Você está na página 1de 9

CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO POR PRAZO INDETERMINADO

DAS PARTES

____________________________ brasileiro; (profissão), portador da cédula de


identidade RG nº. _____________, inscrito no CPF sob o nº. ________________,
residente e domiciliado na Rua ________(endereço completo)____, CEP:
_____________, doravente denominado EMPREGADO.

____________________________, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ


nº. _______________, com sede em ________________________, doravente
denominada EMPREGADORA e neste ato representada na forma de seus atos
constitutivos, por sua representante legal ________________________,
(nacionalidade), (estado civil), (profissão), portadora da cédula de identidade RG nº.
______________, inscrita no CPF nº._______________, residente e domiciliada em
___(endereço completo)__.

Decidem, na melhor forma de direito, celebrar o presente CONTRATO INDIVIDUAL DE


TRABALHO, que reger-se-á mediante as cláusulas e condições adiante estipuladas.

CLÁUSULA PRIMEIRA - DO OBJETO

1.1 O presente contrato tem por objetivo a prestação, pelo EMPREGADO, dos serviços
de ________________, na função de __________________, no local ___(Local do
trabalho)___, ficando certo e ajustado, que poderá exercer outras funções que sejam
compatíveis ao cargo, nos diversos setores da EMPREGADORA, sem que isto
signifique alteração contratual.

1.2 Dentre as atividades compatíveis à função do EMPREGADO, são previstas:


__(Descrever atividades)__.

CLÁUSULA SEGUNDA - DA REMUNERAÇÃO

2.1 A EMPREGADORA obriga-se a remunerar o EMPREGADO, mensalmente o valor


de R$ _(Valor/hora)_, a ser computado ao final de cada período, devendo ser pago até
o 5º (quinto) dia útil do período de convocação em conta corrente/salário indicada pelo,
EMPREGADO, mediante recibo.

2.2 Na hipótese de o período de convocação exceder um mês, o pegamento das


parcelas a que se referem a cláusula 2.1, não poderá ser estípulado por período
superior a um mês, contado a partir do primeiro dia do período superior a um mês,
contado a partir do primeiro dia do período de prestação de serviço.

2.3 Na data acordada para o pagamento, o empregado receberá, de imediato, as


seguintes parcelas:

I - remuneração;

II - férias proporcionais com acréscimo de um terço;

III - décimo terceiro salário proporcional;

IV - repouso semanal remunerado; e

V - adicionais legais.

Parágrafo único: Desde que previamente autorizadas, as horas extras serão pagas de
acordo com a legislação vigente.

CLÁUSULA TERCEIRA - DA JORNADA DE TRABALHO

3.1 O EMPREGADO, contratado para o trabalho intermitente, será convocado pela


EMPREGADORA, por meio de __(comunicação eficaz)__, para a prestação dos
serviçoes, com no mínimo 3 (três) dias de antecedência, com informação clara da
jornada.

3.2 Recebida a convocação, o EMPREGADO deverá em 24 (vinte e quatro) horas


responder o chamado. No silêncio, presumir-se-á a recusa.
A recusado chamado não configurará insubordinação.

3.3 Após formalizado o aceite à convocação, as partes poderão cancelas a prestação


do trabalho somente com aviso prévio de _________ horas, sob pena de multa
correspondente a ________%da remuneração que seria devia ao EMPREGADO, e,
perdas e danos à EMPREGADORA.

3.4 O EMPREGADO poderá ser convocado para os turnos _(indicar turnos)_.

3.5 Será assegurado o repouso contínuo de dez horas, no mínimo, entre dois períodos
de trabalhoe e cescanso semanal.

CLÁUSULA QUARTA - DA TRANSFERÊNCIA

4.1 À EMPREGADORA é vedado transferir o EMPREGADO, sem a sua anuência, para


localidade diversa da que resultar do contrado, não se considerando transferência a
que não acarretar necessariamente a mudança do seu domicílio.

