pela ACAF, excetuando a decisão
de eliminação de Associação autorizada pelo Conselho de Presidentes, caberão recursos à
Justiça Desportiva, no prazo de 72 (setenta e duas) horas a contar de sua publicação, com o
devido recolhimento da taxa recursal, no valor de R$ 300,00 (trezentos reais), que não serão
devolvidos em nenhuma circunstância.

Art. 30º - O atleta deverá cumprir uma partida de suspensão, automaticamente, a cada série
de 03 (três) advertências com cartões amarelos, independente da seqüência das partidas
previstas na tabela da competição.
Parágrafo único – Quando um atleta for advertido com um cartão amarelo e,
posteriormente, receber o segundo cartão amarelo, com a exibição conseqüente do cartão
vermelho, tais cartões amarelos não serão considerados para o cômputo dos três que geram
o impedimento automático.

6
Art. 31º - O atleta que receber cartão vermelho, com a conseqüente expulsão do campo de
jogo ou do banco de reservas, será afastado da partida e suspenso automaticamente por
uma partida, salvo se julgado e absolvido pela Justiça Desportiva.
§ 1º - É vedado a qualquer associação requerer efeito suspensivo em favor de qualquer de
seus membros, excetuando-se de punição originária da Comissão Disciplinar.
§ 2º - O atleta punido disciplinarmente cumprirá a penalidade em partidas realizadas por sua
equipe, salvo se punido por tempo, quando ficará impedido de participar de qualquer
competição todo o período de duração de sua pena.

Art. 32º - É de exclusiva responsabilidade das equipes disputantes da competição o controle


de cartões amarelos e vermelhos recebidos por seus atletas, para efeito de condição de jogo
em cada partida, valendo-se para tal o apontamento da sua via da Súmula de Jogo.
Parágrafo único – As divergências quanto aos cartões aplicados e gols assinalados deverão
ser esclarecidos junto ao Delegado da Presidência logo após o encerramento da partida.

Art. 33º - Não será concedida licença a qualquer das associações com direito de
participação no Campeonato, sendo obrigatória à disputa a todas. A associação que não
participar será rebaixada à Série A II.

Art. 34º - Fica decidido que os cartões amarelos serão zerados ao término da 1ª Fase -
Classificatória da competição, devendo, no entanto, cumprirem a suspensão automática os
atletas que forem expulsos ou apenados com o terceiro cartão amarelo na última rodada da
1ª Fase (17ª rodada).

Art. 35º - É condição imperiosa para a participação das equipes a situação de regularidade
com as taxas administrativas devidas a ACAF (Taxa de Registro; Anuidade e Contribuição
Associativa Mensal) sem o que terão suas partidas não realizadas e serão consideradas
perdedoras pelo placar de 1 X 0 em favor de suas adversárias.
Parágrafo único – Ocorrendo o cancelamento da partida pela ACAF será atribuído uma
vitória e os pontos da partida em favor da equipe não infratora, pelo placar simbólico de 1 X
0, não se contabilizando este gol somente para efeito de artilharia.

Art. 36º - A competição deixará de se realizar, será interrompida ou encerrada quando


ocorrer qualquer dos seguintes motivos:
a- falta de garantia;
b- conflitos graves ou distúrbios no campo;
c- mal estado do campo que torne impraticável ou insegura a prática desportiva.

Art. 37º - Nos casos previstos nas alíneas “a” e “b” do artigo anterior, a partida será suspensa
por no máximo 20 (vinte) minutos, reiniciando caso sejam sanados os motivos da suspensão.

Art. 38º - A equipe que houver dado causa à interrupção ou não realização da partida será
punida, administrativamente, com a perda dos pontos em favor de sua adversária, com a
manutenção do placar se lhe for desfavorável e considerado o placar de 1 X 0 contra si se
lhe for favorável ou se estiver empatada a partida, neste caso não será contabilizado o gol
apenas para efeito de artilharia.

