Você está na página 1de 7

Guia definitivo de como estudar bateria

Você está se sentindo perdido? Não sabe o que estudar? Ou apenas precisa de uma
revigorada na sua forma de encarar os estudos? Talvez você seja professor e precisa ajudar
seus alunos a se desenvolverem melhor? Humildemente lhe digo: Este curso é para você,
qualquer que seja seu nível ou idade.

Neste curso você não irá encontrar exercícios específicos de bateria, mas sim, mudar sua
atitude perante o estudo do instrumento com dicas que irão otimizar sua prática e organizar um
plano de estudos eficaz. E esse sim é o melhor exercício que você poderia aprender!

Olá, meu nome é Gustavo Campos, sou baterista profissional a mais de 20 anos, formado pelo
Musicians Institute, na Califórnia, EUA.

Ao longo desses mais de 20 anos como músico profissional tive a oportunidade de tocar do
jazz ao metal, do pop a orquestras. Fiz turnês nos EUA, toquei no palco do Rock in Rio e em
um estádio de futebol, bem como gravações nos melhores estúdios de Los Angeles, e
inúmeras aparições em revistas especializadas no Brasil, EUA, Austrália, Europa e Japão.

Por grande parte dessas mais de 2 décadas eu venho dedicando ao ensino do instrumento e
ajudando bateristas , de todos os níveis, a melhorarem no seu ofício.

O que você precisa antes de começar:

1 caderno, lápis, lapiseira ou caneta, vontade de mudar.

Parte 1:

Diário
Ao começar você precisa criar o hábito de escrever seu diário de estudos. Tudo que você
estudar precisa ir para esse diário, de forma detalhada, bem como sentimentos e sensações
que a prática lhe proporcionou.

Por quê?
Tendo um diário dos seus estudos você tem acesso as informações de cada dificuldades ou
avanços que você conquistou, saberá sempre por onde iniciar os estudos no dia seguinte,
ajudará a manter o progresso, e, além disso, acessará memórias e sentimentos de cada
período de práticas do passado.

Ex:
Você conseguiu executar um devido exercício, mas sentiu dificuldades em mantê-lo por mais
tempo porque tensionou a musculatura.
Ótimo! Reporte isso no diário, e a partir daí você saberá que tem a tendência a tensionar
sempre em novos exercícios. Além disso, você irá perceber que, por tensionar, a sua
sonoridade talvez não esteja tão boa.

Parte 2:

“Quebrar” o padrão
No ímpeto de tentarmos tocar tudo de primeira, sem o devido reconhecimento prévio do
material, acabamos por desistir, ou mesmo dizer que “isso não é para mim”.
Gostaria de propor que, a partir de agora, todo novo material que você receber irá proceder
usando a “quebra” do padrão, seja ele um ritmo, uma virada ou qualquer peça musical.

Quebrar o padrão consiste em pegar parte por parte de cada peça musical separadamente.
Super importante: faça devagar! Se possível super devagar. Essa é uma das maiores
dificuldades dos estudantes de bateria.

Primeiro somente a mão direita, depois a mão esquerda junta com a direita, e quando as mãos
estiverem tocando corretamente as devidas partes, aí sim, pensar em adicionar os pés, caso a
peça musical seja um ritmo que use os 4 membros, por exemplo.

Como fazer
Digamos que voce esteja tentando aprender o ritmo do samba na bateria.
O primeiro passo seria analisar quais membros são usados para tocar o ritmo.
Mãos direita e esquerda, e pés direito e esquerdo, certo?
Ok, agora aprenda o que cada membro toca separadamente. Somente depois disso, vá
tentando juntar uns com os outros.
Não tenha pressa e leve o tempo que for necessário em cada membro separadamente.

Não é confortável. Você vai ser exposto constantemente as suas fraquezas. E isso que te fará
melhorar.

Parte 3

Eliminando distrações
Conter o ímpeto de checar redes sociais, mensagens, ligações, e até mesmo o de tocar o que
tiver afim na bateria.

Por quê?
Bastante auto explicativo. Tudo que não se quer são mensagens ou distrações quebrando o
fluxo do seu estudo. Na maioria das vezes não se consegue voltar ao foco que estava antes de
ser incomodado.

Como fazer
Existem aplicativos que bloqueiam a entrada em determinados sites ou aplicativos sem impedir
o uso do celular, que é uma excelente ferramenta de estudo, com aplicativos de metrônomo,
gravadores, etc.

A partir deste ponto, usando o que aprendeu neste curso até aqui e levando em
consideração a quanto tempo vem aplicando estas mudanças, você já estará apto a
sentir avanços.

Parte 4

Vizualizações e Lado mental


Faz parte da vida do músico ser criticado, tanto pelos outros, quanto por si mesmo. É preciso
saber lidar com o negativismo de um modo geral, seja um estudante ou um profissional.

Saber separar o que é importante ouvir e o que é ego.

Criar suas metas ajudam a focar no que realmente interessa.


Crie suas metas a curto prazo. Em que nível quero estar daqui 2 meses?
O que eu preciso fazer para chegar neste objetivo?

