Você está na página 1de 10

20/04/2021

Farmacologia II CARACTERIZAÇÃO DO DM TIPO 2

FARMACOLOGIA DO DIABETES
MELLITUS TIPO 2

1 2

1 2

BIGUANIDAS: METFORMINA

A metformina aumenta a atividade da proteína quinase dependente de AMP (AMPK).

A AMPK ativada estimula a captação de glicose e reduz tanto a lipogênese quanto a


gliconeogênese.

(Goodman & Gilmann. 11 ed.) 3 4

3 4

1
20/04/2021

BIGUANIDAS: METFORMINA GLITAZONAS (TIAZOLIDINEDIONAS)

Pioglitazona e rosiglitazona: agonistas do receptor nuclear PPAR-γ.


Vantagens:
↓ 60-70 mg/dL glicemia jejum
longo uso clínico
↓ massa corporal
↓ risco micro e macrovascular
benefício sobre perfil lipídico
↓ HbA1c 1.5 – 2 %
↓ risco de hipoglicemina

Desvantagens: reações adversas gastrintestinais


(indigestão, cólicas, distensão abdominais, diarreia, deficiência de vitamina B12)

A metformina é aprovada para crianças a partir de 10 anos de idade e está


disponível na formulação líquida (100 mg/mL).

Contra-indicação:
Insuficiência renal avançada (RFG < 30%), hepática, cardíaca. 5 A rosiglitazona e a pioglitazona são administradas 1 vez/dia. 6

5 6

GLITAZONAS (TIAZOLIDINEDIONAS)

Vantagens:
Menor risco de hipoglicemia,
podem aumentar HDL e diminuem LDL
↓ 35-65 mg/dL glicemia jejum
↓ HbA1c 0.5 – 1.4 %

Desvantagens:
Ganho de peso (1-4 Kg)
problemas hepáticos
aumento de fraturas
edema
aumento do risco de IC

• Contra-indicação:
Insuficiência hepática e cardíaca 7 8

7 8

2
20/04/2021

SECRETAGOGOS DE INSULINA: SECRETAGOGOS DE INSULINA: SULFONILUREIAS


SULFONILUREIAS

• Vantagens:
↓ 60-70 mg/dL glicemia jejum
longo uso clínico
↓ risco microvascular
↓ HbA1c 1.5 – 2 %

• Efeitos adversos:
Hipoglicemia.
Aumento de peso.
Falência secundária da célula β pancreática.

• Contra-indicação:
Insuficiência renal e hepática

9 10
MAJ. 2005 Jan 18; 172(2): 213–226.

9 10

INCRETINO-MIMÉTICOS
SECRETAGOGOS DE INSULINA: MEGLITINIDAS

Nateglinida e Repaglinida.

glicólise ↓ 20-30 mg/dL glicemia jejum


glicoquinase ↓ HbA1c 1– 1.5 %
Custo mais alto que SUR.
o
zaçã

↓ HbA1c 1– 1.5 % (menor que SUR)


Pode se utilizada em pacientes com RFG < 30%
olari
desp

Efeitos adversos:
hipoglicemia
↑ peso corporal
↑ IVAS

11 12

11 12

3
20/04/2021

INCRETINO-MIMÉTICOS: ANÁLOGOS DO GLP-1 INCRETINO-MIMÉTICOS: ANÁLOGOS DO GLP-1

• As incretinas são hormônios GI liberados após as refeições, que estimulam a secreção de insulina. ↓ 30 mg/dL glicemia jejum
Ex: GLP-1 e o GIP. ↓ HbA1c 0.8 – 1.2 %
↓ peso
bom perfil lipídico
• Exenatida, Liraglutida, Lixisenatida, Dulaglutida. ↓ PA
Semaglu+da: aplicação semanal.

GIP: peptídeo
insulinotrópico Estudos:
dependente de
glicose - LEADER (liraglutida)
- SUSTAIN-6 (semaglutida)
- REWIND (dulaglutida)

Redução do risco de IAM, AVE ou morte por doença


GLP-1: peptídeo
semelhante ao
cardiovascular
glucagon

13
14

13 14

INCRETINO-MIMÉTICOS: INIBIDORES DA DIPEPTIDILPEPTIDASE 4 (DPP4)

Sitagliptina, Vildagliptina, Saxagliptina, Linagliptina, Alogliptina.


• Reações adversas:
- Náusea, vômitos e diarreia
- Possibilidade de pancreatite aguda.
- Aumento de FC.

15 16

15 16

4
20/04/2021

INCRETINO-MIMÉTICOS: INIBIDORES DA DIPEPTIDILPEPTIDASE 4 (DPP4) INIBIDORES DE SGLT-2 (GLIFLOZINAS)

• SGLT é uma proteína de membrana cotransportadora de sódio/glicose tipo 2 que está presente no TCP
↓ 20 mg/dL glicemia jejum do rim sendo responsável por reabsorver a glicose que é filtrada pelos rins antes que ela seja eliminada
↓ HbA1c 0.6– 0.8 %
pela urina.
- São indicados para o tratamento do DM2 em
monoterapia ou em terapia combinada.
• Bloqueiam o SGLT-2, reduzindo a reabsorção da glicose pelo rim, aumentando a excreção de glicose e
- Duração do efeito: 24 h. reduzindo os níveis de açúcar no sangue.
- Não promove hipoglicemia.