4.2 Não está compreendido na proibição da cláusuda anterior, se o EMPREGADO vier


a exercer cargo de confiança ou se ocorrer extinção do estabelecimento em que
trabalhar o EMPREGADO

4.3 Em caso de necessidade de serviço a EMPREGADORA poderá transmitir o


EMPREGADO para localidade diversa da que resultar o contrato, não obstante ar
restrições da cláusula anterior, mas, nesse caso, ficará obrigado a um pagamento
suplementar de 25% (vinte e cinco por cento) dos salários que o EMPREGADO
percebia naquela localidade, enquando durar essa situação.
4.4 As dispessas resultantes da transferência correrão por conta da própria
EMPREGADORA.

CLÁUSULA QUINTA - DO PRAZO

5.1 O presente contrato é celebrado á título de experiência, pelo prazo de 45 (quarenta


e cinco) dias, iniciando-se em _(data)_ , terminando em _(data)_ . Terminando o prazo
inicial mencionado, caso não seja dada por extinta a contratação , será a mesma
prorrogada por mais 45 (quarenta e cinco) dias, iniciando-se em _(data)_ , terminando
em _(data)_ .

5.2 Durante o período da experiência nenhuma causa que implique em afastamento do


EMPREGADO, suspenderá o transcurso do prazo experimental prefixado, que
continuará a fluir até seu termo final, dando-se por extinta a contratação.

5.3 Vigorando o contrato após o período experimental, transformar-se-á em contrato


por prazo indeterminado, permanecendo inalteradas as demais cláusulas.

Parágrafo único: Decorrido o prazo de um ano sem qualquer convocação do


empregado pela empregadora, contado a partir da data da celebração do contrato, da
última convocação ou do último dia de prestação de serviços, o que for mais recente,
será considerado rescindido de pleno direito o contrato de trabalho intermitente.

CLÁUSULA SEXTA - DOS DESCONTOS

6.1 À EMPREGADORA é vedado efetuar qualquer tipo de desconto nos salários do


empregado, salvado quando este resultar de adiantamentos, de dispositivos de lei ou
de contrato coletivo, nos termos do Art. 462 da CLT.

6.2 Sempre que o EMPREGADO causa algum prejuízo resultade de alguma conduta
dolosa ou culposa ficará obrigado a ressarcir à EMPREGADORA por todoas os danos
causados, sendo igualmente lícito o desconto no salário.

CLÁUSULA SÉTIMA - DA RECISÃO

7.1 A parte que, sem justo motivo, quiser rescindir o contrato deverá avisar a outra da
sua resolução com a antecedência mínima de:

I - oito dias, se o pagamento for efetuado por semana ou tempo inferior;

II - trinta dias aos que perceberem por quinzena ou mês, ou que tenham mais de
12 (doze) meses de serviço na empresa.

7.2 A falta do aviso prévio por parte da EMPREGADORA dá ao EMPREGADO o direito


aos salários correspondentes ao prazo do aviso, garantida sempre a integração desse
período no seu tempo de serviço.

7.3 A falta de aviso prévio por parte do EMPREGADO dá à EMPREGADORA o direito


de descontar os salários correspondentes ao prazo respectivo.

7.4 Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pela


EMPREGADORA, nos termos do Art. 482 da CLT:

a) ato de improbidade;

b) incontinência de conduta;

c) negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do


empregador, e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o
empregado, ou for prejudicial ao serviço;

d) condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha


havido suspensão da execução da pena;

e) desídia no desempenho das respectivas funções.


f) embriaguez habitual ou em serviço;

g) violação de segredo da empresa;

h) ato de indisciplina ou de insubordinação;

i) abandono de emprego;

j) ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer


pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa,
própria ou de outrem;

k) ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra a


empregadora e superiores hierárquicos, salvdo em caso de legítima defesa, própria ou
de outrem;

l) prática constante de jogos de azar;

m) perda da habilitação ou dos outros requisitos estabelecidos em lei para o


exercício da profissão, em decorrência de conduta dolosa do empregado;

n) a prática, devidamente comprovada em inquérito administrativo, de atos


atentatórios à segurança nacional.