Crie suas metas a longo prazo. Onde quero estar daqui 2 anos?
O que eu precisarei passar para chegar neste objetivo?

Todas essas são perguntas importantes para ajudar a se conectar com seu desejo.

Para saber se uma meta é boa, você pode se perguntar: se eu cumprir todos os passos é
possível atingir este objetivo?
Se a resposta for não, crie metas mais realistas. Se a resposta for sim, segue o jogo!

Não use metas baseadas em outras pessoas. As pessoas são diferentes e não existem
garantias de que, seguindo os passos que alguém seguiu, você obtenha o mesmo sucesso,
porém, podemos aprender com as experiências dos outros.
Ex. de meta realista a curto prazo
Tocar o paradiddle mais “limpo” e 40 bpm mais rápido em 2 meses.

Ex. de meta realista a longo prazo


Em até 2 anos dominar todos os principais rudimentos, dominar todos os principais ritmos
brasileiros e latinos.

Existe ainda o sonho. Ele é importante e não precisa soar tão realista, pode ser lúdico.
Ninguém pode julgar seu sonho!

Como fazer
Para atingir suas metas você precisa traçar seu plano de ação.
Se sua meta é em 2 anos dominar os principais rudimentos. O quanto você terá que praticar
por dia para atingi-lá?
Infelizmente não posso te dar essa resposta, pois cada pessoa tem suas particularidades, mas
vou te ajudar com a próxima parte...

Parte 5

Agenda de estudos
Agora é a hora de botar a mão na massa e organizar seu plano de estudos.

Abaixo vou listar o que acredito ser fundamental para todos que queiram estudar bateria, e irei
chamar estes assuntos de core:

● Técnica
● Leitura
● Ritmos (coordenação e vocabulário)

Técnica​ é a mecânica usada para executar movimentos que se esperam de um baterista.


Uma boa técnica evita lesões, prolonga a vida útil de equipamentos e melhora sonoridade dos
instrumentos.

Leitura​ é a habilidade de compreender, escrever e interpretar símbolos musicais.


Poder tocar uma música sem ensaios só é possível para alguém que domine a leitura, bem
como escrever suas próprias partes de bateria ou criar exercícios.

Conhecimento de ritmos​ variados te dará coordenação e vocabulários específicos para tocar


cada estilo. É fundamental saber se comunicar musicalmente de acordo com o que cada
situação pede.
É mandatório estudar todas as matérias do core em todas as práticas de estudos. O core é o
fundamento, essencial para que se crie habilidades para seguir evoluindo.

Além do core, você pode e deve escolher outros assuntos do seu interesse, de modo a atingir
suas metas, exemplo:

Você quer estudar pedal duplo. Otimo! Pedal duplo também tem uma forte influência em
coordenação e técnica, mas é uma habilidade específica e não fundamental para ser um bom
baterista. Fez sentido?

Parte 6

Duração
Está talvez seja uma das maiores questões relacionadas a prática de um instrumento. Quanto
tempo devo praticar? Você precisa ter uma abordagem sincera a respeito disso. Lembre-se
que a única pessoa que pode ser enganada ou prejudicada nessa história toda é você mesmo.

Na época da faculdade eu estudava 6-8 horas por dia, com isso, eu conseguia fazer,várias
vezes por dia, todos os assuntos do meu plano de estudos.

Se sua realidade de tempo é outra, fragmente o tempo de cada assunto de forma que a
duração geral da prática se encaixe na sua duração total por dia.

Ex.
Se você tem 3 matérias core e mais 2 matérias adicionais, totalizando 5 matérias, e tem
apenas 1 hora de estudo por dia, você pode estudar 10 minutos de cada assunto, que dariam
50 minutos, e sobrariam 10 minutos extras para rever alguma das matérias.

Só recomendo pausa para descanso em períodos de prática superior ao de 2 horas, sendo


uma pequena pausa a cada ciclo de matérias completados.

Em casos de períodos muito longos de prática, a cima de 4 horas, não recomendo fazer mais
do que 30 minutos em cada matéria. Lembre-se: você vai ganhar mais respeitando o limite de
tempo e conseguindo fazer vários ciclos completos do que ficando exausto tentando eliminar
uma matéria durante 1 hora e meia.

Espero que estas dicas te inspirem na prática desse instrumento que tanto amamos.
Bons estudos!

Ex. de como uma agenda deve parecer:


2ª - 3ª - 4ª - 5ª - 6ª - Sábado - Domingo -
Técnica de Técnica de Técnica de Técnica de Técnica de Técnica de Descanso
mão / mão/Técni mão/Técni mão/Técni mão/Técni mão/Técni
técnica de ca de pé - ca de pé - ca de pé - ca de pé - ca de pé -
pé - Leitura de Leitura de Leitura de Leitura de Leitura de
Leitura de partituras caixa - partituras caixa - partituras
caixa - de Ritmos de Ritmos de
Ritmos músicas - Latinos músicas - Básicos músicas-
brasileiros Blues, Metal com Ritmos em
Shuffle e pedal compasso
Jazz duplo composto