Art. 39º - Quando ocorrer à suspensão definitiva da partida e nenhuma das equipes tiverem
dado causa à paralisação desta partida, a mesma voltará a ser jogada integralmente
em data e local a ser definido pela ACAF, desde que não tenha decorrido tempo igual ou
superior a 70 (setenta) minutos de jogo,quando, então, o seu resultado será válido.

Art. 40º - Aplica-se a penalidade do artigo 38º deste Regulamento às equipes cuja
interrupção ou encerramento da partida tenha sido, comprovadamente, causada ou
provocada por seu torcedor e/ ou torcedores.
7
Art. 41º - O Árbitro é a única autoridade competente para decidir, no campo de jogo, por
motivo relevante, o cancelamento; interrupção e ou suspensão de uma partida, a partir do
horário oficial da mesma, devendo relatar com clareza as razões de suas decisões, quando
tomadas.

Art. 42º - Serão legítimos representantes do futebol amador de São José dos Campos na
disputa de Campeonatos Regionais e/ ou Estaduais aquelas equipes que melhor
pontuarem na competição, considerando-se, para tanto, a situação verificada no prazo
limite de definição da representação, mantendo-se sempre a ordem seqüencial no
caso de falta de interesse da associação.
Parágrafo único - As equipes que atenderem ao chamamento direto por entidade
organizadora de competição deverão arcar com as despesas decorrentes, podendo, ainda,
sofrerem a pena de suspensão ou desfiliação da ACAF.

Art.43º - Os atletas que disputarem o Campeonato da Categoria Menores (Sub-20), após o


término da participação de suas equipes no mesmo, se não houverem sido inscritos também
para o Campeonato Amador da Série A I por suas equipes, estarão livres para se transferirem
para as equipes que melhor lhes convier, desde que atendidas as demais normas da
competição.

Art. 44º - É de responsabilidade da ACAF, em qualquer tempo, o veto à utilização de


qualquer campo de futebol apontado para mando de jogos, devendo fazê-lo através de
relatório fundamentado, apresentando as razões que, se reparadas, poderão habilitar o uso
do campo novamente, sempre a critério da ACAF.

Art. 45º- A associação disputante deverá recolher a taxa de anuidade de acordo com o
Regimento de Taxas Anual, de autoria da ACAF, dividida em até duas parcelas, mais 06 (seis)
parcelas mensais a título de contribuição associativa, vencendo a primeira em 10 de março
e as demais no mesmo dia dos meses subseqüentes, para custeio das despesas
administrativas relativas à competição e manutenção da ACAF.
Parágrafo único - A inadimplência com relação às taxas administrativas impedirá a
realização de partidas envolvendo as associações inadimplentes, que serão consideradas
perdedoras pelo placar de 1 X 0, em favor de suas adversárias.

Art. 46º - Os casos não previstos no presente Regulamento, devidamente aprovado pelos
clubes participantes da competição, assim como a sua interpretação, terão sua apreciação
e resolução pela Justiça Desportiva da ACAF, excetuando a decisão de eliminação da
Associação devidamente autorizada pelo Conselho de Presidentes, na forma preconizada no
parágrafo único do artigo 24º deste Regulamento.

São José dos Campos, fevereiro de 2011.

ASSOCIAÇÃO DOS CLUBES AMADORES DE FUTEBOL DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

8
REGULAMENTO GERAL
ANUÊNCIA DOS PARTICIPANTES
SÉRIE A I – 2011

A.A. SANTANA DO PARAÍBA A.A. VILA SÃO BENTO A.E. SANTA CRUZ

A.E. UNIBAI CORINTHIANS F.C. E. C. ATLÉTICO VILA GUARANI

E.C. PARAISO DO SOL E.C. PRIMEIRO DE MAIO E.C. SAJOA

E.C. UNIDOS DA VILA F. C. PORTO G. E. JARDIM JUSSARA

INTERVALE F. C. JARDIM ISMÊNIA F.C. PRIMAVERA F. C.

REAL VALE DO SOL F.C. SOCIAL ECONÔMICO A.C. SPORT ATLÉTICO MINEIRO

Interesses relacionados