- Efeitos adversos:
náusea, cefaleia, angioedema, urticária,
pancreatite aguda, aumento de IC (saxagliptina).

O estudo SAVOR-TIMI demonstrou risco 27%


maior de hospitalização por IC em pacientes
utilizando a Saxagliptina em relação ao placebo.
17 18

17 18

INIBIDORES DE SGLT-2 (GLIFLOZINAS)


ü Reações adversas:
Infecção do trato urinário;
↓ 30 mg/dL glicemia jejum
↓ HbA1c 0.5– 1 % Poliúria;
↓ peso
↓ pressão arterial Aumento na incidência de infecções genitais;
↓ eventos cardiovasculares e mortalidade em pacientes Depleção de volume, hipotensão e confusão mental
com DCV
Aumento do LDL
Aumento transitório da creatinina
Cetoacidose diabética

• Dapagliflozina 5 a 10 uma vez ao dia, em qualquer horário.


üContra-indicações:
• Empagliflozina 10 a 25 uma vez ao dia, em qualquer horário.
• Não devem ser usados junto com diuréticos, uma vez que faz depleção de volume de líquidos.
• Canagliflozina 100 a 300 uma vez ao dia, em qualquer horário.
• Não devem ser usados em pacientes com diminuição moderada a grave da TFG.
• Não deve ser usado em pacientes com depuração de creatinina persistentemente menor ou igual a 60 mL/min.

Hsia et al., Curr. Opin. Endocrinol. Diabetes Obes. 24: 73-79, 2017.: Grubić et al., World J. Diabetes 11:269-279, 2020 19 20

19 20

5
20/04/2021

INIBIDORES DA α-GLICOSIDASE INIBIDORES DA α-GLICOSIDASE

Acarbose: inibe seletivamente as α-glicosidases intestinais da borda em escova do


intestino. • Deve ser usada antes das refeições, reduzindo a
glicemia pós-prandial.
A inibição dessa enzima retarda a absorção dos carboidratos pelo TGI e diminui a taxa de
elevação pós-prandial da glicose plasmática. • Menor risco de hipoglicemia em monoterapia.

• Efeitos adversos: desconforto abdominal, flatulência, diarreia.

• Contra-indicação:
Portadores de transtornos crônicos no TGI, DRC, insuficiência hepática.

21 22

21 22

Goodman & Gilman. 11a ed. 23 24


Diretriz Brasileira de Diabetes. 2019- 2020.

23 24

6
20/04/2021

RECOMENDAÇÕES GERAIS PRÁTICAS – DM2 RESISTÊNCIA À AÇÃO DA INSULINA


MENOR EFICÁCIA DOS ANTIDIABÉTICOS ORAIS
obesidade, adiposidade visceral
cortisol, hormônio de crescimento
gestação
auto-anticorpos para o receptor para insulina
mutações no receptor para insulina

25 26
Diretriz Brasileira de Diabetes. 2019- 2020.

25 26

TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DO DM DURANTE A GRAVIDEZ E LACTAÇÃO

27 28
Diretriz Brasileira de Diabetes. 2019- 2020.

27 28

7
20/04/2021

DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM IDOSOS INSULINOTERAPIA EM DIABETES MELLITUS TIPO 2

29 Diretriz Brasileira de Diabetes. 2019- 2020. 30

29 30

INSULINOTERAPIA EM DIABETES MELLITUS TIPO 2

Ebook. Diabetes na prática clínica. Sociedade Brasileira de Diabetes. 31 Ebook. Diabetes na prática clínica. Sociedade Brasileira de Diabetes. 32

31 32

8
20/04/2021

INSULINOTERAPIA EM DIABETES MELLITUS TIPO 2 INSULINOTERAPIA EM DIABETES MELLITUS TIPO 2

Ambos os algoritmos apresentaram bom resultado e seguem sendo recomendados.

33 34
Ebook. Diabetes na prática clínica. Sociedade Brasileira de Diabetes.
Ebook. Diabetes na prática clínica. Sociedade Brasileira de Diabetes.

33 34

INSULINOTERAPIA EM DIABETES MELLITUS TIPO 2


INSULINOTERAPIA EM DIABETES MELLITUS TIPO 2

Foi demonstrado que a administração de apenas uma dose semanal de insulina ICODEC promoveu redução
dos níveis de hemoglobina glicada em extensão semelhante àquela induzida pela administração diária de
insulina glargina.

Ensaio clínico de fase 3 com maior número de pacientes encontra-se em andamento.

35 36
Ebook. Diabetes na prática clínica. Sociedade Brasileira de Diabetes.

35 36

9
20/04/2021

MEDIDAS NÃO - FARMACOLÓGICAS

Os indivíduos sedentários são mais


resistentes à insulina do que os indivíduos
ativos, e o treinamento fisico pode
melhorar a sensibilidade à insulina.

37

37

10

Você também pode gostar