7.5 O EMPREGADO poderá considerar rescindido o contrato e pleitear a devida


indenização, configurando rescisão indireta, nos termos do art. 483 da CLT, quando:

a) forem exigidos serviços superiores às suas forçasm defesos por lei,


contrários aos bons costumes, ou alheio ao contrato;

b) for tratato pela empregadora ou por seus superiores hierárquicos com rigor
excessivo;

c) correr perigo manifesto de mal considerável;

d) não cumprir a empregadora as obrigações do contrato;


e) praticar a empregadora ou seus prepostos, contra ele ou pessoas de sua
família, ato lesivo da honra e boa fama;

f) a empregadora ou seus prepostos ofederem-no fisicamente, salvo em caso de


legítima defesa, própria ou de outrem;

g) a empregadora reduzir o seu trabalho, sendo este por peça ou tarefa, de


forma a afetar sensivelmente a importância doas salários;

h) a empregadora quebrar o sigilo de confidencialidade.

7.6 O contrato de trabalho poderá ser extinto por acordo entre empregado e
empregadora, caso em que serão devidas as seguintes verbas trabalhistas:

I - por metade:

a) o aviso prévio, se indenizado; e

b) a indenização sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço,


prevista no §1 do art. 18 da Lei nº8.036, de 11 de maio de 1990;

II - na integralidade, as demais verbas trabalhistas.

CLÁUSULA OITAVA - DO SIGILO E CONFIDENCIALIDADE

8.1 O EMPREGADO declara expressamente manter sigilo, tanto escrito como verbal,
ou, por qualquer outra forma, de todos os dados, informações científicas e técnicas e,
sobre todos os materiais obtidos com sua participação, podendo incluir, mas não se
lmitando a: técnicas, desenhos, cópias, diagramas, modelos, fluxogramas, croquis,
fotografias, programas de computador, processo, projetos, dentre outros, não podendo
revelar, reproduzir, utilizar ou dar conhecimento, em hipótese alguma, a terceiros, de
dados, informaçãoes cientificas ou materias obtidos com a sua participação, sem a
prévia análise da EMPREGADORA.
CLÁUSULA DÉCIMA - OBSERVÂNCIA AO MARCO CIVIL DA INTERNET E LEI DE
PROTEÇÃO DE DADOS

9.1 Pelo presente as partes declaram que o uso ou desenvolvimento de qualquer


sistema observarão as disposições da à Lei 13.709/18 que regulamenta a proteção de
dados pessoais e da Lei nº 12;965/14 que regulamenta o Marco Cívil da Internet, em
especial:

9.2 O tratamento de dados pessoais somente poderá ser realizado mediante o


fornecimento de consentimento pelo titular.

9.2.1 O consentimento previsto na cláusula anterior deverá ser fornecido por


escrito ou por outro meio que demonstre a manifestação de vontade do titular.

9.3 A não observância de qualquer disposição das referidas leis implicarão em


responsabilidade exclusiva do infrator.

DISPOSIÇÕES GERAIS

10.1 Às situações omissas do presente contrato, serão aplicadas as diretrizes da CLT,


acordo coletivo e convenções trabalhistas vigentes.

10.2 Fica desde já eleito o foro da Comarca de _(Local da prestação dos serviços)_ ,
para serem dirimidas eventuais pendências decorrentes deste contrato.

E por estarem assim contratados, nos termos de seus respectivos interesses,


mandaram as partes lavrarem o presente instrumento que assinam na presença de 02
(duas) testemunhas, para as finalidades de direito.

(Nome e assinatura do empregado)

(Nome e assinatura do empregado)

Testemunhas: _nome, CPF e assinatura_


Testemunhas:_nome, CPF e assinatura_

Você também pode gostar